Realize suas metas em 2024! Acesse o ebook "Da meta ao investimento" e conheça os melhores investimentos para realizar seus objetivos.

19/05/2021 19:57:02 • Atualizado em 16/02/2024 08:40:55
22 minuto(s) de leitura


Como sair das dívidas: 11 dicas essenciais

Criar um planejamento financeiro, cortar gastos supérfluos, negociar dívidas e estudar sobre finanças são passos indispensáveis para quem deseja sair das dívidas.


Compartilhar:
homem anotando em um bloco de notas quais dívidas ele precisa quitar. Na mesa também há uma caneca, diversas notas fiscais e um celular.

Entender como sair das dívidas é o objetivo de muitos brasileiros, principalmente no início de ano.

Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em junho de 2023, cerca de 78,5% das famílias brasileiras relataram ter dívidas.

O estudo ainda revela que 29,2% não têm condições de pagar, ficando com dívidas atrasadas. Muitas vezes, esse cenário está associado às baixas remunerações e à falta de planejamento financeiro.

Seja qual for a sua situação, é essencial manter a calma e ter uma atitude pragmática.

Pensando nisso, abordaremos neste artigo 11 dicas essenciais de como pagar dívidas e organizar a sua vida financeira.

Boa leitura!

Quais dívidas devem ser pagas primeiro?

Para entender quais dívidas devem ser pagas primeiro e como sair das dívidas, é importante fazer um levantamento de todas as dívidas e considerar alguns fatores, como: tipo de dívidas, taxa de juros, prazos, entre outros.

Confira a seguir como priorizar suas contas para sair das dívidas:

  1. Dívidas de serviços essenciais;
  2. Dívidas referentes a patrimônios;
  3. Dívidas com juros mais altos.

1. Dívidas de serviços essenciais

Dívidas de serviços essenciais são aquelas referentes às necessidades básicas do ser humano, como: água, energia elétrica, gás, aluguel.

O atraso no pagamento dessas dívidas pode afetar a qualidade de vida do indivíduo, uma vez que podem ser imediatamente cortados pelo fornecedor.

2. Dívidas de financiamento

As dívidas de financiamento costumam ser de patrimônios como imóveis ou veículos. É importante se atentar ao período de carência (no qual a instituição financeira tolera o atraso) e negociar a dívida o quanto antes.

Além disso, se você utilizou um desses bem como garantia para um empréstimo, a atenção deve ser redobrada, visto que os bens passam a ser seus somente após quitados.

3. Dívidas com juros mais altos

O pagamento de dívidas com juros mais altos também deve ser priorizado, afinal, o valor se torna maior com o passar do tempo.

Um exemplo clássico, é o crédito rotativo do cartão de crédito, conhecido como o campeão no quesito juros altos. Quem possui uma dívida no cartão de crédito ou ainda cheque especial deve resolver o problema o mais rapidamente possível.

A melhor alternativa é recorrer ao seu banco e quitar ou então negociar um empréstimo pessoal, ou consignado, com juros menores, e trocar a dívida cara por outra mais barata.

Algumas instituições oferecem boas opções de parcelamento ou quitação se você estiver com dificuldades financeiras.

O importante é não deixar a dívida ficar fora de controle e contar com o controle financeiro, afinal, quanto maior a dívida, maiores serão seus problemas ao longo do tempo com juros altíssimos.

Obtenha seu controle financeiro com nossa Planilha Financeira! Faça o download abaixo:

Planilha Financeira

Ter uma planilha de gastos é o primeiro passo para você organizar sua vida financeira e ter aquele dinheirinho sobrando no mês. Por isso, criamos uma para você!

Baixe a planilha da Rico e controle suas finanças!

Enviando...

Ao prosseguir, você autoriza que a Rico colete seus dados pessoais de acordo com nossa Política de Privacidade. 

envio com sucesso

Agradecemos o download!

Aproveite a Planilha Financeira para controlar e planejar os seus gastos pessoais e investimentos.

Download

Como sair das dívidas rápido ganhando pouco?

Saber como sair das dívidas rápido ganhando pouco se tornou uma necessidade para muitos brasileiros, afinal, exige abrir mão daquilo que não é indispensável, além de ajustes no padrão de vida.

Para te ajudar com isso, separamos 11 dicas essenciais nesse processo:

1. Liste suas dívidas

Para encontrar a melhor forma de sair das dívidas e organizar suas finanças, oprimeiro passo é listar todas as suas dívidas.

Afinal, como conseguir alternativas quando não entendemos ou não sabemos qual o tamanho da dívida? Logo, saber o valor total das suas dívidas é crucial.

Mesmo que o orçamento esteja apertado e você não tenha o dinheiro necessário para pagar todas as dívidas de uma vez, é fundamental conhecer todos os detalhes possíveis e priorizar o pagamento das dívidas.

2. Organize suas finanças pessoais

Além das dívidas, organizar suas finanças também é crucial, não apenas nesse momento de dificuldades, mas para equilibrar sua vida financeira.

Para isso, você pode contar com um planejamento financeiro, que te ajudará a montar estratégias para sair das dívidas, juntar dinheiro ou alcançar seus objetivos.

Clique aqui e baixe a Planilha Financeira da Rico. É 100% digital e gratuita. Dê o primeiro passo para organizar sua vida financeira!

3. Mantenha o controle dos seus gastos

Um dos principais pontos do planejamento financeiro também é manter o controle dos gastos. Para isso, crie metas de consumo e trabalhe-as no seu orçamento de forma inteligente.

Se você tiver alguma dúvida, comece priorizando a redução de despesas mensais e faça de seu planejamento uma arma estratégica para sair do vermelho.

4. Negocie suas dívidas

Para sair do vermelho, negocie suas dívidas buscando acordo com seus credores. Lembre que, se você tem interesse em pagar, o credor tem ainda mais interesse em receber.

Para que a dívida não se torne uma bola de neve, o melhor será buscar uma negociação que esteja de acordo com suas condições e seja justa para seu credor.

5. Negocie suas compras

Em geral, o brasileiro não tem o hábito de negociar suas compras. Mas, saiba que pechinchar faz parte e é sadio para o comércio.

Use e abuse da internet para fazer comparação de preços e até mesmo conseguir uma compra mais barata.

6. Crie uma reserva de emergência

Separe, dentro do seu controle financeiro, um percentual para formar uma reserva de emergência a fim de realizar os objetivos de curto, médio ou longo prazo.

A dinâmica para isso varia bastante, mas você pode organizar uma estratégia para economizar dinheiro semanalmente, se assim for melhor.

Especialistas indicam que a reserva seja correspondente ao valor que você precisa para se manter entre três e seis meses.

7. Evite parcelar suas compras

Uma dica para colocar as finanças em dia é sempre priorizar os pagamentos à vista, pois o parcelamento, quando feito sem controle, pode criar problemas graves para o seu bolso.

Vale ressaltar que várias compras parceladas somadas deixam de caber no bolso e acabam te levando a utilizar os limites do cheque especial e a função rotativa do cartão de crédito, que costumam ter juros altíssimos.

8. Evite gastos supérfluos

A realização dos nossos sonhos depende de uma série de decisões ao longo de algum tempo.

Transforme o consumo consciente em um hábito, afinal, gastos supérfluos podem comprometer a construção de uma reserva de emergência, entre outros planos a longo prazo.

9. Continue aprendendo sobre finanças pessoais

Falar sobre dinheiro é importante e precisa ser mais valorizado. Quando colocamos em prática a educação financeira, tudo se torna mais fácil, afinal a conversa é muito mais produtiva quando a grana não é um problema.

Atualmente, existe muito conteúdo sobre finanças pessoais de ótima qualidade na internet.

Um bom material de finanças pessoais pode ajudar a responder algumas questões importantes sobre: economizar dinheiro, encontrar os melhores investimentos e organizar suas despesas.

Acesse o nosso blog e tenha acesso a diversas dicas de finanças pessoais e investimentos.

10. Busque uma renda extra

Caso você já tenha feito e refeito um planejamento financeiro diversas vezes, mas ainda não conseguiu fechar a conta, talvez seja o caso de buscar uma renda extra.

O aumento da renda é, muitas vezes, inevitável para equilibrar as contas e limpar seu nome em órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa.

Portanto, pense em atividades que você pode desempenhar no seu tempo vago para ganhar mais dinheiro.

11. Invista mensalmente parte dos seus ganhos

Para manter uma vida financeira saudável, é fundamental cuidar do dinheiro e escolher bons investimentos.

Atualmente, existem diversos tipos de investimentos disponíveis no mercado, e escolher o melhor é uma tarefa que precisa ser encarada com seriedade e comprometimento.

Investir representa uma oportunidade de aproveitar determinadas opções de produtos e garantir muita diferença na rentabilidade total do patrimônio ao longo do tempo.

Se os juros estão altos, a renda fixa apresenta ótimas oportunidades. Já quando estão baixos, você pode investir parte do seu capital em renda variável, principalmente a longo prazo.

Como sair das dívidas de cartão de crédito?

Para sair das dívidas de cartão de crédito, confira algumas dicas a seguir:

  • Retome os valores devidos e organize tudo em uma planilha;
  • Dê prioridade para cartões de crédito que possuem juros maiores;
  • Tente negociar suas dívidas com a instituição financeira;
  • Na hora de parcelar, certifique-se de que o valor mensal cabe no seu orçamento;
  • Se possível, evite o uso do cartão até sair da dívida.

Como negociar dívidas?

Negociar dívidas pode parecer intimidadora para muitas pessoas que sofrem por não saber por onde começar ou como garantir boas taxas. Confira o passo a passo de como negociar suas dívidas:

1.    Avalie sua situação financeira

O primeiro passo a ser tomado pelo devedor deve ser avaliar sua situação financeira atual.

Recupere todas as suas contas e informe-se sobre o valor atualizado das dívidas para começar a começar a organizar suas finanças.

2.    Estabeleça um valor limite para as parcelas

Não adianta negociar dívidas e acabar aceitando um parcelamento com valores que você não conseguirá pagar.

Por isso, certifique-se de que as parcelas cabem no seu orçamento para não voltar para a inadimplência.

3.    Priorize suas dívidas

A dica geral é sempre de priorizar aquelas dívidas, pensando em serviços essenciais, financiamentos e aquelas com maiores taxas de juros.

4.    Leia o contrato com atenção

Nunca assine um contrato sem lê-lo com atenção, e isso vale também para as renegociações.

Analise bem as informações do seu parcelamento antes de concordar para não acabar fazendo um mau negócio.

5.    Pesquise ofertas de outras instituições financeiras

Na maioria das vezes, o que acaba encarecendo a sua dívida são as taxas do atraso e do parcelamento. Esses juros podem ser suprimidos no caso de pagamento à vista.

Por isso, é interessante ficar de olho em ofertas de crédito de outras instituições financeiras que tenham os juros menores. Assim, você pode fazer um empréstimo e quitar sua dívida original por um valor mais baixo.

6.    Fique de olho nos feirões de negociação

Outra opção para quitar dívidas com desconto é ficar de olho nos feirões de negociação promovidos por instituições como o Serasa e o SPC.

Nessas ocasiões, é possível quitar dívidas com descontos de até 90% sobre o valor total.

Posso usar o FGTS para pagar dívidas?

A resposta para essa pergunta é depende. Há algumas restrições quanto ao FGTS, que pode ser utilizado nas seguintes situações:

  • Financiamento imobiliário, como os contratos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI);
  • Desastres naturais e calamidades;
  • Rescisão de contrato de trabalho por acordo ou demissão sem justa causa;
  • Aposentadoria ou falecimento;
  • Aquisição da casa própria, utilizando para pagar parte do valor do imóvel, a depender de alguns requisitos;
  • Parcelas de consórcio imobiliário destinado à aquisição de imóvel.

No entanto, para pagar dívidas é possível aproveitar o valor retirado no Saque-aniversário, modalidade que pode ser resgatada anualmente no mês do aniversário e nos outros dois meses subsequentes.

Posso pegar empréstimo para sair das dívidas?

Sim, no entanto, a escolha de pegar um empréstimo para sair das dívidas depende das ofertas de crédito que você consegue pleitear no mercado.

Caso o financiamento oferecido tenha uma taxa de juros inferior ao do parcelamento de sua dívida, essa pode ser uma opção viável para economizar dinheiro.

Vale a pena deixar a dívida caducar?

A ideia de que a dívida vai “caducar” depois de um tempo e parar de existir é falsa. Na verdade, depois de cinco anos, o prazo de cobrança caduca e o seu registro é retirado dos bureaus de crédito.

Ainda assim, é importante lembrar que a dívida continua existindo e segue aumentando seu valor por conta dos juros.

Conclusão

Para quitar dívidas, tenha em mente que o fundamental é sua atitude e a decisão de conquistar uma vida cada vez mais rica e feliz a partir do planejamento financeiro.

Se você está com muitas dívidas e pouco dinheiro, sua melhor alternativa é seguir caminhando, resolvendo os problemas de forma objetiva e direta.

Pode até não ser fácil, mas com um pouco de organização e planejamento, você encontrará uma solução definitiva não só para sair das dívidas, mas também para realizar seus objetivos.

Clique e abra sua conta na Rico