Responda rápido: estudar inglês é importante?

Você provavelmente respondeu sim, mas eu te digo que não. ESTUDAR inglês não é importante, o que é realmente importante é se COMUNICAR em inglês. Em um mundo globalizado como o de hoje, não saber se comunicar em inglês é ser um analfabeto em grande parte do mundo e, consequentemente, perder oportunidades.

E é por se apegar à ideia de que é importante estudar inglês que muita gente se matricula em cursos que ficam ensinando gramática, regras, ou seja, coisas chatas e detalhes que não ajudam no que é essencial: “desembolar” uma conversa no idioma.

Quando eu estava na faculdade, meu ganha-pão era ser professor de inglês. Eu sempre gostei de idiomas e, depois de ter feito um intercâmbio nos EUA, fiquei fluente. Ensinava em uma das redes de idiomas mais conhecidas do país e dava aulas particulares.

Eu tinha tantos alunos e alunas que estudavam inglês há anos e não sabiam se expressar – era desesperador. Muitos inclusive faziam boas provas escritas, ou seja, sabiam as regras e liam muito bem, mas TRAVAVAM completamente na hora de falar. Me entendiam, mas não devolviam a conversa.

Meu foco então nessa época se tornou trabalhar para que os meus alunos conseguissem se COMUNICAR em inglês. É claro que saber o mínimo de gramática é importante, ninguém gosta de falar errado. Mas por terem MEDO de falar errado, muitas pessoas simplesmente NÃO falam nada.

Por isso, treinar a autoconfiança dos alunos para que eles entendam que é possível se comunicar sem saber sobre regras se tornou meu hino, e isso foi o que fez a grande diferença. A maior utilidade de um idioma é você saber conversar com pessoas de outros países e, a partir daí, construir relações e cavar oportunidades. É disso que se trata.

Bom, você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com o assunto dinheiro. Pois é exatamente a mesma lógica. Muita gente se apega aos detalhes da vida financeira e, por acharem muito complexo, travam e perdem a oportunidade de aprenderem a LINGUAGEM DO DINHEIRO. Por acharem que só vão conseguir se souberem todas as siglas e detalhes dos investimentos e por medo de errarem, não fazem NADA. Os detalhes são apenas a gramática, importantes, mas NÃO-ESSENCIAIS.

Evolutivamente, o nosso cérebro foi sendo moldado para resistir ao que parece difícil e receber muito bem o que percebe como fácil. Essa característica é chamada de “princípio da facilidade cognitiva” – também conhecido como “princípio do menor esforço”. Pense no seu cérebro como uma máquina sofisticada e complexa que para operar requer grandes quantidades de energia. Ele representa apenas 2% do seu peso corporal, e consome mais de 20% do oxigênio e da glicose do seu organismo.

Então, não se culpe se você comprar algo na loja de conveniência supercara (mas na esquina da sua casa) ao invés de ir até a loja no centro da cidade onde o preço é menor. Está tudo bem se você deixou seu o filho adolescente mandar mensagens durante o jantar porque pensou que é mais fácil do que iniciar uma discussão tentando impor a regra de não usar celular à mesa.

A tendência a buscar a facilidade foi fundamental para nossa sobrevivência e nosso progresso como espécie.

Por isso, meu objetivo nesse texto é que você comece a SIMPLIFICAR a sua vida financeira. Quando tudo fica mais simples você começa a ter mais CLAREZA do que realmente é importante se dedicar e corta todo o restante. Quando você torna tudo mais simples você diminui as possibilidades de algo dar errado. E é justamente encontrando o caminho mais fácil que você alcançará os objetivos nesse ano.

Pensa em um computador. Ele fica muito mais lento quando você deixa muitas janelas abertas no seu browser, não é? É exatamente a mesma coisa com o seu cérebro.
Então, se você quer que sua vida financeira alcance outros patamares em 2023, sugiro que você siga esses 7 passos:

  1. COMECE AGORA: por mais óbvio que seja, dar o primeiro passo ainda é um desafio para a maioria das pessoas. Simplesmente se COMPROMETA em começar a organizar a sua vida financeira.
  2. FAÇA UM RAIO-X: entenda o que está acontecendo nas suas finanças hoje. Quanto exatamente você tem de renda disponível líquida, quando você tem gastado em média todos os meses, se tem dívidas veja qual exatamente é o valor e os juros cobrados. Faça esse pente fino que no começo vai dar mais trabalho, mas sem dúvida trará a clareza necessária para o próximo passo.
  3. PROJETE SUA VIDA: o que você quer para a sua vida financeira em 2023? E para os próximos 5 anos? Esse exercício de visualização é essencial para que você enxergue o caminho. Escreva exatamente o que você quer e seja simples. Estabeleça 3 coisas que você quer realizar e anote como vai realizar. Coloque essas 3 coisas como meta e quantifique o valor de cada uma delas. Tenha esse valor gravado na sua cabeça.
  4. REMOVA OBSTÁCULOS: a internet está cheia de metodologias milagrosas e planilhas complexas para mudar a sua vida financeira. Mas seja realista: você vai ter a disciplina necessária para alimentar uma planilha detalhada o tempo inteiro? Se sim, ótimo, vá em frente. Mas se não, admita para sim mesmo(a) e faça o básico: corte custos, pague suas contas, poupe todos os meses e invista antes de usar o dinheiro para o lazer. Remova obstáculos da sua vida financeira para que cuidar do seu dinheiro não seja um grande esforço.
  5. TRABALHE COM BASE ZERO: o orçamento base zero é uma forma de encarar a sua vida financeira com se ela tivesse começado hoje. O que acontece com a maioria das pessoas é que elas vão acumulando gastos durante a vida e não percebem que coisas completamente desnecessárias estão drenando o dinheiro delas. Reveja cada detalhe do que você tem gastado e se pergunte: será que isso é realmente necessário? Eu estou usando isso? É mais ou menor como abrir o guarda-roupa e se desfazer das roupas que você não está mais usando. Quando você retira o que é desnecessário você abre espaço para o que realmente importa. Mais dinheiro disponível que abrirá espaço para você INVESTIR.
  6. APRENDA A DIZER NÃO: para alcançar tudo isso, você precisa aprender a dizer “não”. Confie em mim, aprender a fazer isso é libertador. Dizemos sim para muitas coisas que não queremos e esse comportamento acaba minando o nosso sucesso financeiro. Simplesmente elimine o que é trivial. Nós temos essa dificuldade de dizer não, principalmente por medo de perder grandes oportunidades, laços de amizade ou profissionais. Nos parece tão insuportável a ideia de decepcionar alguém que respeitamos e amamos que dizemos sim, mesmo sem querer.
  7. SUPERE O MEDO: portanto, aprenda a superar o medo de perder oportunidades. Ao invés de reagir às pressões sociais que vão te puxar em infinitas direções, você precisa aprender a reduzir, simplificar e focalizar o que é REALMENTE IMPORTANTE, eliminando todo o resto. Muitas vezes é preciso “perder” para ganhar e quando você diz não para alguém você está dizendo “não” para o que é importante para VOCÊ. Você pode agradar às pessoas quando diz SIM a tudo que elas querem, mas quando você diz NÃO você está trocando popularidade por RESPEITO. Quando você se posiciona, você mostra ao outro que tem prioridades e que o seu TEMPO é muito valioso. E, claro, você pode ser extremamente gentil ao se posicionar, sem perder a firmeza.

“Decidir” será a palavra mais importante no seu vocabulário financeiro em 2023. Saber falar a linguagem do dinheiro pode ser uma meta plenamente realizável se você seguir esses 7 passos com dedicação. E você pode se surpreender em constatar que é mais fácil do que você pensava.

Elaborado por:

Paula Zogbi, CNPI 2545

1) Este relatório de análise foi elaborado pela Rico Investimentos, que é uma marca da XP Investimentos CCTVM S.A. (“Rico”) de acordo com todas as exigências previstas na Resolução CVM nº 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A Rico não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório.

2) Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor.

3) O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à Rico e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela Rico.

4) O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Resolução CVM nº 20/2021 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório.

5) Os analistas da Rico estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários do Grupo XP.

6) Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor.

7) A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes.

8) Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Rico. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Rico.

9) SAC. 0800 774 0402. A Ouvidoria da Rico tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800-722-3730.

10) O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da Rico: https://www.rico.com.vc/custos. 11) A Rico se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 

12) A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. 

13) Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor.