abril 29, 2022

Quanto rende a poupança e como calcular?

Compartilhar:  

Conhecer o rendimento da poupança pode fazer você mudar de ideia, caso mantenha dinheiro nela, e ir em busca de ativos mais rentáveis. 

Apesar de a caderneta ser a aplicação financeira mais conhecida do Brasil, tenha em mente que ela não é a melhor alternativa para o seu dinheiro.  

Ao longo do artigo, você vai conhecer alternativas para fazer o seu dinheiro render de verdade e aprender como calcular o retorno da caderneta. 

Veja só os tópicos que preparamos para sua leitura: 

  • O Que é Poupança? 
  • Vantagens e Desvantagens da Poupança
  • O que são os Juros da Poupança? 
  • Qual o Rendimento da Poupança em 2020? 
  • Como é Feito o Cálculo do Rendimento da Poupança Hoje, Mensal e Anual 
  • Quanto a Poupança Rende Por Mês? Calculando Juros da Poupança 
  • Histórico de Quanto Rende a Poupança no Brasil 
  • O Rendimento Da Poupança é Bom em 2020? [Simulador] 
  • Investimentos Seguros e Mais Rentáveis Que a Caderneta de Poupança em 2020 
  • Em Quais Situações a Poupança é a Melhor Opção? 
  • Perguntas Frequentes e Exemplos Sobre o Rendimento da Poupança. 

Se você tiver qualquer dúvida, deixe um comentário ao final da página.  

Boa leitura! 

O Que é a Poupança? 

A poupança nada mais é do que uma conta bancária com funções limitadas, com um limite de transações por mês e, que em troca, oferece ao cliente um pequeno rendimento mensal. 

Ao abrir sua conta em um banco, é como se você estivesse emprestando dinheiro para aquela instituição financeira, que, por sua vez, vai remunerar o cliente por esse empréstimo – são os famosos juros da poupança, sobre os quais vamos falar na sequência. 

É importante não confundir a caderneta com o ato de poupar. 

Ou seja, fazer uma poupança é um passo importante para juntar dinheiro, concretizar metas e investir para aumentar o patrimônio. 

O que não é recomendável, contudo, é usar a caderneta como aplicação financeira, pois há opções muito mais rentáveis e igualmente seguras no mercado. 

Vantagens e Desvantagens da Poupança 

A caderneta de poupança é simples e acessível. 

Qualquer pessoa consegue abrir uma conta bancária do tipo. 

E o melhor é que não há cobrança de taxas, nem mesmo de manutenção da conta. 

Por outro lado, a poupança não funciona como uma conta corrente normal, já que tem limitações no número de transações, no tipo delas e nos valores envolvidos. 

Já como investimento, podemos citar como vantagens da poupança a liquidez imediata (você saca dinheiro quando quiser) e a isenção do Imposto de Renda

Além disso, ela conta com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado ao teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ. 

Para mais informações sobre o FGC, acesse o site

No entanto, essas vantagens não são exclusivas da caderneta, que ainda perde em atratividade por algumas razões. 

A principal delas é a baixa rentabilidade, sobre a qual já falamos na abertura do texto e que ainda vai aparecer em vários exemplos até o final dele. 

Além disso, outro ponto negativo é que os juros de correção só incidem sobre o saldo no chamado “aniversário da poupança“. 

O que isso significa? Que depósitos são remunerados a cada 30 dias. 

Assim, se você aplicar R$ 1.000 hoje na poupança e sacar R$ 900 em 20 dias, esse valor não terá sofrido correção alguma. 

O que são os Juros da Poupança e quanto rende a poupança? 

Como adiantamos antes, os juros da poupança se referem à correção do valor aplicado na caderneta. 

Eles são a contrapartida que o banco oferece ao cliente por manter saldo da conta. 

Vale destacar que os recursos captados através da poupança podem ser usados, por exemplo, para a concessão de financiamentos imobiliários pelas instituições bancárias. 

Em troca, existe o rendimento da caderneta, que é aquilo que você recebe com base em taxas oficiais da economia nacional. 

Por isso, é importante ficar atento. 

Quando a inflação supera a taxa de juros, a poupança acaba corroendo o seu patrimônio. Isso acontece porque, apesar do aumento do seu saldo devido à rentabilidade, você perde poder de compra ao longo do tempo com o efeito da inflação. 

Em bom português: você perde dinheiro em vez de ganhar. 

Ainda que possa ser considerada como investimento, justamente em razão dos juros da poupança, com as taxas atuais, a caderneta tem funcionado quase como um cofre. 

Ou seja, você guarda o dinheiro lá, mas ele não trabalha para você. 

Quanto rende a Poupança? 

De acordo com a regra atual, quando a Selic está acima de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança é de 0,5% ao mês. 

A poupança não é uma boa opção de investimento nem com a Selic alta, nem baixa. É sempre possível encontrar investimentos mais rentáveis. 

Mas fique tranquilo, pois ainda neste artigo, vamos apresentar alternativas tão seguras quanto e muito mais atrativas. 

Quanto rende a poupança e como é feito o cálculo de rendimento da poupança? 

Como explicamos antes, a poupança funciona como um empréstimo do seu dinheiro ao banco emissor. Em troca, você recebe uma taxa de rentabilidade. 

Esse mesmo cálculo é feito para qualquer valor inserido na poupança. Por exemplo: Se você quiser saber quanto rende um milhão na poupança, basta utilizar as seguintes fórmulas: 

Essa taxa, por sua vez, pode ser calculada de duas formas: 

  • Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será 0,5% ao mês + TR 
  • Caso a taxa Selic esteja menor ou igual a 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será 70% da Selic + TR. 

Atualmente, é o primeiro cenário que vale. 

Essa regra da taxa de rendimento da poupança foi estabelecida em 2012 pelo governo. Desde então, a aplicação tem se tornado cada vez menos rentável ao poupador.  

Quanto rende a poupança por mês? Calculando juros da Poupança 

Ao deixar o seu dinheiro na caderneta, você pode resgatá-lo a qualquer momento. Os juros da poupança, que consistem no seu rendimento, são repassados a cada ciclo de 30 dias. 

Esse período é conhecido como aniversário da poupança.  

Então, se você sacar as suas economias no 29º dia útil, perderá todo o retorno daquele mês, que já é bastante reduzido.  

O saque do dinheiro deve ser bem pensado, justamente para evitar esse tipo de situação. 

Por exemplo, diante de uma emergência, você poderá ser prejudicado. 

Para saber quanto rende a poupança com base no seu rendimento atual, basta fazer um cálculo rápido. 

Considere o montante a ser aplicado e o respectivo prazo de aplicação. 

Histórico de quanto rende a poupança no Brasil 

Ainda hoje, a poupança é uma das aplicações mais populares entre os brasileiros. 

Essa preferência, no entanto, não se dá pela rentabilidade. 

De forma geral, boa parte da população acredita que essa é uma forma segura e fácil de guardar dinheiro, pois tudo pode ser feito em qualquer banco.  

Mesmo com o confisco do dinheiro dos poupadores na década de 90, pela então Ministra da Fazenda, Zélia Cardoso, conhecer quanto rende a poupança ainda desperta o interesse de muitas pessoas.  

As justificativas mais recorrentes são a segurança financeira, rendimentos estáveis e falta de conhecimento sobre investimentos.   

Para entender por que o rendimento da poupança está cada vez menos satisfatório, veja abaixo o desempenho histórico da caderneta nos últimos anos: 

Ano Retorno absoluto (%) Retorno real descontada a inflação (%) Inflação (%) 
2021 2,94% -6,37% 10,06% 
2020 2,11% -2,3 4,52% 
2019 4,26 -0,05 4,31 
2018 4,62 0,84 3,75 
2017 6,61 3,55 2,95 
2016 8,3 1,89 6,29 
2015 8,15 -2,28 10,67 
2014 7,16 0,71 6,41 
2013 6,37 -0,12 5,91 
2012 6,47 0,6 5,84 
2011 7,5 0,94 6,5 
2010 6,8 0,84 5,91 
2009 7,05 2,63 4,31 
2008 7,9 1,89 5,9 
2007 7,77 3,17 4,46 
2006 8,4 5,1 3,14 
2005 9,21 3,33 5,69 
2004 8,1 0,46 7,6 
2003 11,21 1,75 9,3 
2002 9,27 -2,9 12,53 
2001 8,63 0,89 7,67 
2000 8,32 2,21 5,97 
1999 12,76 3,5 8,94 
1998 15,16 13,28 1,65 
1997 16,85 11,05 5,22 
1996 16,34 9,19 9,56 
1995 40,38 14,69 22,41 

O retorno absoluto (ou nominal) considera o desempenho da caderneta ao longo de todo o ano e não apenas o seu fechamento. 

Já o rendimento real da poupança significa o retorno descontado do IPCA. Ou seja, é o valor que vem efetivamente para o seu bolso. 

Esse fator deve ser considerado, pois a inflação desvaloriza o dinheiro ao longo do tempo. 

Note que, de 2012 até 2019, essa taxa ficou cada vez menor. Sem contar que, em 2015 e 2016 a caderneta perdeu para a inflação, ao invés de render.  

Um fator agravante para o rendimento da poupança, além da taxa Selic baixa, é a TR. Na década de 90, quando ela foi utilizada no controle da inflação, o seu valor era alto. 

Hoje, como a taxa Selic faz esse controle, a TR passou a ser apenas um índice de reajuste para as aplicações e empréstimos.  

Atualmente, a TR não está mais zerada, como vinha ocorrendo desde 2017. Mas, ainda assim, ela continua baixa —abaixo de 1%. 

Perceba que, mesmo com a taxa Selic em alta, como ocorreu em 2015 e 2016 (quando fechou em 14,25%), o rendimento real da caderneta foi negativo, porque o IPCA também estava em alta. 

Assim, todos os retornos da poupança foram corroídos pela inflação. 

Quanto rende a poupança – últimos anos? 

Em 2017, tivemos uma grande queda na taxa Selic e no IPCA. Por conta disso, o rendimento da poupança foi de 6,57% no ano.  

Ao considerar o ganho real, com a inflação acumulada em 2,95% em dezembro daquele ano, o retorno foi de apenas 3,62%.  

Já em 2018, a taxa Selic iniciou em 7,00% a.a. e fechou em 6,50% a.a. Portanto, o rendimento da poupança caiu para 4,55% ao ano, com ganho real de 1,12%.  

Em 2019, a Selic fechou em 4,26, resultando em um retorno de -0,05 na poupança.  

Já em 2020, a inflação resultou em 4,52%, o que fez com que o retorno da poupança ficasse em -2,3%. 

E, por fim, em 2021, a inflação fechou em 10,06, e o rendimento da poupança, em -6,37%. 

Quanto rende a poupança e outros investimentos mais rentáveis 

Homem utilizando um notebook, apoiado em uma mesa.

Certamente, você já percebeu que a caderneta não é uma boa opção no quesito rentabilidade. 

Com a manutenção da taxa Selic em alta, é hora de sair da poupança e perceber que há investimentos mais seguros do que essa aplicação.  

Primeiramente, o que torna a caderneta segura é a proteção do Fundo Garantidor de Créditos. 

Só que existe uma vasta gama de investimentos que possuem exatamente a mesma garantia do FGC. 

A seguir, conheça aplicações tão seguras quanto a poupança, mas que rendem muito mais:  

1. CDB 

O CDB é o Certificado de Depósito Bancário. 

Ele é um título de renda fixa emitido pelos bancos. 

Por isso, esse é um dos investimentos mais conhecidos da modalidade.  

A sua taxa de rentabilidade pode ser de duas formas: prefixada ou pós-fixada. 

A primeira consiste em uma taxa fixa. Por exemplo, de 14% ao ano. 

Portanto, você investe o seu dinheiro com a segurança de que irá receber esse rendimento até a data do resgate.  

A taxa pós-fixada está atrelada a um indexador da economia, como o CDI ou o IPCA. Assim, o emissor paga um percentual sobre o índice. Por exemplo, 110% do CDI.  

Como esses indicadores variam com o tempo, os rendimentos do CDB pós-fixado também estão sujeitos à oscilação. 

Geralmente, quanto ele sobe, os retornos da aplicação aumentam na mesma proporção.  

Caso os seus objetivos sejam de curto prazo, como formar a reserva de emergência ou fazer uma viagem de férias, você pode optar por um CDB com liquidez diária.  

Essa aplicação permite o resgate a qualquer momento. Então, você investe por um período menor sem a preocupação de só sacar no dia do aniversário da aplicação, como ocorre na caderneta.  

2. LC 

Outro investimento semelhante é a LC (Letra de Câmbio). A diferença para o CDB está no emissor, que, nesse caso, é uma financeira.  

Por isso, essa aplicação tende a oferecer uma taxa de rentabilidade mais atrativa. Principalmente para aplicações de longo prazo, como construir aposentadoria ou alcançar a independência financeira. 

A LC e o CDB estão sujeitos ao pagamento da alíquota do Imposto de Renda. Mesmo assim, os rendimentos líquidos superam em muito os da poupança. 

Sobre o Imposto de Renda, não se preocupe: ele é retido na fonte e você não terá nenhum trabalho – basta entregar a sua declaração do IRPF dentro do prazo.  

Geralmente, a LC é indicada para objetivos de médio e longo prazos, como comprar um imóvel, investir para o estudo dos filhos ou para a aposentadoria.  

3. LCI e LCA 

A LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) são outras duas estrelas da renda fixa.  

Elas funcionam como os CDBs e também são emitidas pelos bancos. A grande vantagem de investir o seu dinheiro nelas é a isenção de impostos. Isso mesmo: os rendimentos vêm diretamente para o seu bolso.  

Por esse motivo, você notará que as taxas de rentabilidade das LCIs e LCAs, à primeira vista, parecerem menores. Já ao simular, você vai perceber que elas podem superar os retornos de aplicações como a LC.  

4. Tesouro Direto 

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais procurados pelas pessoas que acabaram de sair da poupança. Todo esse sucesso se deve à sua taxa de rendimento e acessibilidade.  

Ele é um título público, então, o governo é quem paga os retornos. 

Logo, o Tesouro pode ser considerado como a aplicação mais segura do país, ou seja, o seu risco é mais baixo, até mesmo, que o da poupança.  

O investimento em Tesouro Direto custa a partir de R$ 30,00. Então, você pode começar a investir mesmo com pouco dinheiro.  

Basicamente, ele é subdividido em:  

  • Atrelados à inflação: Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 
  • Prefixados: Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 
  • Indexado à taxa Selic: Tesouro Selic. 

O Tesouro Selic costuma ser o ativo mais recomendado. Tanto que já encontramos especialistas que o apelidam de “a nova poupança”. 

Esse título possui baixa volatilidade e liquidez diária. 

Assim, você pode solicitar o resgate a qualquer momento e as perdas, de modo geral, são menores em comparação aos demais papéis.  

Portanto, o Tesouro Selic tende a oferecer bons rendimentos, independente do prazo de aplicação. 

Sem contar que a taxa Selic é o parâmetro dos demais juros. Ou seja, você sempre terá ganhos alinhados ao mercado.  

Os Títulos do Tesouro são garantidos pelo Governo Federal. Isso significa que, para que haja um calote, é preciso que o país todo quebre. 

Esse é um cenário tão remoto e improvável que muitos economistas rejeitam a ideia. 

Os próprios bancos contam com uma reserva em títulos do governo. Ou seja, boa parte do dinheiro que você deixa lá é reinvestido em títulos públicos. 

Mesmo que você já saiba que há diversos investimentos que superam o rendimento da poupança, é fundamental definir os seus objetivos ao poupar.  

Dessa forma, ficará mais fácil escolher um ativo, no qual alocar o seu capital e também conquistar resultados melhores.  

Um exemplo prático é fazer uma reserva de emergência. Nesse caso, o ideal é optar por investimentos com liquidez diária.  

Assim, você não terá prejuízos ao resgatar antes do prazo de vencimento. Do contrário, é possível ter multas ou perdas de rendimento.  

+ Comece a Investir! Abra sua conta na Rico 

Perguntas frequentes e exemplos sobre o rendimento da poupança 

Para reforçar tudo o que você aprendeu neste artigo, vamos responder algumas das questões mais frequentes sobre a caderneta. 

Poupança é a melhor opção para reserva de emergência? 

Essa é a razão pela qual muitos brasileiros mantêm dinheiro na caderneta. 

Ou seja, com sua liquidez imediata, se precisar sacar o valor nela disponível diante de uma emergência, é só se dirigir a um caixa eletrônico. 

Porém, há investimentos que funcionam melhor para uma reserva financeira, justamente por aliar a liquidez à rentabilidades superiores. 

Ao investir na Rico, você encontra CDBs com liquidez diária, por exemplo. São ativos que permitem o resgate diariamente. 

Outra excelente alternativa para esse objetivo é o Tesouro Selic, que é o mais líquido dos títulos públicos. 

Como a inflação afeta o rendimento da poupança?  

A inflação afeta o resultado da maioria dos investimentos e, com a poupança, não é diferente.  

Ela pode corroer o poder de compra da moeda, deixando-a desvalorizada ante ao mercado. 

Por isso, é muito importante considerar o efeito da inflação antes de fazer uma aplicação.  

No caso da poupança, esse impacto pode ser ainda mais crítico por conta da baixa rentabilidade da aplicação.  

Acontece que, em alguns momentos, a rentabilidade da poupança não consegue nem mesmo cobrir o efeito da inflação, como foi em 2015, 2016 e 2019.  

Nesses casos, há uma alta nos preços e o dinheiro proveniente da aplicação não é suficiente para cobrir esse reajuste. 

Por isso, se costuma dizer que houve perda do poder de compra. 

Qual é a melhor data para depositar o dinheiro na poupança?  

Não existe uma data que seja a melhor para depósitos na poupança.  

Porém, como a rentabilidade da poupança é mensal, é muito importante respeitar a data de aniversário da poupança para garantir a sua rentabilidade.  

Ou seja, se fizer um depósito no dia 10, não saque antes do dia 10 do mês seguinte. 

Além disso, vale destacar que os depósitos feitos no final do mês, mais precisamente entre os dia 29 e 31, têm suas datas de aniversários repassadas para o começo do mês seguinte.  

Conclusão 

Uma pessoa utilizando alguns objetos, como calculadora, celular, papéis e caneta, apoiados em uma mesa.

Depois de saber quanto rende a poupança e que há investimentos muito mais rentáveis, provavelmente, você já deve estar convicto de que é hora de mudar.  

Tenha em mente que os juros da economia devem continuar baixos. Por isso, a caderneta tende a oferecer ganhos reais muito pequenos ou até negativos. 

Entre as opções que podem trazer bons rendimentos, temos os ativos da renda fixa, como o Tesouro Direto, o CDB e a LCI.  

Com eles, é possível ter ganhos reais atrativos e alinhados ao mercado, isto é, superiores a 100% do CDI.  

Se você quer atingir os seus objetivos, saia agora mesmo da poupança e invista em renda fixa! 

Para começar, você só precisa abrir a sua conta na Rico. Aqui, você encontrará os investimentos mais rentáveis e seguros do mercado! 


novembro 30, 2021

Poupança ou Tesouro Direto? Veja qual o melhor investimento!

Compartilhar:  

Investir na poupança ou Tesouro Direto? Esta é uma das dúvidas frequentes para quem está começando a investir em renda fixa. Afinal, as duas aplicações são populares e têm baixo risco

Mas qual delas você deve escolher?

Em tempos de instabilidade econômica, escolher o investimento certo faz toda a diferença.

Ao decidir entre poupança ou Tesouro Direto, a primeira coisa que você precisa saber é que aplicar na caderneta não é a melhor opção, já que você pode perder poder de compra ao longo do tempo.

Então, o ideal é procurar por opções mais rentáveis, como o Tesouro Direto. Além de render mais, vamos mostrar neste texto que ele é um grande aliado na formação de patrimônio.

Se você quer aprender a investir melhor e alcançar os seus objetivos, este artigo vai ajudá-lo a tomar a decisão certa e você vai aprender como investir no Tesouro Direto hoje mesmo.

Estes são os tópicos que vamos abordar:

  • Poupança ou Tesouro Direto? Veja a Comparação
  • Poupança ou Tesouro Direto? Saiba Onde é Melhor Investir [Simulador]
  • Como Investir no Tesouro Direto
  • Outros Investimentos Mais Rentáveis do Que a Poupança
  • Abrindo sua Conta na Rico
  • Perguntas Frequentes Sobre Poupança e Tesouro Direto

Poupança ou Tesouro Direto? Veja a Comparação 

Ao comparar poupança e Tesouro Direto, você vai notar que ambos são aplicações de renda fixa e que são ofertados como formas seguras de fazer o seu dinheiro crescer. 

Mas as semelhanças param por aí.

Embora muito popular no Brasil, a poupança não tem um bom rendimento. Inclusive, você pode perder dinheiro ao longo do tempo, dependendo de outros fatores do mercado.

Rentabilidade da Poupança x Rentabilidade do Tesouro

A rentabilidade da poupança perde muito na comparação com o Tesouro Direto. Ela é calculada da seguinte forma: 

  • Se a taxa Selic for maior ou igual a 8,5% ao ano: o rendimento será de 0,5% ao mês + TR (Taxa Referencial)
  • Caso a taxa Selic esteja abaixo de 8,5% a.a: a rentabilidade será de 70% da Selic + TR

A TR se mantém zerada há mais de dois anos e, neste momento (novembro de 2021, a Selic está em 7,75% ao ano.

Já a rentabilidade do Tesouro Direto, como explicamos, supera o CDI, que é o benchmark da renda fixa.

Mas ela varia conforme o título escolhido, que por sua vez, se subdivide em três:

  • Atrelados à inflação: são papéis que pagam uma taxa fixa mais o IPCA do período, por exemplo, 3,79% + IPCA. Eles são nomeados como Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais.
  • Prefixados: estes títulos possuem uma taxa anual fixa, como 6,66% ao ano. Então, de acordo com os juros da economia, eles podem ser bastante vantajosos. Esses ativos são ofertados como Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais
  • Indexado à taxa Selic: como o nome já diz, o Tesouro Selic possui rendimento atrelado à taxa básica de juros. Assim, ele é considerado como um dos melhores títulos para acompanhar o ritmo de retornos do mercado. Com ele, você ganha exatamente 100% da taxa Selic do período. 

Então, ao comparar entre poupança ou Tesouro Direto, a caderneta apresenta os rendimentos mais magros. 

Mais à frente, vamos apresentar simulações que vão te ajudar a visualizar melhor o quanto investir na poupança não é uma boa escolha.

No médio e longo prazos, o efeito é ainda mais perceptível, porque ele conta com os juros compostos e taxas maiores. 

Basicamente, ao investir neste ativo, o rendimento de hoje é aplicado sobre o montante total.

No dia seguinte, os retornos são calculados pelo rendimento de ontem + montante inicial, ou seja, são juros em cima de juros

Se você quer fazer o seu dinheiro render de verdade, o Tesouro Direto pode ser um grande aliado.

Segurança do Tesouro x Segurança da Caderneta

Muitas pessoas acreditam que a poupança é o investimento mais seguro que existe.

Isso é um mito.

Na verdade, o Tesouro Direto é que possui essa atribuição. 

Um exemplo claro foi durante o governo Collor, em que todos os depósitos das cadernetas foram bloqueados e muitos perderam o que tinham investido. 

No Tesouro Direto, não há esse risco, pois ele é emitido pelo próprio governo, ou seja, o título público é um investimento soberano. 

O Estado é o órgão financeiro máximo do país. Então, para que ocorra um calote desse tipo, as demais instituições financeiras teriam que falir antes dele.

Como isso dificilmente ocorreria, na comparação entre poupança ou Tesouro Direto, ele sai na frente!

Ainda está em dúvida? Confira o vídeo da Escola de Investidores, do canal da Rico, onde nossa analista Paula Zogbi desmistifica o Tesouro Direto:

Tire suas dúvidas sobre tesouro direto

Liquidez dos Títulos do Tesouro x Liquidez da Poupança

Ao investir o seu dinheiro, um dos aspectos que deve ser avaliado é a liquidez.

Ela determina a facilidade e o tempo para resgatar parte ou o montante aplicado e seus rendimentos. 

Se você está em dúvida entre poupança ou Tesouro Direto, saiba que o segundo é mais vantajoso, principalmente para objetivos de investimento diversos como aposentadoria, reserva de emergência ou viver de renda

Nos títulos públicos, a liquidez é D + 1, ou seja, ao solicitar o resgate do valor investido, ele estará disponível na sua conta no próximo dia útil

A caderneta permite a retirada a qualquer momento.

Mas é aí que mora o perigo, porque os rendimentos são repassados apenas na data do aniversário da aplicação

No Tesouro Direto, ao contrário, eles são pagos diariamente.

Então, se você resgatar um valor da poupança no 29º dia após seu aniversário da poupança (o primeiro dia em que fez esse investimento), perderá toda a rentabilidade do mês

Com os títulos públicos, você receberá o seu dinheiro totalmente corrigido.

Muito melhor, não é mesmo?

Aplicação mínima no Tesouro x Poupança

Ambas aplicações foram pensadas para motivar o pequeno poupador a aplicar as economias, ou seja, possuem baixo aporte inicial. 

Na caderneta, para começar, os valores são a partir de R$ 1. Enquanto que os títulos públicos podem ser adquiridos a partir de valores próximos de R$ 30,00. 

Neste ponto, a poupança pode ter uma leve vantagem. Mas, se você pensar que no Tesouro Direto o seu dinheiro rende mais, é melhor acumular o aporte mínimo e investir nele. 

Prazo de vencimento do Tesouro x Poupança

Todos os investimentos possuem uma data de vencimento preestabelecida.

O Tesouro Direto costuma ser ofertado nos mais variados períodos, como 5, 10 ou 30 anos.  

Então, você pode comprar o título adequado aos seus objetivos e ter uma estimativa de quanto receberá no futuro

Na poupança, não há data de vencimento. Isso porque ela é uma aplicação financeira. 

Se você não tem muita disciplina, este fator pode dificultar o alcance dos seus objetivos, já que ele estará ao seu alcance a qualquer momento.

Com a data de vencimento, você tende a se manter firme no seu propósito por mais tempo.

Além disso, ao se comprometer por mais tempo, o investimento tende a pagar taxas melhores como recompensa.

Tributação do Tesouro x Poupança

Entre poupança ou Tesouro Direto, a tributação é um ponto importante. A caderneta é livre de qualquer imposto. Então, o rendimento bruto é igual ao líquido. 

Os títulos públicos têm tributos como o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e o Imposto de Renda (IR).

O primeiro incide apenas nos primeiros 30 dias da aplicação. 

Já o IR é descontado na liquidação do investimento.

Assim, a poupança pode render mais?

Não! 

Ao comparar ambos, o rendimento líquido do Tesouro Direto ainda supera muito a caderneta.

Nesse caso, é mais vantajoso pagar os impostos e obter retornos atrativos. 

Imposto de renda

Como vimos, a poupança não tem o desconto do Imposto de Renda.

Já o Tesouro Direto conta com a cobrança da alíquota regressiva, que segue a tabela abaixo: 

% de IR sobre o rendimento Período de aplicação

22,5%

até 180 dias

20%

até 360 dias

17,5%

até 720 dias

15%

mais de 720 dias
Tabela da tributação do IR – Fonte: Receita Federal

Nos próximos tópicos, vamos mostrar simulações de como o rendimento do Tesouro Direto pode ser maior que o da poupança, mesmo com esse tributo. 

Poupança ou Tesouro Direto: Prós e Contras!

Se você ainda está em dúvida sobre poupança e Tesouro Direto, veja esta tabela comparativa:

Poupança
PrósContras
Resgate a qualquer momentoRentabilidade baixa
A aplicação inicial é a partir de R$ 1É preciso respeitar a data do aniversário da aplicação para não perder os rendimentos do mês
Possibilidade de aplicar em qualquer bancoNão há alternativas para alocar o seu dinheiro
Alguns bancos oferecem um rendimento extraO ganho real (inflação descontada) pode ser negativo
Não há impostos e taxasHá risco de crédito, principalmente para aportes acima de R$ 200 mil
Tesouro Direto
PrósContras
Liquidez de 1 diaPossui taxas e tributos
Possui baixo riscoA precificação é determinada pelo mercado (pode render negativamente em caso de resgate antecipado de títulos de longo prazo)
Possibilidade de investimento em índices importantes da economia (Selic e IPCA) –
Alta rentabilidade
O investimento é feito totalmente online –
Os títulos podem ser utilizados como garantia para investimentos em renda variável, como mercado futuro e minicontratos –
Investimento inicial baixo –
Possibilidade de montar uma carteira de títulos –
Rendimento próximo ou superior a 100% do CDI –
Comparação entre o Tesouro Direto ou poupança

Como Investir no Tesouro Direto

Agora que você já sabe que, na comparação entre poupança ou Tesouro Direto, os títulos públicos são muito mais vantajosos, vamos mostrar como investir neles. 

Para isso, preparamos um passo a passo para você começar a fazer o seu dinheiro render de verdade agora mesmo.

Acompanhe! 

Passo 1: Escolha uma corretora 

Investir pelos bancos não costuma trazer bons retornos para o seu bolso.

Nas corretoras de valores, você conta com taxas mais atrativas e uma gama de produtos maior. 

Para investir no Tesouro Direto, procure uma instituição autorizada e de confiança, como a Rico. Clique aqui para abrir sua conta.

Passo 2: Abra a sua conta

Agora, preencha o cadastro com as suas informações pessoais, crie um login e senha.

Aguarde o retorno por e-mail. 

Passo 3: Transfira

Faça a transferência do valor a ser investido no Tesouro Direto da sua conta bancária para a conta da corretora através de TED de mesma titularidade. 

Passo 4: Entre na sua plataforma

Agora, entre na sua plataforma de investimentos e escolha a opção “Tesouro Direto”.

Lá, você encontrará todos os títulos disponíveis para a compra. 

Passo 5: Invista

Já sabe em qual título investir?

Então, clique em “Comprar”.

Insira o valor de investimento, a sua assinatura eletrônica e clique novamente em “Comprar”. 

Se o mercado estiver fechado no horário da transação, é possível agendar a compra para o próximo dia útil.

Pronto! Você acaba de investir em Tesouro Direto.


Outros Investimentos Mais Rentáveis do Que a Poupança

Na comparação entre poupança ou Tesouro Direto, a caderneta se mostrou uma alternativa pouco vantajosa para fazer o seu dinheiro render. 

Mas a poupança ainda perde para outros investimentos de renda fixa, que entregam maior rentabilidade. 

Conheça agora mais comparações e saiba porque você não deve aplicar na poupança: 

Poupança ou CDB?

O CDB, assim como a poupança, é emitido pelos bancos. 

Este título costuma ter rendimento mais atrativo. Hoje, você o encontra com taxas acima de 100% do CDI, que equivalem cerca de 30% acima da caderneta. 

Em contrapartida, o CDB é um investimento voltado para o médio e longo prazos, pois a liquidez, geralmente, é apenas no vencimento.

Então, o resgate antecipado pode acarretar perdas na rentabilidade. 

Ao avaliar o risco, ambos possuem grau baixo e contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado ao teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Para mais informações sobre o FGC, acesse o site http://www.fgc.org.br.

De toda maneira, o CDB é uma opção de investimento melhor do que a poupança, pois você tem a possibilidade de adaptá-lo aos seus objetivos e ganhar muito mais. 

Poupança ou LCI

A LCI (Letra de Crédito Imobiliário) é um título de renda fixa também emitido pelos bancos. 

Se você quer investir sem pagar taxas, este pode ser um bom investimento.

A LCI é isenta de tributos e sua taxa de rentabilidade é próxima de 100% do CDI.

A única desvantagem desse ativo é a sua liquidez, que costuma se dar apenas na data do vencimento.

Então, ela pode ser considerada como um investimento melhor do que a poupança e também conta com a cobertura do FGC para valores de até R$ 250 mil.


Perguntas frequentes sobre Poupança e Tesouro Direto

A seguir, separamos algumas das principais dúvidas e respostas sobre os investimentos em renda fixa.

Então, acompanhe e descubra mais informações sobre a caderneta de poupança e os títulos do Tesouro Direto.

Qual rende mais: poupança ou Tesouro Selic?

Como já vimos, tanto a poupança quanto o Tesouro Selic são indexados à taxa básica de juros da economia brasileira.

A diferença é que a caderneta, neste momento, paga 70% da Selic, enquanto o título público remunera o investidor em 100% dela.

A sua rentabilidade pode variar de acordo com os custos de investimento, como taxas e impostos.

Ainda assim, o Tesouro Selic paga mais juros do que a poupança.

Qual tipo de Tesouro Direto rende mais?

A resposta é: depende.

O rendimento do Tesouro Direto varia de acordo com fatores como:

  • Tempo de investimento
  • Indexadores
  • Custos e despesas
  • Impostos
  • Taxas das corretoras

Portanto, você precisa estudar o seu perfil de investidor, a situação dos indexadores e índices econômicos, além de custos e taxas, para identificar que título público tem maior rentabilidade para seus objetivos.


Devo investir em CDB ou Tesouro Direto?

CDB e Tesouro Direto são investimentos de renda fixa, mas com características diferentes.

Um é protegido pelo FGC, enquanto outro é garantido pelo governo federal.

Em termos de rentabilidade, seguem indicadores muito parecidos.

Há CDBs corrigidos pelo CDI ou IPCA, enquanto os títulos públicos se baseiam também na inflação, na Selic ou em taxas fixas.

Como a estratégia de diversificação de investimentos é sempre uma boa ideia, vale ter os dois produtos na carteira.

Só não invista em CDBs que paguem menos de 100% do CDI, como aqueles ofertados por grandes bancos.

Na Rico, você encontra os títulos mais rentáveis e seguros do mercado.

Reserva de emergência: colocar na poupança ou Tesouro Direto?

A característica mais importante para um fundo de emergência é a liquidez do investimento.

Ou seja, você precisa de aplicações que garantam o resgate rápido, pois é um dinheiro a ser usado para cobrir imprevistos.

No tópico onde detalhamos a liquidez de poupança e Tesouro Direto, fica claro que ambos são bastante parecidos.

E como a rentabilidade dos títulos públicos é bem maior, sua escolha aqui fica fácil.

A sugestão, caso não queira estar sujeito às oscilações do mercado, é escolher o Tesouro Selic, que tem a recompra garantida pelo governo federal sem perda de rentabilidade.


Conclusão

Antes de investir em renda fixa, é comum fazer a comparação entre poupança ou Tesouro Direto.

Notavelmente, o Tesouro Direto é melhor que a caderneta, principalmente em termos de rentabilidade. 

Sem contar que o Tesouro é considerado o investimento mais seguro do país.

Além disso, as taxas do Tesouro são atrativas para quem está começando.

Este é o melhor momento para abandonar a poupança e procurar por alternativas que façam o seu dinheiro crescer de verdade, como o Tesouro Direto, o CDB e a LCI. 

Para começar a investir e dar um novo passo rumo à concretização dos seus objetivos, você só precisa abrir a sua conta na Rico agora mesmo! Bons investimentos 🙂


outubro 29, 2021

Quanto rende 1 milhão na poupança? Veja opções mais rentáveis

Compartilhar:  

Saber quanto rende 1 milhão na poupança pode atrair a sua atenção.

Mas, e se você soubesse que há opções de investimento mais rentáveis e seguras?

Atualmente, o rendimento da caderneta é pouco atrativo.

Portanto, além de saber quanto rende 1 milhão na poupança, o ideal é comparar essa rentabilidade com a de outros investimentos de renda fixa

Sem contar que aplicar o seu dinheiro através dos bancos não é uma boa alternativa, pois há pouca variedade de ativos, muitas taxas e rentabilidades pequenas. 

Neste artigo, você vai descobrir quanto rende 1 milhão na poupança e vai conhecer opções de investimentos com maior rentabilidade e segurança para você começar ainda hoje, mesmo se ainda não tiver 1 milhão para investir!

Confira os tópicos que preparamos:

  • Quanto Rende 1 Milhão na Poupança?
  • Quanto Rende 500 Mil na Poupança?
  • Variações da Taxa Selic e o Rendimento da Poupança
  • Como Funciona o Cálculo do Rendimento da Poupança?
  • Quais Opções de Investimento São Mais Rentáveis do Que a Poupança?
  • Então, Onde Investir 1 milhão e Viver de Renda? Isso é Possível?
  • Por que você deve diversificar seus investimentos?
  • O que rende 1% ao mês? Existe algum investimento seguro que renda 1% ao mês?
  • Como Começar a Investir Agora (Mesmo que Seja Pouco Dinheiro).

+ Quer comecar a investir? Abra sua conta na Rico sem pagar nada!

Quanto rende 1 milhão na poupança?

O rendimento da poupança pode variar de ano para ano.

O cálculo para saber quanto a aplicação rende mensal ou anualmente segue uma regra pré-estabelecida e que se orienta por indicadores da economia nacional – mais à frente, vamos explicar como fazer a cálculo.

Em setembro de 2022, com a Selic à 13,75% a rentabilidade da poupança está em 0,44% ao mês e 5,43% ao ano.

Simulações de rendimento de R$ 1 milhão na poupança por mês hoje [outubro/2021]

Se você pretende abandonar o trabalho para viver de renda em um futuro próximo, precisa estar a par de quanto rende cada tipo de investimento para fazer a melhor escolha.

E saber quanto R$ 1 milhão rende na poupança é um bom começo para a sua pesquisa.

Com a Selic à 7,75%, se você investir R$ 1 milhão na poupança, após 12 meses, terá R$ 1.054.300,00.

Ainda que esse valor seja suficiente para cobrir o seu orçamento mensal, é importante considerar também o peso da inflação para avaliar se a poupança vale a pena ou não.

E a gente já adianta para você a resposta: não vale.

E quanto rende 500 Mil na poupança hoje?

Ao aplicar R$ 500 mil na poupança hoje, você poderá observar um ganho anual de cerca de R$ 27.150.

Dividido em 12 meses, chegamos à renda mensal de aproximadamente R$ 2.208.

Porém, esse valor considera apenas a taxa de rendimento atual da poupança, sem contabilizar a desvalorização da moeda perante a inflação.

Precisa de uma mãozinha para organizar suas finanças? Clique aqui e acesse a nossa planilha financeira!

Variações da taxa selic e o rendimento da poupança

Seja qual for o banco que você escolha para abrir sua conta poupança, entenda que a remuneração será sempre a mesma.

Isso porque o renda da caderneta segue regras definidas por norma federal, a Lei nº 12.703, que foi atualizada pela última vez em agosto de 2012.

A conta feita hoje para definir o rendimento da poupança é afetada principalmente pelos valores da taxa Selic, principal indicador de juros na economia nacional.

Mais do que um termômetro financeiro, a Selic funciona como um instrumento de política monetária pelo qual o governo pode influenciar e ditar os rumos da economia.

A taxa vive uma relação inversamente proporcional com a inflação, onde uma queda dos juros pode elevar o seu valor.

Da mesma forma, a poupança é afetada por alterações nesses dois indicadores.

Enquanto uma alta nos juros pode impulsionar os ganhos da poupança, não haverá um grande ganho real se a inflação também estiver alta.

Como funciona o cálculo do rendimento da poupança?

O cálculo atual utilizado para definir o rendimento da poupança leva em consideração dois indicadores oficiais.

A Selic representa a taxa de juros oficial do país, enquanto a Taxa Referencial, ou TR, foi criada nos 1990 para controlar a hiperinflação da época.

Atualmente, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) tem os juros do país fixados em 13,75% ao ano (dados de setembro de 2022).

De responsabilidade do Copom, a Selic tem sua meta reavaliada a cada 45 dias pelos membros do comitê e divulgada para os bancos e instituições financeiras do país.

Apesar de ainda ter influência em alguns cálculos importantes, a TR segue estabilizada em 0% desde 2018.

Então, o cálculo atual que guia os juros da poupança considera 70% da Selic mais o valor da Taxa Referencial – isso nos dá uma rentabilidade de 0,44% ao mês e de 5,43% ao ano.

Quais opções de investimento são mais rentáveis do que a poupança?

Homem e mulher apontando para o notebook sorrindo.
Mesmo na renda fixa, é possível ter muito mais rendimento do que a caderneta oferece

Entender quanto rende 1 milhão na poupança pode ser o motivo ideal para você sair dela agora mesmo.

No mercado financeiro, há opções mais rentáveis. Porém, é importante conhecê-las antes de investir o seu capital. Caso contrário, é possível ter dores de cabeça.

Diante disso, trazemos opções de ativos da renda fixa que possuem rendimentos maiores que a poupança. Veja:

Tesouro Direto

Os títulos do Tesouro Direto são emitidos pelo governo, que por sua vez, utiliza os recursos captados para o financiamento de áreas, como educação, saúde e infraestrutura.

Basicamente, os títulos públicos são ofertados sob três tipos:

  • Atrelados à inflação
  • Prefixados
  • Indexados à taxa Selic.

O Tesouro IPCA + é o título atrelado à inflação. O seu rendimento consiste em uma taxa fixa mais o desempenho do IPCA no período – por exemplo, 2,39% + IPCA.

Ele costuma ser indicado para quem deseja manter o poder de compra no futuro ou para objetivos de médio e longo prazos, como comprar um imóvel ou automóvel.

Já o Tesouro Prefixado possui rentabilidade fixa, como 6,31% ao ano. Assim, não há surpresas ao investir, a taxa se manterá a mesma até o vencimento.

Este título pode ser uma boa alternativa quando há previsões de queda de juros, pois ele tende a render mais que os outros ativos.

O Tesouro Prefixado também pode ser utilizado quando você investe hoje e precisa alcançar um determinado valor no futuro, por exemplo, obter R$ 20 mil para fazer um intercâmbio.  

Por fim, temos o Tesouro Selic. O seu rendimento é próximo a taxa Selic do período, por exemplo, 4,50% ao ano.

Este título pode ser visto como uma poupança mais rentável, pois, ao solicitar o resgate antecipado, não há perdas na rentabilidade.

Assim, o Tesouro Selic costuma ser indicado para investimentos em qualquer prazo, como aposentadoria, trocar de smartphone ou planejar o seu casamento.

Ao escolher um ativo que possui a taxa Selic ou o IPCA como indexadores, caso eles subam, os rendimentos também aumentam e vice-versa.

CDB

O CDB é o Certificado de Depósito Bancário. Basicamente, ele é um título de renda fixa emitido pelos bancos.

A sua rentabilidade pode ser prefixada ou pós-fixada. Na primeira, é a mesma lógica do Tesouro Direto Prefixado, onde há a taxa fica de rendimento.

Já o CDB pós-fixado consiste em um retorno atrelado ao CDI ou ao IPCA, por exemplo, 110% do CDI ou 2% + IPCA.

LCI

A LCI (Letra de Crédito Imobiliário) é um investimento também emitido pelos bancos. A sua diferença em relação ao CDB é que não possui tributos ou taxas.

O rendimento dela funciona da mesma forma que o ativo anterior, só que ele não sofre qualquer desconto. Então, tudo o que render vem diretamente para o seu bolso.

A LCI pode ser uma boa alternativa para quem deseja investir sem pagar taxas ou impostos, por exemplo, aposentadoria ou planejar o estudo dos filhos. 

Fundo de renda fixa

O Fundo de Renda Fixa consiste em uma carteira de ativos de renda fixa, como os títulos do Tesouro Direto.

Assim, o rendimento depende da composição e o objetivo do fundo, por exemplo, render próximo ao CDI.

O investimento é feito através da aquisição de cotas. A rentabilidade e custos são distribuídos igualmente entre elas, o que torna o sistema semelhante a um condomínio.

Este ativo pode ser uma boa alternativa para quem deseja investir em renda fixa com auxílio profissional, pois a carteira é administrada por um gestor profissional.

Então, onde investir 1 milhão e viver de renda? Isso é possível?

Usufrua dos rendimentos do seu patrimônio com ativos, como o Tesouro Direto e os FIIs

Um dos motivos mais frequentes pelo qual as pessoas querem saber quanto rende 1 milhão na poupança é viver de renda.

Se esse também é o seu objetivo, é comum ter dúvidas sobre como investir, já que a poupança não é um boa alternativa.

Geralmente, o Tesouro Direto costuma ser recomendado, pois ele possui baixo risco e oferece rendimentos atrativos.

Entre os mais procurados estão o Tesouro Selic e os títulos que pagam os cupons semestrais.

Caso você tenha perfil moderado ou agressivo, as ações pagadoras de dividendos podem ser boas alternativas.

Estes ativos permitem o recebimento de proventos de forma recorrente, que por sua vez, tendem a ser utilizados para o custeio de despesas ou reinvestimento.

Outra opção são os Fundos Imobiliários (FIIs). Eles são partes de grandes empreendimentos, como shoppings, escritórios corporativos ou galpões logísticos.

Esses ativos costumam ser recomendados para quem deseja uma renda recorrente, pois há o pagamento dos aluguéis isentos de IR todos os meses.

Ao investir em um bom FII, é possível fazer o seu dinheiro crescer através da valorização das cotas e com o recebimento dos proventos.

Por que você deve diversificar seus investimentos?

Como mostramos acima, há diversas opções para investir o seu dinheiro e fazê-lo render mais do que a poupança.

Mas, qual deles é o melhor? Na verdade, você pode investir em todos eles e ter resultados ainda mais atrativos. Esse processo é conhecido como diversificação.

Os ativos financeiros possuem riscos. Então, ao aplicar todo o seu capital em apenas um deles, você aposta o risco em apenas um tipo de investimento.

Tenha em mente que o mercado é dinâmico, ou seja, resultado passado não é garantia de retorno futuro.

Com a diversificação, você pode diminuir os impactos desses riscos e equilibrar os rendimentos do seu patrimônio.

Para isso, basta conhecer o seu perfil de investidor e distribuir o capital de forma rentável e segura, por exemplo, investir 70% em renda fixa e 30% em renda variável.

Caso uma delas apresente mau desempenho, a outra tende a render mais e manter um bom resultado total.

Por isso, se você quer investir com segurança e rentabilidade, a diversificação pode ser a melhor escolha.

Como Começar a Investir Agora (Mesmo que Seja Pouco Dinheiro)

Homem mexendo no notebook.
Inicie esta nova jornada com pequenos aportes, ganhe confiança e veja seu dinheiro render

Mesmo depois de conhecer quanto rende 1 milhão na poupança, você precisa entender que é possível começar com pouco dinheiro.

O mercado financeiro oferece ativos para todos os públicos. Então, se você ainda tem um montante menor, não é desculpa para deixá-lo parado.

Entre os investimentos mais acessíveis, estão o Tesouro Direto e os Fundos de Investimentos.

Você pode começar a investir com menos de R$ 100,00.

Caso você possua capital maior, em torno de R$ 1 mil, temos opções como as LCIs, LCAs e os CDBs.

Para não restar qualquer dúvida, preparamos um passo a passo infalível. Siga-o e comece a fazer o seu dinheiro trabalhar para você a partir de agora:

  • Abra a sua conta: insira os seus dados pessoais, crie um login e senha. Agora, é só aguardar o nosso retorno por e-mail
  • Transfira: faça a transferência do valor a ser investido, da sua conta bancária para a conta da corretora através de TED de mesma titularidade
  • Conheça o seu perfil de investidor: ao abrir a sua conta na Rico, faça o teste para identificar a sua tolerância ao risco. No final, você também irá descobrir sugestões de ativos adequadas ao seu perfil de investidor.
  • Invista: entre na sua plataforma de investimento e escolha a categoria desejada, como renda fixa, Tesouro Direto ou ações. Depois de tomar as decisões, basta informar o valor de aquisição e comprar.

Pronto! Você acaba de dar um novo passo na sua vida financeira! Viu só como é simples?

Conclusão

Saber quanto rende 1 milhão na poupança é importante para tomar decisões mais assertivas.

Cada vez mais, a caderneta tem se mostrado uma alternativa ruim para o seu dinheiro. Há ativos muito mais atrativos do que a poupança, como o Tesouro Direto, os Fundos de Renda Fixa e os CDBs.

Com eles, é possível ter até o dobro de rendimento que a caderneta oferece e de forma segura.

Então, mesmo sabendo quanto rende 1 milhão na poupança e achar o valor atrativo, lembre que há opções muito melhores no mercado.

Para ter acesso a esses ativos e fazer o seu dinheiro render de verdade, basta abrir a sua conta na Rico agora mesmo.

Aqui, você pode começar a investir com pouco dinheiro.


outubro 27, 2021

Qual é o rendimento da poupança mensal e como calcular!

Compartilhar:  

Você sabe quanto é o rendimento mensal da poupança?

Segundo dados da Anbima, em 2019, 85% dos investidores brasileiros ainda deixavam o dinheiro na poupança, o que representa mais de 62,5 milhões de pessoas.

Apesar de muito popular, o rendimento da poupança mensal pode ser facilmente superado pelo rendimento de outros investimentos, como você verá nesse artigo.

Continue a leitura para conferir:

  • Qual o rendimento da poupança mensal
  • Como calcular o rendimento da poupança mensal
  • Funcionamento da Taxa de Juros Mensal da Poupança
  • Simulador de Rendimento da Poupança
  • Investimentos Melhores do Que a Poupança Para Começar a Investir

Qual o Rendimento da Poupança Mensal?

Antes de tudo: você sabe como funciona o rendimento da poupança?

O rendimento da poupança está relacionado à Taxa Selic e à Taxa Referencial. O cálculo é o seguinte: sempre que a Taxa Selic estiver abaixo de 8,5%, a correção da caderneta de poupança é equivalente a 70% desse valor; e, quando a Selic for maior que 8,5%, o rendimento da poupança será de 0,5% ao mês + a TR.

Observe alguns números históricos:

Rendimento Poupança: 2021

Em maio de 2021, a taxa de juros Selic estava a 3,5% ao ano + a TR (que não apresenta variação desde 2017) e, dessa forma, a poupança renderia cerca de 0,2% ao ano.

Rendimento Poupança: 2020

Em 2020, a taxa de juros Selic foi de apenas 2,11%, de modo que o rendimento da poupança mensal em 2020 ficou em 0,12%.

Rendimento Poupança:  2019

No cenário com a taxa de juros Selic a 6%, a taxa de juros da poupança foi de 70% do valor da Selic mais a TR, sendo de 4,20% ao ano e aproximadamente 0,34% ao mês (lembrando que os juros são compostos e portanto esse valor é aproximado).

A poupança não oferece rendimento diário. Isso significa que os ganhos são baseados nas taxas mensais e anuais. Então, se você retirar o dinheiro antes da data do aniversário da poupança, você pode perder rentabilidade.

Rendimento Poupança:  2018

Em 2018, não houve variação na taxa Selic ou na TR (Taxa Referencial), o que fez com que o cálculo de rendimento da poupança tenha ficado em 4,55% ao ano.

Como Calcular o Rendimento da Poupança Mensal

Uma mão adiciona uma moeda em um jarro de vidro. Ao lado, mais moedas empilhadas e, ao fundo, outra mão mexendo em uma calculadora, em referência ao rendimento mensal da poupança.
É muito simples calcular o rendimento da poupança

Em primeiro lugar, não se esqueça de verificar os números da Taxa Selic e da Taxa Referencial do ano em que estamos. Eles influenciam diretamente no rendimento da poupança.

Agora, para exemplificar os cálculos do rendimento da poupança mensal, vamos começar considerando a taxa Selic abaixo de 8,5%.

Nesse caso, se você escolher colocar R$100 na poupança no dia 11 de dezembro de 2018 (Selic a 6,5%), por exemplo, ela só rendeu nos dias 11 de cada mês.

Uma dica: a melhor estratégia é fazer seus depósitos na poupança antes dos dias 29, 30 e 31, já que o aniversário dessas datas ocorrem apenas no dia 01.

Então, a sua poupança renderá mensalmente 0,379% do valor investido.

Como calcular o rendimento da poupança anual?

Como você já aprendeu, o rendimento da poupança anual depende da taxa Selic e da TR (Taxa Referencial). Assim, para calcular o rendimento anual da poupança, é preciso ficar atento a essas duas taxas.

Índice da Poupança Anual

Caso a Selic esteja abaixo de 8,5%, o rendimento anual da poupança é de 70% em cima da taxa, ou seja, 4,55% ao ano, como já mencionamos. Mas também é preciso calcular o rendimento considerando o valor da inflação que precisará ser descontada do seu rendimento total com a poupança.

Isso é importante para manter o seu poder de compra. Em 2015, por exemplo, a poupança rendeu menos do que a inflação.

Compreender como funciona a taxa de juros mensal da poupança ajudará você a avaliar melhor a rentabilidade dessa aplicação.

Para entender o funcionamento da taxa de juros de forma mais fácil, é possível simular o investimento na caderneta de poupança.

Investimentos melhores do que a poupança para começar a investir

Agora que você sabe como funciona a caderneta de poupança e conhece a sua rentabilidade, iremos apresentar alguns investimentos alternativos à ela que possuem maiores taxas de rendimento.

Quem sabe um dos investimentos abaixo seja exatamente o que você estava procurando?

CDB

O Certificado de Depósito Bancário, conhecido como CDB, pode ser uma alternativa muito boa para sair da poupança.

O CDB é um título de renda fixa privada: nele você empresta dinheiro para o banco, que vai te devolver com correção de juros, a sua rentabilidade.

A taxa de juros varia de acordo com diversos fatores como: valor aplicado, prazo, entre outros. Tudo isso é definido no ato de compra do CDB.

A rentabilidade do CDB é definida na hora da contratação, mas existem dois tipos de CDB que oferecem rentabilidades diferentes.

Existem os CDBs pós-fixados, atrelados ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário), no qual os rendimentos são percentuais à variação do CDI no período e os CDBs indexados à inflação, ligados a índice de preços, como o IPCA e acrescidos de juros prefixados.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma das opções mais procuradas por investidores que estão começando agora.

Ele funciona de forma semelhante ao CDB, porém, nesse caso, o dinheiro é emprestado para o Governo Federal. Na hora de realizar o resgate, o Tesouro Nacional devolverá seu dinheiro com correção.

Investir no Tesouro Direto é bastante simples e você pode fazer de forma rápida e prática. Basta abrir uma conta em uma corretora, como a Rico escolher as melhores opções para você.

Você pode adquirir títulos em três modalidades diferentes, confira quais são e para quem são mais indicadas:

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é indicado para quem busca mais segurança e alta liquidez. Isso significa que você pode resgatar o seu investimento a qualquer momento sem perdas de rentabilidade.

É o título do Tesouro Direto mais recomendado para quem está saindo da poupança. Também é indicado para formar a sua reserva de emergência, que é um fundo preparado para situações como uma perda de renda ou contas inesperadas.

A rentabilidade desse título rende aproximadamente o valor da taxa Selic.

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA é uma alternativa para quem busca rendimentos a médio e longo prazo. Ele é vinculado à inflação, ou seja, é considerado um investimento híbrido. O rendimento dele depende da combinação de um índice prefixado mais a inflação.

Trata-se de um ótimo investimento para quem deseja manter o seu poder de compra acima da inflação e pode esperar prazos mais longos.

Resgatar esse investimento antes do prazo de vencimento pode acarretar perdas ou ganhos, já que a venda do título depende da precificação do mercado no momento.

Tesouro Prefixado

O Tesouro Prefixado tem rentabilidade fixa e é ideal para os investidores que desejam saber exatamente qual será o rendimento final.

A rentabilidade do Tesouro Prefixado vai depender do tipo e prazo escolhido pelo investidor.

O Tesouro Prefixado 2025, por exemplo, é um título com taxa equivalente à 9,65% ao ano. Bem maior que o rendimento da poupança anual, não é mesmo? A única diferença é a cobrança de IR e a taxa de custódia, que não incidem sobre rendimentos da caderneta.

+ Abra sua Conta e comece a investir no Tesouro Direto

LCI E LCA

Outras duas opções para quem está procurando um investimento alternativo à poupança são os LCI e LCA.

A LCI é a Letra de Crédito Imobiliário. É um título de crédito remunerado pelo mercado imobiliário.

A emissão da LCI é feita por uma instituição financeira privada e a rentabilidade é geralmente próxima a 100% do CDI.

A LCI é um investimento de renda fixa. Por isso, oferece estabilidade para quem está buscando objetivos a longo prazo.

Além disso, a Letra de Crédito Imobiliário é uma aplicação de fácil resgate e com baixo risco.

A LCA é a Letra de Crédito do Agronegócio, um título de crédito emitido por instituições que podem ser públicas ou privadas. Esse capital será utilizado para o financiamento do Agronegócio.

Ao comprar uma LCA, você estará emprestando dinheiro para o setor agrícola e terá rendimentos variáveis, de acordo com o valor e o prazo escolhidos.

A LCA pode ter rentabilidade pré e pós-fixada e é isenta de IR e IOF.

Além disso, a LCA, assim como a LCI, oferece segurança para o investidor, sendo assegurada pelo Fundo Garantidor de Crédito.

Esses são alguns investimentos que você pode ter maiores rendimentos do que a poupança. Comece agora a investir nas melhores opções com a Rico.

Conclusão

Agora que você já sabe tudo sobre rendimento da poupança mensal, sobre sua liquidez e quais os investimentos podem substituir a famosa caderneta, é hora de estudar e avaliar qual deles é a melhor oportunidade para você investir.

Se você está começando a investir, aqui na Riconnect você encontra todas as informações que precisa para fazer boas escolhas financeiras!

Como vimos, colocar dinheiro na poupança é seguro. No entanto, o rendimento é bastante reduzido em relação aos outros tipos de investimentos, como os apresentados acima.

Aplicar na poupança pode significar que você está perdendo oportunidades de fazer seu dinheiro render mais ao longo do tempo.

Quer começar a investir? Trocou a poupança por algum investimento mais rentável?

Nova call to action

outubro 27, 2021

Acordo de perdas na poupança: O que fazer com o dinheiro?

Compartilhar:  

O acordo de perdas na poupança com planos econômicos dos anos 1980 e 90 já apresenta mais de 40 mil cadastros no Portal Pagamento da Poupança.

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) afirma que existiam mais de 1 milhão de recursos e ações na Justiça de pessoas que solicitavam uma indenização referente a esse período.

O objetivo da criação do portal é acelerar a restituição dos valores perdidos pelos poupadores com as mudanças dos planos econômicos, como o plano Bresser, Verão e Collor 2.

Se você também foi afetado e está prestes a resgatar o seu dinheiro da Poupança, esse artigo é para você!

Neste artigo, você vai:

  • Saber o que é o Acordo de Perdas na Poupança com planos econômicos
  • Entender o que mudou após o Acordo da Poupança
  • Descobrir como funciona o pagamento do Acordo de Perdas na Poupança com planos econômicos
  • Saber o que você pode fazer com o dinheiro do Acordo dos planos econômicos
  • Aprender a escolher o melhor investimento hoje para você

Boa leitura!

Leia esse outro artigo se você quer entender como funciona o rendimento da poupança 

O que é o acordo de perdas na poupança com planos econômicos?

acordo de perdas na poupanca o que e
O acordo de perdas na poupança com planos econômicos visa restituir as perdas que aconteceram nos anos 1980 e 90.

O Supremo Tribunal Federal realizou um acordo entre a Advocacia-Geral da União (AGU), Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN),  o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), o Banco Central (Bacen),  e a Frente Brasileira Pelos Poupadores (Febrapo) no dia 1º de março de 2018.

Tal acordo tem como tema central a restituição dos valores perdidos por conta dos planos econômicos Bresser de 1987, Verão de 1989 e Collor 2 de 1991.

Se você foi afetado por alguma dessas mudanças, você pode aderir ao acordo de perdas na poupança através do portal Pagamento da Poupança

Contexto Histórico

O acordo de perdas na poupança com planos econômicos se refere às mudanças que ocorreram entre os anos 1980 e 90.

Durante este período, o governo lançou planos econômicos que modificavam o cálculo da correção monetária da poupança, com o objetivo de conter a hiperinflação.

No entanto, alguns bancos aplicaram as novas taxas corretivas em depósitos que haviam sido feitos antes dos planos econômicos entrarem em vigor.

Assim, muitos poupadores não se beneficiaram da correção da inflação que aconteceu nos anos 1987 (Bresser), 1989 (Verão), 1990 (Collor 1) e 1991 (Collor 2).

Dentre esses planos, o evento que mais afetou a vida dos poupadores foi o plano Collor.

Ele determinou, no dia 16 de março de 1990, que valores maiores do que 50 mil cruzados novos deveriam ser bloqueados e enviados ao Banco Central.

Com isso, muitas pessoas foram prejudicadas, perdendo os valores poupados. 

O que mudou após o acordo da poupança?

Desde as perdas sofridas entre os anos 1980 e 90, muitos poupadores tentaram, de diferentes maneiras, reaver seu dinheiro. 

Depois do acordo da poupança, todas as pessoas que entraram na justiça com ações individuais ou coletivas serão reinstituídas.

As ações coletivas só serão beneficiadas se tiverem sido realizadas até o dia 31 de dezembro de 2016. Além disso, quem não entrou com algum tipo de processo não será beneficiado.

O pagamento total das restituições deverá atingir R$12 bilhões. Essa quantia será repartida entre os cadastrados no portal, a fim de encerrar essa luta de anos.

Como funciona o pagamento do acordo de perdas na poupança com planos econômicos?

acordo de perdas na poupanca como funciona o pagamento
Entenda como será feito o pagamento do acordo da poupança

O pagamento do acordo de perdas na poupança com planos econômicos não abrange toda a parcela da população que foi afetada.

Então, é importante que você saiba quem pode se beneficiar com esse acordo e como será realizado o processo de pagamento.

Quem tem direito

Todas as pessoas que entram na Justiça contra os bancos com ações individuais até 20 anos depois dos planos Bresser (1987), Verão (1989) e Collor 2 (1991), têm direito à indenização.

Quem entrou com ações coletivas também será beneficiado se estas tiverem sido ajuizadas até cinco anos depois do plano econômico em questão.

Além disso, é necessário que a execução da sentença dessas ações tenha começado até o dia 31 de dezembro de 2016.

Quem não entrou com algum tipo de processo dentro do prazo legal, não poderá ser beneficiado com as indenizações.

Análise

Depois de realizar a sua inscrição, o banco em questão vai analisar a habilitação em um prazo máximo de 60 dias. Se o seu pedido tiver sido feito através da declaração de Imposto de Renda, esse prazo será de até 120 dias.

Se houver algum tipo de alteração de status no seu pedido, você será comunicado por e-mail. 

Os possíveis status são:

  • Em preenchimento: você pode iniciar e salvar sua habilitação para concluir depois;
  • Pendência de documentos: você pode enviar os documentos restantes em até 30 dias corridos;
  • Análise da Instituição: a sua habilitação está sendo analisada;
  • Habilitação negada: ocorre quando a sua habilitação não for elegível por valores bloqueados ou prescrição, por exemplo;
  • Aguardando aceite: se o valor estimado pelo simulador não for o mesmo do cálculo realizado pelo banco, você poderá ou não aceitar o novo valor calculado;
  • Acordo não aceito: se você não concordar com o valor calculado pelo banco;
  • Pagamentos agendados: se o seu acordo tiver sido aceito, o seu pagamento será agendado respeitando datas e condições;
  • Pagamentos concluídos: acontece quando o processo de habilitação foi concluído;

O processo

Para participar da restituição do acordo de perdas na poupança com planos econômicos, é necessário se cadastrar no Portal de Pagamento da Poupança.

Depois, basta inserir os dados necessários. Eles incluem os dados do seu advogado ou defensor público. Além disso, é obrigatório que ele também assine o termo de adesão, através de um certificado digital.

Você vai precisar inserir os seguintes dados pessoais:

  • Nome completo;
  • Endereço;
  • Data de nascimento;
  • RG;
  • CPF;
  • Número de telefone com DDD;
  • Nome do seu advogado ou defensor público;
  • Telefone do seu advogado ou defensor público;
  • OAB do seu advogado ou defensor público.

O próximo passo é esperar a análise da sua habilitação.

Simulador do pagamento do acordo da poupança

É possível simular o valor a ser recebido na sua restituição. O simulador usa um fator multiplicador por plano econômico, aplicando descontos por faixa de valores e parcelamentos. 

Tudo o que você precisa fazer é inserir os dados da sua conta, o plano econômico, o saldo e o aniversário do dia da conta.

simulador do acordo da poupança
Captura de tela de 21/08/2018

Quando serão os pagamentos – Calendário de adesão

Os pedidos de habilitação são recebidos em lotes, de modo a facilitar o processo do acordo.

Se você perder o prazo do seu lote, não se preocupe. É possível aderir aos lotes posteriores em um prazo de até 24 meses no portal.

LOTESDATACONDIÇÃO
22/05/2018Nascidos até 1928
21/06/2018Nascidos entre 1929 e 1933
21/07/2018Nascidos entre 1934 e 1938
20/08/2018Nascidos entre 1939 e 1943
19/09/2018Nascidos entre 1944 e 1948
19/10/2018Nascidos entre 1949 e 1953
18/11/2018Nascidos entre 1954 e 1958
18/12/2018Nascidos entre 1959 e 1963
17/01/2019Nascidos a partir de 1964
10º16/02/2019Sucessores ou Inventariantes de Poupadores já falecidos
11º18/03/2019Poupadores que tenham ingressado em juízo entre 01/01/2016 e 31/12/2016
Dados de 21/08/2018

Motivos de rejeição

A sua habilitação pode ser rejeitada por diversos motivos, como inconsistência e apresentação de valores errados para o acordo, por exemplo.

Mas, independente do motivo, você será avisado por e-mail.

Os motivos de rejeição incluem:

  • Divergência de informações processuais;
  • Ausência de documento obrigatório;
  • Ausência de documento de identidade;
  • Informações divergentes;
  • Banco não elegível;
  • Plano econômico não elegível;
  • Conta não elegível por aniversário na 2ª quinzena, saldos bloqueados, falta de comprovação de contemplação, processo aberto fora do prazo, saldo zero na data do plano reclamado, ausência de comprovação da existência da conta;
  • Processo não elegível por habilitação duplicada, valores já pagos, prescrição, conta com nome diferente da habilitação, por exemplo.

O que fazer com o dinheiro do acordo? 5 opções mais rentáveis do que a poupança

acordo de perdas na poupanca o que fazer com o dinheiro
Você pode investir o valor ressarcido em títulos rentáveis.

Ao pegar a sua restituição do acordo de perdas na poupança com planos econômicos, você pode investi-la. Existem opções muito seguras e que rendem mais do que a poupança.

O primeiro passo para isso é abrir uma conta na Rico. A Rico é a corretora que que simplificar sua maneira de investir!

Com a sua conta aberta, basta definir os seus objetivos financeiros e saber qual é o seu perfil de investidor.

Assim, você poderá escolher os melhores títulos para montar a sua carteira de investimentos.

Confira 5 exemplos de investimentos mais rentáveis que a poupança:

1: Tesouro Direto

O Tesouro Direto disponibiliza títulos públicos aos investidores. Ou seja, você empresta dinheiro para o governo e recebe o valor acrescido de juros. 

Por ter como emissor o Tesouro Nacional, esse tipo de investimento é bastante seguro. 

Além disso, o valor de investimento inicial é mais baixo que o de outros ativos da renda fixa. Isso facilita muito para o investidor que está começando agora.

Veja os tipos de Tesouro Direto abaixo:

Assista ao vídeo abaixo para entender por que a poupança perde para o Tesouro:

Ainda está em dúvida entre Tesouro ou Poupança? Confira essas dicas

2: CDB

O Certificado de Depósito Bancário atrai diversos investidores devido ao seu rendimento.

O CDB é recomendado tanto para investidores experientes quanto para iniciantes, já que é muito simples.

Ele é um ótimo ativo para aqueles que buscam diversificar a curto, médio ou longo prazo, ou para quem quer começar a sua carteira.

Por exemplo: um Certificado de Depósito Bancário de curto prazo com liquidez diária pode render um pouco mais do que 100% do CDI. Lembrando que liquidez diária significa que o dinheiro pode ser retirado a qualquer momento.

Dependendo do prazo e das condições do CDB em questão, ele pode chegar a render mais do que 120% do CDI.

Além disso, todos os CDBs, LCIs, LCAs e LCs são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito

3: LC

A Letra de Câmbio possui uma ótima rentabilidade, mesmo não sendo isenta de Imposto de Renda

A médio prazo, ela apresenta um rendimento maior do que o da poupança por possuir uma taxa de rendimento bastante competitiva.

4: LCI/LCA

As Letra de Crédito Imobiliário e do Agronegócio são títulos emitidos pelos bancos que visam capitalizar esses segmentos do mercado com dinheiro dos investidores.

Por possuir um incentivo do governo, tanto LCIs quanto LCAs são isentas de Imposto de Renda.

Porém, esse fator, sozinho, não garante que uma Letra de Crédito renda mais.

5: Debêntures

Debêntures são títulos de dívida, assim como os CDBs e títulos do Tesouro Direto.

Seus emissores, no entanto, são empresas de capital fechado ou aberto que precisam captar dinheiro para os seus projetos.

Normalmente, esse tipo de ativo apresenta um ótimo rendimento.

Como escolher o melhor investimento?

Antes de decidir onde aplicar o seu dinheiro você precisa conhecer todas as características dos títulos disponíveis. Isso porque existe sempre um ativo que se encaixa melhor no seu perfil e nas suas necessidades. 

Então, na hora de investir, considere os seguintes fatores:

  • Data que deseja resgatar o dinheiro (curto, médio ou longo prazo);
  • Quantia que dispõe para investimento;
  • Vai fazer aportes mensais?
  • Qual o nível de risco que você consegue suportar?

O risco nada mais é do que a possibilidade que o seu investimento tem de não render o que você estava esperando, podendo apresentar, inclusive, uma taxa negativa.

Mas não se assuste: quanto maior for o risco envolvido, maiores são as chances de ganhos. 

Conclusão

acordo de perdas na poupanca conclusao
Invista em títulos de renda fixa para ter um retorno maior do que o da poupança

O acordo de perdas na poupança com planos econômicos já está disponível no Portal Pagamento da Poupança.

Se estiver elegível para o benefício, é só fazer o cadastro no portal para dar início ao processo de restituição.

Então, se você perdeu dinheiro com os planos econômicos de Bresser, Verão e Collor 2, esta é a sua oportunidade de ser ressarcido.

Apesar de a poupança ser um investimento considerado seguro, é possível lucrar muito mais investindo esse dinheiro em outros ativos.

Um bom exemplo é a compra de títulos do Tesouro Direto.

Mas para isso, é necessário abrir uma conta em uma corretora de valores confiável, como a Rico. O cadastro é gratuito! Basta transferir o dinheiro do banco para a sua conta da Rico, através de TED de mesma titularidade.

Abra sua conta e comece a investir!


setembro 25, 2019

Caderneta de poupança: o que é, como funciona e rendimento

Compartilhar:  

Se você guarda dinheiro na caderneta de poupança hoje ou cogita fazer essa aplicação, fique atento.

A poupança oferece vantagens, mas que também podem estar presentes em outros investimentos. E esses, por sua vez, podem se mostrar mais atrativos.

Neste artigo, vamos apresentar a você um guia sobre a poupança em 2019, destacando qual o rendimento,  vantagens, desvantagens e como é calculada a sua rentabilidade.

Você também vai conhecer alternativas seguras para aplicar seu dinheiro com sabedoria e, logo ali na frente, resgatá-lo com um saldo maior.

Esse pode ser o caminho para a realização de seus sonhos.

Então, vamos começar essa jornada?

O que é caderneta de poupança?

A caderneta de poupança, normalmente chamada apenas de poupança, é um tipo de conta bancária que você pode abrir para guardar seu dinheiro e ainda ganhar um percentual sobre o valor aplicado.

Dessa maneira, funciona como um investimento.

Por conta da sua praticidade e liquidez, esse tipo de aplicação se tornou muito popular entre os brasileiros.

Aliás, popular é pouco: segundo dados do Banco Central, em 2019, 158 milhões de pessoas fazem uso da modalidade, o que representa 75% de toda a população do país.

Não se pode dizer que toda essa gente erra ao investir na poupança.

Mas o que falta para muitos é conhecimento a respeito de alternativas que reúnem as mesmas vantagens da caderneta e ainda agregam outras.

De qualquer forma, ela agrada porque permite sacar o dinheiro aplicado a qualquer momento, inclusive diretamente no caixa eletrônico, como uma conta bancária tradicional.

Também possibilita fazer transferências entre contas de mesma titularidade e até por DOC ou TED (nesse caso, a disponibilidade depende do banco do qual você é cliente).

Isso sem falar em serviços rotineiros de uma conta, como pagamento de boletos.

Só que é justamente toda essa movimentação que torna a poupança mais uma conta do que um investimento.

Afinal, o dinheiro ali aplicado só rende juros a cada 30 dias, no chamado aniversário da poupança. Assim, se você depositar R$ 1.000 na conta no dia 20 de setembro de 2019 e sacar no dia 19 de outubro, não haverá rentabilidade alguma sobre o valor.

Ao longo do artigo, vamos trazer muito mais detalhes sobre o rendimento da poupança e suas particularidades.

Como Funciona o Rendimento da Caderneta Poupança?

A caderneta de poupança foi criada juntamente com a Caixa Econômica Federal, em 1861, sob decreto de Dom Pedro II. Inicialmente, pagava 6% de juros por ano.

De lá para cá, as coisas mudaram bastante.

As mais recentes atualizações no seu rendimento ocorreram em 2012.

Desde então, os juros pagos pela aplicação passaram a depender do valor da Taxa Selic, com acréscimo da Taxa Referencial (TR).

São dois os cenários possíveis de rentabilidade:

Quanto Rende a Caderneta de Poupança Hoje?

Com a Selic em 5,5% atualmente (dados de Setembro/2019), o rendimento da poupança segue a regra do segundo cenário.

Assim, o rendimento da poupança em Setembro de 2019 é o seguinte:

  • 0,70 x 5,5% + TR.

Como a taxa referencial está em 0%, o rendimento da poupança é de 3,85% ao ano.

Nova call to action

Juros da Caderneta de Poupança em 2021

Os juros da caderneta de poupança são calculados sobre o valor aplicado e pagos mensalmente.

O aniversário da poupança pode ser o dia de abertura da conta ou data em que foi feito o depósito.

Como o rendimento da poupança é mensal, se você tirar o dinheiro da conta antes da data de aniversário, perde todo o rendimento do período.

Caso você faça depósitos em datas diferentes, sua conta pode ter mais de uma data de aniversário – algo bastante comum.

Já se os depósitos forem feitos entre os dias 29, 30 e 31, a data de aniversário da poupança será o primeiro dia do próximo mês.

Como vimos no tópico anterior, o rendimento a receber depende de duas taxas: a Taxa Referencial e a Selic, taxa básica de juros da economia.

Como Calcular os Juros da Poupança?

Como a rentabilidade da poupança depende do valor da Taxa Selic e da Taxa Referencial, você precisa conhecer esses valores para fazer o cálculo dos juros da poupança.

Você pode encontrar essas taxas, em valores diários, mensais, anuais e históricos no site do Banco Central. Lá, pode acessar a chamada Calculadora do Cidadão. Isso vale para a TR e também para a Selic.

Para entender o cálculo, vamos considerar a Selic atual, de 5.5% ao ano, e a TR em 0,00%.

Como a Taxa Selic está em 5.5%, ou seja, menor do que 8,5%, o cenário para o cálculo será o de 70% da Selic + TR.

Portanto, a rentabilidade da poupança é assim calculada:

  • 0,7 x 5,5% + TR = 3,85% ao ano.

Simulador da Caderneta de Poupança

Entender a rentabilidade da poupança anual e mensal é relativamente simples.

Porém, para calcular o rendimento por um período de tempo mais longo e usando juros compostos, as coisas podem ficar um pouco mais complicadas.

Mas você não precisa se preocupar. Se quiser saber quanto vai render sua aplicação, pode usar o nosso simulador do Tesouro Direto e Poupança, acessível no site da Rico.

Você só precisa abrir a página, informar o valor e por quanto tempo deseja fazer a aplicação.

Veja um exemplo:

Comparação: Rendimento da poupança x Tesouro Direto – Tela capturada em 24/09/2019.

Além de mostrar qual a rentabilidade da sua aplicação, o simulador da Rico ainda compara o investimento com outras opções, para você poder escolher o que melhor combina com seus objetivos.

No exemplo acima, feito em Setembro/2019, conseguimos ver que o Tesouro Prefixado 2025 rendeu R$ 1.726,78 enquanto a Poupança rendeu R$ 1.200,04.

Você também pode ter acesso ao simulador da área interna da Rico e contar com ainda mais funcionalidades em suas comparações. Basta abrir sua conta online gratuitamente.

Vale a Pena Investir na Caderneta de Poupança?

O que você precisa fazer para escolher o destino ideal para seu dinheiro, além de adquirir conhecimento, é comparar a poupança com outras opções.

Na prática, mesmo as principais vantagens da caderneta podem ficar ofuscadas.

A seguir, vamos falar sobre os prós e contras da aplicação.

Vantagens e Desvantagens da Poupança

Todo investimento tem vantagens e desvantagens. E não seria diferente com a caderneta de poupança.

Então, vamos começar a análise pelos seus pontos positivos, mas que não são exclusivos da poupança pois também podem estar presentes em outros investimentos.

Confira:

✔️Liquidez

A liquidez é, sem dúvida, uma vantagem que atrai a atenção de muitas pessoas.

Significa que, quem tem dinheiro aplicado na poupança, pode fazer o resgate a qualquer momento.

Você pode, por exemplo, fazer saques, pagar contas, realizar transferência, entre outras operações usando o dinheiro aplicado na caderneta.

E esse resgate pode ser feito a qualquer hora.

✔️Isenção de Imposto de Renda

Não importa se você tem R$ 1 ou R$ 1 milhão na poupança: o investimento é isento da cobrança de Imposto de Renda.

Porém no próximo tópico você vai descobrir que existem opções de investimento que também são isentas do IR.

✔️Isenção de IOF

Ao contrário do que ocorre com outras aplicações, também há isenção de IOF (Imposto Sobre de Transações Financeiras) na caderneta de poupança, qualquer que seja a transação realizada.

✔️Garantia do FGC

As aplicações na poupança são cobertas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que protege o investidor em aplicações de até R$ 250 mil por CPF, por instituição, respeitando o limite de quatro instituições.

Significa que, se o banco quebrar, você não perde o valor investido nele, desde que dentro dessas regras.

Vale antecipar que investimentos como CDB e LCs também possuem garantia do FGC, como você vai conferir no próximo tópico.

Agora veja que os destaques negativos sobre esse investimento pesam bastante.

❌ Baixa rentabilidade

Não é segredo para ninguém a que a rentabilidade da poupança é baixa.

E pode ser ainda pior: há chance de perder dinheiro na aplicação. Mas como isso é possível?

Como já aconteceu antes, o rendimento da poupança pode ser tão baixo a ponto de não conseguir cobrir o efeito da inflação.

Considere que em Setembro de 2019 a rentabilidade esperada é de 3,85% ao ano. Se, ao final de 2019, tivermos uma inflação superior a isso, significa que o dinheiro ali aplicado agora vale menos do que valia um ano atrás.

Pense ainda em outro exemplo.

Vamos supor que você queira comprar hoje um automóvel no valor de R$ 50 mil, mas decide aplicar esse dinheiro na poupança para fazer a aquisição em um ano.

Quando o momento planejado chega, você tem R$ 52.100 na conta. Porém, o automóvel agora custa R$ 53 mil.

Nesse caso, o rendimento da poupança não foi o suficiente para cobrir o aumento nos preços em decorrência da inflação e, por isso, houve redução do seu poder de compra.

❌ Rendimento somente no dia do aniversário

A poupança tem liquidez diária, é verdade, mas seus rendimentos, não.

Embora você possa resgatar o dinheiro a qualquer momento, se fizer isso antes do aniversário da poupança, vai perder toda a rentabilidade do período.

É como no exemplo que apresentamos antes: um depósito de R$ 1.000 hoje não terá rendimento algum antes de 30 dias.

Agora, chegou a hora de conferir as aplicações que podem ser mais atrativas para você sair da poupança hoje mesmo.

4 Investimentos Melhores que a Poupança

A caderneta de poupança perde ainda mais força quando comparada com outros investimentos.

O que acontece é que as suas principais vantagens não são exclusivas. Ou seja, há aplicações que também se mostram seguras e líquidas.

Há, ainda, outros investimentos isentos de Imposto de Renda e garantidos pelo FGC.

E eles se tornam melhores que a poupança por oferecerem rentabilidades mais atrativas.

Vamos conhecer alguns deles?

1. Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional que negocia títulos públicos federais, garantidos pelo próprio governo federal. Por isso, são considerados os ativos mais seguros do mercado.

Também o Tesouro garante a recompra de qualquer título sempre que solicitado, o que oferece liquidez diária para os ativos.

Vale dizer ainda que os investimento em títulos públicos são bastante acessíveis – você pode começar a investir no Tesouro Direto a partir de R$ 100.

Na pasta do Tesouro Direto, você vai encontrar três classes de ativos:

  • Prefixados: esses ativos têm taxa fixa de rentabilidade. Portanto, no momento da aplicação, você sabe exatamente qual vai ser a rentabilidade ao final do prazo do investimento.
  • Pós-fixados: esses papéis estão indexados à Taxa Selic e sua rentabilidade acompanha às variações na taxa. Por conta disso, possuem baixa volatilidade.

    Além disso, o Tesouro Selic tem liquidez diária e, por isso, é um ótimo investimento para quem procura opção para construir uma reserva de emergência.

  • Híbridos: esse tipo de título tem parte de sua rentabilidade predefinida, conhecida no momento do contrato, e outra atrelada à inflação.

    Nesse sentido, são títulos que garantem ganho real para seus investidores, pois a rentabilidade sempre estará acima da inflação, diferente da caderneta de poupança.

2. CDB

O CDBs – Certificados de Depósito Bancário – têm como suas principais vantagens a sua boa rentabilidade e o grande números de títulos negociados no mercado.

Por isso, podem ser uma ótima alternativa para quem busca outras opções de investimento além da poupança.

Por conta de sua simplicidade, essa aplicação pode ser interessante para investidores de todos os tipos, de iniciantes a veteranos.

O CDB é um bom investimento para começar a montar sua carteira, assim como permitir a diversificação a curto, médio e longo prazo.

Contudo, é interessante lembrar que o tempo de aplicação tem impacto direto sobre a rentabilidade do CDB.

Por exemplo, um certificado de curto prazo com liquidez diária pode apresentar rentabilidade menor do 100% do CDI – taxa usada na correção do investimento.

Mas há casos em que, dependendo do prazo de aplicação, a rentabilidade pode superar 120% do CDI.

Por fim, vale ressaltar que esse tipo de investimento também conta com cobertura do FGC e, por isso, é considerado bastante seguro.

3. LC

As Letras de Câmbio, ao contrário do que pode sugerir o nome, não têm nada a ver com o preço da moeda estrangeira.

Elas são, na verdade, títulos de crédito emitidos por instituições financeiras, com o intuito de levantar dinheiro para financiar suas atividades.

Esse tipo de aplicação não é isento de Imposto de Renda, mas, por conta de sua boa rentabilidade, pode ser uma bela alternativa à poupança.

Além disso, as LCs também são garantidas pelo FGC.

4. LCI

A Letra de Crédito Imobiliária é um investimento de renda fixa isento do Imposto de Renda, assim como a poupança.

O título de LCI é emitido por bancos para conseguir recursos do mercado e assim oferecer capital para o setor imobiliário.

A LCI apresenta uma data de vencimento estabelecida. Portanto, ao aplicar nesse papel, você já tem uma noção de quanto o seu dinheiro irá render até o final do prazo.

Quer começar a investir em aplicações como as citadas acima? Além de abrir sua conta na Rico online e grátis, comece absorvendo mais conhecimento através do vídeo abaixo:

Conclusão

É inegável que a caderneta de poupança oferece vantagens como liquidez, segurança e isenção de Imposto de Renda. Por isso, é um dos investimentos mais procurados pelos brasileiros.

Porém, nesse artigo você pôde ver que na comparação com outras aplicações, ela pode se tornar pouco atrativa.

Algumas opções de renda fixa como o Tesouro Direto, CDBs, LCs e LCIs trazem as mesmas vantagens, porém podem apresentar maior rentabilidade.

Não sabe bem qual caminho seguir para sair da poupança?

Comece descobrindo o seu perfil de investidor abrindo sua conta na Rico. Esse exercício vai propor investimentos que melhor combinam com você e seus objetivos.

Obrigado por ler até aqui!

Se quiser entender mais sobre o assunto, continue a leitura:


julho 3, 2019

4 Motivos para sair da poupança hoje e como fazer! Confira!

Compartilhar:  

Sair da poupança hoje pode trazer mais rentabilidade, liquidez e versatilidade para o seu bolso. Mas claro, apenas se você investir em produtos como o Tesouro Direto, CDB e outras opções que você encontrará neste artigo. 

Pode até parecer irônico, mas se você quer fazer o seu dinheiro render de verdade, você precisa sair da poupança! 

Isso não significa parar de poupar, significa que em vez de destinar o seu suado dinheirinho ao banco, você fará TEDs para a sua conta em uma corretora, fora do banco. Este é o melhor lugar para construir um patrimônio.

O motivo?

Simples.

Atualmente, ela rende menos de 1% ao ano considerando o ganho real acima da inflação — sem mencionar as vezes que a poupança teve um rendimento negativo em relação à inflação.

Assim, a caderneta deixou de ser considerada uma boa opção de investimento há um bom tempo.

Mas você pode falar que a poupança é segura e tem liquidez (pode resgatar a qualquer momento). Sim, isso é verdade. Mas o Tesouro Selic que pode render até 3,2 vezes mais que a poupança é tão seguro ou ainda mais (e também possui liquidez D+1).

Essa é uma notícia que deveria ser enviada para todos os ‘poupadores’ agora mesmo.

Inclusive, se você tiver um amigo que continua aplicando na caderneta, envie esse artigo para ele!

Em um país carente de educação financeira, conseguir economizar e aplicar já é uma vitória.

E agora você descobrirá os motivos para sair da poupança e saberá como migrar para os melhores investimentos de 2019.

Neste artigo você vai ver:

  • Os 4 Principais Motivos para Você Sair da Poupança Hoje;
  • Quando Vale a Pena Sair da Poupança – Existe um Momento Certo?
  • Como Sair da Poupança – Melhores Investimentos Conservadores
  • Perca o Medo de Sair da Poupança – Comece a Investir em Aplicações Tão Seguras Quanto

Você também encontrará um passo a passo completo com novas opções de investimentos para dar um rumo melhor para o seu dinheiro, com bastante segurança e rentabilidade.

Boa leitura!

4 motivos para você Sair da poupança hoje mesmo

Homem pesquisando como sair da poupanca motivos
Aprender a investir fora da poupança é um ótimo negócio

Segundo dados do fim de 2018, existem cerca de R$ 800 bilhões na poupança dos brasileiros.

Essa fortuna está praticamente parada. Afinal, esse produto financeiro criado há 157 anos já não cumpre nem mais o seu papel de preservar o capital do investidor. Como dito, há períodos em que a inflação venceu a poupança.

De acordo com o BC, até maio de 2019os saques da poupança superaram os depósitos em R$ 16,997 bilhões.Isso é uma notícia que indica uma tendência. O brasileiro está percebendo que o dinheiro está em cima da mesa. 

Então, aprender a investir melhor o seu dinheiro é o primeiro grande passo. E você está dando ele hoje.

Veja em detalhes os motivos para sair da poupança ainda hoje:

1) Rentabilidade Baixíssima

Como citado, comparado aos demais investimentos igualmente seguros, o rendimento da poupança tende a ser inferior.

Nós vamos explicar o porquê.

Isso se dá porque a taxa de rendimento da poupança é definida de acordo com o comportamento da taxa Selic e da variação da Taxa Referencial (TR).

Lá em 2012, o governo estabeleceu uma regra que acontece da seguinte forma:

  • Quando a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, então o rendimento da poupança será 0,5% ao mês + Taxa Referencial.
  • Agora, quando a taxa Selic estiver menor ou igual a 8,5% ao ano, o rendimento da poupança cai para 70% da Selic + TR (Taxa Referencial).

Atualmente, a taxa Selic está em 6,0% ao ano. Assim sendo, a poupança está rendendo apenas 70% disso! Que é cerca de 4,55% ao ano.

Para você ter uma ideia, nos últimos anos, a inflação ficou em torno dos 4%. Isso faria com que, na verdade, a caderneta rendesse não 4,55%, mas sim 0,55% ao ano.

Isso é muito pouco!

Um pouco mais abaixo, você poderá comparar a rentabilidade da poupança que você viu aqui com a rentabilidade de investimentos melhores como o Tesouro Direto, CDB, e Letra de Câmbio.

Nova call to action

2) Rendimento somente no aniversário

A liquidez da poupança é diária, mas a sua rentabilidade não. Este é mais um dos motivos para você sair da poupança o quanto antes. 

dia do aniversário da Poupança é referente ao dia em que você investiu o seu dinheiro pela primeira vez.

Por exemplo, se você colocou o seu dinheiro na poupança no dia 12 de abril, então será sempre e somente no dia 12 de cada mês que você receberá a sua rentabilidade — diferente de outros investimentos que rentabilizam diariamente, como o Tesouro Selic.

O que isso interfere no seu rendimento? Simples! Se você retirar o seu dinheiro antes do dia 12 do mês seguinte, você estará abrindo mão da sua rentabilidade naquele mês.

Ou seja, o rendimento já não é muito e você ainda pode perdê-lo.

3) Pouca flexibilidade

Quando você vai fazer uma aplicação em poupança no seu banco, o produto que você vai investir é único. Existe uma só poupança, e é lá que você vai aplicar seu dinheiro.

Agora, pegando como exemplo o Tesouro Direto, que é um dos investimentos mais comuns no que se refere às melhores alternativas à poupança, este possui 10 tipos de títulos diferentes que você pode escolher.

Diversificar o seu dinheiro aplicado é uma das grandes vantagens para construir um planejamento financeiro completo. Na poupança, você não tem essa opção.

4) Taxa Selic continuará em baixa

Agora que você descobriu como funciona o rendimento da poupança, sabe que enquanto a taxa Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano, a poupança renderá apenas 70% disso.

A boa notícia é que já se tem previsão da taxa básica de juros para o ano que vem, o que pode ajudar você a tomar decisões importantes.

A má notícia é que a previsão, mais uma vez, não vai chegar perto dos 8,5%!

A taxa selic prevista para 2020 é de 5% ao ano, segundo o Relatório de Mercado Focus do Banco Central.

E mais, se for aprovada a reforma da previdência, há quem diga que o Banco Central cortará ainda mais os juros em 2019.

Ou seja, sem perspectiva de aumento, este é mais um grande motivo para você sair da poupança o quanto antes.Entendemos que agora você possa estar se perguntando: ok, estou convencido, mas então o que fazer? Devo abandonar a poupança agora?

É o que nós responderemos no tópico a seguir!

Quando vale a pena sair da poupança – existe um momento certo?

Mulher aprendendo sobre comosair da poupanca e quando quando vale apena
O mesmo certo é no próximo aniversário da sua poupança

Está certo que você deve estar ansioso para investir em opções mais vantajosas neste momento. Mas também não é válido sair correndo para sacar o seu dinheiro agora, a não ser que a sua aplicação já tenha passado do aniversário este mês.

Caso contrário, você perderá a rentabilidade de um mês inteiro. Então, tente descobrir quando é o aniversário da sua poupança e efetue o resgate neste dia.

O momento certo para sair é o quanto antes.

Como sair da poupança – Melhores Investimentos conservadores

Investir fora da poupança é muito fácil e seguro. Na verdade, podem ser até mais simples, já que toda aplicação pode ser feita até mesmo via aplicativo, como o da Rico.

Em nossa plataforma, existem ótimas opções de investimento para quem deseja economizar para o curto, médio e longo prazo com maior eficiência e agilidade.

Vamos ver quais são os principais?

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um investimento de renda fixa onde você compra títulos públicos do Governo Federal e depois recebe o dinheiro de volta com juros.

É como se você emprestasse dinheiro ao Governo, que pagará de volta em uma data (que pode ser estipulada) e com as devidas correções de rentabilidade.

Atualmente, existem três tipos de títulos do Tesouro Direto:

Destes, o título que mais de compara à poupança em termos de simplicidade e liquidez é o último, o Tesouro Selic.

O Tesouro Selic é excelente para investidores iniciantes ou mesmo para investidores experientes manterem suas Reservas de Emergência.

Possui uma boa rentabilidade (atrelado à taxa Selic) e alta liquidez (você consegue solicitar e receber na conta em até 1 dia útil).

Ou seja, rende bem mais que a poupança (cerca de 30% mais) e possui a mesma segurança.

CDB

CDB significa Certificado de Depósito Bancário, é um título também de renda fixa, porém, diferente do Tesouro Direto, este é emitido pelos bancos.

Possui o mesmo objetivo de arrecadação de fundos, ou seja, é como se você emprestasse dinheiro ao banco, e este pagasse de volta com juros.

O CDB rende, geralmente, a uma taxa atrelada ao CDI, que por si só também é bem mais vantajosa que a poupança.

Outra grande vantagem do CDB é que ele conta com a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para investimentos de até R$ 250 mil, o que o torna um investimento extremamente seguro.

Fundos Multimercado

Os Fundos Multimercado são uma excelente opção para os investidores que querem mais rentabilidade e possuem um perfil moderado ou agressivo. Ou seja, eles possuem sim mais risco que a poupança.

Através deles, você consegue investir de uma só vez não apenas na renda fixa, como também no mercado de ações, de commodities, moedas, entre outras opções.

Dessa forma você tem duas vantagens:

  1. Você amplia significativamente a rentabilidade da sua aplicação, através dos investimentos mais rentáveis inseridos no fundo
  2. Dilui consideravelmente os riscos, através da diversificação com os investimentos de renda fixa

Então, quando você ficar na dúvida entre poupança ou fundo de investimento, lembre-se sempre dessas vantagens que mencionamos aqui.

LC (Letras de Câmbio)

As Letras de Câmbio são títulos de renda fixa, muito parecidos com o CDB e com o Tesouro Direto que vimos anteriormente.

A principal diferença entre eles é que em vez dos títulos serem emitidos pelos bancos ou pelo governo, são emitidos por financeiras habilitadas para tal.

O rendimento desse tipo de investimento varia. Pode ser desde atrelada ao CDI, como também uma taxa fixa mais a inflação (IPCA), depende da instituição financeira emissora.

As Letras de Câmbio também possuem a garantia do FGC de até R$ 250 mil. Ou seja, esta é mais uma excelente opção de investimento mais rentável e igualmente seguro.

Previdência Privada

A Previdência Privada pode ser uma excelente ideia se você pretende investir para o longo prazo. Isso porque ele se dá em duas fases diferentes: a fase da acumulação e do resgate.

Primeiramente, você faz uma aplicação comum. Logo, configura prováveis aplicações mensais futuras e escolhe um beneficiário.

Assim, você passa ao longo dos anos investindo para a sua previdência. Essa é denominada a fase da acumulação de capital!

Quando o prazo predefinido chegar, você escolherá como receber de volta o dinheiro acumulado juntamente com os juros da aplicação.

Neste momento, você estará pronto para a fase do resgate! Que será quando você irá somente usufruir do dinheiro acumulado.

E aí, qual desses investimentos seria o melhor para você sair da poupança?

Perca o medo de sair da poupança – comece a investir em aplicações tão seguras quanto

Sair da poupança pode sim significar uma grande mudança na sua vida, e nós entendemos isso. No entanto, temos certeza do quanto essa mudança será positiva.

Com tantas opções, igualmente seguras e com rentabilidades muito melhores, você já não tem mais motivos para continuar deixando o seu dinheiro parado como está.

É como se, ficando na poupança, você estivesse abrindo mão de receber um dinheiro que poderia estar acelerando o crescimento do seu patrimônio.

Portanto, não perca mais tempo! Comece a investir em poucos minutos com a Rico: abra a sua conta grátis e comece a mudança na sua vida financeira hoje mesmo.

Conclusão

Homem mexendo no celular aprender como sair da poupanca
Pronto para sair da poupança?

Ao contrário do que muita gente pensa, investir é muito simples. Pode ser tão simples quanto aplicar na poupança. 

Por isso, se você possui dinheiro na poupança ou conhece alguém que tem, essa é a hora de fazer uma mudança.

Você mesmo viu que existem bons motivos para sair da poupança e veja bem, o primeiro passo você já deu: você já tomou consciência de que precisa (e pode) mudar.

Agora, é colocar a mão na massa e começar de verdade a sua nova vida de investidor!

Se você ficou com alguma dúvida, é só deixar o seu comentário logo abaixo.

Bons investimentos!

Abra sua conta 03


outubro 3, 2018

Entenda por que a poupança não é um bom investimento!

Compartilhar:  

Você sabia que existem outros investimentos tão seguros quanto a poupança?

Muitas pessoas já sabem que a poupança não é indicada para quem quer fazer o dinheiro render.

E está na hora de você ficar atento a novas oportunidades que são melhores do que a poupança em 2018.

O rendimento da poupança está ligado a oscilação da taxa Selic. 

Uma regra adotada em maio de 2012 prevê que sempre que a Selic fica abaixo de 8,5%, a rentabilidade da poupança também muda. O rendimento de quem investe nessa modalidade é reduzido ainda mais.   

Dessa forma, a poupança pode render das seguintes maneiras:

  • Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será 0,5% ao mês + TR
  • Caso a taxa Selic esteja menor ou igual a 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será 70% da Selic + TR

Em março de 2018, a Selic caiu, chegando ao seu menor patamar histórico: 6,5%. Com isso, o rendimento da Poupança continuou sendo de 70% da taxa de juros oficial do país mais a Taxa Referencial (TR), que por sua vez, está em 0%.

Desta forma, atualmente, o rendimento da poupança está em torno de  4,55% ao ano. 

Com isso, alguns economistas decretaram: a poupança está proibida de ser chamada de bom negócio.

A previsão para 2019 também é de juros em baixa, com a taxa Selic em torno de 8% ao ano, fazendo com que a poupança continue em desvantagem em relação a outros investimentos.

A Poupança teve seu bom momento até 2012, quando permitia ganhos reais graças às regras do Banco Central, que garantiam uma rentabilidade de 100% da Selic mais a Taxa Referencial (TR).

Além disso, apenas quem tem valores depositados na Poupança antes da implementação da nova regra tem direito a 100% da Selic. Isso acaba criando uma “Poupança de segunda classe”, que inclui apenas quem fez seus depósitos depois dessa data.

Com a inflação baixa, no entanto, a tendência é de que a Poupança perca cada vez mais atratividade para melhores investimentos

Nesse artigo você vai:

  • Entender Por que Você NÃO Deve Investir na Poupança em 2018
  • Saber Qual Foi a Rentabilidade da Poupança em 2017
  • Conhecer a Rentabilidade da Poupança em 2018
  • Aprender a Comparar Investimentos Com o Simulador da Poupança em 2018
  • Entender a Taxa Selic em 2018
  • Saber o Que é Aniversário da Poupança
  • Conhecer os Investimentos Mais Rentáveis do que a Poupança em 2018
  • Aprender Como Começar a Aplicar Agora Para Ter Mais Rentabilidade
  • Saber Qual É a Previsão Da Poupança para 2019

Boa leitura!


8 sinais de que você não deve investir na poupança!

Labirinto de brinquedo com um boneco e um cofrinho de porco amarelo.
Definitivamente não é um bom negócio investir na poupança em 2018.

A poupança não é o melhor negócio para seu dinheiro.

Apesar de ser popular entre os brasileiros, ela apresenta muitas fragilidades, como a sua baixa rentabilidade.

O Tesouro Selic por exemplo, possui todos os pontos fortes da poupança e nenhum dos seus pontos fracos. Por isso, indicamos ele como substituto para você realocar o seu dinheiro que ainda está na caderneta de poupança.

Para que você não tenha mais dúvidas de que a poupança não é um bom investimento, listamos abaixo tudo o que você precisa saber:

#1 – Inflação está em queda

A inflação será de 4,09% em 2018, segundo o Relatório “Focus” do Banco Central.

Com isso, houve a diminuição da Selic, a taxa oficial de juros, que remunera a aplicação. O valor atual da taxa Selic é de 6,5 %. Ou seja, o seu dinheiro na poupança renderá bem pouco.

#2 – Taxa de juros abaixo de 8,5%

Mas não é só isso. Como a taxa de juros está abaixo de 8,5%, a Poupança está recebendo em 2018 apenas 70% da Selic.

Com uma taxa projetada de 6,5% até o fim de 2018, o rendimento da poupança será de apenas 4,55% ao ano.

Confira as dicas do vídeo abaixo para quando a Taxa Selic está em queda: 

#3 – Rentabilidade baixa

Considerando com a inflação de 4,09% em 2018, e que o valor da Selic se mantenha intacto, a remuneração dos poupadores será baixa.

Além disso, a TR (taxa referencial) está próxima de zero, fazendo com que o ganho real até o fim do ano de quem investe na Poupança seja de pouco mais de 0,45%.

#4 – Possíveis intervenções na Poupança

A Poupança tem um grande inimigo: o governo. Se ela fica muito atraente, os investidores fogem da renda fixa, dificultando o refinanciamento da dívida do Tesouro Nacional.

Para o início de 2019, o deficit do governo federal está previsto para ser de R$ 139 bilhões.

Para cobrir isso, o governo federal precisa vender títulos do Tesouro e tornar a renda fixa mais atraente. Com isso, ele pode mexer nas regras da Poupança, como fez em 2012.

#5 – Existem opções MUITO melhores

A Poupança tende a perder para o Tesouro Direto.

Este investimento está atrelado a títulos da dívida pública e é um dos campeões em segurança e rentabilidade. Ele vai continuar batendo fácil a Poupança, podendo render até mais do que o dobro dela, como aconteceu com o Tesouro Prefixado 2021 em março de 2018.

Então, se o seu objetivo é ver o seu dinheiro se multiplicar, está na hora de começar a pensar em outros ativos para investir.

Quer comparar o rendimento da Poupança x Tesouro Direto? Clique aqui para usar o nosso simulador online!

#6 – Segurança

Mesmo levando em consideração o argumento “segurança”,  a poupança perde para a maioria das opções da renda fixa.

Tanto CDBs como LCIs e LCAs, por exemplo, apresentam rendimentos melhores e também são investimentos garantidos pelo FGC em aplicações de até R$250 mil.

#7 – Aniversário da poupança

A poupança continuará sendo remunerada em 2019 como é agora. Ou seja, você só será remunerado se sacar o seu dinheiro após a data de aniversário do depósito.

Se você precisar desse valor antes desse período, não receberá o seu rendimento.

Esse problema não acontece com CDBs de liquidez diária, por exemplo, onde você pode sacar o seu dinheiro quando quiser e mesmo assim receber a rentabilidade equivalente. Nem com o Tesouro Selic. Por isso, esses últimos, são ideais para você criar a sua reserva de emergência, por exemplo.

#8 – Ela pode perder para a inflação

E, como se não bastasse, a Poupança não está tão protegida assim. Às vezes, perde até para a  inflação.

Além disso, como seu rendimento é baixo, o seu poder de compra real é muito pequeno quando comparado com outros investimentos tão seguros quanto.

Atualmente a inflação está em 4,09%, fazendo com que o seu ganho real na poupança seja menor do que 0,5%.

Nova call to action

Rentabilidade da Poupança

Em julho de 2017, a Selic estava em 9,25% ao ano. Com isso, a Poupança estava rendendo um pouco mais de 0,55% ao mês. A inflação de 2017 foi de 2,95%, o que deu no primeiro semestre do ano algum ganho real para quem mantinha o seu dinheiro na caderneta.   

O problema está na inflação e os juros em queda, que podem ser bons para o resto da economia, mas uma dor de cabeça para os poupadores.

Com a Selic abaixo de 8,5% ao ano, entrou em ação uma regra adotada em 2012, que reduz os rendimentos da Poupança.

Um exemplo: com os juros oficiais  a 7% ao ano em dezembro de 2017, foi preciso descontar estes 30% da Selic, o que dá 2,1%. Com isso, o rendimento da poupança já caiu para 4,9%. Com uma TR perto de zero, o ganho real, descontando a inflação, caiu para 1,95% ao ano.

Se alguém aplicou R$ 10.000,00, poderia tirar R$ 700,00 antes da mudança de regra, mas com a redução aplicada, passou a ser remunerado em apenas R$ 490,00.

O ganho real sobre a inflação cai para menos de 2%, mesmo com a isenção de Imposto de Renda e da taxa de administração.

Só quem tem depósitos na Poupança feitos antes de 4 de maio de 2012 ainda consegue obter 100% da Selic. Isso faz a Poupança ser considerada um dos piores investimentos do mercado.  

Poupança em 2016

A baixa rentabilidade real da poupança não é de agora. Em 2016, por exemplo, a aplicação rendeu 8,30%, o que parece um bom retorno. Mas como a inflação foi de 6,51%, o lucro dos poupadores foi de apenas 1,89%.

Ainda que, devido a fatores históricos, aplicar na Poupança seja o investimento preferido de grande parte dos brasileiros, será cada vez mais difícil para a caderneta se manter atraente em um cenário de juros e inflação baixos.

Rendimento da Poupança nos próximos anos

A previsão dos economistas é de que, no final de 2018, por exemplo, a inflação oficial seja de 4,09% e a taxa básica de juros, de 6,5%.

Como a Selic estará abaixo dos 8,5%, a Poupança continuará sendo corrigida por apenas 70% do índice (4,55%), já que a TR está em 0%.

Com isso, o rendimento da Poupança deve permanecer em 4,55%, o que renderá um ganho real de penas 0,46% acima da inflação.

Por ser isenta de IR e taxa de administração, a aplicação pode até ganhar alguma competitividade, mas só em comparação com algumas aplicações de renda fixa, como é o caso dos fundos DI e dos CDBs dos grandes bancos, que têm cobrança de IR, taxas de administração altas e oferecem baixa rentabilidade.

Porém, mesmo assim, ela continua apresentando a melhor rentabilidade entre esses ativos.

Por exemplo: se você investir hoje (outubro de 2018) R$10 mil em um CDB do banco Fibra S/A por um período de 4 anos, você lucraria R$963,31 a mais do que se optasse pela poupança no mesmo período de tempo.

Dados de ganhos no CDB do banco fibra S/A

(Dados de 20/09/2018)

Diante deste cenário, a ordem para os poupadores em 2018 é ficar em alerta. Ou melhor, é pensar se não chegou a hora de mudar de investimento.

Para 2019, a previsão é de alta da taxa Selic, que deve ficar em torno de 8% a.a. Com isso, a rentabilidade da poupança também sobe, podendo chegar a 5,6% ao ano.

No entanto, a alta da Selic aumentará os retornos de investimentos atrelados ao CDI e a própria Selic, como é o caso das LCIs, LCAs e do Tesouro Selic, por exemplo.


Simulador da Poupança 

Imagine o seguinte: a economia brasileira continua nos patamares atuais, com a inflação baixa e a taxa de desemprego voltando a subir de maneira lenta (mais devagar do que todos desejam, mas ao menos de forma sustentada).

Com um investimento de R$ 10.000,00, a Poupança deverá obter um rendimento de apenas R$ 1.428,05, nos próximos três anos.

simulador da poupança

(Dados de 19/09/2018)

Porém, se descontarmos a inflação, o rendimento real da caderneta cai para R$1369,64.

Já o Tesouro Prefixado com vencimento em 2021 e que rende 9,57% ao ano, por exemplo, renderá R$ 1.898,42, um lucro para o investidor de R$ 470,37 a mais do que a Poupança sem o desconto da inflação.

tesouro prefixado 2021 simulação
tesouro prefixado 2021 resultado

(Dados de 19/09/2018)


Taxa Selic em 2018 e Previsão para 2019

Selic é sigla para Sistema Especial de Liquidação e de Custódia que surgiu no final da década de 1970. Em 1999, ela se tornou a taxa de juros oficial do país.

Desde julho de 2015, quando a Selic atingiu 14,25%, a taxa sofreu nove cortes devido ao recuo da inflação oficial, medida pelo IPCA. Em julho de 2017,  o recuo foi para 9,25%, fazendo a taxa ir abaixo dos 10% pela 1ª vez em três anos e meio.

A taxa Selic fechou o ano de 2017 a 6,9% ao ano. Em março de 2018, ela caiu para 6,5% a.a, o valor mais baixo desde que foi adotada como a taxa de juros oficial do país, em 1999.

A previsão de economistas do mercado financeiro é de que ela termine o ano no mesmo patamar e que suba para 8% no início de 2019, segundo o Relatório “Focus”, que reúne as opiniões dos maiores especialistas do mercado.

Como recuperar o crescimento da economia tende a ser a prioridade do próximo governo, não será surpresa se nos próximos meses as expectativas continuarem apontando uma Selic baixa em comparação com o primeiro semestre de 2015.


Aniversário da Poupança

Cofrinho de porco com um bolinho do lado.
Ao contrário da poupança, o Tesouro Direto Selic não possui aniversário.

Quem tem ou teve uma caderneta de poupança já deve ter visto em seu extrato a expressão “aniversário da poupança”. Mas do que se trata esse termo?

Imagine que você depositou R$ 100,00 na sua conta poupança no dia 19 de setembro. Com isso, este é o aniversário da sua poupança.

Então, todo dia 19 será creditado o rendimento mensal da aplicação ao total investido na sua conta.

E se no mês seguinte o dia 19 cair em um final de semana ou feriado? O rendimento será creditado no próximo dia útil.

A regra muda apenas se o primeiro depósito tiver sido feito nos dias 29, 30 e 31. Neste caso, o aniversário será no dia 1 do mês seguinte.

Mas o poupador deve estar atento: se o saque for feito antes do dia do aniversário da poupança em um determinado mês, ele acaba perdendo o direito ao rendimento.

Alguns especialistas recomendam fazer todos os depósitos sempre no mesmo dia do mês, pois, dessa forma, fica mais fácil de controlar o valor aplicado, apesar de dar um pouco mais de trabalho.

Alguns bancos permitem que uma mesma poupança tenha várias datas de depósito, oferecendo mais facilidade de resgate, que sempre será a data mais recente. Mas outros obrigam o poupador a abrir poupanças diferentes, uma para cada data.

Com a Selic abaixo de 8,5%, se os poupadores são antigos, os valores são sempre sacados primeiro dos depósitos feitos após o dia 3 de maio de 2012 (data da regra nova da poupança), sendo remunerados com apenas 70% da taxa de juros + a TR.

Caso o saldo não seja suficiente, são sacados também valores dos depósitos antigos, anteriores a mudança da regra da poupança, sendo o poupador remunerado conforme a regra antiga, com 100% da Selic.

Entre os depósitos posteriores a esta data, os débitos são feitos primeiro sobre as parcelas que já fizeram aniversário.

Esta é mais uma desvantagem da poupança em relação a outros investimentos. Não há nenhuma outra aplicação em que o investidor perca todo o lucro por resgatar seu dinheiro numa determinada data.  

A dica principal, portanto, é: sempre pense em opções mais lucrativas.

Se você não quer ficar escravo da data de aniversário da poupança, conheça quais são os investimentos mais rentáveis do que a poupança em 2018 a seguir.


Investimentos Mais Rentáveis Do Que a Poupança

poupanca em 2018 investimentos
Veja alguns ótimos investimentos que batem a poupança facilmente.

Quem investe na Poupança costuma usar muito o argumento da segurança. “Quem põe dinheiro na poupança ganha pouco, mas é um pouco garantido”, dizem.

Realmente, a única certeza que a poupança traz consigo é de que o seu investimento renderá muito pouco.

A verdade é que há outros investimentos tão seguros quanto a poupança, mas com uma rentabilidade muito melhor

Mas antes de escolher um deles, você precisa conhecer suas características, além dos seus objetivos e do seu perfil de investidor. Confira algumas ótimas opções:

Tesouro Direto

Os títulos do Tesouro Direto possuem a mesma segurança que a poupança, mas podem render mais do que ela.  

O Tesouro Direto Selic, por exemplo, é uma ótima opção para quem quer ter mais rentabilidade e a liberdade de resgatar o seu dinheiro a qualquer momento, já que ele possui uma alta liquidez.

Ele é um dos mais populares da renda fixa. Um dos motivos é o seu aporte inicial (R$ R$97,14) que é muito atrativo para o pequeno investidor.

Os títulos públicos, no geral, são bons investimentos para quem quer começar a investir. Alguns de seus pontos mais importantes são:

  1. Baixa volatilidade
  2. Baixo risco
  3. Rentabilidade acima da poupança
  4. Alta liquidez – Resgate em D + 1

E você pode começar a investir agora mesmo, pois a aplicação mínima de diversos títulos do Tesouro Direto é de R$ 30.


CDB

Depois da poupança, os CDBs (Certificados de Depósitos Bancários) são títulos de renda fixa remunerados pela taxa de juros. Eles são investimentos bastante populares, principalmente os de liquidez diária.

O CDB é um investimento onde você empresta um capital ao banco para que ele possa fornecer empréstimos para os seus clientes. E a sua rentabilidade está nos juros que o banco lhe devolve.

Print dos produtos da RICO

CDB de liquidez diária, disponível na Rico no dia 20/09/2018

Vantagens dos CDBs:

Também existem outros CDB’s com maior rendimento para resgate após 90 dias ou mais.

LCI e LCA

Embora sejam títulos de renda fixa, Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) têm, assim como a poupança, isenção do IR e taxa zero.

A diferença entre as Letras de Crédito é o setor em que banco vai aplicar o seu dinheiro, no imobiliário ou no agronegócio.

Seus rendimentos são bem maiores do que os da poupança, já que eles costumam ser de 90 a 96% do CDI.

Suas maiores vantagens são:


Comece a Aplicar Agora para Ter Mais Rentabilidade

Quem diria, no começo de 2016, que a Bovespa estaria acumulando mais de 20% no ano e recordes em 2017?

Além disso, tem Tesouro, renda fixa, renda variável (ações) e fundos… As possibilidades existem para seu apetite por ganhos, seja com um pouco mais de risco ou segurança. Você decide.

O importante é a vontade de buscar uma maior rentabilidade para o seu dinheiro em um cenário de juros baixos, inflação controlada e a economia iniciando uma recuperação.

E nem é preciso muito dinheiro. Com apenas R$ 30,00 já é possível entrar numa das melhores aplicações. O importante é investir com frequência, pois assim o seu patrimônio realmente poderá crescer no futuro.

Poupança em 2019

O rendimento da poupança em 2018 pode ser facilmente superado por outros investimentos. E esse cenário tende a continuar em 2019.

Então, deixar o seu dinheiro parado na caderneta de poupança pode não ser um bom negócio, principalmente a longo prazo

A previsão é de que a Selic suba para 8% no ano que vem. Dessa forma, o rendimento da poupança continuará sendo 70% da taxa Selic + TR. Ou seja, ele será de 5,6%. 

Mas não esqueça que esse valor inclui a variação da inflação, não sendo o seu ganho real. 

Conclusão

Mesmo sendo um investimento popular, a Poupança é uma péssima maneira para se obter riqueza no longo prazo em comparação com investimentos seguros e garantidos pelo governo, por exemplo.

Ainda que a Selic esteja em baixa, é possível apostar em outros investimentos, como os ativos de crédito privado, para ter um bom rendimento. O Tesouro Selic e um CDB de liquidez diária, por exemplo, são boas aplicações na carteira de qualquer investidor. 

Afinal, tratam-se de investimentos seguros e com muita liquidez, perfeitos para construir reservas de emergência.

Porém, antes de optar por um deles, conheça suas características e utilize o nosso simulador na área logada. Assim, você saberá exatamente quanto o seu dinheiro renderá se ficar aplicado até a data de vencimento de determinado título.

Leia esses outros artigos completos do nosso blog para continuar aprendendo:

Quem apostar na poupança em 2018 terá problemas para manter a rentabilidade da caderneta. Com isso, é importante que você se posicione desde já em relação às oportunidades mais interessantes de investimento.

Em 2018, a Rico foi eleita a melhor corretora de valores para o pequeno investidor. Isso aconteceu porque oferecemos os melhores custos-benefícios do mercado. E claro, uma grande variedade de conteúdo educacional seja no blog, chat, YouTube ou InvesTV.

Gostou do texto? Então deixe um comentário e então poderemos ajudá-lo com possíveis dúvidas.

Bons investimentos!


setembro 28, 2018

Simulador de poupança: Calcule rendimentos e compare

Compartilhar:  

Muitas pessoas optam por deixar suas economias na poupança por falta de conhecimento sobre outras opções melhores do que a caderneta.

Mas você já usou um simulador de poupança para calcular qual é o seu rendimento real?

Simular aplicações é fundamental para saber o que é mais vantajoso para seu perfil.

O rendimento da poupança varia de acordo com a taxa Selic e da TR (Taxa Referencial). Porém, dependendo do banco, também pode haver remuneração adicional.  

Nesse artigo você vai:

  • Entender como funciona o rendimento da poupança hoje
  • Saber como usar o simulador de poupança para fazer o cálculo de rendimento e comparar os melhores investimentos
  • Descobrir como escolher o melhor investimento de renda fixa para sair da poupança

Boa leitura!

Quer aprender a investir com segurança e boa rentabilidade? Então, acesse o guia completo que fizemos para você!


Como Funciona o Rendimento da Poupança Hoje

O rendimento da poupança é definido de acordo com a taxa Selic, que é a taxa básica de juros, e da variação da TR (Taxa Referencial)

Dependendo do banco, também pode existir uma remuneração adicional. 

 A taxa de rentabilidade da poupança é calculada da seguinte forma:

  • Caso a taxa Selic esteja maior que 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será de 0,5% ao mês + TR (Taxa Referencial)
  • Se a taxa Selic estiver menor ou igual a 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será de 70% da Selic + TR (Taxa Referencial)

Essa regra foi estabelecida em 2012 pelo Governo Federal, e o resultado foi a diminuição da atratividade da poupança.

Atualmente, a taxa Selic está a 6,50% ao ano. Ou seja, o rendimento da poupança é de 70% da taxa básica de juros + TR, que por sua vez, está em 0% (dados de setembro de 2018, Banco Central do Brasil)

Com isso, a rentabilidade anual da poupança hoje está em torno de 4,55%.

Clique e abra sua conta na Rico

Use o Simulador de Poupança Para Fazer o Cálculo de Rendimento

Antes de investir em qualquer tipo de ativo, é importante que você simule o retorno que ele trará para você na data de vencimento. Com a poupança não é diferente.

Então, independente do valor que esteja pensando em poupar, utilize o simulador! Assim, você terá certeza se essa é a melhor opção para você.

No site da Rico você pode usar o simulador de poupança para descobrir quanto o seu dinheiro vai render.

Vamos mostrar alguns exemplos de cálculos com dados de Setembro de 2018:

1. Quanto rende 5 mil reais na Poupança 

Se hoje você depositar R$5 mil na poupança hoje, em 5 anos o seu dinheiro terá rendido R$1.245,83, baseado na rentabilidade histórica.

Ou seja, no final desse período você resgataria R$6.245,83.

Print de um simulador de poupança

Dados de 07/09/2018

2. Quanto rende 20 mil reais na Poupança

Caso você esteja pensando em alocar R$20 mil na poupança, no final de 5 anos o seu capital terá rendido R$4.983,32, baseado na rentabilidade histórica.

Assim, você resgataria R$24.983,32.

Print de um simulador de poupança

Dados de 07/09/2018

3. Quanto rende 50 mil reais na Poupança

Se o seu objetivo for investir R$50 mil na poupança, ao final de 5 anos, o montante disponível para ser resgatado será de R$62.458,30, baseado na rentabilidade histórica.

Ou seja, sua rentabilidade teria sido de R$12.458,30.

Print de um simulador de poupança

Dados de 07/09/2018


Simulador de Poupança: Compare os Melhores Investimentos

O rendimento da poupança é um dos menores entre todas as opções existentes. Essa afirmação é baseada em dois fatores:

1 – Na comparação com outros ativos que oferecem a mesma segurança;

2 – Quando consideramos que a poupança pode render menos do que a inflação. Ou seja, o poder de compra do seu dinheiro acaba diminuindo em vez de crescer.

Para mostrar a você que existem investimentos tão seguros quanto a poupança e mais vantajosos do que ela, utilizamos o nosso simulador para comparar as rentabilidades na prática.

As opções utilizadas foram baseadas em ativos disponíveis no mês de setembro de 2018, e podem variar de acordo com a disponibilidade.

Poupança ou Tesouro Prefixado 2025

Devido aos últimos cortes dos juros da economia, os rendimentos da renda fixa tiveram uma queda.

Com isso, muitas pessoas têm se questionado entre investir na poupança ou nos títulos do Tesouro Nacional.

Ao utilizar o simulador de poupança, você consegue observar a diferença entre suas rentabilidades.

O Tesouro Prefixado, por exemplo, pode ser um ótimo produto para você migrar da poupança. Em 2017, o prefixado 2023 teve rendimento de 19,13% (fonte), contra 6,93% da poupança (fonte).

Além disso, ele é uma ótima maneira de diversificar a sua carteira, com baixo risco e ganhos acima do CDI.

Ao investir no Tesouro Prefixado, você terá uma rentabilidade fixa, sabendo exatamente quanto vai receber no dia do resgate. Com isso, as movimentações do mercado não afetarão o seu título.

Então, se você investisse R$5 mil hoje na poupança, deixaria de ganhar R$2.119,30 em comparação com a rentabilidade do Tesouro Prefixado.

Print de um simulador de poupança
Print de um simulador de poupança
Dados de 07/09/2018

Poupança ou Tesouro IPCA+ 2035

Hoje, o Tesouro IPCA+ 2035 está rendendo 5,88% + IPCA ao ano. (dados de 07/09/18 no site do Tesouro Direto).

Com isso, se você investir R$5 mil nesse ativo e manter a sua aplicação até a data de vencimento, você poderia resgatar R$21.827,97 contra R$ 16.538,91 da poupança.

Print de um simulador de poupança

Dados de 07/09/2018

Poupança ou CBD

Certificados de Depósito Bancário costumam possuir rentabilidades atraentes acima do CDI, o que os torna uma excelente alternativa à poupança.

Esse tipo de ativo é indicado tanto para iniciantes, por sua simplicidade, quanto para investidores mais experientes.

Ele também é ótimo para quem quer começar uma carteira ou diversificá-la a curto, médio ou longo prazo.

Então, se você quiser investir R$5 mil em um período de 3 anos, no final desse tempo você poderia resgatar R$5.714,02 caso tivesse optado pela poupança, e R$6.069,95 se tiver investido no CDB do Omni Banco S.A que, no momento, rende 121% do CDI, por exemplo.

Print de um simulador de poupança
Print de um simulador de poupança
Dados de 07/09/2018

Poupança ou Letra de Crédito

As Letras de Crédito do Agronegócio e Imobiliária são maneiras de capitalizar esses segmentos com dinheiro de investidores.

Além disso, esses títulos são incentivados pelo governo. Isso significa que são isentos de Imposto de Renda.

Então, por exemplo, ao investir R$10 mil em uma LCI que rende 95% do CDI, ao final de dois anos você poderá resgatar R$11.246,32. Ao alocar o mesmo valor durante o mesmo período na poupança, seu dinheiro poderia render R$315,62 a menos.

Print de um simulador de poupança
Dados de 07/09/2018

Simule seus investimentos agora no nosso simulador


Como Escolher o Melhor Investimento de Renda Fixa Para Sair da Poupança

Uma pessoa mexendo no notebook que está sobre uma mesa, em referência ao simulador de poupança
Aprenda a escolher o melhor investimento para você.

Se você está procurando um investimento com a mesma segurança da poupança, mas com uma rentabilidade maior, você precisa saber como escolher os ativos que se encaixam melhor no seu perfil e nas suas necessidades.

1. Defina seu perfil de investidor  

Antes de mais nada, você precisa saber qual é o seu perfil de investidor, a fim de escolher o investimento mais rentável do momento.

Você pode ser classificado como conservador, moderado ou agressivo (também chamado de arrojado).

De maneira geral, o seu perfil é definido conforme a sua tolerância a correr riscos, com base em algumas características específicas.

Aqui na Rico, ao abrir a sua conta, tudo o que você precisa fazer é responder a algumas perguntas após o seu login na plataforma de investimentos para ter acesso a uma análise do seu perfil de investidor.

As seguintes informações serão analisadas:

  • Idade
  • Situação financeira (renda e patrimônio)
  • Conhecimento do mercado
  • Tolerância a riscos
  • Seus objetivos

Com isso, você receberá indicações de onde investir o seu dinheiro com segurança. E da maneira mais adequada para o seu perfil.

2. Saiba quais são seus objetivos

Para escolher o melhor investimento da renda fixa, você precisa, antes de mais nada, definir quais são os seus objetivos. Com isso, você consegue se manter motivado durante a sua jornada de investidor, além de escolher as melhores opções.

Para definir suas metas, você precisa fazer um planejamento, em um papel ou através de planilhas.

Trace todos os passos que você precisa seguir para que as suas metas sejam realizadas. Se o seu sonho é fazer um mochilão pela Europa, por exemplo, você pode fazer o seguinte planejamento:

  1. Tirar passaporte e visto
  2. Aplicar R$ 700 por mês para cobrir os custos da viagem
  3. Fazer trilhas aos finais de semana para melhor a sua resistência

Viu como realizar um planejamento torna a sua meta mais concreta?

Clique e abra sua conta na Rico

3. Qual o prazo?

Depois de definir os seus objetivos, você precisa separá-los conforme o tempo para a sua realização: curto, médio e longo prazos. Se for possível, determine uma data específica para a conclusão de cada um deles.

Caso você queira melhorar o desempenho e aumentar o foco da sua lista, escolha cinco metas para cada um dos prazos. Assim, será muito mais fácil se organizar e alcançar todas elas.

4. Você já possui uma reserva de emergência?

Uma reserva de emergência nada mais é do que um valor que deve ser investido em ativos de curto prazo e de alta liquidez. Assim, você consegue resgatar o seu dinheiro rapidamente em casos de emergência.

Além disso, o seu capital continua rendendo enquanto você não precisa dele.

A poupança, na maioria das vezes, rende menos do que os investimentos da renda fixa. O seu rendimento, inclusive, pode acabar ficando abaixo da inflação, apresentando resultados negativos.

Então, se você quer se proteger de possíveis emergências contando com uma boa rentabilidade, opte por ativos da renda fixa, como:

  • Tesouro Selic;
  • Fundos de Renda Fixa que possuem prazo de resgate D+0 e D+1;
  • CDBs com liquidez diária que rendam 100% do CDI.

Um ponto importante dos ativos citados acima, é que todos eles rendem no mínimo a taxa Selic.

Com isso, a rentabilidade da sua reserva de emergência vai variar de acordo com os movimentos da economia.

Para criar a sua reserva, basta abrir uma conta 100% gratuita aqui na Rico com taxa zero para todos os títulos de renda fixa

É importante que o seu fundo de emergência tenha o valor equivalente a pelo menos seis meses do seu custo familiar.

Ou seja, se você precisa de R$2 mil para se manter por mês, a sua reserva precisa ter no mínimo R$12 mil. Mas não se preocupe, você não precisa investir esse valor todo de uma só vez.

Por exemplo: você pode se programar para investir R$800,00 em 15 aplicações mensais seguidas.

Dessa forma, você já consegue ter um bom rendimento, ao aproveitar os juros compostos.

Uma reserva financeira deve ser utilizada apenas em momentos extraordinários, como custos médicos e reformas emergenciais da casa, por exemplo.

Mas quem define o que é uma emergência é você. Então, pratique sempre a paciência e o autocontrole.

5. Diversifique os seus investimentos

A diversificação de investimentos diminui os riscos e maximiza os seus ganhos.

Essa estratégia se baseia em alocar o seu capital em diversos ativos financeiros, fazendo com que o desempenho negativo não signifique perdas na carteira.

É importante que você domine esse conceito, já que, em menor ou maior grau, investir envolve riscos.

6. Entenda a diferença entre investir por corretora e banco

Investir por corretora de valores e por bancos não é a mesma coisa. A principal diferença é a rentabilidade final da sua carteira de ativos, que costuma ser menor nos bancos.

Isso acontece porque os bancos tendem a possuir menos opções de investimentos, especialmente para quem não possui tanto dinheiro para investir, o que não costuma acontecer nas corretoras.

Outra diferença está nas taxas cobradas. Os bancos precisam arcar com agências físicas e uma estrutura grande, cobrando valores extras dos seus investidores.

Já nas corretoras acontece o oposto. Na maioria das vezes elas operam de maneira completamente online. Por isso, os custos relacionados às aplicações costumam ser menores. 

Qual a Diferença de Investir por Corretoras de Valores e Banco?


Comece Agora a Investir Com a Rico

Se você quer começar a investir agora mesmo, basta abrir uma conta na Rico! Esse é um processo muito simples e rápido. A primeira coisa que você precisa fazer é acessar a nossa página de cadastro.

Depois, é só inserir os seus dados pessoais, como nome, renda mensal e data de nascimento.

A última etapa é a criação do seu login e senha. Então, basta enviar o seu cadastro e aguardar o e-mail de confirmação.

Na Rico você abre a sua conta sem qualquer custo. Isso mesmo, é tudo 100% gratuito!

Além disso, se todos os seus dados estiverem corretos, é possível começar a investir já no mesmo dia.

Que tal começar agora mesmo?


Conclusão

Como você pôde conferir os cálculos no nosso simulador de poupança, o rendimento da caderneta é estabelecido conforme as variações da taxa Selic e da TR (Taxa Referencial).

A sua rentabilidade é calculada da seguinte maneira:

  • Quando a taxa Selic está maior que 8,5% ao ano, o rendimento da poupança é de 0,5% ao mês + TR
  • Quando a taxa Selic está menor ou igual a 8,5% ao ano, o rendimento da poupança é de 70% da Selic + TR

Atualmente, o rendimento da poupança está atrelado à segunda regra girando em torno de 4,55%, já que a taxa Selic está a 6,5% ao ano.

Porém, diversos investimentos superam a rentabilidade da poupança, como:

Em 2018, a Rico foi eleita a corretora de valores que oferece o melhor custo-benefício aos seus clientes, principalmente em relação aos custos e à segurança da plataforma.

Então, tudo o que você precisa fazer para começar a investir agora mesmo é abrir uma conta aqui na Rico!

Clique e abra sua conta na Rico

Esse artigo foi útil para você? Então deixe o seu comentário logo abaixo com dúvidas ou sugestões. 

Obrigado por ler até aqui! 


setembro 21, 2018

Taxa de Juros da Poupança em 2018 e 5 Investimentos Mais Rentáveis

Compartilhar:  

Você sabia que a taxa de juros da poupança corresponde a apenas 70% da Selic?

A taxa de juros da poupança em 2018 está cada vez menos atrativa.

Mesmo considerando a baixa rentabilidade, ainda existem muitas pessoas que investem o seu dinheiro nesta aplicação.

Você é uma delas? Então, não deixe de ler esse texto até o final. 

No passado, a caderneta de poupança era considerada um ótimo meio de poupar dinheiro e formar patrimônio. No entanto, desde o final dos anos 90, a realidade não é mais essa.

Em 2012, o governo reformulou a taxa de juros da poupança, comprometendo ainda mais os rendimentos.

No cenário atual, em que os juros da economia estão em baixa, como poupador, é necessário saber por que não vale a pena deixar o seu dinheiro nesta aplicação.

Se você quer ganhar dinheiro de verdade, mas não sabe quais são os melhores investimentos, vamos ajudá-lo!

Neste artigo, você vai entender como funciona o rendimento da poupança e onde começar a investir para atingir os seus objetivos:

  • O que é a taxa de juros da poupança?
  • Qual é a taxa de juros da poupança neste ano?
  • Como funciona o cálculo da taxa de juros da poupança?
  • A poupança e a taxa Selic em 2018;
  • Simulador de rendimento da poupança;
  • As melhores opções para investir e ganhar dinheiro.

Se tiver qualquer dúvida, não esqueça de deixar um comentário no final da página.

Boa leitura!

O Que é a Taxa de Juros da Poupança?

taxa de juros poupanca o que e

A caderneta foi ajustada para acompanhar a economia brasileira

A taxa de juros da poupança representa a rentabilidade que esta aplicação oferece ao poupador. Ela é repassada mensalmente, e a sua forma mais conhecida é o rendimento anual.

Em 2012, o governo estabeleceu o reajuste da rentabilidade da caderneta, visando que esta acompanhe melhor o cenário da economia brasileira.

De acordo com esta regra, a taxa de juros da poupança é calculada de duas formas:

  • Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, o rendimento mensal será de 0,5% + TR (Taxa Referencial).
  • Com a taxa Selic abaixo de 8,5% ao ano, a taxa de juros anual da poupança será de 70% da Selic + TR.

Qual é a Taxa de Juros da Poupança Hoje? [2018]

Na reunião de setembro de 2018, o Copom manteve a taxa Selic, hoje em 6,50% ao ano. (dados de 19/09/2018).

Diante disso, a taxa de juros da poupança está em 70% da taxa Selic. Em termos práticos, significa que a rentabilidade está em torno de 4,55% ao ano. Isso porque a variação da TR (taxa referencial) está em 0% desde 2017.

Se você já acha que este rendimento é pequeno, vamos analisá-lo em termos de ganho real: ao considerar o IPCA acumulado atual, que é de 2,94% ao ano, a diferença é de apenas 1,61% (dados de Julho de 2018).

Então, o dinheiro depositado na poupança trará um retorno efetivo inferior a 2,0% no ano todo. Isso mostra que deixar as suas economias na caderneta não é um bom negócio. 

Principalmente visto que a expectativa do mercado é de que os juros continuem baixos por um longo tempo. Até lá, você colherá apenas retornos magros. 

Enquanto isso, há investimentos que rendem muito mais. Nos próximos tópicos, vamos mostrar onde você pode investir o seu dinheiro para começar a ter retornos mais satisfatórios. 

Antes, no entanto, vamos entender um pouco melhor a taxa de juros da poupança:

Como Funciona o Cálculo do Rendimento da Poupança?

taxa de juros da poupanca como funciona

O rendimento mensal da caderneta é de apenas 0,38%

A taxa de juros da poupança representa o ganho anual que ela paga aos poupadores. Os rendimentos são acrescidos ao montante todos os meses, no entanto.

O dia em que você recebe as remunerações é no aniversário da aplicação. Por exemplo, se a abertura foi em 20 de abril, o recebimento será todo dia 20. 

Esta é outra desvantagem da poupança. Se você solicitar o resgate antes deste prazo, os rendimentos do período não serão acrescidos. 

Além disso, quando são feitos depósitos em datas diferentes, os retornos são repassados no aniversário deles. Isso acaba gerando fluxos de rentabilidade desencontrados.

Se hoje a taxa de juros da poupança é de 4,55% ao ano, a taxa mensal fica em torno de 0,38% ao mês. É muito pouco, não é?

Por isso, que reiteramos que este é o melhor momento para você deixar a caderneta e buscar alternativas mais rentáveis. 

Entenda mais sobre como calcular o rendimento da Poupança

Simulador de Rendimento da Poupança em 2018

Agora que você já conhece a taxa de juros da poupança, tanto a anual quanto a mensal, vamos ver como ela funciona na prática.

Para isso, podemos utilizar o Simulador de Investimentos da Rico.

Ao investir R$ 1 mil na caderneta, no período de dois anos, veja quanto seu dinheiro vai render:

taxa de juros poupanca 1 mil

Rendimento da taxa de juros da poupança em dois anos – Tela capturada em 21/08/18

Ao considerar o CDI acumulado, que está em 6,39%, a poupança paga um pouco mais da metade deste índice. Com um investimento com taxa de rentabilidade de 100% do CDI, por sua vez, o retorno destes R$ 1 mil seria de R$ 1.127,80. 

Então, a diferença é de R$ 34,73.

Se ao invés dos R$ 1 mil, o montante fosse de R$ 10 mil, os resultados serão de R$ 10.930,70 para a poupança e R$ 11.278,00 para um investimento que paga 100% do CDI.

taxa de juros poupanca 10 mil

Simulação da taxa de juros da poupança – Tela capturada em 21/08/18

Com o investimento com taxa de 100% do CDI, você ganhou R$ 348,00 a mais nos mesmos dois anos.

Esta diferença pode ser o valor que falta para você realizar aquele sonho, como dar entrada em um carro ou um intercâmbio

Opções Melhores Que a Poupança Para Investir

taxa de juros poupança investimentos melhores

Conheça 5 investimentos incríveis e que superam a taxa de juros da poupança

Como sabemos, poupar e deixar o consumo imediato em prol da realização de um objetivo não é nada fácil. 

Quando esse esforço não é bem recompensado, a primeira coisa que vem à cabeça é: “Por que o meu dinheiro rende tão pouco?”. A segunda é: “Será que tem algum jeito de ganhar mais?”

Então, para conseguir um montante maior, existem duas alternativas: aumentar os seus ganhos ou investir. 

A primeira opção é a mais simples: você pode pedir um aumento salarial, conseguir uma segunda fonte de renda ou mudar de emprego. No entanto, isso nem sempre é possível.

Investir é a maneira mais rápida e assertiva para fazer o seu dinheiro crescer. Os investimentos são como aceleradores: eles permitem que você atinja os seus objetivos antes do imaginado. 

Ao contrário da poupança, os investimentos costumam ter rendimentos atrativos. E o melhor, se feitos da maneira correta, podem ser tão seguros quanto ela.

Acredite: a história de que os ativos não são confiáveis já é coisa do passado. 

Para abandonar a caderneta de vez, listamos 5 investimentos mais atrativos do que a poupança.

Comece a investir e veja seu dinheiro render de verdade, começando agora. Confira: 

1 – CDB

O CDB (Comprovante de Depósito Bancário) é um dos investimentos de renda fixa mais conhecidos. Ele é emitido pelos bancos e os rendimentos podem seguir duas modalidades: prefixados ou pós-fixados. 

As taxas prefixadas, como o nome já diz, são fixas. Por exemplo, de 12% ao ano. Neste caso, você receberá exatamente estes 12% até a data do vencimento, independentemente do mercado. 

Elas são ideais para quem acredita que os juros da economia cairão durante o prazo de investimento.

Outra grande utilidade deste tipo de investimento é atingir um valor já determinado no futuro. 

Com um CDB prefixado, você não tem surpresas no dia do resgate. No momento da compra, já sabe exatamente quanto o seu dinheiro vai render. 

As pós-fixadas, por sua vez, estão atreladas aos indexadores da economia, como o CDI e o IPCA. Um exemplo seria uma taxa de 8,0% + IPCA.

Como estão sujeitos à estas variações, os rendimentos também oscilam até a data do vencimento. 

De maneira geral, quando o indicador sobe, a rentabilidade do CDB pós-fixado também sobe. São indicados, portanto, para os investidores que querem seguir o benchmark da renda fixa, que é o CDI.

Investimentos que possuem rendimento atrelado ao IPCA são recomendados para proteger o dinheiro da inflação e manter o poder de compra no futuro. 

Além da rentabilidade atrativa, o CDB possui a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para valores de até R$ 250 mil. Caso o emissor quebre, você não perde o dinheiro investido.

2 – Fundo de Renda Fixa

Com a queda de juros, os Fundos de Investimentos estão em expansão. Em 2017, a captação cresceu em 414% em relação a 2016. Os Fundos de Renda Fixa captaram cerca de R$ 57,6 bilhões.

De acordo com a CVM, este ativo deve possuir, no mínimo, 80% do patrimônio em títulos de renda fixa. Os demais 20% podem ser alocados em derivativos.

Por isso, o Fundo de Renda Fixa costuma ser considerado um investimento conservador. Sem contar que ele conta também com gestão profissional. Assim, é possível ter resultados acima de 100% do CDI

Se você não tem muito tempo disponível para acompanhar o mercado, este ativo pode ser uma boa alternativa para ganhar mais que a poupança.

Antes de investir, tenha em mente que o Fundo de Renda Fixa não possui a cobertura do FGC. Então, se o emissor quebrar, você corre o risco de perder o dinheiro aplicado. 

3 – LCI

A LCI é a Letra de Crédito Imobiliária. O seu funcionamento é semelhante ao CDB, mas há diferenças bem interessantes. A primeira delas é o foco de investimento.

Ao investir o seu dinheiro nesta aplicação, você ajuda a financiar as atividades e o crescimento do setor imobiliário. Por isso, ela costuma ser indicada para a diversificação da carteira.

Outra diferença é a isenção de tributos. Além de superar a taxa de juros da poupança, os rendimentos vêm diretamente para o seu bolso. 

LCI - Letra de crédito imobiliária

A LCI é uma opção excelente para diversificação de carteira.

Com os juros mais baixos, a renda fixa sofreu alguns impactos na rentabilidade. Se você quer ganhar mais e de forma muito segura, a LCI pode ser uma excelente alternativa. 

4 – Fundos DI

Os Fundos DI vêm de outra categoria: os Fundos de Investimentos. Eles voltaram ao radar dos investidores devido sua taxa de rentabilidade. 

Basicamente, são carteiras compostas por, no mínimo, 95% de títulos públicos atrelados à taxa Selic. Como ela é muito próxima ao CDI, os rendimentos seguem este benchmark.

Mesmo sem a garantia do FGC, os Fundos DI podem ser considerados como investimentos de baixo risco, visto que os ativos do portfólio são emitidos pelo governo. 

Então, se você quer ter bons rendimentos e contar com gestão profissional, este ativo pode ser um grande aliado. 

5 – Tesouro Selic

Ao falar de renda fixa, não poderíamos deixar o Tesouro Selic de fora desta lista. Ele é um título público emitido pelo governo. Por isso, este ativo é muitas vezes considerado o investimento mais seguro do país. 

Os rendimentos são de 100% da taxa Selic. Portanto, este papel sempre apresenta rentabilidade positiva, e cresce continuamente. 

Além disso, o Tesouro Selic possui baixa volatilidade. Se você precisar do dinheiro antes do prazo de vencimento, as perdas são pequenas. 

O Tesouro Selic também possui liquidez diária. Ou seja, ao solicitar o resgate, os valores estarão disponíveis no próximo dia útil. 

Graças a essas vantagens, o Tesouro Selic costuma ser uma ótima alternativa para todas as carteiras. Afinal, ele pode ser facilmente adaptado para diferentes objetivos, como aposentadoria, montar um fundo de emergência ou trocar de smartphone. 

Conclusão

taxa de juros poupanca conclusao

Abandone a caderneta e invista em renda fixa para ganhar mais!

Existem investimentos que podem superar a caderneta de poupança.

Em agosto de 2018, os seus rendimentos estão em torno de 4,55% ao ano, contra 6,39% do CDI.

Então, ao deixar o seu dinheiro nessa aplicação, você perde quase a metade que um investimento de renda fixa poderia pagar. 

As projeções do mercado apontam para mais uma redução da taxa Selic em setembro de 2018. Os juros também devem continuar baixos por um longo tempo. 

Então, este é o melhor momento para abandonar a poupança e procurar por alternativas que tragam rendimentos reais, como os CDBs e os Fundos de Investimentos. 

Neste cenário, você também pode optar pelas aplicações livres de tributos. Por exemplo, a LCI. Ela tende a superar a taxa de juros da poupança e os lucros vêm direto para o seu bolso.

Outra alternativa de investimento é o Tesouro Selic. Ele tem rendimento de 100% do CDI e liquidez diária. Com ele, não é preciso esperar o aniversário da aplicação ou arcar com perdas significativas no rendimento. 

Para fazer o seu dinheiro render de verdade e realizar os seus objetivos, o primeiro passo é abrir a sua conta na Rico! Aqui, você vai encontrar as melhores alternativas para investir com rentabilidade e segurança.

Continue aprendendo sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

Nova call to action