agosto 12, 2021

Benchmark: o que é e qual sua função nos investimentos?  

Benchmark é um termo comum no marketing, mas você sabia que este conceito é fundamental nos investimentos e está presente em 100% das decisões que o investidor toma para fazer um bom negócio na sua carteira de investimentos? 

Um investidor, com sucesso em suas aplicações, precisa saber o significado de benchmark.  

E nós estamos aqui para te ajudar! 

Por isso, vamos começar pensando agora em um Benchmark importante do mercado financeiro? Não sabe nenhum?  

Até o fim desse conteúdo você vai conhecer os mais importantes Benchmark do mercado financeiro e como eles vão te ajudar ao longo dos anos em seus investimentos.  

Tudo pronto?  

Se sim, seguem os tópicos que vamos abordar ao longo do conteúdo: 

  • O que é Benchmark?  
  • Qual a função do benchmark? 
  • Como funciona o benchmark? 
  • Benchmark ou benchmarking: qual a diferença? 
  • O que é benchmark em investimentos? 
  • Quais benchmark são utilizados para Renda Fixa e Renda Variável? 
  • Como fazer um benchmark? 
  • Qual o melhor momento para fazer um benchmark financeiro? 

Então vamos lá! 

O que é Benchmark? 

Mulheres em um escritório conversando com sobre a importância de um benchmark para os investimentos.

O Benchmark é um padrão de referência do mercado utilizado para avaliar o desempenho de uma estratégia nos negócios, seja no marketing ou até mesmo nos investimentos.  

Sem a existência de um benchmark não é possível fazer uma avaliação justa de como está o desempenho da sua estratégia.  

Da mesma forma, não é possível entender se uma aplicação vale a pena, pois ela não oferece informações baseadas no mercado. 

Mas vamos entender um pouco melhor o que é benchmark a partir das suas funções. 

Qual a função do Benchmark? 

A função do benchmark é servir como referência para avaliar um desempenho.  

Uma empresa, por exemplo, pode estar indo muito bem nos negócios, fazendo milhares de vendas todos os meses e conseguindo ter um bom lucro, mas com base em quê? 

Nesse caso, o benchmark serve como padrão de referência para que a empresa entenda se ela está conseguindo acompanhar o mercado e até mesmo se destacar com resultados melhores dos que o da referência, traçando metas e ajustando as práticas. 

Como funciona o Benchmark? 

O benchmark é o ideal para compreender como seu negócio ou investimentos está posicionado em frente à concorrência, pois ele vai funcionar como referência do que deve ser atingido para que não haja danos e prejuízos, seja no curto, médio ou longo prazo. 

Por isso, a criação de um benchmark deve levar em consideração as boas práticas e bons resultados do mercado.

Sabe aquela boa empresa que oferece bons serviços ao seu cliente, bons resultados de lucro e ainda é o sonho de emprego de muitos profissionais?  

Pois bem, este deve ser o benchmark das outras empresas, pois ele eleva o padrão de qualidade do mercado e todo mundo sai ganhando. 

Mas aí entram dois termos muito parecidos, que é benchmark e benchmarking.  

Você sabe a diferença entre eles? 

Benchmark ou Benchmarking: qual a diferença? 

A diferença entre estes termos de terminologias distintas está na aplicação do conceito. 

benchmark diz respeito aos pontos de referência a serem analisados, por exemplo, os concorrentes que vão compor o material. 

 Já o benchmarking se define melhor como a identificação das boas práticas utilizadas nos negócios a fim de desenvolver ações para acompanhar esse padrão ideal. 

A partir daí, existem diferentes tipos de benchmarking que na verdade mudam por conta do ponto de referência (o benchmark). 

Tipos de benchmarking 

  • Competitivo: quando o benchmark são os concorrentes e referenciados por meio de suas práticas e resultados que são disponibilizadas ao público. 
  • Funcional: quando o benchmark são boas práticas do mercado em uma perspectiva mais ampla, independente do setor.  
  • De cooperação: quando uma empresa serve de benchmark para outra e há troca de experiências e informações que resulta na evolução do mercado. 
  • Interno: quando o benchmark está nas práticas desenvolvidas dentro da própria empresa, mas que não estão sendo aplicadas em todos os setores.  

O que é Benchmark em investimentos? 

Pessoa escrevendo em um bloco de notas, ao lado de uma calculadora e dólares pensando que termos um benchmark pode ajudar nos seus investimentos.

Quando partimos para o setor de investimentos, a função do benchmark é mais específica e direta, se tratando de índices atrelados ao mercado financeiro que são capazes de oferecer um padrão para avaliar se um investimento vale a pena. 

Para entender melhor o que é benchmark em investimentos, devemos analisar suas funções básicas neste setor.  

Todas têm o objetivo de ser referência, mas são diferentes em outro aspecto. 

A primeira função é realmente avaliar se uma aplicação ou estratégia escolhida está realmente valendo a pena de acordo com o padrão de comparação a ser escolhido. 

Portanto, ao analisar a sua carteira no mercado de ações, por exemplo, o investidor deve utilizar algum indicador característico desses investimentos (como o Ibovespa) para saber se a sua estratégia de diversificação está valendo a pena. 

Em um segundo momento, o benchmark pode ser utilizado para mostrar ao investidor o quanto sua aplicação pode render, nos casos investimentos em renda fixa, por exemplo.  

Portanto, quando o investidor vai escolher sua aplicação, pode encontrar um Certificado de Depósito Bancário (CDB) oferecendo retornos de 120% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI), sendo o CDI o benchmark, ou até mesmo alguma porcentagem X + Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) (sendo a inflação o benchmark). 

Na renda variável, o benchmark pode servir como uma régua para fundos de investimentos de gestão ativa.  

Geralmente o gestor até mesmo recebe bonificações quando a sua performance vai além do benchmark utilizado.  

Essas informações são descritas nos detalhes dos investimentos para que o investidor também saiba os custos de se investir em um fundo. 

Tipos de benchmark financeiro

Índices de Inflação (IPCA, IGP-M e IMAB): 

Os índices de inflação medem a alta ou baixa dos preços do produto. 
 
Assim, caracteriza-se como uma correção.  
 
Pois a inflação é a alta do preço, enquanto a deflação é a baixa do preço.  
 
Enquanto o IPCA é o índice mais comum para medir a movimentação dos preços dos produtos. 

Nos anos anteriores, uma nota de R$100, por exemplo, comprava muito mais produtos do que atualmente, o que significa uma diminuição do seu poder de compra.  

Então se uma aplicação não rende pelo menos mais do que a inflação, o investidor está perdendo dinheiro. 

Segue, um exemplo de benchmark na prática:  

Exemplo de benchmark financeiro do site comprador de fundos.

Taxa CDI e Selic:

A taxa CDI e a taxa Selic andam juntas.  

Enquanto o CDI é a taxa média de juros de empréstimo entre instituições financeiras, a Taxa Selic é a taxa básica de juros de empréstimos entre as instituições financeiras e o governo, por meio dos títulos públicos.

Ibovespa e índices da bolsa:  

Ibovespa é o índice que escolhe ações na bolsa de valores, com base em critérios pré-estabelecidos, no intuito de medir a performance das aplicações nesse mercado.  

Ao longo do tempo, outros índices foram criados para medir mais especificamente alguns mercados dentro da bolsa.  

Como, por exemplo, o IFIX que mede a performance dos fundos imobiliários ou o SMLL que mede a performance das empresas com grande potencial de crescimento dentro da bolsa brasileira, conhecidas por Small Caps. 

Ptax: 

O Ptax é o índice cambial da variação do dólar frente ao real

Mas qualquer índice serve para qualquer tipo de investimento? É claro que não! Isso seria o mesmo que comparar um ônibus com um carro esportivo, simplesmente não faria sentido. 

Mas não se preocupe!  

Nós te ensinamos como identificar o benchmark certo para cada aplicação. 

Quais benchmarks são utilizados para Renda Fixa e Renda Variável? 

Os índices são baseados em investimentos que possuem as mesmas características.  

Não adianta você querer comparar o seu rendimento em um CDB de baixo risco com o índice Ibovespa, por exemplo. Seria frustrante, não é mesmo?  

Por isso, cada índice é feito com base nos riscos de cada aplicação e seu retorno de rendimentos.  

Seria injusto que um índice de ações, com alto risco e alto rendimento fosse utilizado para determinar o sucesso de uma aplicação conservadora. 

Da mesma forma, comparar o seu rendimento no mercado de ações com um índice como o CDI seria uma forma de se enganar achando que o desempenho está alto, quando na verdade deveria ser muito maior, já que o risco é maior.  

Veja então alguns dos indicadores utilizados em cada situação: 

  • Renda Fixa: IPCA, SELIC e CDI. 
  • Renda Variável: Ibovespa, IFIX, IBrX50, IBrX100, PTAX e outros. 

Como fazer o Benchmarking? 

Pessoas sentadas ao redor de uma mesa descobrindo como fazer um benchmark.

Para fazer um benchmarking financeiro é preciso ter conhecimento  sobre o assunto.  

Por isso, é importante ter o auxílio de uma corretora, como a Rico, que traz análises do mercado financeiro, análises de aplicações e todas as informações necessárias para que o investidor possa tomar as melhores decisões. 

Na Rico, você tem informações sobre cada indicador e pode entender, até mesmo por meio de simuladores, como está sendo o desempenho dos seus investimentos em comparação aos benchmarks corretos, já evidenciados pelas ferramentas. 

Então, para fazer um benchmarking da maneira correta não tem segredo: 

  • Escolha uma boa corretora
  • Analise as aplicações com base nos seus benchmarks (a Rico te diz qual é); 
  • Faça simulações nas ferramentas disponíveis na corretora; 
  • Faça boas escolhas de aplicação com base nos seus estudos e análises profissionais das corretoras; 
  • Acompanhe o desempenho da sua carteira com base nos benchmarks (a Rico te diz qual é). 

Qual o melhor momento para fazer um benchmarking financeiro?

Bem, essa é uma resposta bem simples.  

Como você percebeu no passo a passo acima, o benchmarking nos investimentos pode ser constante.  

Ele acontece do momento da escolha de uma aplicação ao acompanhamento do seu desempenho, ou até mesmo no resgate (liquidez do investimento).

Conclusão

Pessoas sentadas ao redor de uma mesa de escritório aprendendo sobre benchmark com a Rico.

Viu como o benchmark é importante para seus investimentos?  

Em resumo ele é a referência, o objetivo-base.

Por isso, é muito importante sempre acompanhar as dicas da Rico para entender todos os conceitos e ter mais informações para tomar boas decisões. 

Nós da Rico estamos comprometidos a te ajudar tanto com os melhores serviços quanto com as melhores dicas para que você tenha sucesso nos seus investimentos. 

O time de especialistas da Rico está sempre preparado e informando as mudanças no mercado financeiro acerca do universo das criptomoedas.  

Ao abrir sua conta na Rico, disponibilizamos periodicamente relatórios e materiais exclusivos para que você se mantenha atualizado e invista com segurança.  

Então, se você quiser ver o seu dinheiro crescer e começar a investir hoje, o primeiro passo é abrir a sua conta.  

Comece agora mesmo e acelere a realização dos seus sonhos! 

Agradecemos!