setembro 23, 2021

CVM: entenda tudo sobre a Comissão de Valores Mobiliários  

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM)  é uma entidade autárquica que organiza e disciplina o mercado financeiro, conciliando interesses. 

Encontrar a sigla CVM é muito comum quando se estuda formas de investir dinheiro. 

Se está começando agora a sua jornada por esse universo, é essencial conhecer o significado da Comissão de Valores Mobiliários, suas atribuições e a sua importância para o mercado. 

E mesmo se já tem alguma experiência, deve ver o órgão como uma importante fonte de proteção ao seu capital. 

A instituição é tradicional e atua há mais de quatro décadas para estimular o mercado, ao mesmo tempo que assegura aos investidores a regulamentação do processo. 

Muito conhecida, sua sigla é uma das mais famosas quando falamos em investimentos. 

Continue lendo para saber mais sobre mais sobre a comissão, suas ações e sua importância. 

Estes são os tópicos que vamos abordar no conteúdo: 

  • O que é CVM? 
  • O que são os valores mobiliários? 
  • Quais são as atribuições da Comissão de Valores Mobiliários? 
  • Entenda como a CVM é composta 
  • Qual a importância da CVM 
  • Como consultar uma empresa na CVM? 
  • Afinal, quem fiscaliza a CVM? 
  • Perguntas frequentes sobre a CVM. 

Boa leitura! 

O que é CVM?

Mulher senta em na mesa da cozinha, em um  fundo neutro, mexendo no notebook aprendendo sobre CVM com a Rico

A CVM é a sigla utilizada para Comissão de Valores Mobiliários, que atua de forma a regulamentar o mercado financeiro, conciliando interesses de investidores e empresas de capital aberto.  

A autarquia atua em regime especial, vinculada ao Ministério da Economia (antigo Ministério da Fazenda) é administrada de maneira autônoma, contando inclusive com patrimônio próprio e é  considerada juridicamente independente. 

A instituição foi fundada em 1976 por meio da Lei nº 6.385, de 07 de dezembro, com o objetivo de fiscalizar, desenvolver e regular o mercado de valores mobiliários no país. 

Desde sua fundação, a comissão mantém sede no Rio de Janeiro (RJ) e é administrada por um presidente e quatro diretores nomeados pela Presidência da República. 

Juntos, os cinco executivos formam o colegiado que discute e firma as políticas econômicas e financeiras que devem ser desenvolvidas pelo órgão. 

Recentemente, em 2013, a CVM passou por uma grande e importante reformulação de sua estratégia institucional. 

O objetivo foi atualizar suas políticas e lançar um novo plano estratégico, reafirmando assim seus valores. 

O que são os valores mobiliários?

Como o nome indica, a comissão tem autoridade sobre os valores mobiliários do mercado. 

Quando falamos em valor imobiliário, estamos nos referindo a um título de propriedade ou crédito adquirido por um investidor no mercado

Também conhecidos como títulos financeiros, eles podem ser emitidos tanto por órgãos públicos quanto por instituições privadas. 

Dentre das possibilidades para o investidor, podemos citar: 

  • Ações 
  • Bônus de subscrição 
  • Notas comerciais 
  • Certificados de depósitos de valores mobiliários 
  • Títulos que gerem direitos de participação ofertados publicamente 
  • Cupons cambiais 
  • Contratos futuros 
  • Contratos derivativos 
  • Cédulas de debêntures.  

Apesar de todos esses serem valores mobiliários, é preciso lembrar que cada título tem características e regras próprias

Em 31 de outubro de 2001, uma alteração proposta pela Lei Nº 10.303 trouxe a inclusão de quaisquer títulos ou contratos de investimento coletivo dentro da categoria valores mobiliários. 

A mudança sancionada em 2001 não inclui, porém, títulos de Tesouro Direto, títulos de dívida pública (municipal, estadual ou federal) e títulos cambiais de instituições financeiras. 

Quais são as atribuições da Comissão de Valores Mobiliários

Assim como qualquer outra entidade autárquica, a Comissão de Valores Mobiliários tem suas atribuições delimitadas por lei

Responsável pela fundação da CVM, a Lei 6.385/1976 sofreu alterações posteriores até chegarmos ao que temos hoje. 

A partir das atribuições da comissão, fica mais fácil entender a importância da entidade na formatação de um mercado tão grande e sofisticado quanto é o brasileiro. 

Estimular o mercado 

A primeira atribuição da Comissão de Valores Mobiliários mencionada no Portal do Investidor, mantido pelo Governo Federal, é estimular a formação de poupança e sua aplicação em valores mobiliários

A poupança, aqui, se refere ao ato de poupar e não à famosa caderneta, que hoje é uma das aplicações de menor rendimento do mercado

Esse esforço da CVM é fundamental para criação de um mercado nacional sólido, pois estimula as pessoas a investir. 

Também a comissão busca promover a expansão e o funcionamento eficiente do mercado de ações, atuando na regulação dos mercados de bolsa e de balcão. 

Proteger o investidor 

Estimular o desenvolvimento do mercado exige também medidas para garantir a segurança financeira do investidor. 

Por isso, a CVM trabalha também no sentido de fiscalizar emissões irregulares de valores mobiliários. 

A Comissão está alerta para detectar atos ilegais por parte de administradores e acionistas de companhias abertas ou gestores de carteiras e fundos de investimento

Para garantir a transparência, existe uma ênfase na divulgação e no uso de informações relevantes. 

Por exemplo, é exigida a divulgação adequada das informações relevantes sobre a empresa por trás do investimento. 

Como órgão de referência para o mercado, a Comissão de Valores Mobiliários se preocupa em ir além em seu controle de fraudes

Para isso, seus agentes trabalham para evitar ou coibir manipulações de dados que têm como objetivo criar condições artificiais de demanda, oferta ou preço para, assim, se beneficiar de maneira ilegítima. 

Observância do mercado 

Os valores defendidos pela CVM têm a intenção de garantir condições para observância do mercado, assegurando, para isso, o acesso do público a informações sobre os valores mobiliários negociados e as companhias que os tenham emitido. 

Essa iniciativa tem um enorme peso para trazer ainda mais transparência ao contexto financeiro. 

A observância também é garantida por meio da fiscalização das práticas comerciais, garantindo que as empresas atuem de maneira equitativa na gestão de valores mobiliários. 

De maneira geral, a CVM trabalha para fiscalizar todas as empresas e operadores do mercado, cuidando para que as condições de crédito fixadas pelo Conselho Monetário Nacional sejam respeitadas. 

Entenda como a CVM é composta

Mulher sentada no sofá tomando chá, mexendo no computador aprendendo sobre CMV com a Rico

A Comissão de Valores Mobiliários tem sua administração conduzida pelo Colegiado CVM, um conselho composto por quatro diretores e o presidente. 

Como comentamos antes, esses cinco cargos são escolhidos pelo Presidente da República e, antes de assumir, os indicados devem passar pela aprovação do Senado Federal

Bastante complexos, os cargos exigem profissionais de alto nível de capacitação e familiarizados com o mercado de capitais

Qual a importância da CVM?

Tendo como finalidade disciplinar e fiscalizar o mercado de valores mobiliários, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) atua guiada por seus valores, para fomentar o desenvolvimento de investimentos e a proteção dos investidores.  

Ao regular as atividades do setor financeiro, a CVM garante melhores condições para quem investe no Brasil. 

A regulação proposta acaba também estimulando o mercado, pois evita situações de monopólio e garante que uma empresa não se exceda e crie condições de concorrência desleal. 

O desenvolvimento proposto pela comissão acaba diminuindo as burocracias para investir. 

É algo que, no fim, incentiva a entrada de um número maior de investidores no mercado financeiro.  

A segurança não é garantida apenas pela fiscalização, mas também pela divulgação de informações sobre o mercado. 

Como consultar uma empresa na CVM?

Dentre os valores da CVM, a transparência tem uma enorme importância como forma de garantir mais segurança para o investidor brasileiro

Para garantir a concretização desse ideal de um mercado mais transparente, a entidade disponibiliza serviços para consulta de informações a respeito de empresas, operadores autônomos e gestores de fundos de investimento. 

No portal, existe um extenso arquivo de referência para consulta sobre esses agentes. 

Para acessar o banco de dados, basta visitar o site da CVM e buscar no canto direito da tela inicial em “entrar”.  

A pesquisa pode ser feita pela razão social ou denominação comercial da organização participante, pelo número do CNPJ ou CPF – como mostra a imagem abaixo: 


“Imagem capturada no dia 09/09/2021 no site da Comissão de Valores imobiliários” 

Depois de preencher os dados que você tiver a respeito do cadastro , o portal mostra os resultados correspondentes. 

Ao selecionar a companhia, você pode então saber qual a situação daquela empresa junto à comissão, a data e a categoria do registro. 

Afinal, quem fiscaliza a CVM?

Mulher sentada em frente a um café aprendendo sobre cmv com Rico

Como você pôde constatar , o trabalho da Comissão de Valores Mobiliários é extremamente importante para fomentar, regular e disciplinar os agentes do mercado financeiro. 

Por mais que seja vinculada ao Ministério da Economia, a CVM ostenta a condição de autarquia. 

Na prática, isso significa maior independência e autonomia em relação ao Governo Federal

Ainda que os membros do colegiado (presidente e diretores) sejam indicados pelo Presidente da República, o organograma conta ainda com outras duas grandes áreas. 

Superintendência Geral (SGE) cuida de desenvolver as ações executivas, enquanto os órgãos seccionais trabalham para garantir a lisura dentro da organização. 

A área de auditoria interna auxilia a autarquia, bem como toma providências de correção de acordo com a legislação aplicável. 

Já a Procuradoria Federal Especializada trabalha como representante jurídico na CVM. 

Superintendência Administrativo Financeira é quem vai supervisionar, orientar e coordenar a execução das atividades e arrecadar eventuais multas das penalidades aplicadas. 

Por último, a comissão tem ainda uma ouvidoria para receber denúncias de más práticas dentro e fora da autarquia. 

Perguntas frequentes sobre a CVM

A Comissão de Valores Mobiliários é um órgão tradicional e que atua de maneira ostensiva na regulação do mercado. 

Por conta de suas inúmeras atribuições, dúvidas ainda podem existir. 

Por isso, agora, vamos responder as perguntas mais frequentes sobre a CVM. 

O que é ITR CVM?

Para garantir transparência em suas ações, a Comissão de Valores Mobiliários exige que as companhias abertas entreguem periodicamente um material conhecido como Formulário De Informações Trimestrais (ITR). 

Atualmente, a entrega é feita em formato eletrônico, por meio do Sistema Empresas.NET, conforme previsto no artigo 21, inciso V, da Instrução CVM nº 480/09. 

Dentre as informações necessárias no ITR, estão:  

  • O Balanço Patrimonial Ativo (BPA);  
  • Balanço Patrimonial Passivo (BPP);  
  • A Demonstração de Fluxo de Caixa; ,  
  •  Demonstração de Resultado (DRE)entre outros. 

O que é CVM 358?

Dentre as instruções executivas da comissão, a CVM 358 se destaca por dispor sobre a divulgação e o uso de informações sobre ato ou fato relevante das companhias abertas que possam influenciar nas negociações de valores mobiliários. 

Em outras palavras, a medida dá às empresas o benefício da dúvida caso decidam não submeter à CVM informações que coloquem em risco interesses legítimos da companhia. 

Nesse caso, a divulgação das informações fica restrita aos stakeholders que, justificadamente, precisem conhecê-las. 

Qual a relação da CVM com a bolsa de valores?

Ao atuar com valores mobiliários, a CVM tem uma relação direta com a bolsa de valores

Primeiro, no sentido de catalogar e divulgar informações sobre as empresas que têm capital aberto na bolsa. 

Além das ações, a lista de produtos regulados pela CVM e negociados na bolsa inclui ainda os fundos de investimento, debêntures e notas comerciais, entre outros. 

Conclusão

Mulher sentada em uma mesa com um tablet aprendendo sobre cmv com a Rico.

Seja você iniciante ou experiente no mundo dos investimentos, é essencial conhecer a Comissão de Valores Mobiliários e entender como ela atua para regular o mercado. 

Com mais de quatro décadas de atuação, a entidade é tradicional no setor e age ativamente para garantir maior segurança e transparência para todos os operadores da bolsa de valores. 

time de especialistas da Rico está sempre preparado e informando as mudanças no mercado financeiro.  

Ao abrir sua conta na Rico, disponibilizamos periodicamente relatórios e materiais exclusivos para que você se mantenha atualizado e invista com segurança.  
 

Então, se você quiser ver o seu dinheiro crescer e  começar a investir hoje, o primeiro passo é abrir a sua conta na Rico e se manter informado no Riconnect 

Assim, você não perderá nenhuma novidade do mercado financeiro.  

Comece agora mesmo e acelere a realização dos seus sonhos! 

Agradecemos a leitura! 


março 17, 2021

Tutorial Metatrader: o que é, seu funcionamento e como operar  

Sabia que é possível operar ações e outros mercados de forma automatizada em uma única plataforma?

O MetaTrader é o sistema de trade de ativos mais utilizado mundo. Não se trata apenas de uma plataforma de negociação, ele é um ambiente para trabalhar de forma traquila em qualquer um dos mercados financeiros.

Em resumo, o MetaTrader funciona muito bem, tem uma interface amigável e lógica de negociação clara. Milhares de traders o utilizam diariamente de forma automática, manual ou híbrida.

Graças ao Metatrader, você não usará mais diferentes aplicativos para negociar no mercado de futuros e na Bolsa de Valores. Com ele, você tem acesso a muitos mercados em uma única plataforma.

Além disso, por ser tão popular, existem diversos robôs e recursos para o MetraTrader criados por especialistas e disponibilizados para venda, aluguel ou de forma gratuita.

Se você ainda é um iniciante no mercado de ações, indico esses outros artigos para leitura:

Neste tutorial Metatrader, explicaremos em detalhes sobre como operar Metatrader, seus recursos, dicas de negociação e possibilidades no uso dessa plataforma tão popular entre os traders.

Boa leitura!


O Que é Metatrader?

metatrader o que significa

Essa é uma ferramenta indispensável para traders que pretendem atuar com operações automatizadas.

O MetaTrader é uma plataforma profissional de negociação para traders lançada pela MetaQuotes Software Corp. Ele permite controlar riscos operacionais com agilidade, automatizar seus algoritmos e gerenciar posições em tempo real.

Essa ferramenta é muito versátil e pode ser utilizada em computadores simples e dispositivos mobile como celulares e tablets.

Por meio do MetaTrader é possível fazer análise técnica, utilizando diversos indicadores individuais ou a combinação de um conjunto deles, e análise fundamentalista com o acesso ao calendário dos principais eventos econômicos do mundo. 

Sua principal atração é o fato de poder operar sozinho, de forma automática, sem inteferência humana alguma.

Apenas baseado em uma estratégia, ou seja, regras configuradas que são executadas por um robô.

Assim, a plataforma de negociação eletrônica do MetaTrader possui alta performance, algorítimos customizáveis de acordo com suas necessidades, baixa latência (atraso na troca de dados) e grande precisão. 

Por isso, é considerada uma das melhores ferramentas para trade automático com Robo Advisor do mundo. Inclusive, conta com uma loja de robôs no próprio sistema.

Trata-se de um ambiente de negociação emite alertas para movimentacões de acordo com suas configurações. Além disso, possui uma conta de demonstração para testar estratégias e possibilita o acompanhamento de operações de outros traders.

O MetaTrader é completamente gratuito para clientes Rico. Se quiser abrir uma conta e começar a utilizar esse benefício e muitos outros, clique no banner abaixo:

abra-conta-rico-1.png

Nós disponibilizamos diversas plataformas além do MetaTrader, muitas delas podem ser gratuitas dependendo da sua utilização. Conheça todas as ferramentas disponíveis na Rico:

Como dito, por meio do MetaTrader é simples negociar em diferentes mercados sem precisar de muitos sistemas. Assim, você terá fácil acesso ao mercado de ações e futuros.

A plataforma é algo completamente diferente do robô. Afinal, um robô nada mais é do que uma junção de orientações e regras programadas que são executadas automaticamente.

Esses robôs precisam de uma plataforma para se conenctarem a um servidor que é ligado à Bolsa. O MetaTrader é uma dessas plataformas e possui uma das melhores integrações disponíveis hoje.


Maiores Vantagens do Metatrader

metatrader vantagens

Poder contar com um robô auxiliar é um grande benefício em utilizar o MetaTrader.

Um dos maiores diferenciais do MetaTrader é o Mercado de Robôs de negociação e indicadores técnicos. Esse ambiente funciona exatamente como uma loja de aplicativos.

Eles funcionam de forma parecida com um Robô Advisor. Saiba tudo sobre eles nesse outro texto completo. 

Só que em vez de Apps, você paga por robôs programados para fazer negociações e trazer lucro para você. Além disso, você também poderá comprar scripts e indicadores técnicos feitos por especialistas.

Todos os robôs vêm prontos para utilização. Ao todo, o mercado MetaTrader conta com mais de 1.500 robôs que podem ser pesquisados por popularidade, preço e outros filtros.

mercado metatrader robos

No Mercado, você encontrará experts que satisfarão plenamente as suas necessidades de estratégias de negociação, nomeadamente, robôs de scalping, martingales ou redes reurais.

Uma das principais vantagens de utilizar um robô desenvolvido por um especialista é poder testar antes de comprar. Basta baixar a versão demo do robô e executá-la no testador de estratégias de negociação.

Assim, você saberá com certeza qual a rentabilidade que o robô é capaz de trazer em diferentes mercados e situações. Outra vantagem é poder alugar o aplicativo antes de comprar ou ainda, escolher uma versão completamente gratuita.

Veja as principais vantagens de operar com o MetaTrader:

  • Multimercados (ações, futuro e mais)
  • Robôs e indicadores automáticos
  • Trading pelo celular
  • Multiestratégia (execute vários planos ao mesmo tempo)
  • Opera 24 horas por dia 
  • Grande comunidade de usuários

Metatrader 4 ou Metatrader 5? Quais Diferenças

metatrader 5 ou 4

Cada um deles possui suas diferenças, mas em geral, o 5 é mais completo.

Existem duas opções de MetaTraders disponíveis. O MT4 (de 2005) ainda é o mais utilizado, e o MT5 (de 2010) por ser mais novo e possuir mais recursos também conta com muitos traders.

A principal diferença está na programação de cada plataforma, a MT4 possui seu código MQL4 e a plataforma MT5 o código é MQL5.

Assim, contas criadas para plataforma MT4 não podem ser utilizadas na MT5 e vice versa. Assim como outras funcionalidades que não migram de forma nativa de um para o outro.

Veja um quadro comparativo de funcionalidades:

 MetaTrader 5MetaTrader 4
Execução parcial de ordensVX
Política de execução de ordens

Fill or Kill
(Tudo ou Nada)

Immediate or Cancel
(Tudo/Parcial ou Cancelar)

Return
(Retorno)

Fill or Kill
Tipos de ordens pendentes64
Livro de ofertasVX
Dados sobre tempo e volumes de vendas (a partir das bolsas)VX
Indicadores técnicos3830
Objetos gráficos4431
Timeframes219
Calendário econômicoVX
Correio eletrônico Pode anexar arquivos É impossível anexar arquivos
Transferência de fundos entre contas
 VX
 Bate-papo embutido MQL5.community V
 Testador de estratégias Multi-fio (Multithread)
+ Multi-moeda
+ Ticks reais
 Mono-fio
Padrão multilingue Unicode V X
 Compensação V X
 Cobertura V X
 Símbolos Ilimitado 1 024
Mercados
 Forex / CFDs / Futuros /
Opções / Ações /
Obrigações
 Forex / CFDs
Negociação na bolsa de valores V

Existe um motivo pelo qual o MetaTrader 4 é mais popular do que o MetaTrader 5. O seu sucesso não entregou algumas expectativas especialmente para os traders de Forex que utilizavam a versão anterior.

Assim, muitos continuam utilizando o MetaTrader 4. No entanto, vale lembrar que esses programas são apenas ferramentas. O que determinará o seu sucesso não será a plataforma, mas a forma como você utiliza ela.


Quem Deve Usar Metatrader?

metatrader perfil

Será que você possui o perfil de um trader que utilizar robôs do MetaTrader?

O MetaTrader é indicado para todos os investidores que pretendem operar com mais frequência a curto prazo, realizando day trades em diversos mercados, mas não pretendem gastar muito tempo com isso.

É importante que você já tenha uma boa noção de análise técnica, para ler os gráficos e operar. Afinal, mesmo com robôs automatizados, você precisa coordenar e decidir algumas configurações.

De certa forma, até a escolha de um robô e suas estratégias exigem uma análise crítica e técnica. Então, se você não está seguro para utilizar métodos automáticos ainda, pratique mais a operação manual e depois abuse do simulador.

Enfim, o MetaTrader não é indicado para investidores que não possuem experiência manual. É preciso entender o que será automatizado, assim como é preciso aprender a caminhar antes de correr.

Responda essas perguntas:

  • Você tem um conhecimento profundo das estratégias utilizadas pelo robô?
  • Você confia nessas táticas?
  • E usaria elas caso estivesse operando manualmente? 

Assim, o MetaTrader é indicado tanto para traders profissionais que precisam de auxílio de uma boa plataforma como para traders que ainda possuem um emprego em outra área e precisam automatizar algumas etapas da sua rotina como trader.


Erros Que Devem Ser Evitados ao Operar Com Metatrader

metatrader erros

Cuidado com esses deslizes comuns iniciantes cometem no uso do MetaTrader.

Um dos maiores erros a serem evitados é o de escolher robôs que fazem coisas que você não compreende. Imagine, por exemplo, que uma pessoa que você não conhece apresenta uma franquia de um restaurante que você nunca viu.

Você nunca comeu aquela comida, não sabe como ela é feita e se tem público para isso na sua cidade. Você investiria nessa franquia? É claro que não. Pelo menos, não sem fazer muitas perguntas antes.

Da mesma forma, você não deve comprar robôs que não entende. Ao escolher um robô, você deve estudá-lo a fundo e entender o que ele fará, em detalhes, com o seu dinheiro.

Afinal, você não confiaria o seu capital a qualquer pessoa que diz ser um ótimo consultor financeiro. Você só deve confiar em um robô quando conhecer em todos os seus comportamentos. Caso contrário, sua chance de sucesso será mínima.

Depois de conhecer o seu futuro robô, faça uma lista de pontos fortes e fracos. Afinal, não existe estratégia perfeita, mas sim estratégias que acertam mais do que erram e controlam mais o risco ou não.

Nesse sentido, busque uma automatização que pareça com a forma com que você opera, pois com certeza você ficará desconfortável ao ver o seu dinheiro sendo manipulado de uma maneira que você não faria.


Metatrader: Como Funciona

metatrader como funciona

É mais simples do que você imagina.

Todo trader deveria dar uma chance aos robôs do MetaTrader por três questões principais: fator emocional, erros operacionais e a melhoria contínua.

E de longe, o fator mais importante é o emocional que desgasta o operandor, levando a outros tantos erros diariamente.

São as emoções que sabotam a estratégia pré-definida. No entanto, isso não acontece ao contar com um robô no MetaTrader. Você terá a garantia de que sua estratégia será cumprida até o fim.

Veja como funciona o MetaTrader na Rico:

 

Se você ainda está iniciando na utilização do MetaTrader, utilize o simulador e depois comece a operar com pequenas quantias.

Assim você evita de perder dinheiro por problemas técnicos ou por falta de experiência com algum robô escolhido.


O que Apenas Clientes Rico têm

 

Na Rico, você ganha diversos benefícios ao entrar no mercado de renda variável com o MetaTrader 5. Veja algumas dessas vantagens logo abaixo:

  • 2 contas gratuitas: Conta Day Trade com Alavancagem ou Conta Posição e Conta para testes.
  • Plano de corretagem exclusivo (15.000 contratos a R$0,26 com validade de 3 meses)
  • Mais de 40 robôs com os melhores setups do mercado Boleta Exclusiva – as suas estratégias realizadas com mais agilidade e autonomia!

Para isso, crie sua conta. Afinal, isso também é grátis!


Conclusão

metatrader conclusao

Você está pronto para começar a operar com o auxílio do MetaTrader?

O MetaTrader é uma ferramenta indispensável para investidores do mercado de ações e futuros. Ele se provou como uma ferramenta confiável e consistente. Por isso, é uma das mais utilizadas no mundo.

Muitos traders precisam ficar horas e horas olhando para uma tela, fazendo projeções e operações manuais, saindo e entrando do mercado constantemente.

Além de ser uma atividade mental cansativa, todo trader sabe que o desgaste emocional é igualmente grande, podendo até gerar problemas de ansiedade a longo prazo.

Sem citar resultados, um robô operando pelo MetaTrader tem o potencial de mudar a qualidade de vida de milhares de operadores.

Imagine que trader você se tornaria ao passar a maior parte do seu tempo estudando e otimizando estratégias em vez de estar envolvido na operação diária?

Leia esses outros artigos do nosso blog:

Mas nunca esqueça de, antes de contar com o MetaTrader, testar o seu robô e a sua estratégia exaustivamente. Simule essa estratégia por um bom período de tempo.

Afinal, você não estará entregando o seu dinheiro nas mãos de um robô, mas sim em uma estratégia definida por você mesmo. Se houver alguma perda, será por causa da estratégia. O robô apenas faz o que ele foi programado para fazer.

Gostou deste texto? Deixe o seu comentário com críticas, elogios ou dúvidas sobre MetaTrader. Será um prazer respondê-lo!

Obrigado por ler até aqui!

banner-app.png

março 17, 2021

O que é Swing Trade e como operar com sucesso  

E se fosse possível ganhar dinheiro na bolsa sem gastar muito tempo operando?

O swing trade, diferente do day trade e do position, é uma estratégia de operação na bolsa de valores mais versátil, operando a curto e médio prazo. Com certeza é a forma de trabalho com melhor relação retorno e tempo.

Neste texto, você saberá finalmente o que é swing trade, suas vantagens, desafios, táticas e dicas para que você se torne um trader mais capacitado. Também falaremos sobre o perfil do swing trader de sucesso. 

Se quiser saber tudo sobre day trade, preparamos um guia completo para você neste link.

Caso tenha qualquer tipo de dúvida, não deixe de escrever o seu comentário no final dessa página.

Boa leitura!


Afinal, O Que é Swing Trade? 

O swing trade é uma das principais metodologias de trabalho no mercado de capitais. Ele é uma forma de trading de curto prazo. 

Quem opta por esse modo de operação, aposta em tendências de mercado para ganhar dinheiro com ações, futuros, opções e etc.

Essa é uma forma de trade com menos risco e maior possibilidade de ganhos. Por isso, é mais tranquilo que o day trade. Todavia, nunca descarta-se fazer alguma operação de day trade (comprar e vender papéis no mesmo dia) para aproveitar oportunidades.

O período que o swing trader mantém os papéis depende de sua estratégia e momento de mercado. No entanto, varia entre 3 dias a algumas semanas, de acordo com a posição desejada.

Afinal, o swing do mercado se apresenta em diversas ondas. Ao observar um gráfico semanal, você verá movimentos que levam semanas para se completarem. E ao checar um diário, perceberá movimentos de dias.

Assim, operando swing trade, o investidor precisa saber especular, valendo-se dos gráficos. Neste caso, utiliza-se majoritariamente o gráfico diário, 60 minutos e intraday para ler o mercado e responder de forma reativa, e não proativa.

Essa é uma das vantagens de trabalhar swing trade, você pode tentar ganhar no curto prazo, mas não precisa acompanhar o mercado ponto a ponto. Isso permite com que você leve a vida de trader em paralelo com outra atividade profissional.

Esse ritmo menos acelerado torna a vida do swing trader mais tranquila em relação aos scalpers e day traders que realizam muitas operações por dia e, asssim, precisam gerenciar muito mais risco do que operando em swing trade.

A escola técnica é a principal forma de análise de ativos. E como em todas estratégias de trade, você deve respeitar os stops de entrada e saída.

Em mercados com tendência, o swing trade possui muito mais terreno para lucros.

No entanto, quando está consolidado, dificilmente se aproveita toda a alta ou toda a baixa.

Os Riscos Que Precisam Ser Gerenciados

Assim como em outras formas de operação, o swing trader não pode ir contra suas próprias estratégias. Como dito, os stops são programados para serem respeitados.

Eles servem para frear quedas e ganhos, mas também para controlar o ímpeto do operador que muitas vezes não aceita perdas, mantendo ou vendendo papéis no ‘calor do momento’. 

Lembre-se que o swing trader tem mais tempo para recuperações. Por isso, não pode guardar mágoas do mercado. Ele deve ser mais paciente que o day trader, projetando os papéis a médio prazo.

Para minimizar os prejuízos do swing trade, o operador deve configurar stops de acordo com o período da acão e expectativa de retorno. Ou seja, quanto mais curta uma operação for, menor deve ser o seu stop.

Mas caso queira aproveitar uma subida mais longa, basta alterar o stop no seu home broker. O custo disso é comprometer o que já foi ganho com uma eventual oscilação negativa.

A lei da diversificação de investimentos também vale aqui. Não aposte todas as suas fichas nos mesmos papéis.


Qual a Diferença entre Day Trade, Swing Trade e Position

swing trade day position
A principal diferença está em quanto tempo a ação é mantida.

No Day trade, o gráfico utilizado é o de minutos. Não interessam os movimentos dos dias, afinal, o operador não dorme posicionado em nenhum papel. Todo dia ele zera suas posições.

Já no position, ou buy n hold, compra-se as ações sem data para venda com base em fundamentos, pois está investindo e não especulando.

Os gráficos podem ser usados para avaliar o melhor timing, mas espera-se ganhar com o passar dos anos.

Nesse caso, lucra-se com os dividendos (lucro das empresas dividido entre os acionistas).

E caso as ações tenham uma cotação negativa (abaixo do valor médio), o investidor compra mais papéis, pois considera isso como uma oportunidade.

Lembre-se que quanto menor o período com um papel, menor os lucros e riscos. Quanto mais tempo com ele, melhor são os ganhos. Desse modo, o swing trader é o operador que fica entre o day trade e o buy n hold.

O swing trade não visa o maior ganho em cada operação, nesse sentido ele zera suas posições nas longas subidas. Isso ocorre porque o trader precisa focar em pequenos ganhos, apostando no volume de operações.

Quando o gráfico oscila três vezes em direção ascendente, a chance dele cair é grande, por isso deve-se garantir o lucro.

Se você ainda tem dúvidas, assista ao vídeo abaixo que explica de maneira clara sobre as estratégias de operações:

 

Maiores Vantagens do Swing Trade

Uma das vantagens de trabalhar com swing trade é não precisar antecipar os movimentos do mercado para ganhar dinheiro. Pode-se esperar a tendência se confirmar para ter mais certeza de suas ações.

Em comparação ao day trade, essa o swing implica em custos menores, pois opera-se bem menos, algo em torno de 70 trades por ano.

E em relação ao position, o operador de swing trade pode aproveitar todos os movimentos do mercado.

Essa é a melhor estratégia para novos traders, que ainda estão estudando e praticando suas habilidades no mercado de ações.

Como não é preciso ativididade constante, o aprendiz pode continuar em seu emprego, sem a necessidade de tirar o seu sustento do mercado.


Quem Deve Operar No Swing Trade?

Isso depende muito do seu estilo de vida, tempo disponível para operacão e gosto ao risco. O seu capital disponível também vai falar se está na hora de operar ou continuar praticando em simuladores.

Lembre-se da lei do mercado de variável: não coloque em risco o que não está disposto a perder. 

Pré-requisitos

O swing trader precisa ter um ótimo conhecimento do mercado de capitais. Ele deve dominar a análise técnica e fundamentalista (sim, esse tipo de técnica ajuda a filtrar a compra de ativos).

Ao optar pelo swing trade, é possível complementar a renda com uma atividade profissional flexível, onde as suas posições na bolsa que definirão quanto tempo você gastará semanalmente operando.

A Rotina De Um Swing Trader 

Primeiro é preciso ter uma visão geral do mercado identificando a confiança geral na bolsa, depois no setor e nas suas posições atuais.

Então, parte-se para a análise técnica para comprar logo após uma ruptura ou vender próximo ao nível de resistência da ação.

O certo é que ser trader é uma atividade que traz riscos sérios a amadores, então é recomendado que os investidores comecem com calma até ganharem mais experiência e conhecimento técnico.

Nossa recomendação é que você ouça os especialistas. Caso seja um cliente Rico, você tem um time à sua disposição em todos os pregões nas salas de aula ao vivo.

Comece operando valores pequenos para você, em torno R$ 10.000, buscando ganhos por operação de 1%.

Você pode operar 20 minutos por dia, dependendo da sua estratégia e papéis comprados. O ideal é que você seja consciente de suas ações e momentos de mercado.

Isso dará mais tranquilidade para que você não adote o comportamento de day trader com posições de swing. Isso pode ser perigoso.


Como Identificar Ações Apropriadas Para o Swing Trade?

swing trade acoes

Não basta saber escolher a ação. É vital também saber o tempo certo de compra ou venda.

Você deve desenvolver um método de identificação, fazer o seu set up e testá-lo antes de colocar em prática. A criação da sua configuração deve ser feita com a análise técnica.

Análise Técnica ou gráfica

A principal forma de análise das ações é a análise técnica. Consiste no estudo da dinâmica do mercado por meio dos sinais extraídos do passado e presente, utilizando gráficos com preços principalmente e volume de negociações.

Todas as informações estão nos gráficos e, combinadas, indicam tendências de mercado. Eles devem ser interpretados dentro de estratégias, incluindo fatores de oferta e procura e psicologia das massas que afetam a cotação de uma ação. 

Enfim, esses dados mostram o comportamento da ação em relação ao mercado, apresentando rupturas gráficas e oportunidades de compra ou venda, efetivando lucros com as valorizações.

O grande desafio da análise técnica é identificar as tendências para saber qual a direção do mercado

Em resumo, o mercado é movida por três tipos de tendências: alta, baixa e neutra. Essas tendências são divididas em longo, médio e curto prazo.

Dessa forma, a análise técnica não é prever o futuro, mas monitorar o presente.  

Melhores Indicadores

IFR – Índice de Força Relativa (calibragem indicada: 14 períodos) – para identificar níveis de sobrecompra e sobrevenda, sempre ajustados, e principalmente as divergências, além das lts traçadas no próprio indicador que alertam o “advanced breakdown”.

Bandas de Bollinger (calibragem indicada: desvio de 2 e 20 períodos) – acompanhar as fugas, principalmente de longos candles.

Médias Móveis Exponenciais:

As médias móveis ajudam a orientar as tendências da acão.

  • Curto prazo (tendência terciária): Calibragem indicada de 09 períodos. Ótimo como stop para operações de swing trade
  • Médio prazo (tendência secundária): Calibragem indicada de 21 períodos
  • Longo prazo (tendência primária): Calibragem indicada de 200 períodos

Principais candle sticks de reversão:

  • Martelo e suas variações (martelo invertido, enforcado e estrela cadente) 
  • Doji e suas variações (long doji, spinning-top, 4 preços, lápide e dragão)

Conclusão Sobre Swing Trade

Não recomendamos o Swing Trade se você quer enriquecer da noite para o dia. Como em todos os investimentos, a não ser que tenha muito capital para alocar, dificilmente você conseguirá obter muito dinheiro em pouco tempo.

Mesmo que tenha o patrimônio disponível, é preciso dominar as técnicas e formas de operar na bolsa. Afinal, você não resolve tornar-se um lutador profissional sem muito estudo e prática, certo?

Dessa mesma forma, prepare-se para o mercado, praticando em simuladores e depois colocando dinheiro de forma gradativa. Não existem atalhos no mercado financeiro. Esse é um ambiente de profissionais.

Conte com o nosso apoio para preparar você para as lutas no mercado de valores:

Então, seja paciente para obter pequenos ganhos de forma contínua, esse é o melhor jeito de aumentar o seu patrimônio. Como em todas operações na bolsa, é preciso ganhar bastante e perder pouco.

Afinal, as perdas ocorrerão. Ninguém acerta 100% do tempo. Mas como você lida com a derrota e a proporção que ela tem é o que diferencia um swing trader de sucesso e um amador.

Nesse sentido, evite os principais erros de todo iniciante na bolsa. Nunca traga um dinheiro economizado a duras penas para o mercado, montando uma carteira de ações logo no primeiro dia de operação.

Assim, você venderá o que está ganhando para garantir o lucro e manterá o que está perdendo. Com o lucro das vendas, compra outros papéis, repetindo o ciclo anteior e garantindo o lucro enquanto não assume as perdas.

Essa estratégia está fadada ao fracasso, pois parte de uma mentalidade de longo prazo, montando uma carteira de investidor com dinheiro poupado. Mas ao fazer trade com ações vencedoras, mistura-se position e swing trade.

Escolha a sua forma de trabalhar na bolsa e se atenha a ela: swing trade, day trade ou position. 

Caso queira migrar, tudo bem. Mas mude de sistema pensando em todas as variáveis e suas implicações. 

Gostou do texto? Então deixe um comentário com o seu feedback para podermos ajudá-lo com possíveis dúvidas. 

Obrigado por ler até aqui!

abra-conta-rico-1.png

novembro 5, 2020

CEI: Guia completo sobre o canal eletrônico do investidor  

Se você nunca acessou o Canal Eletrônico do Investidor (CEI), está mais do que na hora de experimentar e se beneficiar com as vantagens oferecidas pela plataforma.  

Essa é uma ferramenta muito útil para administrar seus ativos no dia a dia, seja você experiente ou iniciante no mundo dos investimentos

Pelo CEI B3, investidores têm acesso a diversas informações importantes sobre suas aplicações. 

 E, também, podem comparar os resultados de suas aplicações para fazer melhores escolhas no futuro. 

O CEI conta com uma série de dados sobre desempenho histórico de ações, fundos e outros ativos que podem ser muito úteis para a gestão dos seus investimentos

Acompanhando as oscilações do mercado por ali, o investidor garante mais controle para a sua vida financeira.  

Atualizado periodicamente, ele traz informações seguras e transparentes sobre os itens que fazem parte da sua carteira. 

Interessante, não é mesmo? 

Se você quer saber mais sobre o Canal Eletrônico do Investidor (CEI), é só seguir a leitura. 

Veja os tópicos que este conteúdo vai trazer: 

Caso tenha alguma dúvida ao final, deixe um comentário.

Boa leitura!

O que é Canal Eletrônico do Investidor (CEI)?

 Mulher sentada na cama mexendo no notebook, aprendendo sobre o que CEI (Canal Eletrônico do Investidor).

A sigla CEI significa Canal Eletrônico do Investidor. 

Ela se refere ao canal de atendimento disponibilizado pela B3 (Brasil Bolsa Balcão) para informar seus investidores sobre os ativos que estão sob a custódia da bolsa de valores brasileira. 

O CEI surgiu dentro do contexto de modernização da B3, empresa criada a partir da fusão entre BM&FBovespa e da Cetip (Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos) em 2017. 

Dentro do Canal Eletrônico do Investidor, é possível fazer consultas sobre investimentos financeiros de diversas fontes e instituições em um só lugar. 

Por consolidar informações sobre todo o seu portfólio sob custódia da B3, o CEI Investidor se torna uma fonte completa para quem quer acompanhar o desempenho de seus ativos de maneira rápida e prática. 

Isso é especialmente importante para aqueles que aplicam seu capital em diferentes corretoras de valores ao mesmo tempo. 

Como o CEI é organizado pela própria bolsa de valores, todas as informações apresentadas ali são de extrema confiança

Por isso, a plataforma atua também como um mecanismo de segurança para que o investidor possa conferir, de tempos em tempos, a veracidade das informações divulgadas pela corretora. 

Quais são os benefícios de se cadastrar no CEI? 

Quem usa o Canal Eletrônico do Investidor sabe bem de todos os benefícios que ele pode trazer para uma estratégia de investimentos

Por ali, é possível ter acesso ao extrato de negociação de ativos, saldos diários e mensais, entre outras informações

A partir disso, o investidor pode se manter informado para tomar as melhores decisões de acordo com seu perfil e objetivos. 

Mais controle

A primeira e talvez mais óbvia vantagem de utilizar o CEI é que ele proporciona um controle maior para a sua gestão financeira. 

Ao acompanhar o andamento de seus investimentos por ali, você está mais bem preparado para tomar as decisões corretas que vão proteger e aumentar seu patrimônio. 

Isso porque a plataforma abastece o investidor com uma série de dados relevantes sobre o desempenho dos ativos de sua carteira

O Canal Eletrônico do Investidor não só é vasto na quantidade de informações, como também altamente confiável. 

Isso porque ele é controlado diretamente pela B3, que comanda também a bolsa de valores brasileira. 

No fim das contas, o CEI Investidor é uma ferramenta e tanto para acompanhar o desempenho dos seus investimentos e acompanhar os efeitos das altas e baixas do mercado na sua carteira. 

Compare e escolha

Hoje em dia, é comum que algumas pessoas optem por investir em mais de uma instituição – e o CEI pode ser especialmente útil para esse grupo

Na busca das melhores taxas e retornos no mercado, muitos acabam com três ou mais contas ativas ao mesmo tempo – e acompanhar todas simultaneamente pode ser um desafio. 

Mas, com o Canal Eletrônico do Investidor, essa tarefa certamente fica mais fácil

Disso, nasce outro benefício do CEI B3, que é oferecer um espaço para que você possa comparar o desempenho de todos os ativos listados em bolsa de sua carteiraa

Ao acessar o CEI B3 com seu número de CPF ou CNPJ, o investidor consegue visualizar em um só lugar qual aplicação compensa mais em retorno e volatilidade e, se for o caso, reajustar seu patrimônio de acordo

Transparência e segurança

Por último, podemos destacar a transparência do Canal Eletrônico do Investidor como um dos grandes benefícios de utilizá-lo. 

Como os dados ali divulgados vêm diretamente da bolsa de valores (B3), eles são altamente confiáveis. 

O investidor tem acesso a relatórios precisos com o saldo dos seus investimentos, histórico de movimentações e operações realizadas na bolsa de valores em seu nome. 

Na prática, isso significa que o CEI B3 pode ser utilizado para confirmar as informações divulgadas pelas corretoras de valores

Ainda que, hoje em dia, as principais instituições do mercado tenham sistemas bastante confiáveis, é importante que o investidor tenha um recurso de retaguarda.

Como cadastrar no CEI [Passo a Passo]

Homem, sentado à mesa, com o notebook aberto, olhando e sorrindo para tela com fones de ouvido, enquanto aprende como se cadastrar no portal CEI com a Rico.

Quer saber como se cadastrar para acessar o Canal Eletrônico do Investidor? 

O caminho não é complicado, mas estamos aqui para ajudar. 

Por isso, preparamos abaixo um passo a passo detalhado com todas as etapas que você deve seguir para consultar seus investimentos no CEI

Acesse o site do CEI

Antes de chegar até o ambiente exclusivo, onde você poderá conferir informações sobre todos os investimentos em seu nome, é preciso acessar o site do Canal Eletrônico do Investidor

Esse é o site de acesso ao CEI B3,mas existe outro caminho.  

Dentro do site da bolsa de valores, navegue pelo menu superior, descansando o cursor do mouse onde se lê “B3”.  

Em seguida, selecione a opção “Canais de Atendimento” – ela deve ser a última disponível, como mostra a imagem abaixo: 

captura de imagem do portal CEI e o passo a passo para iniciar o cadastro. Passo um: acessar o site https://cei.b3.com.br/ e selecionar a opção "Canais de Atendimento".

Site da B3 – Página inicial. Tela capturada em 15/10/2020.

Depois disso você será redirecionado a uma espécie de triagem para que possa escolher se é um investidor pessoa física, um cliente B3 ou se quer ter acesso ao Serviço de Atendimento ao Público (SAP).

Para ser encaminhado até o Canal Eletrônico do Investidor, selecione a opção “Investidor pessoa física”, como mostra a próxima imagem.

cadastrar no cei 2
Site da B3 – Canais de atendimento. Tela capturada em 15/10/2020.

Na próxima página, haverá uma lista com quatro opções para refinar sua busca: escolha aquela correspondente ao Canal e, depois, clique em “Acesse o CEI” para ser redirecionado para a tela de acesso.

captura de imagem do portal CEI e o após o cadastro como pessoa física. Passo três: na opção de busca, clicar em "acesso CEI".

Site da B3 – Canais de atendimento. Tela capturada em 15/10/2020.

Primeiro acesso ao Canal

Caso esse seja sua primeira vez visitando o Canal Eletrônico, a B3 oferece um caminho descomplicado para os investidores configurarem o primeiro acesso à plataforma.

A página para login no sistema CEI Investidor é bastante simples: no centro, você encontra o espaço para preencher com seu CPF ou CNPJ e a senha de acesso.

cadastrar no cei 4
Página inicial do CEI. Tela capturada em 15/10/2020.

Logo abaixo da caixa de texto, você encontra a opção “Gerar primeira Senha / Esqueci minha Senha” – clique neste link para ser redirecionado

Na página seguinte, você precisará preencher com seu CPF/CNPJ, a data de nascimento e digitar o código de confirmação conforme a imagem. 

Depois disso, você deve escolher por onde deseja receber senha provisória: por e-mail ou pelo correio

Preencha com usuário e senha

Depois de passar pelos passos 1 e 2, você finalmente poderá fazer seu acesso ao Canal Eletrônico do Investidor.

Preencha os campos com o seu número de CPF ou de CNPJ e com a senha para entrar na área exclusiva com informações sobre o seu portfólio atual.

Caso esse seja o seu primeiro acesso, você precisa ter em mãos a senha provisória que foi enviada por e-mail ou pelo correio.

Assim que preencher com seus dados, a plataforma vai pedir para que você cadastre sua senha definitiva: preencha duas vezes para confirmar.

Pronto, agora você já tem acesso ao CEI e pode conferir todas as informações a respeito dos seus investimentos.

cadastrar no cei 5
CEI – Canal Eletrônico do Investidor. Tela capturada em 15/10/2020.

Como usar o CEI: saiba o que é possível fazer no canal do investidor

São muitas as possibilidades oferecidas dentro Canal Eletrônico do Investidor.

Confira algumas das principais:

  • Portfólio completo com seus investimentos
  • Consulta a garantias
  • Empréstimos de títulos
  • Extratos listados, de Balcão e do Tesouro Direto
  • Saldo geral diário de custódia de ativos
  • Saldo especificado por mercado (Mercado Futuro, Mercado a Termo ou Mercado de Opções)
  • Aviso sobre transferências
  • Histórico de negociações e operações feitas em seu nome
  • Informe de rendimentos
  • Movimentações importantes aplicações, eventos e vencimentos
  • Informe de rendimentos e reembolso do  Banco de Títulos (BTC)
  • Notificações por e-mail sobre eventos e movimentações feitas em seu nome.

Perguntas frequentes sobre CEI

mulher sentada ao chão mexendo no celular lendo sobre as perguntas mais frequentes sobre CEI no blog da Rico.

Como você pôde ver, o Canal do Investidor é uma ferramenta útil para acompanhar o desempenho do seu portfólio e orientar sua tomada de decisão

Se você ainda tem dúvidas sobre o CEI B3, fique ligado e continue a leitura com a gente! 

Separamos abaixo respostas para as perguntas mais frequentes sobre o tema. 

Como recuperar minha senha no CEI?

Caso você já tenha feito seu primeiro acesso, mas não lembra qual é sua senha, deve gerar uma nova. 

O processo para recuperar sua senha do Canal Eletrônico do Investidor é bastante simples

Dentro da página de acesso ao CEI, você precisará clicar onde está assinalado “Gerar primeira Senha / Esqueci minha senha”

Em seguida, você deve ser redirecionado para a área de recuperação de senha – é o mesmo processo feito no primeiro acesso. 

Preencha com seu CPF/CPNJ, a data de nascimento e o código de segurança conforme a imagem para prosseguir. 

Depois, basta escolher se deseja receber sua senha provisória por e-mail ou pelo correio. 

Quanto tempo demora para uma operação aparecer no CEI? 

Muitos investidores utilizam o CEI B3 como uma medida de segurança para verificar se a corretora realmente está realizando as operações que foram solicitadas pelo sistema interno. 

Mas não se preocupe se você solicitar a liquidação de um ativo e não conseguir visualizar essa operação no CEI naquele mesmo dia. 

Esse atraso acontece primeiro porque existe um prazo mínimo para concluir cada movimentação

Além disso, leva um tempo para que os dados sejam atualizados em todo o sistema financeiro. 

Por esse motivo, o prazo médio para uma operação aparecer no CEI Investidor é de dois dias úteis

Meus investimentos não aparecem no CEI. O que fazer? 

Já falamos sobre como o sistema financeiro precisa de um tempo para consolidar as operações antes de você poder visualizá-las no seu Canal do Investidor. 

Se mesmo depois do prazo de dois dias úteis os seus investimentos ainda não estiverem aparecendo no CEI, preste atenção. 

O primeiro passo é entrar em contato com a corretora para avaliar se existe algum motivo por trás da demora em operacionalizar as movimentações. 

Caso você continue sem uma resposta satisfatória mesmo depois desse primeiro contato, é aconselhável acionar o Serviço de Atendimento ao Cidadão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM)

Consigo importar dados do CEI? 

O Canal Eletrônico dá também ao investidor a possibilidade de extrair os dados da plataforma para que ele possa analisá-los em outros sistemas de gestão financeira. 

Dentro da área logada do CEI, você deve navegar pelo menu superior até “Extratos e Informativos” e selecionar a opção “Negociação de ativos”. 

Em seguida, preencha com os dados da conta da instituição que você quer consultar e depois clique em “Exportar para Excel”

Esse processo vai gerar um arquivo que pode ser utilizado para importar dados do CEI em outras plataformas

Conclusão

Homem mexendo no computador, feliz por ter aprendido tudo sobre CEI no blog Riconnect.

O Canal Eletrônico do Investidor é uma ferramenta indicada a todos que têm aplicações no mercado financeiro.

No portal, você consegue consultar e conferir informações importantes sobre a sua carteira de investimentos e acompanhar os resultados com transparência.

Organizado pela própria bolsa de valores, o sistema é extremamente confiável nos dados que apresenta.

Seja você um investidor iniciante ou experiente, o Canal Eletrônico do Investidor poderá te ajudar a tomar decisões mais conscientes e lucrativas.

E na hora de investir, conte com a Rico.

Abra sua conta de maneira gratuita agora mesmo.

Obrigado por ler até aqui!

Nova call to action

outubro 29, 2020

Anbima: o que é, importância e como obter a certificação  

Anbima é uma abreviação de Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, que trabalha para defender os interesses do mercado através ferramentas que educam profissionais e regulando suas atividades.

Se você tem interesse sobre investimentos e o mercado financeiro, conhecer a Anbima é uma etapa importante da sua evolução.

Afinal, estamos falando sobre uma das instituições mais tradicionais desse universo.

A associação é hoje uma das mais importantes entidades financeiras do país e a principal certificadora de profissionais desse segmento.

Ou seja, a Anbima oferece a você um leque de certificações que atestam o seu conhecimento e habilidades para atuar de maneira profissional com aplicações financeiras.

Uma série de carreiras se abrem a partir daí. Isso sem contar a sua própria qualificação enquanto investidor.

Sua fundação é do ano de 2009 e, de lá para cá, a Anbima atua no cenário nacional também como um órgão regulador, atendendo seus associados com segurança e transparência.

Para saber mais sobre ela e descobrir como você pode obter sua certificação, continue lendo.

Este guia vai trazer os seguintes tópicos:

Se restar alguma dúvida ao final, é só deixar um comentário.

Boa leitura!

O que é Anbima?

A sigla Anbima se refere à Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais.

A entidade foi fundada em 2009, a partir da fusão entre a Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) e a Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (Andima), entidades que já atuavam no país há pelo menos quatro décadas.

Hoje, a Anbima trabalha para defender os interesses do mercado, oferecendo ferramentas para educar os profissionais e regulando suas atividades.

Por toda a sua relevância, é comum que quem está iniciando sua jornada no mundo dos investimentos – profissionalmente ou de maneira amadora – recorre à associação e seus conteúdos para se informar.

Na prática, a Anbima dá voz às instituições do mercado e busca fortalecer o setor para garantir a evolução dos investimentos brasileiros no panorama global.

O objetivo é impulsionar o desenvolvimento econômico do país por meio da organização e autorregulação das empresas do setor.

Entenda como a Anbima funciona

A Anbima, como seu próprio nome indica, é a associação das entidades do mercado financeiro.

Isso significa que ela existe para representar os interesses das instituições do mercado de capitais

Hoje, são mais de 340 associados entre bancos, corretoras de valores e gestoras de investimento.

Para defender os interesses dessas empresas, a entidade trabalha basicamente com quatro pilares: informar, representar, autorregular e educar.

A primeira frente fala da importância de munir os investidores e profissionais do mercado com o máximo de informações possível, de modo que todos possam tomar decisões conscientes.

Para isso, a Anbima se propõe a disponibilizar para seus associados uma base de dados com índices, preços e estudos sobre o setor.

Como a associação representa os interesses de um grupo de empresas, ela acaba servindo de ponte para manter o diálogo entre as instituições de áreas diversas.

A autorregulação vem por meio da criação de normas e regras para o mercado e a favor dele.

Esse movimento não tem caráter punitivo, mas de orientação aos seus associados sobre as melhores práticas para garantir o que será melhor para o coletivo.

A educação também é um ponto de destaque para a entidade, que acredita que um mercado forte só pode ser formado por profissionais preparados.

Afinal, como a Anbima influencia o mercado financeiro?

A Anbima é uma associação civil que representa os interesses do setor privado.

Mas isso está longe de significar que a entidade não tem influência ou poder de barganha.

De fato, ela coloca a sua presença no sentido de trazer maior segurança para os operadores, agindo diretamente para coibir ações de má fé por parte de empresas ou pessoas.

E, para atingir esse objetivo, a associação apela para a sua frente de educação.

Hoje, o mercado financeiro é muito amplo e envolve uma infinidade de informações e variáveis.

Nesse contexto, a única forma de garantir ordem no funcionamento e maior segurança para seus associados é coletando e divulgando o máximo de informações possíveis.

Ao reunir dados de várias fontes em um só diretório, a influência da Anbima fica clara na intenção de proporcionar mais transparência para os agentes do mercado.

Além disso, com as certificações que oferece, ela contribui de forma decisiva para qualificar as operações.

O que é o Certificado Anbima?

anbima o que e certificado

Como já destacamos, um dos mais importantes pilares de atuação da Anbima é a educação.

Essa frente é contemplada não somente pelos conteúdos divulgados periodicamente pela entidade, mas também por seus programas de certificação para profissionais do setor financeiro.

Bastante úteis para quem quer atuar ou já atua como assessor de investimentos, esses certificados são muito conhecidos e valorizados no mercado.

Quem investe em uma certificação acaba “emprestando” para o seu currículo parte da credibilidade que a Anbima conquistou.

Quais são as certificações da Anbima?

Seja em busca de mais conhecimento ou de uma valorização do currículo, o fato é que muitas pessoas buscam as certificações da Anbima.

São quatro tipos de certificado emitidos pela entidade – conheça cada um deles abaixo.

CPA-10

Criada em 2003, a CPA-10 (Certificação Profissional ANBIMA – Série 10) é a prova indicada para profissionais que trabalham com a venda de produtos de investimento financeiro no atendimento direto ao público.

Com validade de cinco anos, não existem pré-requisitos para se certificar e a própria associação oferece o material de estudo.

Quem não trabalha na área também pode fazer a prova, o que favorece estudantes. Nesse caso, contudo, o certificado tem validade de três anos.

CPA-20

A CPA-20 (Certificação Profissional ANBIMA – Série 20) foi criada em 2002 com o objetivo de certificar profissionais que trabalham com a venda e manutenção de produtos de investimento para clientes que já investem ostensivamente ou que têm uma renda alta.

A validade do certificado também é de cinco anos, mas esse tempo pode ser estendido, dependendo a situação do profissional.

Quem se certifica com a CPA-20 está qualificado para exercer também as atividades previstas pela CPA-10.

CEA

A CEA (Certificação de Especialista em Investimentos) é a prova que qualifica o profissional que atua ou pretender atuar como assessor de gerentes de contas de investidores.

Um pouco menos popular do que o CPA-10 e o CPA-20, esse certificado é mais complexo e específico – além de atuar como gerente de contas de pessoas físicas, o profissional pode indicar novos produtos de investimento.

Quem tira sua CEA também está qualificado para atuar nos dois níveis anteriores.

CGA

Por último, a CGA (Certificação de Gestores) qualifica o profissional para trabalhar com a gestão de recursos de terceiros.

Com a prova, o gestor se prova capaz de tomar decisões estratégicas para manter bons ganhos na carteira, estando pronto para comprar e vender ativos a qualquer momento se julgar que esse é o movimento mais rentável.

A CGA também é indicada para quem atua ou quer atuar no mercado internacional, o que a torna complementar à certificação CEA.

Saiba o que fazer para obter a certificação da Anbima

anbima saiba o que fazer para obter certificacao

Você já conheceu a Anbima, seu papel no mercado e as certificações que oferece.

Agora, é chegado o momento de entender como obter as certificações e para quem elas são indicadas.

Acompanhe!

Quem deve obter a certificação?

De maneira geral, as certificações da Anbima são indicadas para profissionais do mercado financeiro e estudantes que estejam se preparando para atuar nesse segmento.

Mas existem particularidades entre os tipos de certificado. Como vimos, cada um avança um nível de complexidade e engloba as anteriores.

Assim, podemos dizer que as certificações são indicadas mais largamente para profissionais de instituições financeiras que tenham aderido ao código da Anbima.

Cursos preparatórios para Anbima

O profissional que pretende prestar uma prova da associação não tem apenas o conteúdo da entidade para basear seus estudos.

No mercado, já é possível encontrar cursos preparatórios para a Anbima, que oferecem aulas ministradas por profissionais de referência na área.

Um exemplo é o programa de assessores da XP Investimentos.

Provas para certificações Anbima

As provas para certificações da Anbima são organizadas e aplicadas pela própria associação.

Para associados, os valores em 2020 variam entre R$ 272 e R$ 425, enquanto, para não associados, os preços ficam entre R$ 327 e R$ 510.

Depois de se inscrever pelo site e pagar o boleto com a taxa de inscrição, o candidato pode agendar sua prova em um dos centros de testes espalhados por todo o país.

Caso precise adiar sua prova, você pode fazê-lo com até oito dias de antecedência – o adiamento pode ser solicitado no máximo duas vezes.

Perguntas frequentes sobre Anbima

anbima perguntas frequentes sobre

Se você ainda tem alguma dúvida sobre a Anbima, as perguntas e respostas abaixo vão ajudar.

Acompanhe!

É preciso ter nível superior para fazer as provas da Anbima?

Muitos estudantes acabam postergando a realização de sua prova por acreditarem que a Anbima exige um diploma para aceitar seus candidatos – mas isso não é verdade.

O fato de não ser necessário o ensino superior completo torna a certificação muito mais acessível para o público geral.

Além disso, a associação facilita o caminho de universitários que querem investir em um certificado ainda durante a graduação.

Como faço para agendar a prova da Anbima?

Se você está pensando em obter a sua certificação da Anbima, o estudo deve ser o primeiro passo.

No site da entidade, é possível encontrar uma biblioteca de conteúdos educativos para te ajudar a se preparar para a prova.

Assim que você estiver pronto, poderá então se inscrever pelo site.

Em seguida, será necessário pagar o boleto com a taxa de inscrição – esse preço varia de acordo com a certificação escolhida.

Assim que o pagamento for aprovado, você pode finalmente agendar sua prova.

No site, preencha com o número de CPF e escolha entre um dos centros de testes disponíveis.

Qual o valor da prova CPA-20?

O valor para prestar a prova CPA-20 varia de acordo com algumas questões.

Quem está tirando sua certificação pela primeira vez e é associado paga R$ 429, enquanto para não associados esse valor salta para R$ 514.

Para ter seu certificado CPA-20 atualizado, o preço é consideravelmente menor: R$ 358 para associados e R$ 429 para não associados.

Os valores foram consultados em outubro de 2020. Vale verificar no site da Anbima o custo no momento da sua inscrição.

Minha certificação Anbima venceu. O que fazer?

Se você tem uma certificação Anbima que perdeu sua validade, não precisa se preocupar.

Além dos valores diferenciados para quem precisa renovar seu certificado, a associação oferece um curso online para atualização do profissional.

Durante as aulas, o aluno entra em contato com assuntos relacionados ao sistema financeiro nacional para compreender o que mudou desde sua última certificação.

Tenho que trabalhar em uma instituição financeira para conseguir o certificado da Anbima?

Não é necessário estar trabalhando em uma instituição financeira para conseguir o seu certificado Anbima, ainda que existam alguns diferenciais para esse público.

Para quem não tem vínculo empregatício no setor, a validade do certificado passa de cinco para apenas três anos.

Mas, caso você venha a trabalhar em uma instituição participante, a validade de sua certificação passa a ser cinco anos a contar a partir da data de aprovação.

Quais são os pré-requisitos para realizar a prova da Anbima?

A Anbima não coloca pré-requisitos para os candidatos que desejam conquistar uma de suas certificações.

Isso significa que a prova está aberta para todas as pessoas, independente do nível educacional.

Essa brecha é utilizada por muitos estudantes que aproveitam o período de graduação para investir em um certificado que os qualifique para atuar no mercado financeiro.

Com pouco mais de uma década de fundação, a Anbima tem um histórico de regulação do mercado financeiro que precede esse tempo.

Conclusão

A associação é fruto de uma fusão entre a Anbid e a Andima, criando uma entidade que defende o interesse de instituições financeiras e que investe na educação do mercado.

Além de regular, a Anbima também trabalha para trazer mais transparência ao segmento.

Isso é alcançado por meio de seu trabalho educativo e de suas certificações, que buscam garantir um nível de qualidade para os profissionais de finanças.

Aproveite as informações deste artigo para se qualificar.

E na hora de fazer investimentos, conte com a Rico, que tem a maior oferta de produtos financeiros para todos os perfis e com as melhores taxas.

Abra sua conta gratuitamente e em poucos passos.

Obrigado por ler até aqui!

Nova call to action

setembro 3, 2020

Home Broker: O que é e como usar (+ qual o melhor)  

O home broker é o principal meio de acesso à bolsa de valores.

Por meio dele, você pode negociar ativos, como ações, de qualquer lugar do mundo. Basta ter acesso à internet. 

Assim, dominar o Home Broker é o primeiro passo de todo trader que quer ganhar dinheiro no mercado de ações

Hoje, operar na bolsa de valores se tornou algo acessível a qualquer investidor pessoa física. 

Neste post, vamos te mostrar o que é, como funciona, quais são as taxas e qual o melhor home broker do mercado.

Hoje, quase 3 milhões de brasileiros operam por meio de um Home Broker. Para muitos pode parecer algo difícil, mas garantimos que não é.

Graças ao avanço da tecnologia nos smartphones e tablets, você vai ver que essa ferramenta é mais um meio eficaz para realizar os seus investimentos.

Siga a leitura pelos seguintes tópicos:

  • O que é Home Broker?
  • Entenda Como Funciona o Home Broker: Investindo Pela Internet
  • Como Operar no Home Broker Passo a Passo
  • Como Comprar e vender ações no Home Broker
  • Vantagens de Utilizar o Home Broker
  • É Seguro Utilizar o Home Broker? Entenda os Riscos Envolvidos
  • Home Broker ou Mesa de Operações: Qual é Melhor Usar?
  • 5 Passos Para Escolher o Melhor Home Broker do Brasil e Corretora
  • Qual o Melhor Home Broker do Brasil?
  • Onde Aprender a Utilizar o Home Broker Para Investir
  • Veja como configurar o Home Broker da Rico
  • 6 Dicas Infalíveis para Ganhar Dinheiro no Mercado de Ações.

Se restar alguma dúvida ao final, é só deixar um comentário.

Boa leitura!

Clique e abra sua conta na Rico

O que é Home Broker?

Um homem e uma mulher em frente a um monitor com a plataforma de investimentos, em referência ao home broker
Contar com um bom Home Broker é fundamental para ser um bom trader.

O Home Broker é um sistema que permite a negociação de ações e outros ativos financeiros por meio da internet, fazendo isso de uma forma simples e rápida.

Deve ser uma plataforma de investimentos estável, segura e ágil, contando com diversos recursos para você fazer seus investimentos em seu computador ou por meio do celular ou tablet.

Veja, na imagem abaixo, como é o Home Broker da Rico:

home-broker-rico-2020
Home Broker Rico – Tela capturada em 06/07/2020.

Entenda Como Funciona o Home Broker: Investindo Pela Internet

Não é possível investir diretamente na bolsa de valores, sem nenhuma intermediação.

E é para fazer essa ponte que liga você aos ativos da bolsa que uma corretora de valores existe.

A corretora é responsável por intermediar as negociações de ativos de renda variável entre o investidor e a B3, a bolsa de valores brasileira.

E, para que isso aconteça, as corretoras oferecem o sistema de negociação online chamado de Home Broker.

Seu funcionamento, então, se dá de forma online.

É a partir da plataforma que você emite ordens de compra e de venda, além de acompanhar as cotações de ações de empresas listadas na bolsa.

Como Operar no Home Broker Passo a Passo

Um homem feliz olhando para o celular que segura nas mãos, em referência ao home broker
É muito simples negociar ativos no home broker da Rico!

Antes de passar à operação, é importante lembrar que o mercado de ações é aberto a qualquer investidor, mas tem suas particularidades.

Para iniciar, você deve ter um perfil de investidor moderado ou agressivo (um teste que analisar a sua tolerância ao risco).

Então, com uma conta em corretora ativa, já é possível investir na bolsa de valores através de um home broker.

Veja o passo a passo para iniciantes sobre como começar a investir em ações na bolsa:

Passo 1 – Escolha um ativo

Este passo pode ser o mais difícil. Afinal, saber como dominar a ferramenta não vai garantir que você sempre escolha os investimentos corretos.

Então, não poupe tempo ao pesquisar sobre a ação que deseja adquirir.

Avalie a cotação atual, se o seu preço está caro ou barato em relação ao valor intrínseco. 

Para isso, utilize as diferentes formas de análise: técnica e fundamentalista.

Passo 2 – Defina uma estratégia

Antes de investir, você deve saber qual estratégia vai seguir para alcançar lucro na renda variável.

Por exemplo, se é com day trade, swing trade ou position trade.

Após escolher uma estratégia de investimentos, seja fiel a ela e evite mudar o plano a todo momento.

Busque definir também o stop loss e stop gain se fará day ou swing trade.

Se esses termos soam estranhos a você, leia nosso artigo sobre a importância do STOP na hora de investir.

Passo 3 – Compra das ações

Para aplicar dinheiro na empresa desejada, você só precisa clicar em “Comprar”.

Assim, abrirá uma boleta de compra como a da imagem abaixo.

Em seguida, então, você só precisa inserir o código do investimento.

Por exemplo AZUL4 é o código (também chamado de ticker) da Azul Linhas Aéreas. Já a ação preferencial da Petrobras é negociada com o código PETR4, enquanto a AMBEV tem o ticker ABEV3 em sua ação ordinária.

home-broker-rico-2020-1

Como Comprar e Vender Ações no Home Broker

A compra e venda de ações no Home Broker é realizada por meio da boleta, conforme as imagens abaixo.

O processo é simples e rápido. Basta inserir o ticker do ativo, a quantidade e o preço.

Ao enviar a ordem, o seu pedido é enviado automaticamente para o sistema da bolsa.

Se o preço da ação alcançar o que você ofereceu e houver ações disponíveis para a compra, a ordem é executada com sucesso.

Para realizar a venda o processo é o mesmo.

home-broker-rico-2020-1
Boleta de compra de Ações
home-broker-rico-2020-2
Boleta de venda de Ações

Vantagens de Utilizar o Home Broker

Zoom em um dedo mexendo em uma plataforma de investimentos, em referência ao home broker
Hoje em dia é possível até operar o Home Broker pelo celular.

Investir através de um Home Broker apresenta diversas vantagens.

Com certeza, essa é a melhor opção para quem deseja segurança e rentabilidade nos seus investimentos.

Vamos ver, então, quais são as principais razões para usar essa plataforma:

Comodidade

O sistema envia notificações sobre as ordens executadas, guarda o histórico da sua carteira de ações e mostra cotações e notícias do mercado em tempo real.

Diversificação

Hoje em dia, a utilização não se resume ao mercado de ações, futuro e de opções. O investidor pode operar fundos também.

Comodidade

Você pode programar ordens de compra e venda pelo Home Broker e receber confirmação das ordens executadas, sem precisar acompanhar em tempo real.

Invista de qualquer lugar

As corretoras que oferecem os melhores Home Brokers disponibilizam também aplicativos para que você possa operar de onde estiver, sem precisar depender apenas do acesso ao desktop.

É Seguro Utilizar o Home Broker? Entenda os Riscos Envolvidos

Em termos de tecnologia e estabilidade, investir em corretoras sólidas como a Rico é muito seguro.

O risco, como já alertamos, depende também do seu perfil de investidor.

Assim, ele não está relacionado à plataforma em si, que é bastante intuitiva, mas aos investimentos realizados.

Operar no mercado de ações não é difícil, mas exige conhecimento para tomada de decisão.

Por isso, antes de selecionar a corretora para operar, pesquise se ela oferece suporte educacional para que você possa aprender a operar.

Na Rico existe um espaço com diversos programas online e ao vivo para te ajudar, o Investv.

Home Broker ou Mesa de Operações: Qual é Melhor Usar?

Como você já deve ter percebido, essa plataforma de operação possibilita operar por conta própria.

Ou seja, é você quem envia a ordem de compra, de venda e realiza todas as operações sozinho.

Já a mesa de operações é formada por operadores da corretora, que emitem ordens para os clientes que preferem terceirizar a tarefa – seja porque não se sentem à vontade em operar ou porque preferem ter uma assessoria para isso.

Para ter acesso à mesa, é preciso entrar em contato com a corretora e solicitar o serviço.

Nesse caso, um operador fará o processo de negociação.

Note que, no Home Broker, você tem a agilidade de realizar uma operação no momento desejado.

Já na mesa, enquanto você solicita uma ordem, o preço da ação já pode ter variado.

Outra diferença está no custo, já que operar pelo Home Broker sai muito mais barato.

A decisão final deve ser sua, afinal, vai depender do seu perfil e objetivos.

Mas sugerimos que, antes de considerar operar pela mesa, que experimente usar o Home Broker.

As 3 principais funções do Home Broker

Estas são as três principais funções que você encontra em um Home Broker:

O que é possível negociar na bolsa de valores pelo Home Broker

Veja, agora, quais são os investimentos possíveis a partir de um Home Broker:

Importante: nem todas as corretoras disponibilizam negociação de fundos. Na Rico, é possível fazer essa aplicação.


5 Passos Para Escolher o Melhor Home Broker do Brasil e Corretora

Duas mulheres em um escritório, mexendo no computador, em referência ao home broker
Siga esse passo a passo para escolher os melhores home brokers do mercado em 2018.

1 – Conheça a corretora de valores

Mesmo que opere sozinho no Home Broker, você precisa se sentir seguro com a corretora que escolheu e saber que pode contar com ela sempre que precisar.

2 – Confira custos e o home broker

Conheça os custos para operar e verifique se há vantagens e descontos para clientes que operam com certa frequência (isso pode fazer uma grande diferença).

Também assista a palestras online sobre a apresentação do Home Broker.

3 – Verifique se há especialistas disponíveis para tirar dúvidas sobre o mercado de ações

Operar por conta própria não precisa ser sinônimo de operar sozinho, sem assessoria.

Confira se a corretora tem especialistas de renome no mercado que se disponibilizam a tirar dúvidas dos investidores, independente do seu nível de conhecimento.

4 – Se a corretora oferece palestras ao vivo, participe, tire dúvidas

A plataforma online oferece diversas funcionalidades, mas, para ganhar dinheiro, é preciso conhecimento.

Por meio de palestras online, você aprenderá estratégias e dicas para operar cada vez melhor.

Por isso, verifique se a corretora oferece esse tipo de conteúdo.

5 – Abra a conta gratuita na corretora e acesse o home broker

Na maioria das corretoras, a abertura de conta é gratuita, bem como o uso da plataforma. 

Depois de considerar a melhor, experimente.

Lembre-se de conferir se há valor mínimo para operar. Na Rico, você começa a investir com o valor que quiser.


Qual o Melhor Home Broker do Brasil?

Ter um sistema ágil e seguro que permita a negociação sem interrupção é básico e deve ser oferecido por todas as corretoras.

Isso não deveria ser visto como vantagens e sim como exigência.

Afinal, você não considera que o seu banco é o melhor só porque consegue pagar as contas em menos de 5 minutos, não é?

Esse é um dos fatores que você deve considerar para encontrar o melhor Home Broker do Brasil – e que seja também o melhor para o que precisa.

E para acabar com qualquer dúvida neste sentido, temos uma dica certeira.

Home Broker Rico

Corretoras reconhecidas no mercado, como a Rico, oferecem uma boa plataforma, com estabilidade, segurança e agilidade.

Como lembramos antes, isso representa o básico.

Mas o Home Broker da Rico vai além.

Então, na sua escolha, não deixe de olhar outros serviços que complementam a plataforma, pois é aí que você vai conseguir se decidir pelo melhor.

Veja só o que o sistema da Rico oferece:

  • Boletas exclusivas – para realizar operações mais avançadas,  como uma boleta exclusiva para day trade, operar com alavancagem, etc.
  • Salas com especialistas durante o pregãocom a InvesTV, você pode tirar dúvidas sem sair do Home Broker e consultar quem entende e vive disso.

Diferenciais extras que definem o melhor Home Broker

Agora, observe outros pontos importantes, que você encontra na plataforma da Rico e que ajudam a responder qual o melhor Home Broker do Brasil:

  • Gráficos avançados –  oferecidos sem custo para quem utiliza análise técnica para tomar decisões
  • Alerta de ativos – para ser avisado por e-mail quando um ativo chegou no preço que você programou
  • Sistema de negociação próprio trata-se de um sistemas desktop profissional, ideal para traders que fazem operações mais estruturadas e altamente avançadas.
  • Informativo do mercado –  como notícias, análises e vídeos diários e ao vivo como call de fechamento.

Existe algum Home Broker 100% gratuito?

Essa é uma dúvida comum, já que quem ingressa no mercado de ações precisa estar atento aos custos.

Mas a resposta é “sim”!

Não só existem Home Brokers gratuitos, como a oferta da plataforma sem custos é a prática mais comum entre as corretoras.

Na Rico, você abre sua conta gratuitamente e acessa o melhor Home Broker sem nenhuma cobrança.

Ou seja, você só tem custos com a operação e as taxas envolvidas nela.

Então, não faltam motivos para experimentar agora mesmo essa plataforma digital!

É só abrir sua conta na Rico!


Onde Aprender a Utilizar o Home Broker Para Investir

Oferecer serviços gratuitos que mostram o caminho das pedras para começar é essencial.

Porém, nem todas corretoras oferecem. Uma vez que você abre a sua conta, você fica à própria sorte. Mas não precisa ser assim.

Afinal, se você começar com orientação de quem entende muito bem do assunto, a chance de cometer erros de principiantes será menor.

Quer operar com o melhor Home Broker do mercado?

Aqui na Rico, temos duas recomendações de serviços gratuitos para quem vai começar:

Isso é uma realidade e um dos grandes diferenciais que atraem os investidores.

Além de tirar as suas dúvidas, você acompanha os especialistas operando ao vivo e suas recomendações.

6 Dicas Infalíveis para Ganhar Dinheiro no Mercado de Ações

Um homem de terno sentado no sofá segura um tablet, em referência ao home broker
Estas são dicas para iniciantes entenderem alguns detalhes básicos, porém importantes.

Para completar o seu aprendizado e ajudar você a se sentir confiante para começar a operar, veja estas dicas que separamos:

1. Não Há Custos e Taxas Para Utilizar o Home Broker

O acesso ao Home Broker é gratuito e basta ter uma conta aberta em uma corretora.

Assim, você só paga pelas operações que realizar.

2. Fique de Olho na Taxa de Corretagem

Essa taxa é cobrada para realizar as operações de compra e venda na bolsa de valores.

O custo varia de corretora para a corretora.

Para quem faz a partir de 10 operações por mês, é vantajoso contratar os pacotes de corretagem.

Saiba mais sobre taxa de corretagem

3. Veja se Há Taxa de Custódia

Essa taxa é mensal e cobrada pelas B3 para a guarda dos títulos.

A Rico não cobra taxa de custódia.

4. Atenção às Taxas de TED

Para realizar as operações, é necessário realizar a transferência de recursos da sua conta bancária para a sua conta na corretora.

5. Conheça Outros Custos

Para operar na Bolsa, há também a cobrança do ISS (Imposto Sobre Serviço) que equivale a 5% da corretagem e os emolumentos.

6. Avalie Pacotes de Corretagem

Contratar um pacote de corretagem é mais econômico para quem faz a partir de 10 ordens por mês.

Isso porque o valor unitário da ordem sai mais em conta.


Conclusão

Um homem em uma lanchonete, sentado à mesa e mexendo no computador, em referência ao home broker
Está pronto para começar a operar o Home Broker?

O mercado de ações não é para todos. Você deve ter o mínimo de educação financeira para entrar no segmento de renda variável com segurança e rentabilidade.

A dica mais importante é sempre pensar a longo prazo.

Não tente ficar rico da noite para o dia, investindo na Bolsa de Valores.

Isso é praticamente impossível.

Então, agora que você já sabe o básico, que tal conhecer na prática? Abra a sua conta na Rico e comece a operar agora mesmo!

  • Home Broker completo, ágil e seguro
  • Sem custo de abertura e de manutenção
  • Especialistas ao vivo e atendimento personalizado
  • Sem valor mínimo obrigatório para investir
  • Ferramentas exclusivas para operar melhor.

Continue aprendendo sobre o mercado financeiro com estes outros artigos do nosso blog:

Obrigado por ler até aqui!


junho 30, 2020

Como operar na Bolsa – 14 dicas dos melhores traders  

O que acha de aprender como operar na bolsa e ficar mais próximo de conquistar a independência financeira?

A verdade é que investir em ações pode ser muito rentável e funcionar bem para os mais variados objetivos financeiros.

Mas como entender todas aquelas cotações, índices, o comportamento de preços e a quantidade enorme de números mudando o tempo todo?

Se você tem dúvidas a respeito de como funciona a bolsa de valores, fique tranquilo.

Neste artigo, separamos uma série de informações e dicas que vão ajudar você a iniciar no mercado de ações e elaborar uma estratégia vencedora.

Ou seja, tem como ganhar dinheiro ao se inspirar nas lições dos melhores traders, que é como são chamados os investidores que atuam na compra e venda de ações.

Ansioso para começar?

Então, veja a lista de assuntos que vamos abordar a partir de agora.

  • O que é operar na Bolsa de Valores?
  • O que você precisa para operar na Bolsa
  • 5 formas de operar na Bolsa de Valores
  • Afinal, qual a melhor estratégia para operar na Bolsa?
  • Como ser um investidor de sucesso: 14 dicas dos melhores traders para começar
  • 4 melhores livros para iniciantes na Bolsa de Valores.

E para aprender ainda mais, dê só uma olhada no vídeo abaixo, com nosso webinar que traz conselhos incríveis para começar a operar na bolsa, realizado pelos melhores analistas da Rico: 

Clique e baixe o material gratuito para aprender a investir na Bolsa.

O que é operar na Bolsa de Valores?

A bolsa de valores brasileira, a B3, funciona em dias úteis, entre 9h30 e 17h, para operações à vista.

É no chamado “pregão”, o expediente da bolsa, em que acontecem as transações do mercado mobiliário no Brasil.

Sendo assim, operar na bolsa da valores significa negociar ativos de renda variável, cujos preços sejam cotados no mercado financeiro, que por sua vez é regido pela bolsa.

É diferente, portanto, de investir em ativos de renda fixa diretamente pelos bancos convencionais. 

Nesse caso, você sabe com antecedência quanto o seu dinheiro vai render.

Isso porque aplicações como poupança, CDB e LCI têm rendimento prefixado ou, pelo menos, uma referência, como a taxa DI.

Mas saber o rendimento da aplicação não a torna mais atrativa.

Para investidores com perfil moderado a arrojado, operar na bolsa é o que, de fato, pode oferecer a rentabilidade desejada.

Aceitando correr riscos maiores, mas com uma estratégia consistente, é possível ganhar muito dinheiro com a compra e venda de ações.

O que você precisa para operar na Bolsa

Como veremos em detalhes mais à frente, antes de começar a transacionar ativos na bolsa, você precisará saber se é um investidor ou se pretende ser um trader.

Por agora, vamos nos limitar aos requisitos e exigências formais para entrar nesse mercado.

Dessa forma, só podem negociar na bolsa maiores de idade ou emancipados em pleno exercício de seus direitos econômicos.

Com isso, você estará habilitado para abrir uma conta em uma corretora, que é a única maneira de se comprar e vender ações junto à B3. 

Como operar na bolsa não é possível para pessoas físicas diretamente, é por meio dessa instituição financeira que o investidor deverá emitir ordens de compra, venda, entre outros tipos de transação.

5 formas de operar na Bolsa de Valores

Dependendo do seu perfil de investidor e seus objetivos, é possível definir uma ou mais formas de atuar junto à bolsa. 

Para que fique mais claro, vamos ver nos próximos tópicos cinco maneiras distintas de operar na B3.

1. Day trade

Operar no day trade significa comprar um ativo e vendê-lo no mesmo dia para obter lucro.

Somadas as transações, o investidor lucra vendendo ativos por um preço superior ao de compra.

Em função da grande volatilidade, o day trade é uma estratégia de operação avançada e indicada para quem tem perfil arrojado ou para operadores experientes.

2. Swing trade

Enquanto no day trade negocia-se dentro de um pregão, no swing trade, opera-se no curto e médio prazo.

Dessa forma, você projeta resultados não para um único dia, mas para uma semana, um mês ou períodos mais longos.

3. Position trade

O position trade é a forma de se negociar na bolsa de valores na qual os objetivos são de longo prazo.

Nesse caso, o que vale mais é o preço de compra de uma ação, tendo sua venda condicionada a um preço considerado ótimo via “stop gain”.

4. Buy and Hold

Operar no buy and hold, na prática, é a mesma coisa que em position trade.

A diferença aqui é que, em vez de análises técnicas para avaliar uma ação, o investidor se apoia nos fundamentos da empresa, ou seja, na análise fundamentalista.

Dessa forma, quem trabalha com base em buy and hold estará sempre visando a metas de longo prazo.

5. Scalping

Embora o significado em tradução literal de scalping seja “escalpelamento”, no contexto da bolsa, essa estratégia não tem nada a ver com o bárbaro método de guerra.

Na verdade, o termo tem mais relação com a figura do mercador/cambista. Ou seja, a pessoa que negocia com grande agilidade e ganha dinheiro explorando a volatilidade do mercado.

Essa é a essência do scalping, uma forma de operar no day trade na qual se busca obter lucro com as oscilações nos preços dos ativos financeiros.

Afinal, qual a melhor estratégia para operar na Bolsa?

Tendo em vista as muitas possibilidades, e como operar na bolsa é para pessoas minimamente informadas, resta saber qual estratégia adotar. Algumas delas você acaba de conhecer.

Por outro lado, a escolha vai depender fundamentalmente do seu perfil e das metas traçadas.

Um investidor conservador tende a optar por estratégias como buy and hold, enquanto os mais arrojados devem preferir o scalping ou operar no day trade.

Resumindo: tudo vai depender dos seus objetivos, de quanto dinheiro tiver para investir e da sua disposição em assumir riscos.

Como ser um investidor de sucesso: 14 dicas dos melhores traders para começar

Depois de entender melhor o que é e como funciona a bolsa de valores, é hora de avançarmos para os aspectos práticos da compra e venda de ações.

Fique ligado, pois as 14 dicas que você vai ver a partir de agora são conselhos dos melhores traders, que vão ensinar você como operar na bolsa e ganhar dinheiro!

1. Quem Pode Operar na Bolsa? 

Operar na bolsa é visto como algo complexo.

De acordo com Rodrigo Cohen: “Dos traders e investidores que entram no mercado de ações, 90% desistem no primeiro ano. Dos 10%, apenas 5% conseguem ter resultados satisfatórios e viver de trading“. 

O fato é que a negociação de ações vai muito além da compra e venda dos ativos.

Ela envolve uma série de fatores que devem ser considerados.

E, ao final, eles vão contribuir para o seu sucesso

O primeiro deles é se você pode operar na bolsa.

Todos sabemos que o objetivo principal ao entrar no mercado acionário é ganhar dinheiro. 

Porém, você precisa entender como funciona a dinâmica da renda variável.

Por isso, Danilo Zanini enfatiza: “Antes de começar, dê um passo para trás.” Isso significa comparar as suas expectativas com a realidade. 

De acordo com o trader Alison Correia: “Primeiro, é preciso entender o processo para, depois, focar no lado financeiro.” 

Mesmo com as diversas oportunidades que aparecem diariamente, operar na bolsa exige dinheiro, conhecimento e, mais do que isso: saber que cada negociação é uma construção, que contribui para o alcance dos seus objetivos. 

Além disso, é essencial identificar o seu perfil de investidor, ou seja, a sua tolerância aos riscos.

A renda variável é indicada para moderados e arrojados. 

Se você não respeitar esse parâmetro, provavelmente, será parte dos 90% que desistem, ao invés dos 5% dos vencedores. 

Quer aprender a operar na Bolsa com os nossos analistas? Clique aqui e saiba como 

2. Você é Trader ou Investidor?

Um homem e uma mulher sentados no chão enquanto mexem no notebook apoiado em uma mesa de madeira; eles estão com uma expressão feliz e pesquisam sobre como operar na bolsa.
O trader é focado nas cotações e tendências de mercado

Depois de definir se operar na bolsa é apropriado para o seu perfil, chegamos a outro ponto crucial: o foco de atuação. 

Um investidor é muito diferente de um trader.

Tudo começa com o tempo das estratégias, pois, enquanto o trader opera no curto prazo, o investidor emprega o seu dinheiro na empresa mais focado no médio e longo prazos. 

Basicamente, o trader tem foco em ganhar dinheiro com a variação das cotações, pois é daí que vem o lucro dele.

O investidor é mais voltado ao negócio, pois, assim, ele vai lucrar com a valorização dos papéis e com os proventos ao longo do tempo. 

Apesar desta diferença, Alison Correia cita: “Há pessoas que se autossabotam nas suas próprias estratégias. Muitas entram para especular, mas acabam se tornando investidoras da empresa.”

Se você não tiver clareza do seu foco de operação e escolher os papéis errados, é possível acarretar perdas, por exemplo, a empresa pode vir a falir, vender por um preço muito menor que o de compra ou investir em ações inadequadas ao seu perfil. 

3. Como Operar na Bolsa de Valores via Home Broker – Dicas Para Começar

Como investir na bolsa de valores sozinho e com pouco dinheiro? E como ganhar dinheiro ao investir em ações?

Para operar na bolsa , é muito simples: você só precisa ter acesso à internet e ao home broker, que é o ambiente de negociação dos ativos. 

Ele é disponibilizado pelas corretoras de valores.

Através dessa plataforma, você pode acompanhar todas as movimentações do pregão em tempo real. 

Então, o primeiro passo para operar na bolsa é abrir uma conta em uma instituição financeira de confiança como a Rico

Aqui, o cadastro é muito prático! Basta inserir os seus dados pessoais, criar um login e senha. 

Após isso, é só entrar na sua plataforma de investimentos e escolher a opção “Home Broker”.

A B3 possui uma série de ações, todas elas são identificadas por uma sigla – por exemplo, ITSA4 é o papel de Itaúsa. 

Então, basta digitar no campo de busca a sigla da empresa.

Agora, você pode ver a cotação atual, os negócios em aberto e os gráficos com o histórico completo dos preços

Neste momento, a definição de investidor e trader é fundamental.

Primeiro, porque o trader precisa de um home broker estável, rápido e que ofereça as ferramentas necessárias para operar na bolsa. 

O investidor também deve ter um bom ambiente de negociações. Porém, ele utiliza apenas alguns passos, como comprar, acompanhar e vender.

Então, para operar na bolsa, pesquise instituições que ofereçam um home broker de qualidade, como a Rico. 

4. Como Investir em Derrotas

Duas imagens sobrepostas. No fundo, uma cidade em preto e branco e, na frente, alguns gráficos que imitam a forma dos prédios, em referência a como operar na bolsa.
Utilize as suas derrotas como parte da construção do seu sucesso!

Ao operar na bolsa de valores, você, provavelmente, não quer perder.

Mas, você sabia que uma operação com resultados ruins pode ser uma das maiores chances da sua vida? 

Isso mesmo!

Você deve aproveitar esse momento para identificar os seus pontos falhos e aprimorar a sua estratégia para continuar firme e forte no próximo dia. 

Para você aprender a investir nas suas derrotas, o trader Jeferson Silva, o famoso Jota, tem uma dica incrível: “Depois de tomar um loss (perda), ao final do dia, vá ao escritório e anote tudo o que você fez, observe as operações feitas e veja o que você poderia ter feito para que isso não tivesse acontecido.” 

Desta forma, você terá outra visão sobre os erros cometidos e, possivelmente, não os repetirá na próxima estratégia.

Jota pontua que: “O momento de derrota nos ensina muito mais que quando obtemos ganhos.”

Então, aproveite essa oportunidade para evoluir como trader e obter mais conhecimentos sobre o mercado financeiro.

5. Quando ‘Não Operar’ Significa Operar

Um dos conselhos essenciais para aprender a operar na bolsa, é saber o momento de parar.

Mesmo diante de uma vitória ou derrota, você deve respeitar o tempo para se recuperar e pensar na sua próxima estratégia. 

O trader Alison Correia afirma: “A diferença entre os traders profissionais dos amadores é reconhecer o tempo certo para operar, pescar as melhores oportunidades e aceitar os erros cometidos.”

Então, tenha um intervalo fora do home broker e volte com a mente mais tranquila e renovada.

Os resultados tendem a ser muito melhores do que atuar sob pressão. 

6. Qual o Momento Ideal para Comprar Ações? (Opere sempre com a tendência)

Uma conferência de traders. No centro da imagem, alguns homens operam com computadores enquanto uma multidão se forma ao seu redor, em referência a como operar na bolsa
Saiba quando colocar em prática a sua estratégia

Ao operar na bolsa de valores, você vai notar que o mercado é muito dinâmico, isto é, há altas e baixas o tempo todo.

Essas movimentações são geradas a partir de notícias veiculadas na mídia, tanto sobre a economia ou política, quanto das empresas emissoras.

As informações se disseminam em alta velocidade e o mercado responde à altura.

Todas elas geram tendências nos ativos financeiros e no próprio mercado de ações. 

De forma geral, as grandes empresas (Blue Chips) têm peso maior.

Isto é, a queda ou alta delas reflete no índice de referência com mais força que os papéis de companhias pouco conhecidas. 

Para ter sucesso ao operar na bolsa, é fundamental acompanhar tendências e alinhar a sua estratégia.

Rodrigo Cohen enfatiza: “Se você operar contra a tendência, a probabilidade de perder dinheiro é muito maior. O mercado está subindo: compre. Caso ele esteja caindo: venda.”

Então, não há um momento específico para comprar ações. Na verdade, você só vai aprender na prática.

De antemão, saiba que o tempo todo, há oportunidades de ganhar dinheiro na bolsa de valores. 

Se você souber como identificá-las, o sucesso o lucro serão consequências.

7. Qual o Momento Ideal para Vender Ações?

Embora o lucro com ações possa ser obtido por meio de operações de aluguel ou ao operar vendido, é em transações de compra e venda que se encontram as melhores oportunidades.

Basicamente, consiste em comprar ações a um preço considerado como o mais baixo possível para vendê-las quando o preço aumentar.

Lembre-se de que os preços das ações oscilam o tempo todo.

Isso significa que um papel em baixa hoje, provavelmente, estará em alta amanhã ou depois.

Por isso, a maioria dos traders e investidores preferem acompanhar os movimentos do mercado financeiro para, a partir disso, decidir quando negociar.

Isso vale para quem opera no day trade ou ao adotar estratégias de médio ou longo prazo.

A oportunidade de uma boa venda pode acontecer antes do previsto, então, para quem se mantém atento, há mais chances de fazer bons negócios.

8. Como Operar na Bolsa Com Pouco Dinheiro (E Com Quanto Dinheiro Você Pode Começar)

Uma das perguntas mais frequentes sobre operar na bolsa de valores é a quantia inicial para começar.

Na verdade, isso depende do seu foco de atuação, pois existem ativos que custam mais de R$ 1 mil e outros que valem centavos. 

Então, Rodrigo Cohen diz que: “Ao invés de focar no aporte mínimo, a pergunta correta é aonde você quer chegar. Depois disso, verifique o quanto você vai precisar para fazer as negociações.”

Para isso, é fundamental estudar o mercado, os ativos disponíveis e a sua dinâmica. 

Cada papel possui um comportamento diferente, ou seja, você também deve analisar aspectos, como liquidez, volatilidade e notícias relacionadas ao emissor da ação.

Todos esses podem ser insights para fazer operações de sucesso. 

Considere também que, mesmo que seja possível operar na bolsa de valores com pouco dinheiro, há custos embutidos nas negociações, que variam conforme o ativo utilizado.

Por exemplo, nas ações, há a taxa de corretagem, emolumentos e o Imposto de Renda

Todos esses valores são somados à operação e devem ser descontados na hora de contabilizar os seus lucros. 

9. Escolha o seu Método e Opere com Ele

Um homem em frente a uma parede branca, olha para o celular e sorri, em referência a como operar na bolsa.
Escolha e entenda a fundo uma métrica por vez

Existem muitos métodos para operar na bolsa. E todas eles têm capacidade de gerar ganhos ao trader.

Porém, você precisa entender os seus funcionamentos e as maneiras corretas de utilizar. 

Para isso, é necessário tempo e estudo.

Não há como ganhar dinheiro na bolsa de forma consistente se você usa uma métrica que pouco conhece ou usa várias delas ao mesmo tempo. 

A escolha do método entra na sua estratégia, ou seja, vem antes de fazer qualquer operação. 

O trader Jeferson Silva dá mais uma dica poderosa: “Ao invés de extrair pequenos ganhos e pagar prejuízos, conheça a fundo uma técnica. De preferência, aquela que você gostou e que você entendeu de verdade. Você vai ver a diferença disso na sua conta e na sua nota de corretagem.”

Se você focar em uma coisa de cada vez, ficará mais fácil para definir a melhor métrica de operação.

Lembre-se de que o conhecimento é essencial para obter sucesso no mercado financeiro. 

10. Estime o Tempo de Cada Investimento

Antes de operar na bolsa e colocar em prática as suas estratégias, você deve estimar o tempo de cada investimento ou operação. 

De acordo com o analista Evandro Lima: “A primeira coisa é saber esperar e estimar o tempo para que as suas expectativas sejam atendidas.”

Ao definir esse parâmetro, você pode focar em pontos de análise diferentes.

Por exemplo, os traders devem se ater às tendências. Já os investidores precisam atentar ao andamento do negócio. 

Assim, é possível saber o quanto deve ser investido hoje e o que esperar quando a operação finalizar, ou seja, a probabilidade de bons resultados é maior. 

11. Como montar uma carteira de ações

Montar uma carteira de ações significa selecionar os ativos nos quais você vai investir.

Para fazer isso, a sugestão é seguir as dicas que viu até aqui.

Ou seja, conhecer seu perfil de investidor e a tolerância ao risco, definir os seus objetivos para o investimento e entender se a sua posição na bolsa é de trader ou de investidor.

A partir daí, você tem um ponto de partida para a estratégia e consegue encontrar ações alinhadas a ela.

Como a rentabilidade é um aspecto sempre importante, você pode se sentir mais seguro ao investir a partir de carteiras recomendadas, como a Rico Premium.

Essa é uma seleção feita pelos nossos analistas, que observam o mercado, suas movimentações e tendências para recomendar determinados papéis aos investidores.

E para que você tenha uma melhor ideia sobre o resultado alcançado, desde a criação da carteira, em janeiro de 2016, seu rendimento está 50,4% acima do Ibovespa – 149,3% da carteira Rico Premium e 98,9% do índice (dados de junho de 2020).

12. Como Viver de Trade (A Fórmula do Sucesso para Operar Tranquilamente)

Se você quer viver de trade, não basta apenas focar em operar e obter lucros.

Você precisa avaliar os seus aspectos pessoais antes mesmo de iniciar neste meio. 

A dica do analista Danilo Zanini é: “Avalie o que o dinheiro representa para você, quem está à sua volta e as suas referências no mercado financeiro.”

Tenha em mente que o que faz os traders de sucesso é um resultado da junção de visão saudável sobre o dinheiro, seguir pessoas experientes e acompanhar o mercado.

Para isso, você pode acompanhar salas de aprendizado da InvesTv.

Ao pensar desta forma, você poderá aceitar com facilidade as derrotas e seguir em frente.

Se você tem uma boa estratégia, segue as tendências e está em frequente atualização, as chances de alcançar o sucesso como trader são muito maiores.

13. Qual o melhor horário para operar na bolsa?

Como agora você já sabe, o horário da B3 para o mercado de operações à vista é de 9h30 às 17h.

No entanto, dependendo da sua estratégia e das ações que tiver em carteira, é provável que existam horários “de pico” para seus papéis.

Assim sendo, procure acompanhar os movimentos nos preços ao longo do day trade.

A partir disso, procure estabelecer horários ideais para compra e venda, sempre considerando o movimento mostrado pelos gráficos.

14. Como operar na bolsa americana

O investidor brasileiro, hoje, está cada vez mais atento às oportunidades e riscos do mercado. 

É por isso que muitos preferem “fugir para a qualidade” ou seja, investir no exterior em busca de mais solidez e segurança.

Nesse quesito, nenhum mercado se iguala ao norte-americano, de longe o maior e mais bem estruturado do mundo.

A título de comparação, o mercado financeiro dos Estados Unidos é cinco vezes maior que o segundo, o da China, segundo o portal HowMuch.net.

Para acessar a bolsa americana, o modo mais comum é a partir das BDRs, ou Brazilian Deposit Recipts.

São recibos de depósitos realizados por instituição que compra as ações em nome dela.

Contudo, esse tipo de operação é restrita a investidores profissionais, com pelo menos R$ 1 milhão aplicados.

Há, ainda, a possibilidade de investir a partir de fundos de índices que replicam a performance das empresas listadas em bolsa americana.

Por fim, o investidor pode recorrer a empresas gestoras de capital que têm foco no mercado estrangeiro para encontrar oportunidades para sua carteira.

4 melhores livros para iniciantes na Bolsa de Valores

Operar na bolsa de valores com desenvoltura é para quem tem bagagem.

Logo, quanto mais conhecimento e informação, melhores os resultados.

Para ajudar você a se orientar melhor, veja as sugestões da Rico para ampliar ainda mais seus horizontes por meio da leitura.

1. Memórias de um Operador da Bolsa

Edwin Lefèvre é considerado até hoje uma dos maiores traders de todos os tempos da bolsa norte-americana.

Ainda que sua vida tenha terminado tragicamente com um suicídio em 1940, ele deixou valiosas lições de como operar na bolsa pelo seu livro “Memória de um Operador da Bolsa (Campus, 2008)”.

Vale a leitura das experiências de um investidor em uma época em que não se tinha tanto conhecimento de instrumentos de análise técnica.  

2. Como Investir na Bolsa de Valores Com Pouco Dinheiro

O e-book “Como Investir na Bolsa de Valores Com Pouco Dinheiro”, de Hugo Teixeira, segue uma linha mais ou menos parecida com as memórias de Jesse Livermore, contadas por Edwin Lefèvre.

A diferença, nesse caso, é que se trata de um investidor brasileiro que começou investindo pouco e, depois de muitas perdas, passou a registrar lucros crescentes na bolsa de valores.

Leitura indicada para quem precisa de dicas para controle emocional e, claro, para entender como definir com mais precisão os momentos de comprar e vender ações.

3. Faça como Warren Buffett

Não há como operar na bolsa e ser bem sucedido sem “beber” na fonte de um dos maiores investidores de todos os tempos.

Faça como Warren Buffett” (Texto Editores, 2010), também disponível em e-book, mostra não só como negociar ações, mas a gerir negócios de um modo geral.

Escrito pelo célebre Warren Buffett junto com sua esposa Mary Buffett, é uma poderosa lição de como adotar critérios ao negociar ações e de como obter sucesso no mercado financeiro.

4. Candlestick: um Método para Ampliar Lucros na Bolsa de Valores

Carlos Alberto Debastiani assina “Candlestick: um Método para Ampliar Lucros na Bolsa de Valores” (Novatec,2007), obra em que mostra como analisar os populares gráficos de velas.

O mais interessante é que o livro não se limita apenas a analisar gráficos com base em fórmulas e cálculos, mas busca entender a “psicologia” por trás de seus movimentos.

Conclusão

Um homem sentado em uma cadeira na praia, enquanto tem o notebook no colo, em referência a como operar na bolsa.
Siga os conselhos deste artigo e consiga excelentes resultados!

Aprender como operar na bolsa é o desejo de muitas pessoas.

No entanto, muitas delas desistem após o primeiro prejuízo ou pela sensação de complexidade do mercado de ações

Ao conhecer a visão de pessoas experientes e que já operam há anos, você poderá ter um panorama diferente, que é essencial para quem está começando. 

Saiba que você só entenderá, de fato, a dinâmica do mercado com o tempo e que não há como prever os próximos movimentos com exatidão.

Ao mesmo tempo, a experiência ajuda você a evitar perdas e também aproveitar as oportunidades do mercado. 

Se você quer se tornar um investidor de sucesso no mercado de ações, aprender técnicas para operar na bolsa de valores, entender o mercado e ter um bom home broker são alguns dos elementos fundamentais para ter sucesso nesta jornada.

Continue a aprender sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

RECADO IMPORTANTE: A Rico criou um grupo no Telegram aberto para todos aqueles que querem receber nossas análises de investimento, conteúdo e notícias úteis sobre renda variável. Quer participar? É só clicar aqui e acessar nosso grupo oficial do Telegram.

Obrigado por ler até aqui!


maio 18, 2020

Como escolher a melhor corretora para Day Trade  

Em dúvida sobre como escolher a melhor corretora para day trade?

É comum que investidores fiquem indecisos sobre o que considerar para a tomada de decisão.

Entre as diversas opções de empresas com essa característica no mercado, decidir qual é a melhor pode ser mesmo uma tarefa um pouco complexa. 

Mas não há como fugir ou terceirizar a decisão: ela faz toda a diferença na rentabilidade de seus investimentos.

Quem se associa a uma corretora que prioriza a transparência, segurança e facilidade em seus processos, pode investir tendo a confiança de que o seu capital está em boas mãos.

Além disso, o catálogo de ativos varia de uma empresa para outra e isso também influencia na escolha.

Quem quer garantir os melhores retornos e as menores taxas, deve se certificar em escolher uma corretora arrojada e com boa gestão para cuidar de seus investimentos.

Se você se interessa pelo assunto e quer saber mais sobre como escolher a sua corretora para day trade em 2020, continue lendo esse artigo.

  • Veja os tópicos que vamos abordar a partir de agora:
  • O que avaliar na hora de escolher uma corretora
  • Corretora Day Trade vs corretora de investimento
  • Ranking: 5 melhores plataformas para Day Trade
  • Qual é o melhor home broker para Day Trade?
  • 6 Dicas infalíveis para day traders alcançarem o sucesso.

Se restar alguma dúvida ao final, é só deixar um comentário.

Boa leitura!

Clique e abra sua conta na Rico

O que avaliar na hora de escolher uma corretora

Uma mulher sentada em um pufe mexendo no notebook, em referência à melhor corretora para day trade

Logo na abertura deste artigo, comentamos rapidamente sobre a importância de escolher bem a empresa pela qual você vai fazer seus investimentos.

Mas, afinal de contas, o que é preciso avaliar na hora de escolher uma corretora de valores?

Do ponto de vista legal, existem mecanismos institucionais que falam sobre o seu nível de seriedade e segurança.

São cadastros e certificações em órgãos oficiais que garantem que aquela empresa está comprometida em seguir as regras e regulamentos do mercado.

Conheça alguns desses instrumentos a partir de agora.

1. Inscrição da CVM

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Fazenda, que funciona como personalidade jurídica, contando com patrimônio próprio e autoridade para controlar o mercado de valores.

Tem como objetivo regular e fiscalizar os investimentos no país, garantindo transparência nas operações e protegendo os interesses dos investidores.

A CVM conta com uma relação de corretoras que estão inscritas e autorizadas a atuar no mercado.

Essa lista completa você pode conferir na Central de Sistemas da CVM.

2. Selo Cetip Certifica

A Cetip é uma empresa privada de capital aberto que atua desde 1984 com serviços de negociação, liquidação, depósito e registro de ativos e títulos para instituições financeiras.

Presente em diversos tipos de transação interbancária, atua como intermediadora em transferências de TED e DOC, por exemplo.

O Selo Certifica é fornecido pela própria B3, a bolsa de valores brasileira, originada justamente da fusão entre BM&FBovespa e Cetip.

A presença do selo em uma corretora assegura que o investimento estará devidamente registrado no nome do cliente da instituição financeira.

3. Certificados da B3

Além do Selo Certifica, a B3 conta ainda com outras certificações como a oferecida pelo Programa de Qualificação Operacional (PQO).

Essa é uma iniciativa da bolsa que busca registrar e qualificar o serviço das corretoras que atuam no mercado financeiro.

Hoje, o programa conta com 120 instituições financeiras cadastradas e mais de 12 mil profissionais certificados para operar na B3.

4. Habilitação para Operar no Tesouro Direto

Uma modalidade de investimento em renda fixa que ganhou muitos adeptos nos últimos anos foi o Tesouro Direto.

Esse é o nome do programa de compra e venda de títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional em um sistema eletrônico.

Apesar de o investimento em ações, o que inclui o day trade, não tenha relação com o Tesouro Nacional, uma empresa que atua no segmento deve ter autorização para negociar títulos públicos.

No site institucional, é possível conferir uma lista completa de todas as corretoras habilitadas para isso.

Com quase uma década de experiência no mercado de investimentos, a Rico é hoje a campeã em número de transações no Tesouro Direto – dados de janeiro de 2020.

Corretora Day Trade vs corretora de investimento

Um notebook e à frente, uma mão com papéis de gráficos, em referência à melhor corretora para day trade

Basicamente, o que define uma corretora como day trade ou não é a forma como o investidor se relaciona com a instituição.

Ainda que você possa encontrar promessas de um investimento fácil e lucrativo, a empresa que vai atuar como sua parceira nessa jornada deve ser transparente em alertar quanto aos riscos da operação.

De maneira geral, conhecemos por day trade a modalidade de negociação na bolsa de valores que foca na compra e venda de ações dentro de um período de 24 horas, operando com objetivo de retornos em curtíssimo prazo.

O risco é alto justamente porque o investidor precisa trabalhar com janelas de tempo bastante apertadas, se sujeitando aos imprevistos e reviravoltas comuns ao mercado de capitais.

Para investidores de perfil conservador ou moderado, que não toleram os riscos de aplicações de renda variável, resta trabalhar com as corretoras de investimento da maneira tradicional, começando com ativos de renda fixa.

Ranking: 5 melhores plataformas para Day Trade

Um homem com um café na mão olhando um tablet, em referência à melhor corretora para day trade

Se você procura a melhor corretora para day trade, é porque já sabe que essa é uma operação que combina com o seu perfil de investidor e tolerância ao risco.

Nesse caso, vale conhecer as melhores opções do mercado, com corretoras de valores habilitadas a ajudá-lo nessa jornada.

A lista abaixo é meramente informativa, inspirada em um levantamento recente feito pela Associação Brasileira de Defesa ao Consumidor (Proteste), além de outros veículos especializados.

1. Rico

No ranking da Proteste, a Rico recebeu menção honrosa por ser a “escolha certa” para os consumidores.

O reconhecimento fala muito sobre o ótimo custo-benefício da corretora, que oferece um atendimento de excelência e as menores taxas praticadas no mercado de investimentos.

A empresa tem destaque também no quesito segurança, conquistando a nota máxima oferecida na avaliação a Proteste.

O atendimento ao cliente é outro grande responsável pelo sucesso de público, que pode ser comprovado por sua grande participação no mercado financeiro.

No site da Rico, os clientes têm acesso exclusivo a simuladores e um ambiente educativo para esclarecer todas as suas dúvidas sobre investimentos.

2. Modal corretora

A Modal Mais ganhou espaço de mídia e de mercado nos últimos anos, sobretudo por conta de parcerias com criadores de conteúdo e formadores de opinião.

A instituição foi fundada em 1995, na época como um banco de investimentos sediado no Rio de Janeiro.

A estreia como corretora veio só 20 anos mais tarde, com a aquisição da Safdié DTVM e criação da plataforma digital Modal Mais.

3. Clear corretora

A Clear é uma corretora de investimentos fundada em 2012 e que tem foco em construir soluções para aperfeiçoar a relação entre os traders e o mercado.

Desde 2014, a empresa faz parte do XP Inc., que comprou 100% das ações da marca naquele ano.

A compra da Clear veio no sentido de reforçar o posicionamento da XP dentro do ambiente digital, segmento onde a empresa adquirida já era líder.

4. Easynvest

Fundada no fim dos anos 1960, a Easynvest vem se reinventando durante as décadas e chega em 2020 tendo os negócios digitais como sua principal marca.

A corretora foi uma das primeiras a negociar ações pela internet, inaugurando seu home broker em 1999.

De lá para cá, segue investindo em tecnologia e, por isso, recebeu da Proteste nota máxima no quesito segurança.

5. Mirae

A Mirae faz parte de um dos maiores grupos financeiros da Ásia e está presente em outros 14 mercados.

No Brasil, a empresa atua desde 2008 e sua sede fica na Zona Oeste de São Paulo.

Na avaliação da Proteste, a Mirae ganha destaque por também ter as menores taxas.

Qual é o melhor home broker para Day Trade?

Pilhas de moedas enfileiradas em ordem crescente em referência à melhor corretora para day trade

O mercado de ações é um ambiente altamente dinâmico, sujeito às oscilações da economia quase que em tempo real.

Nesse contexto de investimento de alto risco, a atenção e o cuidado nas suas operações é essencial, já que um erro pequeno pode desencadear em grandes prejuízos para o trader.

Para quem deseja atuar com operações de day trade, esse risco se acentua.

Nesse contexto, é fundamental poder contar com boas ferramentas de trabalho.

A escolha da melhor plataforma para negociar ações, por exemplo, vai depender do perfil do investidor, já que cada um tem características específicas.

Desenvolvida em parceria com a Nelogica, a plataforma Rico Trader é uma das poucas que atende a todos os tipos de traders, do iniciante ao mais experiente.

Seu sistema de compra e venda em um clique é ideal para operações de day trade, já que oferece agilidade e pode ser usado para criação de indicadores e estratégias de operação. 

6 Dicas infalíveis para day traders alcançarem o sucesso

Folhas, tablet, caneta e um celular em referência à melhor corretora para day trade

Quem já trabalha com day trade sabe que, apesar de arriscada, essa é uma modalidade que pode trazer retornos significativos para o investidor.

É claro que isso só vale para quem se prepara, adquire conhecimento, estuda o mercado e mantém um planejamento dos seus investimentos, acompanhando os resultados de perto.

Agora que você já entendeu o conceito dessa modalidade, confira abaixo nossas oito dicas infalíveis para day trades alcançarem o sucesso.

1. Monte sua estrutura

Lembra quando dissemos que o day trade é um investimento de alto risco?

É por isso que, quem pensa em operar na bolsa dessa maneira, precisa antes se certificar de que tem estrutura financeira para tanto.

Além da escolha de uma corretora segura e barata, é importante contar com uma reserva financeira que seja suficiente para superar eventuais perdas no curto prazo.

2. Use ferramentas de um day trader de sucesso

Hoje em dia, nenhum trader que se preze pode atuar de maneira analógica, contando apenas com suas percepções subjetivas para decidir se compra ou vende suas ações.

É essencial contar com ferramentas de análise que tragam maior profundidade nas interpretações dos dados oferecidos pela bolsa.

O mercado já conta com diversas opções de softwares capazes de automatizar suas ações, agilizando o processo e garantindo um maior controle.

Ainda, existem aplicativos para smartphone que ajudam o trader a manter-se atualizado sobre a situação de sua carteira de investimentos de onde quer que ele esteja.

3. Tenha conhecimento e preparação

Parte fundamental da jornada de qualquer trader é o estudo que vai trazer o conhecimento e a preparação necessários para atuar no mercado de ações.

Hoje, o principal caminho seguido pelos investidores para pautar suas ações é o da Análise Gráfica ou Técnica.

O método parte do princípio básico da economia de que a formação dos preços é feita pela diferença entre a oferta e a procura de uma mercadoria.

A análise usa de gráficos para identificar padrões no sobe e desce dos preços, indicando as melhores oportunidades de entrada e de saída para o investidor.

4. Encontre disponibilidade para operar

Outra questão que precisa ser considerada por day traders que querem alcançar o sucesso é a disponibilidade de tempo que eles têm para operar na bolsa.

Hoje, já existem ferramentas para automatizar a compra e venda de papéis, facilitando o trabalho do investidor.

Esse cenário muda um pouco quando estamos falando de operações de curtíssimo prazo, cujas oscilações ocorrem várias vezes ao dia – o que requer um acompanhamento mais próximo.

Por isso, quem quer operar com day trade precisa ter disponibilidade de tempo para monitorar o desempenho de suas ações durante toda a duração do pregão.

5. Estabeleça uma rotina de trabalho

Quem pretende trabalhar com operações de curto prazo na bolsa também precisa ser disciplinado e capaz de seguir uma rotina de trabalho.

Antes mesmo de o mercado abrir, é importante pesquisar as notícias relevantes sobre as empresas nas quais você investiu, reavaliando trades do dia anterior e buscando oportunidades dentro da análise gráfica.

Durante o pregão, o operador deve então monitorar as oscilações de preço, registrando todas as transações feitas no dia para avaliação posterior.

6. Aposte na diversificação dos investimentos

A diversificação é parte importante de toda estratégia de investimentos e, com o day trade, não seria diferente.

É importante manter uma gestão consciente do seu capital, dividindo e aplicando seu dinheiro de maneira estratégica.

Quem coloca todo valor disponível em um só lugar corre o risco de perder tudo no caso de uma queda inesperada da bolsa.

Conclusão

Se você procurava dicas para escolher a melhor corretora para day trade, pôde absorver muita informação com nosso artigo.

Essa modalidade de investimento trabalha com a compra e venda de ações em curtíssimo prazo, focando no lucro imediato.

A escolha da plataforma para operar depende muito do seu perfil de investidor e de suas necessidades.

Ainda que complexa, a decisão entre uma corretora e outra fica mais fácil se olharmos para as certificações disponíveis no mercado e para as listas disponibilizadas por órgãos reguladores.

Agora que você já conhece as melhores empresas e conferiu nossas dicas, está mais perto de se tornar um day trader de sucesso. 

Falta só mais um passo: abra sua conta na Rico agora mesmo.

Obrigado por ler até aqui!


maio 7, 2020

Como a carteira Rico premium atravessou a crise?  

Antes de começar a escrever esse texto e até para que eu organizasse melhor as ideias que eu gostaria de passar, me deparei pensando em tudo o que aconteceu na Bolsa esse ano.

Não tem sido um ano fácil para os investidores, principalmente para aqueles que investem em ações – tanto para o pequeno investidor, que enxerga nessa modalidade uma forma de incrementar sua renda, como também para o investidor profissional. Alguns fundos de investimentos focados somente em ações caem mais de 50% no ano.

A verdade é que tem sido um momento delicado para todos nós. Eu mesmo, nunca tinha vivido uma crise de tal magnitude. Não é simples ter sangue frio e manter a calma para tirar as emoções das decisões de investimento.

Passada toda a turbulência vivida em março e abril, vou contar para vocês como a Carteira Rico Premium (carteira 100% focada em ações que eu e o Thiago Salomão tocamos) conseguiu atravessar relativamente bem esse período.

Veja o desempenho abaixo:

desempenho carteira

Por pior que seja estar negativo no ano, nossa carteira comprada de ações está caindo 28,8% no ano contra uma queda mais acentuada de 30,4% do Ibovespa. Desde a criação da Carteira Rico Premium, em janeiro de 2016, estamos com mais de 53 pontos de vantagem para o Ibovespa – 136,7% da carteira vs 83,1% do índice.

Sem dúvida que estar no negativo não é um bom cenário, mas quem segue a carteira têm conseguido ficar à frente do Ibovespa no ano. Em abril, a recuperação da carteira foi bem mais forte que a do índice.

Como o portfólio foi montado?

Antes de falarmos sobre o que fizemos na carteira para ter esse desempenho em abril, gostaria de abordar a maneira como nós montamos o nosso portfólio recomendado de ações.

Não tratamos uma ação como um simples pedaço de “papel”. Ao recomendarmos uma ação, estamos sugerindo a compra de uma empresa, um negócio. Por trás desse negócio, existem pessoas se esforçando todos os dias para torná-lo mais eficiente e lucrativo. Negócio este que está inserido em um setor que tem suas particularidades e concorrentes.

Então, questões como: o setor é promissor? Quais vantagens a empresa possui perante seus concorrentes? Como que ela consegue ganhar dinheiro? Ela é lucrativa? A ação está barata ou cara? São questões que diariamente nos perguntamos sobre as empresas que temos em carteira.

E não tem segredo: quanto mais estudo e dedicação, maiores serão as chances de recomendarmos as empresas certas. Com isso em mente, é importante estar em constante contato com os executivos das empresas recomendadas, com fornecedores, clientes e até concorrentes dessas empresas.

Quanto mais informações sobre as empresas, melhor!

A nossa obrigação é justamente saber cada detalhe das empresas que recomendamos em nosso portfólio, mas somos humildes para dizer que podemos estar errados.

Daí a importância da diversificação em uma carteira de ações. Saber minuciosamente os detalhes de uma empresa, pode diminuir a chance de que erros apareçam, mas o segredo para se proteger contra aquilo que não se espera é a diversificação.

“O leão que te pega é aquele que você não está de olho”.

Se o investimento em ações de empresas não tivesse risco, todo mundo o faria e não encontraríamos oportunidades. Aliás, em momentos de pânico de mercado tal como vimos recentemente, essas oportunidades costumam aparecer. Foram elas que buscamos aproveitar com as mudanças que fizemos ao final de março, no auge da crise.

O que fizemos na crise?

Entramos na crise com pouquíssimo dinheiro em “caixa” (leia-se renda fixa de liquidez diária pós fixada). Tínhamos uma carteira diversifica em 13 empresas. Logo que a crise eclodiu mais fortemente, no meio de março, optamos por reduzir algumas posições de empresas mais cíclicas e que poderiam sofrer um pouco mais, e optamos por investir esse dinheiro em empresas que sofreriam menos com a crise. Eram os casos das empresas do setor de energia elétrica, representadas por Engie (geradora) e Equatorial (distribuidora).

No auge da crise, quando a bolsa derretia mais de 30% no mês e parecia não haver solução para nenhum empresa brasileira sair da crise, mantivemos a calma e, com muito sangue frio, analisamos quais empresas teriam condições de atravessar esse momento tão delicado.

Primeiramente, olhamos para todas as empresas da nossa carteira: como saber quais delas passariam por esse momento?

Entender o momento de cada empresa

homem caminhando dentro de empresa

Focamos nossa atenção para entender quão endividadas elas estavam e, dado que o dólar parecia não ter motivos para cair, fomos atrás para entender quais delas tinham dívidas dolarizadas.

Feito isso, procuramos entender quais delas tinham condições de saírem mais forte da crise. Dando o exemplo da Magazine Luiza, ação que está em nossa carteira há alguns anos. A empresa entrou nessa crise com quase R$ 4 bilhões em caixa (já descontada toda a sua dívida) e com suas operações online correndo à todo vapor e fruto de um trabalho de “digitalização” que já dura uma década. Ou seja, ela tinha condições de sair da crise e o mercado a penalizou mesmo assim.

Após esse trabalho de entender a situação de cada uma de nossas empresas, conseguimos separar quais delas caíram por piora de fundamento e quais caíram pelo pânico que se instaurou no mercado.

Feito isso, diminuímos nossa concentração e passamos a ter 16 ações no portfólio. Dessa forma, conseguimos aproveitar algumas “pechinchas” que surgiram e que se desconectavam da realidade por não sofrerem impactos relevantes em seus negócios. Uma delas foi a Suzano, que sobe mais de 40% desde a nossa inclusão na carteira ao final de março.

Temos uma competitividade nesse segmento que vai sempre existir. Temos água, sol, terra e árvore, que aqui cresce de 5 em 5 anos enquanto nos países nórdicos cresce em 20 anos. Por ser uma exportadora, dólar forte seria bom para ela e ainda protegeria nosso portfólio caso o real continuasse perdendo valor. Além disso, a China, que naquele momento já estava saindo do lockdown (diferentemente do resto do mundo), é o principal comprador da nossa celulose – principal produto vendido pela Suzano.

Essas mudanças foram essenciais para atravessarmos a crise – lembrando que é difícil agir com razão nesses momentos. Nossa carteira rendeu 15,1% em abril contra “apenas” 10,3% do Ibovespa.

Temos convicção de que não é hora de apostar em um único ‘cavalo’ para surfar uma possível recuperação de preços. Embora os preços ainda estejam descontados, não dá para menosprezar o fato de que a situação piorou por aqui: cenário de dívida do Brasil piorou com o esforço de conter a crise sanitária que vivemos, governo tem enfrentado alguns desafios políticos e ainda não sabemos como será o andamento das reformas no Congresso.

Dito isso, continuamos atentos e bastante diversificados em boas empresas para passar por esse momentos.

Estamos juntos nessa!

Matheus Soares


setembro 18, 2019

RLP (Retail Liquidity Provider): O que é e como funciona!  

RLP, ou Retail Liquidity Provider, é um mecanismo novo no mercado nacional para negociações na bolsa de valores brasileira, a B3.

Para te ajudar a entender o que é RLP, preparamos este artigo com todas as principais informações desse novo modelo de negociação, que pode revolucionar o mercado brasileiro, gerando benefícios para os investidores.

Continue a leitura para entender tudo sobre esse mecanismo e como ele funciona na prática!

O que é Retail Liquidity Provider? Conceito e Significado

A RLP, sigla em inglês para Retail Liquidity Provider, é um mecanismo de negociação adotado pela B3 que promete maior liquidez e melhores condições de preço para o mercado.

O modelo, que em português significa Provedor de Liquidez para o Varejo, permite que a corretora ou atue como contraparte das negociações.

A partir daí, pode promover melhores condições de liquidez para as operações, no melhor preço de mercado para os investidores pessoas físicas.

A RLP começou a ser usada no Brasil em agosto de 2019, após um período de avaliação pública promovida pela B3.

A princípio, o RLP fica disponível apenas para minicontratos futuros de dólar e de índice.

Como Funciona a RLP na Prática?

Do ponto de vista operacional, não há mudanças significativas para o investidor acostumado a operar na B3, até porque as negociações seguem ligadas ao sistema de negociação da bolsa (PUMA Trading System).

Mas existem particularidades que valem ser destacadas.

A característica básica é que todos os negócios realizados via RLP têm como contraparte própria a corretora.

Para ter acesso aos benefícios da RLP, antes de qualquer coisa, o investidor deve aderir ao mecanismo e autorizar a sua corretora a realizar ofertas através do mecanismo.

Então, as negociações poderão ser realizadas internamente com a carteira própria de clientes da instituição financeira.

Na prática, a corretora disponibiliza uma oferta e o investidor manifesta a sua intenção de compra ou venda de determinada quantidade.

O preço, nesse caso, deve ser o melhor presente no mercado naquele momento.

Assim, ao operar minicontratos de dólar e índice, o investidor dispõe de valores mais atrativos ou, no mínimo, iguais aos disponíveis no book de ofertas.

Dessa forma, a RLP possibilita à corretora promover um fluxo mais dinâmico para as ordens de compra e venda de seus clientes.

Quando a RLP Passou a Valer?

A Retail Liquidity Provider passou a valer no Brasil no no dia 5 de agosto de 2019.

Inicialmente, as ofertas da RLP foram autorizadas pela CVM – Comissão de Valores Mobiliário por um período de 12 meses.

Durante esse prazo, a CVM vai acompanhar o funcionamento do serviço no mercado para confirmar a sua viabilidade.

Alguns indicadores, como os níveis de liquidez e spread de mercado, estão entre aqueles que serão analisados pela autarquia.

Apesar da pouca idade no mercado nacional, a RLP já é bastante conhecida mundo afora, inclusive na principal bolsa de valores, a New York Stock Exchange (NYSE).

Ela foi regulamentada nos Estados Unidos em 2012 pela Securities Exchange Commission (SEC) e, hoje, cerca de 90% dos volumes negociados por investidores pessoas físicas naquele país são realizados através do mecanismo.

No Brasil, como a RLP ainda está em fase de implementação, nem todas corretoras já aderiram ao serviço.

Além disso, como já destacado, o mecanismo está disponível apenas para negociações de minicontratos futuros de índice e dólar.

Vantagens da RLP

A RLP pode oferecer vantagens aos investidores pessoas físicas.

O mecanismo já faz parte de outros mercados fora do Brasil e passou a ser usado na bolsa brasileira.

Confira alguns dos benefícios:

Liquidez

Com as corretoras e bancos de investimentos atuando como contraparte das negociações, a RLP oferece maior liquidez para as negociações de minicontratos de dólar e índice (mini-índice e minidólar).

Eficiência

O mercado negocia, todos os dias, cerca de 6 milhões de minicontratos. Com a implementação da RLP, é facilitada a saída da operações com melhor preço – e esse volume tende a aumentar.

Preço

As operações com a RLP devem ser executadas com preços melhores ou iguais aos do book de ofertas.

Transparência

A RLP é fiscalizada pela CVM e todas as operações executadas por meio dela devem ser divulgadas pelas corretoras mensalmente, garantido um bom nível de transparência.

Otimização do Preço Médio

A RLP atende todas as ordens do cliente ao primeiro nível de preços. Assim, o investidor poderá deixar de se preocupar com o preço médio.

A Rico Oferece Corretagem ZERO em Minicontratos de Índice e Dólar para Clientes com RLP Ativo

Moça mexendo no computador no entardecer.
A Retail Liquidity Provider ainda é um recurso novo e pouco explorado no mercado nacional.

Os investimentos em minicontratos podem ser uma boa opção para os pequenos investidores.

Nesse mercado, é possível operar alavancado, apostando nas oscilações de produtos como moedas e índices.

Por isso, a Rico zerou a taxa para investimentos em mini-índice e minidólar para os clientes que ativarem o RLP em sua conta. Assim, fica mais fácil e barato investir em minicontratos.

De maneira simples, um minicontrato é uma acordo de compra e venda de produtos em uma data futura.

Esse tipo de negociação já é bastante conhecido no mercado, sendo realizado pela bolsa de valores e mais indicado a investidores com perfil arrojado e objetivos de curto prazo.

Dê uma olhada no artigo que preparamos sobre a corretagem Zero da Rico para investimento em minicontratos e veja mais detalhes sobre operações com minicontratos.

Como a RLP Impacta o Mercado

A RLP traz como principal objetivo resolver problemas de liquidez no modelo de oferta disponível no mercado.

Assim, o novo sistema se propõe a acabar com as dificuldades dos investidores que não conseguiam negociar seus ativos a um único nível de preços.

Esse novo modelo possibilita que os intermediadores do mercado atuem como contraparte nas negociações, ou seja, se tornem provedores de liquidez através da execução completa das ordens dos clientes pessoas físicas.

Na prática, a RLP permite que as corretoras se tornem um espécie de agente ofertante no mercado, com atuação tanto do lado da compra quanto do lado da venda, e sempre no topo do book de ofertas.

Nesse sentido, o mecanismo garante a melhor oferta compradora e vendedora no momento da ordem a mercado.

Por fim, como a RLP facilita a saída nas negociações com um preço melhor, espera-se que o volume de operações cresça consideravelmente, aumentando a eficiência de todo o mercado.

Vale observar o período de testes do mecanismo para confirmar ou não as expectativas quanto ao seu impacto no mercado.

Regras da RLP

Uma série de regras foram colocadas em prática não apenas para garantir o funcionamento da RLP, como também para confirmar as vantagens esperadas para os investidores.

Veja quais são elas:

Uso exclusivo para pessoas físicas

O objetivo da RLP é trazer liquidez para os investidores pessoas físicas, portanto, a oferta será realizada apenas para esses clientes.

Disponível apenas para minicontratos

A RLP ficará disponível apenas para minicontratos de índice e de dólar.

Limitado a ordens de mercado

A oferta de RLP fica limitada apenas para ordem de mercado, ou seja, aquela que agride as ofertas do book.

As condições devem ser iguais ou melhores do que as do mercado

Esse é um ponto importante, pois garante que a oferta da RLP seja, de fato, vantajosa.

Por exemplo, se o mercado estiver com spread mínimo de 5 pontos no caso do mini-índice, então, o intermediador terá de oferecer a RLP no bid e/ou no ask.

Por outro lado, se o spread estiver maior que o tick (variação) mínimo de 10 ou 15 pontos no mini-índice, a corretora terá de cobrir e fechar o spread para o investidor, oferecendo, assim, o melhor preço no bid e ask.

Dessa maneira, a RLP deve ser melhor ou, no mínimo, igual ao que está sendo exibido no book de ofertas.

Ajuste automático de preço

O ajuste deve acontecer automaticamente, conforme às variações do mercado.

Assim, se a cotação do mercado subir ou cair, o intermediador deve atualizar a RLP para acertar de acordo com os preços e spread do mercado.

Volume máximo de negociação

Inicialmente o volume máximo de negociações do mecanismo foi de 15%, e hoje já chegou a 50%, lembrando que não é o mesmo para todas as corretoras nem para os tipos de contratos (min-índice e minidólar). Esse valor será revisado mês a mês pela B3.

Exemplos Práticos do Funcionamento da Retail Liquidity Provider

Para deixar mais claro como funciona a RLP, vamos mostrar um exemplo prático.

Nessa construção, vamos supor que você queira vender 10 lotes a mercado.

Então, temos os seguintes dados:

book de oferta RLP

Sem o RLP, nesse caso, 4 contratos seriam executados com o preço do primeiro nível, enquanto os outros seis seriam executados com o preço do segundo nível.

Já com o RLP ativo, todos os contratados seriam executados com o preço do primeiro nível. Seriam R$ 6,00 de economia somente nessa operação, mas há transações que passam muito desse valor. 

Nesse sentido, as operações com RLP garantem um melhor preço médio para as operações.

Contudo, a corretora deve respeitar o limite estabelecido pela B3.

Conclusão

No entanto, as expectativas são de que ela possa revolucionar a sua dinâmica, atraindo novos investidores varejistas e aumentando o volume de negócios na bolsa B3.

Inicialmente a RLP está disponível apenas para as negociações de minicontratos de índice e de dólar, mas nada impede que, no futuro, seja expandida para outras operações, incluindo ações. Inclusive, essa é a expectativa em torno do mecanismo.

Nesse primeiro momento, é importante observar qual vai ser a aceitação desse novo modelo de negociação pelos investidores e pelas autoridades que regulamentam o mercado.

Durante o período inicial, é possível que surjam novos argumentos a favor da RLP, ou novos pontos que inspirem a cautela.

De qualquer maneira, cada investidor deve avaliar se a RLP é, ou não, vantajosa para seu perfil e então aderir a ela.

Para os clientes da Rico existe uma vantagem extra: corretagem zero em minicontratos para quem tem RLP ativo. Para saber um pouco mais sobre essa novidade leia nosso artigo sobre o tema.

O conteúdo foi útil? Então, deixe um comentário e compartilhe em suas redes sociais!

Obrigado por ler até aqui!