Onde investir em junho? Faça o download gratuito do relatório com as recomendações do Time Rico.

25/03/2020 13:00:00 • Atualizado em 15/04/2024 17:06:18
31 minuto(s) de leitura


Melhores fundos de investimento: saiba como escolher!


Compartilhar:
Um homem e uma mulher olhando para um tablet em referência aos melhores fundos de investimento

Se você busca os melhores fundos de investimentos, saiba que deve mirar naqueles que se adequam à sua carteira de investimentos e, é claro, ao seu perfil de investidor

Mas, não é só isso, também é fundamental que você fique atento às características de cada fundo, como sua liquidez, rentabilidade, taxas e ao tipo de estratégia, definida pelo gestor do fundo, que aquele fundo de investimento segue

Dessa forma, os melhores fundos de investimentos tendem a ser os que têm os gestores mais bem preparados. São eles os principais responsáveis pelo sucesso de um fundo de investimento.  

Preparamos esse artigo para ajudá-lo a encontrar os melhores fundos de investimentos de acordo com os seus objetivos financeiros e tirar todas suas dúvidas sobre o tema.

Melhores fundos de investimento: o que são fundos de investimento? 

Os fundos de investimento são um tipo de aplicação de investimento coletivo. Nessa modalidade os investidores (cotistas), que  partilham do mesmo fundo, podem investir em ativos,no plural, em conjunto. 

Existem diversos tipos de fundos de investimento disponíveis no mercado de ações. Iremos tratar mais especificamente sobre cada um deles.  

Mas para esclarecer brevemente, os ativos podem incluir: títulos públicoscambiais e de renda fixa, fundos imobiliários, ações e commodities, entre  outros.

[Top Melhores FIIs] Carteira de Fundos Imobiliários

Veja a lista completa dos melhores Fundos Imobiliários para investir neste mês! A análise cuidadosa feita por nossos especialistas oferece uma variedade de opções, equilibrando segurança e potencial de retorno.

Preencha o formulário ao lado e aproveite o material.

Enviando...

Ao prosseguir, seus dados podem ser usados pelo Grupo XP Inc. para promover suas atividades, incluindo o envio de ofertas de produtos/serviços. Você pode se opor a tal recebimento a qualquer momento, por meio do próprio canal de recebimento. Acesse a Política de Privacidade para mais detalhe.

envio com sucesso

Agradecemos o download!

Aproveite a recomendação de nossos especialistas em FIIs.

Download

Como os fundos de investimento funcionam?  

Um fundo de investimento é formado por uma carteira de ativos financeiros que são oferecidos por administradores que disponibilizam cotas para captação de recursos.  

Dentro desse sistema, cada cotista adquire uma cota e paga uma mensalidade para administração do fundo de investimento e seguem regras estabelecidas pela modalidade dos ativos presentes na aplicação.  

Portanto, os cotistas pagam taxas para que a gestão opera os ativos, como novas aquisições e vendas, presentes na carteira. 

Para facilitar a compreensão da estrutura que rege um fundo de investimento, segue um resumo dos conceitos e elementos principais dentro deste tipo de operação:  

  • Fundo de investimentos: modelo de aplicação coletivo onde os cotistas investem em diversos ativos simultaneamente;  
  • Cotista: pessoas que participam do fundo de investimentos (investidores);  
  • Cota: a parcela individual que cada cotista recebe dentro do fundo de investimento; 
  • Gestor: o “asset” é o responsável por tomar decisões no fundo; 
  • Administrador: é o representante de uma instituição financeira que faz a ponte entre os cotistas e o gestor;  
  • Custodiante: é um função administrada pelo administrador, que mantém a “custódia” dos ativos nas carteiras após a compra; 
  • Auditor: supervisor que atesta se o fundo está seguindo às normas impostas pela CVM; 
  • Distribuidor: são as corretoras e bancos que comercializam os ativos no mercado;  
  • Assembleia Geral de Cotistas:  reunião entre gestor e cotistas para tomar decisões estratégicas que envolvem o fundo de investimento. 

Agora que você já entendeu os conceitos e elementos que compõem a estrutura dos fundos de investimento é hora de descobrir quais são os tipos de fundos de investimentos presentes no mercado financeiro.  

Tipos de fundos de Investimento:  

Os critérios de classificação de um fundo de investimento levam em consideração três fatores principais:  diversificação da carteira, objetivo de rentabilidade  e prazo de aplicação.   

Antes de escolher entre os melhores fundos de investimento, que se encaixam nas classificações citadas acima, é preciso saber distinguir os tipos de fundos de investimento que estão disponíveis no mercado e delimitar qual se encaixa melhor no seu perfil de investidor.   

Os tipos de fundo de investimentos, são:  

  • Fundos de investimento em ações: reservam cerca de 67% dos seus investimentos em ações da bolsa de valores em duas categorias: fundos passivos e fundos ativos;  
  • Fundos de curto prazo: acompanham as flutuações das taxas de juros com investimento em títulos públicos prefixados ou privados de baixo risco de crédito;  
  • Fundos de renda fixa: direcionam, no mínimo, 80% dos seus investimentos em ativos de renda fixa prefixados ou pós-fixados;  
  • Fundos cambiais: são compostos por investimentos em moeda estrangeira, como os títulos públicos de outros países;  
  • Fundos de dívida externa: são compostos por, no mínimo, 80% de títulos da dívida externa da União;  
  • Fundos multimercado: são compostos por diversos ativos da renda fixa e variável;  
  • Fundos imobiliários: conhecidos como FIIs, são feitos de aplicações do setor imobiliário;  
  • Fundos referenciados: possuem como objetivo a rentabilidade. Sua composição deve ter 95% de ativos atrelados a essa referência

Caso tenha ficado alguma dúvida sobre o assunto recomendamos o artigo:  

Confira! 

Taxas e Custos de Fundos de Investimento 

Após escolher a categoria do fundo, conhecer o risco e sua rentabilidade, está na hora de comparar os custos

Afinal, se o fundo possui uma ótima rentabilidade, mas cobra mais que o dobro de uma opção parecida, vale mais a pena contar com um custo menor.  

Então, observe atentamente a taxa de administração e de performance (se houver). Além disso, existe outro custo que diminuirá sua rentabilidade

Trata-se do já citado come-cotasEle é o famoso Imposto de Renda.  

Nos fundos de investimento, sua incidência ocorre a cada 6 meses, sempre no último dia útil dos meses de maio e novembro de cada ano. 

Para os fundos de longo prazo, a alíquota é de 15% e para os fundos de investimento de curto prazo, a alíquota é de 20%. 

Veja em detalhes: 

Fundos classificados como Curto Prazo 

  • 22,5% em aplicações de até 180 dias; 
  • 20% em aplicações de 181 dias ou mais. 

Fundos classificados como Longo Prazo 

  • 15% em aplicações de 721 dias ou mais;
  • 22,5% em aplicações de até 180 dias; 
  • 20% em aplicações de 181 dias a 360 dias; 
  • 17,5% em aplicações de 361 dias a 720 dias; 

Fundos de Investimento em Ações 

  • 15% em aplicações, independentemente do prazo. 

Quem fiscaliza os fundos de investimento 

Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é o órgão responsável por regular todo o mercado financeiro

Por isso, fundos de investimentos precisam da autorização da CVM e são fiscalizados por ela.  

O que é a CVM e quais suas funções? 

A CVM é uma autarquia ligada ao Ministério da Economia, que atua como fiscal, disciplinadora e desenvolvedora do mercado de valores mobiliários.  

Ela é administrada por um colegiado, formado pelo seu presidente e mais quatro diretores. 

Todos os nomes que compõem o colegiado são nomeados pelo Presidente da República.  

Entre as principais funções da CVM, estão: 

  • Fiscalizar e garantir o funcionamento da Bolsa de Valores, do mercado de balcão e das bolsas de mercadoria e futuro de maneira eficiente; 
  • Proteger o mercado (investidores e valores mobiliários) contra qualquer tipo de fraude ou emissão irregular por parte das administradoras e acionistas controladoras de empresas de capital aberto ou de administradores de carteiras de investimento; 
  • Atuar contra qualquer tipo de fraude ou manipulação que alterem artificialmente as condições de oferta, demanda e preços; 
  • Incentivar o desenvolvimento e atuar para garantir o bom funcionamento do mercado de ações;. 
  • Incentivar a poupança e o investimento em valores mobiliários; 
  • Supervisionar as companhias de capital aberto e os fundos de investimento; 
  • Controlar e regular a atuação de auditores, consultores e analistas de valores mobiliários; 
  • Habilitar e supervisionar todos os agentes autônomos, auditores independentes, administradores de carteiras e outros profissionais do mercado de valores mobiliários; 
  • Prover o alcance dos investidores e demais interessados às informações sobre os ativos disponíveis no mercado, valores mobiliários e também sobre as empresas que os emitiram. 

Como escolher os melhores fundos de investimento? 

Agora que já conhecemos todos os termos, conceitos e funcionamento dos fundos é imprescindível para começar a investir neste tipo de aplicação, chegou a hora de escolher os melhores fundos de investimento para você.  

O que é perfil de Investidor? 

O conhecer a si mesmo e saber qual o seu perfil de investidor é fundamental para alcançar seus objetivos e descobrir os melhores fundos de investimentos disponíveis no mercado.  


Assim, o perfil de investidor é o seu guia de investimento inicial, através dele você descobre e delimita quais os riscos que está determinado a correr em suas aplicações e se adequa melhor a sua carteira de investimentos.  

Qual o melhor fundo de investimento para cada Perfil de Investidor? 

Cada investidor possui características diferentes que determinam seu perfil, que pode ser conservador, moderado ou arrojado no que diz respeito a aplicações financeiras.  

Por isso, a escolha do melhor fundo de investimento está relacionada principalmente com os seus objetivos, grau de aversão ao risco, nível de conhecimento, entre outros fatores.  

Vamos entender melhor em qual perfil você pode se enquadrar? 

Conservador 

Os investidores com esse perfil são os que estão menos dispostos a correr riscos

Para eles, a segurança vem em primeiro lugar, mesmo que isso signifique menor rentabilidade.  

Para os conservadores, os fundos mais indicados são os de renda fixa, além dos fundos multimercado com a maior parte da carteira aplicada em renda fixa.  

Moderado  

Esse tipo de investidor se posiciona entre os conservadores e arrojados. 

Assim, ele se mostra disposto a correr maiores riscos em nome da rentabilidade, mas ainda valoriza bastante a segurança.  

Nesse caso, o mais indicado é equilibrar investimento de renda fixa e variável

Por isso, algumas boas opções a considerar são os fundos multimercados e os fundos imobiliários.  

Arrojado 

Por fim, chegamos ao perfil arrojado. 

São os investidores com tolerância ao risco, que conhecem o mercado e sabem da possibilidade de perdas no curto prazo, mas conseguem lidar bem com isso, mirando uma rentabilidade mais atrativa, que é a sua prioridade. 

A gama de possibilidades para os investidores arrojados é maior, incluindo entre as opções os fundos de ações, os fundos cambiais e os fundos imobiliários.  

O que você precisa saber antes de investir em fundos de investimento  

Para entender os melhores fundos de investimento, você precisa buscar conhecimento e informação de qualidade. 

Assim como qualquer ativo, aplicar o seu capital em fundos de investimento exige conhecimento e cautela. Caso contrário, você pode ter perdas.  

Então, se você quer iniciar com o pé direito, preste muita atenção nas dicas a seguir

Aplicação inicial 

Aplicação inicial significa o mínimo a ser investido em um fundo para se tornar um cotista. 

Por exemplo, R$ 500,00 – o que equivale ao valor de uma cota.  

No mercado, você pode encontrar fundos de investimento que custam entre R$ 50,00 e R$ 100,00. Então, mesmo com pouco dinheiro, já é possível começar

Porém, é claro, o valor da aplicação inicial vai depender do investimento. 

Movimentação mínima 

Ela representa o valor mínimo para solicitar o resgate ou fazer um novo aporte. Por exemplo, R$ 100,00.  

CDI 

O Certificado de Depósito Interbancário é uma taxa cobrada entre bancos para empréstimos de 24 horas

Por ser um parâmetro para essa operação, o CDI se tornou um indicador de rentabilidade para a renda fixa. 

Como geralmente acompanha a Selic, em maio de 2021, está em aproximadamente 4,25% ao ano.  

Então, se um fundo de investimento paga 100% do CDI, significa que ele vai pagar 0,27% no ano.  

Esse indicador representa a taxa mínima que um investidor deve exigir na hora de investir, exceto para aplicações isentas de impostos.  

Come-cotas 

Trata-se do pagamento semestral do IR (Imposto de Renda) sobre o lucro das operações do fundo de investimento. 

Ele varia de acordo com a classificação de prazo do fundo. 

Prazo de liquidação 

Nada mais é do que o tempo necessário para que o dinheiro resgatado entre na sua conta. 

Esse prazo varia de acordo com o fundo. 

Por exemplo, D+2, que representa dois dias úteis para a liquidação.  

Taxa de administração 

O valor cobrado pelas organizações que gerem o fundo para o pagamento dos gestores, administradores e outros custos envolvidos. 

Geralmente, a taxa de administração é um percentual sobre o total aplicado.  

Por exemplo, se você investiu R$ 1 mil em um fundo de investimento que cobra 1% a.a., esse custo será de R$ 10,00 no ano. 

Taxa de performance 

A taxa de performance é como um bônus ao gestor ao superar um benchmark

Assim, ele incide sobre os lucros do período, como 20%, caso o retorno seja acima de 100% do CDI. 

Histórico 

Este é um ponto importante na escolha de fundos de investimentos, pois ele mostra os rendimentos ao longo do tempo.  

De forma geral, é recomendável priorizar as aplicações que mostram resultados consistentes e estáveis no passar dos anos.  

Essa estabilidade indica consistência e comprometimento por parte da gestão do fundo para com os seus cotistas.  

Categoria 

Um fundo de investimento sempre terá uma categoria. A sua categoria mostra como será aplicado o maior volume dos investimentos. 

Na Rico, eles são classificados em fundos de: 

  • Ações
  • Cambial 
  • Multimercado  
  • Renda Fixa 
  • No Exterior. 
  • Risco 

Os fundos de investimento possuem três níveis de risco: agressivo, moderado e conservador.  

Antes de investir, é fundamental identificar o grau de risco do ativo versus a sua tolerância às oscilações.  

Portanto, uma dica é identificar o seu perfil de investidor e escolher um fundo de investimento correspondente.  

Tenha em mente que até mesmo a renda fixa pode apresentar alto risco. Então, é fundamental respeitar os seus limites para evitar dores de cabeça.  

Prospecto 

O prospecto mostra todos os pontos essenciais sobre o fundo de investimento, como carteira, prazo de liquidação e rentabilidade esperada. 

Então, ler este material pode ajudá-lo a tomar decisões assertivas e colocar o seu capital no fundo perfeito para os seus objetivos.  

Como começar a investir em fundos? 

O primeiro passo para investir nos melhores fundos de investimento, começando agora, é conhecer a si mesmo. Esse início deve ser o mesmo em todas as suas aplicações. 

Afinal, mais importante que saber qual investimento fazer é saber por que você está investindo. Isso só é possível respondendo a algumas perguntas básicas. 

Uma aplicação que é recomendada para uma pessoa jovem, ainda acumulando patrimônio e podendo precisar do investimento a qualquer momento, tende a ser completamente contraindicada para um adulto de 40 anos, que tem como objetivo aumentar a rentabilidade. 

Também é muito importante saber se o investimento será de curto prazo, com caráter emergencial, ou de médio ou longo prazo

Você sabe qual é o seu objetivo ao aplicar em um fundo de investimento?  

Eles podem ser muitos, como casar, morar no exterior, comprar um carro, acumular patrimônio, criar uma reserva de emergência. 

E dependendo do seu objetivo, você precisará encontrar um fundo de investimento que atenda suas necessidades e perfil de investidor.  

Então, planeje-se bem, levando em consideração estes fatores: 

Objetivo 

  • Prospecto do fundo de investimento; 
  • Tempo que deixará aplicado; 
  • Rentabilidade mínima; 
  • Risco envolvido; 
  • Classificação de curto, médio ou longo prazo; 
  • Taxas e custos; 
  • Aplicação mínima; 
  • Além disso, é fundamental ser fiel ao seu perfil de investidor e, claro, à sua carteira de investimentos. 

Por exemplo, se o seu objetivo maior é diversificar a carteira, que é 100% focada em renda fixa, talvez seja melhor adotar alguns fundos multimercado de risco conservador ou moderado. 

Dessa forma, você estará investindo em outros mercados e obtendo uma rentabilidade melhor que a fixa a médio e longo prazo. 

Na Rico, você pode avaliar o retrospecto desses fundos e ter uma ideia da oscilação que o seu capital estará sujeito. 

E o melhor de tudo: isso pode ser feito de maneira gráfica, facilitando a visualização.

Conclusão 

Como vimos, os melhores fundos de investimento tendem a ser os ideais para diversificar a sua carteira de aplicações, principalmente se você é iniciante ou possui pouco tempo para administrar o seu capital. 

Com um cenário econômico e político de mudanças, é recomendável estar preparado para enfrentar volatilidade.  

Assim, a diversificação através dos melhores fundos de investimento pode ser uma boa alternativa para obter rendimentos atrativos. 

Continue a aprender sobre fundos de investimento com estes outros artigos do nosso blog: 

  • Fundos DI: Aprenda Como Investir Com Maior Lucratividade; 
  • Rentabilidade, liquidez e segurança: tudo sobre Fundos Imobiliários. 

Lembre-se de avaliar o histórico do ativo, o risco envolvido e como ele é administrado. 

Dessa forma, a tendência é que você invista com mais segurança.  

Para adquirir as cotas dos melhores fundos de investimento e fazer o seu dinheiro render, basta abrir a sua conta na Rico agora mesmo.  

Este artigo foi útil para você? Então, deixe o seu comentário com sugestões.  

Obrigado por ler até aqui!

Clique e abra sua conta na Rico