Gol de CDB da Rico 250% do CDI: a cada fase que o Brasil avança na competição, você pode investir mais R$ 500 no produto

20/04/2022 12:37:42 • Atualizado em 02/12/2022 13:49:46
24 minuto(s) de leitura


10 dicas de investimento para iniciantes

Quer ficar rico? Confira este artigo com as 10 melhores dicas de investimento especiais para quem está começando a investir. Saiba como quitar as dívidas e fazer um planejamento financeiro para ter mais rendimentos. Conheça também as aplicações mais recomendadas em renda fixa e variável.


Compartilhar:
A primeira imagem do conteúdo é a foto de uma mulher sentada a frente do notebook, anotas as dicas de investimentos da Rico.

Como investir pouco dinheiro? Onde rende mais? Por onde começar?  

Dicas de investimento não faltam na internet. Existem centenas de textos falando o que você deve fazer com o seu dinheiro.  

No entanto, é importante tomar cuidado com as fontes consultadas, principalmente aquelas que prometem fórmulas para enriquecer rápido.  

Investir é um processo que deve ser construído e acompanhado com frequência. Assim, você terá excelentes resultados no futuro.  

As suas finanças estão uma bagunça e você não sabe por onde começar?  

Boa parte das pessoas mais ricos do mundo começaram do zero. Então, você também pode chegar lá.  

Para ajudar você, preparamos um guia completo com dicas de investimento incríveis para você começar com o pé direito.  

Estes são os tópicos que iremos abordar ao longo do conteúdo 

  • A importância dos investimentos 
  • 10 dicas de investimentos que você precisa conhecer 
  • Dicas de investimentos extras para iniciante 

Boa leitura! 

Qual a importância dos investimentos? 

Não existem atalhos no mundo dos investimentos! 

O caminho mais curto e rápido para ficar rico é aprender sobre o significado do dinheiro na sua vida. 

Ele permite realizar os seus sonhos como, fazer uma viagem de férias, alcançar o primeiro milhão ou ter uma aposentadoria tranquila.  

Além disso, o dinheiro traz qualidade de vida no presente. Com ele, você tem liberdade para comprar o que quiser, oferecer boas condições para os seus filhos e ter experiências únicas.  

Para que tudo isso seja possível, é fundamental saber utilizar o dinheiro. Neste ponto, entra o hábito de poupar e investir.  

Economizar parte dos seus rendimentos é o requisito básico para ter um futuro melhor e para não ter preocupações no presente como as dívidas.  

Porém, há um fator contra o acúmulo de dinheiro: a inflação. Por isso, você já deve ter ouvido falar que quem “guarda-o embaixo do colchão” está fadado a não ter nada.  

O IPCA é um índice que mede a movimentação dos preços de uma cesta de produtos e, consequentemente, valorização ou desvalorização da moeda ao longo do tempo.  

Todos os meses ele é medido para entender os impactos da variação de preços ao consumidor brasileiro. Afinal, os R$50,00 de 2010 não tem mais o mesmo poder de compra hoje em dia. 

Por exemplo: R$1000,00 em 2010 seriam equivalentes a R$ 2.039,08 hoje em poder de compra.  

A inflação corrói parte do poder de compra do seu dinheiro em relação ao tempo. Para se proteger dela, há os investimentos.  

São investimentos onde você empresta seu dinheiro e em troca recebe um juro acrescido também da inflação medida no período. 

Ao investir, é possível realizar os seus sonhos em menos tempo que o planejado. Basta fazer as escolhas certas e seguir as dicas deste artigo.  

10 dicas de investimentos que você precisa conhecer – Como aprender a investir dinheiro? 

Até aqui, aprendemos sobre a importância dos investimentos para não sofrer com a inflação e promover rentabilidade ao seu patrimônio líquido.  

Agora, para não te deixar na mão, listamos 10 dicas de investimentos para você se tornar um investidor de sucesso.  

1. Faça o seu planejamento financeiro 

O primeiro para começar a investir é fazer o seu planejamento financeiro. Ele fornece o mapeamento das suas finanças, isto é, as entradas e saídas do seu orçamento.  

Para isso, você pode utilizar planilhas ou aplicativos de celular. Anote todos os gastos, até os pequenos como, o cafézinho de todos os dias.  
 
E não se esqueça dos gastos recorrentes que ocorrem em longos períodos como seguro, impostos e outros. 

Com o seu planejamento em mãos, identifique os gastos supérfluos e as oportunidades de economia. Assim, você terá mais dinheiro para investir.  

Estabeleça também o valor a ser aplicado e a frequência, por exemplo, aplicar R$ 500,00 por mês.  

Além de fazer o planejamento financeiro, você deve segui-lo. Reserve algum tempo na semana para analisar o seu balanço. Em pouco tempo, a diferença será nítida. 

2. Saiba quais são os seus objetivos 

Foto de uma mãe com sua filha pequena jogando roupas de um mala para cima, sorrindo. Em referência à realizar seus sonhos aprendendo as dicas de investimentos com a Rico.

Essa dica é muito importante. Tenha objetivos bem definidos. Eles serão uma motivação para você.  

Depois de fazer o seu planejamento financeiro, pense o que você quer realizar com o dinheiro poupado, por exemplo, conquistar a liberdade financeira, estudar fora do país ou montar o próprio negócio.  

Selecione cinco deles e separe-os em curto, médio e longo prazos. O período de conclusão ajuda a manter o foco para investir.  

3. Livre-se das dívidas 

Se você possui dívidas, primeiro elimine-as antes de fazer qualquer investimento. Com elas, será difícil acumular um patrimônio sólido.  

Mesmo que os seus investimentos tenham uma alta taxa de rentabilidade, o prejuízo dos juros cobrados por bancos e financeiras normalmente serão maiores.  

Se você é iniciante e tem dívidas, saia delas o mais rápido possível. Comece com o levantamento do valor total e procure meios de negociação. Há credores que oferecem descontos ou parcelamentos. 

4. Não invista em bancos  

Agora, vamos à melhor parte, que é começar a investir.  

Mas por que não investir com os bancos? 

Eles cobram taxas que diminuem a rentabilidade final dos investimentos e a variedade de produtos costuma ser menor e as taxas de rendimentos oferecidas são baixas.  

Na Rico, você abre a sua conta e investe nas melhores opções de renda fixa e renda variável do mercado sem taxa de corretagem. Tudo 100% gratuito para você começar a investir hoje. 

Além disso, oferecemos suporte da nossa equipe para tirar todas as suas dúvidas sobre os produtos e serviços. 

5. Conheça os principais investimentos para iniciantes 

Como você está começando a investir, provavelmente, há muitas dúvidas sobre quais aplicações escolher, não é? 

A opção mais segura é a renda fixa. Basicamente, ela é um título de dívida emitido por uma instituição como, o governo ou bancos.  

Então, eles arrecadam o dinheiro dos investidores para financiar as suas atividades. Em troca, oferecem uma taxa de rentabilidade, que por sua vez pode ser prefixada ou pós-fixada. 

A primeira categoria consiste em um rendimento fixo, ou seja, você investe e já sabe o quanto vai receber na data do vencimento.  

Um exemplo seria um título prefixado que paga 10% ao ano. Independente das condições do mercado, os retornos serão os mesmos.  

A taxa pós-fixada é atrelada a um indexador da economia como o CDI, IPCA e a taxa Selic. Portanto, o rendimento é um percentual do indicador.  

De forma geral, os investimentos em renda fixa fazem o seu dinheiro sempre crescer com segurança.  

Além disso, eles são simples para aplicar e exigem acompanhamento mais leve em comparação às ações.  

As aplicações de renda fixa são:  

  • CDB (Certificado de Depósito Bancário) 
  • Tesouro Direto 
  • LCI (Letra de Crédito Imobiliária) 
  • LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) 
  • Debêntures 
  • Fundos de Investimentos de Renda Fixa 
  • LC (Letras de Câmbio) 
  • CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) 
  • CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) 

Na escolha dos seus investimentos, o ideal é conhecer sobre cada um deles. 

Tenha em mente que algumas aplicações poder ter risco mais elevado mais elevados, como é o caso do CRI/CRA e das debêntures.  

Assim, você precisa saber a sua tolerância a este fator através do seu perfil de investidor. Basicamente, a classificação é: 

  • Conservador 
  • Moderado 
  • Agressivo ou arrojado 

Ao definir a sua tolerância aos riscos, você poderá fazer escolhas mais assertivas e adequadas para os seus objetivos como investidor.  

Considere também fatores como, aporte mínimo, rendimento esperado e prazo de aplicação.  

Você já investe em renda fixa e está pensando em partir para a Bolsa de Valores? Confira neste vídeo qual o momento certo de começar a investir em ações: 

6. Faça uma reserva de emergência 

O primeiro foco do dinheiro investido deve ser para a formação da sua reserva de emergência.  

Como todo bom investidor, você também precisa estar preparado para as eventualidades.  

Os especialistas recomendam que o valor do fundo de emergência seja equivalente a seis meses das suas despesas mensais.  

Para investir na sua proteção, o ideal é utilizar investimentos com liquidez, pois eles pagam rendimentos diários.  

O mais indicado para isso é o Tesouro Selic (LFT). Ele é um título público, portanto, é mais seguro.  

Além disso, a sua rentabilidade é aproximadamente a taxa básica de juros, porque o tesouro direto paga Selic+TR . Então, você terá uma reserva de emergência com bons rendimentos.  

Outra vantagem é a previsibilidade dos rendimentos, fazendo com que seu investimento cresça de forma linear e previsível na maior parte do tempo. 

Assim, se você precisar vendê-lo a qualquer momento, as perdas de rendimento são pequenas em relação aos demais títulos.  

7. Diversifique os investimentos 

Um dos segredos dos grandes investidores, como Warren Buffett e Paulo Lemann, é a diversificação dos investimentos.  

O objetivo é aplicar o dinheiro em vários tipos de investimentos para obter bons rendimentos independente das condições de mercado.  

A diversificação também gera um fluxo de caixa na sua carteira, ou seja, há entradas recorrentes das remunerações das aplicações.  

Esse dinheiro pode ser utilizado para reinvestimentos em novos ativos ou para pagar as suas contas.  

Manter uma carteira diversificada é uma ótima maneira de se proteger da volatilidade do mercado.  

8. Tenha paciência e disciplina 

Essa dica pode ser muito difícil de seguir, mas com certeza é uma das chaves para que você se torne um investidor de sucesso. 

Tenha controle de si mesmo. Evite tomar decisões baseadas nas vontades momentâneas e nas emoções. Priorize sempre os seus objetivos. 

Os investimentos em renda fixa, mesmo com boas taxas de rentabilidade, não trazem riqueza da noite para o dia. Então, tenha paciência e continue a investir.  

Caso você pense que a bolsa de valores é um enriquecimento certo, tenha muito cuidado.  

Com ela, você precisará ainda mais de paciência, porque os ativos estão sujeitos às oscilações diárias. Hoje, uma ação que vale R $20,00, amanhã pode estar em R $10,00.  

Muitas vezes, o melhor a fazer é simplesmente controlar os ânimos e deixar o mercado fluir.  

Assim, podemos dizer que cada investimento possui um comportamento. Conheça os ativos antes de comprá-los. Para iniciar, priorize os que têm riscos mais baixos.  

9. Avalie investimentos de renda variável 

Após ter formado a sua carteira de investimentos com renda fixa e se tornar um investidor mais experiente, pode ser interessante reservar uma parte do capital para investir em renda variável.   

Existem muitas formas de aplicar na bolsa de valores com riscos mais baixos. Algumas das mais recomendadas são os Fundos de Investimento em Ações ou os Multimercados e os ETFs.  

Os fundos são como um condomínio onde diversos investidores confiam o seu dinheiro a uma gestora que distribui o patrimônio em ativos segundo um objetivo e política de investimento. 

Mas lembre-se: fundos podem aplicar em renda fixa ou serem exclusivamente renda fixa. 

Enquanto os ETFs (Exchange Traded Funds) são fundos de índice compostos por um grupo de ativos, como por exemplo ações de empresas, existem ETFs de renda fixa, criptos e etc. 

O objetivo da rentabilidade deles é um índice da renda variável como, o Ibovespa (IBOV) e o Small Cap (SMLL).  

Esses investimentos são diversificados. Assim, o risco nesse tipo de ativo é mais baixo que em relação aos papéis avulsos. 

Além disso, os custos de aplicação são menores. Se você quer investir em ações com pouco dinheiro, eles podem ser boas alternativas.  

Outra forma de aplicar na bolsa é através da compra direta dos ativos. Apesar de ser tratado como um investimento de alto risco, esta pode ser uma alternativa interessante para a sua carteira. 

Para um iniciante nessa área, uma ótima maneira de selecionar as ações é ter uma ideia de como funciona a análise fundamentalista.  

Com isso, você saberá os princípios básicos para escolher as empresas que estão listadas na bolsa.  

Se você está em busca de dicas para investir em ações, dê uma olhada nas carteiras recomendadas. 

Nesse caso, especialistas das corretoras de valores selecionam os ativos e montam um portfólio, com base em estudos e análises avançadas. 

Com elas, você pode ter rendimentos muito atrativos.  

10. Acompanhe os seus investimentos e o mercado 

Não basta apenas investir o seu dinheiro, você precisa acompanhar o desempenho das suas aplicações, principalmente as de renda variável.  

Portanto, o ideal é fazer uma análise dos resultados, pelo menos, a cada seis meses. Compare os retornos obtidos com as suas expectativas.  

Verifique também as condições do mercado. Os juros caíram? A bolsa chegou a 80 mil pontos? O dólar subiu?  

A partir disso, faça os ajustes necessários, por exemplo, diminuir a exposição em bolsa e aumentar a renda fixa.  

Outra dica é acompanhar diariamente as notícias do mercado e as que estão relacionadas aos seus investimentos.  

De acordo com elas, é possível tomar decisões para proteger o seu dinheiro. Tenha em mente que estar bem-informado é essencial para ser um investidor de sucesso.  

Conclusão e dicas de investimentos extras 

Foto de um filhote de gato deitado com as patas para cima. Palavra-chave de referência: dicas de investimentos para iniciantes.
GANHAR – POUPAR – INVESTIR 

Se houver um problema em qualquer parte desses três pilares, os seus investimentos estarão em risco. Afinal, se não houver ganhos, dificilmente você conseguirá poupar ou investir.  

Para não comprometer essa lógica, entenda uma das melhores dicas de investimentos: saiba o seu ciclo financeiro atual. Você está na fase de acumular, rentabilizar ou proteger capital? 

Essa resposta depende de quanto patrimônio você possui e quantos anos têm. Se é jovem e ainda não possui patrimônio, significa que você precisa acumular. 

Nessa fase, o melhor a se fazer é começar a investir em alternativas mais acessíveis, como os títulos do Tesouro Direto e os Fundos de Investimentos.  

Caso já seja um adulto estabilizado no mercado de trabalho com uma boa renda e algum capital guardado, está na hora de buscar os melhores rendimentos a médio e longo prazo. 

Ou então, se você já tiver um bom patrimônio capaz de sustentar você apenas com sua rentabilidade, é preciso investir de maneira segura para manter a sua independência financeira. 

Portanto, respeite o seu tempo e o seu momento financeiro. Invista com paciência e disciplina, que logo você vai atingir os seus objetivos.  

Priorize os investimentos de renda fixa e tenha exposição saudável em ações. Se você fizer boas escolhas, os resultados serão consequência.