Se você já estava atento ao que acontecia nos mercados em 2021, o nome que movimentou a Bolsa dos Estados Unidos semana passada não deve ser novidade: a GameStop, empresa de videogames americana negociada sob o ticker GME, voltou a ser o centro das atenções após um post em rede social fazer seu preço disparar. Até 20 de maio, no entanto, a ação GME já caía mais de 50% desde o pico do dia 14.

O que aconteceu com a GameStop?

Não, isso não é um replay: a história é mesmo bem parecida com o que aconteceu em janeiro de 2021, quando o termo meme stock invadiu os noticiários depois de investidores individuais começarem a promover compras em massa das ações da GameStop em fóruns como o Reddit. Na época, a ação GME chegou a subir mais de 1.000% em poucos dias. Na semana passada, após um post do @TheRoaringKitty (usuário no X/Twitter de Keith Gill, que fez parte do movimento em 2021) se “ajeitando” na cadeira, o papel valorizou cerca de 180% entre os dias 13 e 14 de maio.

O que nos interessa aqui, no entanto, não é a causa, e sim o efeito: o short squeeze. É ele, aliás, que nos faz monitorar a disparada de preços de ações que, tradicionalmente, não acompanhamos devido ao valor de mercado pequeno ou baixa negociabilidade.

Antes, um passo atrás: o que é operar vendido?

Um short squeeze começa em com um short ou, em bom português, com uma posição vendida. Vamos supor que você (o tomador) acredita que uma ação que hoje vale R$ 100 logo vai passar a valer R$ 50. Para ganhar dinheiro com esse palpite, você procura outro investidor (o doador) que tenha essa ação na carteira e a alugue para você por uma taxa fixa de 1%.

Com a ação emprestada em mãos, você vai ao mercado e a vende por R$ 100: pronto, você está operando vendido (ou montou uma posição short) e embolsa R$ 100.

Se sua previsão se concretiza e o preço cai para R$ 50, você recompra a ação no final do período de aluguel por esse preço e a devolve ao doador; nesse caso, seu lucro vai ser de R$ 49 (os 50 menos 1 real da taxa). Se ação cai, mas chega só a R$ 70, seu lucro vai ser menor, mas ainda é um ganho.

Mas e se a ação sobe? Bom, aí você perde — e essa perda, como você deve ter percebido, não tem limite, e você é obrigado a devolver a ação alugada ao doador com o fim do contrato independente do tamanho do prejuízo que tiver que absorver.

O que é short squeeze?

Um short squeeze acontece quando muitos investidores que estão operando vendidos começam a recomprar as ações para fechar suas posições, com medo de um potencial aumento do preço das ações (ou seja, tentando evitar perdas maiores).

Com os preços subindo, até quem não queria fechar a posição vendida começa a ser pressionado a sair, com doadores pedindo de volta as ações que alugaram pensando em embolsar lucros.

Quanto mais gente querendo comprar, mais o preço sobe o maior a força do efeito bola de neve — levando ao short squeeze.

Como o short squeeze pode impactar os fundos?

A disparada dos preços, como vimos antes, prejudica principalmente os short sellers — ou os investidores com posições vendidas da ação. Essa é uma estratégia comum de grandes investidores, especialmente hedge funds (mais similares aos fundos multimercados daqui). Assim, é possível ter lucro tanto com valorização quando desvalorização de ativos, e ter o capital protegido e entregar retornos aos cotistas em diversos cenários.

Um fundo de investimentos que tem uma posição vendida relevante de uma ação que valoriza demais provavelmente vai tentar fechar essas posições o mais rápido possível para minimizar seu prejuízo. Isso significa comprar um volume grande de ações a preços altos, que serão devolvidas aos doadores.

Porém, se tem muita gente fazendo o mesmo movimento, fechar a posição fica cada vez mais complicado (e mais caro). Com isso, a gestora acaba tendo que resgatar dinheiro de outras aplicações para cobrir o prejuízo, o que pode levar a perdas difíceis de serem recuperadas no curto prazo.

Em 2021, a disparada das ações da GameStop deixou grandes investidores bastante machucados. O caso mais famoso é o da Melvin Capital (principal short seller de GME na época) que perdeu 53% do seu valor de mercado em janeiro de 2021.

Elaborado por:

Júlia Aquino, CNPI 3607

1) Este relatório de análise foi elaborado pela Rico Investimentos, que é uma marca da XP Investimentos CCTVM S.A. (“Rico”) de acordo com todas as exigências previstas na Resolução CVM nº 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A Rico não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório.

2) Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor.

3) O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à Rico e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela Rico.

4) O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Resolução CVM nº 20/2021 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório.

5) Os analistas da Rico estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários do Grupo XP.

6) Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor.

7) A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes.

8) Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Rico. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Rico.

9) SAC. 0800 774 0402. A Ouvidoria da Rico tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800-722-3730.

10) O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da Rico: https://www.rico.com.vc/custos. 11) A Rico se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 

12) A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. 

13) Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor.