(Por: Camille Pinto e Alvaro Feris)

Eles são estrelas nos campos, mas e nos investimentos? Conheça atletas que arrasaram na grama e na grana e outros que tomaram cartão vermelho nas finanças.

Desde sempre, eles são os ídolos de qualquer criança brasileira. Afinal, como canta o Skank, quem não sonhou em ser um jogador de futebol? Completamos álbuns com suas caras, acompanhamos suas trajetórias, comemoramos vitórias, amargamos derrotas e nos preocupamos com cada lesão. Choramos, sorrimos, entramos em brigas com amigos e abraçamos desconhecidos ao torcer pelo time do coração. Pergunte a qualquer menino (e, felizmente, muitas meninas também) o que quer ser quando crescer e a resposta provavelmente será: jogador(a) de futebol.

Se queremos tanto ser como eles, será que queremos investir como eles também? Bom, nem sempre. Embora invejemos os milhões em contratos astronômicos, o fato é que investir como um jogador de futebol, por vezes, pode significar perder muito, mas muito dinheiro. Em outros momentos, a transição entre lidar com o verde da grama e o verde da grana é feliz e nossos atletas se mostram investidores igualmente habilidosos.

Em clima de Copa do Mundo, que mais uma vez balança nossos corações verde-amarelos, separamos alguns casos de jogadores que marcaram golaços no momento de investir e outros que, infelizmente, tomaram cartão vermelho.

Ademir da Guia

Conhecido como “Divino”, apelido herdado do pai, Ademir da Guia encantou todo torcedor palmeirense durante seus incríveis 901 jogos com a camisa alviverde. Até hoje, de longe, o jogador com mais partidas pelo clube.

Com sua genialidade, tranquilidade e elegância com a bola no pé, conquistou títulos como: 2 campeonatos Brasileiros (1972 e 1973), 2 Torneios Roberto Gomes Pedrosa (196 e 1969), 1 taa Brasil (1967), 1 torneio RIO-SP (1965) 3 Troféus Ramòn de Carranza (1969,1974 e 1975) e 5 Campeonatos Paulistas (1963, 1966, 1972, 1974 e 1976) pelo Palmeiras.

Com esse currículo e status de ídolo de um dos clubes mais tradicionais do país, espera-se que Ademir tenha sido também um multi-campeão na vida financeira, certo? Errado.

Após um súbito fim de carreira ao ser assolado com problemas respiratórios, Ademir teve que se afastar do futebol por 6 anos. Depois, foi convidado pelo próprio Palmeiras para ser técnico das categorias de base. Acabou não se planejando e hoje vive do salário que ganhou como vereador de São Paulo entre 2004 e 2008. Até chegar nesse cargo, teve diversos empregos para tentar manter um bom padrão de vida. Tentou ser reeleito, mas sem sucesso.

Hoje, como ídolo do clube, ainda faz atos institucionais para a Sociedade Esportiva Palmeiras, mas leva uma vida mais simples do que se poderia imaginar.

Craque de Finanças? Não, Divino apenas no futebol.

Lição: Não adianta ser genial em um aspecto da vida, e deixar todo resto “devendo” atenção.

Garrincha

O bicampeão mundial Mané Garrincha sempre foi conhecido pela magia de seus dribles e por suas pernas tortas que desconcertavam a marcação. Principal craque do Brasil campeão mundial de 62, muitos dizem que ele praticamente carregou o time nas costas!

Naquela época os jogadores de futebol não eram tão valorizados como hoje, mas, de qualquer forma, frente à média da população, eles ganhavam muito bem e poderiam viver um padrão de vida superior.

Mané desfrutou bastante deste padrão de vida, até demais. Acabou gastando muito com coisas supérfluas como carros, balada e bebidas. Começou a ter problemas com alcoolismo, o que acarretou em problemas sérios de saúde. O ídolo do Botafogo e bicampeão mundial morreu em 20 de janeiro de 1983 sem um tostão no bolso.

Craque de Finanças? Não, ganhou muito, gastou mais ainda.

Lição: Não importa o quanto você ganha, mas sim o quanto você gasta.

Muller 

Inteligente, rápido, habilidoso e ótimo finalizador, Muller foi um dos principais jogadores entre os anos de 80 e 90, um dos poucos jogadores que atuaram nos cinco principais clubes de São Paulo: Portuguesa, Santos, Palmeiras, Corinthians e São Paulo, onde fez parte de um dos melhores times da história do clube.

Pelo São Paulo, foi campeão brasileiro em 1986 e em 1991, bicampeão da Libertadores em 1992 e 1993 e do Copa Intercontinental também em 1992 e 1993. Marcou o gol do título contra o Milan, de costas, num lance histórico para a torcida são-paulina, no finalzinho do jogo, garantindo o bicampeonato.

No mesmo tricolor, foi campeão paulista em 1985, 1987, 1991 e 1992 e da Supercopa da Libertadores de 1993. Sem contar outros títulos com o Cruzeiro e, claro, o mundial em 1994 pela Seleção Brasileira. Uma carreira mais que vitoriosa.

Pendurou as chuteiras em 2004 depois de ter atuado pelo Ipatinga. Em 12 de maio de 2011, em entrevista ao programa “Esporte Fantástico” da Rede Record, relatou estar morando de favor na casa do ex-jogador Pavão, com quem atuou em seus tempos de São Paulo.

Mal assessorado e com alguns problemas em sua vida matrimonial, Muller foi enfático na entrevista ao programa da Record: “É importante que os jovens mantenham a cabeça em dia e não se deslumbrem com a fama”, disse Muller.

Recentemente, Muller foi contratado pela própria Record TV para a cobertura do Campeonato Paulista de 2022, mas não fez muito sucesso e seu contrato não foi renovado.

Craque de Finanças? Não, campeão de tudo, mas não soube aproveitar.

Lição: Como ele mesmo disse: É importante manter a cabeça em dia e não se deslumbrar com dinheiro na mão.

Maradona

O polêmico e legendário jogador argentino teve uma vida financeira igualmente atribulada. Se no futebol, sua atuação foi marcada pela “mão de Deus”, nas finanças esse toque mágico aconteceu apenas após o encerramento da carreira esportiva.

Como muitos atletas famosos, Maradona teve problemas fiscais e deixou de quitar impostos por quase cinco anos em sua temporada atuando pelo Napoli. Sua justificativa perante a justiça foi que terceirizava essas questões e, por isso, não tinha noção da dívida. O desfecho foi o confisco de joias e dois relógios de luxo pela Polícia Fiscal da Itália, nas duas ocasiões que o jogador retornou ao país.

Em seus fracassos financeiros, Dieguito considerou seus empresários como responsáveis por equívocos nos números e também por mentiras e ocultação de informações. Nem a família do astro escapou das polêmicas, porque suas filhas Giannina e Dalma foram acusadas por ele de evasão de divisas e ocultação de dinheiro no Uruguai.

Apesar dos erros, o melhor jogador da história do futebol (depois de Pelé) conseguiu dar a volta por cima após a falência e impasse financeiro com o empresário Guillermo Cóppola. Mesmo após pendurar as chuteiras, Maradona usou seu prestígio para atuar como técnico de futebol e narrador de partidas.

Ciente de seu valor como um dos maiores astros que o futebol mundial já conheceu, o argentino emplacou uma parceria com a empresa Puma, que desenvolveu linhas de artigos inspirados no jogador.

A primeira metade da história de Maradona poderia ensinar que é importante dar atenção aos impostos e escolher bem quem vai gerenciar seu dinheiro, mas sua volta por cima o transforma em inspiração.

Craque de Finanças? Sim, mas só no segundo tempo.

Lição: Vão se os anéis, fica a Mão de Deus. Mesmo após a falência, o craque soube se reinventar buscando novas fontes de renda, conhecendo seu valor e utilizando bem a fama que conquistou na carreira. Dos pontos negativos, podemos aprender: pague seus impostos e cuidado com quem gerencia seu dinheiro.

Marcelo Lomba

Uma das características principais de um bom goleiro é o tempo de reação. Quanto menos tempo levar para tomar uma decisão após a ação do batedor, maior a chance de defesa, principalmente no caso dos pênaltis. Se a rapidez pode tornar o goleiro melhor, a calma é o que garante resultados ao investir. Pelo menos é o que acredita Marcelo Lomba.

O atual goleiro no Palmeiras, de 35 anos, acaba de renovar seu contrato com o time paulista para mais uma temporada. No caso de Lomba, talvez isso signifique mais possibilidades ainda para investir. Há anos, Lomba é conhecido por ser um investidor estudioso e conhecedor do mercado financeiro.

Suas escolhas para composição da carteira são majoritariamente ações, que ele analisa diretamente através de leituras nos sites de RI das empresas. O jogador também acompanha cartas mensais de fundos, além de buscar conteúdo no YouTube e em livros como “O Investidor Inteligente”, de Benjamin Graham.

Além do estudo constante, Lomba busca manter caixa ao final de todo mês, para garantir conforto no momento de investir. Assim, garante liquidez quando alguma boa oportunidade aparece. Sua estratégia de defesa das grandes oscilações no mercado é manter a calma e investir visando o longo prazo, sem ansiedade.

Craque de Finanças? Com certeza.

Lição: Estudo e treino sempre, seja ao jogar, ao investir ou ao viver. A sorte vem para aqueles que se preparam, assim como as boas oportunidades.

Ronaldo Nazário

Nenhuma lista de jogadores de futebol que investem ficaria completa sem o Fenômeno. Desde sua aposentadoria no esporte que o consagrou, Ronaldo vem se mostrando um investidor habilidoso e inovador. Dez anos atrás, ele e seu time venceram a emblemática partida beneficente “Amigos de Ronaldo versus Amigos de Zidane”. E em sua carreira como investidor, os bons relacionamentos e amizades também tiveram papel fundamental.

Afinal, foi um dos amigos de Ronaldo que soprou a dica de investir no time que o revelou, o Cruzeiro. O investimento não só o tornou dono da SAF (Sociedade Anônima do Futebol) do Cruzeiro, mas também significou um marco para a história do futebol brasileiro. A operação, intermediada pela XP, foi uma das primeiras no Brasil realizada a partir da lei da SAF. Com o movimento, o time mineiro retornou à Série A do Campeonato Brasileiro após 3 anos na segunda divisão.

Nos últimos meses, tornou-se também investidor de uma startup especializada em mídia e conteúdo, com trabalhos como filmes, séries, formatos digitais e, principalmente, transmissões esportivas. Esse é um dos segredos de Ronaldo: apesar de hoje em dia contar com investimentos diversificados, suas escolhas voltadas para o futebol sempre se mostram acertadas. No passado, chegou a atuar no marketing esportivo com a agência 9ine e em outras iniciativas.

Craque de Finanças? Referência.

Lição: Investir no que conhece e trazer ensinamentos de outras áreas para o mundo das finanças. Apostar em boas amizades e confiar em bons parceiros.

Apita o árbitro, agora é sua vez

Quando pensamos nos salários milionários do futebol, parece praticamente impossível investir mal. Porém, não é bem assim. Como as histórias nos mostram, seja qual for o montante disponível para começar a investir, bons hábitos como estudo, diversificação e seguir bons conselhos estão no centro de uma trajetória de sucesso como investidor.

Sorte e torcida fazem parte do futebol, mas, no momento de investir, é importante manter a constância, a dedicação nos aportes e a paciência para obter resultados no médio e longo prazo. Conte com o nosso conteúdo para te auxiliar a escalar sua seleção de ativos para compor sua carteira e alcançar seus objetivos.

Confira aqui nossas recomendações de onde investir nesse mês.

Elaborado por:

Paula Zogbi, CNPI 2545

1) Este relatório de análise foi elaborado pela Rico Investimentos, que é uma marca da XP Investimentos CCTVM S.A. (“Rico”) de acordo com todas as exigências previstas na Resolução CVM nº 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A Rico não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório.

2) Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor.

3) O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à Rico e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela Rico.

4) O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Resolução CVM nº 20/2021 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório.

5) Os analistas da Rico estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários do Grupo XP.

6) Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor.

7) A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes.

8) Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Rico. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Rico.

9) SAC. 0800 774 0402. A Ouvidoria da Rico tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800-722-3730.

10) O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da Rico: https://www.rico.com.vc/custos. 11) A Rico se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 

12) A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. 

13) Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor.