maio 5, 2022

Você também pode ser um investidor

Abra sua conta na Rico agora, é grátis

Alta da Selic: qual seu impacto nos investimentos? 

Compartilhar:  

Um dos assuntos mais comentados no cenário econômico dos últimos tempos é a alta da Selic. Para quem acompanha o mercado há pouco tempo, a taxa Selic ainda pode ser um pouco complicada de se entender. Alguns sabem que ela é a taxa básica de juros, porém, não entendem como isso funciona na prática.  

Sendo assim, é importante entender estes conceitos para saber como a alta da taxa Selic influencia o mercado e seus investimentos.  

Todas essas informações podem ajudar o investidor a tomar melhores decisões, como o que fazer quando há variações nessa taxa.  

Primeiramente, vamos relembrar o que é taxa Selic? A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ela é a principal ferramenta para controle da inflação no país e é o principal balizador para negociação de títulos públicos

Quer entender como tudo isso funciona? Acompanhe este conteúdo e entenda o que a alta da Selic faz com o mercado! 

Alta da Selic: como funciona a taxa Selic? 

A taxa Selic é a principal ferramenta do Banco Central para controlar a alta de preços no país – ou seja, a inflação.  

Como a taxa Selic é base para todas as taxas de juros da economia, ela impacta diretamente o consumo da população (por meio do crédito) e os investimentos.  

A cada 45 dias o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central é responsável por avaliar o cenário econômico e decidir se a taxa Selic deve subir, cair ou seguir no mesmo nível. 

Para entender melhor como funciona a taxa Selic, você pode acessar o conteúdo completo sobre este assunto aqui em nosso blog 

Quanto mais alta a inflação, maior a Selic. Quanto mais baixa a inflação, menor a Selic. 

Taxa Selic alta: o que significa isso? 

A alta da Selic é indicação de um cenário de inflação em alta, já que o objetivo da elevação da taxa é o de encarecer o crédito, ajudando a frear o consumo e a pressão sobre a alta de preço na economia.   

Afinal, com crédito mais caro, a demanda por bens e serviços tende a cair. Famílias passam a dedicar maior parte da sua renda para quitar dívidas, e novos empréstimos e parcelamentos tendem a ficar mais caros, como o financiamentos de imóveis e carros.  

Imagine que você vai comprar um carro financiado no custo de R$ 50 mil. Em períodos de Selic mais baixa, você poderia pagar menos juros por este empréstimo em um banco.  

Entretanto, com a alta da taxa, você provavelmente vai pagar mais caro pelo financiamento. 

Assim, quando a Selic está em patamares muito altos, você pode considerar esperar mais tempo para realizar o seu sonho do carro novo (se for optar por um financiamento).  

A imagem mostra uma calculadora em uma mesa.

Com o crédito mais caro, a demanda por bens e serviços cai. Assim, os preços tendem a subir de maneira mais devagar, reduzindo a inflação.  

Conforme a inflação passe a voltar gradualmente à normalidade, a Selic pode voltar a cair até que atinja o patamar neutro – aquele que não estimula nem desestimula o consumo e a economia.  

Com isso, as pessoas podem voltar ao seu padrão “normal” de consumo, considerando novamente financiamentos mais acessíveis. 

Portanto, a alta da Selic pode parecer ruim por tornar o crédito mais caro. Mas a verdade é que ela é a melhor maneira de se conter a alta de inflação, que corrói o poder de compra da população e é muito prejudicial à economia.  

Mesmo assim, ainda dá para aproveitar estes momentos de alta e buscar oportunidades de investimentos com a alta da taxa Selic? Vamos ver! 

Taxa Selic hoje  

 

A evolução recente da Selic reflete um período de queda da taxa por parte do Banco Central para tentar estimular a economia, seguido por um período de aumento dos juros básicos para controlar as pressões sobre os preços.

 

Como resposta à paralização da atividade econômica causada pelas medidas para conter a Covid-19, o Banco Central manteve a taxa Selic para 13,75% ao ano em setembro de 2022 – atingindo o menor patamar da história.

 

Com a normalização da economia e o estímulo forte de crédito barato, além de problemas climáticos que impactaram os preços de energia, a inflação disparou para próximo de 10% ao final de 2021.

 

Com a guerra entre Rússia e Ucrânia e os impactos nos preços das commodities (alimentos, petróleo e insumos industriais), a pressão sobre a inflação só aumentou.

 

Assim, a partir do meio de 2021, o Copom seguiu em um processo de elevação da taxa Selic – que atingiu 13,75% ao ano em setembro de 2022.

Para informação, o Banco Central disponibiliza o histórico da taxa Selic.  

Qual o impacto da taxa Selic nos investimentos?  

A taxa Selic serve de base para todas as outras taxas de juros da economia – nos investimentos, nos empréstimos, nos parcelamentos. 

Assim, quando a taxa Selic subir, todos os outros juros da economia subirão também, gradualmente. E quando a taxa Selic cair, as outras taxas de juros também tenderão a cair.  

É claro que há muitas outras questões que determinam o patamar dos juros de diferentes investimentos e modalidades de crédito no geral, como o risco de calote de uma empresa, ou de uma pessoa.  

Mas uma coisa é certa: todas as taxas de juros são influenciadas pela taxa Selic. 

Investindo com a Selic alta 

A alta da Selic traz boas oportunidades de investimento na renda fixa. Como a Selic serve como base para a grande maioria dos investimentos em renda fixa, quanto mais alta ela estiver, maior a rentabilidade de muitos títulos de renda fixa.  

Assim, é possível obter uma boa rentabilidade em aplicações mais conservadoras em momentos de alta da taxa básica de juros.  

Títulos pós fixados, que acompanham o movimento da taxa Selic (para cima e para baixo) se tornam boas oportunidades nesses momentos, vendo seu rendimento aumentar.  

Um exemplo de título pós fixado é o Tesouro Selic – título da dívida do governo que acompanha a taxa Selic e fornece liquidez diária, disponível no sistema do Tesouro Direto

Por outro lado, a renda variável também é impactada com a alta da taxa Selic.  

Com a renda fixa oferecendo uma maior rentabilidade, com menor risco, investimentos em renda variável (que são mais arriscados, por estarmos emprestando dinheiro a empresas) perdem atratividade relativa.  

Ao mesmo tempo, muitas empresas tem dívidas significativas. Com maiores juros, essas dívidas se tornam mais caras, o que também pode impactar o valor justo das suas ações.  

Dessa forma, em momentos de Selic em alta, quem investe em renda variável pode ver maior volatilidade em seus investimentos. 

Os investidores devem sair da bolsa por conta da Selic mais alta? 

Não necessariamente. Isso porque investimentos em ações devem ter um objetivo de longo prazo. Ou seja, você tornar-se sócio de uma empresa para ganhar frutos ao longo do tempo da sua evolução.  

Assim, respeitando sempre o seu perfil de investidor, uma carteira de investimentos diversificada deve incluir investimentos em ações (no Brasil e fora) mesmo em momentos de alta da Selic.  

Mas vale lembrar que é essencial entender quais são seus objetivos e horizonte de investimentos desejado, além do seu perfil de risco, para fazer boas escolhas de investimentos, seja na renda fixa ou variável. 

Para saber o seu perfil de investidor, clique aqui! E para mais sobre as indicações de investimento de nossos especialistas, confira aqui.  

Dúvidas frequentes sobre a taxa Selic  

Qual a relação entre a Taxa Selic e o CDI?  

A taxa Selic e o CDI são muito próximos, quase iguais. Enquanto a taxa Selic é atrelada aos títulos do tesouro nacional, o CDI tem a mesma função em relação aos títulos emitidos por bancos privados.  

Existem investimentos de renda fixa que rendem mais que a taxa Selic?  

Alguns investimentos de renda fixa podem render até mesmo 120% do CDI – o que seria 20% além do nível aproximado da Selic.  

Esses investimentos são boas opções para quem pode deixar o dinheiro aplicado por mais tempo, por normalmente apresentarem liquidez mais baixa (ou seja, menor possibilidade de resgate antes do vencimento).  

O que acontece com meus investimentos se a Selic cair?  

Isso vai depender do tipo de investimento escolhido.  

Se o seu investimento for um título prefixado, ele não vai sofrer alterações se você esperar até o vencimento do título. Como o nome já diz, esses investimentos tem seu retorno fixado anteriormente. Ou seja, esperando até a data final, isso que você irá receber.  

Porém, vale lembrar que o valor do título pode variar ao longo do tempo (até o vencimento) diante de movimentos de mercado. Explicamos isso em detalhes nesse vídeo.  

Já os títulos pós-fixados terão menor rendimento, se a taxa Selic cair. Enquanto as aplicações em renda variável irão depender da ação, fundo ou outro instrumento escolhido para investir.  

O que influencia a variação da taxa Selic?  

A taxa de juros é determinada pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (o Copom). O Copom observa o nível de inflação e outras questões na economia que podem influenciar os preços, e determina a Selic a partir dessa análise.  

Quanto mais alta a inflação, maior a Selic. Quanto mais baixa a inflação, menor a Selic. 

Assim, o principal determinante da taxa Selic é o nível de inflação da economia.  

Como investir na taxa Selic para aproveitar a alta?  

Não é possível investir diretamente na Selic, mas é possível investir em títulos indexados a ela. Alguns exemplos são: 

  • Os títulos do Tesouro Nacional; 
  • Os títulos privados como CDBs, LCIs, LCAs; 
  • Outros indexados ao CDI que é semelhante à Selic. 

A taxa Selic influencia o dólar?  

Quando a taxa Selic está alta ela tende a atrair mais investimentos ao país, em busca de maiores retornos. Com mais moeda estrangeira no país, o real tende a se valorizar (ou seja, o dólar cai). 

Conclusão  

Uma mulher olhando para um notebook com as mãos apoiadas em seu rosto.

A Selic é o principal mecanismo de controle de preços na economia, e é determinada pelo Banco Central. Quando a inflação está mais alta do que o desejado pelo Banco Central, a taxa Selic tende a ser elevada.  

Assim, o crédito mais caro faz com que haja menos incentivos para o consumo e maiores para investimentos, reduzindo a pressão sobre a alta de preços.  

A alta da Selic pode trazer boas oportunidades de investimentos, especialmente na renda fixa. Mas isso não significa que momentos de alta de juros não tem oportunidades em renda variável.  

Assim, é importante que o investidor dedique seu tempo em conhecimento para saber quais as melhores opções de investimentos de acordo com o seu perfil e seus objetivos.  

Ficou alguma dúvida sobre a alta da Selic? Deixe um comentário, veja nossos outros conteúdos do blog e visite o canal da Rico no YouTube para ter as melhores dicas de investimento e de mercado. 

Comece a investir com a Rico 

Quer aproveitar esse momento para se tornar um investidor? Abra sua conta na Rico e confira as vantagens exclusivas de ser nosso cliente!    

Com a Rico, você pode investir em diversos produtos de renda fixa ou variável. Além disso, temos um time dedicado a te contar todas as novidades do mercado financeiro. Comece agora mesmo! 

Clique e abra sua conta na Rico