novembro 10, 2021

IPCA acumulado: o que é e qual a inflação hoje [2021]  

IPCA acumulado é um dos índices mais importantes do Brasil, porque mede a inflação oficial do país. 

Calculado mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasilia de Geografia e Pesquisa), o IPCA é a sigla para Índice de Preços ao Consumidor Amplo. 

Mas como o IPCA acumulado afeta a sua vida na prática?  

De maneira bastante direta, na verdade. 

O IPCA mostra a variação de preço dos produtos ao longo de um período, que pode ser de um mês, de um ano ou de uma década, dependendo do interesse do observador. 

Assim, ele mede e acompanha o custo de vida dos brasileiros (os consumidores), por meio de uma cesta de bens e serviços consumidos por brasileiros.   

Além de revelar a evolução do seu poder de compra, o IPCA acumulado também serve como referência importante para a política monetária do Banco Central, responsável por definir a meta da taxa Selic

E para o investidor, o índice revela se uma aplicação teve rentabilidade superior à inflação ou não.  

Neste artigo, você vai entender como o IPCA acumulado é calculado, qual é a taxa atual, por que é importante acompanhar esse indicador mensalmente e como levá-lo em consideração nas suas decisões de investimentos.  

O que significa IPCA Acumulado?

Mulher sentada no sofá aprendendo sobre IPCA acumulado com a Rico.

O IPCA é o principal índice de inflação no Brasil, calculado todos os meses pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  

Ele mostra a evolução da inflação ao longo de um determinado período, acompanhando a variação do custo de vida do brasileiro de um mês para o outro. 

Funciona assim: o IBGE calcula o custo de uma cesta de bens e serviços todos os meses, de acordo com o consumo estimado das famílias.  

Cada produto tem um peso diferente dentro dessa composição. 

Assim, o percentual de variação do IPCA, de um mês para o outro, indica quanto os preços se alteraram no período.  

Se o IPCA de um mês foi aferido em 0,2%, por exemplo, isso significa que o custo das famílias aumentou nessa proporção.  

Se, no mês seguinte, o IPCA ficar em 0,1%, a leitura é de que o preço dos produtos cresceu menos – mas continuou subindo.  

Se a variação for negativa, interpreta-se como deflação, quando os produtos ficam mais baratos de um mês para o outro.  

Dentro desse contexto, o IPCA acumulado soma, levando em consideração os juros compostos, a variação do IPCA em determinado período.  

O IPCA acumulado permite enxergar a variação total da inflação em uma determinada janela temporal.  

A mais utilizada é a janela de um ano, no caso, o IPCA acumulado em doze meses.  

serve como referência não apenas para alguns investimentos, mas também para os cálculos de reajuste de salários, por exemplo.  

Assim, se o seu salário for corrigido por um valor inferior ao IPCA acumulado no período, você sabe que o seu poder de compra está sendo reduzido.  

Ou seja, aquilo que você podia comprar por determinado valor no período anterior, hoje você pode não mais conseguir com o mesmo valor.   

Da mesma forma, o IPCA acumulado é utilizado nos investimentos.  

Se a sua aplicação rendeu menos, em determinado período, do que o IPCA acumulado, significa que você está perdendo para a inflação. 

Conceito de IPCA 

O conceito de IPCA é simples: trata-se do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo.  

De acordo com o próprio IBGE, o IPCA é o mais importante índice de inflação do país, porque é considerado o índice oficial por todos os entes.  

Assim, o governo federal e o Banco Central usam o IPCA como referência tanto para as metas de inflação quanto para as alterações na taxa de juros

Na prática, o IPCA mede, todos os meses, o custo de vida de famílias brasileiras, em um cálculo que abrange famílias com renda mensal entre um e 40 salários mínimos (o INPC, por exemplo, é outro índice de inflação, que mede a inflação sentida por consumidores que recebem até 5 salários mínimos).

Quando sai o índice do IPCA?

A coleta de dados se inicia no último dia útil do mês anterior e segue até o penúltimo dia útil do mês que está sendo analisado. 

Para apurar os dados de janeiro de 2021, por exemplo, o IBGE coletou os dados entre 28/12 e 28/01. 

Já o resultado do IPCA é divulgado, em geral, até a segunda semana do mês seguinte.  

Confira, abaixo, o calendário de divulgação do IPCA em 2021 para cada mês: 

Janeiro 12/01/2021 
Fevereiro 09/02/2021 
Março 11/03/2021 
Abril 09/04/2021 
Maio 11/05/2021 
Junho 09/06/2021 
Julho 08/07/2021 
Agosto 10/08/2021 
Setembro 09/09/2021 
Outubro 08/10/2021 
Novembro 10/11/2021 
Dezembro 10/12/2021 
Calendário de divulgação do IBGE, disponibilizado pela plataforma governamental no dia 05/01/2021. 

Como o IPCA é calculado 

Para calcular o IPCA, o IBGE esboça uma série de gastos que refletem o custo de vida dos brasileiros. 

São consideradas as despesas com as seguintes áreas: 

Moradia 
Saúde e higiene pessoal 
Artigos para casa  
Despesas pessoais 
Educação 
Comunicação 
Transporte 
Vestuário 
Alimentação e bebidas 
Dados retirados da plataforma governamental IBGE em 27/07/2021. 

Com base nos seus levantamentos, o IBGE define a proporção que cada gasto terá dentro da despesa familiar.  

Em seguida, é realizado o levantamento mensal dos custos desses produtos e serviços, em 13 áreas urbanas do país.  

São consideradas as regiões metropolitanas de Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Belém, Fortaleza, Recife, Salvador e Vitória, além do Distrito Federal e das cidades de Goiânia e Campo Grande. 

No total, o IBGE obtém mais de 430 mil preços em 30 mil locais diferentes. 

Com os dados em mãos, é feita a comparação com os dados aferidos no mês anterior.  

A diferença entre esses valores, em termos percentuais, indica o IPCA do período. 

Tabela IPCA acumulado

Confira, a seguir, a tabela do IPCA acumulado dos últimos 20 anos, segundo dados oficiais do IBGE: 

IPCA Acumulado em doze meses (em dezembro) dos últimos 20 anos Taxa (%)  
2020 4,52 
2019 4,31 
2018 3,75 
2017 2,95 
2016 6,26 
2015 10,67 
2014 6,41 
2013 5,91 
2012 5,84 
2011 6,5 
2010 5,91 
2009 4,31 
2008 5,9 
2007 4,46 
2006 3,14 
2005 5,69 
2004 7,6 
2003 9,3 
2002 12,53 
2001 7,67 
2000 5,97 
Dados retirados da plataforma governamental IBGE em 27/07/2021. 

Qual o IPCA hoje e acumulado de 2021

De acordo com dados oficiais do IBGE, o IPCA do mês de referência (outubro) foi de 1,25%.  

Esse percentual se refere ao mês de outubro de 2021 e é o mais recente da série histórica. 

Em janeiro de 2021, o IPCA aferido foi de 0,25%. 

A variação mensal (de setembro para outubro) foi de 1,25%.

Já no acumulado de 2021 (até outubro), o valor é de 8,24%. 

Por que é importante acompanhar o IPCA

Mês 
(2021) 
Índice do mês (em %) Índice acumulado em doze meses (em %)  
Janeiro 0,25 0,25 
Fevereiro 0,86 1,11 
Março 0,93 2,05 
Abril 0,31 2,37 
Maio 0,83 3,22 
Junho 0,53 3,77 
Julho 0,96 4,76
Agosto 0,87 5,67
Setembro 1,16 10,25
Outubro  1,25 8,24
Novembro   
Dezembro
Dados retirados da plataforma governamental IBGE em 10/11/2021

A inflação é capaz de corroer o valor do dinheiro ao longo do tempo, e é o IPCA acumulado que mostra essa variação. 

Digamos, por exemplo, que você recebesse um salário de R$ 3.000 em 2010. Isso significa que era possível comprar produtos que custavam R$ 3.000 à época. 

Mas quanto esse dinheiro valeria hoje? 

De acordo com o IBGE, o IPCA acumulado nesse período de dez anos foi superior a 77%. 

Assim, para manter o seu poder de compra, seu salário de R$ 3.000 em 2010 precisaria ter sido reajustado para R$ 5.313,63 para manter o seu padrão de compra. 

Entendeu como é importante acompanhar os indicadores de inflação? 

É por isso que o IPCA é usado como referência por alguns empresários e comerciantes no reajuste do preço de produtos e de salários. 

Também por isso, o Banco Central acompanha a evolução do IPCA, para manter a inflação sob controle.  

Dependendo da variação do IPCA, o Copom – Comitê de Política Monetária, responsável por definir a taxa Selic, pode aumentar ou diminuir a taxa de juros, como um estímulo ou freio ao consumo. 

Além disso, o IPCA acumulado também tem impacto direto sobre os investimentos, como veremos no próximo tópico. 

Qual o impacto do IPCA nos investimentos

 Homem segurando celular, sentado a mesa em frente ao computador entendendo sobre a influência do IPCA nos investimentos com a Rico.

Se o IPCA mostra o poder de compra do seu salário, ele também mostra o poder de compra do seu patrimônio e dos seus investimentos. 

Nos investimentos, o IPCA é utilizado como um parâmetro, principalmente para as aplicações em renda fixa

Isso acontece porque, se o rendimento da aplicação não conseguir superar o IPCA do período, isso significa que o investimento não está sendo o suficiente para garantir o seu poder de compra. 

É por isso que existem investimentos em renda fixa que são atrelados ao IPCA, de maneira que eles sigam a variação do indicador ao longo do tempo e evitem a perda do poder aquisitivo. 

Essa é uma maneira simples de proteger o seu patrimônio e garantir um retorno acima da inflação, principalmente para quem busca investimentos com pouco risco, de olho no longo prazo.  

Ao analisar o IPCA acumulado, você vai descobrir, por exemplo, que a caderneta de poupança não costuma ser uma boa opção de investimento

Isso ocorre porque o seu rendimento não costuma superar o IPCA acumulado do período, mesmo com a inflação controlada.  

Quando a poupança supera o IPCA, a vantagem é praticamente ínfima. Ou seja: ela mal consegue proteger o seu poder de compra. 

Mas quais os investimentos que protegem contra a inflação e acompanham o IPCA? É o que veremos a seguir. 

4 Investimentos atrelados ao IPCA

Imagine um cenário de inflação alta, como o Brasil viveu em 2015, com IPCA acumulado acima de 10%. 

Nesse cenário, pode ser difícil encontrar investimentos que remunerem acima da inflação. 

Por isso, muitos investidores procuram por investimentos atrelados ao IPCA, porque, além de garantir um rendimento superior à inflação, eles também protegem o patrimônio.  

Listamos, a seguir, os principais investimentos atrelados ao IPCA.  

1. Tesouro IPCA (NTN-B Principal) 

Tesouro IPCA é um título híbrido do Tesouro Direto. 

Isso significa que ele possui a rentabilidade atrelada ao índice, além de uma taxa de juros pré-definida. 

Assim, a rentabilidade do NTN-B Principal será a do IPCA acumulado, mais uma taxa de juros estabelecida no momento do investimento. 

Isso garante que o investimento vai superar o IPCA do período (considerando que o título seja carregado até seu vencimento)

Para obter a rentabilidade contratada, o resgate deve ser feito apenas no vencimento

2. Tesouro IPCA com Juros Semestrais (NTN-B) 

A diferença do título anterior para este é que o Tesouro IPCA com Juros Semestrais oferece o pagamento de juros semestrais ao investidor.  

Ou seja, o valor investido se mantém, e os rendimentos são pagos a cada seis meses. 

É importante lembrar que, devido ao pagamento semestral de juros, há cobrança maior de Imposto de Renda, que incide sobre os ganhos a cada seis meses, e não apenas no fim da aplicação. 

3. Letras de Crédito Imobiliário (LCI) 

Embora o objetivo das Letras de Crédito Imobiliário não seja acompanhar o IPCA, a modalidade híbrida da LCI pode ser atrelada ao índice. 

Nesse caso, o rendimento será de uma taxa precificada, somada à variação do IPCA no período.  

4. Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) 

A  Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) tem funcionamento bastante semelhante ao da LCI. 

O objetivo não é acompanhar o IPCA, mas, também na modalidade híbrida, é possível encontrar opções que são indexadas ao IPCA. 

Esse tipo de investimento, no entanto, é um pouco mais raro, e a aplicação, em geral, possui um tempo de vencimento maior do que as demais.  

Conclusão

Mulher em pé, tomando café e olhando para um gráfico na parede referente a variação do IPCA Acumulado

Como você percebeu ao longo do artigo, o IPCA tem um impacto direto sobre a sua vida financeira. 

Responsável por medir a inflação oficial do país, ao acompanhar o custo de vida das famílias, o IPCA mostra a variação do seu poder de compra ao longo dos anos. 

Assim, acompanhar o movimento do IPCA significa acompanhar o seu dinheiro e descobrir se ele está valendo mais ou menos a cada dia que passa. 

Além disso, também é importante para quem deseja entender o cenário macroeconômico do Brasil, para compreender as decisões do Copom e a evolução da Taxa Selic ao longo do tempo.  

Essa compreensão ajuda quem deseja tomar as melhores decisões de investimento, porque há títulos de renda fixa que se tornam menos vantajosos à medida que o IPCA avança ou retrocede. 

Se você não acompanhar a evolução do IPCA, não conseguirá encontrar opções de investimento que protejam o seu patrimônio no longo prazo e correrá o risco de ver o seu poder de compra corroído pela inflação.  

time de especialistas da Rico está sempre preparado e informando as mudanças no mercado financeiro dos impactos do IPCA nos investimentos.  

Ao abrir sua conta na Rico, disponibilizamos periodicamente relatórios e materiais exclusivos para que você se mantenha atualizado e invista com segurança.  
 

Então, se você quiser ver o seu dinheiro crescer e  começar a investir hoje, o primeiro passo é abrir a sua conta na Rico e se manter informado no Riconnect.  

Assim, você não perderá nenhuma novidade do mercado financeiro.  

Comece agora mesmo e acelere a realização dos seus sonhos! 

Agradecemos por ler até aqui! 

Clique e abra sua conta na Rico