março 19, 2021

LTN: O que é e como investir em letras do Tesouro Nacional  

letras do tesouro nacional ltn

Você sabia que as LTN, ou letras do Tesouro Nacional, são um ótimo investimento de médio prazo?

As letras do Tesouro Nacional são uma forma de investimento cada vez mais popular. Mesmo assim, ainda é comum ouvir a pergunta: mas o que é LTN?

Apesar de ainda ser bastante conhecido como LTN, essa sigla foi modificada para Tesouro Prefixado em 2015, bem como outras letras de título público. 

Com a nova nomenclatura, ficou mais fácil reconhecer e entender a rentabilidade, o fluxo de remuneração e o prazo de vencimento dos títulos do Tesouro DiretoMas as antigas nomenclaturas continuam vinculadas aos novos nomes, a fim de não confundir o investidor. 

A LTN é uma modalidade de investimento considerada segura e rentável, que tem crescido muito nos últimos anos.

Um forte sinal disso é que investidores de perfil mais conservador, que aplicavam apenas na caderneta de poupança, estão abandonando seus bancos para aplicar em corretoras com LTNs, além de outros papéis de curto e médio prazo.

Eles encontraram nas letras do Tesouro Nacional um investimento equivalente, a médio prazo e com rendimento ainda melhor.

Existem também outros tipos de títulos do Tesouro Direto. Leia esse outro texto completo do nosso blog se você deseja aprender como investir no Tesouro Direto, entendendo outras opções de aplicação.

A LTN possui rentabilidade prefixada, ou seja, não é atrelada a nenhum outro indicador. Não é o caso de outras modalidades do Tesouro Direto, como a NTN-B (que é indexada à inflação) e a LFT (pós-fixada, indexada à taxa Selic).

Isso significa que se o título rende 10% a.a. no momento da compra, ele vai render isso até a data de validade. Nada mais, nada menos.

Assim, as Letras do Tesouro Nacional são feitas para quem acredita que a taxa de juros prefixada será maior que a taxa básica de juros (SELIC) ou que a taxa de inflação (IGP-M ou IPCA). 

Neste artigo completo, você poderá conferir:

  • O que é LTN
  • Características dos Títulos do Tesouro
  • LTN: Como Funciona a aplicação nas Letras do Tesouro Nacional
  • LTN ou LFT: Qual Escolher?
  • Como Investir em Letras do Tesouro Nacional em 2018
  • Qual Melhor Tesouro Direto Para Investir e Seu Rendimento
  • Tesouro Selic ou CDB? Poupança ou Tesouro Direto?
  • Como Investir em NTN-B (Tesouro IPCA+)
  • Resgate do Tesouro Direto

Caso você tenha alguma dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário no final dessa página!

Boa leitura!

Letra do Tesouro Nacional: O que é LTN?

Baú cheio de ouro
Entender o que é LTN é essencial para quem deseja investir com qualidade.

As letras do Tesouro Nacional são um investimento que se encaixa em muitas carteiras de ativos.

Uma das promessas do Tesouro Direto é ser extremamente simples. E, é verdade, investir nestes títulos é tão fácil quanto na poupança.

No entanto, algumas pessoas ainda podem ficar confusas com todas as siglas dos ativos: LTN, LFT, NTNB e NTNB Princ

Todos eles são investimentos de renda fixa, independente de como seja seu rendimento. Em outras palavras, todos possuem um rendimento previsível, mesmo quando atrelado a algum índice.

Isso significa que ao investir no Tesouro Direto, você não terá grandes surpresas. Assim, essa é uma modalidade de investimentos indicada para quem busca segurança para sua carteira de ativos e, claro, para novos investidores.

A seguir, você encontra a tela de investimentos no Tesouro Direto da corretora Rico. Para ter acesso a essa parte exclusiva do site, que inclui simuladores para comparar ativos, você deve ser cliente Rico.

Para isso, basta realizar o seu cadastro online de graça em alguns minutos

ltn simulador tesouro direto

 Dados de 31/07/2018

Características dos Títulos do Tesouro Direto

Como você pode notar, cada um desses investimentos possui uma data de vencimento, tipo de rentabilidade e valor mínimo de aplicação.

Mas afinal, o que é LTN? O que é LFT e NTNB?

O Tesouro Direto se destaca por ser uma categoria de investimento público que possui diversos tipos de aplicações. As diferentes modalidades atendem objetivos de curto, médio e longo prazo.

Cada sigla significa um tipo de Tesouro Direto com características únicas. E você não precisa decorar o que cada um significa. Basta saber o nome do Tesouro e como ele funciona. Veja como é muito mais fácil do que você imagina:

LTN – Tesouro prefixado

Existem apenas dois tipos de investimentos: pós-fixados e prefixados. E o LTN é o único papel do Tesouro Direto que possui sua rentabilidade 100% fixada. Assim, ele é chamado de Tesouro Prefixado.

Isso significa que não importa o que aconteça no mercado: você vai receber uma taxa igual do início ao fim da aplicação. Como dito, esse investimento é indicado para quem acredita que a taxa Selic e o IPCA não vão superar sua rentabilidade.

Isso costuma ocorrer em grandes crises financeiras e políticas a médio prazo. E isso não acontece da noite para o dia. Normalmente, as crises mandam diversos avisos.

Como visto na tabela acima, você encontraria em julho de 2018 letras do Tesouro Nacional com rendimento anual de 8,83% e 10,83%. O primeiro com prazo para 2021 e o segundo para 2025.

Assim, ele é perfeito para objetivos a médio prazo (de 3 a 6 anos) como trocar de carro, reformar a casa ou abrir uma empresa, por exemplo.

O Tesouro LTN é muito indicado quando a economia está sob controle. Mas, de qualquer forma, é muito importante levar o seu título de investimento até a data de vencimento. Apenas assim você garante 100% da sua rentabilidade.

O Tesouro Prefixado é uma ótima opção para investimentos de médio prazo.

LFT – Tesouro Selic

Se você quer substituir completamente a poupança, recomendamos que invista no Tesouro Selic. Mesmo com a taxa básica de juros com tendência de baixa, ele ainda é muito rentável.

Isso só é possível por causa da inflação, que está ainda mais baixa, tornando a rentabilidade real do investimento atrativa. Mesmo assim, a principal característica do Tesouro Selic não é a rentabilidade (que é maior do que a poupança).

O LFT é muito conhecido pela sua liquidez diária. Caso não saiba, liquidez significa a capacidade do ativo de se tornar dinheiro na sua conta. Quanto mais rápido (e claro, sem perdas), maior sua liquidez.

O Tesouro Selic é o investimento mais indicado para quem não sabe se vai precisar do dinheiro ou não, permitindo resgates em qualquer momento sem perder nada de rentabilidade.

Muito diferente da poupança, que possui um aniversário. Ou seja, não permite que um resgate seja feito sem perda, a não ser nesse dia definido do mês.

Por exemplo: caso o aniversário da sua poupança seja o dia 10, ao resgatar dia 15 você perde 5 dias de rendimento. 

Dessa forma, o LFT é o investimento indicado para formar uma reserva de emergência (normalmente equivalente a 6 meses do custo de vida da sua família) de curto prazo.

NTNB – Tesouro IPCA+ (com juros semestrais)

O NTNB é o título do Tesouro Direto perfeito para quem possui objetivos a longo prazo. Cada vez mais pessoas utilizam esse papel como ferramenta de construção de aposentadoria, por exemplo.

Como o nome diz, ele possui um rendimento atrelado à taxa IPCA, o principal indicador da inflação. Como visto na tela de ativos da Rico, o Tesouro IPCA é híbrido em sua rentabilidade.

Ele combina uma taxa fixa ao IPCA, garantindo o poder de compra com uma boa taxa de juros prefixada a longo prazo. O maior temor de todo investidor a longo prazo é não estar preparado para reviravoltas na economia. 

É impossível prever o que acontecerá daqui a 10 anos. Por isso, é importante garantir que o seu dinheiro não perca valor. 

Esse título NTNB deve ser comprado com o objetivo de ser levado até a data de vencimento. Nos exemplos citados, o período varia entre 2026 e 2050. No entanto, a cotação do NTNB pode se desvalorizar, aumentando o valor do seu papel.

Nesse caso, você pode vender o título antes da data, garantindo um bom lucro antecipado. Funciona assim: se o seu título rende 7% + IPCA e os títulos desvalorizam, chegando a 5% + IPCA, você tem um papel valorizado em mãos.

Neste caso, basta vendê-lo com uma cotação mais cara do que você comprou para garantir um lucro antecipado. Foi assim que o Tesouro Direto rendeu 53% em um ano.

O Tesouro IPCA é perfeito para investimentos de longo prazo, como a construção da aposentadoria.

NTNB Princ – Tesouro IPCA+

A grande diferença desse NTNB Princ do anterior é que ele reserva toda rentabilidade para ser resgatada no momento do vencimento do título. O NTNB normal, com juros semestrais, paga uma parcela dos juros a cada 6 meses.

O NTNB Princ é mais indicado para quem ainda está construindo sua aposentadoria, enquanto o NTNB com juros semestrais é indicado para aposentados que precisam de lucro a curto prazo.

Qual a Real Diferença entre LTN e NTNB?

A LTN e a NTNB são os títulos públicos mais procurados pelos investidores, mas apresentam diferenças marcantes. Antes de investir, é preciso entender melhor quais são essas distinções.

Mas afinal, qual deles é o melhor para investir? A resposta é: depende

A primeira grande diferença entre eles é o que uma LTN é prefixada. Ou seja, você sabe quanto vai ganhar no momento do vencimento do título. Por não ser indexada, a chance de você ganhar mais dinheiro com ele é maior.

uma NTNB é pós-fixada. E você pode estar se perguntando qual é o motivo de se investir em um título sem saber quanto vai receber. Mas isso pode ser uma vantagem, já que ele é indexado pela inflação.

Dessa forma, se ele render 6% e a inflação for de 5%, você receberá 11% de lucro e 6% de lucro real.

Agora, se você investir em uma LTN e a sua rentabilidade for de 12%, o seu lucro real também será de 6%. Ou seja, o lucro desse título só é maior na prática, pois na realidade os números acabam bem parecidos.

Por conta disso, costuma-se dizer que uma LTN rende mais. Principalmente porque o investidor recebe o seu dinheiro todo de uma vez, enquanto com uma NTNB você recebe diversos pagamentos até a sua data de vencimento.

NTNB comum e NTNB Principal

Como já vimos, existe mais de um tipo de NTNB: comum e o principal.

Este segundo paga o valor total do rendimento obtido apenas quando o título expira. Ele é ótimo para quem quer se proteger da inflação e das altas taxas de imposto de renda que incidem sobre o curto prazo.

Apesar das projeções, não existe como saber exatamente como estará a inflação daqui a alguns anos. Se ela explodir, por exemplo, o lucro real de uma LTN não vai tão grande quanto você espera.

Então, você pode diversificar e investir conforme os seus objetivos, tanto em uma NTNB quanto em LTNs.

Letras do Tesouro Nacional: como funcionam os Títulos Públicos Brasileiros

Mulher com bandeira do Brasil em frente do planalto
Entenda o que são as letras do tesouro nacional e como funcionam para entender ainda mais sobre investimentos.

Os títulos são formas de captar dinheiro do mercado utilizadas pelo Tesouro Brasileiro.

Ao aplicar o seu dinheiro no Tesouro Direto, você estará emprestando dinheiro para o Tesouro Nacional controlar a economia e financiar investimentos em projetos do Governo Federal.

O funcionamento é muito simples, e pode ser comparado a quando você pega dinheiro emprestado dos bancos. Você receberá o dinheiro deles, ao custo de uma taxa mensal.

Nessa caso, você é quem emitiu um título de dívida e precisará pagar o capital e os juros de volta. Como você não possui a solidez de uma grande instituição, os juros cobrados são bem maiores, para que cubram os riscos.

Como o risco de calote do Governo é o menor entre todas as instituições, ele possui uma taxa de juros menor. 

Essa é uma lei do mercado financeiro. Quanto maior o risco envolvido, maior deve ser o retorno. E quanto menor o risco, menor será o lucro. Então, não acredite em ninguém que ofereça algo muito rentável dizendo que é 100% seguro.

Vantagens de investir na LTN

As Letras do Tesouro Nacional (LTN) são ótimos investimentos a médio prazo. Veja algumas vantagens de investir nesse tipo de papel:

  • O investidor sabe a rentabilidade exata que deve ser recebida na data de vencimento;
  • O investidor pode calcular e contar com um valor bruto exato, em reais, a ser recebido na data de vencimento;
  • O fluxo de investimento é simples: uma aplicação e um resgate;
  • Maior disponibilidade de vencimentos para a negociação no Tesouro Direto;
  • É ótimo quando a taxa Selic e o IPCA estão com tendência de baixa (economia estável);
  • Extremamente seguro (o emissor é o Tesouro Nacional).

São muitas vantagens que devem ser consideradas, mas tome cuidado com as desvantagens. Dependendo do seu perfil e ponto de vista de investimentos, a LTN pode não ser ideal. Veja a seguir:

Desvantagens da LTN

Como toda aplicação, alguns fatores podem ser considerados como desvantagens:

  • Comprar o título do Tesouro quando a Selic e o IPCA estão em alta;
  • Não poder resgatar antes do período sem perda de rentabilidade;
  • O retorno é fixo até a data do vencimento;
  • Em caso de liquidação antecipada, pode haver prejuízo (ou lucro, dependendo do caso).

Como dito, todos esses fatores são desvantagens apenas se seus objetivos não forem compatíveis com as características da LTN, ou se você não se planejar nem estudar o investimento.

Leia este outro artigo se você ainda tem dúvidas se vale a pena investir no Tesouro

Como Calcular a Rentabilidade da LTN

Mulher trabalhando , sorrindo olhando para a calculadora
Usar um simulador pode facilitar os seus cálculos de rentabilidade.

A rentabilidade de uma LTN é calculada pela diferença entre o seu preço de compra e o valor em seu vencimento (valor de face). Este será sempre R$1.000.

Ou seja, independente do preço de compra, esse será o valor que você vai receber no momento de sua expiração.

Para calcular a rentabilidade desse título, vamos ver um exemplo:

Usando o título prefixado LTN que vence em 2025, sabemos que ele está cotado a R$517,58 e que oferece uma taxa de juros de 10,83% ao ano.

Vamos supor que você queira investir o valor de R$517,58 nesse nessa LTN para vendê-la no dia 31/03/2019. Qual seria o valor de venda?

A primeira coisa que você precisa fazer é descobrir quantos dias corridos existem entre a data de compra e a de venda. Nesse nosso exemplo são 242 dias. 

Depois, você precisa descobrir qual é a taxa de juros equivalente para apenas um dia corrido.

Parra isso, você pode usar a seguinte fórmula: [(1+taxa de juros da LTN)^1/365] – 1.

Nesse exemplo, a sua equação ficaria da seguinte maneira [(1+0,1083)^1/365] – 1 = 0,00028 = 0,028% ao dia.

O próximo passo é calcular a rentabilidade através da fórmula de cálculo de Valor Futuro.

Valor Futuro = Valor Presente * [ ( 1 + rentabilidade diária ) ^ dias corridos da sua operação ]

Então, temos:

VF = 517,58 * [(1+ 0,00028)^242] = R$553,86

Ou seja, na data anteriormente definida, você resgatará R$553,86.
 

Simulações

Esse cálculo, no entanto, pode ser simplificado se você utilizar o nosso simulador de investimentos do Tesouro Direto. Para ter acesso a ele, basta abrir uma conta gratuita aqui na Rico.

Se você quiser investir R$1.000 na mesma LTN do exemplo anterior, a fim de resgatar o seu dinheiro apenas na data de vencimento, ou seja, no dia 01/01/2025, basta inserir essas informações no nosso simulador. Veja:

ltn simulação
ltn resultados

Dados de 12/08/2018

Como Investir em LTN em 2018

Você pode investir em LTN de três maneiras diferentes:

  • Direto no site: você acessa o ambiente restrito no site do Tesouro Nacional e compra os seus títulos;
  • No site de um Agente Custodiante: você pode investir em LTN por meio do Home Broker de bancos e corretoras;
  • Autorizando seu Agente Custodiante: você autoriza que ele realize a compra dos títulos por você.

Para investir em uma LTN com uma corretora, você precisa apenas seguir alguns passos simples. Confira a seguir:

#1. Crie uma conta na Rico

Existem diversas corretoras que podem ajudar você a investir em títulos públicos. Mas poucas oferecem zero taxa de administração e uma equipe para ajudar a sanar as suas dúvidas.

A Rico é uma das corretoras mais confiáveis para esse tipo de investimento. Diariamente, milhares de pessoas movimentam os seus investimentos conosco. Os títulos do Tesouro Direto são normalmente sua primeira opção.

#2 – Escolha o vencimento e o valor

Após o seu cadastro, basta escolher qual é o vencimento da LTN que melhor se adequa ao seu perfil e quanto você quer investir.

E não se preocupe: mesmo assim, você poderá vendê-la antes do vencimento. Mas se você levá-la até a sua data de expiração, não terá nenhum tipo de prejuízo.

#3 – Realize a compra do título

Antes de realizar uma aplicação, você precisa transferir dinheiro da sua conta do banco para a sua conta da Rico através de um TED. Com isso, o valor transferido fica disponível para você em poucos minutos.

Após esse passo, basta que você acesse a opção “Tesouro Direto” no canto esquerdo da sua tela e efetue o seu investimento.


Custos e Tributos do Tesouro Direto

Mãos mexendo na calculadora científica
Como toda aplicação financeira, esse investimento possui a incidência de IOF e Imposto de Renda.

O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é cobrado apenas se você resgatar o título no primeiro mês de aplicação, o que não é recomendado de forma alguma para papéis LTN.

Leia esse artigo aqui se você deseja entender como funciona o resgate do Tesouro

Já o Imposto de Renda funciona da mesma forma para todos os investimentos de renda fixa. Ou seja, quanto mais tempo ficar aplicado, menor será a alíquota. Veja a seguir como funciona a tabela regressiva do Imposto de Renda:

  • Até 180 dias – 22,5% da rentabilidade somente;
  • Entre 181 e 360 dias – 20% da rentabilidade somente;
  • Entre 361 e 720 dias – 17,5% da rentabilidade somente;
  • Mais que 720 dias – 15% da rentabilidade somente.

Nunca esqueça de subtrair esse imposto na hora de simular ativos, para saber de fato qual é a sua rentabilidade real.

Outros custos

Existem mais dois custos que devem ser considerados: um é cobrado pela BM&FBOVESPA e outro pela instituição que vendeu o título, como a corretora, por exemplo.

A taxa cobrada pela BM&FBOVESPA é a taxa de custódia de 0,30% a.a.

Ela ocorre sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos.

Essa taxa é provisionada todos os dias a partir da liquidação da operação de compra (D+2). Por ser provisionada diariamente, ela é cobrada proporcionalmente ao período em que o investidor mantiver o seu título, e é cobrada até o saldo de R$1.500.000,00 por conta de custódia.

A segunda taxa depende da corretora por onde você investir. Na Rico, por exemplo, você é isento de taxas ao investir no Tesouro Direto. 

Minimize os Riscos de Investir em LTN 

Antes de investir em qualquer tipo de aplicação, você precisa estudar sobre o seu funcionamento.

Aqui na Rico, você encontra diversos materiais, em vários formatos, que vão te ajudar a  alcançar os seus objetivos financeiros, sempre de forma rápida e segura. 

O primeiro passo para minimizar os seus riscos é optar por uma corretora de segurança que possua um ótimo suporte, para auxiliar durante os seus investimentos. 

Em uma pesquisa realizada pela Proteste, a Rico foi eleita a melhor corretora de valores para pequenos investidores em 2018. Isso se deve a termos o melhor custo-benefício do mercado, principalmente no que diz respeito aos nossos custos e à segurança da plataforma.

Ou seja: a melhor decisão que você pode tomar para se certificar que o seu dinheiro vai render da forma mais segura possível é investir em Tesouro com a Rico.


Conclusão

As Letras do Tesouro Nacional (Tesouro Prefixado) são um ótimo investimento para quem já possui uma reserva de emergência formada com Tesouro Selic, pois têm um rendimento maior e um prazo mais elevado.

Nunca esqueça: antes de aplicar em qualquer investimento, avalie a sua rentabilidade e subtraia o Imposto de Renda e o IPCA atual para saber qual é a rentabilidade real.

Muitas vezes, o investimento possui uma rentabilidade nominal ótima, mas quando descontados os custos, torna-se pouco atrativo.

Também é importante não esquecer de comparar as Letras do Tesouro Nacional com títulos prefixados da renda fixa como CDBs e debêntures (misturam uma taxa fixa ao IPCA).

Vale lembrar que investir no Tesouro Direto é um ótimo negócio porque é seguro, prático, versátil e rentável.

Se você tiver qualquer dúvida, pode perguntar na InvesTV (salas de aula ao vivo da Rico).

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário logo abaixo com elogios ou sugestões!

Obrigado por ler até aqui!

Leia esses outros artigos completos do nosso blog para continuar aprendendo:

abra-conta-rico-1.png

maio 6, 2020

Imposto de Renda no Tesouro Direto: Guia para declarar  

Você sabia que o Imposto de Renda no Tesouro Direto diminui com o passar dos anos?

Acontece que o tributo sobre os títulos públicos é cobrado de forma regressiva. Assim, quanto mais tempo você investir, menos terá que pagar.

A alíquota mínima é de 15% e ela incide apenas sobre o rendimento.

Portanto, antes de investir, é muito importante estar atento a essa cobrança para planejar as suas finanças.

Mesmo com o Imposto de Renda, o Tesouro Direto é visto como um investimento rentável e seguro.

Então, se você quer se tornar um investidor, ter informações sobre os tributos o ajudará a calcular os rendimentos líquidos da sua carteira.

Neste artigo, você encontrará tudo o que precisa saber sobre o Imposto de Renda no Tesouro Direto para acertar as contas com o Leão.

Veja os tópicos que vamos abordar:

  • Como Funciona o Imposto de Renda no Tesouro Direto
  • Tabela de Tributação de Imposto de Renda (IR) no Tesouro Direto
  • Quem Recolhe Imposto de Renda no Tesouro Direto?
  • Passo a passo de como Declarar Tesouro Direto no Imposto de Renda 2020
  • Como Pagar Imposto de Renda do Tesouro Direto
  • Declaração de títulos resgatados ou vencidos no Tesouro Direto
  • Quanto é o IOF do Tesouro Direto?
  • Bônus: Quais Investimentos São Isentos de IR?

Se você tiver qualquer dúvida, deixe um comentário no final da página.

Boa leitura!

Clique e abra sua conta agora

Como Funciona o Imposto de Renda no Tesouro Direto

Um homem andando na rua mexendo no celular, em referência à declaração de imposto de renda no tesouro direto
O cálculo do imposto corresponde ao tempo de investimento a partir do dia da compra

O Imposto de Renda do Tesouro Direto é calculado apenas sobre os rendimentos do período.

Assim, ao investir em títulos públicos, você não precisa se preocupar, pois o capital investido permanece intacto.

A alíquota do Imposto de Renda no Tesouro Direto diminui com o tempo de investimento.

Isso significa que manter o ativo por mais tempo na sua carteira pode ser vantajoso, pois o rendimento líquido aumenta.

Caso você faça uma venda antecipada do seu título, a tributação é calculada de acordo com o período de aplicação, que inicia na data da compra.  

Portanto, antes de solicitar o resgate, é necessário verificar a alíquota que deve incidir sobre os seus rendimentos.

No caso de títulos com juros semestrais, o Imposto de Renda do Tesouro Direto é calculado sobre os rendimentos dos cupons pagos.

Por isso, esse pode ser um critério na hora de escolher o ativo mais apropriado para a sua carteira.

Como funciona o Imposto de Renda no Tesouro Selic

O Tesouro Selic é uma das modalidades de investimento em títulos públicos.

Como o nome sugere, sua rentabilidade está atrelada à Taxa Selic, que define os juros básicos da economia.

As regras de tributação nesse título são as mesmas que se aplicam aos demais produtos da família Tesouro Direto.

Ou seja, tudo depende do tempo de investimento.

Mais à frente, vamos apresentar a tabela do Imposto de Renda, mas, basicamente, o que você precisa saber é que, se o resgate da aplicação ocorrer em até 180 dias, a alíquota será de 22,5%.

Depois, esse percentual cai até chegar a 15% para resgates com pelo menos 720 dias de investimento.

Ou seja, se puder esperar pelo menos dois anos para mexer na sua aplicação no Tesouro Direto, seja o Tesouro Selic ou outra modalidade, você sai em vantagem, pois paga menos imposto.

Então, Tesouro Direto não é isento de Imposto de Renda?

Sim, é verdade. Não há isenção ao investir em títulos públicos.

No melhor cenário, você paga uma alíquota menor, mas a cobrança sempre existe.

O Tesouro Direto possui a incidência do Imposto de Renda e outras taxas. Mesmo assim, ele oferece uma rentabilidade melhor do que a poupança.

No mercado financeiro, há investimentos de renda fixa que não possuem qualquer tributação.

Ainda neste artigo, vamos mostrar cada um deles.

Então, continue lendo para saber mais.

Tabela de Tributação de Imposto de Renda (IR) no Tesouro Direto

Como a gente antecipou, a forma de cobrança do Imposto de Renda do Tesouro Direto segue uma tabela regressiva.

Significa que, quanto maior o tempo de aplicação, menor a alíquota do tributo.

Confira:

Tempo de aplicaçãoAlíquota do IR (%)
Até 180 dias22,5
De 180 a 364 dias20,0
Entre 364 e 720 dias17,5
Acima de 720 dias15
Tabela do Imposto de Renda no Tesouro Direto – Fonte: Receita Federal

Exemplo de aplicação sem juros semestrais

Para entender como funciona o Imposto de Renda no Tesouro Direto, nada melhor do que exemplos práticos, não é mesmo?

Considere um investimento de R$ 1 mil com taxa de rentabilidade de 6,50% ao ano. Caso o resgate ocorra em 179 dias após a compra do ativo, o retorno bruto seria de R$ 26,40.

A alíquota do período será de 22,50%. Assim, o Imposto de Renda ficará em R$ 5,94, entrando cerca de R$ 20,46 para o seu bolso.  

Vamos calcular o tributo no período de 364 dias. Aqui, ele equivale a 20% dos rendimentos.

Assim, a rentabilidade bruta será de R$ 59,87 e o Imposto de Renda do Tesouro Direto ficará em R$ 11,97.

Considere manter o investimento até 720 dias. Após isso, o retorno será de R$ 129,28. Nesse caso, a alíquota estará em 17,5%, o equivalente a R$ 22,62.

Agora, ao investir com prazo acima de dois anos, o Imposto de Renda do Tesouro Direto cairá para 15%.

Portanto, o rendimento bruto será de R$ 141,28. Já o IR levará R$ 21,25, o que resultará R$ 120,49 como retorno líquido.

Exemplo de título com juros semestrais

Nesse exemplo, considere investir R$ 1 mil em um título prefixado com juros semestrais com taxa de rentabilidade de 9,0% ao ano.

Depois do período de 118 dias, o retorno bruto será de R$ 28,09. Com a alíquota de 22,5%, equivalente a R$ 6,32, o rendimento líquido ficará em R$ 21,77.

Ao manter o título pelo prazo de 364 dias, a rentabilidade bruta será de R$ 87,17. Neste caso, haverá o pagamento do cupom semestral ao final dos seis meses da aplicação.

Dessa forma, haverá a incidência de um com 22,5% de IR e outro com 20,0%. Assim, o total de ficará em R$ 18,69. O rendimento líquido estará em R$ 68,48.

Após 365 dias, você receberá o terceiro cupom, com alíquota de 17,5%. Portanto, o retorno bruto será de R$ 1.091,39.

O Imposto de Renda do Tesouro Direto totalizará R$ 19,00. Logo, virá para o seu bolso, o valor de R$ 1072,39.

Ao manter o título por mais de dois anos, o rendimento bruto será de R$ 1.182,04. A alíquota sobre os cupons futuros estabilizará em 15%. Dessa maneira, ele ficará em R$ 33,73, o que resultará em R$ 1.148,31 para o seu bolso.

Diante destes exemplos, note que o Imposto do Tesouro Direto sobre os títulos com juros semestrais é ligeiramente mais alto.

Porém, esses papéis costumam ser mais vantajosos do que fazer uma venda antecipada de um ativo sem esses cupons.

Então, antes de investir, uma dica é utilizar o nosso Simulador do Tesouro Direto e fazer a melhor escolha segundo os seus objetivos. 

Quem Recolhe Imposto de Renda no Tesouro Direto?

Uma mulher a frente de um notebook com a mão no queixo, em referência a declarar imposto de renda no tesouro direto
Prestar contas à Receita Federal e ficar em dia com o Leão livra você da malha fina

O Imposto do Renda no Tesouro Direto é retido diretamente na fonte. Então, ao investir neste ativo, você só precisa citá-lo corretamente na declaração anual do IRPF.

A cobrança em si só será efetivada nos seguintes casos:

  • Vencimento do título público

  • Recebimento de cupons semestrais

  • Venda antecipada do ativo

Como Declarar Tesouro Direto no Imposto de Renda 2020

A declaração do Imposto de Renda no Tesouro Direto é bastante simples.

Ao investir nesse ativo pelas corretoras de valores, como a Rico, você recebe o Informe de Rendimentos correspondente ao ano de exercício.

Dessa forma, fica mais simples prestar contas ao Leão, principalmente, se essa será a sua primeira vez.

Antes de qualquer coisa, a obrigatoriedade da entrega da declaração do Imposto de Renda ocorre nos casos:

  • Ter a posse ou propriedade de bens ou direitos no valor total ou superior a R$ 300 mil até o dia 31 de dezembro de 2019.

  • Receber rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributáveis diretamente na fonte que totalize R$ 40 mil.

Portanto, se você investiu no Tesouro Direto em 2019, é necessário prestar contas ao Fisco.

A declaração do Imposto de Renda do Tesouro Direto é feita diretamente no aplicativo da Receita Federal.

Vamos entender melhor quais são os passos?

1. Insira as informações iniciais

Ao preencher a sua declaração, acesse a aba “Bens e Direitos” no programa disponibilizado pela Receita Federal.

Em seguida, encontre o código 45, que representa “Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros)“.

Você também deverá informar o código de localização (país), utilizando o 105 para o Brasil.

Outro dado que deve constar é o CNPJ do emissor ou instituição financeira (sua corretora).

2. Detalhe o investimento

Ainda na primeira tela, será preciso discriminar o seu investimento no Tesouro Direto.

Informe se tratar de uma aplicação de renda fixa envolvendo títulos públicos e dando as características dela.

Logo abaixo,  será necessário declarar os valores da sua aplicação em 31/12/2018 e também em 31/12/2019.

É neste momento que você deve recorrer ao Informe de Rendimentos disponibilizado pela sua corretora, que traz esses números detalhados.

Caso não seja a primeira vez que faz a declaração, o programa deve puxar os dados de anos anteriores para completar os valores apresentados como saldo em 2018.

Ainda assim, vale conferir se as informações estão corretas.

3. Declare seus rendimentos no Tesouro Direto

Como já destacado, o Imposto de Renda no Tesouro Direto é retido na fonte.

Mesmo assim, seu rendimento precisa ser declarado.

Para isso, localize a aba “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva

Depois de clicar em “Novo”, encontre o item “06 – Rendimentos sobre Aplicações Financeiras”.

Neste momento, as informações a preencher são as seguintes:

  • Tipo de Beneficiário (titular ou dependente)
  • CNPJ da fonte pagadora (seu banco ou corretora)
  • Nome da fonte pagadora
  • Valor do rendimento.

Lembrando que o valor informado deve ser a rentabilidade líquida paga ou creditada no intervalo de tempo considerado.

Caso você tenha realizado uma venda antecipada durante o ano de exercício, basta preencher com o saldo remanescente do valor de aquisição.  

Tenha em mente que a declaração do Imposto de Renda deve ser entregue dentro do prazo e com todos os dados corretamente preenchidos.

Em 2020, com a prorrogação em 60 dias pelo governo federal em razão da pandemia do novo coronavírus, a data limite para prestar contas com o Fisco é 30 de junho.

Do contrário, você pode cair na malha fina ou pagar multas. 

Declaração de títulos resgatados ou vencidos no Tesouro Direto

E se você já não possui mais saldo aplicado no Tesouro Direto, como proceder? Essa é uma dúvida comum entre os investidores.

O que você precisa levar em conta é quando fez o resgate ou a data do vencimento do seu título.

Ou seja, em que momento você colocou a mão no rendimento da aplicação.

Se isso ocorreu antes de 31 de dezembro de 2019, basta informar ao declarar que, nesta data, a situação atual do saldo era de R$ 0,00.

Em outras palavras, você vai informar à Receita Federal que seu saldo estava zerado ao final do ano-calendário.

Não se preocupe, pois será esse o valor que vai constar no seu Informe de Rendimentos.

Então, basta transcrever o que ele diz.

Já se o resgate do Tesouro Direto ocorreu em 2020, você só precisará informar o Fisco na declaração do Imposto de Renda de 2021.

Como Pagar Imposto de Renda do Tesouro Direto

Uma pessoa mexendo na calculadora e examinando contas, em referência ao imposto de renda no tesouro direto
A tributação dos títulos públicos é paga apenas no resgate da aplicação

Nunca é demais lembrar que você não precisa se preocupar com o pagamento do Imposto de Renda do Tesouro Direto, que é realizado indiretamente, pois ele fica retido na fonte.

Então, basta seguir as dicas deste artigo ao fazer a sua declaração anual do IRPF.

Se você vai começar a investir no Tesouro Direto em 2020, só será necessário prestar contas a partir do próximo ano.

Clique e abra sua conta

Quanto é o IOF do Tesouro Direto?

Além do Imposto de Renda, o Tesouro Direto possui o IOF – Imposto sobre Operações Financeiras.

Como no tributo anterior, ele é calculado sobre os rendimentos do período. A diferença é que incide apenas nos primeiros 30 dias da aplicação.

Portanto, ao solicitar o resgate antecipado neste período, haverá a cobrança do IOF segundo a tabela abaixo:

DiasIOF (%)DiasIOF (%)DiasIOF (%)
19611632130
29312602226
39013562323
48614532420
58315502516
68016462613
77617432710
8731840286
9701936293
10662033300
Tabela da alíquota regressiva do IOF – Fonte: Receita Federal

Caso você mantenha a aplicação por mais de 30 dias, não há incidência de IOF no Tesouro Direto.

Bônus: Quais Investimentos São Isentos de IR?

Uma mulher mexendo no celular, em referência a declarar imposto de renda no tesouro direto
Conheça opções isentas para diversificar a sua carteira agora mesmo!

A grande maioria dos investimentos de renda fixa possui tributos, como o Imposto de Renda no Tesouro Direto.

Ao mesmo tempo, o mercado oferece opções para quem deseja investir com isenção, como é o caso da LCI e do CRI.

Para ajudá-lo a fazer o seu dinheiro render de verdade a partir de hoje, listamos os ativos isentos mais procurados pelos investidores.

Veja:

LCI e LCA

A LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e a LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) são investimentos de renda fixa.

Basicamente, os bancos captam recursos dos investidores para o financiamento das áreas de imóveis e do agronegócio.

Por conta da isenção, o rendimento líquido é igual ao bruto, ou seja, todos os retornos vêm diretamente para o seu bolso.

Ao optar por uma LCI ou LCA, a taxa de rentabilidade justa deve ser de, no mínimo, 95% do CDI.

Outra grande vantagem de investir nesses ativos é que eles contam com proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado ao teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Para mais informações sobre o FGC, acesse o site http://www.fgc.org.br.

Debêntures Incentivadas

As debêntures incentivadas fazem parte da renda fixa privada.

Elas podem ser entendidas como títulos emitidos pelas empresas ligadas ao setor da infraestrutura, como distribuidoras de energia e construção de estradas.

Essas companhias recebem uma série de incentivos fiscais, que também são repassadas aos investidores sob forma de isenção para investir.

De forma geral, as debêntures são recomendadas para investidores moderados ou arrojados, pois não há garantias em relação às perdas ou calote por parte do emissor.

Em contrapartida, o rendimento pode ser bastante atrativo para um ativo de renda fixa. 

CRI e CRA

O CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e o CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) são investimentos de renda fixa voltados para os investidores moderados ou agressivos.

Isso ocorre porque esses ativos são emitidos pelas empresas das áreas imobiliárias e do agronegócio para captar recursos voltados ao crescimento ou pagamento de dívidas.

Então, o rendimento pode ser mais elevado. Porém, não há qualquer garantia. O ideal é priorizar os CRI/CRAs de companhias com maior nota de rating.

Conclusão

Uma mulher sentada na cama com as pernas cruzadas e, sobre o colo, o notebook, em referência a declarar imposto de renda no tesouro direto
Investir e manter os seus impostos em dia pode trazer os melhores resultados!

O Imposto de Renda do Tesouro Direto é cobrado de forma regressiva. Por isso, esse ativo costuma ser recomendado para investimentos de médio e longo prazos.

Uma das maiores vantagens, principalmente, se você é iniciante ou possui pouca experiência ao prestar contas ao Fisco, é que os tributos dos títulos públicos ficam retidos na fonte.

Assim, você não precisa fazer cálculos ou providenciar o pagamento.

A única coisa a ser feita é entregar a sua declaração do IRPF dentro do prazo, caso você esteja enquadrado em uma das obrigatoriedades.

Continue a aprender sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

O Tesouro Direto pode ser um grande aliado para fazer o seu patrimônio render com segurança.

Para começar a investir em títulos públicos e dar esse novo passo na sua vida financeira, basta abrir a sua conta na Rico agora mesmo.

Aqui, você terá à disposição os melhores ativos de renda fixa do mercado.

Este artigo foi útil para você? Então, deixe um comentário.

Obrigado por ler até aqui!

Clique e abra sua conta


outubro 28, 2019

Tesouro Direto Selic: Como funciona + Simulador  

Você sabia que o Tesouro Direto Selic é um dos investimentos mais recomendados para novos investidores?

O Tesouro Direto Selic é um título de dívida emitido pelo governo. Isso significa que ao investir nele, você estará emprestando dinheiro ao poder público.

Essa é a principal função do Tesouro Direto para o emissor.

Para o investidor que busca aplicar com a flexibilidade de poder resgatar o dinheiro quando quiser, sem perda de lucro, o Tesouro Direto tende a ser uma boa opção.

Existem diversos tipos de títulos que são emitidos pelo Tesouro Nacional a fim de captar recursos no mercado. Eles podem ter uma natureza de curto prazo, como o Tesouro Selic, ou de médio e longo prazo, como esses a seguir:

  • Tesouro IPCA+
  • Tesouro Prefixado
  • Tesouro IPCA+ com juros semestrais
  • Tesouro Prefixado com juros semestrais

A diferença entre um investimento com juros semestrais e um comum é que o primeiro paga um cupom de juros a cada seis meses com toda a sua rentabilidade acumulada.

O Tesouro Direto sem esse cupom paga todo o rendimento apenas no vencimento, tornando-o mais rentável devida à ação dos juros compostos (juros sobre juros).

Em setembro de 2019, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), houve um corte no valor da taxa Selic, que alcançou o seu menor patamar histórico desde a sua criação, ficando em 5,5% ao ano.

Apesar dessa decisão afetar o rendimento dos títulos da renda fixa, essa ainda pode ser uma boa opção para os investidores iniciantes, conservadores.

Além disso, esse título é muito indicado para a criação e manutenção de uma reserva de emergência.

Muitos perguntam como funciona o Tesouro Direto Selic e por que ele é tão indicado para investir. Neste texto, vamos explicar:

  • O que é Tesouro Selic
  • Como funciona o Tesouro Direto Selic
  • Quando vale a pena a aplicação no Tesouro Direto Selic?
  • Escolhendo o Melhor Título do Tesouro Direto
  • Tesouro Selic ou CDB
  • Como investir em Tesouro Selic
  • Simulador Tesouro Selic
  • Tesouro Selic – Resgate Antecipado

Se você tiver alguma dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário no final da página.


O Que é Tesouro Direto Selic?

Uma árvore nascendo em formato de seta de gráfico para cima em referência ao tesouro direto selic
O Tesouro Direto Selic é um investimento de perfil conservador.

O Tesouro Selic é um título emitido pelo Tesouro Nacional atrelado à Taxa Selic, a taxa básica de juros, que atualmente vale 5,5% ao ano (outubro de 2019).

O funcionamento do Tesouro Selic é parecido com o do CDB (Certificado de Depósito Bancário). Ou seja, você empresta dinheiro para o governo e recebe juros por isso.

Assim como acontece nos bancos, o Tesouro Direto também possui muitas versões.

As maiores atratividades neste tipo de investimento são a segurança e a lucratividade relativa. Os títulos são capazes de trazer um ganho 7 vezes maior que a poupança, como aconteceu em Abril de 2018.

Como investidor, você já deve saber a relação entre risco e rendimento, certo? Quanto mais arriscado uma aplicação for, maior é a possibilidade de retorno. Assim, quanto mais conservador, menor será a sua rentabilidade.

No caso do Tesouro Selic, o risco de perda é praticamente inexistente, independente do tempo de aplicação e data de resgate.

A taxa Selic é o preço do dinheiro no mercado. Em outras palavras, é o valor mínimo de retorno no mercado financeiro.

Mesmo assim, alguns bancos vendem títulos de capitalização e fundos de investimentos com rendimento histórico muito inferior à taxa Selic. Muito cuidado! Recomendamos que você não invista com o seu banco. 

Existem ainda outros fatores que também podem diminuir a rentabilidade de um investimento. Um deles é a liquidez. Ou seja, a agilidade na qual um investimento pode ser transformado em dinheiro no bolso.

A tendência é que quanto mais liquidez um investimento possuir, menor será a sua rentabilidade. No entanto, você terá a certeza de que o seu dinheiro estará disponível se necessário. O que é perfeito para criar uma reserva de emergência, por exemplo.

Nesse sentido, ninguém vence o Tesouro Selic. É por isso que ele é considerado uma das melhores opções para sair da poupança.

Clique e abra sua conta na Rico

A caderneta da poupança pode ter um rendimento real negativo (descontada a inflação), como já aconteceu algumas vezes, e ainda conta com o aniversário da poupança, que diminui a liquidez do investimento.

Enquanto em outros investimentos é fundamental esperar até a data de vencimento para ter uma boa rentabilidade de acordo com o tempo de aplicação, no Tesouro Selic você pode sacar sempre que quiser, sem perdas.

Em investimentos de longo prazo, é com o passar dos anos que milhares podem se tornar dezenas de milhares (graças aos juros compostos). Assim, ter paciência é um fundamento importantíssimo para ver o seu patrimônio crescer.

Mas antes de aplicar a longo prazo em investimentos mais arriscados e rentáveis, todo investidor precisa ter o básico. O seu primeiro passo nessa jornada deve ser construir uma boa reserva de emergência, para evitar surpresas.

E qual é o investimento seguro e mais rentável que a poupança que permite saques em até 24 horas sem perda de rendimento? Isso mesmo: o Tesouro Selic.

Como Funciona o Investimento em Tesouro Selic

Um notebook, uma caneta e papéis sobre uma mesa em referência ao tesouro direto selic
O Tesouro Direto Selic deve ser uma das primeiras aplicações de todo investidor.

Todos os investimentos possuem alguns fatores que devem ser considerados para avaliar o seu ‘fit’ na carteira de investimentos, no planejamento financeiro e seus objetivos. Esses fatores são:

  • Aplicação mínima
  • Período de aplicação
  • Liquidez do investimento (quanto tempo o dinheiro demora para cair na conta depois de solicitado o resgate)
  • Quais os custos envolvidos? (taxas e tributos)
  • Rentabilidade
  • Riscos envolvidos

Esta análise é muito importante para investir com consciência. Muitas pessoas aplicam sem ter em mente um objetivo. Dessa forma, é muito difícil ter uma direção definida de investimento.

O Tesouro Selic funciona de forma simples. Você empresta dinheiro para recebê-lo de volta com juros. Como ele é emitido pela instituição mais segura do país, que é o Governo Federal, e ainda possui uma ótima liquidez, o seu rendimento sempre será próximo de 100% do CDI.

Características do Tesouro Direto Selic

Todas essas características tornam o Tesouro Selic perfeito para uma função muito importante no planejamento financeiro: a construção de uma reserva de emergência.

Além disso, ele pode ser considerado um investimento:

  • Simples
  • Previsível
  • Prático
  • Lucrativo
  • Versátil
  • Seguro

São ótimos benefícios, principalmente se você está começando a investir agora e não quer errar na primeira escolha.

Imagine que todo o seu dinheiro está aplicado (isso é o recomendado a se fazer), mas de uma hora para outra a sua família precisa dele porque um parente ficou doente e não possui cobertura do plano de saúde. Ou qualquer outra situação de emergência.

Se o dinheiro estiver preso a períodos de aplicação muito longos, você perderá a sua rentabilidade por sacar antes da hora.

Com o Tesouro Selic, você pode utilizar o dinheiro a qualquer momento, garantindo a saúde e segurança da sua família. Assim, o indicado é que a sua reserva de emergência seja equivalente a seis vezes o seu custo familiar.

Por exemplo, se o seu custo é R$ 5.000 ao mês, a sua reserva deve ter ao menos R$ 30.000 aplicados em um título com alta liquidez e que corra menos risco de render abaixo da inflação.

O Tesouro Direto Selic, como você viu no decorrer deste artigo, apresenta ótimas opções para este cenário.

Clique e baixe o ebook sobre reserva de emergência

Quando Vale a Pena Investir em Tesouro Direto Selic

Investir no Tesouro Direto Selic sempre vale a pena, já que ele é indexado pela taxa básica de juros. Além disso, sua emissão é proveniente do emissor mais seguro do mercado: o governo. Assim, é muito difícil que ele quebre, dando ‘calote’ em seus investidores.

Além disso, essa é um ótima opção para montar a sua reserva de emergência, principalmente por conta sua liquidez diária e segurança. Dessa forma, você saca o seu dinheiro no momento que desejar.

Outro ponto positivo do Tesouro Selic é a sua baixa volatilidade. Dessa forma, o sobe e desce dos preços quase não afeta o rendimento desse investimento.

Assim, se você possui o perfil mais conservador e está em busca de segurança e liquidez, esse título é uma ótima opção.

Como Fica Seu Investimento no Tesouro Selic com a Taxa Selic a 5,5%

Com a queda da Taxa Selic para 5,5% ao ano, o rendimento do Tesouro Selic também diminui.

No entanto, apesar de render menos, sua rentabilidade tende a ser positiva e não acarretar perdas aos investidores.

Quando comparada com o patamar de 6,0%, mantida até a metade de setembro de 2019, a Selic apresentou uma queda de 0,5%, fazendo com que os seus investimentos em Tesouro Selic apresentassem essa mesma redução em relação a sua rentabilidade.

Com a inflação estimada em 3,43% ao ano, a rentabilidade real desse título fica em torno de 2,07%, sem o desconto do imposto de renda e da taxa de custódia de 0,25% administrada pela B3.

Simulador do Tesouro Selic – Calcule seu Rendimento

Uma mulher em um escritório mexendo em uma calculadora enquanto segura papéis em referência ao tesouro direto selic
Ao se tornar um investidor da Rico, você terá acesso a uma plataforma completa de simulações.

O mais importante no Tesouro Selic não é a sua rentabilidade, mas sim a sua estabilidade. O rendimento nunca será negativo. Trata-se de um porto seguro na sua carteira de investimentos. 

Além disso, você pode resgatar com agilidade em casos de emergência. A sua taxa de crescimento pode não tão atrativa quanto outros investimentos mais arriscados, mas com certeza é superior à poupança e outros produtos bancários como títulos de capitalização e etc.

Outro ponto a ser levando em consideração: de nada adianta ter uma taxa Selic alta, elevando o rendimento de todos os produtos de renda fixa, se a inflação está acompanhando essa taxa.

Você precisa de uma rentabilidade real, ou seja, levando em conta a inflação.

Atualmente, a taxa Selic vale 5,5% e a inflação acumulada até agosto de 2019 (12 meses) é de 3,43%.

Exemplos de simulação com Tesouro Selic em 2019

Você pode simular quanto o Tesouro Direto Selic vai render utilizando o nosso simulador. Dessa forma, você vai conseguir investir com muito mais tranquilidade.

Veja uma simulação do Tesouro Selic 2025 feita em outubro de 2019 para uma aplicação de R$ 5 mil.

Se você deixar o seu dinheiro aplicado até a data de vencimento, o seu rendimento líquido (com todas as taxas e tributos já descontados) será de R$ 1.336,88.

Exemplos de simulação com Tesouro Selic em 2019 1
Exemplos de simulação com Tesouro Selic em 2019 2
(Dados de 17/10/2019)

Vamos avaliar as principais características do Tesouro Selic para esse exemplo.

Investimento mínimo: R$ 103,59

Rentabilidade líquida: 4,69% a.a.

Prazo de Validade: 1/3/2025 (mas pode ser sacado antes sem perdas)

Risco: quase nulo

Retorno total: R$ 1.336,88

Clique e abra sua conta na Rico

Quanto rende o Tesouro Selic em um ano?

O Tesouro Selic disponível hoje (outubro de 2019) vence no dia 01/03/2025. No entanto, você pode optar por deixar o seu dinheiro investido nele até a sua data de vencimento ou por um período menor.

Por exemplo: Se o seu objetivo for permanecer com esse título público por um ano, investindo um montante de R$ 5 mil, dentro de 365 dias você resgatará R$ 5.232,20, já com as taxas descontadas.

Claro, levando em consideração que a Selic não suba nem caia.

Observe na comparação com outros produtos de renda fixa que o Tesouro Selic oferece a melhor rentabilidade nesse cenário, mesmo com o resgate antecipado.

tesouro direto selic simulação detalhada
(Dados de 17/10/2019)

Escolhendo o Melhor Título do Tesouro Direto

O rendimento dos títulos do Tesouro Direto pode se dar de duas maneiras: pós-fixada ou prefixada (e ainda uma combinação das duas).

O sistema de títulos públicos disponibiliza as seguintes modalidades de para serem negociadas:

  • Prefixados (títulos com juros fixos anual)
  • Tesouro Selic (título que leva o nome da taxa básica de juros da economia)
  • Tesouro IPCA (considera a união do juro fixo anual mais a variação da inflação)

Tesouro Prefixado

O Tesouro Prefixado é ideal para quem busca um rendimento fixo. Assim, a sua rentabilidade é definida no momento da compra. Dessa forma, você fica sabendo quanto precisa investir para resgatar a quantia desejada no futuro.

Ele é um título bastante conservador, sendo indicado para o médio e longo prazo, principalmente quando há a expectativa de queda da taxa de juros básica e da inflação.

Tesouro Selic

Já o Tesouro Direto Selic é indicado para quem quer ter a liberdade de resgatar o seu investimento a qualquer momento. Por ser um título de alta liquidez, você não perde dinheiro quando precisa fazer um resgate antecipado

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA é vinculado à inflação, sendo uma boa opção para quem quer conservar o poder de compra do seu dinheiro com o passar dos anos e possíveis crises econômicas. Então, ele é um título pós-fixado, fazendo com que a sua rentabilidade varie de acordo com o índice. 

O Tesouro IPCA é dividido em duas categorias:

  • IPCA+
  • IPCA+ com juros semestrais

A diferença entre eles é que um paga a rentabilidade total na data de vencimento e o outro dilui o pagamento do rendimento em parcelas semestrais. 

Esse título público é ideal para quem tem objetivos de longo prazo e para quem busca proteger o seu dinheiro da inflação ao longo do tempo. 

Dica para começar a investir

Está começando a investir e tem dúvidas sobre o que fazer? Temos uma dica: o Rico+ Primeiros Passos. Ele é um novo modelo de aprendizado que te ajuda a evoluir de pouquinho em pouquinho.

Aprenda a investir com jogos, trilhas de conteúdos e vídeos de maneira simples e fácil! 

Saiba mais sobre o Rico+ Primeiros Passos.

Dúvida entre Tesouro Selic ou IPCA?

Tudo vai depender dos seus objetivos e do seu perfil de investidor. Mas no geral, levando em consideração que o índice da taxa Selic sofreu uma queda, ficando em 5,5%, as melhores opções de investimentos de títulos públicos hoje são as de juros prefixados e IPCA.

Porém, se o seu objetivo é montar uma reserva de emergência, por exemplo, o Tesouro Direto Selic é a opção mais indicada.

De qualquer forma, independentemente da opção escolhida por você, o Tesouro Direto é uma excelente opção de renda fixa,  principalmente se você quiser e puder diversificar os seus investimentos.

Ainda tem dúvidas sobre qual o melhor título do Tesouro para você? Confira o vídeo abaixo:


Como Investir no Tesouro Direto Selic Passo a Passo

É muito simples e prático aprender como investir no Tesouro Direto Selic com a Rico. Você pode até fazer esse passo a passo pelo seu celular.

#1. Crie uma conta na Rico 

Para começar a investir no Tesouro Direto você precisa criar uma conta na Rico. 

A abertura de uma conta na Rico é 100% gratuita e online. Tudo o que você precisa fazer é inserir alguns dados pessoais, como CPF, data de nascimento, usuário para login e senha. Viu como é simples?

#2. Transfira dinheiro para sua conta

O próximo passo é transferir o valor que você quer investir da sua conta do banco para a sua conta na Rico através de um TED de mesma titularidade.

O Tesouro Direto Selic pode ser comprado a partir de R$ 102,51 (dados de agosto de 2019). 

#3. Defina um valor com recorrência ou não e compre

Depois disso, basta selecionar o valor, a recorrência ou não, e inserir sua assinatura eletrônica para comprar o seu título público e pronto!

Agora você é oficialmente um investidor. Dessa forma você está garantindo o seu futuro, além de estar cada dia mais perto de alcançar os seus objetivos financeiros.


Taxas e Custos do Tesouro Direto Selic

Os títulos públicos não são isentos de taxas e tributos, o que inclui o Tesouro Selic. Porém, esses custos são baixos quando você leva em consideração a rentabilidade desse título.

Então, é importante que você conheça todos os possíveis custos que estarão ligados ao seu investimento no momento da compra.

Incidência de IOF

O IOF (Impostos sobre Operações Financeiras) é cobrado em um único cenário, que pode ser evitado: se você resgatar o título no primeiro mês de aplicação.

Então, mesmo que o Tesouro Selic possua liquidez diária, evite o saque nos primeiros 30 dias.

No entanto, se você resgatar a sua aplicação dentro desse período, a alíquota cobrada será regressiva. Ou seja, ela diminui de acordo com os dias em que o dinheiro permaneceu aplicado.

Veja a relação exata de acordo com o número de dias na tabela a seguir:

Nº DiasAlíquotaNº DiasAlíquotaNº DiasAlíquota
196%1163%2130%
293%1260%2226%
390%1356%2323%
486%1453%2420%
583%1550%2516%
680%1646%2613%
776%1743%2710%
873%1840%286%
970%1936%29 3%
1066%2033%300%

Então, você pode driblar esse custo que acabaria diminuindo o seu rendimento final. Tudo o que você precisa fazer é se programar para não precisar do valor investido nos próximos 30 dias após a sua aplicação.

Imposto de Renda

Já o Imposto de Renda, funciona da mesma forma do que em diversos outros ativos da renda fixa.

Então, quanto mais tempo o seu dinheiro ficar aplicado, menor será a “mordida do leão”.

Além disso, você só é obrigado a realizar a declaração de ajuste anual (IRPF) se estiver enquadrado em um dos seguintes casos:

  • Tenha rendimento de investimentos superior a R$ 40.000 no ano de referência
  • Possua um valor total superior a R$ 300.000 em bens ou direitos (incluindo aplicações) 

A alíquota do IR também é regressiva e é cobrada conforme a tabela a seguir:

AlíquotaTempo de aplicação
22,5%Até 180 dias
20%Até 360 dias
17,5%Até 720 dias
15%Acima de 720 dias

Conclusão

Um homem sentado no sofá mexe no notebook na mesa à sua frente em referência ao tesouro direto selic
Aprendeu tudo sobre o Tesouro Selic?

Como visto, o Tesouro Direto Selic tende a ser um ótimo investimento. A cada dia, mais e mais pessoas saem da poupança e começam a aplicar de verdade com o Tesouro Selic.

Esse investimento garante o mínimo de retorno da renda fixa e é muito seguro. A sua principal característica é a liquidez diária, que proporciona o saque antecipado do dinheiro sem perder rentabilidade.

Continue aprendendo sobre renda fixa com esses outros artigos do blog:

Dessa forma, o Tesouro Selic é indicado para formar um colchão de liquidez para emergência. Mesmo assim, tudo o que você puder programar em sua vida financeira, programe.

Emergências são apenas situações que não poderiam ser previstas. Assim, para todo o resto, você poderá possuir outras aplicações com maior rentabilidade e prazos.

Por exemplo, o pagamento de IPVA não é uma emergência, e sim uma conta anual que pode ser planejada.

Existem muitos ativos com rendimento superior a 100% do CDI e prazo de validade de 1 ano, por exemplo.

Este é o caso do CDBLCLCI e LCADebênturesCRI e CRACOEfundos de investimentos e outros ativo. Por contarem com menor liquidez e/ou segurança, podem pagar uma taxa de juros superior ao Tesouro Selic. Isso acontece mesmo a curto prazo, em um período de 3 a 6 meses.

Lembre-se de que quanto mais seguro for o lucro e mais liquidez um investimento tiver, a tendência é que menor seja a sua rentabilidade. Assim, é muito importante ter uma carteira de investimentos que contemple o curto, médio e longo prazo.

Essa carteira deve ser construída com aplicações de qualidade e preferencialmente utilizando-se da diversificação de investimentos para garantir uma boa rentabilidade enquanto os riscos são mantidos sob controle.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário logo abaixo com elogios ou sugestões!

Obrigado por ler até aqui!


outubro 25, 2019

Tesouro Selic ou IPCA? Descubra qual a melhor escolha  

Tesouro Selic ou IPCA, qual a melhor opção para você investir?

Primeiro, é importante destacar que a decisão depende de diversos fatores e que o melhor caminho nem sempre é escolher apenas uma opção.

Mas ao escolher entre Tesouro Selic ou IPCA, tenha em mente que você precisa saber qual o prazo desejado.

O Tesouro Direto Selic é muito recomendado para objetivos de curto prazo enquanto o IPCA, que é um híbrido indexado à inflação, é mais indicado para o longo prazo.

Isso acontece porque o Tesouro Selic tem liquidez diária e sua rentabilidade segue o CDI. Ou seja, você pode resgatar quando quiser, com segurança e sem perda de rentabilidade, além do spread de 0,01% sobre a rentabilidade.

Assim, esse é um título muito utilizado para construir uma reserva de emergência, que consiste em um fundo equivalente a 6 vezes o seu custo mensal que serve para solucionar eventuais perdas de renda, como uma demissão ou problema de saúde.

O Tesouro Selic serve a um tipo de objetivo específico.

No entanto, não é recomendado que você invista tudo o que possui em Tesouro Selic. Existem mais opções na renda fixa e você também pode mesclar ativos de renda variável. 

Claro, com equilíbrio e sempre em uma proporção que vá de acordo com o seu perfil de investidor.

Enfim, entender a diferença entre o Tesouro Selic e o IPCA é muito importante para que você consiga fazer a melhor escolha na hora de investir.

Neste artigo completo, você entenderá todas as vantagens e desvantagens ao decidir entre Tesouro Selic ou IPCA.

Veja os tópicos que abordaremos:

  • Tudo Sobre o Tesouro Selic
  • Tudo Sobre o Tesouro IPCA
  • Tesouro Selic ou IPCA? Descubra Qual a Melhor Escolha em 2019
  • Porque o Segredo é a Diversificação
  • Comece a Investir no Tesouro Selic e IPCA Agora

Se tiver qualquer dúvida ao longo do texto, deixe o seu comentário no fim da página.

Boa leitura!

Tudo Sobre o Tesouro Selic

Uma mulher tomando café enquanto mexe no celular em referência a escolha entre tesouro direto ou ipca
O Tesouro Selic é um ótimo título de dívida de curto prazo

Caso você não conheça o Tesouro Direto, esse é um sistema do Tesouro Nacional que facilita o acesso aos títulos públicos.

Os títulos do Tesouro Direto são as opções de investimentos mais seguras do mercado, já que são emitidos pelo próprio Governo.

Em outras palavras, seria preciso que todas as instituições fechassem e a economia quebrasse para ocorrer de o Governo dar algum tipo de calote em seus investidores. Por isso, costuma-se dizer que o Tesouro possui o menor risco entre todos os investimentos.

Os títulos do Tesouro também têm se tornado uma opção muito popular por outro motivo: eles são mais rentáveis do que a poupança. Assim, muitos poupadores têm trazido os seus investimentos para o Tesouro Direto.

Nós, da Rico, sabemos disso melhor do que ninguém já que somos a corretora que mais cadastra novos investidores no sistema do Tesouro Direto em 2019.

Rentabilidade

O Tesouro Selic é indexado à taxa básica de juros, a Selic. Esse é um importante índice definido pelo Copom. Assim, esse título segue de perto o CDI, o principal parâmetro de rentabilidade da renda fixa.

Em outubro de 2019, a sua rentabilidade bruta (sem desconto de tributos e taxas) é cerca de 5,50% ao ano. É superior à da poupança, que rende apenas 3,85% ao ano.

Você pode simular a rentabilidade do Tesouro Selic em comparação à poupança no simulador do site da Rico. É possível ganhar muito mais investindo no Tesouro.

Prazos de vencimento

Apesar do Tesouro Selic ser um investimento mais voltado para o curto prazo, ele possui um prazo de vencimento longo.

Atualmente, dia 3 de maio de 2019, o título disponível em nossa plataforma possui o prazo de 2025.

Mas lembre-se: você pode encerrar a sua posição a qualquer momento. O próprio Tesouro Nacional recompra de você o título garantindo liquidez imediata. 

Tome cuidado apenas para não fazer isso nos primeiros 30 dias de investimento. Neste período, há a incidência de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Liquidez

Todos os títulos do Tesouro possuem uma boa liquidez, ou seja, podem ser resgatados antes do prazo. Isso acontece porque o Tesouro sempre recompra seus papéis no dia útil seguinte quando você quer vendê-los.

Mas apenas o Tesouro Selic possui a garantia de não haver desvalorização da cotação, porque sua rentabilidade acompanha a taxa selic do momento. Já o Tesouro IPCA e o prefixado, quando resgatados antes do prazo, possuem maior volatilidade, podendo gerar um lucro maior ou uma perca de rentabilidade, dependendo do momento do mercado.

Resgate

O resgate é simples. Você dá a ordem de venda e só precisa esperar um dia útil para receber o dinheiro em sua conta na corretora.

Ao fazer isso antes do prazo de validade, você pode perder um pouco da rentabilidade por causa do spread do Tesouro Selic.

Taxas e custos

Existem outras taxas importantes que você deve levar em consideração. 

Uma delas é a taxa de custódia da B3. Trata-se do custo de manutenção do seu investimento cobrado pela B3 (BM&F).

A alíquota é de 0,25% e incide sobre o montante aplicado.

Imposto de Renda

O Imposto de Renda é a maior alíquota entre os custos do investimento. Ele obedece a tabela regressiva, ou seja, quanto mais tempo seu dinheiro ficar aplicado, melhor.

O tributo começa em 22,5% resgatando em até 180 dias de aplicação e chega a 15% quando o dinheiro é aplicado por mais de 720 dias.

Esse tributo incide apenas sobre o rendimento.

Tudo Sobre o Tesouro IPCA

Três potes de moedas enfileirados. Sobre eles, nasce um broto em referência ao tesouro direto ou ipca
Esse título é muito recomendado para manter o poder de compra a longo prazo

O Tesouro IPCA+ é um título de investimento muito popular.

Por muito tempo, ele foi o título do Tesouro Direto com mais investidores até que recentemente ele foi batido pelo próprio Tesouro Selic.

Este é um resultado gerado pela curva de juros do Brasil que está em tendência de estabilidade em seu nível histórico mais baixo. Assim, os títulos de longo prazo perdem atratividade.

Os papéis do Tesouro IPCA+ possuem rentabilidade híbrida, como dito. A melhor dica neste investimento é aplicar apenas se estiver disposto a levar os papéis até a data de vencimento.

Você saberá mais sobre isso a seguir:

Rentabilidade

Apesar de ter um rendimento previsível, se você vender o Tesouro IPCA+ antes do prazo de vencimento, você estará sujeito à cotação de mercado, que varia de acordo com as perspectivas dos investidores sobre a economia.

Para você ter uma ideia, hoje, na Rico, esta é a rentabilidade do Tesouro IPCA+:

Rentabilidade - selic ou ipca
Tela capturada dia 17/10/19

Existem dois tipos de Tesouro IPCA: os que pagam todo o rendimento no prazo e os que pagam cupons semestrais. 

Este último antecipa o pagamento de juros. Ele pode ser indicado para quem deseja reaplicar seus rendimentos.

Você pode notar que a rentabilidade do Tesouro tende a variar conforme o seu prazo de vencimento. A taxa fixa oscila entre 4,04 a 4,41%. Mas essa é a taxa fixa para quando o ativo é chega ao seu prazo de resgate.

Já a cotação oscila. Ou seja, ele pode valer muito mais de quando foi comprado ou muito menos. 

Prazos de vencimento

O Tesouro IPCA+ é um investimento de longo prazo, com vencimento entre 2024 e 2045. Por isso, ele é muito indicado para quem deseja manter o seu poder de compra ao longo dos anos.

Liquidez

Quando você decide vender um papel do Tesouro IPCA+ ele também será recomprado pelo Tesouro Nacional, mas pelo preço de mercado.

Por exemplo, se houver uma expectativa do mercado que a taxa básica de juros suba, a tendência é que o Tesouro IPCA+ se desvalorize.

Por isso, ele não é um ativo recomendado para quem deseja criar um fundo de curto prazo por exemplo. Caso a sua necessidade de curto prazo coincida com uma possível desvalorização, você perderá dinheiro.

Resgate

O seu resgate funciona da mesma forma que o Tesouro Selic. Basta solicitar na sua plataforma da corretora e aguardar 1 dia útil.

Tributos, Taxas e custos

O Tesouro IPCA+ possui exatamente os mesmos custos e taxas que o Tesouro Selic. No entanto, como o Tesouro IPCA+ é mais recomendado para longo prazo, você tende a pagar menos Imposto de Renda.

Lembre-se, ao aplicar para resgatar depois de 720 dias, você paga apenas 17,5% de IR, que incide apenas sobre a rentabilidade.

Clique e abra sua conta na Rico

Tesouro Selic ou IPCA? Descubra Qual a Melhor Escolha em 2019

Uma pessoa monta o número 2019 em cima de pilhas de moedas em referência a escolha entre tesouro direto ou ipca
Descubra se o Tesouro Selic ou o IPCA é mais recomendado para você

Cada título possui um tipo de objetivo e estratégia diferente.

O Selic segue a rentabilidade da taxa básica de juros e é perfeito para curtíssimo prazo.

O Tesouro IPCA+ é recomendado para longo prazo e assim conseguir uma rentabilidade mais alta, podendo até ter ganhos equivalentes à Bolsa de Valores em caso de venda antecipada.

Eles são investimentos completamente diferentes. Se você está em dúvida entre Tesouro Selic ou IPCA, primeiro você deve rever o seu planejamento e objetivos.

Todavia, caso você queira apenas saber qual que rende mais, é fundamental que você simule o rendimento das aplicações.

É por isso que oferecemos dois tipos de simuladores completos na área logada de clientes. Você pode abrir a sua conta de graça e já usufruir dessas ferramentas exclusivas.

Veja algumas simulações realizadas com elas.

Simulações

Para efeito de comparação, incluímos um título 100% prefixado na simulação.

simulações - ipca ou tesouro selic 1
simulações - ipca ou tesouro selic 2
Tela capturada dia 17/10/2019

Perceba como o Tesouro IPCA+ realmente possui uma performance menor. Isso é natural, visto que é um título de curto prazo. Entre os três, o que rendeu mais foi o Tesouro Prefixado.

Por que o Segredo é a Diversificação

Para que você realmente tenha uma performance consistente, é preciso gerenciar o seu risco. A melhor maneira de fazer isso é diversificando.

Com a diversificação de investimentos, você escolherá um conjunto de aplicações que fazem sentido para você e seus objetivos de curto, médio e longo prazo.

Ou seja, é totalmente possível ter na mesma carteira títulos do Tesouro Selic e do Tesouro IPCA+. Assim, caso o Tesouro IPCA+, por exemplo, sofra uma oscilação negativa e você tenha prejuízo em uma venda antecipada, os ganhos com outros investimentos tendem a cobrir essa perda.

Comece a Investir no Tesouro Selic e IPCA Agora

Aprenda como começar de forma simples e segura. Você não precisa contatar nenhum banco ou ligar para alguém. Na Rico, tudo é feito 100% online e, até mesmo, pelo seu celular. 

Siga estes passos e comece agora mesmo:

  1. Abra sua conta na Rico (você faz isso de maneira 1oo% gratuita)
  2. Aguarde a confirmação via e-mail
  3. Transfira o dinheiro para a sua conta na Rico via TED
  4. Faça o login em www.rico.com.vc e realize o seu investimento. 
  5. Pronto! Você se tornou um investidor!

Ao se tornar um investidor, você terá muitas vantagens como acesso às salas de aulas ao vivo: o InvesTV. Além disso, terá nossas recomendações mensais de investimentos e também contará com o nosso suporte exclusivo de especialistas.

Conclusão

Um homem sentado no sofá. À sua frente, uma mesa com um notebook e um caderno, no qual ele faz anotações, em referência à escolha entre tesouro direto ou ipca
Pronto para investir no Tesouro Selic ou IPCA?

Como visto, a escolha entre Tesouro Selic ou IPCA depende exclusivamente do seu planejamento financeiro e sua estratégia de investimentos.

O que você busca neste momento? Mais segurança e liquidez para ter tranquilidade no curto prazo? Ou alcançar aquele sonho no futuro com uma rentabilidade acima da média?

Você também pode analisar a sua atual carteira de investimentos para entender o que melhor se encaixaria nela.

Esse tipo de reflexão é que revelará a melhor escolha para você. Mas não esqueça de sempre diversificar suas aplicações.

Leia também estes outros artigos do nosso blog:

Independente da sua decisão, saiba que o Tesouro Direto como um todo é uma ótima escolha porque é seguro, rentável e versátil. Ele se adequada a praticamente todas as carteiras de investimentos.

Bons investimentos!

Clique e abra sua conta na Rico

outubro 7, 2019

Liquidação do Tesouro Direto: Como Funciona o Pagamento  

Como funciona a liquidação do Tesouro Direto e como é a sua forma de pagamento?

Essas são algumas das dúvidas mais comuns entre aqueles que avaliam investir em títulos públicos.

Mesmo sabendo que se trata de um investimento seguro, garantido pelo Tesouro Nacional, é importante conhecer as regras para colocar as mãos no seu dinheiro após fazer o resgate.

E é isso que vamos explicar com detalhes ao longo deste artigo.

Para começar, é importante saber que existem duas maneiras de resgatar o valor aplicado em títulos do Tesouro Direto.

A primeira é por meio da venda antecipada.

Nesse caso, você pode vender seus títulos a qualquer momento, mas estará sujeito às oscilações do mercado. Ou seja, pode tanto ter lucro quanto prejuízo na operação.

A outra forma compreende em resgatar seu dinheiro na data do vencimento.

Nesse caso, você pode optar por sacar o valor ou reinvestir em títulos semelhantes, porém, com prazos de vencimento mais à frente.

No primeiro caso, para uso pessoal ou reinvestimento, o seu dinheiro ficará disponível no dia seguinte. No segundo, para os mesmos fins, o valor fica disponível no próprio dia do vencimento.

Entendido esse ponto, vamos avançar na leitura para conhecer o chamado valor de liquidação.

O que é Valor de Liquidação?

O valor de liquidação de um ativo é o preço a ser pago por ele em caso de resgate.

Portanto, se você vender um título do Tesouro Direto antes do prazo de vencimento, o valor de liquidação será o quanto irá receber nessa operação.

Esse valor pode ser maior ou menor do que o preço que você pagou no ato do investimento. Como lembramos antes, a rentabilidade em casos de resgate antecipado vai depender das condições de mercado.

Por isso, em alguns casos, pode ser vantajoso vender seu título antes do prazo de vencimento.

Mas não se pode negar que o risco existe. E para se proteger contra ele, o recomendado é sempre monitorar o mercado e estudar sobre investimentos.

Para aqueles que dispensam uma maior rentabilidade em nome da segurança, o ideal é manter o título até a data de vencimento e, então, resgatar seu dinheiro exatamente nas condições que foram acordadas em contrato.

Clique e baixe o guia do tesouro direto

Como Funciona o Prazo de Liquidação do Tesouro Direto

A liquidação do Tesouro Direto é a última fase do processo de compra e venda de um título público.

Nessa etapa, ocorre a transferência de propriedade do ativo para quem está comprando e de dinheiro para quem está vendendo.

É importante lembrar que os prazos de liquidação são diferentes para os processos de compra e venda de títulos do Tesouro Direto.

Então, vamos conhecer detalhes sobre eles.

Liquidação de compra

A liquidação de compra acontece às 17h de D+2, ou seja, dois dias após a compra.

É importante entender que D é a data da compra, que se estende entre às 9h do dia da transação e às 5h do próximo dia. Já D+1 corresponde ao dia posterior à compra.

Após a liquidação financeira, os títulos do Tesouro Direto adquiridos ficam registrados no extrato do investidor, por meio do seu CPF

Enquanto a transação não é liquidada, ou seja, entre o dia da compra e a data em que os títulos são registrados, você pode consultar o andamento do processo na área de protocolo do site do Tesouro Direto.

Até ocorrer a finalização do processo de compra, o status que deve aparecer é “em liquidação”.

Liquidação de venda

Já no caso de liquidação de venda antecipada de títulos do Tesouro Direto, os recursos ficam disponíveis na conta da instituição intermediadora do processo a partir das 13h de D+1.

Nesse caso, D é o dia compra, que se entende entre às 9h do dia da compra e às 5h do próximo dia.

Se você quiser saber mais sobre os prazos de liquidação, confira abaixo o vídeo que a Rico preparou para você:

Pagamento do Tesouro Direto: Como é Feito

Explicamos antes que o resgate do valor aplicado no Tesouro Direto pode ser feito de duas formas: na data do vencimento ou de maneira antecipada a partir da venda dos títulos.

Neste tópico, vamos trazer mais detalhes sobre os dois formatos.

Resgate Antecipado

Caso você escolha resgatar seu dinheiro antecipadamente, ou seja, antes do prazo de vencimento, tem a recompra assegurada pelo próprio governo.

Os títulos podem ser vendidos todos os dias, garantindo que você possa resgatar seu dinheiro quando precisar.

Basicamente, o valor dos títulos varia de acordo com as expectativas do mercado quanto aos juros futuros. Isso explica a possibilidade de venda por um preço maior ou menor do que pagou por ele.

Imagine, por exemplo, que você investiu R$ 1.000 em um título do Tesouro Direto com taxa de 7% ao ano.

Se, no ano que vem, o mercado precificar esse título a 8,5% ao ano, o valor unitário do seu título vai ser menor do que os R$ 1.000 que você pagou.

Então, nunca deixe de fazer uma análise completa, que inclui os seus objetivos com o investimento e o comportamento esperado para o mercado.

Lembrando ainda que, em caso de venda antecipada, a liquidação é realizada em D+1. Assim, o valor referente à transação será disponibilizado na conta da sua corretora a partir das 13h do dia posterior à venda.

Por fim, é importante ressaltar que nas quarta-feiras em que houver reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (COPOM), somente o Tesouro Selic ficará disponível para recompra pelo governo.

Resgate no prazo de vencimento

A explicação que acabamos de ver se refere ao resgate antes do vencimento.

Já se você pretende manter a aplicação até o prazo previsto inicialmente, conta com duas opções de pagamento: receber os recursos de acordo com os termos do investimento ou reinvestir.

O reinvestimento se traduz na compra de um novo título da mesma classe. Por exemplo, se você tinha um Tesouro IPCA+ 2019, poderá comprar papéis do mesmo tipo, porém com vencimento mais à frente, como o do Tesouro IPCA+ 2045.

Nesse caso, não esqueça de avaliar novamente a sua estratégia, situação financeira e objetivos, de modo a garantir que a nova aplicação seja a mais adequada para você.

Caso queira resgatar seu dinheiro, o valor referente ao pagamento do cupom semestral ou resgate do título no prazo de vencimento é disponibilizado na sua conta da corretora a partir das 13h do dia do pagamento.

Clique e abra sua conta na Rico

Perguntas Frequentes Sobre Liquidação do Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais populares do Brasil.

Tanto é assim que mais de 4,5 milhões de brasileiros estão cadastrados no programa, sendo 1,1 milhão de investidores ativos, segundo balanço divulgado em julho de 2019.

A preferência pelos títulos públicos federais se justifica porque eles garantem boa rentabilidade com segurança.

Além disso, com diversos tipos de papéis disponíveis, o Tesouro Direto consegue atrair a atenção de todos os tipos de investidores, e não apenas dos mais conservadores.

Não significa, porém, que não existam dúvidas comuns sobre esse investimento.

E é para responder às principais que relacionamos abaixo perguntas e respostas sobre o Tesouro Direto. Funciona como um resumo para sedimentar seu conhecimento sobre os títulos públicos.

Confira!

Quanto Tempo Demora para Liquidar Tesouro Direto?

O prazo de liquidação depende do tipo de transação. Para operações de compra, a liquidação acontece às 17h de D+2, sendo D a data da compra (período que corresponde das 9h da data da compra até às 5h do dia seguinte).

Já a liquidação de venda acontece a partir das 13h no dia posterior à operação (D+1).

Qual o Horário de Resgate do Tesouro Direto?

Em caso de recebimento de juros semestrais ou resgate por motivo de vencimento, o valor é disponibilizado na sua conta da corretora a partir das 13h do mesmo dia do pagamento.

Em caso de resgate antecipado, o dinheiro também é disponibilizado a partir das 13h, mas do dia posterior à compra.

Como Funciona o Imposto de Renda no Tesouro Direto?

A tributação do Tesouro Direto incide apenas sobre os rendimentos da aplicação. Portanto, não há incidência de imposto sobre o capital aplicado.

A alíquota cobrada sobre os rendimentos segue o modelo decrescente de tributação.

Por isso, quanto mais tempo você mantiver seus recursos investidos, menos Imposto de Renda irá pagar.

Veja na tabela abaixo como funciona o imposto regressivo do Tesouro Direto:

Tempo de aplicação

Alíquota do IR (%)

Até 180 dias

22,5

De 180 a 364 dias

20,0

Entre 364 e 720 dias

17,5

Acima de 720 dias

15

Caso você deseje um resgate antecipado, o valor do imposto será calculado com base no período de aplicação, que começa na data da compra.

Já no caso de títulos com resgates semestrais, a alíquota do IR incide sobre os rendimentos dos cupons.

O imposto sobre os títulos do Tesouro Direto é retido diretamente na fonte. Portanto, você não precisa se preocupar em fazer os cálculos para pagar por conta própria.

Mas é muito importante citar corretamente os títulos na sua declaração anual de IRPF.

Como Investir no Tesouro Direto

Agora que você já eliminou as principais dúvidas sobre o processo de liquidação e recebimento do Tesouro Direto, acompanhe um passo a passo sobre como investir nos títulos do Governo Federal.

Passo 1. Abra sua conta

Em primeiro lugar, para investir em títulos do Tesouro Direto, você precisa de uma conta em um banco ou corretora de sua confiança, como a Rico que tem taxa zero para esse investimento.

Você pode consultar lista de instituições financeiras autorizadas a ofertar títulos do Tesouro Direto e verificar as taxas que praticam.

Faça uma análise criteriosa, em especial se esse é o seu primeiro investimento.

Passo 2. Conheça seu perfil de investidor

Antes de escolher em quais títulos vai aplicar seu dinheiro, você deve conhecer o seu perfil de investidor.

Isso vai te ajudar a selecionar qual investimento é mais adequado ao seu grau de tolerância ao risco e alinhado aos seus objetivos financeiros.

Na Rico, você tem acesso gratuito ao perfil de investidor.

Ele é atualizado periodicamente para acompanhar mudanças na sua percepção do mercado, objetivos, estratégias, situação financeira, entre outros elementos importantes.

Ao final do teste, a Rico oferece recomendações de investimentos compatíveis com o seu perfil.

Passo 3. Escolha seus títulos

Com seu perfil de investidor definido, você será capaz de escolher os títulos mais adequados para você.

Procure estudar sobre cada um e descobrir para quem eles são indicados.

Além disso, você pode usar o nosso simulador de investimentos para ver como se comportam os títulos e escolher o que mais te agrada. Você pode fazer quantas simulações quiser.

Já escolheu seu títulos preferidos? Agora, você está pronto para dar o próximo passo!

Passo 4. Invista

Acesse sua conta na Rico e entre na opção Tesouro Direto para conhecer os títulos disponíveis.

Na Rico, você pode fazer aplicações no Tesouro Direto a partir de R$ 40.

Para confirmar a compra, siga os seguintes passos:

  1. Selecione o título que você escolheu
  2. Clique em Comprar
  3. Digite sua senha eletrônica
  4. Informe a quantidade que deseja adquirir
  5. Clique novamente em Comprar.

Pronto! Agora você já tem seu dinheiro trabalhando por você!

Conclusão

O prazo de liquidação e a forma de funcionamento do pagamento do Tesouro Direto são partes fundamentais desse investimento.

Afinal de contas, é nesse momento que você recebe o prêmio por ter aplicado seu dinheiro de forma inteligente e segura.

O mercado de títulos federais é bastante dinâmico e os papéis são precificados diariamente. Inclusive, o próprio governo garante a compra de seus títulos.

Contudo, a venda antecipada desses títulos está sujeita às condições do mercado.

Nesse sentido, se você não quiser arriscar, vale a pena se planejar com cuidado para conseguir levar a aplicação até o prazo estabelecido para vencimento do título.

Além disso, quanto maior o prazo de investimento, menor a alíquota do imposto sobre a rentabilidade.

Para você aproveitar todas os benefícios desse investimento, basta criar uma conta na Rico e escolher os títulos mais adequados ao seu perfil.

Obrigado por ler até aqui!

Continue aprendendo sobre o Tesouro Direto:


setembro 23, 2019

Resgate do Tesouro Direto antes do vencimento é boa ideia?  

O resgate do Tesouro Direto é uma das dúvidas mais frequentes dos investidores.

Afinal, o que deve ser feito quando o título do Tesouro vence? Será que resgatar o Tesouro Direto antes do prazo é um bom negócio?

Como sabemos, esses ativos são precificados pelo mercado. Ao mesmo tempo, se você os mantiver até o vencimento, a dinâmica de investimento é outra. 

Por isso, é tão importante entender sobre o resgate do Tesouro Direto, o seu funcionamento e as vantagens que cada cenário pode trazer para a sua carteira. 

De acordo com a sua estratégia, é possível lucrar com a venda antecipada. 

Diante disso, preparamos um artigo completo para você entender como funciona o resgate do Tesouro Direto e as melhores alternativas para começar a lucrar agora mesmo:

  • Vencimentos dos Títulos públicos
  • Como funciona o prazo de resgate do Tesouro Direto
  • Resgate antecipado do Tesouro Direto é uma boa ideia?
  • Como fazer o resgate do Tesouro Direto
  • Como funciona o pagamento da venda antecipada
  • 4 dúvidas comuns sobre o investimento em Tesouro Direto
  • Outros investimentos tão seguros quanto o Tesouro Direto

Se você tiver qualquer dúvida, deixe um comentário no final da página.

Boa leitura!

Vencimentos dos Títulos Públicos

No momento da compra, todos os títulos do Tesouro Direto possuem detalhes importantes, como taxa de rentabilidade, tipo de papel e a data do vencimento.

Hoje, esses ativos apresentam os seguintes prazos: 

Ativos disponíveis para a compra - Tela capturada em 12/09/2019
Ativos disponíveis para a compra – Tela capturada em 12/09/2019

Note que todos os títulos disponíveis para a compra possuem datas de vencimento para o médio e longo prazos.  

Esse prazo de vencimento é influenciado pelo comportamento dos títulos, pois a precificação deles é feita pelo mercado.

Basicamente, os preços variam conforme as expectativas dos investidores quanto aos juros futuros (taxa Selic). 

Digamos que você comprou um título com taxa de 8,0% ao ano a R$ 900,00. Se daqui um ano, o mercado a precifica a 9,0% a.a, o valor unitário do seu ativo será inferior aos R$ 900,00. Isto é o conhecido preço de mercado. 

Mas fique tranquilo, se você mantiver o investimento até a data do vencimento, receberá os 8,0% a.a. estabelecidos no momento da compra. 

Enquanto isso, a venda antecipada está sujeita a condições do mercado. Ou seja, ao vender um papel antes do prazo de vencimento, o preço praticado será o do mercado, mesmo que ele seja inferior ao valor pago na aplicação. 

Porém, como os juros futuros são dinâmicos, haverá momentos em que o valor unitário será maior. Então, é possível ganhar dinheiro com essa operação. 

Um bom exemplo foi o recente caso do título do Tesouro Direto IPCA+ 2045, que acumulou, entre janeiro e agosto de 2019, uma incrível rentabilidade de 42,3%.

Como funciona o prazo de resgate do Tesouro Direto

Homem e mulher mexendo no notebook e sorrindo.
O prazo de liquidação ocorre em apenas um dia útil

O resgate do Tesouro Direto pode ocorrer de duas formas: na data do vencimento ou na venda antecipada. 

Esse investimento é bastante vantajoso, porque oferece muita flexibilidade ao investidor. Ou seja, você pode fazer a venda dele a qualquer momento. 

A recompra é feita pelo próprio governo. Então, basta solicitar o resgate e a liquidação ocorrerá em D+1 (um dia útil).

Ao optar pelo resgate do Tesouro Direto na data do vencimento, há duas opções: receber os recursos corrigidos e acrescidos dos rendimentos ou reinvestir. 

O reinvestimento consiste na compra de títulos da mesma classe. Por exemplo, se você tem o Tesouro IPCA+ 2019, é possível comprar outros papéis de Tesouro IPCA+ com datas de vencimentos mais a frente, como o Tesouro IPCA+ 2024 ou o 2035. 

Nesse caso, é preciso verificar se os seus objetivos como investidor e a sua estratégia estão alinhados aos novos prazos. 


Resgate do Tesouro Direto Antecipado é Uma Boa Ideia?

Se os títulos são precificados diariamente, será que o resgate do Tesouro Direto antecipado pode ser um bom negócio? 

Essa resposta depende, primordialmente, do tipo de ativo que está na sua carteira e da data do vencimento. 

Apesar de ser uma renda fixa, o Tesouro Direto possui perfis de riscos diferentes, ou seja, há papéis mais seguros, enquanto outros oferecem risco maior. 

Os títulos com vencimentos longos, por exemplo, superior a vinte anos, são mais dinâmicos. Isso porque, apesar das projeções, você não sabe exatamente como será o cenário econômico e político até o resgate. 

Eles podem oscilar de forma positiva ou negativa. No caso, se você vender em uma oscilação negativa, tem prejuízo. Mas se encerrar a posição em uma onda de valorização, obtém ganhos antes da data do vencimento.

Assim, eles estão mais expostos aos efeitos das expectativas do mercado quanto aos juros futuros e às mudanças que podem ocorrer ao longo do tempo.

Lembre: se não houver venda antecipada, todos os títulos do Tesouro Direto são previsíveis e seguros.

Conforme os momentos, por exemplo, aversão ao risco ou queda abrupta dos juros, os preços tendem a variar mais no curto prazo. Esse fator influencia também nas taxas de rendimentos oferecidas. 

Portanto, ao fazer a venda antecipada, é preciso analisar esses aspectos para evitar perdas, tanto em rentabilidade, quanto nos lucros da operação. 

Então, se você quer fazer o resgate do Tesouro Direto antecipadamente, acompanhe o mercado dos títulos. Verifique a diferença entre o preço de compra e de venda. Isso se chama marcação a mercado. 

Esse método serve muito bem para os títulos atrelados ao IPCA e para os prefixados. Já o Tesouro Selic funciona de forma diferente. 

Portanto, continue a leitura para saber sobre como resgatar Tesouro Selic antes do vencimento.

Ele é um papel com risco mais baixo: Basicamente, as oscilações são menores que as dos outros dois citados anteriormente.

Dessa maneira, ele possui menor volatilidade em relação aos demais títulos. Sem contar que os rendimentos podem ser bastante atrativos. O rendimento do Tesouro Selic fica em torno de 100% do CDI

Se você tem esse ativo na carteira e precisa solicitar o resgate, quase não há perda de rentabilidade. Por isso, que o Tesouro Selic costuma ser excelente para fundos de emergência

Portanto, investir nele pode ser muito vantajoso, sobretudo para quem busca um ativo com bom rendimento e liquidez.

Lembre-se de que não há um prazo mínimo para o resgate do Tesouro Direto. Porém, os tributos e taxas cobradas variam com o tempo. Nos próximos tópicos, vamos mostrar como elas são calculadas.

Como Resgatar Tesouro Direto Antes do Vencimento ou Depois

Depois de entender como funciona a dinâmica do resgate do Tesouro Direto antes do prazo, chegou a hora de aprender como você pode solicitar a liquidação.

Considere as duas estratégias: na data do vencimento e de forma antecipada. 

Na primeira, basta ficar atento ao prazo e optar pela alternativa mais adequada para a sua carteira. Por exemplo, utilizar o valor final para comprar um imóvel. 

O resgate do Tesouro Direto de forma antecipada também é bastante simples. Acompanhe o passo a passo:

  1. Entre na sua plataforma de investimentos
  2. Verifique quais títulos do Tesouro Direto estão sob a sua custódia e os valores equivalentes;
  3. Escolha a opção “Resgate”;
  4. Agora, você tem a opção de resgatar o valor integral ou uma parte dele;
  5. Já decidiu? Insira a sua assinatura eletrônica e clique em “Resgatar novamente”.

Pronto! No próximo dia útil, o dinheiro estará na sua conta. Não esqueça que o mercado dos títulos possui horários de negociação. 

O resgate pode ser solicitado das 18h às 5h nos dias úteis e a qualquer horário nos finais de semana. 

regate-do-tesouro-direto-cta-2

O Pagamento do Resgate Antecipado

Agora que você já sabe como resgatar dinheiro do Tesouro Direto, chegou a hora de entender melhor sobre o pagamento dos títulos.

Ao solicitar o resgate do Tesouro Direto antecipadamente, o valor líquido recebido será composto de acordo com algumas condições:

  • Preço de mercado
  • Taxas e tributos
  • Taxa de rendimento para a venda

Vamos a um exemplo hipotético.

Digamos que você comprou um título a R$ 950,00, com rentabilidade de 10% a.a. Daqui a um ano, você decidiu resgatar o investimento. 

Neste momento, o PU (preço unitário) está a R$ 1.200,00. Teoricamente, o valor dele deveria estar em R$ 1.045,00, se rendesse os 10% ao ano. 

Note que você já teria um lucro de R$ 155,00, ou seja, o papel valorizou mais de 14% em um ano. 

Agora, é preciso analisar as taxas envolvidas. O Tesouro Direto possui três, que é o IOF (incide apenas em resgates feitos nos primeiros 30 dias), a taxa de custódia e o Imposto de Renda regressivo. 

Após um ano, a taxa de custódia será cobrada proporcionalmente ao tempo decorrido desde a última cobrança. Considere que ela será cobrada daqui alguns dias, então, ficará em 0,15% sobre o rendimento. 

O IR para este período será de 17,5% (em 365 dias) também sobre o retorno. Se o lucro foi de R$ 155,00, com os descontos aplicados, o valor líquido será de R$ 1.127,50.

Note que mesmo com o desconto das taxas, o resgate foi lucrativo. Porém, é importante ficar atento. Se o resgate ocorresse na primeira semana de aplicação, por exemplo, quase não haveria rentabilidade.


4 Dúvidas Comuns Sobre Investimento no Tesouro Direto

Mulher olhando com seriedade no notebook.
O Tesouro Direto se tornou muito conhecido nos últimos anos.

De acordo com o Ministério da Economia, em relatório relativo a julho de 2019, em um período de 12 meses, houve um aumento de 74,4% no número de investidores no programa. 

Com o acréscimo, o número total de cadastrados ultrapassou a casa dos 4,5 milhões. Já o número de participantes ativos, no Tesouro Direto supera 1,1 milhão. 

Estes títulos possuem bons rendimentos, sem contar que eles são os ativos mais seguros do país, já que são garantidos pelo próprio Tesouro Nacional.

Ao mesmo tempo, há muitas dúvidas em relação ao Tesouro Direto. Se você quer investir e não sabe por onde começar, vamos te ajudar! 

Para isso, selecionamos as perguntas mais comuns sobre esse investimento. Acompanhe:

1 – Qual é o valor mínimo para investir no Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um investimento muito acessível. Com valores em torno de R$ 100,00, você pode se tornar um investidor.

Isso é possível porque os títulos são divididos em frações. 

2 – Para quem o Tesouro Direto é indicado?

Os títulos do Tesouro Direto são aplicações de renda fixa. Então, eles costumam ser recomendados para todos os investidores que buscam retornos estáveis e próximos a 100% do CDI. 

Em termos de perfil, a indicação pode ser para os conservadores e moderados. Nesse caso, depende do risco oferecido pelo próprio ativo.

3 – Como comprar os títulos do Tesouro Direto?

Para adquirir os títulos, o primeiro passo é abrir uma conta em uma corretora de confiança, como a Rico. Basta inserir os seus dados pessoais, criar um login e senha. 

Depois disso, transfira o valor a ser investido da sua conta bancária para a conta da corretora através de TED de mesma titularidade. 

O próximo passo é entrar na sua plataforma de investimentos e escolher a opção Tesouro Direto. Aqui, você encontra todos os títulos disponíveis para a compra.

Com o papel selecionado, clique em Comprar. Insira o valor desejado e clique novamente em Comprar.

Em até D+2, o título estará sob a sua custódia e você já começa a ver o seu dinheiro rendendo! Muito simples, não é?

4 – Qual é o melhor título?

Essa resposta depende de vários aspectos pessoais e de investimento. Tenha em mente que não há investimento bom ou ruim. 

A escolha deve ser feita com base nos seus objetivos, prazo de aplicação, perfil de investidor e expectativas de rentabilidade.

De forma geral, os títulos atrelados ao IPCA tendem a ser voltados para quem quer proteger o dinheiro da inflação e manter o poder de compra no futuro. 

Os prefixados são para os investidores que desejam rendimentos fixos ou que acreditam que os juros da economia vão cair ao longo do tempo.

Por fim, o Tesouro Selic pode ser indicado para quem quer obter rendimentos de 100% do CDI e com a liberdade de utilizar o dinheiro a qualquer momento, sem muitas preocupações. Por isso, são os mais usados para fins de reserva de emergência. 

5 – Qual o horário de resgate do Tesouro Direto

Você pode solicitar o resgate antecipado do seu título qualquer dia da semana, entre as 18h e as 5h. Já aos finais de semana, isso pode ser feito em qualquer horário. 

Contudo, é importante lembrar que o preço praticado na liquidação será o de mercado e que o valor usado é o do último fechamento.

Ao solicitar o resgate, o dinheiro ficará disponível na sua conta da corretora no dia posterior à solicitação, a partir das 13h. 

Já o resgate por vencimento ou recebimento de cupons semestrais ficará disponível automaticamente na conta da sua corretora no dia posterior ao previsto para o título.

6 – Como funciona o Imposto de Renda para o Tesouro Direto?

O Imposto de Renda sobre os títulos do Tesouro Direto incide apenas sobre a rentabilidade da aplicação e segue a tabela regressiva de tributação:

Tempo de aplicação

Alíquota do IR (%)

Até 180 dias

22,5

De 180 a 364 dias

20,0

Entre 364 e 720 dias

17,5

Acima de 720 dias

15

Para operações de resgate antecipado, o cálculo do valor do imposto é feito com base no tempo da aplicação, que começa no dia em que foi realizada a compra.

Paralelamente, o imposto sobre os resgates semestrais é calculado sobre os rendimentos dos cupons. 

Mas você não precisa se preocupar com cálculos para o pagamento do IR, pois o imposto sobre o Tesouro Direto é retido diretamente na fonte. 

No entanto, você precisa informar corretamente sobre os títulos na sua declaração anual de IRPF. 

Outros Investimentos Tão Seguros Quanto o Tesouro Direto

O mercado financeiro oferece uma gama enorme de ativos. Para os iniciantes, é muito comum se questionar sobre onde investir.

Afinal de contas, a rentabilidade é apenas um dos aspectos que determinam se um investimento é ideal ou não para a sua carteira.

Ao investir na renda fixa, um dos critérios mais procurados é a segurança. Por isso, é fundamental conhecer as alternativas que podem trazê-la e ainda possibilitar bons rendimentos. 

Veja agora os investimentos que são tão seguros quanto o Tesouro Direto:

CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é uma das aplicações mais conhecidas da renda fixa. 

Ele é emitido pelos bancos. Portanto, a segurança está atrelada à instituição. Quanto mais sólida (saudável e confiável), maior tende a ser a segurança. 

Além disso, o CDB conta com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para valores de até R$ 250 mil. Caso o emissor quebre, você não perde o que investiu.

LCI/LCA

A LCI (Letra de Crédito Imobiliária) e a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) são investimentos bastante seguros. 

O funcionamento delas é semelhante ao CDB e também conta com a cobertura do FGC para valores de até R$ 250 mil. 

Além dessa segurança, a LCI e a LCA ainda oferecem isenção de taxas. Então, se você procura um investimento seguro e com bom rendimento, elas podem ser as alternativas certas.

Dica para começar a investir

Está começando a investir e tem dúvidas sobre o que fazer? Temos uma dica: o Rico+ Primeiros Passos. Ele é um novo modelo de aprendizado que te ajuda a evoluir de pouquinho em pouquinho.

Aprenda a investir com jogos, trilhas de conteúdos e vídeos de maneira simples e fácil! 

Saiba mais sobre o Rico+ Primeiros Passos.

Conclusão

O resgate do Tesouro Direto é uma das partes fundamentais do processo de investimento. 

Afinal, é nessa etapa que você tem o retorno do dinheiro investido no passado. 

E uma das maiores vantagens dos títulos públicos é a flexibilidade. 

O resgate pode ocorrer de duas formas: antecipado ou na data do vencimento. Em apenas um dia útil, o valor líquido estará disponível na sua conta, tanto para a utilização pessoal, quanto para o reinvestimento. 

O mercado de títulos públicos é bastante dinâmico, ou seja, os papéis são precificados diariamente. 

Com o andamento da economia, eles podem sofrer oscilações que geram lucros ou perdas na venda antecipada. 

Se você não tem muito tempo ou facilidade para fazer a marcação a mercado, o ideal é manter o seu título até a data do vencimento. 

Dessa forma, você não perde os rendimentos e vai receber conforme as condições acertadas na compra. Caso contrário, a venda é feita somente a preço de mercado. 

Para aproveitar todas as vantagens do Tesouro Direto, o primeiro passo é abrir a sua conta na Rico.

Aqui, você terá à disposição esses e outros investimentos com alto grau de segurança para que seu dinheiro possa começar a render.

Gostou deste artigo? Então, deixe um comentário com sugestões.

Obrigado por ler até aqui!

Continue a aprender sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:


agosto 26, 2019

Qual a Rentabilidade do Tesouro Direto! (Como Calcular)  

A rentabilidade do Tesouro Direto é uma das suas características mais marcantes.

Ela pode ser prefixada ou pós-fixada.

Se prefixada, o retorno é conhecido no momento da compra e se mantém até a data do vencimento.

No caso de ser pós-fixada, a taxa de rentabilidade é definida com base em um indexador da economia, como os atrelados à Selic e ao IPCA

Existe uma ampla variedade de títulos do Tesouro, o que se reflete na maior adesão aos títulos públicos.

Para se ter uma ideia melhor sobre isso, vale olhar para os números divulgados no Balanço do Tesouro Direto.

O ano de 2018 encerrou com 3,1 milhões de investidores participantes. Em 2019, esse número saltou para 5,6 milhões. Já em setembro de 2020, são 8.386.216 cadastrados – o que representa um aumento de 67,7% em 12 meses.

A variedade de títulos oferecidos pelo Tesouro Direto se alinha com muitos objetivos de investimento e a expectativa é que essa característica leve esse número de investidores a crescer muito mais nos próximos meses e anos. 

Já imaginou ter rentabilidade e segurança em um só investimento? Então, leia este artigo e veja tudo o que preparamos para você:

Se tiver qualquer dúvida, deixe um comentário no final da página.

Boa leitura! 

Qual a Rentabilidade do Tesouro Direto Hoje?

Casal calculando rendimento tesouro direto
Casal calculando rendimento tesouro direto

A rentabilidade do Tesouro Direto é considerada consistente e segura. Trata-se do emissor mais seguro do mercado financeiro, o Tesouro Nacional

Então, se você mantiver o título até a data do vencimento, deverá receber rendimentos condizentes com a rentabilidade de títulos de renda fixa.

No momento da aplicação, é possível fazer a simulação de quanto o título irá render. Esse valor pode oscilar se a rentabilidade estiver atrelada a algum índice do mercado, mas a variação não deverá ser muito grande e é uma maneira de se planejar em relação à rentabilidade. 

Porém, a rentabilidade do Tesouro Direto pode mudar quando você faz a venda antecipada do ativo. Neste caso, o retorno depende exclusivamente da sua estratégia de investimento. 

Outro ponto importante é que o rendimento varia conforme o tipo de título público. De forma geral, quanto maior o risco do ativo, mais rentável ele será. 

Portanto, é fundamental conhecer cada papel antes de investir o seu capital versus o seu perfil de investidor

No vídeo abaixo, você confere uma explicação didática com tudo que precisa saber sobre o Tesouro Direto.

Como calcular a rentabilidade mensal do Tesouro Direto? 

Os títulos prefixados do Tesouro Direto têm sua rentabilidade definida no momento da aplicação. 

Portanto, o valor de resgate já é conhecido logo de cara, não estando sujeito às oscilações da economia. 

Já no caso de títulos pós-fixados e híbridos, a rentabilidade pode variar durante o ano, dependendo do tipo de indicador ao qual o investimento está indexado. 

Sempre é importante calcular a rentabilidade mensal de um investimento antes de se decidir por ele.

Para começar, é preciso entender como funciona cada um desses ativos e conhecer seus respectivos cálculos.

Vamos lá?

Tesouro Prefixado

Como já foi destacado, a rentabilidade desse tipo de investimento é fixa.

E para calcular o retorno da aplicação, você pode dividir o rendimento definido ao ano por 12 meses. 

Digamos que o seu título paga 6% ao ano. Então, nesse caso, a rentabilidade mensal será de 0,5%.

Tesouro Selic (pós-fixado)

O Tesouro Selic acompanha a taxa básica de juros brasileira. 

Ao considerar o valor da Selic atual – de 2% ao ano -, temos um rendimento mensal bruto médio de 0,17% ao mês. 

Tesouro IPCA+ (Híbrido)

Por fim, temos um exemplo para um título híbrido, o Tesouro IPCA+, cujo retorno é dado por uma taxa fixa mais o valor do IPCA (inflação) do período. 

Considerando que o seu título rende 4,08% + IPCA, o resultado será de 6,93% ao ano e 0,58% ao mês (dados de 6 de novembro de 2020).

Até agora, calculamos o rendimento bruto dos ativos. 

Mas para saber o dinheiro que virá, efetivamente, para o seu bolso, é preciso descontar as taxas e impostos. 

Nos próximos tópicos, vamos mostrar como eles influenciam na rentabilidade do Tesouro Direto.

Como escolher o título mais adequado

Casal calculando rendimento tesouro direto
Tudo depende do seu perfil de investidor e momento econômico!

Para escolher entre os títulos do Tesouro Direto, primeiro, você precisa identificar qual é o seu perfil de investidor, isto é, o quanto de risco consegue tolerar sem perder a tranquilidade.

Se você possuir um tipo muito agressivo, que não se sente desconfortável com oscilações de – 10% em seu capital, é possível partir para Fundos de Ações ou até para a bolsa de valores.

No entanto, se o seu dinheiro faz falta caso ocorram desvalorizações no curto prazo, significa que o seu perfil é de um investidor mais conservador.

Quando você cria a sua conta na Rico, é preciso responder algumas questões automáticas que mostrarão o seu perfil e os ativos mais adequados para a sua carteira.

E caso queira se posicionar em um investimento fora do seu nível de risco, emitiremos um aviso de segurança.

Além de identificar o seu perfil de investidor, é fundamental definir os seus objetivos ao aplicar e o prazo para a concretização deles, por exemplo, comprar um imóvel em 10 anos ou trocar o smartphone em seis meses.

Desta forma, você terá mais foco e facilidade na hora de escolher os títulos mais adequados para o seu portfólio. Estes passos também evitam perdas quanto aos resgates antecipados.

Geralmente, se o seu objetivo é investir para o médio e longo prazos, como para a aposentadoria, os títulos atrelados à inflação e o Tesouro Selic podem ser boas alternativas.

Já quando você quer aplicar hoje para obter um determinado valor, por exemplo, comprar um carro de R$ 50 mil em três anos, com investimento inicial de R$ 10 mil, os prefixados tendem a ser os ideais. 

Portanto, antes de investir, reserve um tempo e pense exatamente no que você deseja para o seu futuro.

Caso contrário, qualquer tentação que aparecer pelo caminho pode desviá-lo.

Dica para começar a investir

Está começando a investir e tem dúvidas sobre o que fazer? Temos uma dica: o Rico+ Primeiros Passos. Ele é um novo modelo de aprendizado que te ajuda a evoluir de pouquinho em pouquinho.

Aprenda a investir com jogos, trilhas de conteúdos e vídeos de maneira simples e fácil! 

Saiba mais sobre o Rico+ Primeiros Passos.

Simulação de rentabilidade do Tesouro Direto

Casal calculando rendimento tesouro direto
Utilize o nosso simulador e escolha a melhor opção para a sua carteira

Para entender como funciona a rentabilidade do Tesouro Direto, nada melhor do que ter exemplos práticos, não é mesmo? 

Diante disso, utilizamos o nosso Simulador de Investimentos para você já começar ainda hoje. 

Ao simular uma aplicação de R$ 1 mil nos três diferentes títulos do Tesouro Direto, os resultados foram:

rendimento-do-tesouro-direto-rico-2020

rendimento-do-tesouro-direto-rico-2020-1
Simulação de Tesouro Direto – Tela capturada em 06/11/2020

Observe nos resultados que o Tesouro Prefixado, no centro, foi o título com maior rentabilidade.

Isso pode ser explicado pelo prazo mais longo do investimento, além da taxa maior de rendimento. 

Na simulação, o cálculo foi realizado com o valor de 2% para Selic. Enquanto isso, o rendimento do Tesouro IPCA é de 2,91% + Inflação. 

Já o Tesouro Prefixado tem a taxa de retorno é de 6,26%. 

Ao comparar com a poupança, mesmo com a cobrança de taxas e impostos, todos os três títulos se mostram mais rentáveis.

Lembrando que, em novembro de 2020, a caderneta paga apenas 1,4% ao ano.

Na próxima simulação, comparamos o comportamento dos títulos com e sem o pagamento de juros semestrais:

rendimento do tesouro direto rico 2020 2rendimento do tesouro direto rico 2020 3
Simulação de Tesouro Direto – Tela capturada em 06/11/2020

São títulos de prazos diferentes. Porém, em linhas gerais, o rendimento do Tesouro Direto sem o pagamento dos juros semestrais é maior. 

Basta observar a diferença na rentabilidade líquida anual: 6,93% contra 6,09%.

O mesmo ocorre nos títulos prefixados.

Este resultado pode ser explicado por conta da tributação sobre os cupons pagos no Tesouro IPCA+ com juros semestrais.

O Imposto de Renda no Tesouro segue a tabela regressiva. Então, o primeiro cupom terá incidência de 22,5% de IR. Já o segundo vem com 20% e assim por diante. 

Já no Tesouro IPCA+, a tributação ocorre apenas no resgate da aplicação. Caso feito depois de dois anos, a alíquota será de 15% sobre os rendimentos. 

Como foi o rendimento do Tesouro Direto [Tabela]

Conhecer a rentabilidade do Tesouro Direto em 2020 pode ser um bom ponto de partida na tomada de decisão. 

Desta forma, você terá um panorama geral de como cada título rendeu no ano e a previsão do resultado para 2021. 

Ao mesmo tempo, tenha em mente que a rentabilidade do Tesouro Direto pode oscilar. Por isso, comprar e manter tende a ser a melhor escolha. 

De acordo com o relatório do Tesouro Nacional, referente à setembro de 2020, os títulos públicos obtiveram os seguintes resultados brutos:

rendimento do tesouro direto rico 2020 4Rendimento do Tesouro Direto em 2020 – Fonte: Tesouro Nacional

Note que o Tesouro Prefixado 2023 obteve o melhor rendimento no ano, com 6,35%, apesar do retorno negativo no mês. 

Então, você não deve se assustar caso o seu título tenha um resultado negativo em um determinado período. Estas são correções comuns no mercado. 

Já o Tesouro Selic 2025 trouxe um rendimento menor, com 1,58%, porém acima da poupança. Por isso, ele é conhecido por ser um ativo bastante estável. 

Expectativa de rentabilidade do Tesouro em 2021

Em 2020, os títulos prefixados e os atrelados à inflação obtiveram desempenhos bastante atrativos. 

Enquanto isso, o Tesouro Selic apresentou uma pequena queda nos rendimentos ao longo do ano, pois o seu indexador iniciou com 4,5% a.a. em janeiro e caiu para 2% a.a.

A expectativa do Boletim Focus divulgado em 30 de outubro é de termos a taxa básica de juros ainda em 2% no encerramento de 2020, mantendo o Tesouro Selic como o menos atrativo dos títulos públicos no momento.

Leve alta no índice é esperada para 2021 (o Focus traz a projeção de Selic em 2,75 a.a.). Já em 2022, aí sim, há expectativa de uma alta maior, com juros em 4,5% a.a.

Em relação ao IPCA, há previsões de leve subida (3,02% ao ano), porém ele deve continuar dentro da meta. Assim, a rentabilidade pode seguir estável. 

Com a expectativa de alta na inflação, mesmo que em pequena escala, investir no Tesouro IPCA+ pode ser uma boa alternativa para proteger o seu capital. 

Quanto aos prefixados, este tende a ser o momento apropriado para conseguir rendimentos mais atrativos quando comparados aos demais títulos públicos. 

Por fim, o Tesouro Selic, caso a previsão do mercado seja concretizada, investir durante este momento de baixa dos juros pode ser uma escolha assertiva no longo prazo, considerando a estimativa de Selic em 6% ao final de 2023, divulgada no Boletim Focus.

Como investidores conseguiram 53% de rentabilidade no Tesouro Direto

Sim, isso é possível e aconteceu em 2016.

Esses investidores conseguiram ganhos até superiores aos de renda variável, como as ações. Mas qual foi o ativo de melhor rentabilidade no Tesouro Direto?

Trata-se do Tesouro IPCA+ (NTN-B). Esse título, com vencimento para 2026, hoje, tem uma rentabilidade de 2,91% + inflação ao ano.

Então, como um título que paga menos de 3% em um ano rendeu 53%?

Trata-se da estratégia da venda antecipada. Em 2016, devido ao cenário macroeconômico turbulento que alterou o valor de face do papel, houve uma valorização do ativo. 

Em resumo, os papéis do Tesouro Direto podem ficar mais caros. Assim, ao vendê-los antes do vencimento, é possível obter bons lucros.

Mas como um papel que renderá sempre a mesma coisa passa a valer mais?

Observe a lei de oferta e procura. Se um ativo pagava 10% e, depois de um ciclo econômico desfavorável, passou a oferecer 5%, significa que quem comprou a 10%, tem um papel que já não existe no mercado.

Esse é o segredo. Imagine que você comprou, no começo de 2018, um Tesouro IPCA+ por R$ 1.000, rendendo 5% + inflação ao ano.

Lembre que, ao comprar esses títulos do Tesouro Direto de longo prazo, você deve mantê-lo na carteira até o vencimento para obter o prêmio de risco ou fazer essa venda antecipada. 

Nos ativos de prazo menor, em momentos de alto risco também podem se valorizar, porém a venda antecipada é recomendável aos investidores agressivos. 

Claro que dificilmente isso se repetirá de forma previsível, no entanto, o comportamento dos juros pode trazer mais boas oportunidades para a sua carteira.

Assim, o ideal é fazer uma gestão ativa dos seus investimentos e acompanhar os próximos passos da política e economia brasileira.

Vantagens de Investir em Tesouro Direto

Mulher calculando rendimento tesouro direto

O Tesouro Direto não está se tornando um queridinho dos novos investidores sem razão.

Existem muitas vantagens além da boa rentabilidade do Tesouro Direto. 

Se você está interessado em investir nestes títulos, conheça o que eles podem agregar na sua carteira:

Juros compostos

Os juros compostos são um dos responsáveis pela rentabilidade do Tesouro Direto. Com eles, o seu dinheiro renderá juros sobre juros. 

Assim, o montante de hoje equivale ao valor bruto investido mais o que rendeu no dia anterior. Isso significa que, no médio e longo prazos, os resultados tendem a ser bastante satisfatórios. 

Os juros futuros pode ser o que falta para o seu patrimônio crescer de verdade. Por isso, investir no Tesouro Direto é um opção muito mais vantajosa do que a poupança

Facilidade

Investir no Tesouro Direto é muito simples.

Você só precisa criar um conta na corretora Rico para garantir os melhores títulos com taxa zero para o investimento. 

A abertura de conta é muito rápida. Clique aqui, complete o cadastro e comece hoje mesmo!

Depois disso, basta transferir a quantia desejada da sua conta bancária para a da corretora através de TED de mesma titularidade.

Aqui, você terá a mesma segurança de um banco. Ela está em seu nome e os resgates podem ser feitos a qualquer momento. 

Simplicidade

Com o seu cadastro na Rico, você pode visualizar todas as opções de investimento disponíveis pelo celular ou computador.

No próprio sistema, você compara os investimentos e faz as simulações comparativas. Após escolher, basta apertar o botão de comprar e pronto.

Assim, o seu dinheiro começará a trabalhar por você!

rendimento do tesouro direto rico 2020 5Títulos do Tesouro Direto disponíveis para você investir – Tela capturada em 06/11/2020

Não precisa acompanhar os ativos

Como são ativos de renda fixa com um comportamento esperado, você não precisa acessar a sua conta todos os dias.

O investimento tende a sempre render conforme o planejado. São muito improváveis surpresas nesse papel.

Basta utilizar o nosso Simulador de Investimentos, comprar e deixar os juros compostos fazerem o resto.

Ótima liquidez 

Os títulos do Tesouro Direto possuem liquidez diária. Isso quer dizer que você pode encerrar sua posição quando bem entender, sem ter que esperar muito tempo por isso.

O próprio governo recompra os seus papéis garantindo sempre a venda imediata.

A liquidação se dá no período D + 1, ou seja, o dinheiro estará disponível na sua conta em um dia útil. 

Já o Tesouro Selic possui liquidez imediata real. Como esse investimento nunca performa negativamente, ele pode ser sacado a qualquer momento, mesmo em períodos econômicos turbulentos. 

Esse ativo é o mais indicado para fundos de emergência. Caso ocorra alguma surpresa como dívida, problemas de saúde ou desemprego, você estará preparado. 

Sem contar que você não precisa se preocupar com a data do aniversário da aplicação, como ocorre na poupança, pois todo o capital investido é resgatado sem perdas no rendimento.

Baixíssimo custo e acessibilidade

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais acessíveis a todos os investidores. Os seus aportes mínimos estão em torno de R$ 30,00. 

Sem contar que na Rico, temos as taxas mais baixas do mercado. Muitos ativos de Renda Fixa contam taxa ZERO. 

Variedade de opções de títulos com retornos e prazos diferentes

Você pode escolher por papéis pré-fixados ou pós-fixados. Pode lastrear sua rentabilidade na taxa da inflação, o IPCA ou na taxa de juros, a Selic.

O objetivo do investimento pode ser para daqui três meses ou 30 anos. 

Essa variedade de títulos oferece muita flexibilidade, ou seja, todas as carteiras podem ter parte do patrimônio em Tesouro Direto.

Aportes mensais

O Tesouro Direto permite que você faça aportes mensais, por exemplo, R$ 100 por mês.

Assim, se você quer investir todo mês parte dos seus ganhos, basta ter o valor mínimo, como citado acima e fazer a sua aplicação.

Você pode aplicar em um mesmo título ou em qualquer outro.

Dessa forma, é possível ter resultados ainda melhores ao longo do tempo. 

Comece a investir no Tesouro Direto

Caso você deseje obter retornos, como na rentabilidade do Tesouro Direto, o primeiro passo é investir.

Se você é iniciante, é normal ter dúvidas sobre qual o melhor momento para começar. 

Primeiro de tudo, saiba que os títulos públicos são ativos de renda fixa. Então, as taxas de rendimento já são conhecidas no momento da compra. 

Assim, o momento ideal para começar é agora mesmo. Para isso, basta abrir a sua conta na Rico

A compra de títulos públicos pode ser feita de segunda a sexta das 9:30 às 17 horas. Caso ultrapasse este horário, a sua operação será efetivada no próximo dia útil.

Na plataforma da Rico, você ainda conta com a compra automática. Basta informar o ativo, data e valor, que o investimento será feito por você.

Muito simples, não é mesmo? Que tal começar hoje?

Taxas para investir nos títulos do Tesouro Direto

Antes de fazer qualquer investimento, é essencial conhecer as taxas e impostos associados.

Assim, você poderá ter uma boa previsão sobre o dinheiro que virá para o seu bolso. 

No Tesouro Direto, o único tributo que é cobrado nos títulos é o Imposto de Renda. 

A alíquota é regressiva, ou seja, quanto maior o tempo de investimento, menor ela será. Veja a tabela: 

Prazo

Alíquota (%)

Até 180 dias

22,5

De 181 a 360 dias

20,0

De 361 a 720 dias

17,5

Acima de 720 dias

15,0

Tabela da alíquota regressiva do Imposto de Renda – Fonte: B3

Além disso, a cobrança incide apenas nos rendimentos. Então, o valor bruto investido não sofre perdas. 

A alíquota é descontada na data do vencimento ou na venda antecipada dos ativos.

Lembre que, nos primeiros 30 dias de investimento, há o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras)

Caso você solicite o resgate neste período, haverá a cobrança regressiva

No mais, B3 recolhe semestralmente a taxa de custódia. Ela é cobrada com o objetivo de proteger os seus títulos e também os seus dados como investidor. No ano, ela totaliza 0,25% do capital investido. 

Investimentos que podem ter rendimento atrativo como o Tesouro Direto

Mulher calculando rendimento tesouro direto

Existem muitas opções de investimento. Descubra a melhor para você!

Como vimos, a rentabilidade do Tesouro Direto é bastante atrativa de acordo com o seu risco.

No entanto, existem muitos outros investimentos de renda fixa com taxas nominais tão boas ou até melhores do que o título público.

Um dos casos mais conhecidos são os CDBs. Esse ativo é um empréstimo que você faz aos bancos, em troca de uma taxa de juros, que pode ser prefixada ou pós-fixada.

Outros ativos também são muitos bons como, as LCIsLCAs e LCs. As duas primeiras têm a vantagem da isenção de Imposto de Renda. Assim, os lucros podem ser maiores ainda. 

Todos esses investimentos possuem a segurança do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado ao teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Para mais informações sobre o FGC, acesse o site http://www.fgc.org.br.

Alguns dos investimentos citados acima podem oferecer rendimentos acima de 140% do CDI. Hoje, isso significa uma valorização em torno de 2,3% ao ano, que é uma boa rentabilidade.

Se você busca rendimentos ainda mais atrativos, com a consciência de riscos um pouco mais elevados, há a opção dos fundos multimercado

Com eles, é possível ter retornos muito superiores, como o Orama Ouro FIM, disponível na Rico, que rendeu 66,32% nos últimos 12 meses, além de muitos outros com rentabilidade superior a 10% ao ano.

Entre os fundos multimercado voltados a perfis conservadores, o Ibiuna Hedge ST Advisory FIC FIM, também disponível na Rico, avançou 14,77% em 12 meses.

Ou seja, é muito mais do que outras aplicações para esse perfil de investidor.

Por fim, há também as debêntures. Elas são títulos de renda fixa emitidos pelas empresas. Então, a taxa de rentabilidade costuma ser maior que para os demais investimentos. 

A maioria delas paga uma taxa fixa mais o IPCA, por exemplo, 4% + IPCA, ou seja, você terá ganho real sobre a inflação. 

Os aportes iniciais costumam ser em torno de R$ 1 mil. Porém, as debêntures são indicadas para investidores de perfil arrojado, porque não há garantia do FGC.

Entre os melhores investimentos , você encontra as aplicações citadas neste artigo como, o Tesouro Direto, os fundos de investimentos e os CDBs. 

Para ter rendimentos acima do CDI, o ideal é ter uma carteira diversificada e aplicar o seu dinheiro nestas alternativas. 

Perguntas frequentes sobre rendimento do Tesouro Direto

Ainda tem alguma dúvida sobre a rentabilidade do Tesouro Direto?

Então, é hora de encontrar as respostas!

Quanto rende 100 mil reais no Tesouro Direto?

A rentabilidade do Tesouro Direto depende do título que você escolheu para aplicar seu capital e a duração do investimento.

Para os prefixados, basta calcular pela taxa divulgada no momento da compra.

No caso dos títulos pós-fixados, o cálculo pode ser um pouco mais complexo.

Vamos ver o retorno de uma aplicação de R$ 100 mil no Tesouro IPCA+ 2026, Tesouro Prefixado 2026 e Tesouro Selic 2025 (os valores consideram o prazo de vencimento):

  • Tesouro IPCA+ 2026: R$ 138.319,20
  • Tesouro Prefixado 2026: R$ 135.902,37
  • Tesouro Selic 2025: R$ 107.322,91.

Qual a maior rentabilidade do Tesouro Direto?

Dos títulos disponíveis para negociação no mercado hoje, o mais rentável é o Tesouro IPCA+ 2055.

Para quem investe R$ 100 mil nesse ativo hoje, a projeção é conseguir resgatar o valor de R$ 861 mil ao fim do contrato.

É claro que esse é um título pós-fixado, o que significa que os números são apenas uma projeção que leva em conta as taxas de hoje.

Rentabilidade negativa no Tesouro Selic. O que fazer?

Em 2020, vimos uma situação inusitada acontecer com os títulos de Tesouro Selic.

Por conta das oscilações do mercado causadas pela pandemia do coronavírus, os ativos tiveram seus valores desvalorizados significativamente.

Ainda que possa parecer assustadora, a rentabilidade negativa não pode ser motivo de desespero.

Em entrevista ao InfoMoney, a analista de renda fixa da XP Investimentos Camilla Dolle reafirmou a importância de não mexer nos títulos por hora.

Segundo ela, a tendência é que a rentabilidade volte a ser positiva e, por isso, é preciso ter paciência.

Vale a pena investir em Tesouro Direto em 2021?

Ainda que a modalidade tenha sofrido com desvalorizações e com a queda da taxa de juros, é importante lembrar que esse segue sendo um dos investimentos mais seguros do mercado.

Como ele é emitido pelo próprio governo, as chances de calote são bem pequenas.

O Tesouro Direto também é conhecido por sua alta liquidez, o que significa maior facilidade para vender os títulos a qualquer momento.

Por esses motivos, ele segue sendo uma boa opção para os mais diversos objetivos.

Conclusão

Mulher calculando rendimento tesouro direto

Comece a sua carteira pelo Tesouro Direto!

Mesmo com a queda nos juros da economia dos três anos, a rentabilidade do Tesouro Direto continua bastante atrativa.

Por oferecer três tipos de papéis diferentes, você tem liberdade de escolha na hora de investir segundo os seus objetivos e perfil de investidor. 

Apesar de os títulos públicos não contarem com a garantia do FGC, eles são considerados como investimentos de baixo risco, pois o governo é a máxima instituição financeira do país. 

Se esse emissor quebrar, é sinal de que todos os outros níveis abaixo já faliram também. Então, esse investimento é tão seguro quanto a poupança.

Além disso, você conta com a liquidez imediata e a facilidade na hora de investir. 

Por isso, comece agora mesmo a fazer o seu dinheiro render de verdade. Basta abrir a sua conta na Rico

Aqui você encontra os melhores títulos públicos e segue em 2021 com o pé direito. 

Continue a aprender sobre o Tesouro Direto através destes outros artigos do nosso blog:

Gostou desse texto? Então, deixe um comentário. 

Obrigado por ler até aqui!


junho 28, 2019

O que é Tesouro Nacional, títulos e como funciona  

O Tesouro Nacional representa o caixa do Governo Brasileiro. Ele é administrado e contabilizado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), que também emite títulos da dívida pública do país.

Isso mesmo, o Tesouro Nacional também pode captar recursos através de investimentos assim como qualquer instituição privada.

Ele gera títulos que são pequenos pedaços da sua dívida e qualquer pessoa pode comprar esse ativo e se tornar um credor do Tesouro. 

Ele o faz com um programa de investimentos muito importante para o mercado financeiro: o Tesouro Direto

Dentro desse programa existem os títulos do Tesouro Direto. Eles têm se tornado cada vez mais populares, principalmente por conta da sua rentabilidade e a impopularidade crescente da caderneta da poupança. 

Continue lendo para aprender tudo sobre o Tesouro Nacional, seus títulos e rentabilidade.

  • O que é Tesouro Nacional?
  • Como Funciona o Tesouro Nacional
  • Títulos do Tesouro Nacional – Quais São e Características
  • Qual o Rendimento do Investimento no Tesouro Nacional
  • Como Aplicar em Títulos do Tesouro?
  • Taxas e Tributação
  • Dúvidas Comuns sobre o Tesouro Nacional

Boa leitura!

O que é Tesouro Nacional?

Moedas em uma superfície de madeira, em referência ao tesouro nacional
O Tesouro Nacional é muito importante para a economia brasileira

O Tesouro Nacional é o caixa do Brasil. Ele é responsável por receber e administrar o capital do Estado, avaliar sua situação fiscal e fazer relatórios periódicos. Ou seja, é como se fosse o “contador” do país.

Além de administrar a dívida pública da União, essa secretaria também gerencia o saneamento financeiro dos Estados e seus municípios.

A missão da STN (Secretaria do Tesouro Nacional), segundo o seu próprio site, é:

“Gerir as contas públicas de forma eficiente e transparente, zelando pelo equilíbrio fiscal e pela qualidade do gasto público”

Devido ao momento fiscal do Brasil, hoje, as principais pautas do Tesouro Nacional são a Responsabilidade Fiscal e a Dívida Pública Brasileira.

Desde 2014, não há superávit primário, ou seja, se colocar as despesas e a arrecadação do Estado  em uma balança, as receitas não são o suficiente para cobrir as despesas.

É como se o governo estivesse sempre no vermelho. Ele está se endividando cada vez mais.

tesouro nacional defict

É por esse motivo que tanto se fala de ajuste fiscal e Reforma da Previdência.

O Brasil precisa retomar o rumo do equilíbrio fiscal para voltar a crescer com consistência e o Tesouro Nacional tem um papel fundamental nisso de fiscalizar e gerenciar a conta pública.

Em outras palavras, a STN é o radar da conta pública e ele está indicando que a economia está em rota de colisão se não cortarem as despesas, uma vez que os tributos no Brasil já são elevadíssimos.

Como Funcionam os Títulos Tesouro Nacional

Uma mulher mexendo no celular em referência a pesquisa sobre tesouro nacional
Os títulos de dívida brasileira são um ótimo investimento

Os títulos do Tesouro Nacional, ou títulos da Dívida Pública Federal (DPF), possuem um papel importantíssimo no mercado e no Governo.

Eles são um instrumento de equilíbrio fiscal e servem para geração de recursos junto à sociedade e o principal objetivo é financiar as despesas públicas.

As duas principais razões para emissões de títulos são:

  • financiar o déficit orçamentário (incluindo o refinanciamento da dívida pública)
  • realizar operações para fins específicos, definidos em lei

Ao investir em um título público, você se torna um credor do Governo. Em troca, ele paga uma taxa de juros que pode ser fixa, indexada ou híbrida.

Por ser emitido pelo STN, através do sistema do Tesouro Direto, você tem total segurança de que receberá conforme combinado já que a própria economia brasileira é a sua garantia. Para que haja um calote do Estado, a situação precisaria ser muito pior do que a última crise.

Outro lado positivo de investir nos títulos públicos é que eles são uma ótima alternativa à poupança já que rende muito mais e possui mais liquidez (agilidade para encerrar o investimento e colocar o dinheiro no bolso).

Títulos do Tesouro Nacional – Quais São e Características

uma lousa na qual está desenhada uma nota de cem reais cortada por um gráfico em crescente, em referência ao tesouro nacional
Esses são títulos muito seguros e rentáveis

Se você está começando a investir agora, o Tesouro Direto é o investimento mais recomendado para você.

Os papéis do Tesouro são muito seguros e versáteis. Ou seja, existem opções com prazos e rentabilidades que atendem diversos objetivos.

Você pode desde construir a sua reserva de emergência de curtíssimo prazo a até investir para a faculdade dos seus filhos. Tudo depende dos seus planos e claro, dos títulos que escolher.

Conheça a seguir cada um deles a fundo:

Tesouro Selic (LFT)

O Tesouro Selic ou Letra Financeira do Tesouro (LFT) é o investimento que todos podem ter em carteira. 

Apesar de ter um vencimento longo (2025), ele pode ser revendido a qualquer momento para o Tesouro Nacional sem perda de rentabilidade. Por isso, é considerado um ativo de curto prazo. 

Muitos investidores guardam seu fundo de emergência no Tesouro Selic. 

A sua rentabilidade é pós-fixada e varia de acordo com a Selic. Essa taxa já esteve em patamares altos, acima de 14%, hoje, ela está em 6,5% que é a mínima histórica e pode cair ainda mais após a reforma da previdência. 

Veja como ele funciona na imagem retirada do site do Tesouro Nacional:

funcionamento-prefixadol

Tesouro Prefixado (LTN)

O Tesouro Prefixado ou Letra do Tesouro Nacional é um título da dívida pública que tem uma taxa fixa de rendimento.

Ou seja, você sabe desde o início da aplicação qual será a sua rentabilidade. A sua taxa não varia sobre nenhum índice, como acontece no Tesouro Selic.

Esse é um ótimo investimento de médio prazo, principalmente com a Selic em baixa.

O Tesouro Prefixado pode trazer um ótimo retorno se você fizer uma venda antecipada no momento certo, assim como outros títulos públicos com rentabilidade parcialmente fixada.

Sabe como? Se a Selic continuar em queda, o Tesouro Prefixado é valorizado pelo mercado, já que a sua taxa de rentabilidade será superior à praticada no mercado. Por isso, ao revender, você pode ganhar um prêmio maior do que o combinado.

O inverso também verdade. Se você vender antecipadamente esse título em um momento que a Selic está subindo, você pode perder dinheiro.

Por isso, é recomendado que você sempre invista nos títulos de longo prazo com o intuito de levar a aplicação até a data de vencimento.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F)

Esse título é mais recomendado para quem quer receber os rendimentos constantemente em sua conta, para complementar sua renda.

O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais paga cupons de juros a cada seis meses. Os pagamentos semestrais, nesse caso, representam uma antecipação da rentabilidade contratada.

Os cupons pagos possuem incidência do Imposto de Renda. Então, conforme o tempo passar, você pagará menos impostos.

Confira como ele funciona na imagem retirada do site do Tesouro Nacional:

funcionamento-ipca-semestral

Tesouro IPCA+ (NTN-B Princ)

O Tesouro IPCA+ mistura dois tipos de rentabilidade: uma indexada à inflação e outra prefixada. 

Ele também é um investimento de longo prazo e é recomendado para quem deseja manter o poder de compra por longos anos. Ao investir neste título, você tem a garantia de que receberá uma rentabilidade superior à inflação.

Ou seja, é o único título do Tesouro que pode garantir uma rentabilidade real, acima da inflação.

Assim, ele é indicado para quem deseja poupar para a aposentadoria, compra de casa e estudo dos filhos, dentre outros objetivos de longo prazo.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B)

Semelhante ao Tesouro IPCA+ principal, este título paga cupons semestrais, como o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais. Ele também é recomendado para quem quer ter uma rentabilidade, acima da inflação, e complementar a sua renda.

Qual título escolher? Confira as dicas deste vídeo:

Qual o Rendimento do Investimento no Tesouro Nacional

Como dito, os títulos do Tesouro Nacional possuem uma ótima rentabilidade. Se forem levados até a data de vencimento, todos eles vencem da poupança. 

É possível ganhar até 3,2 vezes mais investindo no Tesouro Direto do que na poupança.

Trata-se de uma boa diferença, certo?

Simulador do Tesouro

Em nosso site, você pode acessar o nosso simulador do Tesouro Direto.

simulador-tesouro-direto-rico
Tela capturada dia 16/6/2019

Nele, é possível simular e comparar o rendimento da poupança e do Tesouro Direto IPCA+. Basta clicar e arrastar para os lado para definir o valor e o prazo de simulação.

Perceba como em 3 anos, o ganho no título do Tesouro Nacional é muito superior ao da poupança.

Ao se tornar um cliente da Rico, você ainda pode simular o rendimento do Tesouro e de outras aplicações de renda fixa como o CDB (Certificado de Depósito Bancário), LC (Letra de Câmbio), LCI/LCA (Letras de Crédito Imobiliárias ou do Agronegócio).

Veja um exemplo a seguir onde comparamos um título do Tesouro com um CDB pós-fixado e uma LC:

tesouro-ipca-10mil
tesouro-ipca-10mil2
Tela capturada dia 16/6/2019

O rendimento líquido (menos taxas) deste título foi de 6,96%. Ou seja, foi ainda superior a LC e ao CDB simulados abaixo que pagam mais de 100% do CDI:

simulador-renda-fixa-1
simulador-renda-fixa-2
Tela capturada dia 16/6/19

Isso acontece porque o Tesouro IPCA+ possui uma parte prefixada.

Além disso, como citado, você pode ganhar muito dinheiro, acima da rentabilidade contratada, investindo no Tesouro IPCA+ devido a sua marcação a mercado.

Essa é uma gestão que depende dos juros futuros. Em resumo, conforme melhor for a expectativa em relação à economia Brasileira, mais valorizado será os seus títulos prefixados. Por isso, a cada avanço da reforma da previdência, mais valorizado os títulos são.

Mas se não houver a venda antecipada, você sempre levará a rentabilidade contratada.

Como Aplicar em Títulos do Tesouro?

Um homem mexendo no notebook em referência ao tesouro nacional
É bem simples começar a investir no Tesouro Direto!

Você só precisa de um CPF válido, internet e uma conta em corretora – que pode ser aberta agora mesmo em alguns minutos.

Também é possível aplicar através de bancos, mas essa não é, nem de longe, uma boa opção para você. Afinal, os grandes bancos costumam cobrar muitas taxas de intermediação já que eles não possuem dificuldade alguma em captar recursos no mercado.

Opte por corretoras 100% digitais como a Rico, que possui TAXA ZERO para investir no Tesouro Direto.

Acesse a área do Tesouro Direto na Rico

Depois de criar a sua conta, você só precisa logar na corretora e acessar a opção Tesouro Direto no menu lateral direito:

como-aplicar-tesouro1

Escolha o melhor título para você

como-aplicar-tesouro2
Tela capturada dia 16/6/2019

Tome essa decisão com calma e atenção. Uma boa dica para você não errar ao investir é sempre ter um objetivo. Assim, você terá mais clareza quanto ao prazo de investimento que está procurando, assim como rentabilidade, risco e etc.

Simule o investimento

como-aplicar-tesouro3
Tela capturada dia 16/6/2019

Você ainda pode simular o investimento. Basta clicar e arrastar o ativo até a aba ‘Simular Investimento’. Nesta aba, você pode escolher o valor da aplicação a ser simulada.

Clique em comprar

Se tiver qualquer dúvida, você pode entrar em contato com a equipe da Rico.

Mas se estiver decidido, clique no botão azul ao lado do investimento listado. 

como-aplicar-tesouro4
Tela capturada dia 16/6/2019

Uma janela será aberta com mais detalhes do investimento.

como-aplicar-tesouro5
Tela capturada dia 16/6/2019

Nesta janela, você definirá o valor a ser investido. Ele deve estar disponível em sua conta na corretora. Depois, basta inserir a sua assinatura eletrônica e clicar em ‘Comprar’.

Pronto! Agora você é um investidor do Tesouro Direto.

Taxas e Tributação do Tesouro Nacional

Apesar da taxa de corretora ser ZERO na Rico, existem outras taxas e tributos que você paga ao investir no Tesouro e como bom investidor, deve estar ciente de cada uma delas.

Taxa de custódia

Essa é a taxa cobrada pela B3 para custodiar e intermediar a negociação entre você e o Tesouro. A taxa de custódia do Tesouro Direto é equivalente a 0,25% ao ano. Essa taxa incide sobre o total aplicado e não somente sobre a rentabilidade.

Imposto de Renda

Esse é o maior custo de investir no Tesouro Direto. Ele diminui de acordo com o tempo que você deixa seu dinheiro aplicado. Ou seja, a tabela é regressiva:

  • Até 180 dias = alíquota de 22,5%
  • De 181 a 360 dias = alíquota de 20%
  • De 361 a 720 dias = alíquota de 17,5%
  • Acima de 720 dias = alíquota de 15%

Saiba mais sobre o IR no Tesouro

IOF

Ele começa em 96% do rendimento no primeiro dia de investimento e 0% ao fazer o resgate com 30 dias de aplicação. Então, evite resgatar no primeiro mês. 

Nº DiasAlíquotaNº DiasAlíquotaNº DiasAlíquota
196%1163%2130%
293%1260%2226%
390%1356%2323%
486%1453%2420%
583%1550%2516%
680%1646%2613%
776%1743%2710%
873%1840%286%
970%1936%29 3%
1066%2033%300%

 

Spread do Tesouro Direto

O Spread do Tesouro Selic incide apenas sobre o rendimento e apenas se você resgatar antecipadamente. Ele é a diferença entre a taxa de investimento combinada no momento da aplicação e a taxa praticada no momento do resgate.

Ou seja, o Tesouro Nacional se você comprar um título e revender alguns minutos depois, o Tesouro Nacional o desvalorizará em 0,01%.

Outras Dúvidas Comuns sobre o Tesouro Nacional

Quando foi criado o Tesouro Nacional?

O Tesouro Nacional nasceu junto com a Secretaria do Tesouro Nacional em 10 de março de 1986, por meio do Decreto nº 92.452.

A secretaria assumiu as atribuições da Comissão de Programação Financeira e da Secretaria de Controle Interno do Ministério da Fazenda, incorporando também as funções fiscais até então desempenhadas pelo Banco Central e Banco do Brasil S/A.

Quem controla o Tesouro Nacional?

Atualmente, o Tesouro Nacional é coordenado pelo Mansueto Facundo de Almeida Jr., ele é considerado um dos maiores especialistas em contas públicas no país.

Como declarar títulos do Tesouro Direto no Imposto de Renda?

O pagamento do IR é feito na hora do resgate, de forma automática e você só é obrigado a informar os seus rendimentos se tem mais de R$ 300 mil de patrimônio ou se recebeu rendimentos que ultrapassam R$ 40 mil no ano (salário, investimentos, aluguel, entre outros).

No site da Rico, basta baixar o Informe de Rendimentos e então instalar o programa do Imposto de Renda. Então, escolha a opção “Campo 5 – Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”.

Em seguida, clique em “Rendimentos de Aplicações Financeiras” e preencha, primeiramente, o saldo do Tesouro Direto equivalente ao valor de aquisição, no período de 31 de dezembro de 2017 até 31 de dezembro de 2018.

Além disso, é necessário informar o rendimento líquido pago ou creditado no intervalo de tempo considerado.

Conclusão

Uma mulher à mesa de uma lanchonete com um notebook à frente mexendo no celular em referência ao tesouro nacional
Pronto para investir no Brasil?

Como vimos, a Secretaria do Tesouro Nacional é um importante órgão do Ministério da Economia. Ela é encarregada de administrar e contabilizar a dívida pública da União, manter equilíbrio nas contas públicas e emitir títulos de dívida do Tesouro.

Esses títulos são comercializados através do sistema do Tesouro Direto. 

Se você está começando a investir agora, é recomendado que você inicie sua carteira de aplicações pelo Tesouro Selic.

Confira alguns dos nossos canais onde você pode aprender mais gratuitamente:

A grande missão da STN é ajudar a economia ter superávit. Ou seja, uma receita positiva e estável. Desde 2014, nós não conseguimos manter um balanço positivo. 

Isso é péssimo para o mercado financeiro, que se torna pessimista em relação ao país. É como analisar uma empresa que está dando prejuízo há meia década. Por essa razão, é fundamental que a reforma da previdência e outras reformas estruturais sejam aprovadas.

Esse é o caminho mais rápido para colocar o Brasil de volta à rota do crescimento.

Se tiver alguma dúvida ou comentário sobre o artigo, deixe o seu recado logo abaixo!

Bons investimentos!


março 13, 2019

Quais As Melhores Corretoras Para Tesouro Direto – Como Escolher  

Escolher uma corretora para Tesouro Direto é um dos primeiros passos para fazer o seu dinheiro render de verdade.

Mesmo com os juros baixos da economia, os títulos públicos continuam a oferecer taxas de rentabilidade bastante atrativas, principalmente em relação a outras aplicações como a poupança.

Além disso, o Tesouro Direto pode ser entendido como um investimento mais seguro do que a poupança.

Então, este pode ser o momento ideal para deixar a caderneta de lado e investir em uma opção mais vantajosa.

Lembre-se de que você precisará de uma corretora do Tesouro Direto confiável. Caso contrário, investir pode se tornar uma tarefa difícil e cara.

Neste artigo, você vai conhecer dicas incríveis e tudo o que você deve saber para escolher a melhor instituição para fazer o seu patrimônio crescer a partir de hoje.

Se você tiver qualquer dúvida, deixe um comentário no final da página.

Boa leitura!

Como Funciona o Investimento no Tesouro Direto Através de uma Corretora

A corretora para Tesouro Direto funciona como uma ponte entre você e o mercado financeiro. Basicamente, a sua função é enviar e efetivar a compra dos títulos.

Por isso, para investir em títulos públicos, você precisa ter uma conta em uma instituição como esta.

Toda corretora que atua no Tesouro Direto passa por um processo de certificação da CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Além disso, a B3 monitora todas as operações realizadas para garantir a segurança dos investidores.

Então, a corretora para Tesouro Direto precisa estar habilitada e devidamente cadastrada no sistema do Tesouro Nacional.

Para o investidor, o investimento consiste no envio da ordem de compra para a instituição. De acordo com o horário de negociação, a operação será efetivada no mesmo dia.

Em até dois dias úteis, o título escolhido já estará sob a sua custódia. A grande vantagem é que o seu dinheiro já começa a render mesmo durante o período de liquidação.

Diferença entre aplicar em Tesouro pelo banco e pela corretora

Os bancos não costumam ser boas instituições para investir o seu dinheiro. Em relação aos títulos públicos, a história não muda.

Geralmente, você terá à disposição apenas os ativos ofertados pelo seu gerente. Sem contar que a rentabilidade tende a ser menor. Na Rico, por exemplo, além do Tesouro Direto, você tem à disposição centenas de outros tipos de aplicações de qualidade.

Assim, a corretora para Tesouro Direto é sinônimo de liberdade e rendimento. Com ela, é possível investir sem taxas, como na Rico.

Além disso, você aplica sem sair de casa e em qualquer horário, pois as negociações são totalmente online. 

Por fim, a corretora para Tesouro Direto costuma oferecer funcionalidades para ajudá-lo a tomar a melhor decisão quanto ao seu capital, como o simulador de Investimentos e a aplicação automática.

Ao optar por um banco, a tendência é contar apenas com a opinião do seu gerente que, muitas vezes, é influenciada pelas metas dele.

Então, se você quer fazer o seu dinheiro render de verdade, optar por uma corretora para Tesouro Direto tende a ser a melhor alternativa.

Quais As Melhores Corretoras Para Investir no Tesouro Direto [Ranking]

corretora tesouro direto ranking
A Rico é uma das líderes em negociação de títulos públicos no Brasil

Conhecer o ranking das corretoras de Tesouro Direto é um importante passo rumo ao crescimento do seu dinheiro.

Lembre-se de que é preciso fazer uma escolha cautelosa, pois os títulos públicos não possuem garantia, como a do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) presente no CDB.

Caso você invista por uma corretora de Tesouro Direto sem habilitação, é possível perder todo o capital aplicado.

Portanto, conheça agora a lista das melhores corretoras de Tesouro Direto de 2018, segundo o número de transações:

Rico
XP Investimentos
Modal
Easynvest
Itaú
BB Banco de Investimento
Clear
Bradesco
Caixa Econômica Federal
Intermedium

Por Que a Rico é Taxa ZERO para Tesouro Direto?

Desde julho de 2017, a Rico zerou as taxas de administração e custódia para o investimento em títulos públicos.

O objetivo das isenções é incentivar os investidores, principalmente, os iniciantes a aplicar no Tesouro Direto.

Isso porque, este ativo é um dos mais rentáveis e seguros do país. Sem contar que rende muito mais do que a poupança.

De acordo com o relatório do Tesouro Nacional, referente a janeiro de 2019, o número de investidores atingiu mais de 3,3 milhões, que representa uma expansão de 76,2% em 12 meses. 

Este aumento é um dos reflexos da taxa zero e da redução da taxa de custódia do Tesouro Direto. 

Portanto, este pode ser o momento ideal para começar a investir em títulos públicos e fazer o seu dinheiro render mais. 

{{cta(’02e4b44e-194e-49c9-9c9d-e47c13bdb225′)}}

Como Investir em Tesouro Direto com a Corretora Rico

corretora tesouro direto investir
Saiba como fazer o seu capital render em apenas 4 passos 

Agora que você já sabe que a Rico é uma das melhores corretoras do Tesouro Direto do Brasil e que os títulos públicos podem ser boas alternativas para o seu dinheiro, chegou a hora de aprender como aplicar.

Para isso, preparamos um passo a passo completo para você começar a investir ainda hoje. Confira:

Passo 1: Abra a sua conta

O processo de abertura de conta na Rico é rápido e sem complicações. Basta inserir as suas informações pessoais, como nome e CPF. Crie também um login e senha.

Agora, é só aguardar o nosso retorno por e-mail.

Passo 2: Transfira

Já recebeu o nosso retorno? Então, transfira o dinheiro a ser investido no Tesouro Direto, da sua conta bancária para a conta da corretora.

Esta operação deve ser feita através de TED de mesma titularidade.

Passo 3: Entre na sua plataforma

Agora, entre na sua plataforma de investimentos e escolha a opção “Tesouro Direto”. Aqui, você encontrará os títulos disponíveis para compra com as respectivas taxas e aportes mínimos.

Passo 4: Invista

Já escolheu o título ideal para a sua carteira? Então, clique em “Comprar”. Insira o valor que será investido e a sua assinatura eletrônica. Clique novamente em “Comprar”.

Pronto! Você acaba de fazer o seu primeiro investimento através da corretora de Tesouro Direto com taxa zero. A partir de agora, o seu dinheiro já começou a crescer.

Na Rico, você também pode fazer o investimento programado. Basta selecionar esta opção e, mensalmente, o valor informado será automaticamente investido no ativo do Tesouro Direto escolhido.

6 Dicas Para Quem Quer Comprar Tesouro Direto Pela Primeira Vez

corretora tesouro direto dicas
O conhecimento é um dos seus maiores aliados na hora de aplicar

Investir em título públicos costuma ser uma boa opção para todos os investidores. Se este será o seu primeiro investimento, é comum ter dúvidas de como começar.

Então, trazemos dicas matadoras para ajudá-lo a dar mais esse passo na sua vida financeira.

A primeira delas, já mostramos neste artigo, que é investir através da corretora de Tesouro Direto que oferece as melhores taxas e é de confiança, como a Rico.

Agora, conheça mais 6 dicas e comece a fazer o seu patrimônio crescer ainda mais:

1. Defina o prazo

Todos os investimentos de renda fixa possuem prazo de vencimento. No Tesouro Direto, ele costuma ser em torno de três anos.

Então, antes de investir, você deve avaliar o tempo em que deseja deixar o seu capital aplicado, isto é, o intervalo de tempo em que você não precisará deste valor.

Para definir este prazo, o ideal é seguir a nossa próxima dica.

2. Qual é seu objetivo?

Investir sem um objetivo é como viajar sem rumo. Não há como ter certeza se você está no caminho certo.

Então, faça o levantamento das metas que você deseja realizar ao investir o seu dinheiro.

Tenha em mente que os investimentos podem acelerar a realização dos seus maiores sonhos, como alcançar a independência financeira, fazer a sua festa de casamento ou comprar um automóvel.

Depois de definir quais são os seus objetivos, faça o planejamento do prazo de realização deles.

A tendência é de que você se mantenha motivado e continue a investir, recorrentemente, o seu capital.

3. Estude o melhor título para seus objetivos

Uma das boas práticas para investir e obter bons resultados é escolher o investimento certo para as suas necessidades.

Então, você pode alinhar os seus objetivos como investidor às suas escolhas de ativos, por exemplo, para a reserva de emergência, o Tesouro Selic pode ser a melhor alternativa, pois oferece liquidez diária e o resgate antecipado não implica em perdas.

Caso a sua principal meta seja manter o seu poder de compra ou um sonho para médio e longo prazos, o Tesouro IPCA+ tende a ser uma escolha assertiva.

Já se você aposta na queda dos juros da economia ou pretende investir com foco em obter uma determinada quantia, o Tesouro Prefixado pode ser o melhor ativo.

De forma geral, os títulos públicos são bons investimentos para objetivos de médio e longo prazos, pois eles contam com os juros compostos para fazer o seu dinheiro render mais.  

4. Conheça as taxas do investimento no Tesouro

Mesmo que você invista através de uma corretora de Tesouro Direto com taxa zero, há outros custos a serem considerados.

O primeiro deles é o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Ele incide de forma regressiva apenas nos primeiros trinta dias de aplicação. Caso você solicite o resgate neste período, terá que pagar este tributo.

Além deste, há também o IR (Imposto de Renda). Ele possui alíquota regressiva e segue a tabela abaixo:

Tempo de aplicaçãoAlíquota do IR (%)
Até 180 dias22,5
De 180 a 364 dias20,0
Entre 364 e 720 dias17,5
Acima de 720 dias15

Tabela do Imposto de Renda no Tesouro Direto – Fonte: Receita Federal

Perceba que quanto maior o tempo de investimento, menor será a alíquota paga à Receita Federal.

O Tesouro Direto também possui a taxa de custódia. Ela é cobrada pela B3. O custo anual é de 0,25% ao ano e é descontada semestralmente.

5. Simule rendimentos

Para escolher o melhor título para a sua carteira, uma das melhores alternativas é simular os rendimentos do seu capital em cada título.

A corretora de Tesouro Direto, como a Rico, costuma disponibilizar simuladores específicos para você ter uma previsão de quanto o seu dinheiro deverá render até o vencimento.

Simule quantas vezes você quiser e escolha a mais adequadas segundo os seus objetivos.

6. Não resgate o Tesouro antes do vencimento

Apesar de que o Tesouro Direto possui liquidez diária, é preciso lembrar que a sua venda é feita a preço de mercado, ou seja, o seu título poderá ter um valor maior ou menor do que você pagou.

Portanto, o resgate antecipado pode trazer perdas de rentabilidade, principalmente no Tesouro IPCA+ e no Tesouro Prefixado.

O ideal é investir e manter os títulos na sua carteira até a data do vencimento. Assim, você receberá o valor investido já corrigido mais os rendimentos acertados no momento da compra.

Ao invés de resgatar antes do prazo, invista mensalmente uma parte dos seus ganhos. Os resultados tendem a ser mais vantajosos no futuro.

Conclusão

corretora tesouro direto conclusao
Abra a sua conta na Rico e comece a investir agora mesmo!

A corretora do Tesouro Direto é a responsável por interligar você ao mercado de títulos públicos.

Então, ela deve oferecer serviços de qualidade, transparência no repasse dos rendimentos e funcionalidades que ajudam na hora de investir, como um Simulador de Investimentos.

Antes de escolher a corretora para Tesouro Direto, avalie se ela atende a estes requisitos e se está habilitada para atuar no programa do Tesouro Nacional.

Desta forma, você pode evitar dores de cabeça no futuro e fazer o seu dinheiro render de verdade e com segurança.

A Rico é conhecida como uma das melhores corretoras para investir no Tesouro Direto no Brasil.

Para usufruir de todas as nossas vantagens e ainda aproveitar a TAXA ZERO, você só precisa abrir a sua conta agora mesmo.


fevereiro 18, 2019

Calculadora de Tesouro Direto: como funciona passo a passo  

A calculadora do Tesouro Direto é uma ferramenta muito útil para comparar investimentos da renda fixa e escolher a melhor aplicação de acordo com os seus objetivos.

Nos últimos anos, os títulos públicos têm trazido rendimentos consistentes e atrativos. 

Além disso, este é um tipo de investimento mais seguro e dinâmico do que a própria poupança.

Mas como o mercado financeiro oferece diversos ativos, é comum ter dúvidas sobre qual escolher, mas por isso estamos aqui e vamos ajudá-lo a tomar a melhor decisão para que você invista com inteligência.

Uma das coisas mais importantes que você precisa entender é que cada título possui um tipo de comportamento. Isso mesmo. Você, como investidor, deve conhecer esse comportamento, pois ele define o risco da aplicação, rendimento e outros aspectos.

Para entender o comportamento de algo, nada como simular e analisar os seus resultados. 

Por isso, neste artigo, vamos mostrar como funciona a calculadora do Tesouro Direto e como você pode simular os seus ganhos a partir de agora:

  • Como calcular o investimento do Tesouro Direto?
  • Entenda como funciona a calculadora do Tesouro Direto
  • Simulando os rendimentos na calculadora do Tesouro Direto passo a passo
  • Exemplos de cálculo da rentabilidade do Tesouro com aportes mensais
  • Qual a melhor forma de investir no Tesouro Direto?
  • Como começar a investir no Tesouro Direto hoje mesmo

Se você tiver qualquer dúvida, deixe um comentário no final da página.

Boa leitura!

Como calcular o investimento do Tesouro Direto?

calculadora tesouro direto
O cálculo considera que os indexadores permaneçam estáveis ao longo do tempo

A calculadora do Tesouro Direto faz as suas operações com base no tipo de título escolhido. Basicamente, há três categorias:

  • Atrelados à inflação
  • Indexados à taxa Selic
  • Prefixados

Os títulos atrelados à inflação possuem rendimento híbrido, ou seja, há uma parte fixa e a outra é pós-fixada, por exemplo, 4,0% + IPCA.

Assim, a calculadora do Tesouro Direto faz uma previsão do quanto o seu dinheiro poderá render considerando que a inflação permaneça constante até a data do resgate.

Caso o IPCA aumente, os seus rendimentos também sobem e vice-versa.

O Tesouro Direto Selic possui uma taxa de rentabilidade muito próxima da taxa Selic. Isso significa que ele rende conforme o andamento deste indexador.

Neste caso, a calculadora considera que a taxa Selic se manteve estável até a data do vencimento.

Portanto, você só precisa multiplicar o valor investido pela taxa básica de juros do período, por exemplo, 6,50% ao ano.

Já o título prefixado consiste em uma taxa de rentabilidade fixa, como 9,0% ao ano, por exemplo. Assim, basta multiplicá-la pelo total aplicado.

Mesmo que pareça uma conta simples, é preciso lembrar que estes ativos trabalham com juros compostos. Isso significa que o seu capital rende juros sobre juros.

Então, contar com uma calculadora do Tesouro Direto é o melhor jeito para realmente saber qual investimento escolher.

Entenda como funciona a calculadora de Tesouro Direto

calculadora tesouro direto entenda
Na Rico, você pode comparar o desempenho dos ativos desejados com outros investimentos e índices

A calculadora do Tesouro Direto faz uma previsão de rentabilidade do seu capital de acordo com o tempo.

Tenha em mente que ela pode servir como parâmetro na hora de montar a sua carteira, já que você pode comparar com outros ativos como CDBs, LCIs e LCs.

Este fato deve ser considerado porque os indexadores da economia tendem a variar com o tempo. Um exemplo disso é a taxa Selic, que, nos últimos três anos, foi de 14,25% para 6,50% ao ano.

Assim, a calculadora do Tesouro Direto não pode prever com precisão estes tipos de situações.

De toda maneira, ela costuma ser uma grande aliada. Até mesmo durante a escolha dos títulos públicos.

Afinal de contas, você vai investir onde há maior potencial de ganhos de acordo com o seu perfil e objetivos, não é mesmo?

Simulando rendimentos da calculadora de Tesouro Direto passo a passo

Simular os rendimentos de um ativo financeiro pode ajudá-lo definir o futuro do seu capital, independente se você é iniciante ou experiente.

Isso porque os títulos públicos variam com base nas projeções dos juros futuros do Brasil.

Obviamente, se você já investiu, não é necessário se preocupar com estas oscilações, a menos que faça um resgate antecipado. Do contrário, você receberá exatamente o que foi decidido no momento da compra.

Aqui na Rico, disponibilizamos aos nossos clientes um Simulador de Investimentos, que inclui uma calculadora do Tesouro Direto.

Esta pode ser a ferramenta que falta para você tomar a decisão mais assertiva e fazer o seu dinheiro crescer a partir de agora.

Lembre-se de que o Simulador de Investimentos da Rico permite a simulação de diversos investimentos, como CDB, LCI, ações e Fundos de Investimentos.

Incrível, não é mesmo? Você só precisa digitar o nome do ativo e obter os resultados.

Assim, é possível compará-lo com o desempenho de indicadores importantes, por exemplo, o Ibovespa (IBOV), o CDI e até mesmo com a poupança.

Para ter acesso ao Simulador de Investimento, basta abrir a sua conta na Rico.

Se você quer fazer o seu dinheiro render de verdade, siga este passo a passo e veja o quanto ele pode crescer:

Passo 1: Abra a sua conta

A abertura de conta na Rico é muito simples. Informe os seus dados pessoais, crie um login e senha. Agora, é só esperar o nosso retorno por e-mail.

Passo 2: Transfira

Faça a transferência do valor a ser investido no Tesouro Direto para a sua conta da corretora.

Para isso, basta fazer um TED de mesma titularidade da sua conta bancária.

Passo 3: Acesse a sua plataforma

Agora, entre na sua plataforma de investimentos e clique na opção “Simulador de Investimentos”, como mostrado abaixo:

calculadora tesouro direto rico

Calculadora do Tesouro Direto da Rico – Tela capturada em 07/02/19

Passo 4: Simule

Simule os seus rendimentos na calculadora do Tesouro Direto. Escolha a opção “Adicionar um novo produto”.

Neste campo, você deve digitar o nome do título desejado e a taxa correspondente, por exemplo, Tesouro IPCA+ 2035 com taxa de 4,25%. O resultado será como mostrado a seguir:

calculadora tesouro direto resultado
calculadora tesouro direto comparacao

Calculadora do Tesouro Direto da Rico – Tela capturada em 07/02/19

Perceba que a calculadora do Tesouro Direto trouxe os comparativos com o CDI e a poupança pelo período de um ano.

Ao utilizá-la, você pode simular e comparar quantos ativos quiser. Sem contar que é possível mudar o tempo de simulação.

Muito simples, não é mesmo? Que tal abrir a sua conta na Rico e utilizar a calculadora do Tesouro Direto a partir de agora?

Exemplos de cálculo da rentabilidade do Tesouro com aportes mensais

calculadora tesouro direto exemplos
O efeito do investimento recorrente é ainda maior no futuro

Investir mensalmente pode ser um dos segredos do sucesso dos grandes investidores, como Luiz Barsi e Warren Buffett.

Ao destinar parte dos seus ganhos de forma recorrente, a tendência é de que você obtenha um montante maior do que apenas ao aplicar apenas uma vez.

Para mostrar como isso é possível, preparamos algumas simulações e comparativos. Veja:

Digamos que você pretende investir R$ 300,00 mensalmente no Tesouro Selic. Caso você apenas poupasse este valor, no final de 12 meses, o montante seria de R$ 3.600,00.

Já ao aplicar, o capital chegaria a R$ 3.721,60, ou seja, R$ 121,00 a mais.

Agora, vamos simular os mesmos R$ 300,00 mensais no Tesouro IPCA+ com taxa de 4,20% + IPCA.

Depois de dois anos de aplicação, o resultado previsto seria de R$ 10.679,91. Ao apenas poupar, o montante ficaria em R$ 7.200,00, ou seja, uma diferença acima de R$ 3.000,00.

Já em cinco anos de investimento, a calculadora do Tesouro Direto indica um capital de R$ 23.850,85, que traz cerca de R$ 5.000 a mais para o seu patrimônio.

Por fim, vamos simular os R$ 300,00 mensais em um título prefixado com taxa em torno de 8,50% ao ano.

Após um ano de aplicação, a calculadora do Tesouro Direto prevê que você poderia ganhar o montante de R$ 3.743,73. Este valor representa ganho acima de R$ 500,00 caso você optasse por apenas guardá-lo.

Já ao final de seis anos de investimento, o capital obtido poderia ser de R$ 27.068,98, o que representa cerca de R$ 6.000 a mais no seu patrimônio.

Todas as simulações feitas acima são baseadas na rentabilidade histórica dos produtos.

Com estas simulações da calculadora do Tesouro Direto, perceba o quanto o seu dinheiro pode render quando investido.

Então, se você deseja realizar os seus maiores sonhos, como uma aposentadoria de qualidade, custeio dos estudos dos filhos ou fazer aquela viagem de férias, a hora de investir é agora.

Qual a melhor forma de investir no Tesouro Direto?

calculadora tesouro direto investir
Invista em títulos públicos com valores a partir de R$ 30,00

O investimento no Tesouro Direto pode ser feito através de aportes mensais, em apenas uma aplicação única ou misturando os dois.

Então, a melhor forma de investir depende de fatores pessoais e financeiros. Primeiramente, você precisa entender como estão as suas finanças.

Uma dica é fazer um planejamento financeiro, com planilhas ou aplicativos para smartphone.

Assim, você saberá o quanto pode investir mensalmente ou o montante disponível para aplicar.

Depois disso, é essencial definir os seus objetivos e os prazos para a concretização de cada um deles, por exemplo, comprar um imóvel de R$ 200 mil em 5 anos.

Portanto, ao ter estas definições, basta pesquisar pelos títulos mais adequados ao seu perfil de investidor.

De forma geral, os investimentos mensais no Tesouro Direto trazem bons resultados ao longo do tempo.

Além disso, o seu dinheiro estará protegido da inflação, ou seja, em vez de desvalorizar ele deverá crescer.

Já o aporte em uma única vez pode ser vantajoso quando você investe hoje com o objetivo de obter um valor exato no futuro.

De toda maneira, o ideal é poupar e investir. O cultivo destes dois hábitos tende a trazer resultados incríveis ao longo do tempo.

Lembre-se de que é possível aplicar em títulos públicos mesmo com pequenos aportes mensais, pois o preço mínimo é de cerca de R$ 100,00.

Como começar a investir no Tesouro Direto?

calculadora tesouro direto como investir
Na Rico, você investir em títulos públicos com taxa zero

Depois de conhecer a calculadora do Tesouro Direto e ver o quanto o seu dinheiro pode crescer, chegou a hora de colocar a mão na massa.

Tenha em mente que quanto antes você começar a investir, mais o seu patrimônio tende a crescer.

Um exemplo disso, é o ganho de capital dos investidores do Tesouro Direto que compraram os ativos em 2015. Com a queda dos juros da economia, o rendimento já supera os 20% até hoje.

Então, o momento certo de investir é agora! 

Invista em Tesouro Direto na Rico

Aqui na Rico, você investe no Tesouro Direto a qualquer momento e com TAXA ZERO. Você terá apenas os custos com os tributos e a taxa de custódia da B3.

Em janeiro de 2019, o Tesouro Nacional anunciou a queda da taxa de custódia, o que deve tornar este investimento ainda mais rentável.

Na Rico, além da calculadora do Tesouro Direto, você também pode contar com o nosso Simulador do Tesouro Direto. Com estas ferramentas em mãos, você tem tudo para fazer ótimos investimentos.

Se você ainda tem pouco conhecimento sobre o mercado financeiro, títulos públicos e afins, a Investv pode ajudá-lo. Há diversas salas de aprendizado, como a Escola de Investidores e a Ponto a Ponto.

Todas estas vantagens não possuem qualquer custo e você só precisa abrir a sua conta agora mesmo.

Conclusão

calculadora tesouro direto conclusao-1
Abra a sua conta e comece a investir ainda hoje!

A calculadora do Tesouro Direto é uma ferramenta importante para todos os investidores, pois ela mostra a previsão de rendimentos do patrimônio.

Desta forma, é possível comparar o desempenho de cada título em relação a indicadores do mercado, como o CDI e como a poupança.

Assim, você pode saber se o ativo paga rendimentos justos. Bem como, se eles estão alinhados aos seus objetivos como investidor.

No momento atual, os títulos públicos continuam ofertando rentabilidades bastante atrativas. Sem contar que são seguros e possuem liquidez imediata.

Mas, antes de investir, você deve utilizar uma calculadora do Tesouro Direto, como a disponibilizada pela Rico, para simular os seus rendimentos e escolher o melhor.

Para ter acesso a esta ferramenta e aplicar com taxa zero, você só precisa abrir a sua conta agora mesmo.

Este artigo foi útil para você? Então, deixe o seu comentário.

Continue a aprender sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

Abrir-Conta-Rico-Investimentos