(Por Thales Carmo, analista de Materiais Básicos da XP Investimentos) 

  • O setor de mineração tem peso bastante relevante na nossa bolsa, e os movimentos da commodity geram discussões neste início de 2022.
  • Chamamos um analista especialista no setor para explicar um pouco sobre o setor e para te contar o que está acontecendo nesse momento.
  • Veja quais as recomendações desse analista para investir no setor.

Nas últimas semanas, o setor de mineração voltou com força à pauta principal no Brasil, com diversos eventos acontecendo simultaneamente.  

Nesse pequeno comentário, tentamos trazer um resumo dos últimos acontecimentos para você não ficar de fora! Mas primeiro, vamos começar pelo básico… 

Para que serve o minério de ferro? 

O minério de ferro é o principal componente na criação do aço (cerca de 98% do minério de ferro no mundo é utilizado na indústria siderúrgica).  

Estamos falando de um mercado altamente concentrado, com poucas empresas no Brasil e na Austrália sendo responsáveis por mais de 72% da oferta transoceânica de minério no mundo.  

Como toda commodity existente, os seus preços são função de oferta, demanda, sentimento de mercado, liquidez, entre outras coisas. Por conta disso, seus preços tendem a ser bastante voláteis. 

Quando falamos em demanda por minério de ferro, não podemos nos esquecer da China. Mesmo tendo a terceira maior produção da commodity, seguida da Austrália e Brasil, os chineses são – de longe – os maiores importadores do minério, responsáveis pela importação de mais da metade do minério produzido! 

Além disso, a China ainda produz mais aço do que todos os outros países somados. Em 2021, a China produziu 1,03 bilhão de toneladas de aço bruto, 8,7x mais que o segundo maior produtor, a Índia. No entanto, hoje vamos focar no lado da oferta, principalmente no Brasil. 

Conforme comentamos, poucas mineradoras no Brasil e na Austrália concentram a oferta da commodity no mundo. Essa concentração se dá, entre outros motivos, pela estrutura de custos dessas empresas. Os custos operacionais dos principais produtores estão entre os mais baixos de toda a indústria. 

No Brasil, a produção de minério de ferro é bastante concentrada em dois estados (Minas Gerais e Pará), que representam 99% da produção total do minério no Brasil.  

Não coincidentemente, as principais mineradoras brasileiras atuam nesses estados, como a Vale (72% da produção total), a CSN Mineração (10%), a Anglo American (7%), a Usiminas (2%) e a Vallourec (1%). A última teve um espaço especial na mídia nos últimos dias… 

Recentemente, as fortes chuvas em Minas Gerais tomaram conta dos noticiários. Com os diversos alagamentos e tragédias, veio também a preocupação com a segurança das barragens

No dia 8 de janeiro, o dique de água da Vallourec transbordou, paralisando uma rodovia e, como resultado, sofreu uma multa de R$ 288 milhões por danos ambientais. 

Consequentemente, o transbordamento fez com que as demais mineradoras suspendessem as atividades para garantir o funcionamento das suas barragens. Essa paralisação não durou muito e as mineradoras já retomaram as operações, uma semana após o anúncio. 

O risco acabou, então? 

Muito pelo contrário. Inclusive, sempre buscamos ressaltar que o risco de um novo rompimento de barragem deve ser um dos principais pontos de atenção aos investidores, principalmente quando tratamos de Vale.  

Segundo uma nota do Ministério Público, existem 31 barragens em situação de emergência em MG e determinaram que adotassem medidas em 18 delas para reforçar a segurança. Todas as 18 estruturas são da Vale. 

Mesmo assim, ainda acreditamos no seu potencial de valorização das mineradoras, como a Vale, Bradespar e a CSN Mineração.  

Recomendações 

Nossa recomendação para Vale (VALE3) é de Compra e preço-alvo de R$97/ação para os próximos 12 meses.  

Já para Bradespar (BRAP4), nossa recomendação é de Compra e preço-alvo de R$32,8/ação.  

Por fim, também temos recomendação de Compra para a CSN Mineração (CMIN3), com preço-alvo de R$7,8/ação. 

Elaborado por:

Paula Zogbi, CNPI 2545

1) Este relatório de análise foi elaborado pela Rico Investimentos, que é uma marca da XP Investimentos CCTVM S.A. (“Rico”) de acordo com todas as exigências previstas na Resolução CVM nº 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A Rico não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório.

2) Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor.

3) O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à Rico e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela Rico.

4) O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Resolução CVM nº 20/2021 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório.

5) Os analistas da Rico estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários do Grupo XP.

6) Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor.

7) A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes.

8) Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Rico. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Rico.

9) SAC. 0800 774 0402. A Ouvidoria da Rico tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800-722-3730.

10) O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da Rico: https://www.rico.com.vc/custos. 11) A Rico se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 

12) A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. 

13) Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor.