maio 28, 2020

Renda fixa prefixada ou indexada à inflação: como escolher  

Deixando de ignorar “o elefante na sala”, ou melhor, o tigre asiático, mercados repercutem a aprovação da nova lei de segurança chinesa, que aumenta a interferência da China sobre Hong Kong. Isso coloca em dúvida a independência da região autônoma como centro financeiro e acirra o conflito com os EUA, que respondeu removendo o status de cidade autônoma que tinha desde 1997.

Futuros do S&P 500 amanheceram no zero a zero, enquanto Dow Jones subiu um modesto 0,3%, após terem avançado forte nos últimos dois pregões com o otimismo das reaberturas de economias e pesquisas de vacinas.

Já o Nasdaq, que reúne empresas de tecnologia, recuou 0,47%. O índice repercute o tuíte de Donald Trump sobre a possibilidade de penalizar as empresas de tecnologia por conta de uma possível interferência nas eleições desse ano.

Twitter do Trump

Cenário no continente europeu

Na Europa, os mercados avaliam a proposta de um pacote de estímulos que totaliza 2,4 trilhões de euros. A cesta de ações Euro Stoxx 600 subiu cerca de 0,7% nesta manhã.

O programa tem como base um plano apresentado na semana passada por França e Alemanha e permitiria transferências de recursos entre os membros – isso seria um marco na união das finanças dos 27 países da UE e poderia fortalecer o euro.

Cenário no Brasil

Ontem o Ibovespa fechou com alta de 2,9% a 87.946 pontos, seguindo o otimismo internacional e diante da possibilidade de Jair Bolsonaro aprovar o pacote de socorro a estados e municípios com veto a reajuste salarial de servidores publicado hoje no Diário Oficial da União.

A agenda de hoje traz como destaques a divulgação da taxa de desemprego brasileira no trimestre encerrado em abril, a nota de crédito do Banco Central e o resultado primário do governo central. No exterior, os Estados Unidos publicarão a segunda leitura do Produto Interno Bruto (do primeiro trimestre de 2020 e os novos pedidos de seguro desemprego).

A Renda Fixa pode variar

Se você acompanha os materiais da Rico, já leu mais de uma vez que a renda fixa nem sempre é fixa. Os exemplos mais conhecidos dessa história são o Tesouro IPCA (NTN B) e o Tesouro Prefixado, cujos preços variam diariamente muitas vezes com volatilidade digna de bolsa de valores.

Só para dar um exemplo, veja abaixo a variação do preço do Tesouro IPCA + 2035 nos últimos 90 dias retirada do site do próprio Tesouro Direto.

Gráfico da  variação do preço do Tesouro IPCA

Isso acontece porque a remuneração considerada justa para papéis como esses varia de acordo com as perspectivas para a economia. A taxa paga hoje pode ser muito menor do que a estabelecida um mês atrás para um mesmo título.

Com isso, quem comprou papéis na época em que a remuneração era maior tem hoje um ativo muito mais interessante em mãos e pode vendê-lo a um preço mais alto ou segurar até o seu vencimento e garantir essa rentabilidade contratada.

Mas esse tipo de remuneração não existe apenas no Tesouro Direto. A plataforma da Rico tem, por exemplo, CDBs, LCs, LCAs, LCIs, Debêntures e CRAs com remuneração prefixada ou atrelada à inflação neste exato momento.

Dê olho na Selic

Em um cenário de Selic historicamente baixa – em 3% agora – e expectativa de novos cortes, muitos investidores em busca de uma rentabilidade mais interessante na renda fixa correm para os títulos que não remuneram conforme o CDI ou a própria Selic.

Isso é muito válido para quem já tem a reserva de emergência encaminhada já que normalmente esses investimentos não possuem tanta liquidez (e os prazos de resgate podem ser bem distantes). Mas não custa repetir: se você não tem a reserva de emergência ainda, precisa ter uma parte do patrimônio disponível para saque imediato.

Um levantamento feito pela XP pelo buscador de investimentos Yubb, mostra que o valor médio dos prêmios oferecidos pelos produtos bancários (como CDBs, LCIs e LCAs) se aproximou da máxima de 9% em março em papéis com retornos prefixados com prazos de dois anos – vencimento médio procurado pelos investidores. Em 2019 a maior taxa havia sido de 7,9% no mês de agosto.

O movimento de abertura dos prêmios também pode ser visto nos papéis pós fixados, com juros reais chegando à máxima de 3 nos indexados à inflação.

Títulos prefixados ou indexados à inflação?

Ok, mas como escolher entre os títulos prefixados e os indexados à inflação? É disso que vamos falar a partir de agora.

O principal fator a ser levado em conta nessa hora é a expectativa para a inflação daqui para frente. Basicamente, se a expectativa é de alta da inflação dentro do período do investimento, pode fazer mais sentido apostar em papéis que usam o IPCA como indexador da remuneração. Vou explicar isso melhor.

Os títulos prefixados pagam exatamente a mesma rentabilidade do início ao fim do contrato. É a remuneração mais previsível do mercado.

Já aqueles indexados à inflação também são conhecidos como pós fixados, porque pagam uma taxa pré-estabelecida somada à variação da inflação no período (normalmente medida pelo IPCA) – ou seja, você vai receber uma remuneração real por segurar o título até o vencimento.

Como dissemos antes, a remuneração tem base em perspectivas econômicas. Para definir a remuneração dos títulos prefixados, os emissores normalmente usam uma expectativa de inflação como base. A ideia é que, se a expectativa se cumprir, os títulos pré paguem aproximadamente o mesmo que os de inflação.

Não entendeu? Imagine que um banco vai emitir dois títulos, um pré e um de inflação, ambos com vencimento em daqui um ano. A expectativa dessa instituição é que a inflação fique em 2% no período.

Se a opção dessa instituição for por remunerar o investidor com 3% ao ano mais a inflação, nesse cenário, ela provavelmente irá emitir seu título prefixado pagando algo em torno de 5% ao ano também, mantendo um certo equilíbrio na remuneração oferecida.

E é aí que entra a visão de mercado do investidor. Se você, por alguma razão, discorda da expectativa desse banco fictício e acha que a inflação vai subir apenas 1% no ano, faz muito mais sentido investir no título prefixado, que te garante 5%.

Na outra ponta, quem tem uma avaliação de que a inflação deve ser maior que 2% provavelmente irá escolher o título indexado, para ganhar mais de 5% ao ano e garantir ganho real.

Tá, mas eu quero respostas: o que vocês recomendam agora? Nesse momento, a nossa visão é que as incertezas para o cenário econômico no Brasil, principalmente o risco fiscal, trazem a possibilidade de uma alta da inflação.

Nesse cenário, a possibilidade de ganhos com os títulos prefixados (que ocorrem basicamente quando a inflação vem abaixo da expectativa) são menores. Por tudo isso, não estamos recomendando títulos prefixados especificamente agora, preferindo os atrelados à inflação.

Algumas das nossas sugestões aqui na Rico agora são CDBs do Banco Omni com rentabilidade de IPCA +4,85% a.a. e vencimento daqui 5 anos e do Banco Fibra com remuneração de +4,95% a.a. IPCA, também vencendo daqui 5 anos.