dezembro 7, 2019

O que é Taxa CDI: como funciona e quais seus rendimentos?  

O que é a taxa CDI é uma pergunta que recebemos frequentemente.

Em resumo, o Certificado de Depósito Interbancário trata-se de uma taxa que lastreia as operações interbancárias (entre bancos).

Sim, um banco costuma emprestar dinheiro ao outro com prazo para devolução de 24 horas. A taxa cobrada entre eles regula o mercado de renda fixa e de fundos de investimentos de renda fixa.

Eles precisam desses empréstimos para manterem seus caixas com saldo positivo. 

Como dizia Warren Buffet:

“Nunca invista em um negócio que você não entende”.

A taxa CDI  em outubro de 2019 foi de 0,4793%.

Neste texto, você vai descobrir tudo sobre o CDI:

  • O que significa a taxa CDI
  • É Possível Investir no CDI?
  • Como Calcular o CDI
  • Como Saber Quanto Está o CDI em 2019
  • Relação Entre CDI e Investimentos
  • CDI x CDB
  • Rendimentos Atrelados ao CDI

Se tiver qualquer dúvida, deixe o seu comentário no final da página

O Que é CDI?

O CDI, sigla para Certificado de Depósito Interbancário, é um título emitido pelos bancos para a realização de operações de empréstimo entre si, em uma modalidade de curtíssimo prazo.

Isso acontece, entre outras coisas, por força de uma regra do Banco Central.

Essa regra diz que os bancos precisam fechar o dia com saldo positivo e, quando o volume financeiro de saques supera o de depósitos, a diferença é tomada de outros bancos, que estejam superavitários através do CDI.

A referência adotada pelo mercado que vemos nos cadernos de economia nasce da taxa média praticada nesses empréstimos entre os bancos.

Como funciona o CDI (Certificado de Depósito Interbancário)?

Como já destacado, o CDI é um título emitido pelos bancos com o objetivo de levantar capital para regularizar o caixa diário. 

Em alguns casos, o volume financeiro de saques pode superar o de depósitos, fazendo com que o saldo de uma instituição fique negativo.

Quando isso acontece, o banco pode tomar um empréstimo com outro para manter o seu caixa positivo. Para isso, é emitido um CDI. 

A operação garante que o mercado bancário tenha maior fluidez, já que as instituições podem se ajudar entre si. 

Além disso, o CDI auxilia o banco a garantir o cumprimento de todos os seus compromissos e, dessa forma, proteger seus correntistas. 

Vale dizer ainda que as operações com CDI que acontecem à noite (chamadas de overnight) ocorrem no Open Market, que é restrito às instituições financeiras.

CDI Hoje

As operações de CDI ocorrem diariamente e, por isso, a Taxa DI também é calculada todos os dias pela Cetip, a Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados. 

Por isso, se você quiser conhecer saber qual o CDI hoje, basta acessar a página da B3

Veja a imagem abaixo, que reproduz a página inicial da B2 e observe que, lá no alto, está a informação sobre a Taxa DI:

Print da site Brasil Bolsa Balcão, indicando a taxa DI

Taxa DI hoje – Tela capturada em 12 de novembro de 2019.

Na sequência, vamos mostrar o comportamento do índice em 2019.

Taxa CDI em 2019

Confira abaixo os valores do CDI em 2019. O valor em outubro de 2019 foi de 0,4793%:

tabela da taxa cdi mês a mês

Dados: Cetip

CDI e sua Importância para o Sistema Financeiro

O CDI é uma importante ferramenta, que ajuda a manter o equilíbrio do sistema financeiro. 

Os títulos permitem uma maior fluidez entre as instituições bancárias, viabilizando as operações de empréstimo entre elas para garantir que possam encerrar o dia com caixa positivo e, portanto, que tenham meios para cobrir possíveis necessidades de liquidez. 

Dessa maneira, os correntistas do banco ficam protegidos e os possíveis impactos em todo o sistema financeiro são mitigados.

CDI Como taxa de Referência

Como as operações realizadas no mercado interbancário possuem um risco muito baixo, as taxas praticadas no CDI se tornaram uma espécie de lastro para todo o mercado financeiro, sobretudo no que diz respeito à renda fixa.

Por isso, é muito comum encontrar títulos financeiros no mercado cujo rendimento esteja atrelado ao CDI, mais especificamente à Taxa DI. 

Cada banco decide as condições do seu empréstimo, incluindo a taxa a ser cobrada pelo CDI, já a Taxa DI representa a média do valor cobrado nas operações de CDI.

Taxa DI

A Taxa DI, tida como o benchmark da renda fixa no Brasil, nada mais é do que a média entre todos os CDIs em um período. 

Diariamente, a taxa é calculada e divulgada pela Cetip, como mostramos antes. 

Em geral, ela segue de perto a Taxa Selic. Portanto, qualquer variação na taxa básica de juros da economia se reflete no CDI.

Atualmente, a Taxa Selic está em 5% ao ano e a Taxa DI em 4,9% (dados de novembro de 2019).

Para que Serve o CDI e Qual a Relação do Índice Com os Seus Investimentos?

Qual a função do CDI?

Ao contrário do que muita gente pensa, não é possível “investir no CDI”. Para nós, pessoas físicas, o CDI é apenas referência que as diversas modalidades de investimentos de renda fixa buscam igualar ou superar.

Então, a relação é total! O CDI é aceito no mercado (junto com a SELIC) como a “rentabilidade mínima” esperada de qualquer investimento. Modalidades “indexadas” ao CDI sofrerão mudança em sua rentabilidade conforme a variação desse índice.

Como Funcionam as Rentabilidades Atreladas ao CDI? 

As rentabilidades atreladas ao CDI usam o índice como referência e entregam percentuais relativos a ele. Assim, como falado antes, toda variação do CDI impactará diretamente nesses investimentos.

Por exemplo: um CDB que rende 110% do CDI, tem rentabilidade 10% acima. Supondo que o CDI hoje seja de 10%, esse CDB terá uma rentabilidade bruta de 11% (antes do imposto de renda). Se o CDI cai para 9%, a sua rentabilidade cai junto.

Vantagens e Desvantagens para os Bancos e Investidores

O tema é complexo demais para limitar-se a “prós e contras”. Contudo, a questão óbvia é que, se sobe muito, é porque o custo do dinheiro está mais alto, junto com os preços e, por conseguinte, a inflação.

Pode parecer ótimo para quem tem dinheiro aplicado, mas, de maneira geral, mostra que a economia não está bem.

Por outro lado, se o CDI cai, investimentos pós-fixados caem junto, perdendo a atratividade e a rentabilidade. Diferente do prefixado, que nesse caso passa ser interessante, pois a taxa será mantida.

Se for um investimento de liquidez diária, sem problema. Se houver carência para o saque, o investidor terá que amargar essa queda até o vencimento do título, deixando de ganhar ou até com chances de perda frente a outras opções.

Por isso, ter objetivos claros na hora de escolher um investimento é fundamental. Entender o que é CDI é vital para novos investidores.


Um Comparativo Entre CDI e CDB

Duas mulheres sorrindo ao olhar para o computador
O CDB e o CDI possuem muitas semelhanças. É importante entender os pontos principais de cada uma dessas siglas.

O CDB é a “versão pessoa física” do CDI. A sigla significa Certificado de Depósito Bancário (sem o “inter”) e, nesse caso, o banco toma dinheiro emprestado do consumidor final e não de outro banco.

A finalidade aqui também é outra.

Como vimos, a função do CDI é cumprir uma lei do Bacen e manter o fluxo diário de caixa em ordem, sendo assim, um título de curtíssimo prazo (diário). 

Já o CDB fomenta linhas de crédito do banco, tem prazos e características diversas.

Existem CDBs com liquidez diária, outros com prazos mais alongados, pré e pós-fixados. Assim, fique atento ao tipo de produto que você vai escolher para não ser pego de surpresa.

Quais Investimentos são Atrelados à Taxa Do CDI?

A maioria absoluta dos investimentos de Renda Fixa usam o CDI como referência. Entre eles, o CDB, a LCI, LCA, LC, Fundos de Renda Fixa, algumas debêntures, entre outros. Conheça cada um deles:

CDB – Certificado de Depósito Bancário

Como falamos há pouco, o CDB é como se fosse o “primo Pessoa Física” do CDI. É importante notar que o CDB usa o CDI como referência de rentabilidade, variando em percentuais do mesmo.

Assim, se seu CDB paga 80% do CDI, significa que você está tendo uma rentabilidade 20% menor do que o índice. Se ele paga 120% é o oposto: a rentabilidade é 20% acima do índice.

Normalmente, a rentabilidade dos CDBs vem junto com algumas “contrapartidas”. 

Isso quer dizer que CDBs com maior liquidez e menor aporte inicial tendem a ser menos rentáveis. Ao mesmo tempo, CDBs com maior carência de saque e aporte mínimo maior tendem a remunerar melhor.

Muito raro para o pequeno investidor encontrar CDBs nos grandes bancos que peguem sequer acima de 90% do CDI. Os grandes bancos têm facilidade de captação de dinheiro, por isso, pagam menos por isso.

Aqui na Rico, você vai encontrar CDBs pagando cima de 110% sem muita dificuldade.

Há ainda os CDBs prefixados, nos quais a rentabilidade é definida no ato da aplicação junto com o prazo.

Costumam ser vantajosos em cenários cuja curva dos juros no mercado é de baixa. Nesse caso, se garante a rentabilidade, coisa que o pós-fixado acabará perdendo, pois acompanhará a queda.

Nas simulações abaixo, veja opções de CDBs com diferentes prazos de investimentos e rentabilidade:

CDI - Simulação CDB 1
CDI - Simulação CDB 2
Simulação CDB – Tela capturada em 12/11/2019.

Nessa simulação, usamos três tipos CDBs diferentes: o primeiro (da esquerda para direita) com prazo de 1096 dias, o segundo com prazo de 731 dias e o último com prazo de 365 dias. 

Como você pode observar, os títulos com prazo mais longos têm maior rentabilidade. No caso do primeiro título, o retorno é de 120% do CDI, enquanto o segundo tem retorno de 115% do CDI. 

Já o último título, o que tem prazo menor, ainda conta com liquidez diária e, por isso, seu retorno é menor, de 97% do CDI. 

LCI – Letra de Crédito Imobiliário

São títulos emitidos por bancos para captação de recurso com finalidade exclusiva de fomentar o crédito imobiliário. Ou seja, o dinheiro que o banco usa para financiar imóveis provém das LCIs ou das poupanças (o mais comum).

Por ser algo que interessa à economia nacional, o governo isenta esse tipo de aplicação do imposto de renda, o que pode ser muito interessante para o investidor. Por isso, também, que as rentabilidades nominais são menores que as do CDB sujeitos ao IR.

Por exemplo: uma boa LCI paga em torno de 95% do CDI, enquanto um CDB paga em torno de 110%. No entanto, a rentabilidade de ambos no final será semelhante, porque no CDB incide o imposto de renda.

São poucas as LCIs com prazo muito curto ou liquidez imediata. A maioria, em contrapartida às boas rentabilidades, tem carência para a retirada do dinheiro.

Tal qual no caso do CDB, as LCIs podem ser pós ou prefixadas. A primeira atrelada ao CDI e a segunda com a rentabilidade definida no ato da aplicação.

Veja como funcionam esses títulos na simulação de LCI:

CDI - Simulação LCI 1
CDI - Simulação LCI 2

Simulação LCI – Tela capturada em 12/11/2019.

Na nossa simulação, separamos dois títulos. O primeiro com vencimento de 365 dias e rendimento de 100% do CDI. O segundo com vencimento de 731 dias e rendimento de 97% do CDI. 

Perceba que, apesar de o primeiro título ter prazo de vencimento menor, a sua rentabilidade é maior do que no segundo caso. 

A decisão do quanto vai pagar pelo título depende do banco emissor. É ele que define as condições dos seus títulos. 

Nesse caso, porém, a maior rentabilidade pode estar ligada à exigência de um valor mínimo. No primeiro caso, ela é de R$ 10.000. No segundo, a exigência é de apenas R$ 1.000. 

Além disso, como você pode observar, em ambos os títulos não há incidência de Imposto de Renda. 

LCA – Letra de Crédito do Agronegócio

A LCA é a “agropecuária” da LCI. Isso quer dizer que, o destino do dinheiro captado, nesse caso, é financiar agricultores e pecuaristas em sua atividade. Resumindo: você empresta para o banco e o banco repassa ao agronegócio.

No resto, funciona exatamente como as LCIs: podem ser pré ou pós-fixadas; as pós são atreladas ao CDI, carência está intimamente ligada à rentabilidade, bem como o porte do banco emissor.

Veja uma simulação:

CDI - Simulação LCA 2
CDI - Simulação LCA 2

Simulação LCA – Tela capturada em 12/11/2019.

Observe que os resultados se diferem em razão do prazo, mas também há mudança na rentabilidade ao ano, o que se explica pelo diferente percentual do CDI pago em cada título.

LC – Letra de Câmbio

As Letras de Câmbio, ao contrário do que o nome pode sugerir, nada têm a ver com o mercado de moedas estrangeiras

Esses títulos têm como finalidade levantar capital para fomentar o crédito. 

Isso quer dizer: a instituição financeira toma o dinheiro do investidor e empresta para o tomador na outra ponta, não necessariamente para um fim específico, como o imobiliário ou o agropecuário.

Um diferença importante é que as LCs são tributadas pelo IR, sendo a alíquota máxima de 22,5%, com regressão até 15% conforme o prazo em que o dinheiro permanecer aplicado.

Porém, excluindo a questão do IR, o funcionamento entre as LCs e as LCIs e LCAs é muito parecido. 

Nesse caso, existem títulos prefixadas e pós-fixados, sendo que os últimos usam o CDI como referência.

Veja na simulação algumas opções de LCs para você investir na Rico.

CDI - Simulação LC 1
CDI - Simulação LC 1

Simulação LC – Tela capturada em 12/11/2019.

Separamos três LCs para você: a primeira com vencimento para 1461 dias e rendimento de 124% do CDI, a segunda com rendimento de 116% do CDI e prazo de 730 dias, e a última com vencimento para 365 dias e retorno de 114%. 

Vale observar que, nessa seleção, quanto maior o prazo de aplicação, maior o retorno. 

Essa não é uma regra, pois existem outros fatores que podem influenciar no rendimento desse tipo de título, incluindo o porte do banco emissor e, portanto, o nível de risco atrelado ao investimento. 

Importante dizer que todas as modalidades mencionadas têm a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para aplicações até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado ao teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Para mais informações sobre o FGC, acesse o site http://www.fgc.org.br/

Outro fator interessante para observar na simulação está relacionado ao Imposto de Renda. Como dissemos, esse tipo de título está sujeito à tributação, que segue a tabela regressiva. 

Assim, no primeiro e no segundo casos, a alíquota do IR é a menor da tabela, de 15%, enquanto que, no terceiro caso, ela sobe para 17,5%.

Esse fator deve ser avaliado antes do investimento, pois pode comprometer a viabilidade da aplicação. 


Como Calcular os Rendimentos Atrelados Ao CDI?

Senhor calculando ao contar suas moedas
Calcular os rendimentos do CDI bem simples. E você sempre poderá simular os investimentos em nosso site.

É relativamente simples fazer o cálculo de um investimento atrelado ao CDI. A primeira coisa a se fazer é verificar nos sites de economia o CDI do período desejado. Em seguida, aplicar o percentual do investimento em questão e pronto, está feito.

Por exemplo, você quer saber o rendimento dos últimos 12 meses de um CDB que paga 95% do CDI. Supondo que o índice desse período tenha sido de 14%, a conta, para R$ 1000, ficaria assim:

0,95*14 = 13,3%*1000 = 133,00

O rendimento de um CDB que paga 95% do CDI nessas condições teria sido de R$ 133 para em cima de um capital investido de R$1000.

Do mesmo modo, a conta pode ser feita com outros percentuais do CDI. Sempre lembrando do primeiro passo, que é verificar a taxa do CDI no período pretendido.

Qual a Relação do CDI Com A Taxa Selic?

Como dissemos, a Taxa DI costuma acompanhar de perto a taxa Selic

Portanto, se há uma mudança na taxa básica de juros na economia, em alguns dias, o CDI deve se ajustar para acompanhar a Selic em qualquer direção que seja o movimento. 

Apesar de acompanhar de perto, a Taxa DI exibe sempre um valor um pouco menor do que a Taxa Selic. 

Essa diferença no valor das taxas, mesmo pequena, se deve ao spread de bancos que tomam dinheiro do tesouro e emprestam a outros bancos via CDI e, nessa diferença, auferem lucro.

O que é a Taxa Selic?

O termo Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) se refere ao sistema a partir do qual são realizados a custódia e o registro das transações com títulos públicos federais. É dele que se deriva a Taxa Selic. 

A Selic é calculada a partir da média ponderada dos juros praticados pelas instituições financeiras e serve como taxa básica de juros da economia nacional.

É ela quem baliza o custo das operações de crédito em todo o mercado brasileiro. 

Diferenças entre CDI e Selic

Apesar de andarem sempre na mesma direção, a Taxa Selic e a Taxa DI possuem diferenças importantes. 

Em primeiro lugar, a Taxa Selic baliza operações entre o governo e pessoas físicas, enquanto a Taxa DI serve de base para operações entre pessoas jurídicas e pessoas físicas. 

Além disso, o CDI é mais dinâmico, já que é oriundo da taxa média das operações interbancárias, enquanto a Taxa Selic é definida nas reuniões do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que acontecem a cada 45 dias. 

Dúvidas frequentes sobre CDI

Ao chegar até aqui, com certeza, você já sabe bastante sobre o CDI e a sua importância para os investimentos e todo o sistema financeiro. Porém, ainda podem restar algumas dúvidas. 

Então, vamos responder a elas!

Quanto ficou o CDI acumulado entre 2017 e 2018

Em 2017, entre janeiro e dezembro, o CDI acumulado foi de 9,93% ao ano, enquanto nos 12 meses de 2018 a taxa ficou em 6,42% ano ano. 

Posso Investir em CDI?

Não é possível investir diretamente em CDI, já que esse título é restrito ao mercado interbancário. 

Contudo, se desejar, pode investir indiretamente na Taxa DI por meio de diversos ativos de renda fixa negociados no mercado financeiro, que têm sua rentabilidade atrelada à taxa. 

Em alguns casos, você pode encontrar títulos com rendimento superior ao do CDI.


Conclusão

Aprendeu o que é CDI? Pronto para calcular o rendimentos dos investimentos de renda fixa?

Como vimos, o CDI é a base de todo investimento de renda fixa. Quando um CDB, LCI ou fundo de investimentos prometem um rendimento acima do CDI, você deve analisar qual é o seu histórico ou rendimento de acordo com o período de aplicação.

Quanto maior a validade de um investimento, maior deve ser esse rendimento. Encontre, então, a melhor taxa para você dentro dos seus planos de curto, médio e longo prazo.

Conhecer sobre o CDI é importante para fazer escolhas adequadas para os seus investimentos. Mas esse conhecimento, sozinho, não fará com que atinja os resultados esperados se não estiver acompanhado de todo o resto.

Mais importante do que saber sobre o CDI, é ter disciplina e bons hábitos financeiros, pois, como sempre repetimos, é mais importante um investidor disciplinado do que um investimento rentável.

Veja outros artigos completos do nosso blog:

Restou alguma dúvida? Deixe um comentário!

Dica para começar

E se você está começando a investir agora, temos uma dica: o Rico+ Primeiros Passos, um novo modelo de aprendizado que te ajuda a evoluir de pouquinho em pouquinho na hora de investir.

Aprenda a investir com jogos, trilhas de conteúdos e vídeos de maneira simples e fácil! 

Saiba mais sobre o Rico+ Primeiros Passos.

Nova call to action