Realize suas metas em 2024! Acesse o ebook "Da meta ao investimento" e conheça os melhores investimentos para realizar seus objetivos.

19/07/2023 12:19:11 • Atualizado em 16/08/2023 17:15:31
20 minuto(s) de leitura


Previdência Privada ou Tesouro Direto: qual é melhor para você?

Planejar a aposentadoria é fundamental, mas é comum ter dúvidas sobre onde investir, por exemplo, previdência privada ou Tesouro Direto? Descubra agora e invista no seu jeito com a Rico!


Compartilhar:
A imagem mostra uma foto de uma pessoa com feliz porque está investindo no tesouro direto.

Você sabe quais são as principais diferenças entre a previdência privada e o Tesouro Direto?

Escolher entre previdência privada ou Tesouro Direto costuma ser uma dúvida frequente quando o assunto é investimento para se aposentar.

Afinal de contas, qual deles é o melhor investimento para o seu futuro? Será que as duas aplicações geram bons rendimentos?

O fato é que é essencial conhecer cada uma das opções.

O planejamento da aposentadoria é algo que, muitas vezes, é deixado para a última hora, ou seja, quando as pessoas já estão próximas de se aposentar.

Hoje, com os planos da reforma da previdência social, depender apenas dessa fonte não é uma alternativa segura.

Ao mesmo tempo, quando fica para a última hora, isso pode deixá-lo sem muitas escolhas. Então, é preciso começar a planejar a sua aposentadoria desde cedo.

Continue a leitura e comece a planejar e investir para sua aposentadoria do seu jeito!

Boa leitura!

Previdência Privada ou Tesouro Direto: qual é o melhor para a aposentadoria?

A imagem mostra algumas moedas empilhadas e ícones em referência aos investimentos em tesouro direto.

Depois de trabalhar durante muitos anos, o desejo da maioria das pessoas é desfrutar do merecido descanso.

Ter esse período com uma boa remuneração é o grande desafio. Os pagamentos atuais do regime previdenciário estatal não costumam ser atrativos.

Então, a alternativa é poupar parte dos rendimentos durante os anos de trabalho. Todavia, é necessário evitar que a inflação desvalorize as economias.

Ao investir o dinheiro destinado à aposentadoria, você consegue driblar esse obstáculo e é possível até mesmo aposentar-se mais cedo.

Há muitas alternativas de investimentos. Mas existem duas opções que se destacam e geram muitas dúvidas: qual é o melhor entre um fundo de previdência privada e o Tesouro Direto.

O spoiler para essa questão é que o fundo de previdência é, sim, o melhor investimento para a sua aposentadoria.

Mas você deve calcular a quantia total que precisa ser aplicada para garantir o rendimento mensal desejado.

Estime as despesas gerais, por exemplo, moradia, transporte e alimentação. Considere também que os custos com saúde devem aumentar.

Com esse montante, divida-o pelos meses que faltam até a sua aposentadoria. Agora, você já sabe o quanto precisa poupar para chegar até ele.

O fundo de previdência privada é um investimento com diversas vantagens tributárias, mas é mais recomendado para quem já tem um planejamento financeiro de curto e médio prazo sólido.

Se você ainda não tem certeza sobre o seu futuro a médio prazo, o Tesouro Direto é mais recomendado por ter mais flexibilidade de resgate.

[Ebook] Guia completo sobre investimentos

Quer aprender como fazer seu dinheiro render e trabalhar para você? Aprenda tudo neste guia completo da Rico sobre investimentos.

Preencha seus dados e faça o download!

Enviando...

Ao prosseguir, você autoriza que a Rico colete seus dados pessoais de acordo com nossa Política de Privacidade. 

envio com sucesso

Agradecemos o download!

Aproveite as informações do material e descomplique a sua vida financeira com a Rico.

 

Download

O que é Tesouro Direto?

Ao contrário do que muita gente pode pensar, o Tesouro Direto não é um produto do mercado financeiro.

Na verdade, esse é o nome dado ao programa do Tesouro Nacional, inaugurado em janeiro de 2002, em conjunto com a B3, a bolsa de valores brasileira, para incentivar os investimentos em títulos públicos.

A plataforma, que permite aplicações pela internet, foi criada para coletivizar

o acesso de investidores aos títulos do Governo Federal.

Antes da sua criação, os investidores pessoas físicas só podiam investir nesses produtos por meio de fundos de renda fixa.

Portanto, ao investir no Tesouro Direto, você estará fazendo aplicações diretas em papéis da dívida pública do Governo Federal.

O portfólio do Tesouro Direto conta com três tipos de títulos públicos. São eles:

  • Prefixados – a rentabilidade do título é definida em contrato e o investidor sabe no momento da aplicação qual será o ganho com o seu investimento.
  • Pós-fixados – a rentabilidade está atrelada a algum indicador da economia, como a taxa básica de juros, a Selic. Por isso, ela não é conhecida no momento da aplicação e acompanha as suas variações.
  • Híbridos – rentabilidade é formada por uma parte fixa definida em contrato e outra parte que varia de acordo com as oscilações do indicador ao qual o título está atrelado.

Todos os títulos do tesouro:

  • Tesouro Prefixado (LTN)
  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F)
  • Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal)
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B)
  • Tesouro Selic (LFT)
  • Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais (NTN-C)
  • Tesouro Renda+

Como existe uma ampla gama de produtos no Tesouro Direto, o programa consegue abranger muitos tipos de investidores e, por isso, tem se tornado cada vez mais popular no mercado.

Vantagens do Tesouro Direto

  • Acessibilidade: o Tesouro Direto é acessível para todos os investidores. Hoje, com menos de R$ 100,00, você já se torna um investidor de títulos públicos.
  • Rendimento: este ativo apresenta uma boa taxa de rentabilidade, isto é, ela é próxima de 100% do CDI.
  • Flexibilidade: ao investir no Tesouro Direto, você pode escolher entre três modalidades de títulos, que são os indexados ao IPCA, os prefixados e o atrelado à taxa Selic.
  • Cupons semestrais: o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais e o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais pagam cupons de rendimento a cada seis meses. Caso você queira usufruir desse valor ou reinvestir, eles tendem a ser boas alternativas.
  • Recompra: os títulos públicos podem ser vendidos a qualquer momento, pois o próprio governo faz a recompra deles. Portanto, se você quer trocar a modalidade ou precisa solicitar o resgate, ele ocorre em D+1.
  • Risco: o Tesouro Direto é o investimento mais seguro do país. Mesmo sem a cobertura do FGC, a quebra do Estado é um evento bastante improvável.
  • Proposta de investimento: investir o seu dinheiro no Tesouro Direto, além de dar bons  rendimentos, serve para contribuir com o desenvolvimento do Brasil. Os recursos arrecadados financiam áreas como educação, saúde e infraestrutura.
  • Diversificação: os títulos públicos têm baixo custo. Mesmo com pouco dinheiro, você consegue montar uma carteira e aumentar os rendimentos obtidos.
  • Capacidade de valorização: a precificação dos papéis do Tesouro Direto variam de acordo com as expectativas dos juros futuros. Portanto, você pode comprar barato hoje e ganhar dinheiro com a sua valorização no futuro.

Desvantagens do Tesouro Direto

  • Tributação: os títulos do Tesouro Direto estão sujeitos a tributação do IOF, que ocorre apenas nos primeiros trinta dias de aplicação. O outro tributo é o Imposto de Renda, que segue a alíquota regressiva de 22,5% até 15%. Ambos incidem apenas sobre os rendimentos.
  • Taxa: o Tesouro Direto possui uma única taxa, que é a de custódia. Ela totaliza 0,25% ao ano e é cobrada pela B3.

Em resumo, os fundos de previdência privada são mais indicados para quem deseja construir uma reserva financeira de longo prazo e não pretende se preocupar em gerenciar esse dinheiro. Servem tanto para aposentadoria quanto para qualquer outro objetivo com prazo superior a 6 anos.

Eles vencem o Tesouro Direto quando o prazo é grande, já que possuem benefícios fiscais.

Se quiser conhecer mais de 30 fundos de previdência privada selecionados a dedo, você deve abrir a sua conta na Rico e investir com taxa ZERO de carregamento e de custódia.

Já o Tesouro Direto é mais recomendado quando você não sabe se precisará desse valor a curto e médio prazo. Os papéis do Tesouro são muito mais flexíveis e voláteis. Inclusive, você pode especular, fazendo uma gestão ativa.

Nesse quesito, o Tesouro Direto é mais indicado.

Com a Rico você investe de um jeito simples, rápido e descomplicado. Abra sua conta e tenha acesso a todas as vantagens de ser Rico.

 

Quais os principais tipos de Previdência Privada

A imagem mostra algumas moedas caindo, em referencia aos investimentos em Tesouro Direto.

Os planos de previdência privada, que podem ser abertos ou fechados, são aplicações financeiras indicadas para objetivos de longo prazo, como a complementação de renda na aposentadoria.

Os planos fechados de previdência ou fundos de pensão, como são chamados, recebem esse nome por serem acessíveis apenas para funcionários vinculados a uma determinada empresa.

Esse tipo de previdência não tem fins lucrativos. Por isso, costuma ser mais barato do que os demais fundos ofertados no mercado, tendo apenas uma taxa de administração ou até mesmo a sua dispensa.

Já os planos abertos de previdência privada estão disponíveis para qualquer pessoa.

Eles são emitidos por instituições financeiras e distribuídos por corretoras de valores, corretoras de seguros e bancos.

Os dois principais tipos de previdência privada aberta são o PGBL e O VGBL:

  • PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre
  • VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre

Eles são bastante parecidos. E a principal diferença fica por conta do modelo de tributação.

O PGBL, classificado como previdência complementar, é mais indicado para quem faz declaração do Imposto de Renda através do formulário completo.

Nesse tipo de previdência, é possível abater seus aportes no IR, respeitando o limite de até 12% da renda do ano.

Já o VGBL, classificado como seguro de pessoas, é mais indicado para aqueles que usam o formulário simples na declaração do IR.

O Imposto de Renda, nesse caso, incide apenas sobre a rentabilidade da aplicação.

Vantagens da Previdência Privada

  • Abatimento do IR: é possível abater seus aportes até o limite de 12% da sua renda, caso você invista em um plano PGBL.
  • Menor alíquota a longo prazo: como investidor de um fundo de previdência, você paga apenas 10% de IR depois de 10 anos de aplicação.
  • Fundo sem come-cotas: a previdência privada funciona como um fundo de investimento. Portanto, ele gera renda para a aposentadoria e ainda o expõe indiretamente aos ativos financeiros.
  • Flexibilidade: o plano de previdência conta com a portabilidade. Caso você não esteja contente com os resultados dele, é possível trocar para outra instituição.
  • Gestão: por se tratar de um fundo de investimento, há um gestor profissional que acompanha o desempenho das aplicações e faz a alocação do patrimônio.
  • Disciplina: o plano de previdência é conhecido por ser um incentivador do ato de poupar. Se você quer desenvolver o hábito de juntar dinheiro, ele pode ser uma boa alternativa.
  • Diversificação: existem mais opções de fundos de previdência do que produtos do Tesouro Direto, inclusive opções mais agressivas.

Desvantagens da Previdência Privada

  • Taxas: todos os planos de previdência privada têm taxa de administração, que por sua vez, variam conforme a instituição emissora. Além desta, se você investir com um banco, por exemplo, há a taxa de carregamento, que incide sobre o valor depositado/retirado, na proporção de até 5% do total.

Atenção:  Evite fundos de previdência que possuem taxa de carregamento e taxa de custódia, como os oferecidos pelos grandes bancos de varejo.

  • Composição: o rendimento da previdência privada depende da composição do fundo. Se você aplicar sem conhecer quais são os investimentos que ele possui, é possível ter as expectativas frustradas.
  • Riscos: o investimento em previdência possui planos com graus de riscos distintos, conforme a instituição emissora e as aplicações do fundo. Não há a cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Assim, se o emissor falir, você pode perder todo o dinheiro investido.
  • Período de carência: as parcelas pagas podem ser solicitadas a qualquer momento, desde que o prazo de carência seja respeitado. Caso você precise do dinheiro com urgência e estiver dentro deste período, a instituição deve cobrar uma multa.
  • Investimento Inicial: os fundos de previdência possuem um investimento mínimo superior ao Tesouro Direto, partindo de R$ 5.000 e podendo chegar a até R$ 50.000 dependendo do fundo de previdência, mas esses valores variam de acordo com o fundo e a instituição com a qual você irá fazer seus investimentos.

Com a Rico você investe de um jeito simples, rápido e descomplicado. Abra sua conta e tenha acesso a todas as vantagens de ser Rico.

Planejar a aposentadoria é fundamental para todas as pessoas.

Isso deve ser feito desde cedo para garantir uma boa estabilidade e remuneração no futuro.

Não basta apenas poupar o seu dinheiro. Você precisa aplicá-lo para que ele não sofra desvalorização e gere rendimentos.

Na Rico, você pode investir em fundos de previdência escolhidos a dedo pelo nosso time de especialistas e também pode aplicar no Tesouro Direto de forma simples, online e gratuita.

O melhor de tudo é que você aplica nesses ativos com taxa ZERO. Você não paga nenhuma intermediação à corretora. Isso faz com que o seu investimento renda muito mais no longo prazo.

Venha para Rico e invista do seu jeito!

Clique e abra sua conta na Rico