março 19, 2021

Índice S&P 500: O Que é e Como Investir nas Maiores Empresas Americanas  

Você sabia que o S&P 500 é composto pelas maiores empresas do mundo?

O S&P 500 ainda é um índice pouco conhecido pelos investidores.

Quando o assunto é investir em dólar e ativos relacionados, é mais comum pensar em ações e contratos futuros.

Ao mesmo tempo, muitos sonham em aplicar o seu patrimônio nas maiores companhias do mundo, mas pensam que é necessário ter muito dinheiro ou fazer grandes manobras.

Os ativos relacionados ao S&P 500 foram desenvolvidos justamente para possibilitar o investimento nas empresas norte-americanas através da bolsa de valores brasileira.

Além disso, este índice influencia no desempenho dos demais, principalmente no Brasil. 

Então, conhecer sobre o S&P 500 é importante para todos os investidores, mesmo para aqueles que não desejam aplicar nas ações de fora do Brasil.

Neste artigo, vamos mostrar como você pode investir neste índice e as melhores estratégias para começar a ganhar dinheiro com o mercado internacional ainda hoje. Você vai conferir:

  • O que é e como funciona o S&P 500?
  • Quais empresas fazem parte do S&P 500?
  • Quais ativos compõe o S&P 500?
  • S&P 500 x Bovespa – Diferenças
  • Como investir no S&P 500
  • Dicas para investir no S&P 500

Se você tiver qualquer dúvida, deixe um comentário no final da página.

Boa leitura!

Quer começar a investir na Bolsa? Abra sua conta na Rico!

O Que é e Como Funciona o Índice S&P 500?

O S&P 500 é o Standard & Poor’s 500. Ele é uma carteira teórica das 500 ações mais representativas e negociadas na NYSE (Bolsa de Nova Iorque) e na NASDAQ.

Este índice foi criado em 1957. Desde então, ele é considerado como o principal indicador do mercado acionário norte-americano. 

Atualmente, o S&P 500 possui patrimônio em torno de US$ 20 trilhões e a sua pontuação está na casa dos 2,7 mil. 

Quais Empresas Fazem Parte do S&P 500?

O índice S&P 500 possui ativos de empresas bastante conhecidas pelos brasileiros. Afinal, elas são líderes globais amplamente conhecidas.

Veja agora algumas das companhias que fazem parte deste indicador:

A lista completa das empresas que fazem parte do S&P 500 pode ser vista neste aqui

Ativos que Compõem o S&P 500

De acordo com a Standard & Poor’s, a composição do S&P 500 é determinada sob os seguintes pontos: 

  • Liquidez: a ação precisa movimentar bons volumes financeiros anuais sob preços justos. Para isso, calcula-se a razão entre o valor anual negociado sobre a variação da capitalização do mercado. O resultado deve ser maior ou igual a 1,0.
  • Ações em poder público: 50% da quantidade total de papéis do emissor deve estar sob custódia do poder público.
  • Domicílio: no S&P 500, só são aceitas ações de companhias norte-americanas ou domiciliada no país.
  • Viabilidade financeira: os emissores devem apresentar resultados positivos por, pelo menos, quatro trimestres consecutivos.
  • Classificação setorial: contribuição da companhia para o equilíbrio setorial, ou seja, é a comparação entre o peso do setor versus o peso da empresa na área.
  • Tratamento de IPO: para fazer parte do S&P 500, a empresa precisa ter realizado a abertura de capital com antecedência de, no mínimo, 6 meses. 

Caso uma companhia cumpra todas estas exigências, elas poderá integrar ao time das ações do S&P 500. Veja algumas delas e seus respectivos setores: 

  • AAPL (Apple) – Teconologia
  • BAC (Bank of America Corp) – Financeiro
  • MMM (3M Company) – Industrial
  • ADBE (Adobe Systems Inc) – Tecnologia
  • KO (The Coca-Coca Company) – Alimentação
  • FB (Facebook Inc) – Tecnologia
  • GM (General Motors) – Automobilística
  • HOG (Harley-Davidson) – Automobilística
  • HSY (The Hershey Company) – Alimentação
  • INTC (Intel Corp) – Tecnologia
  • RL (Polo Ralph Lauren Corp) – Varejo
  • TIF (Tiffany & Co) – Varejo
  • UAA (Under Armour Classe A) – Varejo 
  • DIS (The Walt Disney Company) – Entretenimento
  • WHR (Whirlpool Corp) – Bens de consumo
  • ZTS (Zoetis) – Saúde
  • WYNN (Wynn Resorts Ltd) – Hotelaria

S&P 500 x Bovespa – Diferenças

O S&P 500 e a Bovespa são índices de referência na renda variável. No Brasil, os dois são utilizados como parâmetros de desempenho das ações. Mas, cada um possui foco diferente. 

A Bovespa, também conhecida como IBOV é o principal indicador do comportamento do mercado brasileiro. Ele é composto por cerca de 63 ativos, por exemplo, PETR4, VALE5 e BBAS3. 

Então, a primeira diferença está na quantidade de ações, isto é, o índice brasileiro corresponde a cerca de 10% do S&P 500. 

Em termos de capitalização, o índice americano sai na frente. A Bovespa movimenta volumes diários de, em média, US$ 1,9 bilhões. Já a sua capitalização total de mercado chega a US$ 358 bilhões. 

O S&P 500 negocia em torno de US$ 126 bilhões por dia e tem capitalização total de mercado na casa dos US$ 20 trilhões. 

No setor de atuação, as duas são bastante diferentes. Confira a tabela: 

sp 500 versus bovespa acoes

Composição da carteira do IBOV x S&P 500 por área – Fonte: Standard & Poor’s

O S&P 500 tem maior diversificação que a Bovespa. Portanto, os investidores tendem a se beneficiar mais com o indicador americano, principalmente no médio e longo prazo. 

Diante de quedas ou turbulências em alguns dos setores de atuação, os reflexos sobre o índice são menores quando há pulverização do capital.

Um exemplo disso é quando as commodities estão em baixa. No IBOV, é muito comum ter baixas. Isso porque boa parte da carteira está concentrada em produtoras destes materiais. 

Além disso, o S&P 500 é composto pelas grandes líderes mundiais. Já a Bovespa possui as maiores companhias nacionais. Mesmo que muitas tenham expressão internacional, o índice americano exerce influência mais forte nos demais mercados. 

Como todos os ativos do indicador norte-americano são referenciados em dólar e os seus emissores têm atuação mundial, as receitas de exportações são mais elevadas em relação aos negócios brasileiros. 

Isso pode ser visto com mais clareza quando o dólar sobe. Geralmente, as companhias exportadoras se beneficiam com a alta das suas ações. 

Como Investir no S&P 500

sp 500 como investir
Conheça 3 investimentos incríveis para começar a lucrar agora mesmo!

Investir nas ações das maiores companhias do mundo é o sonho de muitos investidores brasileiros.

Afinal, quem não gostaria de acompanhar o crescimento de um mercado mundial consolidado?

Então, se você também está interessado nisso, o S&P 500 pode ser a melhor alternativa para o seu capital

Ao contrário do que muitos pensam, investir neste índice é muito simples. Para ajudá-lo, trazemos três opções de investimento. 

Antes de qualquer coisa, por se tratar do mercado de ações, você precisa ter uma conta em uma corretora de valores, como a Rico. 

Isso mesmo! Você pode investir no mercado norte-americano através da bolsa de valores brasileira.

As negociações ocorrem diretamente no Home Broker e em moeda corrente (reais). Assim, você não precisa se preocupar com nada. Basta abrir a sua conta.

Saiba agora como investir o seu dinheiro no S&P 500: 

Contratos futuros

Esta é a forma mais comum para investir no S&P 500. O contrato futuro de índice consiste em uma operação compromissada em relação à sua pontuação em uma data futura.

Digamos que você acredite que o indicador vai subir daqui dois meses. Então, você comprou um contrato futuro para a alta da pontuação. 

Se na data do vencimento, ela estiver como o esperado, você leva o prêmio acordado no momento da aquisição. 

Você também pode negociar o contrato futuro antes da data de vencimento. Basta acompanhar as cotações e definir a pontuação exata para trazer os lucros desejados. 

Além disso, a operação pode ser estruturada com base na alta ou na queda do S&P 500. Então, ela tende a ser uma grande aliada para ganhar dinheiro com as ações norte-americano.

Para adquirir um contrato futuro, digite no seu Home Broker a sigla ISP acompanhado da letra correspondente ao vencimento e do ano, por exemplo, ISPM18, que é o contrato de com vencimento em junho de 2018.

O lote padrão será 500 multiplicado pela pontuação atual. Lembre-se de que cada ponto equivale a US$ 50. Há também a margem de garantia que varia conforme o câmbio. 

Depois disso, basta enviar a sua ordem e acompanhar o S&P 500. 

COE

O COE (Certificado de Operações Estruturadas) pode ser um excelente meio de investir no S&P 500. Isso porque ele possui características da renda fixa e da variável. 

Basicamente, a operação é baseada na capacidade de valorização do índice em períodos definidos. Assim, se ele atingir as pontuações previstas, você receberá o rendimento acordado na aquisição. 

Se em algum momento, o COE de S&P 500 não oferecer os retornos esperados, a operação será cancelada. 

ETF (Exchange Traded Funds) 

Este investimento possui exposição indireta a um índice, neste caso, ao S&P 500. Assim, você pode investir de forma menos arriscada que em, por exemplo, um contrato futuro. 

Ao mesmo tempo, os retornos tendem a ser um pouco menores, visto que os custos da operação são maiores. 

Basicamente, o ETF é um fundo de índice. Assim, o gestor profissional faz a alocação do patrimônio com o objetivo de rendimento igual ou maior ao índice de referência (S&P 500). 

No Brasil, há dois deles: IVVB11 (BlackRock) e SPXI11 (It Now).

Ambos são indicados para investidores superqualificados, ou seja, que tenham patrimônio acima de R$ 1 milhão. Além disso, o lote mínimo de investimento gira em torno de 30 mil cotas. 

Dicas Para Investir no Maior Índice do Mundo

Investir no S&P 500 costuma ser recomendado para investidores que já possuem experiência no mercado financeiro. Isso porque a bolsa norte-americana funciona de forma diferente da brasileira.

Além disso, os aportes mínimos para iniciar são relativamente altos. Então, se você quer alocar o seu dinheiro nas grandes líderes mundiais, mas não tem patrimônio suficiente, algumas dicas podem ajudá-lo a chegar lá. Confira:

  • Invista: a melhor forma de adquirir experiência é investir. Assim, você saberá se o S&P 500 pode ser um bom investimento para a sua carteira.
  • Conte com ajuda profissional: para investir de forma assertiva, o auxílio de um profissional faz toda diferença. Aqui na Rico, você pode aprender mais sobre o mercado financeiro através dos nossos canais de aprendizado, como a InvesTV e este blog.
  • Conheça o seu perfil de investidor: não basta investir em algo rentável, mas que não o deixa dormir tranquilo. Antes de qualquer coisa, conheça a sua tolerância aos riscos e veja se a bolsa de valores é adequada para o seu perfil.
  • Diversifique: para investir no S&P 500, você necessita da margem de garantia, que geralmente, são outros ativos, como Tesouro Direto e CDBs.

    Além disso, evite alocar todo o seu patrimônio em renda variável, pois o risco envolvido é muito alto. Então, priorize a renda fixa e prepare a sua carteira para cobrir a garantia exigida. 

  • Considere os custos: investir na bolsa de valores possui custos, por exemplo, taxa de corretagem e emolumentos. Aplicar os seus recursos no exterior (sem sair do Brasil) costuma ter taxas a mais. Assim, antes de investir no S&P 500, considere os custos relacionados ao câmbio e as taxas de administração.
  • Invista com cautela: apesar de que o S&P 500 seja composto pelos líderes globais, é preciso ter cautela. Lembre-se de que o dólar pode ser seu grande aliado para o gerenciamento dos riscos.
    Mas, em excesso, é possível ter perdas. Portanto, se você quer investir no S&P 500, reserve uma parte segura do seu dinheiro e esteja preparado para enfrentar os riscos.
  • Conheça a carteira: durante a tomada de decisão, reserve um tempo para analisar a carteira do S&P 500. Verifique quais ações e empresas fazem parte dele e as suas proporções.

    A partir disso, faça a comparação de expectativa x retorno e considere também aspectos, como objetivos e prazo de investimento. 

Conclusão

O S&P 500 é o maior índice do mundo. Ele é composto por diversas empresas que lideram áreas como tecnologia, saúde e alimentação. 

Para investir neste indicador, você só precisa de uma conta aberta na Rico. Assim, você estará apto para aproveitar as oportunidades do mercado de ações norte-americano.

Este mercado é mais estável que o brasileiro e serve como proteção ao risco político e econômico brasileiro.

Além disso, o S&P 500 possibilita ganhar dinheiro com a valorização do dólar. No momento atual, os EUA sinalizam boa saúde financeira. Já o Brasil vive o fantasma das eleições e está em retomada da atividade econômica. 

Então, este pode ser o momento certo para começar a investir na bolsa norte-americana, principalmente com foco no médio e longo prazos. 

Para começar, você só precisa abrir a sua conta na Rico agora mesmo. Aqui, você encontra os melhores investimentos e ainda conta com todo o suporte da nossa equipe. 

Gostou deste artigo? Então, deixe o seu comentário.

Obrigado por ler até aqui!