Ainda não é cliente Rico? Aproveite a SELIC atual e invista em um CDB com 200% do CDI!

abril 8, 2022

Você também pode ser um investidor

Abra sua conta na Rico agora, é grátis

ESG: O que é e como funcionam os fundos de investimento 

Compartilhar:  

Você conhece os fundos ESG?  

Não? Então essa é uma oportunidade interessante para fazer seu dinheiro render e, de quebra, investir em empresas preocupadas com o meio ambiente e socialmente responsáveis

Há anos estamos acompanhando as consequências do descaso com questões ambientais e como essas questões refletem diretamente no modo como a nossa sociedade avança para o colapso climático, só para dar um exemplo.  

Visto isso, o momento não poderia ser mais propício para as empresas se posicionarem para priorizar mudanças estruturais e caminhar lado a lado com as necessidades da sociedade e do mercado.  

Pois, os números de rentabilidade e risco relativo, sozinhos, já não são suficientes para convencer o investidor. 

E é justamente aí que os fundos ESG entram. 

Esse tipo de investimento é conhecido por priorizar valores ambientais, sociais e humanos, possibilitando aplicar dinheiro em empresas que mantém a sustentabilidade como foco de suas ações dentro e fora da companhia, além de buscar uma governança exemplar e diversificada para seus negócios.  

Continue lendo para saber mais sobre os fundos ESG, entender seu funcionamento e conferir algumas dicas práticas para quem quer investir nessa modalidade 

Estes são os tópicos que iremos abordar a partir de agora: 

  • ESG:O que é? 
  • Significado da sigla ESG – Environmental, Social & Governance  
  • O que são fundos ESG? 
  • Como os Fundos ESG funcionam no Brasil? 
  • Quais são as opções de fundos ESG? 
  • Como investir em fundos ESG? 
  • Dicas para investir em fundos ESG 
  • Quando vale a pena o investimento em fundos ESG? 

Boa leitura! 

ESG: O que é? 

Pouco a pouco, o mundo dos negócios tem acordado para a necessidade de investir em empresas que promovam a sustentabilidade do planeta. 

A importância de manter uma gestão que preza por valores humanos e sociais tem sido cada vez maior, e é justamente este o objetivo dos fundos ESG. 

Essa estratégia representa o entendimento de que, para ter sucesso, uma companhia deve também cuidar do seu entorno, garantindo boas condições para que a natureza e a comunidade na qual ela está inserida possam prosperar também. 

Tudo isso talvez pareça um pouco vago, mas tem uma aplicação muito simples e prática. 

O ESG representa um conjunto de valores e critérios éticos que guiam a produção de uma empresa de modo a valorizar questões ambientais, sociais e de governança corporativa. 

Porém, se engana quem pensa que companhias que seguem por essa linha não têm foco no lucro. 

Muito pelo contrário, aqui, o lucro continua sendo o objetivo, até porque é um negócio dependente do lucro para se manter competitivo no mercado, não é mesmo? 

A diferença é que existe dentro do ESG o entendimento de que os recursos naturais são finitos e, para garantir uma prosperidade longeva, é preciso ter também uma boa gestão deles. 

Significado da sigla ESG – Environmental, Social & Governance  

Quando falamos em estratégias ESG, estamos, na verdade, nos referindo a uma sigla em inglês: Environmental, Social & Governance. 

Em tradução livre, esses termos podem significam “Ambiental, Social e Governança” e representam os três pilares da abordagem. 

Primeiro, o fator Ambiental leva em conta as mudanças climáticas e a responsabilidade da empresa em reduzir suas emissões de carbono. 

A intenção aqui é promover uma conscientização para explorar os recursos naturais de maneira sustentável, reduzindo a poluição e os resíduos produzidos pela operação. 

Dentro do pilar Social, temos os esforços em garantir a saúde e o bem-estar dos funcionários, além de manter um bom relacionamento com a comunidade em seu entorno. 

Entram aqui, também, o relacionamento com o consumidor e possíveis projetos beneficentes da companhia. 

Por fim, o braço de Governança cuida dos direitos dos acionistas e do estabelecimento de mecanismos que previnam fraudes. 

Também é importante trabalhar no sentido de construir um Conselho de Administração que seja plural e independente. 

O que são fundos ESG? 

Agora que você já entendeu bem o que é ESG e as ações envolvidas em cada uma das letras da sigla, provavelmente, está curioso para saber mais sobre como aplicar nesse tipo de negócio. 

No Brasil, quem quer investir em empresas comprometidas com a sustentabilidade tem nos fundos de investimento e carteiras recomendadas uma boa saída. 

Conhecidos como fundos ESG, eles têm ganhado cada vez mais atenção nos últimos anos, mas não chegam a ser uma novidade no mercado. 

A preocupação com modos de produção mais sustentáveis é uma velha bandeira de entidades e ativistas, que há algumas décadas pressionam empresas e governos para diminuírem suas emissões de carbono e poluentes. 

Mais recentemente, esse movimento ultrapassou as ruas e chegou às reuniões de acionistas, com stakeholders cada vez mais preocupados em manter uma gestão ética e capaz de prosperar sem destruir seu entorno. 

Como os Fundos ESG funcionam no Brasil? 

Tudo indica que o mercado brasileiro está despertando para a importância e o potencial do ESG como modelo de gestão e também potencial de rentabilidade

Lançado em junho de 2020 pela XP Investimentos, o Trend ESG Global é o primeiro fundo dessa categoria a integrar o catálogo da corretora. 

Por ser um fundo de renda passiva, ele acompanha índices de referência de ETFs que contam com empresas de dentro e fora do Brasil. 

A cotação do Trend ESG Global é D+5, o que significa que o investimento demora cinco dias corridos para ser efetivado, enquanto o resgate é D+1. 

Por ser classificado como multimercado, o fundo não está enquadrado na regra da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).  

O órgão dita que produtos com mais 20% da carteira alocada em ativos estrangeiros devem ser exclusivos para investidores qualificados (com patrimônio investido igual ou superior a R$ 1 milhão). 

Outra opção da XP é o fundo de fundos (FoF) Selection ESG. 

A empresa, da qual a corretora Rico faz parte, aplicou R$ 100 milhões de recursos próprios na aplicação como prova de sua intenção de fomentar o mercado brasileiro de fundos ESG

O resgate do Selection ESG funciona em esquema D+60. 

Quais são as opções de fundos ESG? 

Além dos produtos lançados recentemente pela XP Investimentos, o mercado brasileiro conta com opções de fundo ESG em outras três gestoras. 

Hoje, é possível investir nessa categoria com as corretoras Fama, Constellation e JGP. 

Com a entrada da XP e, principalmente com seu aporte inicial na categoria, a tendência é que as opções aumentem nos próximos meses. 

Segundo a empresa, outras quatro corretoras estão com seus fundos ESG em fase avançada e próximos de um lançamento oficial. 

Como investir em fundos ESG? 

Pessoas sentadas na frente do computador em referência as responsabilidades sociais no trabalho por empresas ESG.

Passo a passo para investir em ESG 

Como você deve ter percebido, os fundos ESG são uma boa alternativa para investir com foco em estratégias de longo prazo e diversificar sua carteira

Como a modalidade está chegando com mais força, alguns investidores podem ter dúvidas sobre o passo a passo para fazer sua aplicação. 

Pensando nisso, explicamos o processo abaixo de maneira detalhada. 

1. Escolha uma corretora 

Antes de se comprometer com um fundo específico, o investidor precisa pesquisar bem a corretora de valores que está oferecendo o produto. 

Com quase duas décadas de atuação no mercado brasileiro, o Grupo XP Inc. tem sido responsável por uma verdadeira revolução na área. 

A simplificação do processo para se tornar um investidor fez com que a empresa ganhasse as graças do público e confiança do mercado desde sua fundação. 

Como parte do grupo, a Rico tem todas as operações executadas e garantidas pela XP Investimentos CCTVM S.A. 

2. Faça seu cadastro na plataforma 

Agora que você pesquisou o mercado e descobriu que a Rico é a opção ideal para as suas necessidades, chegou o momento de abrir sua conta e se cadastrar na plataforma de investimentos. 

O cadastro para se tornar cliente da corretora é gratuito e rápido – em menos de 10 minutos, você vai estar pronto para investir. 

Além de uma plataforma intuitiva, a Rico conta com uma área de aprendizado exclusiva para que seus clientes possam entender tudo que precisam para obter os melhores rendimentos. 

3. Avalie suas opções 

Depois de se cadastrar, você é agora um cliente da corretora de investimentos e, com isso, tem acesso livre aos diversos simuladores e informativos oferecidos na plataforma. 

Use essas informações de maneira inteligente para comparar possibilidades de aplicação e projetar seus ganhos em cada uma das opções. 

O grupo conta com dois produtos de ESG com características distintas: é importante ler com atenção para escolher aquele que melhor se encaixa a sua realidade. 

4. Encaminhe a transferência e aplicação 

Por fim, você já entendeu que a Rico é a corretora para você e estudou sobre nossas opções de fundos para entender qual será mais interessante para você. 

O último passo é o momento em que você, finalmente, efetivará seu investimento ESG

Para isso, primeiro, será preciso transferir para sua conta na Rico o valor que pretende aplicar no fundo escolhido. 

Em seguida, busque Trend ESG Global ou Selection ESG dentre as opções da plataforma, indicando o valor ou quantidade de cotas que quer comprar. 

Agora, é só esperar o prazo de cotização do fundo e você terá se tornado um investidor ESG. 

Dicas para investir em fundos ESG 

Viu como é simples o processo para investir em fundos ESG com a Rico? 

Sabemos que um produto novo pode ser confuso para alguns clientes e, por isso, estamos aqui para explicar os detalhes e te ajudar em todos os passos dessa jornada. 

Além do tutorial para investir, separamos abaixo algumas dicas valiosas para que você não erre na hora de investir – confira abaixo. 

Planejamento financeiro 

O planejamento financeiro sempre deve ser o primeiro passo para quem quer acertar em cheio o seu investimento. 

Tudo começa por um controle detalhado de tudo que entra e sai do orçamento dentro de um ciclo salarial. 

A partir disso, é possível enxergar os desperdícios e se organizar para evitá-los. 

Esse planejamento ajuda também a poupar dinheiro com foco em investimentos que vão garantir bons ganhos. 

Determine seu objetivo 

De nada adianta se organizar e ter na ponta do lápis tudo que entra e o que sai se, no fim, você não sabe o que fazer com o dinheiro economizado. 

Por isso, é importante determinar qual será seu objetivo no mundo dos investimentos antes de começar. 

Pense, por exemplo, se você ainda está construindo sua reserva de emergência – e, por isso, precisa de alta liquidez – ou se já está pronto para encarar riscos maiores em busca de ganhos maiores. 

Fundos de investimento, como é o caso do ESG, são aplicações de renda variável, o que sempre eleva as possibilidades de ganhos, embora o risco seja proporcional. 

Escolha do tipo 

Na hora de procurar por um fundo ESG, você vai notar que existem no mercado diversos tipos de fundo de investimento com características distintas. 

Antes de se comprometer com um ou outro, busque entender qual se encaixa melhor ao seu perfil de investidor

Dentre os fundos ESG lançados pela XP, temos um fundo de fundos (Selection) e outro que é multimercado (Trend). 

Faça a análise do prospecto 

Todo fundo de investimento é comercializado no mercado junto de seu prospecto, um documento que descreve sua natureza, regras para aplicação mínima, além das taxas e dos tributos inclusos. 

No caso dos fundos ESG da XP, a aplicação mínima é de R$ 500 em ambos. 

É importante analisar com cuidado o informativo, pois lá estarão todas as informações que você precisa saber sobre o investimento. 

Você também pode visualizar o prospecto no site da CVM. 

Estude o histórico 

Por terem lastro em ativos de renda variável, os fundos ESG não dispõem de simuladores que possam projetar sua rentabilidade de maneira precisa. 

Uma alternativa, então, é estudar o histórico do grupo para entender qual é o desempenho médio daqueles papéis no último ano. 

Mas tenha atenção nesse momento, porque, no mundo dos investimentos, não podemos considerar ganhos passados como garantia de rentabilidade futura. 

Conheça taxas e tributos 

Outro ponto que precisa ser observado pelo investidor são as taxas e a tributação que incide sobre cada opção. 

No caso do Trend ESG Global, há uma taxa de administração de 0,5% ao ano, mas não é cobrada taxa de performance. 

Já o FoF Selection ESG cobra 0,75% de seus cotistas pela administração e também não há cobrança por performance. 

A tributação desses produtos segue a regra comum a outros fundos de investimento:  

Imposto de Renda de acordo com a tabela regressiva e o sistema come-cotas, além do IOF para resgate de aplicações com menos de 30 dias. 

Quando vale a pena o investimento em fundos ESG?  

O mercado ESG tem crescido cada vez mais e, hoje, já são mais US$ 30 trilhões de ativos sustentáveis pelo mundo todo. 

Esse potencial do nicho tem chamado atenção dos gestores financeiros, que cada vez mais apostam em fundos com lastro em empresas que adotam esse modelo de gestão. 

Esse cenário nos aponta para um potencial de crescimento do mercado, que deve continuar nos próximos anos. 

Afinal de contas, produzir de maneira sustentável nunca foi tão importante. 

Conclusão 

Mulher sorrindo em meio à plantas em referência ao ESG e os fundos ESG.

Os negócios ESG não são nenhuma novidade, mas, nos últimos anos, têm ganhado destaque conforme o mundo volta atenções para a importância de produzir de maneira sustentável. 

A XP Investimentos lançou dois fundos de investimento ESG e aqueceu ainda mais esse nicho. 

Neles, o foco no lucro é reforçado por estratégias que visam o longo prazo e prometem preservar a natureza de modo a garantir os negócios por muitos e muitos anos. 

Assim, os fundos ESG vêm provando que é possível produzir, lucrar e investir de maneira ética e sustentável.