Gol de CDB da Rico 250% do CDI: a cada fase que o Brasil avança na competição, você pode investir mais R$ 500 no produto

26/09/2022 16:29:04 • Atualizado em 26/09/2022 16:41:44
14 minuto(s) de leitura


Reserva de emergência: como montar e top 4 Investimentos

Ter uma reserva de emergência é essencial para garantir um futuro tranquilo. Aprenda de maneira simples como fazer um fundo de emergência agora mesmo


Compartilhar:
Mulher com uma agenda na mão em frente ao notebook aprendendo como montar e investir sua reserva de emergência.

A vida é repleta de imprevistos e nem sempre estamos preparados para eles. E, quando se trata de um imprevisto financeiro, a reserva de emergência é um recurso que ajuda a você não sentir tanto os impactos. 

Nós sabemos o quanto pode ser complicado dar o primeiro passo rumo a organização financeira. Por isso, iremos te ensinar como fazer uma reserva de emergência e apresentar cinco investimentos para aplicar sua reserva.  

O que é uma reserva de emergência?  

Uma reserva de emergência, ou reserva financeira, é um dinheiro guardado mensalmente para lidar com imprevistos sem a necessidade de alterar o orçamento ou se endividar. 

Essa quantia de dinheiro guardada é importante para lidar com mais tranquilidade em possíveis emergências. Afinal, algumas situações como bater o carro, já causam bastante estresse e precisar entrar em uma dívida para arrumar o veículo só vai deixar tudo mais complicado. 

Como fazer uma reserva de emergência:  

A reserva de emergência é um dinheiro que precisa ser aplicado em investimentos que permitam o resgate em curto prazo. Ou seja, que permita o resgate imediato em caso de necessidade.  

Deixar o dinheiro investido ao invés de deixá-lo parado no banco é fundamental para não perder poder de compra com o tempo, já que ele será corroído pela inflação.  

O primeiro passo para fazer uma reserva de emergência e então começar a investir é se organizar financeiramente.  
 
Pensando nisso, elencamos algumas ações para você começar a construir sua reserva com segurança. São elas:  

  • Faça um orçamento pessoal: organize suas contas e entenda como você gasta seu dinheiro (inclua gastos fixos, como aluguel, energia e os gastos variáveis como cartão de crédito);  
  • Controle financeiro: na medida em que você sabe exatamente como gasta o que ganha, ficará mais fácil planejar suas finanças e cortar gastos desnecessários e assim obter mais controle sobre como irá gastar seu dinheiro futuramente;  
  • Poupe uma parte da sua renda mensal: defina um valor para  guardar todo mês. Essa meta precisa ser realista e de acordo com as contas que você fez e do que de fato vai sobrar de dinheiro; 

Clique aqui e baixe a Planilha Financeira da Rico. É 100% digital e gratuita. Dê o primeiro passo para organizar sua vida financeira!  

Os 4 Melhores Investimentos para aplicar o seu reserva de emergência

1. Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título público de renda fixa emitido pelo governo. 

Basicamente, ele consiste em um empréstimo do seu dinheiro para o financiamento de áreas como saúde, educação e infraestrutura.  

Em troca, você recebe uma taxa de rentabilidade, que no caso é a própria taxa Selic

O Tesouro Selic é ideal para compor sua reserva de emergência, porque ele possui liquidez diária. Ou seja, você tem a possibilidade de resgatá-lo a qualquer momento.  

Além disso, ele tem rentabilidade diária, fazendo com que seja muito provável que você resgate um valor maior do que aplicou, mesmo em uma aplicação de curtíssimo prazo.  

A venda deste ativo pode ser feita a qualquer momento, pois o próprio governo faz a recompra.  E a liquidação se dá em D+1, isto é, em um dia útil, o dinheiro estará na sua conta. 

2. CDB com liquidez diária

O CDB, Certificado de Depósitos Bancários, com liquidez diária é uma boa alternativa para a reserva de emergência. 

Como ele é emitido pelos bancos, é possível encontrar taxas de rentabilidade próximas ou maiores que o CDI, Certificado de Depósitos Interbancários, que é um benchmark da renda fixa. 

Assim, você poderá ter uma reserva de boa remuneração e com a vantagem de resgatar o valor investido a qualquer momento. 

Diferentemente do Tesouro Selic, a liquidação pode ocorrer no mesmo dia. 

3. Fundos de renda fixa

Os Fundos de Renda Fixa são carteiras que investem, no mínimo, 80% do patrimônio em títulos de renda fixa como, Tesouro Direto.  

Ele apresenta o diferencial de ter um gestor profissional que faz as alocações de ativos e acompanha diariamente a aplicação.  

O objetivo é conseguir o melhor rendimento. Por ser composto por títulos de renda fixa, os retornos, geralmente, são próximos ao CDI. Os melhores fundos conseguem desempenhos bastante atrativos.  

Para a reserva de emergência, o ideal é que esta aplicação tenha prazo de liquidação e cotização em até D+1. Caso você precise do valor investido com urgência, não haverá transtornos.  

Um ponto de atenção é que os fundos de renda fixa não possuem a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC)

Os fundos de investimentos possuem taxa de administração. Alguns deles têm ainda a taxa de performance, quando a rentabilidade supera o previsto. 

Esses custos devem ser considerados antes de investir, com o intuito de saber se os rendimentos são maiores que as despesas. 

4. Fundos DI

Outra alternativa para reserva de emergência é o Fundo DI. Ele é um fundo de investimento referenciado na taxa DI. Assim, a composição é feita com ativos da renda fixa indexados à taxa CDI

Portanto, se você quer ter uma reserva com rentabilidade em linha com o CDI, essa pode ser uma opção.  

Como nos fundos de renda fixa, os fundos DI também não possuem cobertura do FGC. 

Com a Rico você investe de um jeito simples, rápido e descomplicado. Abra sua conta e tenha acesso a todas as vantagens de ser Rico. 

Onde não investir sua reserva de emergência

Mulher em frente ao notebook aprendendo como montar e investir sua reserva de emergência.

Ao analisar nossas sugestões de investimentos para construir uma reserva de emergência, você consegue identificar o que eles têm em comum? 

O que todos possuem em comum é a alta liquidez. Ou seja, a facilidade de resgatar os valores, de transformar o investimento em dinheiro na sua conta.  

E é assim porque o principal objetivo de ter uma reserva financeira está em dispor da quantia para utilização de forma urgente e imediata, quando um imprevisto ou emergência surgir. 

Por causa disso, é importante que você aplique seu dinheiro em fundos que permitam o resgate no dia seguinte ou em poucos dias após solicitado. 

Então fica fácil entender por que investimentos de baixa liquidez não são indicados para formar sua reserva de emergência.  

Esse é o caso de alguns investimentos de renda fixa, como tipos de CDBs que não têm o perfil de liquidez diária, como indicamos antes. 

Outros fundos que costumam ter um risco mais alto, como os multimercados, os cambiais e os fundos de ações, também não são recomendados para quem precisa do valor disponível em poucos dias. Além disso, a flutuação dos investimentos no curto prazo inviabiliza utilizá-los como reserva de emergência 

É tudo uma questão de liquidez e não apenas de rentabilidade, que pode ser bastante atrativa, funcionando bem para outros objetivos que não a construção de uma reserva de emergência. 

Quanto preciso guardar na minha reserva de emergência?

Uma das dúvidas mais frequentes entre as pessoas que querem fazer uma reserva de emergência é sobre quanto dinheiro precisam guardar.  

Os especialistas recomendam que ela deve conter entre 6 e 12 meses das suas despesas mensais. Neste ponto, é importante fazer o seu planejamento financeiro.  

Com ele, você terá uma visão mais ampla e detalhada dos seus custos em todos os meses. Assim, você pode fazer uma média e iniciar a formação da sua reserva de emergência.  

Tenha em mente que quanto maior o valor total, melhor será a sua preparação para uma eventualidade. Ou seja, você poderá agir sobre problemas que custam mais.  

Segue, abaixo, um exemplo hipotético das despesas do Carlos e da Nicole e a Reserva sugerida para seis meses:  

imagem ilustrativa mostrando como criar um reserva de emergência como exemplo.

Como investir sua reserva de emergência com a Rico?    

Para investir sua reserva de emergência com segurança escolha uma instituição financeira de confiança, como a Rico.    

O papel da Rico é mostrar que investir é para você e aqui você investe de um jeito simples, rápido e descomplicado.    

Acompanhe os 4 passos para começar a investir com a Rico:    

  1. Abra sua conta. O processo é bem simples e com isso você passa a ter acesso a uma infinidade de investimentos;   
  1. Descubra seu perfil de investidor. Para encontrar o investimento ideal para os seus objetivos, você precisa descobrir qual é o seu perfil de investidor;   
  1. Transfira seu dinheiro. Agora, basta transferir o valor que você deseja investir para sua conta na Rico, com segurança e transparência de modo prático e simples.    
  1.  Comece a investir. Acessando sua conta na nossa plataforma, você vai encontrar diversos produtos para começar a fazer o seu dinheiro render mais.   

Na Riconnect, nossa plataforma de conteúdos, você encontra relatórios e análises   

exclusivas dos nossos analistas financeiros e tem acesso a diversos conteúdos educativos que vão te ajudar a expandir os seus conhecimentos.    

Conte com a Rico para melhorar sua vida financeira e investir cada vez melhor.  

Com a Rico você investe de um jeito simples, rápido e descomplicado. Abra sua conta e tenha acesso a todas as vantagens de ser Rico.