O mercado de opções pode parecer complexo à primeira vista, mas pode ser explicado em duas partes distintas. Neste texto, vamos apresentar a dinâmica desse mercado e exemplificar as três estratégias mais comuns adotadas por investidores.

O que são opções

Opções são “contratos virtuais” que dão o direito de compra ou venda de uma ação a um preço preestabelecido até uma data específica. Esses contratos são negociados por meio de aplicativos ou Home Brokers, com códigos semelhantes aos das ações.

Os códigos são compostos pelas letras do Ticker de uma ação, seguidas por uma letra representando o mês de vencimento da opção e um número que indica o valor preestabelecido de venda ou compra da opção.

VencimentoCall (opção de compra)Put (opção de venda)
JaneiroAM
FevereiroBN
MarçoCO
AbrilDP
MaioEQ
JunhoFR
JulhoGS
AgostoHT
SetembroIU
OutubroJV
NovembroKW
DezembroLX

Utilizando um exemplo hipotético, uma opção VALEC680 seria a opção de comprar VALE3 por R$68,00, com o vencimento em março (VALE + C (março) + 680 (R$68,00) = VALEC680).

1- Alavancagem

O primeiro tipo de operação mais comum com as opções é a Alavancagem. A alavancagem permite ao investidor aproveitar a eventual valorização de uma ação com pouco capital, limitando o risco ao valor investido.

Tomemos como exemplo a opção hipotética VALEC680, mencionada anteriormente.

Ao comprar 100 opções de compra (conhecidas como “Calls”) da Vale – VALEC680 – a R$ 0,50 cada (preço hipotético do preço da ação no momento da compra), você investe R$ 50,00 para ter o direito de comprar 100 ações da VALE a R$ 68,00 até a terceira sexta-feira de março.

Se o preço da Vale atingir R$73,00 até o vencimento (dia 15 neste exemplo), essa opção valerá pelo menos R$ 5,00, que é a diferença entre o valor da opção e o preço de exercício (R$ 73,00 – R$ 68,00 = R$ 5,00).

Assim, seu investimento nessas opções VALEC680 teria uma valorização de 10 vezes.

Naturalmente, você não precisa esperar até lá: se as ações da Vale começarem a subir, as opções também irão se valorizar e você terá a chance de vender por um preço no “meio do caminho” (R$1,00, R$ 1,55, R$ 1,80, etc), que vai depender da valorização da empresa.

Ou seja, a vantagem desse tipo de operação é a alavancagem, pois o investidor pode aproveitar a alta de uma ação sem precisar investir muito dinheiro, e com um risco limitado ao valor investido.

O lado negativo de se operar opções é que você pode perder todo capital investido caso a ação não alcance o preço de exercício até data do vencimento, ou como diz o jargão do mercado: A opção “vira pó”.

2- Opção de venda e a proteção do seu patrimônio

As Opções de vendas (ou PUT) também servem para proteger contra quedas inesperadas no mercado. Ao deter uma Opção de venda (Put) de uma ação que você possui, você tem o direito de vender essa ação pelo preço de exercício da Put, mesmo que o preço de mercado seja inferior.

Utilizando outro exemplo hipotético, Um investidor que possui ações da VALE pode comprar uma opção VALEO680 para vender suas ações por R$68,00 no vencimento em março. Essa operação é conhecida como “seguro”, sendo uma proteção útil quando há eventos de curto prazo que podem afetar negativamente o investimento, como a divulgação de resultados.

Vale lembrar que essa Opção também pode ser usada por investidores que desejam especular sobre a queda das ações (alavancagem). Ou seja, comprar apostando que as ações irão desvalorizar até o vencimento do contrato.

Exemplo: Um investidor compra 100 opções de venda VALEO680 por R$0,50 cada. Com uma eventual queda no preço da cotação dessa ação, o preço da Put dispara e esse “seguro” pode ser revendido para outro investidor, fazendo assim o especulador ganhar com a valorização das Opções.

3- Dividendos sintéticos: O outro lado das opções

Agora que você já entendeu o que são e como funciona o lado de quem compra as opções, você deve estar se perguntando sobre o lado de quem vende essas opções.

Existem 2 lados desse contrato. O lado de quem compra as opções que darão direitos a comprar ou vender uma ação, e o lado de quem vende as opções que serão obrigados a vender ou comprar uma ação em troca de um prêmio (R$).

No primeiro exemplo desse texto, falamos sobre a pessoa que compra uma opção (call) VALEC680, esperando que a ação se valorize para lucrar com essa alta. Esse “contrato” foi feito com outro investidor que recebe o valor pela venda da opção (que chamamos de prêmio) para ser obrigado a vender suas ações de VALE3 por R$68,00, mesmo que a ação seja negociada por um preço maior no mercado no momento do vencimento (março).

Call – direito de compra
Comprador (Titular)Vendedor (lançador)
Paga o prêmio (R$)Recebe o prêmio (R$)
Têm o direito de comprarTêm a obrigação de vender
Aposta na alta da açãoEspera que o preço não seja atingido

Esse “outro lado” das opções, também é conhecido como estratégia de dividendos sintéticos.

Nessa estratégia, um investidor que possui as ações da empresa vende contratos de opções para receber um pequeno valor em troca da obrigação de vendê-las por um valor determinado até um prazo definido.

Naturalmente, esse investidor espera que suas ações não tenham uma valorização relevante, para poder repetir esse processo mensalmente e aproveitar esses “dividendos sintéticos” em um período de estagnação do preço da ação.

Nessa operação, o investidor corre o risco de que suas ações se valorizem e ele seja obrigado a vendê-las pelo preço do contrato da opção, inferiores ao preço de mercado.

Opções: recomendamos cautela

Existem diversas estratégias de investimento que podem ser feitas com o uso de Opções, incluindo a combinação de diferentes tipos de Opções para a criação de operações estruturadas.

Algumas informações foram deixadas de fora da explicação ou simplificadas para facilitar o entendimento do assunto, dado o caráter introdutório ao tema. Caso você esteja iniciando nesse tipo de operações, recomendamos que estude em detalhe, pois uma operação feita incorretamente no mercado de opções pode por em risco todo o patrimônio de um investidor.

Risco de perder além do principal: Um exemplo de uma operação perigosa para o investidor seria realizar a venda de opções, sem possuir a ação. No mesmo exemplo da tabela anterior, note que quem vende uma opção Call estará obrigado a vender uma determinada ação, em troca do prêmio. Caso o investidor não possua a ação, será obrigado a comprar ações pelo preço do mercado para entregar as ações ao investidor que comprou suas opções. Como não há limites para a alta de uma empresa, o prejuízo de vender uma Call sem possuir as ações é ilimitado.

Entretanto, com estudo e cautela, opções podem ser uma forma de aumentar a rentabilidade da sua carteira. Para você que já está pronto para esse tipo de estratégia, a Rico tem taxa zero para operar opções. Abra sua conta gratuitamente aqui!

Elaborado por:

Júlia Aquino, CNPI 3607

1) Este relatório de análise foi elaborado pela Rico Investimentos, que é uma marca da XP Investimentos CCTVM S.A. (“Rico”) de acordo com todas as exigências previstas na Resolução CVM nº 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A Rico não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório.

2) Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor.

3) O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à Rico e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela Rico.

4) O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Resolução CVM nº 20/2021 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório.

5) Os analistas da Rico estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários do Grupo XP.

6) Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor.

7) A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes.

8) Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Rico. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Rico.

9) SAC. 0800 774 0402. A Ouvidoria da Rico tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800-722-3730.

10) O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da Rico: https://www.rico.com.vc/custos. 11) A Rico se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 

12) A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. 

13) Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor.