• Antes da vacina contra a Covid, a Moderna não tinha nenhum produto no mercado. Depois, sua ação valorizou mais de 1.000%.
  • Mas é praticamente impossível saber quais empresas de biotecnologia serão totalmente bem-sucedidas na fabricação de novidades que revolucionem a medicina.
  • O Trend Biotecnologia é uma forma inteligente de investir em todas as candidatas ao mesmo tempo.

Qualquer investidor de ações mais arrojado deve ter pensado, em algum momento de 2020, como teria sido bom um investimento, alguns meses antes, nas ações da Moderna. O papel valorizou nada menos que 1.060% entre o início de março do ano passado e hoje (preço consultado em 29 de julho de 2021 por volta do meio dia).

Vale lembrar que a empresa existe desde 2010 mas nunca havia lançado outro produto no mercado antes da vacina de m-RNA hoje usada em campanhas de imunização contra a Covid-19 em dezenas de países. Tanto que, da estreia na bolsa em 2018 até o ano passado, a ação praticamente não havia se movimentado:

Movimentos parecidos, ainda que menos intensos, aconteceram com papéis de outras empresas que desenvolveram testes e outras vacinas contra a Covid-19. A ação da BioNTech, parceira da Pfizer na elaboração de um dos imunizantes usados no Brasil, valorizou 725,7% no mesmo período.

Mas a verdade é que no início de março de 2020 ninguém teria como prever o tamanho do desafio que seria o coronavírus e, mesmo depois, impossível ter certeza sobre quais das vacinas em desenvolvimento seriam as mais bem-sucedidas nos testes clínicos.

Esse é o grande desafio do setor de biotecnologia. Existem empresas de altíssima qualidade pesquisando soluções para problemas imensos da humanidade, da cura para o Alzheimer às possíveis vacinas contra o HIV. Com o envelhecimento da população, essas soluções serão ainda mais demandadas com o passar dos anos. Segundo a ONU, até 2050, uma em cada seis pessoas no mundo terá mais de 65 anos (16%), acima de uma em 11 em 2019 (9%). Prevê-se ainda que o número de pessoas com 80 anos ou mais triplicará, de 143 milhões em 2019 para 426 milhões em 2050.

Mas as métricas dos analistas de mercado não são capazes de medir isso. Receita, margem, VPL? Nada disso é válido na hora de descobrir qual vai ser a próxima grande estrela desse setor. E mesmo cientistas que “manjam do rolê” não podem dar respostas antes de todos os testes realizados.

Como investir em biotech, então?

A lógica aqui é a mesma que aplicamos às carteiras de investimentos: diversificar. Quem tem maiores chances de ganhar uma bolada com empresas de biotecnologia é quem investe um pouquinho em cada uma das candidatas ao posto de “nova Moderna”.

Da maneira “tradicional”, isso significaria pesquisar todas essas empresas, filtrar aquelas com maiores chances de desenvolver tecnologias inovadoras, comprar todos esses papéis no mercado e, bom, desembolsar bastante dinheiro no processo. Fora o sangue frio para acompanhar todos esses investimentos por um prazo longo, talvez a se perder de vista.

Mas o mercado evoluiu e hoje já existem maneiras mais simples (e muito mais baratas) de incluir essa estratégia no seu portfólio. A mais nova delas é o Trend Biotecnologia, lançado pela XP Inc. e já disponível na plataforma da Rico.

Conta mais desse Trend

Claro que conto! O Trend Biotecnologia é um “pacote” com as empresas mais promissoras desse setor listadas no mercado americano, mas com receitas tanto nas Américas como na na Europa, Ásia e outras regiões.

Ele replica o desempenho do ETF Invesco Nasdaq Biotechnology, que segue um índice de mesmo nome hoje composto por cerca de 270 empresas de biotecnologia ou do setor farmacêutico, com um mínimo de valor de mercado e de volume negociado diário e balanceadas de acordo com seu valor de mercado.

A maior posição do fundo atualmente é, justamente, a Moderna (cerca de 11% do peso), mas ele também inclui nomes como a AstraZeneca, a BioNTech e a Gilead Sciences, que, entre outras iniciativas trabalha em um inibidor de ação prolongada em pessoas com experiência de resistência a multidrogas contra HIV.

Por seguir um índice rebalanceado esporadicamente (a cada 3 meses) com os principais nomes desse mercado, o Trend Biotecnologia oferece justamente a possibilidade que mencionamos anteriormente, de exposição a diversos nomes do setor sem precisar escolher seus “cavalos” nessa corrida. A estratégia também é hedgeada, ou seja, tem proteção contra as oscilações do câmbio.

Mais que isso: não é necessário aplicar muito do seu patrimônio nessa tese. O valor inicial de investimento no Trend Biotecnologia é R$ 100 e a taxa de administração é de 0,5%.

Se quiser investir, é só acessar a sua conta da Rico e pesquisar, na aba de fundos, “Trend Biotecnologia”. Mas não se esqueça: como qualquer estratégia de renda variável, é essencial avaliar o seu perfil antes de correr os riscos desse investimento.

Elaborado por:

Paula Zogbi, CNPI 2545

1) Este relatório de análise foi elaborado pela Rico Investimentos, que é uma marca da XP Investimentos CCTVM S.A. (“Rico”) de acordo com todas as exigências previstas na Resolução CVM nº 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A Rico não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório.

2) Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor.

3) O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à Rico e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela Rico.

4) O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Resolução CVM nº 20/2021 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório.

5) Os analistas da Rico estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários do Grupo XP.

6) Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor.

7) A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes.

8) Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Rico. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Rico.

9) SAC. 0800 774 0402. A Ouvidoria da Rico tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800-722-3730.

10) O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da Rico: https://www.rico.com.vc/custos. 11) A Rico se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 

12) A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. 

13) Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor.