julho 29, 2020

Mercado de opções: o que é, vantagens e como investir  

Você sabia que, ao dominar o mercado de opções, pode operar ações com risco controlado ou mais alavancado? 

De fato, o mercado de opções é um ambiente repleto de oportunidades.

Nele, investidores encontram uma alternativa para evitar as oscilações do mercado ou até uma forma de alavancagem de carteira (tentar obter retornos acima do que tem para investir, porém com riscos maiores).

Neste texto, você vai entender de uma vez por todas o que é o mercado de opções, como ele funciona, seus riscos e estratégias.

Ao ler o artigo até o final, terá mais uma alternativa com ótimo retorno à disposição. 

Veja os tópicos que vamos abordar a partir de agora:

  • O que são as opções?
  • Qual a diferença entre o mercado de ações e opções?
  • Como funciona o mercado de opções
  • Glossário do mercado de opções
  • Qualquer pessoa pode operar?
  • Como investir no mercado de opções
  • Estratégias matadoras para garantir lucros e como usá-las
  • Exemplos de como ganhar dinheiro com opções
  • Existem riscos no mercado de opções?
  • Mercado de opções para iniciantes: tire suas principais dúvidas
  • Melhores livros sobre o mercado de opções.

E uma ótima notícia para começar a investir: A rico zerou a corretagem para investir em opções! Abra sua conta e comece a investir.


O que são as opções?

mercado de opcoes conceito
Esse mercado que deriva das ações abriga grandes oportunidades para investir.

As opções são contratos onde se negocia o direito, por um determinado período, de comprar ou vender um lote de ações por um preço fixado, o preço de exercício ou strike.

As opções são um ótimo instrumento de defesa para fazer hedge de seus investimentos. No entanto, também podem ser usadas para alavancagem

Trata-se dos contratos de um dos mercados derivativos

Embora muitas pessoas acabem se assustando com a aparente complexidade desse tipo de investimento, que contém operações de futuros, a termo ou de opções, ele pode ser entendido com facilidade.

O mercado de derivativos se baseia na negociação de contratos que dependem (derivam) de outros ativos. Eles servem para transferir riscos de flutuações a terceiros por um valor (o prêmio).

Considere, como exemplo, o mercado de opções das ações da Vale.

A cotação da opção da Vale varia de acordo com o valor das ações da Vale no pregão.

Assim, o mercado de opções é um ambiente onde negociam-se os direitos de compra e venda de ações com preços e prazo pré-fixados, mas não sua obrigação. Apenas o direito! 

  • Quem faz a compra de uma opção sempre será o Titular.
  • Já quem faz a venda da opção sempre será o Lançador.
  • Eles não negociam o ativo em si no primeiro momento, mas o Prêmio.
  • Esse é um valor monetário que garante o direito sobre a compra ou venda de um ativo-objeto.
  • Ambos precisam combinar um valor de venda ou compra no momento do contrato, o chamado strike price ou preço exercido. 

Esse tipo de negociação é usada por investidores como uma forma de proteção para suas ações contra possíveis perdas devido aos riscos inerentes de operar na bolsa.

Qual a diferença entre o mercado de ações e opções?

Quando falamos em investimentos na bolsa de valores, muitas pessoas ainda confundem o funcionamento do mercado de ações com o mercado de opções.

O primeiro trata da negociação direta dos papéis, que representam uma cota de propriedade na empresa.

Com alguns modelos e configurações diferentes, as ações tornam o investidor parte do quadro societário daquela companhia, podendo ou não ter direito ao voto.

Aqui, o valor da negociação depende da cotação de mercado da empresa no exato momento da compra.

O mercado de opções, por outro lado, negocia o direito da compra e venda das ações supracitadas.

Quem adquire uma opção, não está ainda investindo na empresa, mas garantindo que poderá fazê-lo no futuro com o mesmo preço de hoje.

Em outras palavras, a compra de opções protege o investidor de ter de pagar no futuro um valor maior do que o que está sendo negociado hoje.


Como Funciona o Mercado de Opções

mercado de opcoes vantagens riscos
Pode parecer complicado, mas com essas analogias você entenderá o conceito rapidamente!

Vamos imaginar que o João (lançador) adquiriu uma casa (ativo-objeto) no valor de R$ 200 mil, pois acredita que ela vai se valorizar no futuro

Acontece que a Maria (titular) também acredita que essa casa vai se valorizar.

Como ela não possui o dinheiro para adquirir uma casa vizinha no bairro, eles fazem um acordo de opção de compra (call) nos seguintes termos:

A Maria deposita R$ 20 mil (prêmio) de sinal para ter direito de comprar a casa por R$ 230 mil (strike) daqui 1 ano (período do contrato).

Ela faz isso porque acredita que o valor total do imóvel pode chegar a R$ 300 mil.

No caso, se o cenário que ela pensou se concretizar em 12 meses, ela pode desembolsar R$ 230 mil para comprar a casa. Assim, ela pagou o total de R$ 250 mil, o valor combinado e o sinal que já foi pago.

Dessa forma, Maria lucrou R$ 50 mil ao custo de R$ 20 mil. Um total de 150% de rentabilidade. Muito bom, não é mesmo?

Mas e se a Maria errou na sua projeção e a casa perdeu valor, chegando a R$ 180 mil?

Nesse caso, ela simplesmente não exerce o seu direito de compra, perdendo apenas o sinal de R$ 20 mil. Percebe como o João não perdeu nada?

Mesmo a casa sendo desvalorizada, com o sinal que ele recebeu, ele fica na mesma situação. E caso venda a casa por R$ 230 mil, segundo o acordo, ele ganhou R$ 30 mil. 

Essa é uma analogia perfeita para uma opção de compra.

Nesse acordo Maria teve direito de compra e João teve obrigação de venda.

Mas como funciona em uma opção de venda?

João será o titular dessa vez. Ele que vai comprar a opção. 

Imagine que adquiriu uma casa por R$ 200 mil, mas descobriu que ela tem grandes chances de se desvalorizar.

Assim, ele paga R$ 20 mil à Maria (que agora é lançadora) para ter a opção de vender (put) a casa por R$ 200 mil em até 12 meses.

Maria tem a obrigação de comprar pelo preço combinado caso João queira vender.

Acontece que o medo de João se concretiza. A casa chegou ao nível de R$ 100 mil.

Assim, ele exerce o seu direito e vende a casa por R$ 200 mil. Nesse caso, o seu prejuízo foi apenas do prêmio de R$ 20 mil e não de R$ 100 mil, caso não houvesse a opção de venda.

Se a casa, em vez disso, fosse valorizada, chegando a R$ 230 mil, João não exerceria o direito e estaria ainda lucrando R$ 10 mil. 

Viu como é bem mais simples do que você imaginava? Vamos recapitular esses conceitos na sequência.


Glossário do Mercado de Opções

mercado de opcoes glossario
Quando você dominar esses termos, tudo ficará mais fácil.

Já que a proposta deste artigo é ajudar você a dominar o mercado de opções, não há como atingir esse estágio sem conhecer seus principais termos.

Por isso, preparamos um verdadeiro glossário que envolve esse tipo de operação.

Confira!

Opção de Compra ou Call

Vendedor é o lançador e possui a obrigação de vender o ativo-objeto no preço predeterminado no vencimento acordado, recebeu um prêmio por ter esta obrigação.

E o comprador que é o titular e pagou o prêmio adquire a opção de comprar por um preço combinado, que é o strike em um prazo combinado por ambos.

Opção de Venda ou Put

Vendedor é o titular, já que pagou o prêmio para ter o direito, mas não a obrigação, de vender, enquanto o comprador, que é o lançador, tem a obrigação de comprar por um preço combinado, que é o strike, em um prazo acertado por ambos.

+ O que é call e put?

Ativo-objeto

O ativo-objeto é o bem de referência de um contrato de opção.

O exemplo mais comum é um lote de ações. 

O ativo de referência apenas é negociado se o titular exercer o seu direito conforme combinado.

Preço de exercício (strike)

É o preço combinado do ativo-objeto do contrato de opção.

Data de vencimento

É o dia da expiração do contrato.

Nesse dia, o contrato de opção perde o seu valor de mercado, ou como dizem, a opção vira pó. 

No mercado BM&F, a data ocorre sempre na quarta-feira mais próxima do 15º dia de cada mês para opções de Índice.

Já no Bovespa, a expiração acontece sempre na 3º sexta-feira de cada mês.

Existem duas formas de exercer direito de acordo: durante ou apenas na data de vencimento.

No tipo de Opção Europeia, o exercício pode ser feito somente no vencimento do prazo do contrato.

Já na Opção Americana, o direito pode ser feito a qualquer momento do lançamento ao vencimento.

No Brasil, a prática mais comum é utilizar a opção americana para as calls e europeia para as puts.

Titular ou comprador da opção

O titular de uma opção é o investidor que compra um contrato de opção no mercado, adquirindo para si o direito de negociar um ativo-objeto pelo preço de exercício (strike), durante determinado período de tempo ou em uma data pré-determinada.

Ele tem o benefício de operar alavancado, mas corre o risco de perder todo o capital investido.

Lançador ou vendedor da opção

O lançador de uma opção é o investidor que vende um contrato de opção no mercado, adquirindo para si a obrigação de negociar um ativo-objeto pelo preço de exercício (strike), durante determinado período de tempo ou em uma data pré-definida.

O vendedor no mercado de opções está sempre especulando, seja vendendo opções de compra ou de venda.

A sua confiança é que a tendência do mercado se confirme e o benefício do prêmio não seja exercido. 

Prêmio

Prêmio é o preço pago pelo titular de um contrato de opção ao vendedor no momento da aquisição da opção.


Qualquer Pessoa Pode Operar?

Operações ou estratégias com opções são indicadas para todo e qualquer investidor que já possua alguma experiência na bolsa.

Desde que se tenha um prévio conhecimento sobre o assunto, qualquer investidor pode iniciar sua jornada nesse mercado.

As opções são negociadas na Bolsa. Assim, qualquer investidor com uma conta em corretora como a Rico pode operar pelo seu Home Broker.

Sendo cliente Rico, você tem acesso às nossas ferramentas para auxiliar nesse processo. 


Vale a Pena entrar no Mercado de Opções?

mercado de opcoes como funciona
As vantagens são muitas quando você domina o mercado de opções.

Só mesmo você, investidor, pode responder se vale a pena ou não operar no mercado de opções.

Como qualquer aplicação financeira, é preciso avaliar primeiro seus objetivos com o investimento e, ainda, seu perfil de investidor.

Mas é claro que há vantagens que pesam nessa decisão.

Vamos falar sobre elas agora.

Vantagens

Em relação aos outros investimentos, existe a possibilidade de investir em qualquer tendência de mercado, tanto na alta quanto na baixa. 

Além disso, os custos de transação são menores e, com as opções, é possível fazer uma diversificação de estratégias de investimento diferentes das tradicionais.

Você pode construir posições com um controle total sobre a zona de lucro, zona de prejuízo, custos e retorno máximo, conhecendo todos os riscos envolvidos, melhorando a rentabilidade da sua carteira por meio de operações estruturadas.

Maiores oportunidades

O mercado de opções abre a possibilidade de alocação de um volume financeiro menor do que os ativos-objeto, ou ainda, de alavancagem com o mesmo volume de capital, porém assumindo um risco maior.

Conhecendo e operando corretamente esse tipo mercado (o qual é destinado a hedge, ou seja, proteção) existem poucas desvantagens que podem ser controladas. 

Contexto atual

Investir em opções abre um leque sem limites de engenharia financeira, atendendo aos mais diversos objetivos e estratégias.

As incertezas políticas e econômicas também impactam as opções, que são derivativos de uma ação.

Porém, no mercado de ações, é mais difícil montar posições.

É arriscado investir em opções durante a crise do coronavírus?

De maneira resumida, podemos dizer que a crise do coronavírus não tornou mais arriscado o investimento no mercado de opções.

Essa modalidade de aplicação, na verdade, traz um pouco mais de segurança para quem investe na bolsa de valores – um ambiente arriscado por natureza.

Não é de hoje que o mercado de opções vem sendo encarado por investidores como uma alternativa para proteger seus patrimônios durante períodos de crise.

Mas, como toda abordagem que dá mais segurança ao investidor, ele pode não ter os melhores retornos em comparação com a compra e venda direta de ações.

Ao se proteger da desvalorização, é possível que você também acabe se blindando de aproveitar os lucros de uma possível retomada repentina. 


Como Investir no Mercado de Opções

Entendidos os riscos, vantagens e razões para investir no mercado de opções, só falta aprender como fazer isso. É o que  vamos ensinar a partir de agora, destacando o ambiente onde isso acontece:  o home broker.

Home broker

As opções são consultadas normalmente pelo Home Broker, como se consulta um ativo qualquer, bastando para isso o conhecimento prévio da sua série (nomenclatura), que pode ser facilmente conseguido no próprio ambiente virtual.

Uma vez identificada a opção desejada, resta executar a compra/venda pelo Home Broker ou pela Mesa de Operações.

No entanto, vale lembrar que você deve ter um perfil de investidor agressivo para começar a operar opções.


6 Estratégias Matadoras Para Garantir Lucros e Como Usá-las

mercado de opcoes estrategias
Entenda, de forma rápida e fácil como garantir lucros no mercado de opções.

Operar no mercado de opções é fácil. E o que faz diferença nos seus resultados é fazer uso das estratégias certas. A partir de agora, vamos destacar as 6 melhores para você.

1. Financiamento ou Venda Coberta

Essa estratégia funciona assim: você tem uma carteira de ações e vende as opções de compra na mesma quantidade com o fim de rentabilizar o seu portfólio.

Por exemplo, você adquiriu 1.000 ações de Vale por R$ 10. No mesmo dia, você lança as ações em um contrato de opção de compra, com strike em R$ 12 e um prêmio de R$ 0,50 por ação.

Ou seja, você ganhou R$ 500 a curto prazo com suas ações e diminuiu seu custo médio dos ativos para R$ 9,50.

Caso as ações subam a R$ 15 e você seja exercido ao valor combinado de R$ 12, você lucra R$ 2,50 por ação (R$ 2,00 reais da diferença dos ativos, R$ 10,00 da compra menos R$ 12,00 da venda, mais o prêmio da opção R$ 0,50).

Caso elas caiam a R$ 9, o outro investidor não exercerá o seu direito.

No entanto, você não teve prejuízo de R$ 1 por ação, mas de R$ 0,50 por ação.

Muito bom, não é mesmo? 

2. Trava de Baixa

A Trava de Baixa consiste na venda de uma opção com preço de exercício mais baixo e comprar a mesma quantidade de opção com preço de exercício mais alto.

Com essa estratégia, busca-se ganhar com a queda do mercado, onde o retorno máximo é o que se recebe ao montar a operação e o risco máximo limitado a diferença dos strikes das opções.

Resumindo, a Trava de Baixa é a compra de um direito de venda, permitindo a venda das ações a um preço combinado caso elas percam valor.

Nesse sentido, o investidor aposta na baixa das ações e é com esse tipo de opção que realiza um hedge de seu ativo, pois garante um preço mínimo de venda.  

3. Borboleta

Essa é uma estratégia avançada que funciona em três passos:

  1. Venda de opções de compra com menor strike e cotação ainda menor que o atual de mercado
  2. Venda de opções de compra. O dobro do número utilizado nos passos 1 e 3
  3. Compra do número de opções vendidas anteriormente com o preço mais próximo possível do de mercado

Na Borboleta, o investidor percebe que o preço das ações está oscilando muito.

Então, ele faz uma espécie de Trava de Baixa e de Alta, protegendo o seu investimento.

O ganho e a perda são controlados. 

4. Venda a Descoberto ou Short

Essa estratégia funciona da seguinte forma: você não possui uma ação para fazer um contrato de opção de venda, assim, opta pelo aluguel dessa ação para poder realizar o Put.

Trata-se de uma tática arriscada, mas, caso o mercado caia conforme sua previsão, você devolve a ação alugada e a compra pelo preço mais baixo no mercado à vista, faturando pela diferença dos preços. 

Não é necessário ter as ações para comprar uma put e nem fazer o aluguel das ações.

5. Straddle

É uma tática que consiste no lucro pela alta volatilidade do preço de uma ação.

É bem simples de se fazer.

Você deve realizar duas compras de opções: uma de venda e outra de compra sobre o mesmo ativo, pelo mesmo prêmio, strike e prazo de vencimento.

O lucro se dá pela diferença das cotações das opções.

Quanto mais elas variarem, maior será o ganho obtido pela operação.

6. Combinação de opções

Uma boa estratégia de investimentos não pode nunca apostar em apenas um destino para aplicar o capital e dali esperar bons lucros.

Nesse sentido, a combinação de opções é uma abordagem inteligente para proteger sua carteira, alavancar os ganhos e ainda gerar renda passiva.


Exemplos de Como Ganhar Dinheiro com Opções

mercado de opcoes ganhar dinheiro
É sempre válido se inspirar em exemplos de sucesso para investir em opções.

Como primeiro exemplo, vamos considerar que você adquiriu uma opção de compra (call) pelo prêmio de R$ 1 por um lote de 1000 ações da Petrobras com o exercício de R$ 40 (strike). Ou seja, gastou R$ 1 mil em prêmio.

No prazo estabelecido, se ela estiver a R$ 50, você concretiza o seu lucro sobre o R$ 40.

Neste exemplo, o ganho foi de R$ 10 mil menos e o prêmio já pago, totalizando R$ 9 mil. Isso representa 900% de ganho.

Excelente, não? 

O exemplo contrário é positivo também.

Você adquire uma opção de venda de um lote de 1000 ações da Petrobras pelo prêmio de R$ 1 por ação. O prêmio pago foi o mesmo, R$ 1 mil. O strike é o mesmo, R$ 40.

Só que a ação chega a R$ 30 na data de vencimento.

Como o outro investidor possui a obrigação de compra, você exerce o seu direito e vende 1000 ações por R$ 40, efetivando um lucro de R$ 9 mil, descontando o prêmio pago.

Se em ambos os casos de PUT e CALL o cenário fosse o contrário, bastaria você não exercer o seu direito, perdendo apenas o prêmio pago pelo contrato de opção. 


Existem Riscos no Mercado de Opções?

Se você quer se proteger utilizando o mercado de opções, os riscos são mínimos.

Afinal, é como comprar um seguro. O valor do contrato é um investimento que defende você de possíveis surpresas.

Ou seja, o risco ao ser titular é de perder no máximo o prêmio pago, enquanto para o lançador de uma opção, os riscos são ilimitados.

Todavia, como em toda lógica de ganho e perda, quando o risco é muito alto, a possibilidade de ganho também é.

O lançador pode lucrar de duas formas: recomprando a opção de compra por um prêmio de valor mais baixo do que o recebido quando a vendeu ou, simplesmente, esperando o contrato vencer e, assim, conseguindo o prêmio sem nenhum prejuízo.


Mercado de opções para iniciantes: tire suas principais dúvidas

Na hora de investir no mercado de opções, muitos investidores ainda têm dúvidas – sobretudo os iniciantes – e isso é completamente natural.

Podemos admitir que o mundo dos investimentos é um pouco intimidador para quem não está familiarizado.

Para te ajudar a navegar, selecionamos e respondemos abaixo as principais dúvidas sobre o tema.

O que é mercado de opções binárias?

Altamente especulativo, o mercado de opções binárias dá ao investidor a alternativa de “apostar” na queda ou na alta da cotação de um ativo.

Na lista de aplicações que podem ser consideradas no mercado, estão diversos títulos, ações, commodities e até mesmo moedas estrangeiras.

Dentro da modalidade, a valorização ou desvalorização do ativo pode ocorrer em curtíssimos períodos de tempo, que variam entre 15 segundos e 30 minutos.

Qual o lote mínimo de opções?

Ações são comercializadas em lotes e, mais recentemente, o fracionamento desses lotes abriu o mercado para investidores de menor calibre.

A mesma lógica de comercialização se aplica também ao mercado de opções, com uma pequena diferença.

Aqui, o padrão mínimo para os lotes de negociação conta com 100 unidades.

Diferente do mercado acionário, porém, a negociação de opções não tem a possibilidade de fracionar para quem quiser comprar ou vender um número menor.

Entenda os códigos das opções 

No pregão da bolsa de valores, a negociação das ações ganha agilidade por meio da adoção de um sistema de códigos.

Todo título negociado no mercado acionário da B3 conta com cinco letras e dois números.

Esse modelo de codificação ajuda o corretor a identificar rapidamente qual é o ativo-objeto, o mês de vencimento e o preço de exercício da opção negociada.

Na regra PETRD35, por exemplo, temos identificado que se trata de opções da Petrobrás (PETR é sua sigla na bolsa), com vencimento para abril e preço de exercício de R$ 35,00.

A correspondência dos meses, dada em letras, segue a lógica definida na tabela abaixo:

Mês de vencimentoSérie da Opção de Compra(CALL)Série da Opção de Venda(PUT)
JaneiroAM
FevereiroBN
MarçoCO
AbrilDP
MaioEQ
JunhoFR
JulhoGS
AgostoHT
SetembroIU
OutubroJV
NovembroKW
DezembroLX

Aprendeu tudo sobre o mercado de opções? Então abra sua conta na Rico para começar a investir!