Gol de CDB da Rico 250% do CDI: a cada fase que o Brasil avança na competição, você pode investir mais R$ 500 no produto

01/11/2022 20:04:54 • Atualizado em 03/11/2022 11:58:52
15 minuto(s) de leitura


Black Friday – Como economizar para investir? 


Compartilhar:
Homem e mulher deitados em uma cama, com um notebook, pesquisando sobre o que é black friday.

O final do ano se aproxima e parece que o calendário corre apressado para chegar em dezembro, pois basta piscar os olhos para perceber que o natal está logo adiante.  

E é nessa fase que duas palavras deixam lojistas e consumidores inquietos: Black Friday. 

Ainda que essa data já seja bem popular no Brasil, ainda há muitas pessoas e consumidores que não conhecem muito bem essa data.  

Afinal, o que é Black Friday? Onde ela surgiu? Quando e onde ela ocorre exatamente? 

De uma forma bem resumida, é possível dizer que a Black Friday consiste em um período de grande importância para o comércio em geral.  

Ela é um evento em que as lojas dos mais variados segmentos do comércio viabilizam uma série de descontos. 

Claro que para você compreender melhor o que é Black Friday e o quanto ela é importante para o comércio, não custa ir mais além e desbravar um pouco mais sobre o tema. 

Por isso, confira o nosso artigo e aprenda mais sobre o que é, como surgiu e como funciona a Black Friday no dia a dia das lojas e clientes.  

Fique por dentro também sobre como economizar nesse período para beneficiar futuros investimentos. 

O que é a Black Friday? 

A Black Friday é uma estratégia promocional realizada por empresas e lojas com o intuito de aproveitar o período de festas, comuns no final do ano, e atrair consumidores para aquecer as vendas. 

O berço da Black Friday é os Estados Unidos e, por lá, ocorre, tradicionalmente, na quarta Sexta-Feira do mês de novembro. 

Sendo assim, é possível afirmar que a Black Friday possui uma ligação direta com o feriado de Ação de Graças (Thanksgiving), que é considerado uma das mais importantes datas comemorativas nos EUA. 

Na prática, ela ocorre no dia seguinte ao feriado e é possível também dizer que a Black Friday é o combustível para iniciar as vendas natalinas.  

Não é à toa que os lojistas aguardam ansiosos os últimos dias de novembro. 

Qual é a origem da Black Friday? 

A gênese do nome Black Friday é bastante controversa e até hoje ninguém se arrisca em determinar com certeza qual é a origem definitiva. 

Uma das principais teorias a respeito do surgimento do nome tem a ver com a preocupação dos policiais durante o feriado. 

Dizem que a primeira vez em que o termo “Black Friday” veio à tona foi durante a década de 60, quando policiais da Filadélfia se referiam ao caos no trânsito formado pelo feriado de Ação de Graças. 

No entanto, no início da década de 80, o termo foi adaptado para o comércio, conceituando a prática de criar promoções para viabilizar o aumento das vendas nesse período do ano. 

O Dia de Ação de Graças 

Aqui no Brasil e em muitos outros países esse dia é normalmente mais uma Sexta-Feira do mês de novembro, porém se nos Estados Unidos os lojistas e compradores possuem um motivo para comemorá-lo, é porque lá ele é um feriado repleto de significados. 

Conhecido em inglês como Thanksgiving Day, o Dia de Ação de Graças é um feriado que comemora a chegada dos imigrantes ingleses na América do Norte. 

O tempo passou e essa comemoração se consolidou tanto na cultura norte-americana que, em muitos casos, rivaliza com o Natal em termos de importância.  

Não por acaso, hoje em dia ela está no cerne do que hoje o mundo conhece como Black Friday. 

Qual é a importância da Black Friday

Mulher sorrindo com algumas sacolas e bolsa em suas mãos, após fazer compras na black friday.

A relevância da Black Friday pode ser vista perfeitamente nos gráficos de vendas das lojas.  

Por meio dessa ação promocional, muitos lojistas enxergam a oportunidade de olhar as curvas de vendas subirem. 

Contudo, se levarmos em conta esse período pós-pandemia, em que aos poucos as coisas voltam ao normal para o segmento do comércio, a Black Friday ganha ainda mais protagonismo. 

Essa é a hora para as empresas pensarem em estratégias de venda, assim como é fundamental para os consumidores se planejarem, analisarem as possibilidades e encontrarem as ofertas mais vantajosas. 

A Black Friday é um combustível para aquecer e girar a roda da economia em um período específico, por isso ela deve ser encarada com seriedade e como uma oportunidade. 

A Black Friday no Brasil 

As ações promocionais relacionadas com o período de feriado de Ação de Graças iniciaram nos Estados Unidos.  

Porém, a ideia aos poucos foi ganhando espaço em outros países, inclusive naqueles que o Thanksgiving Day não tem bastante apelo. 

Um exemplo disso é o Brasil, onde as lojas e os clientes brasileiros apontaram os olhos para o potencial da Black Friday em 2010. 

Desde então, quando o final de ano se aproxima, publicidades em todas as mídias possíveis, de outdoors a anúncios no Youtube, trazem o termo “Black Friday” em letras garrafais. 

Para o mercado brasileiro, tanto para as empresas quanto para os clientes, a presença da Black Friday proporciona algumas vantagens, como, por exemplo, o aumento das vendas e os preços mais acessíveis. 

No entanto, a pesquisa de preços, o planejamento e a compra em lojas confiáveis nunca é demais.  

Não é à toa que nessa época do ano, além da Black Friday, algumas pessoas dizem que há também a “Black Fraude”. Por isso, é sempre bom ficar atento. 

Como economizar na Black Friday? 

Mulher segurando uma cesta de compras da black friday em suas mãos.

A Black Friday é um período tentador quando o assunto é compras.  

Há um bombardeio de promoções e anúncios divulgando preços baixos.  

Isso tudo, em uma época do ano em que ganhar e dar presentes é importante. 

Diante disso, a ausência de um planejamento e de uma meta de compras são convites para os gastos descontrolados. 

Por essa razão, além de evitar compras exorbitantes, é bom ter cuidado para não cair em golpes com roubo de dados, dinheiro e, inclusive, com o Pix. 

Portanto, para que a Black Friday não seja sinônimo de cilada e sim uma oportunidade para efetuar compras sem cair no prejuízo, vale seguir algumas dicas interessantes.  

Determine um limite para realizar compras 

Limite é a palavra de ordem quando o tema é fazer compras. Por causa disso, é fundamental estabelecer alguns limites.  

E para isso, leve em consideração aquilo que você economizou, bem como o seu limite do cartão de crédito disponível para compras. 

Outro aspecto importante é não esquecer de contabilizar a quantidade de parcelas que ainda estão em aberto referentes a compras passadas.  

Isso evita aquela bola de neve de juros que pode resultar em dívidas. 

O final de ano é um período fértil para gastos excessivos.  

Natal, festas de empresas, formaturas e réveillon são apenas alguns exemplos que nos estimulam a sacar o cartão de crédito.  

Por isso, antes de chegar esse período, é bom ter um planejamento

Faça pesquisas 

E já que falamos em planejamento, a realização de pesquisas ajuda a estabelecer planos e metas.  

É por meio de pesquisas que se torna possível avaliar com segurança qual é o preço justo, pois há sites que trazem um histórico do preço das mercadorias ao longo dos meses. 

Desse modo, fica mais fácil saber quanto de fato custa o produto ou o serviço que você quer comprar.  

Isso facilita também ficar atento às lojas que estão aumentando os valores antes da Black Friday com o intuito de aplicar falsos descontos. 

Fique atento para a situação do seu dinheiro 

Conhecer os seus ganhos e gastos diários já facilita muito qualquer planejamento para não cometer excessos na Black Friday. 

Para saber o quanto você pode ou não gastar, é necessário responder: “Será que eu realmente preciso desse produto ou serviço, ou eu quero comprá-lo apenas por que a Black Friday está facilitando?” 

Dependendo da resposta, o seu bolso agradecerá, pois você evita gastos desnecessários e tem condições de investir. 

Porém, sabemos que não é fácil resistir às promoções tentadoras nesse período do ano. 

Todavia, avaliando se o produto realmente é necessário para você nesse momento, se torna muito mais fácil gerenciar as suas finanças e evitar desperdícios. 

Lembre-se que planejamento financeiro leva em conta o corte de gastos desnecessários e isso vale também para a Black Friday. 

Também não custa lembrar que não há a obrigação de comprar os produtos apenas porque é Black Friday.  

Evite ciladas 

Você já ouviu falar em “Black Fraude”? Pois é, a Black Friday também é o período para golpistas. 

Sendo assim, antes de encher o seu carrinho de compras e inserir os dados do cartão de crédito, avalie se a reputação da loja é confiável. 

Para isso há opções interessantes. O Google, ou até mesmo sites como o Reclame Aqui, permitem avaliar se há relatos de fraudes entre os consumidores, inclusive trazem a reclamação de alguns clientes relatando qualquer tipo de transtorno com o atendimento. 

Não custa também procurar por avaliações em redes sociais da loja para verificar se os clientes estão satisfeitos com os serviços ou produtos oferecidos.  

Caso a reputação não seja boa, fique com os dois pés atrás. 

Além do mais, preste atenção nos sites onde você pretende efetuar as compras. Saiba que os golpistas criam lojas falsas para enganar consumidores desatentos. 

Por fim, vale ressaltar que a Black Friday traz muitas oportunidades e vantagens, não apenas chances destinadas para compras, mas também oportunidades para economizar.  

Isso mesmo, a Black Friday é a oportunidade para você comprar, por um preço acessível, produtos que realmente sejam essenciais para você. 

Isso é fundamental para não prejudicar a sua saúde financeira, aproveitando as vantagens que esse evento oferece. 

Aprendeu mais sobre a Black Friday? O que você achou das dicas? Para conhecer melhor os nossos conteúdos, acompanhe o nosso blog, acesse o nosso canal do YouTube e abra uma conta no Rico