Alô empreendedor e empreendedora! Na jornada árdua do empreendedorismo, entender como separar as finanças pessoais das contas da empresa é essencial para que você mantenha a saúde financeira do seu negócio.

Muitos empreendedores, principalmente no início de suas atividades, enfrentam o desafio de não misturar despesas pessoais com as corporativas. É aquele cartão da empresa que paga a escola dos filhos, o dinheiro do fluxo de caixa que acaba indo para as compras de supermercado. Neste texto oferecemos dicas práticas para ajudar você a organizar as suas finanças (de casa e da empresa) de forma simples e, acima de tudo, eficaz.

A Importância de separar as finanças

Você já sabe, mas não custa repetir: separar as finanças pessoais das empresariais traz clareza ao orçamento e facilita a gestão de riscos. Sem essa distinção, é muito mais difícil fazer projeções precisas e tomar decisões seguras, o que compromete bastante a sua visibilidade sobre o real desempenho financeiro do seu negócio.
O empreendedor precisa sempre ter em mente que se o caixa da empresa dele não estiver saudável, o seu caixa pessoal também não estará, então a prioridade é o caixa da empresa.

Sendo assim, separamos algumas dicas práticas para você organizar e separar o seu dinheiro e o dinheiro da sua empresa.

Dicas para organizar o dinheiro PF x PJ

1. Tenha contas separadas

Para começar do começo: mantenha esse dinheiro em contas separadas. Uma conta bancária para despesas pessoais e outra para as da empresa. Isso simplifica a gestão financeira e ajuda a evitar confusões.

2. Estabeleça um Pró-labore

Muitos empreendedores gastam o dinheiro pessoal a depender do lucro da empresa. Ou seja, se a empresa lucrou bem em um mês, ele gasta bem também. Se a empresa lucrou pouco, o mês da vida financeira pessoal fica mais apertado. Esse é um grande problema para o seu fluxo de caixa empresarial. Uma empresa precisa ter reservas e para que haja previsibilidade de caixa é essencial definir um pró-labore. Então defina uma remuneração fixa para você como dono do negócio, que não dependa diretamente dos lucros da empresa. Isso ajuda a manter as finanças organizadas e previsíveis.

3. Registre todas as movimentações

Dinheiro, se deixar, é como água, escapa e a gente nem vê. Faça um controle rigoroso das entradas e saídas financeiras do seu negócio. Isso é essencial para uma boa gestão e ajuda a identificar onde cortar custos, se necessário.

4. Utilize ferramentas de Gestão Financeira

Tecnologia, em grande parte das vezes, não é custo, mas sim investimento. Invista em softwares ou aplicativos de gestão financeira. Essas ferramentas podem simplificar o registro e análise das suas finanças, te economizando um tempo valioso.

5. Faça reservas de emergência separadas

Imprevistos acontecem, seja na vida pessoal ou na vida empresarial. Na maior parte das vezes, uma afeta diretamente a outra. Você não sabe quando um fornecedor vai atrasar, quando um cliente pode dar o calote, ou quando o encanamento da sua casa dá um defeito épico. Por isso é mais do que prudente formar fundos de emergência tanto para a sua vida pessoal quanto para a empresa, garantindo cobertura em tempos de crise.

6. Diversifique os investimentos

Investir é algo presente no cotidiano da vida empresarial e da vida pessoal. Na empresa, além dos investimentos de negócios, como a compra de equipamentos, considere investimentos financeiros que possam trazer retorno e ajudar no crescimento da empresa.

7. Use um cartão de crédito corporativo

Um cartão de crédito corporativo pode ajudar você a manter as despesas da empresa claramente separadas das pessoais, além de facilitar o acompanhamento dos gastos. Mas lembre-se, é um cartão corporativo e não pessoal.

8. Crie um planejamento orçamentário

Sem planejamento não há clareza e sem clareza não há um bom resultado. Planejar seu orçamento é vital para prever receitas e despesas, estabelecendo um controle mais rigoroso sobre as finanças.

Separar as finanças pessoais das contas da empresa não só aumenta a eficiência na sua gestão financeira como também contribui para a sustentabilidade e crescimento do seu negócio.

Com as contas claras e separadas, você evita problemas fiscais e melhora sua capacidade de investimento e expansão. Implementando essas dicas, você estará no caminho certo para garantir a saúde financeira tanto pessoal quanto empresarial.

Elaborado por:

Júlia Aquino, CNPI 3607

1) Este relatório de análise foi elaborado pela Rico Investimentos, que é uma marca da XP Investimentos CCTVM S.A. (“Rico”) de acordo com todas as exigências previstas na Resolução CVM nº 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A Rico não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório.

2) Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor.

3) O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à Rico e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela Rico.

4) O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Resolução CVM nº 20/2021 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório.

5) Os analistas da Rico estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários do Grupo XP.

6) Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor.

7) A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes.

8) Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Rico. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Rico.

9) SAC. 0800 774 0402. A Ouvidoria da Rico tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800-722-3730.

10) O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da Rico: https://www.rico.com.vc/custos. 11) A Rico se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 

12) A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. 

13) Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor.