junho 23, 2020

7 investimentos sem Imposto de Renda (O 3º é incrível)  

Investimentos sem Imposto de Renda estão ao alcance de todos os perfis.

Afinal, são diversas as modalidades de aplicações isentas da tributação.

Mas, ainda assim, muita gente ainda acha que só tem a caderneta de poupança para investir dinheiro de forma segura.

Não caia você também neste erro.

Além de oferecer um rendimento muito baixo, que por vezes perde até para a inflação, a poupança não é mais segura do que outros investimentos.

Entre eles, estão alguns isentos da cobrança do Imposto de Renda.

Além da ilusão da caderneta, existem mitos sobre aplicações financeiras e impostos que afastam possíveis novos investidores. 

Muitos se perguntam: “Se investir, serei obrigado a declarar Imposto de Renda?”

A resposta é claro que não! 

Para começar, você só é obrigado a declarar o ajuste de renda anual se os seus rendimentos (salários e rentabilidade de investimentos) forem maiores que R$ 40.000 ao ano.

Você também deve declarar caso o total dos seus bens (aplicações, imóveis, veículos, etc.) ultrapassem R$ 300.000.

Enquanto seus investimentos e rendimentos não ultrapassaram esses limites, você está livre do compromisso de acertar as contas com o Leão.

Assim, deixar de investir por causa dos impostos é um engano

Cada dia que o seu dinheiro passa parado na conta corrente ou na poupança é um dia a menos de rentabilidade. 

Você está tendo prejuízo agora mesmo. Já parou para pensar?

Então, continue lendo para descobrir investimentos sem Imposto de Renda.

Neste artigo, vamos mostrar as aplicações mais rentáveis e como elas funcionam. 

Lembrete: o prazo de envio da declaração de IR 2020, que se encerraria no dia 30 de abril, foi prorrogado até dia 30 de junho.

Boa leitura!


Por que alguns investimentos são isentos de IR?

Um homem parado olhando para o horizonta e, sobreposta, uma imagem de gráficos, em referência aos investimentos sem imposto de renda
Não utilize a incidência do IR como fator decisório para escolher ativos.


Vamos deixar algumas coisas claras antes de mostrar as aplicações isentas de IR: os investimentos que não são isentos também podem ser lucrativos.

Na verdade, um investimento com incidência do Imposto de Renda pode até ultrapassar o rendimento de um ativo isento.

Essas aplicações podem possuir uma rentabilidade tão grande que compensam qualquer perda por IOF ou IR.

Outro fator muito importante é que o Imposto de Renda incide apenas sobre a rentabilidade.

Ou seja, nunca sobre o valor total aplicado.

Veja a tabela regressiva de alíquotas que é usada na maioria dos investimentos com IR:

Alíquota (%)Tempo de aplicação
22,5%Até 180 dias
20%De 181 a 360 dias
17,5%De 361 a 720 dias
15%Mais de 720 dias

Então, se é assim, por que existem aplicações sem a incidência do IR?

O que acontece é que esse tipo de ação visa estimular o aporte de recursos em áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento do país.

Mais adiante no texto, você poderá reparar em nossa lista que os investimentos isentos estão todos em áreas de infraestrutura, como no agronegócio ou no setor imobiliário.


Quais são as vantagens e desvantagens de investimentos sem Imposto de Renda

A mais óbvia vantagem de se aplicar em investimentos sem Imposto de Renda é o fato de que você não será obrigado a pagar uma fatia dos seus rendimentos de volta para o Estado.

Ou seja, o rendimento da aplicação é líquido, sem precisar fazer contas para saber quanto irá receber de fato.

Mas lembre o que falamos antes: se, por um lado, quem aplica em títulos e papéis sem IR economiza, por outro, também pode deixar de ganhar dinheiro.

Não raro um investimento com incidência do Imposto tem uma rentabilidade superior a outro que é isento – e essa diferença ultrapassa o que seria descontado pelo tributo.


7 Investimentos Sem Imposto de Renda

Se você gosta da ideia de aplicar dinheiro em investimento sem Imposto de Renda, fique de olho na lista que preparamos para você.

Aqui estão as sete melhores aplicações para esse perfil:

#1 – LCI (Letra de Crédito Imobiliário)

Prédio espelhado em zoom em referência aos investimentos sem imposto de renda
A LCI é um dos investimentos que não têm cobrança de Imposto de Renda


Esse é um investimento de renda fixa.

A LCI é emitida por bancos para conseguir recursos do mercado e, assim, oferecer capital para o setor imobiliário.

A LCI funciona como um empréstimo de dinheiro.

Nesse caso, é você que empresta ao banco e ele usa esse dinheiro para emprestar aos clientes e conseguir lucros.

Em troca, o banco devolve o seu dinheiro corrigido por uma taxa de juros.

Esse investimento é incentivado pelo governo e, por isso, é isento de Imposto de Renda.

Vamos ver um exemplo de LCI na prática?

João aplicou R$ 10 mil em um papel que paga 100% do CDI com prazo de 1.095 dias, cerca de três anos.

No vencimento, ele receberá R$ 11.137,04, totalizando 11,37% de rentabilidade e 3,65% de rendimento anual, como mostra a simulação abaixo:

investimentos-sem-imposto-de-renda-rico-2020-1
investimentos-sem-imposto-de-renda-rico-2020
Simulação LCI: Tela capturada em 28/04/2020.


Se ele tivesse feito essa aplicação na poupança, que também é isenta de Imposto de Renda, teria ganho apenas R$ 10.806,77.

Ou seja, R$ 330,27 a menos.

Então, se o Imposto de Renda é o que mantinha você na poupança, está na hora de rever suas aplicações. 

Clique e abra sua conta na Rico

#2 – LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)

Uma plantação em referência aos investimentos sem imposto de renda
A LCA é como uma irmã da LCI, mas voltada ao agronegócio

No caso da LCA, estamos falando de um investimento quase idêntico à LCI.

A única diferença é que, em vez do banco utilizar o recurso captado no segmento imobiliário, ele usa para financiar o agronegócio.

Não há uma grande diferença para o investidor entre as duas opções.

Para selecionar o melhor para você, considere dois fatores: prazo de vencimento ideal de acordo com os seus objetivos e o rendimento.

Na Rico, você não tem nenhum custo para investir em LCI ou LCA.

Nossos investidores podem aplicar em renda fixa com com taxa zero.

O risco de investir em LCI ou LCA é muito baixo, pois esse é um investimento conservador.

A única situação que poderia dar prejuízo é caso a instituição que emitiu o título desse o calote em seus investidores.

E mesmo assim, a maioria dos investimentos de renda fixa (como LCI, LCA, CDB e LC) possuem uma garantia de até R$ 250 mil fornecida pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Caso ocorra algum problema, você tem a certeza de que pode recuperar o seu dinheiro.

E a liquidez (possibilidade de resgatar antes do vencimento)?

Essas são aplicações de médio e longo prazo. Por isso, ao investir, esteja disposto a levar a aplicação até o vencimento.

Veja uma simulação que compara a rentabilidade de três LCAs com prazos diferentes e que variam no percentual do CDI utilizado em correção:

investimentos-sem-imposto-de-renda-rico-2020-2
investimentos-sem-imposto-de-renda-rico-2020-3
Simulação LCA: Tela capturada em 28/04/2020.


Observe que, em todos os papéis, a rentabilidade anual foi maior que na poupança, variando entre 3,46% e 4,14%.

Como regra geral, quanto mais distante for a data de vencimento do título e maior o percentual pago do CDI, melhor será a rentabilidade.

#3 – CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio)

Uma mulher com um notebook e, ao fundo, um trator, em referência aos investimentos sem imposto de renda
Assim como as LCI e LCA, o CRA é isento de IR e IOF para pessoas físicas

No caso do CRA, para empresas, a isenção é apenas de IOF. O IR, neste caso, continua sendo aplicado de acordo com a tabela regressiva.

Esse investimento possibilita um ótimo rendimento e a sua principal diferença está na emissão do título.

O CRA é emitido por securitizadoras (organizações que convertem dívidas em títulos lastreáveis).

Ele também é mais arriscado, pois não possui a garantia do FGC.

Então, a segurança é a saúde da empresa na qual você está investindo.

No entanto, na Rico, disponibilizamos apenas investimentos seguros que foram bem avaliados por agências de risco.  

O seu rendimento é superior aos investimentos comuns de renda fixa, pois traz um retorno acima da inflação e com isenção de tributos.

A remuneração pode ser indexada ao CDI, índices de inflação ou ser prefixada.

Os ativos mais atrativos são remunerados pelo IPCA ou IGP-M mais uma taxa, que pode ser indexada ao DI ou também prefixada. 

Os juros são pagos de forma semestral ou anual.

No entanto, o valor total só retorna no final do período, que é normalmente de 4 anos

Assim, esse é um investimento de longo prazo.

Recomendamos que não concentre uma grande parte dos seus recursos aqui para não ficar descapitalizado no curto prazo.

#4 – CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários)

CRA e CRI são títulos de crédito privado e, portanto, investimentos similares.

A real diferença está no segmento e volume de aporte. O CRA possui um valor inicial superior à maioria dos CRIs. 

Assim como em qualquer investimento, três fatores precisam ser bem avaliados antes de fazer a aplicação: prazo de vencimento, rentabilidade e risco envolvido.

Já que tanto CRAs e CRIs possuem um prazo de vencimento longo e liquidez baixa, esteja preparado para investir e deixar esse dinheiro render até o prazo.

#5 – Debêntures Incentivadas

Carregamento com muitas caixas, em referência aos investimentos sem imposto de renda
A rentabilidade pode se dar de três formas diferentes nas debêntures


Assim como a maioria dos investimentos, as debêntures são títulos de dívida.

Dessa vez, os emissores são empresas de capital aberto ou fechado que buscam uma captação de recursos para o seu caixa. 

Existem alguns tipos de debêntures: as simples, as conversíveis e as incentivadas. Cada uma possui uma característica diferente.

O que nos interessa é que as debêntures incentivadas possuem a isenção de Imposto de Renda e IOF.

Isso acontece porque elas são emitidas por empresas que fazem uso do dinheiro captado para financiar projetos de infraestrutura.

O rendimento desses ativos pode se dar de três formas diferentes: pós-fixado (CDI ou IPCA), prefixado ou híbrido (misturando as duas modalidades de rendimento).

Veja uma simulação de debênture incentivada:

  • Aplicação mínima: R$3.500
  • Rendimento: 6% + IPCA
  • Vencimento: 2059 dias
  • Valor final bruto: R$6.525,13
  • IR: sem incidência
  • Custo: zero
  • Valor final líquido: R$6.525,13.

Se você é um investidor que já possui aplicação em outros produtos e quer diversificar sem pagar IR, as debêntures incentivadas são uma excelente oportunidade. 

#6 – Rendimentos de Dividendos

Você já deve conhecer a Bolsa de Valores.

Neste ambiente, pequenas frações das empresas são comercializadas livremente.

Qualquer pessoa pode comprar uma ação e se tornar sócio de uma empresa.

Como todo sócio, você tem direito a dois rendimentos do negócio: a valorização da empresa para você vender por mais que pagou ou a divisão de lucro do negócio.

No Brasil, as empresas com ações em Bolsa de Valores devem obrigatoriamente distribuir no mínimo 25% do lucro em forma de dividendos.

As grandes empresas estáveis e com bons fundamentos oferecem bons dividendos como forma de atrair mais investidores – uma vez que o preço de suas ações podem não variar muito.

Se quiser entender mais sobre dividendos, veja esse vídeo feito pelo nosso analista-chefe, Roberto Indech:

Se você não tem ideia ou tempo para estudar as melhores empresas para comprar ações e receber dividendos, crie sua conta na Rico e verifique nossa Carteira Recomendada de Dividendos.

Nós já fizemos o trabalho duro por você!

#7 – Ganho com venda de ações até R$ 20 mil

Você pode ser isento de Imposto de Renda se vendeu até R$ 20.000 em ações no mês.

É um bom limite, mas fique atento à complexidade desse mercado.

Para começar a operar, seja em day trade (operações iniciadas e terminadas em 24 horas) ou em swing trade (dois dias ou mais), você precisa dominar a análise gráfica e análise fundamentalista.

Então, comece a estudar tudo sobre como investir no mercado de ações.

Ao criar sua conta na Rico, você terá acesso gratuito ao nosso Home Broker (sistema de compra e venda de ações) e poderá visualizar nossas recomendações.

Além disso, poderá ver como os nossos profissionais investem no mercado.

Você perceberá que todas suas decisões são tomadas com base técnica.

Então, a dica mais importante para você começar é nunca aplicar com base na sorte

Isso vale para qualquer mercado.

Seja um investidor consciente e aplique apenas quando entender como o investimento funciona.


O que avaliar para escolher o melhor investimento sem Imposto de Renda

Na hora de escolher a melhor aplicação sem Imposto de Renda, você precisa avaliar qual delas melhor se adapta a seu perfil de investidor.

É também importante manter sua carteira diversificada para garantir uma maior segurança em suas finanças.

Nesse sentido, os ativos isentos de IR podem ser interessantes, especialmente se você pretende investir para resgate em curto prazo (até 180 dias).


Poupança paga Imposto de Renda? Devo investir?

A poupança está na lista de investimentos sem Imposto de Renda.

Mas isso não significa que você deve correr para colocar seu dinheiro na caderneta. Muito pelo contrário.

Há algum tempo, a poupança tem sido um dos piores investimentos.

Em 2019, por exemplo, depois de descontada a inflação acumulada para o período, seu retorno real foi negativo: -0,05%.

Para 2020, a projeção é de perdas ainda maiores, já que a Taxa Selic (utilizada na sua correção), nunca esteve tão baixa.

Qual o valor de poupança que não precisa ser declarado?

Apesar de isenta de tributação do Imposto de Renda, a caderneta de poupança deve ser incluída como patrimônio em sua declaração anual.

Você deve, então, declarar o valor que teve investido durante o ano fiscal e também o rendimento que recebeu da aplicação.

A caderneta deve aparecer no item “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis“. 


Investimentos com ou sem IR: O que rende mais?

A resposta simples para essa pergunta complexa é: depende do investimento, do seu perfil e dos objetivos para o dinheiro aplicado.

Os fundos de ações e fundos imobiliários são ativos que tem alta rentabilidade, mas que também têm um risco considerável para os seus investidores.

Outro ponto a se considerar é que estamos falando aqui de aplicações de renda variável, cujos resultados tendem a ser melhores, mas não são garantidos.

Assim, quem está escolhendo onde aplicar seu capital precisa saber que a rentabilidade pode ser maior como também pode ser menor – não vai ser o IR que vai fazer a diferença nesse sentido.

No fim das contas, é o que alertamos antes: tudo depende do seu perfil de investidor e, claro, de quais são seus planos para o dinheiro investido.

Dica para começar a investir

Está começando a investir e tem dúvidas sobre o que fazer? Temos uma dica: o Rico+ Primeiros Passos. Ele é um novo modelo de aprendizado que te ajuda a evoluir de pouquinho em pouquinho.

Aprenda a investir com jogos, trilhas de conteúdos e vídeos de maneira simples e fácil! 

Saiba mais sobre o Rico+ Primeiros Passos.


Conclusão

Uma mulher mexendo no notebook, em referência aos investimentos sem imposto de renda
Pronto para aproveitar os melhores investimentos sem Imposto de Renda?


No Brasil, pagamos muitos impostos e possuímos um dos piores retornos em serviços e infraestrutura. Cerca de 35,13% do nosso PIB é destinado aos impostos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT).

Países como Itália, Bélgica, França possuem uma carga tributária superior, mas esse valor costuma se transformar em qualidade de vida para os moradores do país.

Então, sempre que for possível, o brasileiro precisa reduzir os custos com tributos para poder garantir saúde, educação e uma vida mais tranquila por si só.

Existem muitas formas de se fazer isso legalmente.

Você pode deduzir custos e até alguns investimentos de longo prazo como o seu plano de previdência privada.

Além disso, os investimentos sem Imposto de Renda devem ser analisados e incluídos na sua carteira de ativos para garantir uma rentabilidade real maior.

Isso vale principalmente se você pretende investir a curto prazo (até 180 dias) onde a alíquota leva quase 1/4 do seu rendimento.

No entanto, não feche os olhos para todos os outros investimentos que não possuem incentivo tributário.

CDBs, LCs e fundos de investimentos, muitas vezes, trazem um retorno ainda melhor do que ativos isentos, como LCIs e CRAs. 

O Imposto de Renda sobre investimentos não deve ser o único fator decisivo.

Analise caso a caso para formar uma carteira de investimentos diversificada de acordo com os seus objetivos e perfil de risco.

Comece hoje mesmo a investir.

Crie sua conta na Rico de graça.

Leva apenas alguns minutos e, depois disso, você terá um catálogo inteiro de investimentos à sua disposição.

Outra vantagem gratuita é o acesso à InvesTV.

Esse é um ambiente online onde você pode tirar qualquer dúvida sobre investimento ao vivo, com especialistas do mercado financeiro.

Tem alguma dúvida ou sugestão? Deixe o seu comentário logo abaixo! 

Continue aprendendo sobre investimentos com estes outros artigos:

Obrigado por ler até aqui!

Clique e abra sua conta na Rico