março 7, 2022

Você também pode ser um investidor

Abra sua conta na Rico agora, é grátis

As 10 mulheres mais ricas do Brasil [atualizado] 

Compartilhar:  

De acordo com a Forbes Brasil, o clube super exclusivo de bilionários do país, em 2021, aumentou em 32%, crescendo de 238 para 315.  

E a participação feminina também teve uma grande alta. De 2016 para 2021, a lista de mulheres mais ricas do Brasil dobrou

Preparamos este conteúdo para dar visibilidade às mulheres mais bem-sucedidas do país. No decorrer dos próximos tópicos, você verá como elas construíram suas grandes fortunas.  

Além disso, mostraremos como os investimentos podem ajudar você a alcançar altos patamares de riqueza também. Confira! 

Acompanhe as pautas que iremos abordar ao longo do conteúdo:  

  • Quem são as mulheres mais ricas do Brasil? 
  • Como os bilionários investem? 
  • Como começar a investir?  
  • Como investir com pouco dinheiro? 

Boa leitura! 

Quem são as mulheres mais ricas do Brasil? 

A segunda imagem do conteúdo é a foto de duas mulheres na praia. Em referência as mulheres mais ricas do Brasil.

Nomes de grandes empresárias como Gisele Trajano (Magazine Luiza) e Lucia Borges Maggi (Sementes Maggi) integram o top 10 de mulheres mais ricas do Brasil.  

A lista foi feita com base em informações divulgadas pela Forbes. Veja a seguir um pouco mais sobre a história dessas mulheres

1. Marli Maggi Pissollo e família 

A oitava imagem do conteúdo é a foto da oitava mulher mais rica do Brasil, Lucia Borges Maggi, segundo a Forbes.
Fonte: Amaggi 

Empresária bem-sucedida em diversos segmentos do mercado, especialmente no Agronegócio, Marli é uma das controladoras da renomada companhia Amaggi, a maior produtora privada de soja do planeta — fundada por seu pai, André Maggi. 
 

Com o falecimento de André, Lucia, mãe de Marli e também bilionária, assumiu a liderança do grupo.  
 

Hoje, Marli, ao lado de seu filho Blairo e seu genro Itamar Locks, ambos também bilionários, diversificam seus negócios investindo em fazendas de grãos, energia, fertilizantes, transporte e extração de borracha. 

Seu patrimônio líquido está atualmente avaliado em R$ 10,40 bilhões.

2. Lucia Borges Maggi 

Lucia Borges Maggi é uma peça importante na história de uma das maiores corporações do mundo, a companhia agrícola Amaggi.  

Lucia é uma das fundadoras e principais acionistas da Amaggi, atualmente com sede em Cuiabá. 

Foram anos de trabalho duro para Lucia ao lado de seus sócios, transformaram a organização no que é hoje.  

Seu patrimônio líquido está avaliado em R$ 10,40 bilhões, colocando-a na lista das 10 mulheres mais ricas do Brasil. 

3. Ana Lúcia de Mattos Baretto Villela 

A nona imagem do conteúdo é a foto da nona mulher mais rica do Brasil, na Lúcia de Mattos Baretto Villela, segundo a Forbes.
Fonte: Forbes 

Ao lado do irmão, Ana Lúcia detém cerca de 14% da Itaúsa, a holding que controla a maior instituição bancária privada da América Latina, o Itaú Unibanco.  

Sendo a maior acionista individual da companhia, Ana Lúcia tem um patrimônio líquido avaliado em R$ 8,50 bilhões. 

4. Vicky Sarfati Safra 

A quarta imagem do conteúdo é a foto da segunda mulher mais rica do Brasil, Vicky Sarfati Safra, segundo a Forbes.
Fonte: Suno

Vicky Sarfati Safra nasceu na Grécia, mas sua família se mudou para o Brasil.  

Em dezembro de 2020, Vicky herdou quase metade do patrimônio de Joseph Safra, seu falecido marido e banqueiro mais rico do planeta.  

Hoje, Vicky e seus quatro filhos são os controladores do Safra National Bank, nos Estados Unidos, do Banco Safra, no Brasil, e do J. Safra Sarasin, na Suíça, onde mora a viúva há muitos anos. 

De acordo com a Forbes, Vicky Safra tem um patrimônio líquido avaliado em torno de US$ 8 bilhões, cuja fonte da fortuna provém das companhias Safra

5. Gisele Trajano 

Ao lado dos irmãos, Gisele é uma das herdeiras de uma fatia da participação acionária de seu pai, Onofre de Paula Trajano, na gigantesca companhia Magazine Luiza, fundada em 1957, pela tia, Luiza Trajano Donato.  

O patrimônio líquido de Gisele Trajano é, atualmente, estimado em R$ 7,20 bilhões. 

6. Camilla Godoy Bueno Grossi 

Empresária do setor de saúde, Camilla Godoy Bueno Grossi herdou a participação do pai, Edson de Godoy Bueno — fundador do Grupo Amil —, tornando uma das acionistas da  

Diagnósticos da América (DASA).  

Ao lado da mãe, Dulce Godoy, ambas possuem uma fatia acionária considerável do Grupo Amil

Seu patrimônio líquido, hoje, vale R$ 7 bilhões e é proveniente das duas organizações em que ela é acionária, DASA e Amil. 

7. Maria Helena Moraes Scripilliti 

A sétima imagem do conteúdo é a foto da quinta mulher mais rica do Brasil, Maria Helena Moraes Scripilliti, segundo a Forbes.
Fonte: Márcia Travessoni

Única mulher entre os quatros filhos de José Ermírio de Moraes, o empresário que fundou a companhia Votorantim, Maria Helena integra a lista de mulheres mais ricas do Brasil, já que sua família é dona de 100% da empresa. 

Durante os anos 1960 e 1970, Maria Helena ajudou a expandir a Votorantim no Nordeste do Brasil, ao lado de seu falecido marido Clovis Scripilliti. 

Com uma operação que atua em mais de 20 países, o império de Maria Helena é considerado o 5° maior grupo industrial diversificado da América Latina. 

Fruto dos lucros da bem-sucedida Votorantim, hoje, a Forbes estima o patrimônio líquido de Helena em US$ 4 bilhões. 

8. Luiza Helena Trajano Inácio Rodrigues 

A terceira imagem do conteúdo é a foto da mulher mais rica do Brasil, Luiza Trajano.
Fonte: Infomoney

Logo no início do negócio, em meados dos 1960, Luiza já ajudava no atendimento aos clientes da loja localizada no interior de São Paulo, mas foi em 1991 que se tornou presidenta do Magazine Luiza.  

Cargo que manteve até 2015, até transferir a presidência para seu filho e ocupar o conselho administrativo da empresa. Além disso, Luiza está à frente da LuizaSeg Seguros desde 2005. 

Atualmente, Luiza Trajano, aos 70 anos de idade, tem um patrimônio líquido de US$ 1,6 bilhões, do qual grande parte é proveniente não apenas da Magazine Luiza, mas de todas as empresas adquiridas pela companhia, além de seus investimentos. 

9. Flávia Bittar Garcia Faleiros 

A quinta imagem do conteúdo é a foto da terceira mulher mais rica do Brasil, Flávia Bittar Garcia Faleiros, segundo a Forbes.
Fonte: Suno

Ao lado dos irmãos, Flávia Bittar Garcia Faleiros está entre os principais herdeiros das ações do casal Maria e Wagner Trajano Garcia, acionistas majoritários e participantes da fundação do Magazine Luiza.  

A fatia de Flávia na fortuna da família é controlada por intermédio da holding Walter Garcia Participações.  

De acordo com o levantamento feito pela Forbes em 2021, o patrimônio de Flávia, hoje, é avaliado em US$ 1,3 bilhões — cuja fonte de riqueza provém da Magazine Luiza —, quantia que a posiciona entre as mulheres mais ricas do Brasil. 

10. Dulce Pugliese Godoy Bueno 

A sexta imagem do conteúdo é a foto da quarta mulher mais rica do Brasil, Dulce Pugliese Godoy Bueno, segundo a Forbes.
Fonte: UOL Glamurama

Ao lado do ex-marido, Edson de Godoy Bueno, Dulce Pugliese Godoy Bueno foi a fundadora da rede de saúde Amil, em 1972.  

Dulce saiu da administração diária da empresa quando os dois se divorciaram, mas manteve elevada sua participação como acionista. 

Dulce acompanhou Edson em novos empreendimentos mesmo após a gigante norte-americana UnitedHealth comprar a companhia, em 2012, como a Dasa, uma das mais bem-sucedidas redes de laboratórios da atualidade. 

Segundo dados da Forbes, a fortuna de Dulce Pugliese Godoy Bueno, construída graças ao sucesso da Amil, está atualmente avaliada em US$ 1,2 bilhão. 

Como os bilionários investem? 

 A décima imagem do conteúdo é a foto de uma mulher sentada em uma mesa contando dinheiro em referência as mulheres mais ricas do Brasil.

Não há um padrão de investimento para investidores em um nível financeiro tão alto como o dos bilionários, o que permite que eles apostem alto na diversificação, aplicando capital em diferentes mercados e produtos financeiros, que podem variar de títulos, ações, fundos de investimento e muito mais.  

Eles costumam investir em setores com alto potencial de crescimento e em novas tecnologias para aprimorar o mercado.  

Além disso, eles apostam em nichos em que não há escassez de demanda como o agronegócio, que é um dos principais sustentadores do setor de alimentação mundial, e o da saúde, que é uma necessidade imprescindível para qualquer ser humano. 

Como começar a investir? 

Qualquer pessoa que deseja começar a investir deve, em primeiro lugar, ter uma boa organização financeira, disciplina e uma visão estratégica. 

A seguir, você verá um passo a passo sobre como começar a investir

1. Estabeleça objetivos 

Determinar metas financeiras é uma excelente maneira de se educar em relação à forma como você lida com seu dinheiro.  

Seja a aquisição de um apartamento, a compra de um carro no final do ano ou a simples troca de um smartphone, o fato é que ter objetivos ajuda a ter disciplina
 
Agora, se o plano é garantir uma aposentadoria mais tranquila, talvez seja necessário que você determine objetivos em diferentes zonas temporais, isto é, de curto, médio e longo prazo. 

Investimentos de curto prazo 

São investimentos que duram no máximo até um ano, como aplicações com liquidez diária.  

São comumente usados para quem gosta de ter uma reserva emergencial, pois no caso de imprevistos, podem ser resgatados imediatamente sem prejuízos. 

Investimentos de médio prazo 

Nesta categoria, estão os investimentos com prazo entre um a cinco anos de duração.  

Normalmente, abrangem produtos de risco moderado, com baixa ou nenhuma liquidez diária e alguma volatilidade.  

São indicados para investidores que têm algum tempo pela frente para o resgate dessa reserva. 

Investimentos de longo prazo 

Esses investimentos têm duração acima de cinco anos e, caso seja da preferência do investidor, permitem a aplicação em ativos ainda mais extensos e com maior volatilidade, o que também abre uma margem maior para riscos de mercado (proporcionalmente igual ao potencial de ganho). 

2. Determine o valor que será investido mensalmente 

Outro passo importante a ser dado quando o assunto é começar a investir é a tarefa de estabelecer uma quantia que pode ser investida mensalmente.  

Faça um levantamento de despesas e receitas mensais para descobrir quanto do orçamento pode ser dedicado a esses investimentos. 

Assim, será mais fácil saber quais as opções de investimentos mais adequadas ao seu perfil. 

3. Descubra seu perfil de investidor 

O mercado financeiro abre margem para investidores com os mais diversos níveis de poder aquisitivo, disponibilidade de tempo e disposição para correr riscos.  

Melhores investimentos para cada perfil de investidor(a) 

Conhecer seu perfil de investidor pode ajudar na escolha das opções mais adequadas.Veja a seguir:  

Melhores investimentos para um perfil conservador 

Por terem liquidez diária, baixa volatilidade e permitirem o resgate a qualquer momento, investidores mais conservadores, isto é, que não gostam de se expor a riscos mesmo que isso signifique uma lucratividade menor, podem escolher produtos como: 

Melhores investimentos para um perfil moderado 

Para investidores que têm o objetivo de proteger seu capital no longo prazo, equilibrando riscos e possibilidades de ganho ao investir em produtos com algum nível de risco, as seguintes opções podem ser interessantes: 

Melhor investimentos para um perfil arrojado 

Investidores com um capital maior guardado e um pouco mais de experiência no mercado financeiro sabem que, para obter maiores retornos é preciso se expôr à possibilidade de sofrer perdas em alguns momentos. Por isso, costumam investir em: 

4. Estude sobre investimentos e crie uma carteira diversificada de acordo com os seus objetivos 

Se, mesmo dispondo de pouco dinheiro, você deseja investir como um bilionário, lembre-se de que uma carteira diversificada que atenda aos seus objetivos é o melhor caminho para expandir o patrimônio, já que os riscos são dissolvidos em diversos produtos com liquidez e volatilidade diferentes. 

5. Abra sua conta em uma corretora de valores (como a Rico) 

Para começar a investir com pouco dinheiro ou com quantias maiores, primeiramente você precisará de uma corretora de valores de confiança, credibilidade, que preze por suas necessidades e, ainda, não cobre taxas de corretagem, como a Rico. 

A corretora é uma instituição financeira autorizada a intermediar ordens de compra ou de venda de ações dos clientes, para que eles executem operações na B3 (a Bolsa de Valores do Brasil).  

Para abrir uma conta na Rico basta informar seus dados, enviar alguns documentos de identificação pessoal que serão solicitados e preencher o cadastro na plataforma. 

Você receberá um login e uma senha de acesso e poderá escolher os produtos disponíveis que melhor atendam suas necessidades.  

Tendo a conta aberta, é só realizar uma transferência (TED ou DOC) para sua conta e começar investir! 

Como investir com pouco dinheiro? 

Primeiramente, é preciso desconstruir alguns pensamentos equivocados que acabam se transformando em máximas absolutas.  

Muitas pessoas se privam de investir por acreditarem que o mercado financeiro é restrito aos bilionários, por exemplo, acreditando que é preciso ter muito dinheiro para investir. 

Como mostramos no decorrer do conteúdo, com definição de metas, sabedoria e disciplina, é possível investir aos poucos para, regularmente, ainda que em um ritmo lento, seu patrimônio cresça com o passar do tempo. 

Você também viu que existem opções para todos os perfis, bolsos, tempo de dedicação e níveis de conhecimento, como a Renda Fixa que abre margem para títulos públicos do Governo no Tesouro Direto, disponíveis a partir de quantias muito baixas. 

 Para que você tenha uma ideia, é possível comprar títulos do Tesouro a partir de R$ 30. 

Agora, se você já conseguiu poupar um pouco mais, pode investir em papéis do setor bancário, isto é, em CDBs com R$ 500 ou até menos. 

Mas será que vale a pena investir tão pouco? Sim!  

Afinal, a remuneração de produtos como o CDB e os Fundos Imobiliários, por exemplo, segue o princípio dos juros compostos, ou seja, ao longo do tempo os retornos recebidos são incorporados ao patrimônio do investidor, passando a somar ao rendimento de juros.  

Se você já entende um pouco sobre a Bolsa de Valores, deve saber que é possível apostar quantias pequenas em ações por meio do mercado fracionário, que é quando os títulos são comercializados individualmente e em quantidades inferiores às de um lote padrão, na maioria dos casos, 100 ações. 

Conclusão

A décima primeira imagem do conteúdo é a foto de uma mulher contando dinheiro em referência as mulheres mais ricas do Brasil.

Começar a investir com pouco dinheiro é uma atitude que só exige que o primeiro passo seja dado. 

Enquanto muitas pessoas esperam pelo “momento certo” para começar, seus investimentos podem estar rendendo e agregando riqueza ao seu patrimônio. 

As mulheres mais ricas do Brasil começaram em algum momento, não é mesmo? Mas nós entendemos que dar o primeiro passo pode dar um friozinho na barriga.  
 
Por isso, nossa equipe está aqui para ajudar vocês a investirem com segurança, produzindo conteúdos atualizados sobre o mercado financeiro e explicando todos os termos do universo financeiro de um jeito descomplicado.  

Agradecemos a leitura!  

Então, abra uma conta na Rico e descubra um universo de possibilidades ao seu alcance!