março 19, 2021

Ações da Petrobras: Quando comprar? Guia Completo  

Entender os principais pontos sobre as ações da Petrobras antes de investir neste papéis é uma tarefa fundamental.

A Petrobras é uma das maiores e mais importantes empresas do Brasil. Com isso, ela acaba atraindo diversos investidores – novos ou experientes.

A empresa é uma das maiores companhias listadas na BM&FBovespa em 2018

É uma das empresas que o brasileiro mais tem conhecimento, seja devido a sua capacidade de proporcionar notícias positivas, como no caso do descobrimento de grandes reservas naturais presente no país, como também negativas, uma vez que esteve diante de um grande escândalo de corrupção.

O fato é que as ações da Petrobras podem gerar boas oportunidades de investimento e, consequentemente, voltarem a ser uma das preferidas do investidor.

Se a sua intenção é adquirir uma participação na empresa, saiba que comprar ações da Petrobras é um processo simples e acessível. Tudo que você precisa é ler este guia completo para entender melhor o assunto.

Você vai conferir as principais informações necessárias para ser bem-sucedido nos seus investimentos:

  • O que são ações da Petrobras
  • Principais diferenças entre Ação Preferencial e Ação Ordinária
  • Característica das ações da Petrobras
  • Quando vale a pena investir em ações da Petrobras
  • Esse é o momento de começar a investir em ações?
  • Qual o preço das ações da Petrobras Hoje
  • Melhores dicas para investir em ações da Petrobras
  • Dúvidas mais frequentes sobre o investimento nas ações da Petrobras

Boa leitura!

Se você ainda está iniciando no mercado de ações, recomendamos que leia esse outro post primeiro:

Guia simples: Aprenda a Comprar Ações na Bolsa de Valores

O que são ações da Petrobras?

A Petrobras é uma empresa de capital aberto e o seu acionista majoritário é o Governo Federal.

Responsável por grande parte da energia gerada no Brasil, a companhia foca os seus negócios nos seguintes segmentos:

  • petroquímica;
  • produção;
  • exploração;
  • refino;
  • comercialização;
  • gás natural;
  • distribuição de derivados;
  • biocombustíveis;
  • gás-química.

Além disso, contando com o Brasil, a Petrobras está presente em impressionantes 19 países.

Como inúmeras empresas, a Petrobras encontra-se “dividida” em diversas frações. Essas são comercializadas na bolsa de valores, de modo que ela consiga captar recursos para investir no próprio crescimento.

São esses “pedaços” da empresa que chamamos de ações.

Para saber quanto a Petrobras valoriza ou desvaloriza, basta multiplicar o preço pela quantidade de ações da estatal que estão em circulação no mercado.

Com isso, fica fácil saber se elas evoluíram ou não nos últimos tempos.

Agora que você já sabe o básico, é importante entender mais sobre os dois tipos de ações da Petrobras.

Diferenças entre ação preferencial e ação ordinária

acoes petrobras principais diferencas

O investimento em determinado tipo de ação deve ser feito de acordo com os seus objetivos.

Existem dois tipos de ações que são negociadas na bolsa de valores: as preferenciais e as ordinárias.

Para obter os melhores resultados, você precisa saber qual delas se encaixa melhor na sua estratégia. Confira:

Ação Ordinária (ON) – PETR3

Uma ação ordinária é identificada pela inserção do número 3 no final da sigla da empresa, como PETR3.

Ela dá direito ao acionista a votar nas assembleias da empresa em questão. Cada ação ordinária corresponde a um voto. 

Os detentores de uma ON também têm direito a participar da distribuição dos lucros de determinada organização, de acordo com a quantidade de ações que possuem.

Outra característica de uma ação ordinária é o Tag Along. Este termo se refere à garantia que os investidores minoritários têm de que todas as suas ações serão compradas pelos novos donos, caso a empresa seja vendida.

O preço mínimo das ações neste caso deve ser de 80% do valor pago quando elas foram adquiridas.

Casos os novos controladores da empresa descumpram o Tag Along, o processo de compra não poderá ser finalizado.

Ação Preferencial (PN) – PETR4

Uma ação preferencial é conhecida pela inserção do número 4 no fim da sigla da organização, como PETR4.

Esse tipo de ação não possibilita que seus detentores votem em assembleias gerais. Porém, estes possuem prioridade no momento da distribuição de dividendos e no reembolso do capital.

Também é interessante ressaltar que, como o nome indica, no caso da empresa decretar falência, os proprietários dessas ações terão preferência no recebimento de compensações

Normalmente, as ações preferenciais possuem uma maior liquidez quando comparadas às ordinárias. Pequenos investidores costumam escolher essa opção devido sua facilidade de venda, se necessário.

Características das ações da Petrobras

acoes petrobras caracteristicas
As ações da Petrobras podem ser vendidas a qualquer momento.

As ações da Petrobras possuem algumas características que você precisa conhecer antes de optar por elas. Confira:

Liquidez

As ações da Petrobras possuem alta liquidez. Isso significa que você pode vendê-las a qualquer momento.

Mesmo podendo ser vendidas facilmente, é fundamental que você saiba qual é o momento certo para tomar a decisão de investir.

Rendimento

Além dos possíveis ganhos com a valorização das ações, você também pode ter rendimentos ao longo do tempo com o recebimento de dividendos

Esse rendimento corresponde à parte dos lucros que a empresa obteve em determinado período.

Prazos

Antes de comprar uma ação da Petrobras, você precisa entender quais são seus objetivos financeiros. Você pretende aumentar seu patrimônio ou ter ganhos rápidos?

Assim, fica mais fácil entender se você precisará de uma estratégia de curto ou de longo prazo, a fim de cumprir as suas metas financeiras.

Embora os ganhos de curto prazo não sejam impossíveis, as ações da Petrobras podem te beneficiar mais ao longo do tempo.

Quando vale a pena investir em ações da Petrobras?

acoes petrobras quando vale apena investir
A sua estratégia define o momento certo de investir.

O momento para investir em ações da Petrobras depende exclusivamente da sua estratégia, objetivo e prazo.

Então, antes de investir em qualquer tipo de ativo, você precisa definir qual é o seu objetivo financeiro. Assim, você conseguirá montar uma carteira de investimentos vencedora.

Se o seu objetivo for a aposentadoria, por exemplo, você precisa investir em ativos de longo prazo. 

Além disso, você precisa definir como o seu investimento será feito, qual será o valor inicial e a frequência dos aportes.

Com todas essas decisões tomadas, fica mais fácil saber se a melhor maneira para alcançar seus objetivos é realizando um day trade ou compras mensais de ações, por exemplo.

Vantagens

Mesmo passando por alto e baixos, a empresa dificilmente declarará falência, uma vez que seu acionista majoritário é o Governo Federal.

Outra característica é que a capacidade de retorno de investimento na compra dessas ações não está ligada apenas ao preço do barril de petróleo, mas sim a fatores políticos.

Ainda, a venda de ativos faz parte da política atual da empresa. Tal fator poderia aliviar o caixa da empresa e, consequentemente, reduzir o seu endividamento. 

Desvantagens

O futuro da Petrobras se relaciona de forma direta à política do Brasil, que está bem indefinida no momento.

Além disso, escândalos políticos e má ingerência governamental podem prejudicá-la, aumentando a sua dívida e diminuindo o valor das ações da Petrobras.

Outro ponto negativo é a incerteza de retornos no curto prazo.

Quando começar a investir em ações?

Antes de começar a investir em ações de fato, você precisa saber se esse é o melhor momento para entrar no universo da bolsa de valores.

Antes de mais nada, é fundamental que seu balanço esteja no azul. Ou seja, que sua vida financeira esteja arrumada.

Então, para começar a investir, primeiro cumpra todos os seus compromissos financeiros.

Também é importante que você saiba exatamente onde quer chegar investindo em ações. Defina suas metas e seja sincero consigo mesmo sobre seus desejos e necessidades.

Estabelecer um valor para ser aplicado inicialmente em ações é primordial. Principalmente porque esse tipo de operação acarreta custos extras. Então, o ideal é que você inclua todas as taxas envolvidas no valor estabelecido.

Você já tem uma reserva financeira? Independente dos seus retornos no mercado financeiro, você precisa se proteger de imprevistos. Uma reserva ideal deve considerar o custo de vida de sua família por no mínimo 6 meses.

A bolsa de valores pode ser muito estressante devido suas oscilações. Então, você precisa estar muito bem preparado, tanto técnica quanto psicologicamente. 

Como saber o preço das ações da Petrobras?

acoes petrobras como saber o preco
É importante que você saiba o preço de hoje das ações da Petrobras antes de investir.

Recebemos esse questionamento com certa frequência. 

Hoje, 27 de agosto de 2018, as ações Petrobras estão cotadas a R$18,66 para PETR4 (ação preferencial) e R$21,37 para PETR3 (ação ordinária).

Porém, esse valor pode sofrer alterações a qualquer momento. Então, é imprescindível que você consulte o nosso home broker para conseguir um valor atualizado.

Exemplo de cotação de ação da Petrobras

Quer aprender como verificar a cotação das ações da Petrobras de maneira simples?

Primeiro, você precisa abrir uma conta gratuita na Rico, para conseguir investir da melhor maneira possível em ações da Petrobras.

Depois disso, basta analisar as condições das ações desejadas. Todas essas informações podem ser facilmente acessadas na opção “ações”, que fica na aba do lado esquerdo da nossa plataforma.

É só selecionar a ação de seu interesse e optar pela sua compra. Veja:

PETR4 invista em ações petrobras

Dados de 15/08/2018

PETR3 invista em ações petrobras

Dados de 15/08/2018

 Como investir em ações da Petrobras?

acoes petrobras dicas de como investir
Siga essas dicas para não ter dúvidas ao investir em ações da Petrobras.

Para investir em ações da Petrobras da melhor maneira possível, você precisa:

1. Abrir uma conta em uma corretora

Para comprar ações, você precisa abrir uma conta em uma corretora de valores. Assim, a sua compra será feita e confirmada através de um home broker.

A Rico foi eleita a melhor corretora em 2018, principalmente por conta do nosso ótimo custo-benefício. Então, abra sua conta gratuita agora mesmo!

2. Analisar a empresa

Não é novidade que a Petrobras passou por um momento difícil. Isso aconteceu devido à má gestão, corrupção e ao reflexo do atual cenário político brasileiro.

Depois da troca de comando na gestão, no entanto, a empresa voltou a crescer.

Conhecer o histórico de uma empresa antes de investir é fundamental para que você tenha sucesso nos seus investimentos.

Então, ao decidir investir nas ações da Petrobras, analise seu histórico. Veja se ela possui dívidas, se está dando lucro, qual o seu valor de patrimônio e a sua receita, entre diversos outros fatores que julgar importantes. 

Essas informações são facilmente encontradas nos relatórios trimestrais no site de relacionamento com investidores da Petrobras.

3. Estar preparado para a perda

Você não vai necessariamente perder dinheiro ao investir na Petrobras. Mas é importante investir uma quantia que não vai fazer falta no seu bolso caso você não receba o retorno esperado.

É impossível prever exatamente quais ações vão cair ou se valorizar. Por isso, esteja preparado.

4. Ver o histórico de cotações

Antes de investir, analise o histórico de cotações das ações da Petrobras.

Com isso, é possível obter um entendimento mais profundo sobre seu potencial de valorização no curto e no longo prazo.

5. Enviar dinheiro para a corretora e comece a investir

Depois de analisar a empresa e o cenário econômico em que ela se encontra, chegou a hora de investir.

Para isso, você precisa enviar dinheiro para a conta da sua corretora, normalmente através de um TED de mesma titularidade.

Dúvidas frequentes sobre o investimento nas ações da Petrobras

Comprei ações da Petrobras com um valor bem mais alto que o atual. O que devo fazer?

Para entender melhor a sua situação, fique atento aos conselhos dos nossos especialistas na plataforma de investimentos.

Nela você também tem acesso a todo nosso conteúdo educacional.

É mais assertivo investir nas ações PETR3 (ON) do que nas ações PETR4 (PN)?

Tudo vai depender do seu perfil de investidor. Se você quiser participar dos resultados econômicos da empresa, investir em PETR3 pode ser uma ótima opção, já que ela dá direito ao voto a quem as detém.

Mas se você preferir receber seus dividendos de forma preferencial, a PETR4 se encaixa melhor no seu perfil. 

Posso vender minhas ações da Petrobras a qualquer momento?

Sim! As ações da Petrobras possuem alta liquidez. Ou seja, você pode vender as suas no momento que quiser. 

Mas antes de realizar uma venda, esteja certo de que esse é o melhor momento para isso.

Conclusão

acoes petrobras quando comprar
Antes de investir, analise o histórico da empresa para saber se esse é o melhor momento para isso.

Existem dois tipos de ações da Petrobras e, antes de investir em uma delas, você precisa definir quais são seus objetivos financeiros

Para concretizar o seu investimento, basta abrir uma conta em uma corretora de valores, para então acessar seu home broker.

Se a sua análise do histórico da empresa for positivo, vá em frente. Afinal, comprar uma ação da Petrobras é mais barato do que jantar fora, por exemplo.

Além da possibilidade de lucrar com a valorização desses papéis no longo prazo, você também pode contar com o recebimento de dividendos.

Continue lendo outros artigos em nosso blog para ser um investidor ainda mais preparado para operar no mercado financeiro e ganhar dinheiro, independente do cenário econômico:

Gostou do artigo? Tem alguma dúvida? Então deixe o seu comentário logo abaixo.

Obrigado por ler até aqui e bons investimentos.


março 17, 2021

Como lucrar com empresas que pagam dividendos?  

Você já deve ter ouvido falar sobre as ações que pagam dividendos, certo?

Ao investir em ações, além de poder ganhar com a valorização dos ativos, você pode ter um lucro adicional com empresas que pagam dividendos mensalmente.

Isso porque se a empresa que possui ações listadas na Bolsa de Valores ganha, você investidor pode ganhar também. E sabe como? Por meio do pagamento de remunerações como dividendos e juros sobre capital próprio (JCP).

Com a retomada da economia em 2018, as companhias têm mais espaço para o crescimento. Portanto, o lucro delas sobe e é distribuído entre os acionistas. 

Neste post, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre dividendos:

  • Dividendos: o que são?
  • Dividendos e ações: como funcionam?
  • Ações que devem pagar os maiores dividendos mensais
  • Como investir em dividendos e escolher as melhores empresas pagadoras de dividendos
  •  Forma prática e fantástica de escolher as melhores empresas que pagam bons dividendos
  • Como ganhar dinheiro com dividendos

Se você tiver qualquer dúvida, deixe um comentário no final da página.

Boa leitura!

 O que são dividendos?

De uma forma simples, dividendos são parte do lucro que a empresa distribui aos acionistas.

No Brasil, as companhias listadas na Bolsa de Valores devem obrigatoriamente distribuir, no mínimo, 25% do lucro em forma de dividendos.

O lucro da empresa é usado, basicamente, de duas formas: como reinvestimento a fim de financiar o seu crescimento.

A outra maneira  é através dos dividendos que são distribuídos entre os seus acionistas. Eles podem ser em dinheiro ou em ações

As empresas estáveis e com bons fundamentos oferecem dividendos maiores como forma de atrair mais investidores, uma vez que o preço de suas ações pode não variar muito.

Assim, o investimento nestes papéis se torna vantajoso para ambas partes, principalmente para o acionista. Ele ganha dinheiro com a valorização e com a renda destes proventos.

Ao investir com visão no médio e longo prazos, uma boa alternativa é formar uma carteira baseada em boas pagadoras de dividendos. 

O pagamento dos dividendos pode ser feito mensalmente, a cada seis meses ou uma vez ao ano. A definição do período varia de acordo com a política de pagamento de cada companhia.  

(mais…)

março 17, 2021

Ações em Baixa e Circuit Breaker: como operar?  

Ações em baixa  e oportunidades

Você sabe o que fazer com ações em baixa? Sabe como operar naquele momento em que toda a sua carteira perde muito valor, muito rápido? Essas são questões importantes, pois o mercado pode cair vertiginosamente!

Foi o que aconteceu recentemente com as últimas notícias políticas no Brasil. No dia 18 de maio de 2017, o índice Bovespa (indicador de performance do mercado) chegou a cair 10,47%. Então, o Circuit Breaker foi ativado para frear a queda da Bolsa. 

A última vez que usou-se o mecanismo de defesa foi em 22 de outubro de 2008, quando houve queda de 10,18%. Enfim, o mercado fechou com baixa de 8,8% no Ibovespa e muitas pessoas não sabiam o que fazer.

Simplesmente porque nunca haviam presenciado um momento desses. Afinal, é raro operar com tamanha volatilidade. Isso ocorre de forma generalizada apenas quando acontece um desastre, seja político, econômico ou sistêmico.

É iniciante na Bolsa? Saiba o básico para começar a operar e ganhar dinheiro!

Veja neste texto como se comportar quando tiver ações em queda livre. Você deve agir como a manada ou manter suas posições? Descubra o que fazer com nossas dicas. 

Se tiver qualquer dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário no final da página.

Boa leitura!


O que fazer com ações em baixa?

acoes em baixa intro

Em primeiro lugar: não perca a cabeça!

Muitas pessoas ficam desesperadas ao passar pela primeira grande turbulência de mercado. Isso é muito comum. Principalmente porque muitos investidores não presenciaram o mercado em outros momentos assim, como em 2008.

Então, a primeira e mais importante dica é: não faça nada precipitado. Se for atender aos seus anseios, acabará agindo como 90% dos investidores e isso é perigoso.

Você realmente quer fazer parte de uma ‘manada’ que age sem pensar, baseados apenas na emoção?

Para evitar isso, pense bem. Entre em contato com a sua corretora e ouça suas orientações. Na Rico, estamos presentes durante todos os pregões. Sempre!

Comunicamos oportunidades e dicas nas salas de aula ao vivo da InvesTV e em nossas redes sociais durante o dia 18 de maio. E como era de se esperar, a maior dúvida é: vendo ou compro?

A resposta foi simples: não faça nada agora se você já tem um patrimônio posicionado na Bolsa de Valores. Espere os próximos dias para entender como o mercado vai se comportar.

Já para pessoas que estão construindo carteira, essa foi uma ótima oportunidade de comprar papéis em liquidação. Isso também foi conversado com nossos investidores.

  O que é um call de fechamento?

Todos os dias fazemos uma reunião com nossos investidores para avaliar como foi o mercado, falar das oportunidades e projetar os próximos passos: esse é o Call de Fechamento da Rico.

Veja como foi a reunião do dia 18 de maio:

Nunca esqueça de acompanhar nosso conteúdo e salas de aula, principalmente em períodos de quedas abruptas!


O que é Circuit Breaker? 

acoes em baixa circuit breaker

O Circuit Breaker freou a queda dos ativos.

o que é circuit breaker?

Esse é um mecanismo utilizado na Bolsa de Valores. Ele foi projetado para proteger os investidores quando o mercado torna-se fortemente vendedor (quedas bruscas), de maneira a amortecer e rebalancear as ordens de compra e venda.

Trata-se de uma proteção à volatilidade em excesso, que ocorre em momentos raros.

Quando o Ibovespa cai 10%, em outras palavras, quando as principais ações da bolsa recuam 10 pontos percentuais, o pregão é paralisado por 30 minutos. Após o período, ele reabre e se o índice bater 15% negativo, é paralisado por uma hora.

Se após esse período ocorrer mais 5% de queda, totalizando 20% em relação ao índice de fechamento do dia anterior, a Bolsa poderá determinar a suspensão dos negócios em todos os mercados por prazo definido a seu critério, sendo comunicado ao mercado tal decisão por meio da Agência de Notícias (ABO-OPERAÇÕES) – (retirado de documento da CVM).

Esse mecanismo é muito importante para proteger o mercado de uma queda livre que pode colocar os negócios de todos em risco. 


Como lucrar com ações baixas?

acoes em baixa segredos
Mesmo em situações assim é possível aprender e aproveitar oportunidades.

Quando o mercado cai dessa forma, muitas lições são aprendidas. Uma delas é ter uma parcela do patrimônio em renda fixa. Além de ser uma segurança, é a melhor forma de ter munição para aproveitar oportunidades em dias de queda.

Assim, quando ações fortes como a do Itaú abrem com grande desvalorização por um fator temporário, é possível aproveitar a liquidação e comprar a um preço mais barato.

Independente do cenário político ou econômico, empresas como o Itaú têm dado resultados positivos com uma gestão eficiente e confiável. Então, essas quedas devem ser consideradas como oportunidades de compra a médio e longo prazo.

Por exemplo, se você tem R$ 10.000 disponíveis e ouve a notícia de que o pregão do próximo dia será um caos, é certo que muitas ações vão despencar.

Esse o momento perfeito para iniciar uma carteira ou reforçar sua posição em empresas sólidas que estão subvalorizadas. Acredite, um fator externo e momentâneo não tira o real valor de uma empresa eficiente líder de mercado.

Então, você destina 20% desse patrimônio em papéis como o do Itaú. Mas por que não apostar tudo? Simplesmente porque não é possível prever o que vai acontecer com o mercado.

‘Nunca pule em uma piscina enquanto não souber a profundidade da água’. Investir apenas uma parte do capital é evitar um ‘mergulho de cabeça’ que pode danificar o seu patrimônio de forma grave.

Veja o gráfico de ITUB4 no dia 18 de maio de 2017.

acoes em baixa

Houve uma queda de 12%. Veja o histórico de 1 ano desse ativo:

acoes em baixa itub2

Esse papel, conforme temos alertado nosso investidores, está em ascensão. Então, essa linha negativa é uma oportunidade para reforçar sua posição.

O que fazer com as ações em baixa?

Mesmo em desastres na Bolsa como foi esse do dia 18, é muito importante ter uma carteira de investimentos diversificada. 

Claro que era impossível prever esse acontecimento, todavia, podemos sempre ter uma parte da nossa carteira exposta ao dólar. 

Mas como? Comprando dólar? Pode ser, mas existe uma forma de diversificar sua carteira protegendo-se contra a queda do real com ações. Basta encontrar empresas que sejam basicamente exportadoras. Elas ganham valor em momentos assim.

É o caso da Suzano Papel e Celulose e da Fibria Celulose. Ambas são grandes exportadoras e assim têm o seu faturamento atrelado diretamente ao dólar. 

Veja como elas se comportaram nesse momento de volatilidade do mercado:

acoes em queda suzano
acoes em queda fibria

A FIBR3 fechou em forte alta de 11,48% e a SUZB5 fechou com quase 10% positivo. Por isso é tão importante colocar ‘os ovos em cestas diferentes’. Quem tinha parte do seu capital exposto ao dólar dessa forma, amenizou suas perdas no curto prazo.


Questões frequentes sobre o mercado em queda

acoes em baixa questoes

Muitas dúvidas surgem em momentos assim. Conte com a gente para ajudá-lo!

Veja algumas perguntas que recebemos nesse dia conturbado e como respondemos elas. 

Comprar ou vender mini contratos?

Para quem opera em day trade, é recomendado conversar com nossos analistas na InvesTV.

Comprar ou vender ações?

A médio e longo prazo, vale a pena investir em ações fortes, mas que sofreram queda.

Como fica a Selic?

No dia 31 de maio, o Copom divulgará o novo ajuste na Selic. É impossível definir se a tendência de corte continua.

E o Tesouro Direto?

Títulos do Tesouro Direto devem ser mantidos, principalmente os atrelados ao IPCA. Eles são aplicações de longo prazo.

É melhor operar vendido? Devo encerrar minhas posições?

Não faça isso! Mantenha todas as suas posições. O cenário em momentos de grande volatilidade não dá informações para tomar decisões racionais. O indicado é fazer a manutenção das ações.

E amanhã?

Essa é uma pergunta muita frequente em momentos de ações em queda devido à períodos de instabilidade. Então, se alguém fizer uma previsão milagrosa dizendo passo a passo de como será o amanhã. Tome muito cuidado!

É impossível prever o amanhã, principalmente quando o mercado é chocado com ações externas que não têm ligação nenhuma com a economia.

Assim, se alguém prever o futuro, das duas, uma: ou ele tem informação privilegiada (e isso é crime) ou ele está mentindo. Portanto, não acredite em ninguém nesses momentos. 

Espere o próximo pregão, analise o presente e deixe o futuro para os videntes! Quando o assunto for econômico, você pode e deve ouvir os economistas. No entanto, nem sempre é o caso.

Como ficam as carteiras recomendadas?

Esse é um momento de cautela. É preciso tomar atitudes raciocinando. O melhor é esperar a turbulência passar. Mesmo que seja doloroso ver a carteira perder valor no curto prazo por um fator externo, é muito difícil prever o dia de amanhã.

Pode ser que o cenário piore como também pode acontecer que ele estabilize e muitos papéis voltem a ganhar valor. Então, o recomendado em situações assim é sempre esperar para ter certeza do que vai acontecer.

Então, de acordo com os fatos, aguarde o melhor momento para tomar as atitudes certas. E essas atitudes com certeza serão comunicadas pela Rico em suas redes sociais e salas de aula.

Entenda que os objetivos das carteiras é que, na média dos ativos indicados, haja a superação do índice Ibovespa em um período determinado.

As carteiras recomendadas da Rico são consistentes e seus históricos de rentabilidade comprovam isso.


Volatilidade do mercado financeiro: como lidar?

acoes em baixa como lidar

A principal recomendação é manter-se calmo!

Quem opera no mercado de renda variável precisa se acostumar com a volatilidade do mercado. Mesmo as variações radicais que são raras e imprevisíveis. Historicamente faz parte do jogo.

Então, caso você não tenha encarado o fato de que uma notícia pode jogar todas as ações para baixo, estude mais a história da Bolsa de Valores de São Paulo e como ela reflete cada tipo de acontecimento.

Acredite, o macro cenário nacional e mundial pode trazer diversas mudanças que podem abalar radicalmente a Bolsa. 

E é exatamente por isso que ela é um mercado de grandes oportunidades. Lembre-se: quanto maior o risco, em resumo, a volatilidade, maior é a chance de você lucrar.

Se prefere um ganho seguro e calculado, você deve ter uma parcela maior dos seus investimentos aplicada em renda fixa, aplicando em Tesouro Direto por exemplo. Nesse segmento, há uma previsibilidade de rendimento real.


Conclusão 

acoes em baixa conclusao

A instabilidades com ações em queda pode trazer muito aprendizado e oportunidades. Entendeu como agir em altas e baixas da Bovespa?

Situações de ações em queda abrupta são raras. Diferente do que alguns acreditam, a Bolsa de Valores possui uma certa previsibilidade. Pelo menos para quem tem noção do mercado e experiência.

E é por isso que é tão importante estar presente em pregões históricos. Afinal, como você estaria preparado para a próxima grande queda sem ter passado por uma e aprendido lições valiosas?

O que não pode acontecer de forma alguma é você errar em momentos assim e depois repetir os mesmo erros. Comportamentos assim são punidos pelo mercado.

Enfim, muitas pessoas não estavam habituadas a operar com tanta volatilidade, mas depois dessa tempestade estão mais preparadas para se proteger de novas surpresas e até, quem sabe, fazer muito dinheiro.

Acredite, onde há dificuldades, existem oportunidades únicas. Grandes nomes fizeram fortuna apostando contra o mercado. Comprando nas quedas e vendendo nas altas.

Eles foram muito inteligentes evitando o comportamento de manada. E é exatamente isso que você deve fazer: evitar a manada.

Toda a sua carteira perde 10% de valor. Será que é inteligente se desfazer de tudo, justamente no momento em que os seus papéis estão desvalorizados?

Lembre-se: o prejuízo só é concretizado quando você encerra sua posição. Enquanto estiver com os papéis, não há prejuízo.

Então, nesse caso, só existem duas atitudes para evitar a manada de investidores fazendo liquidação: comprar (e aproveitar as promoções) ou apenas assistir o mercado pegando fogo enquanto aprende lições valiosas.

De qualquer forma, você vai precisar de suporte e apoio de especialistas. E é a sua corretora de valores que deve prestar esse auxílio. Os clientes da Rico não ficaram desamparados.

Todos puderam participar de nossas salas de aula ao vivo na InvesTV. E assim assistiram, ponto a ponto, o comportamento do mercado e o que fazer. Torne-se um cliente em alguns minutos sem pagar nada.

Além disso, em nossas redes sociais, fizemos diversos vídeos (que estão anexados neste artigo) e transmissões ao vivo para orientar nossos investidores.

Então, abra sua conta e comece a investir!


fevereiro 18, 2021

Alavancagem Financeira: O que é e como usar na Bolsa de Valores  

Você sabe quando é a hora de certa de usar a alavancagem financeira?

Alavancagem financeira é um recurso que impulsiona a rentabilidade e o risco de um investimento. Ou seja, é o aumento das possibilidades sem acrescentar nada ao custo inicial do investimento.

Quando se opera alavancado, é possível obter ótimas rentabilidades, crescendo rapidamente o patrimônio.

No entanto, obviamente, como também aumentam os riscos, um negócio com alavancagem precisa ser muito bem estudado, pois o prejuízo também pode ser impulsionado.

Neste texto, você descobrirá dicas de alavancagem financeira, saberá o que é em detalhes, para quem é recomendado e como funciona a alavancagem da Rico. Esse conteúdo é indicado para leitores que já dominam o mercado de ações e de futuros.

Veja os tópicos que vamos abordar:

  • O que é alavancagem financeira no mercado financeiro?
  • Principais vantagens de operar alavancado
  • Principais cuidados com a alavancagem financeira
  • Como funciona a alavancagem em ações da Bovespa
  • Como calcular o índice de alavancagem financeira?
  • O que é grau de alavancagem?
  • Como a alavancagem financeira funciona na BM&F
  • Alavancagem financeira: exemplo prático
  • O que é o multiplicador de alavancagem financeira?
  • Alavancagem financeira no mercado futuro: como funciona?
  • Alavancagem financeira na venda a descoberto: como funciona?

Se tiver qualquer tipo de dúvida, utilize a seção de comentários no final da página.

Boa leitura!


O Que é Alavancagem Financeira no Mercado Financeiro?

alavancagem financeira o que e

Com ativos alavancados, você pode melhorar a performance da sua carteira de investimentos. 

A alavancagem financeira é uma estratégia na qual o investidor opera com valores acima do que possui em conta, o que potencializa as chances de obter maiores rentabilidades e, em contrapartida, de sofrer prejuízo na negociação.

Uma alavanca serve para levantar objetos com menos esforço. Com um investimento é a mesma coisa. A alavancagem financeira serve para fazer aplicações com valores superiores do que você teria sozinho.

Assim, no mundo financeiro, a alavancagem é um dos recursos disponíveis mais importantes para investidores de renda variável – do tipo que você não tem certeza da rentabilidade antes de fazer a aplicação.

A alavancagem pode ser feita na Bovespa, com ações, e na BM&F, com contratos ou minicontratos de dólar e de índice.

Esse é um recurso muito importante, mas que deve ser utilizado apenas por pessoas que já sabem fazer um bom gerenciamento de risco. Para isso, veja uma aula com nosso especialista:

Funciona como um crédito especial. Para utilizar, é preciso depositar uma garantia que pode ser em dinheiro ou em ativos, como por exemplo títulos do Tesouro Direto.

Por exemplo, você acredita em uma operação, mas tem pouco dinheiro para investir nela. Para não perder o negócio, você pega dinheiro emprestado para devolver logo a seguir, quando tiver recebido o retorno do investimento.

Caso você não pague no período combinado, sofrerá com juros e perda do seu capital.

A alavancagem financeira não é recomendada para traders iniciantes ou que possuem pouco tempo de mercado. Principalmente para quem possui pouco dinheiro para investir.

Se esse for o seu caso, aprenda a operar com nossos outros artigos:

Antes de ter experiência, nem pense em operar alavancado. Essa é a fórmula perfeita para sofrer grandes prejuízos:

  • Inexperiência + Alavancagem + Obrigação para ganhar dinheiro.

Enfim, a alavancagem financeira nada mais é do que uma técnica de multiplicação de rendimentos, a um custo pequeno.

Com ela, pode-se fazer muito mais com menos. Mas, para isso, é preciso utilizá-la com cautela, mitigando riscos.

Gaste um tempo com planejamento. Esteja preparado para os piores cenários de uma aplicação. Afinal, se essa situação negativa se concretizar, você precisará pagar pelo dinheiro perdido.

Você estará usando um dinheiro que não é seu para investir. Pode ser da corretora, de um banco ou qualquer outra pessoa. O negócio deve ter lucro o suficiente para pagar esse empréstimo com sobra, que será o seu lucro.

O que é uma operação alavancada?

Uma operação alavancada permite ao investidor movimentar volumes financeiros bem superiores ao que ele possui em conta. 

Com apenas uma fração de recurso alocada como margem de garantia, é possível ampliar as possibilidades de ganhos.

As operações alavancadas são comuns no mercado futuro, mas também podem ocorrer no mercado de ações e no mercado a termo.


Principais vantagens de operar alavancado

A principal vantagem da alavancagem financeira é a possibilidade de impulsionar os ganhos em operações de curto prazo, mesmo que o investidor tenha pouco recurso.

Imagine que você enxergue uma possibilidade de ganhos com a queda de uma ação, por exemplo. 

Você não tem dinheiro em conta, mas possui alguns ativos (CDBs, títulos públicos e ações de outras empresas) que podem ser usados como margem de garantia.

Nesse caso, é possível fazer uma operação short (se posicionar vendido), apostando na desvalorização do ativo. 

Operar vendido significa vender ações que você não tem, esperar o preço cair e recomprar mais barato, lucrando com a diferença. 

Ocorre que, para ficar short, é preciso uma margem de garantia, pois trata-se de uma operação alavancada. 

Afinal, as ações também podem subir de preço ao invés de cair.

Nesse caso, você precisa pagar pelo prejuízo e a instituição pela qual investe precisa ter garantias de que os valores serão quitados.

Ao permitir operar com valores muito acima do que o investidor tem em conta, a alavancagem pode turbinar os resultados, mas é preciso cuidado. 

A mesma ferramenta que impulsiona ganhos pode acelerar perdas se usada sem os devidos critérios de gerenciamento de risco, como mostramos antes e reforçamos abaixo.


Principais cuidados com a alavancagem financeira

alavancagem financeira cuidados

A possibilidade de perdas também são maximizadas com a alavancagem financeira. 

Cada operação deve ser analisada à parte.

Nunca comece um trade alavancado sem saber qual é o ponto de entrada, capital mínimo, stop loss e perspectiva de risco para então decidir qual a proporção de alavancagem

O grande perigo está em tentar ganhar muito dinheiro apenas com uma operação. Isso é muito arriscado.

Não existe o trade perfeito. Aquele que vai salvar a carteira de investimentos e trazer um lucro inacreditável.

Muitas pessoas buscam a alavancagem financeira para aplicar em negócios assim, onde se acredita ser a oportunidade do ano.

E isso não existe.

Todo negócio, por mais que tenha o estudo gráfico e/ou fundamentalista, envolve riscos. E como você deve ter aprendido no nosso outro texto de diversificação de investimentos, nunca aposte tudo em investimento só.

Muitos investidores temem mais deixar de ganhar do que perder e para evitar isso, operam alavancados para tentar maximizar os ganhos. 

No entanto, como falamos, não deve-se apostar tudo em uma única operação. O que vai fazer você se tornar um trader de sucesso não será uma operação alavancada bem-sucedida.

Você ganhará dinheiro e será um bom trader quando conseguir fazer várias operações de sucesso com ou sem alavancagem. Sempre haverão perdas, mas elas devem ser menores do que os ganhos.

Se você possui um bom palpite no mercado, não teste-o com todas as suas fichas. Aplique uma pequena quantia primeiro, veja se o trade tem potencial e gradualmente vá alocando mais dinheiro na operacão.

A alavancagem deve ser utilizada em último caso no mercado financeiro.

Primeiro, você garante um patrimônio diversificado a curto, médio e longo prazo. Depois, preocupe-se em operar alavancado.


Como Funciona Alavancagem Em Ações da Bovespa

alavancagem financeira bolsa

Entenda como funciona o investimento alavancado no mercado à vista.

Na Rico, é muito simples operar alavancado. Basta acessar o Home Broker e utilizar os limites disponíveis para comprar ou vender a descoberto (negociar algo que não possui) na Bovespa ou na BM&F.

Ao comprar ações, é possível utilizar um limite por ativo para alavancar em até 40 vezes o valor de sua garantia elegível depositada na corretora, tanto na compra quanto na venda, para operações de day trade.

Cada ativo possui um multiplicador, que é calculado em função da sua volatilidade e liquidez.

Isso acontece porque cada um tem uma exposição ao risco diferente.

Assim, a metodologia oferece uma maior proteção para suas operações alavancadas.

Cálculo da alavancagem financeira

  • Garantia = Custódia em Ações e Tesouro Direto (menos o deságio aplicado a critério da corretora) + Saldo em Conta Corrente
  • Alavancagem = Garantia x Alavancagem (de até 40x).

Exemplo:

Supondo um cliente que possui R$ 10.000,00 em PETR4 de custódia e R$ 7.000,00 de saldo em conta corrente, logo seu limite é de:

  • Garantia: R$ 10.000,00 (PETR4) – R$ 2.000,00 (20% de Deságio) + R$ 7.000,00 (conta corrente) = R$ 15.000,00
  • Alavancagem em VALE5 (multiplicador de 15x) = R$ 15.000,00 (Garantia) x 15 (Alavancagem) = R$ 225.000,00
  • Alavancagem em GOLL4 (multiplicador de 6x) = R$ 15.000,00 (Garantia) x 6 (Alavancagem) = R$ 90.000,00

Até que horas preciso zerar a posição?

Você deve terminar sua posição até às 16h50.

Se não o fizer, a posição será liquidada automaticamente no leilão de fechamento (com o último preço do mercado regular).


Como calcular o índice de alavancagem financeira?

A alavancagem financeira pode ser um instrumento útil tanto aos investidores do mercado financeiro quanto aos gestores de empresas. 

As empresas também podem se alavancar, seja contraindo empréstimos bancários ou emitindo debêntures.

No âmbito dos negócios, a dívida não é necessariamente algo ruim. Uma empresa pode usar capital de terceiros para investir em novos projetos que vão gerar bons lucros no futuro. 

Nesse contexto, são aplicáveis os índices de alavancagem financeira, que visam avaliar se o endividamento da empresa está sob controle. 

diferentes fórmulas para verificar a alavancagem de uma empresa dentro de um planejamento gerencial.

Para investidores que usam a análise fundamentalista, a Dívida Líquida /EBITDA é um indicador muito utilizado.

O resultado é obtido ao dividir a dívida líquida (todos os empréstimos e financiamentos, menos o caixa e equivalentes de caixa) pelo EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

Exemplo

Uma empresa com uma dívida líquida de R$ 100 milhões e com um EBITDA de R$ 50 milhões, o resultado é o seguinte:

  • Dívida Líquida /EBITDA = 
  • R$ 100 milhões / R$ 50 milhões = 2 x

Nesse caso, a empresa precisaria de duas vezes o EBITDA para pagar todas as dívidas

Como o EBITDA é calculado com base nos últimos 12 meses, é possível dizer que a empresa levaria dois anos para pagar a totalidade da dívida.

Quanto maior o número obtido no cálculo, mais a empresa estará alavancada e mais tempo levará para pagar suas dívidas. 

Para avaliar se a empresa está muito ou pouco endividada, o investidor deve comparar a Dívida Líquida/EBITDA com outras empresas do mesmo segmento.


O que é grau de alavancagem?

Grau de alavancagem é um cálculo usado por empresas para mensurar se o endividamento vale ou não a pena.

Uma empresa alavancada é uma empresa endividada. 

Por alguma razão, os gestores concluíram que pegar dinheiro emprestado para investir em um novo projeto era uma decisão vantajosa.

O Grau de Alavancagem Financeira (GAF) indica se tomar o empréstimo está sendo vantajoso do ponto de vista da geração de lucro daquele investimento

Se o custo do dinheiro de terceiros (despesas com juros) for menor que o retorno do investimento feito com a alavancagem, pode-se dizer que o endividamento foi vantajoso. 

Caso as despesas com juros do capital emprestado sejam maiores que o retorno do investimento, a decisão foi ruim para os negócios.

A fórmula para calcular o GAF é:

  • GAF = Retorno sobre o Patrimônio Líquido (RPL) / Retorno sobre o Ativo Total (RAT)

Se o resultado da operação for maior que 1, significa que a alavancagem financeira é positiva e traz lucros para os sócios e acionistas.

Resultado menor que 1 indica o contrário: que a alavancagem está sendo prejudicial para a empresa.

Alavancagem financeira negativa

A alavancagem financeira negativa ocorre quando o custo do endividamento supera o retorno sobre o investimento.

Ou seja, o pagamento de juros do empréstimo é maior do que o resultado alcançado com o investimento alavancado. 


Como a alavancagem financeira funciona na BM&F

alavancagem financeira bmef

Descubra como operar alavancado no mercado futuro.

Também é simples operar alavancado nesse mercado. Na Rico, você precisará apenas do seu home broker.

Cada corretora estabelece um valor diferente como margem de garantia para operar.

As margens podem sofrer variações a qualquer momento de acordo com análises de risco das operações realizadas pelo cliente.

Como calcular a alavancagem

  • Garantia = Custódia em Ações e Tesouro Direto (menos deságio aplicado a critério da corretora) + Saldo em Conta Corrente
  • Alavancagem = Garantia / Valor de margem de cada contrato.

Até que horas preciso zerar a posição?

Você também possui uma hora-limite para encerrar suas posições nesse mercado. Para índice e mini índice é às 17h50. Para dólar e mini dólar é às 17h40.

Se você não o fizer, a posição é liquidada automaticamente no leilão de fechamento (com o último preço do mercado regular), com exceção dos contratos de dólar e mini dólar que serão liquidados nos últimos 20 minutos do pregão regular (das 17h40 até 18h00).


Perfil do Investidor

alavancagem financeira perfil

A alavancagem financeira não é para todo tipo de investidor.

Imagine investir R$ 10.000 e ter direito a uma rentabilidade de 45x esse valor? Você teria direito a ganhar com as oscilações não sobre o seu capital, mas sobre R$ 450.000.

Digamos que você obteve uma rentabilidade de 2,22%. Esse é um grande resultado! Afinal, o seu lucro foi de R$9.990.

Ou seja, você começou com R$ 10.000 e praticamente dobrou o seu patrimônio. É quase 100% de retorno!

Mas, agora, imagine que você configurou um stop loss de 0,5% e infelizmente ele foi disparado.

Nesse caso, você perdeu R$ 2.250, o equivalente a 22,5% do seu capital. É bastante não é mesmo?

Assim, é muito perigoso apostar quando esses R$ 10.000 são todo o seu patrimônio disponível para investimento.

No entanto, se você já possui um bom capital aplicado em renda fixa e outras ações a longo prazo, não faz mal arriscar 1% dele não é mesmo?

Então, o investidor que deve operar alavancado é o que, de fato, não estaria obrigado a ter 100% de sucesso na operação. Afinal, ele não depende dessa operação para viver.

O perfil do investidor alavancado é aquele seguro de suas decisões, que possui experiência, boas estratégias e claro, um bom patrimônio diversificado.


Fundo de Investimento Alavancado

alavancagem financeira fundo de investimento

Entenda mais sobre a alavancagem em fundos de investimento! Consulte o prospecto antes de investir! 

Os fundos de investimentos são uma ótima forma de diversificação e alavancagem.

Neles, diversos investidores confiam os seus capitais a um gestor para que ele invista da melhor forma possível a fim de atingir um objetivo pré-estabelecido.

Existem muitos tipos de fundos de investimento. O mais comum é o de renda fixa que destina a maior parte do capital a títulos de renda fixa como títulos públicos.

Já nos fundos multimercado (que misturam renda fixa e variável) e nos de ações, a maior parte do patrimônio é investida em ativos de maior risco e claro, maior retorno.

Alguns deles, conforme é informado no prospecto, utilizam-se da alavancagem, principalmente para atingir objetivos como rentabilidade acima de algum índice.

Nesse caso, há o risco do cotista lucrar de forma alavancada e claro, o de perder o seu patrimônio e ainda ser convidado para investir mais e cobrir o buraco deixado como já aconteceu em 2011 com o fundo GWI Private.


Alavancagem financeira: exemplo prático

Você analisa o mercado e conclui que o mini índice Bovespa vai subir. Os indicadores e padrões gráficos estão dando sinal de compra

Somando o saldo na conta da corretora e alguns ativos em custódia, você tem o equivalente a R$ 200,00.

Sua corretora exige como margem de garantia R$ 50,00 para cada minicontrato de dólar futuro. 

Para não perder a oportunidade de surfar a tendência de alta, você disponibiliza os R$ 200,00 como margem de garantia e se posiciona comprado em 4 minicontratos. 

Cada ponto do mini dólar equivale a R$ 10,00. 

Vamos supor que você comprou 4 minicontratos e o derivativo subiu 5 pontos. Quanto você lucrou?

  • Resultado = 4 (minicontratos) * 5 (pontos) * R$ 10,00
  • Resultado = R$ 200,00.   

Neste exemplo, com apenas R$ 200,00, você movimentou 4 minicontratos (equivalentes a U$ 40 mil) e dobrou seu capital.


O que é o multiplicador de alavancagem financeira?

O multiplicador de alavancagem financeira ocorre, por exemplo, nas operações de venda a descoberto no mercado de ações. 

Venda a descoberto é quando você vende ações que não possui na expectativa de recomprá-las mais baratas depois e lucrar com a diferença de preços. 

Para vender algo que não possui, é preciso alocar uma margem de garantia. 

O multiplicador de alavancagem, nesse caso, diz respeito ao limite de volume financeiro considerando o tamanho da margem de garantia. 

Cada ativo possui um multiplicador diferente, que pode variar de acordo com a análise da área de risco da corretora. 

Imagine uma ação que permite alavancagem em 25 vezes. Significa que é possível operar um montante 25 vezes maior que o investidor tem como margem de garantia.


Alavancagem financeira no mercado futuro: como funciona?

O mercado futuro é o ambiente dentro da bolsa de valores em que são negociados os contratos e minicontratos futuros

Os contratos futuros são derivativos, ou seja, instrumentos financeiros que derivam de outros ativos, como moeda, índice, soja, boi gordo, dentre outros. 

As operações no mercado futuro são alavancadas, o que significa que não é preciso ter todo o valor do contrato para montar uma posição.

Basta uma margem de garantia, que pode ser dinheiro ou em alguns tipos de ativos (com deságio).

Entre os derivativos mais negociados no mercado futuro, estão os minicontratos de índice e dólar. 

Eles são chamados de mini porque representam 20% do contrato padrão, tanto do dólar quanto do índice Bovespa

Os minicontratos são mais acessíveis ao público por exigirem margens de garantia reduzidas, principalmente em operações day trade. 

A margem exigida varia de acordo com a corretora, mas com aproximadamente R$ 50,00 já é possível operar um minicontrato de dólar que custa U$ 10 mil. 

A alavancagem pode potencializar os ganhos porque a variação em percentual ocorre sobre o valor total do contrato.


Alavancagem financeira na venda a descoberto: como funciona?

A venda a descoberto é um tipo de operação que visa lucrar com a queda do mercado

Basicamente, o investidor vende um ativo que não possui, recompra em seguida mais barato e lucra com a diferença. 

Como o investidor está especulando com algo que não possui, é preciso uma margem de garantia que cubra eventuais prejuízos caso a operação dê errado. 

O trader pode ficar vendido e o ativo subir ao invés de cair. Nesse caso, a margem de garantia é usada para pagar pelo prejuízo. 

Nas operações de venda a descoberto de ações com mais de um dia de duração, o investidor também precisa alugar os ativos para entregar ao comprador. 

No caso das operações day trade não é necessário, já que a posição é zerada no mesmo dia.


Comece a operar com a Rico!

Na Rico, você conta com uma estrutura completa para fazer suas operações e lucrar tanto na alta quanto na baixa do mercado.

Você pode comprar e vender ativos Bovespa ou BM&F com margens bem reduzidas, principalmente em operações day trade.

Abra agora mesmo sua conta na Rico gratuitamente e explore as oportunidades que o mercado tem a oferecer.


Conclusão: Vale mesmo a pena operar alavancado?

alavancagem financeira conclusao

Você está pronto para investir alavancado?

Como vimos, a alavancagem financeira é uma forte aliada dos investidores que dominam estratégias de investimento e sabem o que estão fazendo.

No entanto, pode se tornar uma armadilha, principalmente de pequenos investidores que ainda não possuem grande experiência no mercado, multiplicando ainda mais os riscos de operar na bolsa.

Antes de utilizar esse recursos, pergunte a si mesmo: estou disposto a perder esse capital e arcar com as consequências?

Essa é uma lei primária no mercado de valores. Nunca coloque algo em risco que não está disposto a perder.

Assim, abuse dos simuladores financeiros e comece aplicando de forma diversificada e ao arriscar, como arriscando pouco, para depois aumentar a aplicação gradualmente.

É fundamental estar seguro da estratégia e da operação para alavancar a posição. Utilize de todas as métricas possíveis para controlar os riscos. 

Continue aprendendo:

Obrigado por ler até aqui!


dezembro 10, 2020

Investir em Renda Variável: guia para começar sem medo!  

A renda variável é o assunto do momento entre investidores e também junto àqueles que pretendem iniciar no mercado financeiro.

Isso acontece porque a queda na taxa de juros impacta negativamente na rentabilidade dos ativos de renda fixa, que é o tipo de aplicação preferida por iniciantes. 

De fato, a renda variável ainda é pouco explorada, principalmente para quem está começando.

Afinal, para quem nunca aplicou o dinheiro em investimentos , é normal sentir medo antes de começar a investir em ações, por exemplo.

Se você faz parte desse grupo, saiba que não está sozinho.

No Brasil, menos de 1% da população investe nesta categoria de ativos, e muitos estão deixando boas oportunidades passarem. 

No entanto, tenha em mente que investir na renda variável pode trazer rendimentos bastante atrativos ao seu capital.

Basta lembrar que a bolsa de valores superou os 100 mil pontos ainda em 2019, caiu com o coronavírus, mas voltou a alcançar a marca em 2020. 

Com esse dado e mais a Selic em seu menor patamar, não é exagero dizer que o mercado da renda variável está em seu melhor momento histórico.

Essa é a hora para você começar a investir.

Se você deseja aproveitar as oportunidades, com a possibilidade de lucrar com proventos, é preciso entender como o mercado funciona e quais são as melhores estratégias para começar. 

Por isso, preparamos um guia completo com tudo o que você deve saber para investir em renda variável com segurança e rentabilidade a partir de agora.

Continue lendo para descobrir como aplicar essas informações.

  • Entenda o significado de renda variável
  • O que é um título de renda variável?
  • Vale a pena investir no mercado de renda variável?
  • Diferenças entre renda variável e renda fixa
  • Como começar a investir em renda variável: perdendo o medo 
  • Dicas para escolher o investimento certo 
  • O que são e como funcionam os indexadores
  • Devo declarar renda variável no Imposto de Renda? 

Entenda o significado de Renda Variável

óculos e caneta sob um caderno sem linhas.
Renda variável é uma categoria de investimentos mais dinâmicos.

A renda variável pode ser entendida como ativos financeiros que possuem retornos não previsíveis

Então, ao investir nesta categoria, você não tem certeza do quanto o seu dinheiro irá render ao longo do tempo. 

Já na renda fixa, ocorre o oposto, pois os investimentos possuem taxa de rentabilidade definida no momento da compra.

Dessa forma, você consegue calcular quanto o seu capital deverá render até a data do resgate. 

A renda variável possui essa volatilidade, pois os investimentos variam conforme as expectativas quanto a fatores como:

  • Empresa ou ativo principal (commodity, imóvel ou moeda)
  • Cenário econômico e político local e externo
  • Setor de atuação.

Por se tratar de fatores que mudam ao longo do tempo, algo que hoje é lucrativo e bem visto pode se tornar pouco apreciado pelo mercado em um curto espaço de tempo.

Assim, não é possível saber qual será a visão dos investidores em relação ao ativo que você possui, uma vez que todo o cenário esperado poderá não se concretizar.

A renda variável possui volatilidade e isso é natural no mercado.

Caso você queira ter bons lucros investindo em ações, é preciso aceitar esse risco de curto prazo.

O que é um Título de Renda Variável?

O mais comum é a ação, que nada mais é do que título emitido por empresas e instituições a fim de captar recursos. 

Esse dinheiro captado é usado para realizar investimentos, pagar contas, desenvolver novos produtos.

Uma ação representa uma pequena parte de uma empresa de capital aberto.

Se essa empresa der lucro e crescer, ela será mais valorizada na bolsa de valores e, assim, você lucra com sua valorização e possíveis dividendos.

Quais são os tipos de investimento em renda variável

Existem muitos títulos para você investir no mercado de renda variável.

Desde o mercado acionário passando por contratos futuros e até mesmo aplicações no setor imobiliário podem ser feitas nessa modalidade.

Confira abaixo os detalhes dos principais investimentos em renda variável para que você possa tomar a melhor decisão.

Ações

Quando falamos em renda variável, a bolsa de valores é um dos primeiros ambientes de investimentos que vem à mente.

De fato, o mercado acionário pode ser uma ótima alternativa para quem quer diversificar sua carteira em busca de boa rentabilidade nas aplicações.

Na bolsa, o investidor pode aplicar em títulos de participação em uma empresa de capital aberto.

Em grande parte dos casos, o lucro se dá pela diferença entre o valor de compra e a venda dos papéis.

É preciso encontrar uma empresa com potencial de crescimento que, quando concretizado eleva o valor da companhia no mercado.

Além do lucro de especulação, o investimento em ações também remunera por meio do pagamento de dividendos.

Contratos futuros

Alguns outros títulos são negociados nas bolsas de valores além das ações, e os contratos futuros são um exemplo.

Esse tipo de investimento é um importante instrumento financeiro para a economia, pois funciona como garantia para quem compra e para quem vende.

Os contratos futuros firmam um compromisso onde uma parte se compromete a comprar aqueles bens a um preço pré-definido, enquanto outra garante se compromete a entregar os itens na data estabelecida.

Alguns dos artigos negociados aqui são arrobas de milho, café, boi gordo, euros e dólares.

Na negociação, apenas o preço é discutido, já que os contratos têm parâmetros fixos de acordo com os padrões da B3, a bolsa brasileira.

Opções

A bolsa de valores conta também com um derivativo conhecido como opções.

Tudo começa nas ações, que representam uma titularidade do investidor em relação à companhia – a posse de uma parte – que pode ser reivindicada por meio do voto em reuniões de acionistas ou no pagamento de dividendos.

Os títulos são divididos entre ações ordinárias (ON) ou preferenciais (PN) – o primeiro tipo dá direito ao voto, mas perde preferência para o segundo na remuneração dos dividendos.

Opções, por sua vez, são contratos de compra e venda que dão ao detentor a possibilidade (mas não a obrigação) de adquirir aquelas ações no futuro com o mesmo preço de hoje.

+ E a Rico ZEROU a corretagem para você operar em opções. Abra sua conta e comece a investir!

ETFs

Conhecidos principalmente pela sigla, os Exchange Traded Funds são um ótimo caminho para quem quer investir no exterior aplicando diretamente no mercado local.

Na prática, os ETFs são fundos que procuram replicar a rentabilidade de outros índices, acompanhando assim seu desempenho.

Suas cotas são negociadas da mesma forma que as ações de uma companhia.

A diferença aqui é que, ao comprar uma cota, o investidor está investindo em uma carteira que inclui ações de diversas companhias.

No pregão da B3, é possível encontrar ETFs que replicam índices internacionais como o S&P 500, por exemplo, que inclui as 500 principais companhias listadas nas bolsas americanas Nasdaq e da NYSE.

Commodities

No mercado financeiro, as commodities são aqueles produtos que têm seu preço padronizado em razão de sua função primária, não havendo diferenciação entre vendedores.

Estamos falando aqui de mercadorias que, em geral, são utilizadas como matéria-prima: o petróleo, o milho, a soja, o ouro, o boi gordo, entre outros.

Assim como para ações, o preço desses produtos varia diariamente na bolsa de acordo com a oferta e a procura.

A particularidade aqui é que, em caso de commodities agrícolas, o período de entressafra costuma influenciar em uma elevação dos preços.

Câmbio

Outra forma interessante de investir na renda variável é por meio de investimentos que se aproveitam da diferença cambial para gerar renda.

Um caminho é a compra da moeda estrangeira com foco em uma alta na cotação.

Mas existem outras formas mais rentáveis e seguras de aumentar seu patrimônio com foco no câmbio.

É o caso dos fundos cambiais, por exemplo, que concentram a maior parte de seus ativos investindo em moedas estrangeiras – em torno de 80% deles.

Fundos Imobiliários (FIIs)

Conhecidos pela sigla FII, os fundos de investimento imobiliários compõem mais um caminho para quem quer investir em renda variável.

Funciona assim: uma corretora ou gestora de investimentos lança o grupo e reúne as aplicações de cada cliente para formar o patrimônio do grupo.

Ao juntar o dinheiro de várias pessoas em um só montante, o gestor dispõe de mais recursos para escolher os melhores ativos para o capital de modo a obter boa rentabilidade para todos os participantes.

As suas movimentações não são arbitrárias, mas seguem regras rígidas de acordo com o tipo do fundo – de tijolo, de lajes corporativas, híbrido, etc. – e o perfil dos investidores do grupo.

Fundos de Investimento

Para além dos FIIs, outros fundos de investimento podem ser boas alternativas para investir na renda variável.

Aqui, novamente é montada uma carteira que será oferecida aos investidores por meio da cotização do grupo.

O que faz um fundo ser considerado como renda variável é a natureza dos títulos que estão em sua carteira.

Podemos destacar como exemplo os fundos de ações, os fundos cambiais e os fundos multimercado.

Criptomoedas

Mais recentemente, as criptomoedas surgiram como uma opção para quem está disposto a aplicar na renda variável em busca de bons rendimentos.

O investimento nessa categoria de ativos nada mais é do que uma aplicação em ativos cambiais.

A diferença aqui é que, em geral, as criptomoedas não são emitidas por um país, mas, por meio de tecnologia de criptografia privada. 

Também não existe dinheiro em espécie, pois as moedas são exclusivamente digitais.

Além do Bitcoin (BTC) – primeira criptomoeda a ganhar notoriedade – as alternativas incluem o Ethereum (ETH), o Tether (USDT), o Ripple (XRP), entre outros.

Vale a pena investir no mercado de Renda Variável? Veja exemplos

Homem olhando para a tela com expressão em dúvida.
Mercado de renda variável reserva boas oportunidades para o investidor em 2020

O mercado financeiro é bastante dinâmico. Todos os dias, os ativos da renda variável podem registrar oscilações imprevisíveis. 

Ao mesmo tempo, esses investimentos tendem a trazer bons rendimentos no médio e longo prazos

Outro fator que deixa a renda variável ainda mais atrativa é a queda de juros dos últimos três anos.

Nesse cenário, os investimentos da renda fixa tendem a perder atratividade.

Assim, os investidores devem começar a compor sua carteira com novas opções, como fundos multimercados, pois eles oferecem retornos maiores

Ao comparar o CDI com o índice Bovespa, é possível notar que o comportamento de ambos se inverteu desde o início da queda da taxa Selic. 

Em 2018, por exemplo, o IBOV rendeu 15%. Já o CDI fechou o ano em 6,39%. 

Já em 2020, com a Selic a 2% ao ano, temos um CDI de apenas 1,9%. Como esse é um indicador de referência para a renda fixa, fica claro que, para quem busca rentabilidade, a resposta está na renda variável.

O cenário é favorável mesmo com a crise do novo coronavírus, que provocou uma série de eventos de circuit breaker na bolsa e com a queda acentuada do valor de ações, que ficou conhecida como Corona Crash.

A bolsa caiu, é verdade. Mas recuperou os 100 mil pontos em uma rápida escalada, com a economia ainda em processo de retomada. 

Isso demonstra que quem mantém o foco no longo prazo diminui bastante os riscos e aumenta as chances de lucro na renda variável

Diante disso, este pode ser o momento certo para você começar a investir em renda variável e fazer o seu dinheiro crescer de verdade. 

Vantagens e Desvantagens das Operações de Renda Variável

Uma das maiores vantagens de investir na renda variável é que você pode operar em qualquer prazo.

Isso mesmo, há estratégias que duram apenas um dia, como o day trade

Além disso, a compra e venda dos ativos é totalmente online, ou seja, você investe de qualquer lugar, basta ter conexão de internet. 

As operações são intermediadas por uma instituição financeira, como as corretoras de valores. Elas são responsáveis pelo envio das suas ordens até a bolsa de valores. 

Portanto, você precisa ter conta em uma corretora para começar. 

Abra a sua conta agora na Rico!

Outra vantagem da renda variável é o recebimento de proventos. Eles podem ser através de dividendos, aluguéis ou Juros sobre Capital Próprio (JCP). 

Então, se você deseja uma renda extra ou tem o objetivo de viver de bolsa de valores, uma alternativa tende a ser as pagadoras de dividendos . 

Além disso, as ações oferecem o poder de sócio do negócio. Isso é possível por meio dos papéis ordinários, que dão direito a voto nas principais assembleias gerais.

A principal desvantagem da renda variável é o risco oferecido.

Antes de comprar qualquer ativo, você deve ter em mente que as oscilações ocorrem, principalmente, no curto prazo. 

Mas este não deve ser motivo de desespero ou medo de perder todo o capital. 

Lembre-se de que você pode vendê-lo a qualquer momento e que a paciência é uma das principais características de grandes investidores, tais como Warren Buffett. 

Por fim, é preciso considerar os custos de operação. Eles também dependem do volume de operação e da corretora de valores escolhida. 

Aqui na Rico, você investe na renda variável com os melhores custos do mercado. Sem contar que oferecemos o melhor home broker e todo o suporte da nossa equipe.

Portanto, as vantagens e desvantagens são influenciadas, principalmente, pelas suas escolhas e fatores pessoais. 

Ainda neste artigo, vamos mostrar como você pode começar e obter o melhor da renda variável. 

Diferenças entre Renda Variável e Renda Fixa

Uma das regras mais importantes no mercado financeiro é ser fiel a si mesmo e a seus objetivos.

Então, se você é conservador, priorize investimentos conservadores. Se você é agressivo, priorize investimentos mais agressivos.

Não significa que é preciso aplicar 100% em ações ou 100% em Tesouro Direto.

Significa que no balanço da sua carteira de investimentos, você vai expor uma parcela maior ou menor do seu capital a certa categoria de investimentos.

Veja a seguir as principais diferenças entre renda variável e renda fixa:

Renda FixaRenda Variável
Retorno PrevisívelRetorno Imprevisível
Baixo riscoAlto risco
Menor potencial de retornoMaior potencial de retorno
Indicado para conservadoresIndicado para investidores agressivos
Garantia do dinheiro pelo FGC (na maioria dos casos)

Sem garantias

Investimento simples com poucas variáveisInvestimento complexo com muitas variáveis (BM&FBovespa)

Você não precisa escolher entre um ou outro. É possível ter os dois tipos de renda em sua carteira.

É assim que os investidores experientes fazem.

Eles mantêm uma reserva de emergência na renda fixa com segurança e, então, diversificam os investimentos de acordo com seus objetivos e rentabilidade desejada.

Por isso, muitos investidores separam uma pequena parcela do patrimônio para investir em renda variável. É possível diversificar tanto em fundo multimercado, como também em fundos de ações.

Como começar a investir em Renda Variável: perdendo o medo

De acordo com levantamento divulgado pela B3, referente a agosto de 2020, o mercado da renda variável conta com quase 3 milhões de pessoas físicas cadastradas.

Mais precisamente, 2.958.442.

Apesar de alto, o número de participantes na bolsa de valores não chega a 2% da população brasileira, o que é baixo quando comparado a outros países, como os Estados Unidos. 

Entre os principais motivos pelos quais muitos adiam o sonho de investir em renda variável está o medo de perder dinheiro

Tenha em mente que é possível deixar os mitos de lado e começar a fazer o seu capital render de forma tão simples quanto aplicar em renda fixa. 

Para isso, você deve fazer escolhas assertivas que, por sua vez, vêm do seu conhecimento. 

Antes de investir, uma das melhores formas de perder o medo é estudar o mercado, entender sobre o seu funcionamento e escolher uma corretora de valores de confiança, como a Rico. 

Perceba que ao optar por ativos de boas empresas, é possível fazer o seu capital crescer de verdade. 

Lembre que os riscos e a volatilidade existem, mas os investimentos de qualidade tendem a ser menos afetados. 

Além disso, estes fatores oscilatórios podem abrir oportunidades de ganhos, como uma operação de swing trade ou day trade

Uma dica é começar aos poucos ou fazer investimentos indiretos através de ETFs e Fundos de Ações. 

Depois de adquirir experiência, é possível aumentar a sua exposição na renda variável. 

Por fim, é fundamental priorizar uma instituição financeira que ofereça bons serviços aos seus clientes, como a Rico.

Afinal, um home broker estável e contar com o suporte profissional poderá trazer mais segura na hora de operar. 

Para usufruir de todas estas vantagens, você só precisa abrir a sua conta na Rico agora mesmo. O cadastro é simples e 100% gratuito.

Dicas para escolher o investimento certo (Ou melhor, diversificar)

Investir todo o seu patrimônio em renda variável não é uma boa alternativa, pois os retornos não são garantidos. 

Por isso, é fundamental conhecer os ativos da renda fixa e manter parte do seu montante nela.

Há inúmeras formas de montar uma carteira de investimentos. Mas, qual a melhor para você? 

Esta pergunta pode ser respondida a partir da identificação do seu perfil de investidor. Ele mostrará a sua tolerância ao risco e os ativos mais apropriados. 

A alocação do capital em mais de um ativo é conhecida como diversificação. Esta forma de investir tende a trazer equilíbrio aos seus rendimentos. 

No médio e longo prazos, os resultados podem ser mais atrativos do que ao focar apenas em renda fixa ou variável. 

Além de equilibrar os rendimentos, a diversificação também permite a mitigação dos riscos. 

Portanto, ela pode ser uma boa alternativa para quem busca a formação de patrimônio e viver de renda. 

O Que são e como funcionam os indexadores

Homem mexendo no notebook.
Como medir a rentabilidade da renda variável e da renda fixa.

Falar em renda variável ou fixa é como juntar dois mundos diferentes.

Cada um funciona de uma forma, segundo suas próprias regras.

Por isso, não é recomendável comparar os dois com os mesmos parâmetros.

Afinal, cada um tem a sua finalidade específica. Veja a seguir como funcionam os indexadores desses investimentos:

CDI

Esse é o Certificado de Depósito Interbancário. A taxa média cobrada entre os bancos para empréstimos diários.

Por lei, eles precisam fechar o dia com caixa positivo, a taxa cobrada entre eles é o CDI.

Essa mesma taxa é que baseia todos os investimentos da renda fixa e ela segue de perto a taxa Selic.

Por exemplo, se um CDB rende 110% do CDI, significa que ele rende muito próximo da taxa Selic e mais 10%.

IPCA

Alguns investimentos de renda fixa são atrelados ao IPCA, a taxa da inflação, somada a uma taxa fixada (prêmio).

Independente da economia, esse tipo de aplicação garante o poder de compra do investidor com o passar dos anos. 

Ibovespa

Esse é o principal índice que representa a média das ações mais negociadas na bolsa de valores.

O objetivo de todo fundo de ações e carteira de ações é superar o Ibovespa.

As carteiras recomendadas pela Rico, por exemplo, na média, costumam superar o índice.

Desde a sua criação, em janeiro de 2016, a Rico Premium tem ganho acumulado de 185,39%, enquanto o Ibovespa subiu 59,28% no período – uma diferença de 126,11% (dados de setembro de 2020).

Devo declarar Renda Variável no Imposto de Renda?

Mesmo não se enquadrando em nenhuma das situações de obrigatoriedade, ao ter atividades na Bolsa de Valores, mercadorias e futuros você é obrigado a declarar o Ajuste Anual do Imposto de Renda.

A sua corretora ou banco não necessariamente informarão seus ganhos e/ou prejuízos no informe de rendimentos. No entanto, elas estão presentes em suas notas de corretagem. Solicite-as à sua corretora.

O pagamento de alíquota dependerá da sua performance. Se houve lucro de até R$ 20 mil, você é isento. Ao passar disso, deve-se pagar 15% sobre o lucro.

Saiba mais na tabela abaixo:

INVESTIMENTOALÍQUOTA DE IRONDE INFORMAR
Ações (ganho de capital acima de R$ 20 mil) / day trade15% sobre o lucro / 20% no day tradeDemonstrativo de Renda Variável
Fundos de InvestimentoDe 22,5% a 15% (regressiva)Rendimentos Sujeitos a Tributação Exclusiva/Definitiva (linha 6)
Fundos de Ações15% sobre o lucroDemonstrativo de Renda Variável

Conclusão 

A renda variável pode trazer rendimentos bastante atrativos ao seu capital, desde que você priorize bons ativos.

Uma dica é evitar a especulação. Lembre que bolsa de valores não é uma casa de apostas.

Cada ativo que você compra, é parte de uma empresa, é a sua expectativa e é o seu dinheiro que estão em jogo. 

Para 2020, há expectativas de boa lucratividade aos investimentos da renda variável. Então, este pode ser o momento ideal para começar a investir

Continue a aprender sobre renda variável através destes outros artigos do nosso blog:

Mas, antes de tomar qualquer decisão, busque conhecimento. Com ele, é possível ir mais longe e realizar todos os seus objetivos. 

Aqui na Rico, você encontra diversos meios para aprender sobre a renda variável, como a Investv e o nosso canal no YouTube.

Para deixar os medos de lado e fazer o seu dinheiro render de verdade, você só precisa abrir a sua conta agora mesmo. 


outubro 21, 2020

BDRs: mais um passo para democratização dos investimentos  

A partir de amanhã (22), o investimento em empresas globais direto pela bolsa brasileira (BDRs) será liberado a todos os investidores pessoa física, e não apenas aos investidores qualificados (aqueles que possuem mais de 1 milhão de reais investidos), como era anteriormente.

A nova regra é mais um movimento importante para democratização dos investimentos. Em um cenário de juros baixos, a migração de renda fixa para renda variável deve continuar ganhando força.

E agora, todas as pessoas poderão não só investir nas empresas listadas no Brasil, como em empresas globais, diversificando ainda mais a carteira, virando sócias de grandes negócios, e ainda com corretagem zero na Rico.

Os BDRs (Brazilian Depositary Receipts), também conhecidos como CDVM (Certificado de Depósito de Valores Mobiliários), são valores mobiliários emitidos no Brasil que representam outro valor mobiliário emitido por companhias abertas com sede no exterior.

Basicamente, os BDRs são um espelho das ações estrangeiras, refletindo a variação de preço das ações às quais estão atreladas, só que aqui no Brasil e em reais.

Hoje, há 676 BDRs listados na bolsa brasileira, como Apple (APLE34), Facebook (FBOK34), Microsoft (MSFT34), entre outros.

No caso da Apple, a ação original da empresa é negociada na Nasdaq, em dólares, sob o código AAPL. O BDR correspondente, que pode ser adquirido pelo investidor brasileiro no homebroker da Rico, é negociado sob o código AAPL34, em reais.

bdrs gráfico

No gráfico acima, você pode perceber que a ação da Apple lá fora valorizou 61% no ano, enquanto a BDR valorizou 129%. Isso porque, ao comprar BDRs, você também está exposto à variação da moeda brasileira contra o dólar: se o dólar sobe, você ganha valor, se o dólar cai, você perde valor.

E fica aqui, já a primeira “dica” de como investir em BDRs: não invista pensando em lucrar com variações do câmbio (para isso existe a compra direta de moeda ou fundos cambiais, por exemplo). O investimento em BDR é como o investimento em ações normais, que estamos acostumados. Existe uma empresa por trás, que podemos nos tornar sócios.

Por isso, muito importante entender os fundamentos da empresa, quais as perspectivas futuras, para que haja ganho com o investimento. Afinal, no longo prazo, o movimento da ação nada mais é que o reflexo dos lucros da empresa.

Outro ponto importante é a natureza da renda variável: oscilação, períodos de alta e outros de baixa. Então, não se esqueça de entender se esse tipo de investimento é coerente com o seu perfil de investidor para que você monte uma boa carteira (que pra cada um é de um jeito).

Qual a vantagem dos Bdrs?

Sem dúvida, a principal vantagem de investir em BDRs é a possibilidade de diversificar a carteira com empresas de alcance global e em setores que não existem no Brasil ou são limitados, como o de tecnologia.

Vale lembrar que a bolsa brasileira é pequena em comparação às bolsas globais. Atualmente, o Brasil possui menos de 500 companhias com ações disponíveis para negociação. Na Inglaterra, o número se aproxima de 2.000 empresas, enquanto na Ásia, destaque para a China e o Japão, que possuem quase 4.000 companhias listadas. Liderando essa corrida temos os Estados Unidos, com um número que se aproxima a 5.000 empresas.

Dúvidas sobre BDRs

 Liquidez das ações originais vs BDRs. De fato, a liquidez das BDRs é menor – o volume de transações de BDRs do Facebook (FBOK34), por exemplo, é menos de 0,5% do volume das ações originais (FB, na Nasdaq). Porém, a liquidez deve aumentar muito com o reforço de formadores de mercado para todos os papéis, o que deve comprimir spreads e melhorar a experiência de negociação. A flexibilização já implementada do lote mínimo de negociação, que era de 100 unidades e passou a ser de apenas 1 unidade, também é importante porque torna o mercado ainda mais acessível para o pequeno investidor, trazendo mais liquidez para as negociações.

O risco de investir em empresas de fora mas estando no Brasil. O risco maior seria se houvesse a implementação de um novo imposto no Brasil (que gerasse, portanto, um descolamento da variação da BDR com a variação da ação original, mas que ainda assim, você teria o ganho da valorização da ação), ou um fechamento de fronteira (caso extremo, onde o mercado ficaria disfuncional e geraria um desconto em relação ao preço justo da ação lá fora, mas que de qualquer forma você continuaria dono dela), por exemplo.

De fato, com o investimento diretamente no exterior, riscos como esses são eliminados, mas também tem outras considerações a serem feitas como a própria burocracia do processo e taxas cobradas em remessas ao exterior.

Para investir lá fora é necessário fazer uma remessa de câmbio. Ao realizar lucro da operação e trazer o dinheiro de volta (outra opção seria deixar o dinheiro lá fora caso a pessoa tenha conta), o investidor incorre em mais custos e burocracia. No caso de BDR, você não paga pela remessa de câmbio, o que é interessante para investidores que negociam com mais frequência, além de ser mais simples gerenciar todo o seu patrimônio diretamente do Brasil. De novo, o investimento em renda variável é um investimento de risco alto, por isso precisa estar coerente com o perfil de investidor.

O impacto às empresas brasileiras. De fato, estamos falando de mais opções de investimentos aos investidores e com isso aumento da competição para as ações brasileiras. No curto prazo, isso pode trazer um impacto negativo, porém a equação ainda é muito positiva aos investidores. Outro ponto muito importante é que a alocação em renda variável ainda é muito baixa no Brasil. Ou seja, há muito espaço para o investimento em bolsa. Por isso, não necessariamente, haverá pressão de venda de ações brasileiras para BDRs, mas a migração de renda fixa para renda variável, essa sim, vai continuar.


outubro 7, 2020

Ibovespa: O que é, como funciona, dúvidas comuns [Guia]  

Você sabia que o Ibovespa é um bom termômetro do desempenho das suas ações?

O Ibovespa é um dos indicadores mais importantes para entender sobre o mercado financeiro.

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar que ele caiu ou subiu tantos pontos em um dia. Mas o que significam os pontos do Ibovespa?

Basicamente, a pontuação revela as expectativas dos investidores e representa o ânimo do mercado.

Então, para investir em renda variável, principalmente em ações, você precisa conhecer o índice a fundo.

Ao entender a dinâmica do Ibovespa, o mercado poderá se tornar o maior aliado para atingir os seus objetivos.

Assim, se você quer ter resultados consistentes na renda variável, aqui é o lugar certo!

Neste artigo, você vai aprender tudo sobre este índice e a melhor forma para começar a investir ainda hoje:

  • O que é o Ibovespa?
  • O que significam os pontos do Ibovespa?
  • Histórico do Ibovespa
  • Como acompanhar o Ibovespa em tempo real
  • Como comprar as ações do Ibovespa
  • Como agir diante das altas e baixas do Ibovespa
  • Dúvidas comuns sobre o Ibovespa

Se você tiver qualquer dúvida, deixe um comentário no final da página.

Boa leitura!

Clique e baixe o ebook sobre como investir em ações na prática

O Que é o Ibovespa? E o Índice Ibovespa?

O Ibovespa significa Índice da Bolsa de Valores de São Paulo. Ele é o principal indicador de desempenho médio das ações listadas.

Basicamente, esse índice é uma carteira teórica de ações que contém os ativos que movimentam os maiores volumes de negociação, algo em torno de 80% do total diário. 

Entre eles, estão Petrobras (PETR4), Vale (VALE3) e Ambev (ABEV3).

A carteira do Ibovespa é reavaliada a cada quatro meses. Assim, a composição tende a variar ao longo do tempo.

No mercado, ele é muito conhecido como o índice Bovespa ou IBOV. Por conta da sua representatividade, o Ibovespa é considerado o benchmark da renda variável.

Então, se você quer saber como está o seu desempenho, basta compará-lo ao IBOV.

Caso ele esteja maior ou igual, em termos de valorização, é sinal de que os seus investimentos estão indo bem. 

O Que Significam os Pontos do Ibovespa?

Dois executivos sentados no sofá, olhando para um tablet, em referência ao acompanhamento do ibovespa
Cada ponto equivale a R$ 1. Então, com 100 mil pontos, o IBOV soma R$ 100 mil

A carteira teórica do Ibovespa é baseada na liquidez dos ativos expostos em bolsa.

Para acompanhar o seu desempenho, a B3 (bolsa de valores brasileira) desenvolveu uma pontuação.

Cada ponto equivale a 1 real.

Em outras palavras, se ele está em em 100 mil pontos, representa um portfólio com valor de R$ 100 mil. Ou seja, é o preço exato da carteira teórica das ações mais líquidas da B3.

Então, quando a pontuação do Ibovespa sobe, isso quer dizer que, na média, as ações que a compõem se valorizaram. Se ela cair, significa que boa parte dos papéis fecharam o dia no vermelho.

Essas variações refletem a expectativa dos investidores em relação aos ativos e ao cenário interno e externo.

Por exemplo, no dia 13 de agosto de 2020, o índice fechou com baixa de 1,62% em razão de aspectos externos (relacionados à economia dos Estados Unidos) e também internos (como indefinições na situação fiscal do Brasil).

Quando o Ibovespa fecha o pregão em alta, esse é um bom sinal para os seus investidores e para o mercado financeiro. 

Histórico do Ibovespa

Historicamente, o Ibovespa iniciou em 1968, com 100 pontos-base. Ao longo dos anos, o número de papéis participantes aumentou, bem como a valorização deles.

Os critérios utilizados são: liquidez, volume de negociação e participação do ativo nos pregões dos últimos doze meses. Eles têm se mantido os mesmos desde a criação do índice.

Em 2014, a B3, então chamada de BM&FBovespa, modificou a metodologia de cálculo e deixou de lado as ações que custam apenas centavos.

Além disso, a composição passou a tomar como base o preço de mercado dos papéis (free float) e decidiu-se que a participação máxima é de 20% por companhia.

Hoje, o índice é composto por cerca de 60 empresas dos mais distintos ramos, como varejo, commodities e fabricantes de bens de consumo. Dentre as mais antigas, estão o Banco Itaú, as Lojas Americanas e a Vale.

Com o passar do tempo, as companhias se desenvolveram e o Ibovespa superou os 100 mil pontos.

Em razão da crise global provocada pela pandemia do novo coronavírus, em 2020, o índice caiu e chegou a retroceder a 60 mil pontos.

Com a retomada da economia, a marca dos 100 mil pontos foi novamente alcançada.

Esse é mais um episódio a marcar o tradicional sobe e desce no índice.

O seu melhor ano foi 1991, em que ele retornou 316,38%. Enquanto que em 1990 foi a maior queda, que ficou em 74,11%. Essas grandes oscilações foram causadas pela alta inflação da época.

Nos últimos três anos, o Ibovespa tem vivido em uma verdadeira montanha-russa. Desde a crise econômica, ele já subiu mais de 165%. No geral, os resultados têm sido positivos para grande parte das ações.

Como o Índice Ibovespa é Calculado? 

O cálculo do Ibovespa é feito a partir do peso que a ação tem na carteira teórica e o valor de sua cotação no dia. 

É preciso multiplicar o peso da ação pela cotação para encontrar a contribuição daquele ativos, em pontos, para a formação do índice. 

Ao realizar essa operação com todas as ações da carteira, você vai encontrar o número de pontos do Ibovespa.

Vale destacar que as cotações das ações são acompanhadas a todo momento e o cálculo é feito automaticamente a partir dos novos valores.

Por isso, o Ibovespa oscila o tempo todo durante o funcionamento do mercado. 

Veja, na imagem abaixo, como essa oscilação se deu no dia 14 de agosto de 2020, quando o índice variou entre 100.469,44 (valor de abertura) e 101.353,45 pontos (fechamento), tendo a máxima do dia em 101.695,49.

ibovespa-rico-2020
Evolução do Ibovespa em um dia. Tela capturada em 14/08/2020.

Como a Carteira da Ibovespa é Composta? 

A carteira do Ibovespa é composta por ações escolhidas segundo critérios de representatividade do ativo no mercado. 

Apenas são elegíveis ações negociadas regularmente. Nesse caso, os papéis precisam estar presentes em pelo menos 95% dos pregões do último ano. 

Além disso, o volume financeiro dessas ações deve ser de, no mínimo, 0,1% do volume negociado no período. 

Ações de empresas em recuperação judicial e também as chamadas penny stocks (com cotação abaixo de R$ 1) não são elegíveis para a carteira do Ibovespa. 

As empresas que cumprem os requisitos são ordenadas segundo o índice de negociabilidade (IN), que considera a quantidade de negócios realizados, além do volume financeiro gerado a partir deles.

A carteira inclui as ações que representam, de maneira cumulativa, 85% das negociações efetuadas no período.

O peso que cada ação tem na carteira é definido pelo valor de mercado de todas as suas ações. 

Vale ressaltar que a metodologia do Ibovespa não permite que uma ação tenha participação maior do que 20% na carteira. 

Além disso, a carteira é revisada quadrimestralmente. 

Portanto, há três carteiras por ano. Uma com validade de janeiro a abril, outra de maio a agosto e, uma última, de setembro a dezembro. 

Ao final do período de vigência de cada carteira, os critérios para inclusão são revisados, bem como a participação e o peso de cada ação. 

Você pode consultar a carteira do Ibovespa na página da Bolsa de Valores

Quais Ações Compõem o Ibovespa

Como destacamos antes, atualmente o Ibovespa é composto por mais de 60 ações, entre ordinárias e preferenciais.

Entre elas, estão as seguintes:

  • B3SA3 – ação ordinária da B3
  • ITUB4 – ação preferencial do Itaú Unibanco
  • PETR4 – ação preferencial do Petrobras
  • BBDC4 – ação preferencial do Bradesco
  • PETR3 – ação ordinária do Petrobras
  • ABEV3 – ação ordinária da Ambev
  • MGLU3 – ação ordinária da Magazine Luiza
  • WEGE3 -ação ordinária da Weg 
  • BBAS3 – ação ordinária do Banco do Brasil
  • ITSA4 – ação preferencial do Itaú Investimentos
  • VALE3 – ação ordinária da Vale
  • JBSS3 – ação ordinária da JBS.

Essas são as ações com maior participação na carteira do Ibovespa. 

Para conhecer todos ativos e o peso de cada um, acesse a página da B3.

O Ibovespa como parâmetro do Desempenho da Renda Variável 

Ter um parâmetro para comparação pode ajudar a definir se um investimento tende a ser positivo ou não. 

No caso da renda fixa, o principal benchmark é o CDI. Assim, qualquer investimento do tipo, para ser considerado bom, deve gerar um retorno maior do que essa taxa. 

No caso da renda variável, o Ibovespa é o principal benchmark. 

O índice serve de parâmetro para muitos investidores que possuem carteira de ações e querem saber se a performance do seu investimento foi boa. 

Por isso, muitas vezes, você vai ouvir pessoas comparando sua carteira de investimentos com o desempenho do Ibovespa. 

Em geral, se a sua carteira ofereceu um retorno maior do que o Ibovespa no mesmo período, então, o resultado foi bom.

Clique e baixe o guia para aprender tudo sobre a bolsa de valores

Como Acompanhar o Ibovespa em Tempo Real

Zoom na bolsa de valores, em referência ao ibovespa
Na InvesTV, você verifica o ritmo do índice e ainda aprende sobre o mercado de ações

O pregão da bolsa de valores é totalmente online.

Então, você pode acompanhar o seu desempenho ao vivo. A atualização do Ibovespa ocorre a cada 30 segundos.

Para acessá-lo, você precisa ter uma conta em uma corretora de valores, como a Rico. O índice é visto pelo Home Broker.

Mas, se você é iniciante ou ainda tem pouca experiência, as oscilações do Ibovespa podem parecer confusas.

Nesse caso, a ajuda de profissionais faria toda a diferença, concorda?

Na Rico, temos a solução.

Através da Investv, você acompanha o comportamento do índice juntamente com os nossos analistas.

Eles possuem vasto conhecimento sobre o mercado e vão ajudá-lo a entender sobre a sua dinâmica.

Além disso, você vai aprender como identificar as melhores oportunidades para investir cada vez melhor. Para isso, você só precisa abrir a sua conta de graça agora mesmo! 

Ações em Tempo Real

Como o Ibovespa é uma carteira de ações, você deve ter em mente que os papéis possuem comportamentos independentes.

Mesmo que o índice caia, alguns ativos podem registrar alta.

Então, além de acompanhar o benchmark da renda variável, o ideal é ficar de olho no andamento dos ativos desejados.

Para isso, basta acessar o Home Broker durante o pregão da bolsa de valores. Diariamente, ele ocorre das 10h às 18h, nos dias úteis.

Durante esse período, você pode fazer qualquer tipo de negociação, como comprar ou vender ações

A cada 30 segundos, as cotações são atualizadas e você saberá o quanto um ativo valorizou ou não no dia.

Nova call to action

Como Comprar Ações Online

O Ibovespa é um índice, mas você também pode adquirir as suas ações.

Essa é uma das formas utilizadas pelos investidores para acompanhar o mercado.

Veja o passo a passo para você comprar ações agora mesmo:

1. Escolha uma corretora

Para investir na bolsa de valores, você precisa ter uma conta em uma corretora de valores.

Antes de qualquer coisa, verifique se a instituição está autorizada para intermediar esse tipo de investimento.

Além disso, priorize as que já possuem reconhecimento no mercado, como a Rico.

2. Abra a sua conta

Preencha o cadastro com os seus dados pessoais. Depois disso, crie um login e senha.

3. Transfira valores

Agora, transfira da sua conta bancária para a conta da corretora o valor necessário para a compra das ações do Ibovespa.

Considere também as taxas e custos de operação.

4. Acesse a sua plataforma

A negociação de ações ocorre via Home Broker.

Então, entre na sua plataforma de investimentos e escolha a opção “Home Broker”.

Aqui, você encontra todos os ativos disponíveis, os respectivos preços e gráficos com históricos.

5. Negocie

Já sabe onde investir?

Então, digite o código ou sigla da ação, especifique a quantidade e o preço de compra.

Caso a quantidade seja menor que o lote padrão, que é de 100 ações, você será obrigado a comprar pelo lote fracionário, que permite compras abaixo de 100 papéis.

Depois disso, é só aguardar até que a sua ordem seja executada.

Pronto! Você acaba se tornar um investidor e acionista do Ibovespa.

Agora, o seu dinheiro começa a trabalhar para você!

Altas e Baixas da B3 – Como Agir?

Uma moça sentada à mesa mexendo no notebook, em referência à pesquisa sobre ibovespa
O controle emocional e o conhecimento são fundamentais para obter bons resultados

Muitas pessoas sonham em investir em ações.

Ao mesmo tempo, muitos investidores desistem do mercado financeiro no primeiro ano de investimento.

Mas, por que isso acontece? 

A resposta está nas oscilações diárias e na falta de conhecimento.

Assim como todas os ativos financeiros, as ações possuem riscos e são mais indicadas para alguns perfis. 

Se você quer investir na bolsa de valores, a primeira coisa que você deve fazer é conhecer o seu perfil de investidor.

Caso você seja moderado ou arrojado, esses papéis podem ser uma boa alternativa. Do contrário, o ideal é focar nos produtos da renda fixa

Ao definir que vai investir em ações, você precisa saber que elas estão sujeitas às oscilações diárias. Então, é fundamental preparar o seu lado emocional.

Tenha em mente que, nos momentos de altas ou quedas abruptas, o melhor a fazer é aguardar os próximos movimentos.

Nessas horas, comprar ou vender ativos não costuma ser uma atitude assertiva, até porque o mercado é cíclico e as respostas são bastante rápidas.

Ou seja, mesmo que o Ibovespa tenha fechado hoje no vermelho, em poucos dias, ele tende a se recuperar. 

Uma dica para passar por essas fases é evitar ficar o dia todo em frente ao Home Broker.

Utilize esse tempo para acompanhar notícias sobre as empresas emissoras das ações da sua carteira. 

Assim, você poderá definir o melhor momento para tomar qualquer atitude e obter bons resultados. 

Outra dica para agir bem diante de altas ou baixas é investir em conhecimento. Ao entender sobre as técnicas de análise e estratégias, é possível obter ganhos acima do mercado. 

Lembre-se de que os grandes investidores, como Warren Buffett e Luiz Barsi, chegaram lá porque estudaram sobre a bolsa de valores e entenderam a fundo sobre a sua dinâmica. 

Aqui na Rico, você conta com diversos meios para aprender mais.

Investv, o nosso canal do Youtube e este blog estão repletos de conteúdo para você começar com o pé direito. 

Operando o Índice Bovespa

Como dissemos, o Ibovespa é um indicador que mede o desempenho médio das principais ações da Bolsa de Valores. Nesse sentido, não é possível investir diretamente nele. 

Além disso, tentar replicar sua carteira pode ser bastante complicado e caro, inviabilizando essa alternativa.

Mas isso não quer dizer que você não pode aproveitar as movimentação do Índice Bovespa para ganhar dinheiro

Existem opções que você pode usar se o que deseja é acompanhar o desempenho do Ibov.

As principais são:

Vamos falar mais detalhadamente de cada uma dessas opções. 

Contratos 

Os contratos de índice futuros permitem que os investidores negociem expectativas para o futuro do Ibovespa, sem ter que comprar toda a carteira de ação do índice. 

Eles são negociados com data de vencimento futura predeterminada e são baseados no Ibovespa. 

Os lotes contêm cinco contratos e o seu preço é proporcional aos pontos do Ibovespa. Para cada R$ 1, um ponto.

Minicontratos

Os minicontratos são outra forma de investir no Ibovespa sem que seja necessário comprar toda carteira do índice. 

Essa opção funciona da mesma forma que os contratos, porém, cada minicontrato equivale a 20% do contrato cheio. 

Nesse caso, a proporção é de R$ 0,20 para cada 1 ponto. 

ETF

Os ETFs (Exchange Traded Funds) são fundos de índice que têm como objetivo seguir o seu benchmark. 

No caso do Índice Bovespa, por exemplo, temos no mercado o BOVA11, um dos principais fundos de índice do Brasil. 

Como o benchmark do BOVA11 é o Ibovespa, o objetivo principal do fundo é acompanhar de perto o desempenho do índice. 

Para fazer isso, o gestor do fundo tenta montar uma carteira bem parecida com a do índice de referência, respeitando, inclusive, o peso das ações na carteira. 

Fundos de Ações

Os fundos de investimento são outra maneira de diversificar sua carteira sem que seja necessário fazer muitas aplicações individuais.

Essa é umas principais vantagens desse tipo de investimento. 

Nesse caso, entretanto, o objetivo não é seguir o Ibovespa. 

Porém, dependendo do perfil e da estratégia do gestor, ele pode escolher muitas ações do índice para compor a carteira do fundo.

De qualquer maneira, ao contrário do que acontece nos ETFs, o gestor tem maior liberdade para definir onde vai aplicar o dinheiro. E é ele quem define a estratégia do fundo. 

Como esse tipo de fundo não segue nenhuma carteira, demanda maior trabalho do gestor e, por isso, as taxas de administração costumam ser mais altas.

5 ações mais negociadas na B3

O Ibovespa, como vimos, é um índice composto pelas principais ações negociadas na Bolsa de Valores brasileira.

Apesar de haver variações entre as empresas listadas, algumas companhias sempre figuram entre aquelas que têm mais transações.

Grandes indústrias do segmento de energia, finanças, minérios, aviação e tecnologia se destacam na bolsa.

Conheça, então, alguns dos ativos mais comprados e vendidos na B3:

PETR4

O PETR4 é um papel emitido pela companhia Petróleo Brasileiro S.A. – a Petrobras.

A empresa do setor de minerais energéticos tem significativa representação na B3.

A ação é preferencial e, dessa forma, o acionista recebe os dividendos antes dos demais investidores da empresa.

BBAS3

Quer investir em uma das instituições bancárias mais importantes do mundo?

Então, você deve comprar ações do Banco do Brasil.

O BB emite diferentes papéis e, entre eles, o BBAS3 é um dos ativos mais comercializados na B3.

A ação é ordinária e faz pagamentos recorrentes de dividendos aos acionistas.

VALE3

A Vale é uma das empresas mais valiosas da América Latina.

Atuando no setor de minérios não energéticos, a companhia também tem grande importância no mercado de investimentos.

Assim, a VALE3, ação ordinária, é outra alternativa para quem deseja investir em ativos participantes do índice Ibovespa.

GOLL4

O segmento de aviação também é representado no IBOV.

Além de Azul, Embraer e outras, a Gol Linhas Aéreas Inteligentes é uma das companhias de transporte que fazem parte do índice.

Dentre os papéis, destaque para a ação preferencial GOLL4.

TOTS3

Já o setor de tecnologia brasileira tem como uma das representantes a empresa Totvs.

A gigante de softwares também figura entre as emissoras de ações mais negociadas na bolsa de valores brasileira.

A TOTS3, ação ordinária, tem grande volume de compras e vendas na B3 e pode ser uma opção atrativa para seus investimentos.

Qual foi o impacto do coronavírus no Ibovespa

É inegável que a pandemia de coronavírus, em 2020, impactou o mundo inteiro.

Com os índices das principais bolsas de valores mundiais, não seria diferente – e o resultado foi o chamado “corona crash”.

No Brasil, o Ibovespa sentiu os efeitos econômicos da crise sanitária.

Algumas ações chegaram a ter queda de quase 70% na cotação, enquanto as maiores variações positivas não ultrapassaram a marca de 18% durante o período.

O destaque de alta ficou para a B2W Digital, de comércio eletrônico.

Assim como em outros lugares do mundo, as compras virtuais dispararam, levando ao aumento do preço de papéis como o BTOW3.

Mas, em contrapartida, várias outras companhias viram suas cotações despencarem.

Gigantes brasileiras como Azul, Embraer, CVC, Usiminas e Cielo amargaram quedas acentuadas durante a crise do coronavírus.

Em março de 2020, a B3 paralisou suas operações por 4 vezes devido às quedas acentuadas dos preços dos ativos.

Os chamados circuit breakers assustaram os mercados, mas, gradativamente, a bolsa de valores brasileira vem retomando a sua normalidade.

Dúvidas Comuns Sobre a B3 Online

O mercado de ações é cercado por dúvidas.

Muitas pessoas têm em mente que o Ibovespa é muito complexo e acessível apenas para os grandes investidores. 

Isso costuma gerar medo ou muita insegurança aos recém-chegados ao mercado.

Se você quer começar, mas está desencorajado, vamos mostrar que há diversos mitos sobre as ações e a sua realidade.

Acompanhe: 

Qual é o valor mínimo para investir em ações? 

Não há um valor mínimo estipulado. Ao mesmo tempo que alguns papéis custam muito, outros valem apenas centavos. 

Se você quer investir em ações, é preciso pesquisar o preço atual das cotações e considerar os custos do investimento, como taxa de corretagem, emolumentos e de custódia. 

Como eu faço para encontrar as ações das empresas desejadas? 

As ações são identificadas por siglas, por exemplo, ITSA4 é o ativo de Itaúsa.

Então, basta procurá-los na internet e digitar a mesma sigla no seu Home Broker. 

Quem pode investir em ações do Ibovespa? 

Todas pessoas podem negociar na bolsa de valores.

Para isso, basta ter uma conta em uma corretora de valores, como a Rico.

Assim, você terá acesso ao Home Broker e já consegue lançar as suas ofertas.

Clique e baixe o guia sobre a bolsa de valores

Qual é o momento certo para começar a investir na bolsa de valores? 

Não há um momento específico para você começar.

Na verdade, isso é algo específico de cada investidor, ou seja, você mesmo deve definir esse período. 

Uma dica é analisar a sua vida financeira e/ou carteira de investimentos e verificar se o desempenho atual das ações pode ser um aliado para atingir os seus objetivos.

Se a resposta for sim, comece aos poucos e aumente a exposição à medida que adquirir experiência. 

Para saber mais, assista também a este vídeo:

O que é mini índice?

Mini índice é um contrato futuro que representa uma parcela de um índice “inteiro”, sendo a menor compra possível.

No caso do Minicontrato Futuro de Ibovespa ou Futuro Mini de Ibovespa, ele equivale a uma parte do IBOV.

O mini índice funciona da mesma forma que os contratos padrões futuros. Porém, equivale a apenas do 20% valor cheio.

Essa é uma maneira de investir nesse tipo de mercado utilizando menos recursos.

Qual a diferença entre Ibovespa e Ibovespa futuro?

Ibovespa e Ibovespa futuro são conceitos diferentes.

O Ibovespa, como vimos, é um índice com as principais ações negociadas na Bolsa de Valores brasileira. 

Já o Ibovespa futuro é um tipo de contrato futuro que negocia ações do índice da B3.

Ou seja, você compra e vende o ativo, que está diretamente atrelado ao IBOV.

Qual o código do Ibovespa futuro?

O código do Ibovespa futuro é formado por letras e números, começando por WIN + mês de vencimento + ano e vencimento da categoria. 

Assim, você deve observar a formação do código, que utiliza as seguintes letras para os meses do ano:

  • Fevereiro: G
  • Abril: J
  • Junho: M
  • Agosto: Q
  • Outubro: V
  • Dezembro: Z

Por exemplo, o minicontrato WINV20 vence em outubro de 2020.

Qual o site oficial da Bovespa?

Você pode acompanhar todas as cotações, informações e notícias sobre ações, índices, contratos futuros e outros sobre investimentos no site da B3, que é o www.b3.com.br.

Por ele, você terá acesso a dados atualizados e oficiais.

Além disso, ainda encontra oferta de cursos e valiosas dicas para investir em ativos de renda fixa e renda variável.

Conclusão

Um homem e uma mulher sentados no chão. Ele segura um bebê.
Invista nos ativos deste índice e acompanhe o andamento do mercado financeiro

O Ibovespa é o principal parâmetro do desempenho da renda variável no Brasil.

Atualmente, ele é composto pelas ações mais negociadas da bolsa de valores. 

Para as empresas que fazem parte do índice, esse é um sinal de grande reconhecimento e responsabilidade para com os seus acionistas.

Já para o investidor, esses papéis podem oferecer um sinal de prudência com o mercado. 

Continue aprendendo sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

Nos últimos anos, o Ibovespa tem dado muitas alegrias – sua pontuação passa dos 100 mil pontos.

Então, este pode ser o momento certo para você começar a investir na bolsa de valores. 

Porém, avalie se a renda variável é indicada para o seu perfil de investidor.

Considere também aspectos como os seus objetivos e prazo de investimento.

Lembre que todas as negociações ocorrem no Home Broker. Então, para começar a investir e ter acesso às ações do Ibovespa, você só precisa abrir a sua conta na Rico agora mesmo! 

Este artigo foi útil para você? Então, deixe um comentário com sugestões. 

Obrigado por ler até aqui! 


outubro 2, 2020

Entenda como vender no mercado fracionário [Passo a Passo]  

Aprender como vender no mercado fracionário abre boas oportunidades ao investidor na bolsa de valores.

Estamos falando sobre uma modalidade que se mostra interessante especialmente para quem está iniciando na renda variável

Ela oferece um caminho alternativo e mais acessível para aplicar dinheiro, permitindo negociar papéis em quantidade menor que a do lote integral, que é de 100 ações.

Para saber mais sobre o mercado fracionário, continue lendo.

Você vai conferir uma lista de dicas exclusivas para quem busca estratégias para operar com os melhores resultados.

Se desejar, navegue pelos tópicos abaixo:

E se restar alguma dúvida ao final, deixe um comentário.

Boa leitura!

Clique e confira a guia de investidor da Rico!

Como funciona o mercado fracionário de ações?

Dentro da B3, que é a bolsa de valores brasileira, o mercado de ações funciona como um ambiente de negociação para títulos mobiliários e imobiliários.

Por padrão, as ações são comercializadas em lotes que contêm 100 unidades, o que dificulta o acesso a muitos investidores que preferem aplicar pouco dinheiro.

A alternativa, nesses casos, está no mercado fracionário.

Nele, é possível comprar ou vender qualquer quantidade de ações entre 1 e 99.

Ideal para o investidor iniciante, o mercado fracionário permite negociações menores, mais baratas e com menores riscos.

Assim, ele democratiza o acesso para aqueles que querem começar a operar na bolsa, mas ainda não têm grande capital acumulado.

O modelo também é útil por oferecer um caminho de diversificação da carteira, tornando mais fácil para qualquer pessoa ter no seu portfólio ativos de renda fixa e de renda variável.

Na B3, o mercado de ações abre seu pregão às 10h e vai até às 17h.

Todo o processo é informatizado e a compra e venda de ações é feita pela internet, em plataformas digitais oferecidas por corretoras.

Ações fracionadas pagam dividendos?

As ações do mercado fracionário têm o mesmo valor que aquelas negociadas dentro de um lote.

Assim, quando o assunto é dividendos, o investidor pode ficar tranquilo, pois o mercado fracionário também oferecer essa remuneração – de forma proporcional à sua quantidade de ações, é claro.

Ou seja, se você tem na carteira ações que pagam dividendos, ainda que em um número pequeno, terá direito ao provento quando ele for pago.

Entenda a diferença entre o mercado de ações integral e o fracionário?

Uma imagem de plataforma de investimentos, em referência a como vender no mercado fracionário.

A principal diferença entre o mercado integral e o fracionário é, de fato, a forma como as ações são negociadas no pregão.

Enquanto o primeiro vende lotes inteiros contendo 100 unidades, o segundo dá mais liberdade ao investidor ao permitir que ele escolha qualquer número de ações para investir.

Como se trata de uma modalidade mais recente, o mercado fracionário ainda não tem tantos adeptos quanto o tradicional mercado de lotes integrais.

E por ter menos investidores interessados na compra e na venda, é comum que ele ofereça uma liquidez menor em seus negócios.

A lógica aqui é básica: quanto menos gente negociando, mais difícil será vender e comprar as ações.

Outro ponto que se destaca como diferença dos dois mercados é o preço dos ativos-objeto negociados.

Uma mesma ação pode ter preço unitário (PU) de R$ 7 dentro de um lote e R$ 7,05 para a compra fracionada, por exemplo.

Afinal, vale a pena operar no mercado fracionário?

A resposta para essa pergunta depende do seu perfil de investidor, além de seus planos para o futuro.

De maneira geral, podemos dizer que operar no mercado fracionário pode valer a pena.

Mas, para isso, você deve estar muito bem informado e ciente sobre quais são as suas metas.

Também é importante saber até onde está disposto a arriscar, lembrando que o risco sempre vai existir em todo e qualquer investimento que escolher.

Nesse sentido, quem tem perfil moderado ou agressivo (também chamado de arrojado) costuma estar mais preparado para encarar o investimento em ações.

Não é recomendado investir todo o seu dinheiro em uma mesma ação – a busca deve ser sempre por equilíbrio e diversificação.

Quem monta uma carteira diversificada, de acordo com seus objetivos e respeitando a tolerância ao risco, evita surpresas desagradáveis e se protege das oscilações comuns a um ambiente tão volátil.

Agindo dessa forma, é provável que o mercado fracionário reserve boas oportunidades a você.

Qual a melhor corretora para operar no mercado fracionário?

Um homem sorridente em frente a dois monitores ligados em plataformas de investimentos, enquanto analisa alguns papéis com gráficos, em referência a como vender no mercado fracionário.

A busca por uma corretora de valores para operar no mercado fracionário exige atenção da sua parte.

É preciso pesquisar bem para se comprometer com uma empresa que tenha boa reputação e tradição no mundo dos investimentos.

Além disso, ficar de olho nos custos é uma boa prática, pois você pode economizar bastante com taxas.

Assim, pense bem antes de escolher, pois investimentos bem feitos podem durar meses ou anos.

Clientes do mercado fracionário Rico saem na frente por contarem com a estrutura e o suporte de uma empresa de confiança e bem conceituada.

Com quase uma década atuando no setor de investimentos, a corretora é hoje uma das maiores do país em volume de negociação.

Além de uma plataforma intuitiva e segura, conta com uma área de aprendizado exclusiva, a InvesTV.

Nela, seus clientes têm acesso a todas as informações que precisam para investir com segurança e rentabilidade.

Venha para a Rico! Abra a sua conta agora!

New Call-to-action

Qual o momento certo para vender uma ação fracionada?

A escolha do momento certo para vender ações no mercado fracionário depende do contexto econômico e também das necessidades do investidor no momento.

No cenário ideal, você compra uma ação na baixa e a vende na alta.

É preciso ter cuidado com o “efeito manada”, que costuma contaminar quem mantém ativos na bolsa sempre que uma forte desvalorização é percebida.

Tudo depende da estratégia e da própria observação, analisando as ações e projeções do mercado.

Em situações de crise, se os seus papéis caem de valor, a venda até pode reduzir seu prejuízo, mas também pode concretizar a perda – que tende a não ocorrer para quem mira o longo prazo e mantém o investimento.

Como vender no mercado fracionário [Passo a Passo]

Uma pessoa opera uma plataforma de investimentos, em referência a como vender no mercado fracionário.

Entendidas as características, oportunidades e riscos do mercado fracionário, vamos passar agora aos aspectos práticos da venda de unidades de ações.

Confira o passo a passo que preparamos:

Passo 1: Escolha uma corretora

Você já sabe que tem como vender menos de 100 ações.

Então, agora, deve se dedicar à escolha de uma corretora de valores.

Lembrando que é importante buscar uma empresa de confiança para suas operações.

A escolha da corretora acaba sendo fundamental para obter bons rendimentos, já que as taxas variam de uma empresa para outra.

E esse é mais um motivo para investir com a Rico, pois reduzimos a taxa de corretagem para o mercado fracionário de R$ 7,50 para apenas R$ 1,90. 

Passo 2: Cadastro na plataforma

Escolhida a corretora, é chegado o momento de se cadastrar na plataforma de investimentos.

O cadastro para se tornar cliente é gratuito e rápido – em apenas 5 minutos, você vai estar pronto para investir.

Além de contar com uma plataforma intuitiva, a Rico oferece uma área de aprendizado exclusiva para que seus clientes dominem o mercado de ações.

Saiba mais sobre a InvesTV.

Passo 3: Avalie suas opções

Com o cadastro finalizado, você se tornou um cliente Rico e, por isso, tem acesso livre aos diversos simuladores e informativos oferecidos na plataforma.

Use essas informações para entender qual é o seu perfil de investidor e qual estratégia será mais adequada para o que você busca.

Quando estiver pronto, pode acessar o home broker (plataforma digital onde a compra e venda de ações acontece) e conferir as alternativas que estão disponíveis no mercado.

Nesse momento, o estudo do histórico de desempenho é importante para garantir que você não terá prejuízos – sempre lembrando que, na renda variável, rentabilidade passada nunca é garantia de ganhos futuros.

Passo 4: Transferência e aplicação

Agora que você já tem seu cadastro na corretora e teve tempo de estudar suas opções com calma, podemos avançar para o investimento em si.

Antes de mais nada, você precisará transferir o valor que pretende aplicar para a sua conta Rico – é a partir dela que poderá operar no home broker.

Passo 5: Home broker e ticker

Por último, vamos aprender como proceder dentro do home broker.

O ambiente é extremamente dinâmico e apresenta as oscilações de cotação da bolsa em tempo real.

Para fazer o seu investimento no mercado fracionário, você precisará digitar o ticker – código da ação – e preencher com a quantidade de papéis que deseja adquirir.

Para vender, que é o tema deste artigo, o procedimento é o mesmo.

A diferença é que a ordem que será dada no sistema é de venda.

Não se esqueça de adicionar a letra F ao final do ticker, pois é ela que indica que você quer negociar lotes fracionados.

Dica bônus: 7 estratégias para operar no mercado fracionário como um profissional

Uma mulher de terno sentada em frente a três monitores de plataforma de investimentos, em referência a como vender no mercado fracionário.

Operar com sucesso no mercado fracionário pode ser a sua realidade.

Confira abaixo as sete melhores estratégias para você atingir esse objetivo e investir na bolsa como um verdadeiro profissional.

1. Valorização de preços das ações

Aqui, não tem segredo: um caminho clássico para ganhar dinheiro na bolsa de valores é comprando ações e esperando que elas se valorizem para vender.

Quem investe com esse foco precisa entender que o mercado tem suas oscilações próprias – e saber se aproveitar disso.

Existem diversas linhas do tempo para quem quer ganhar dinheiro dessa maneira – a seguir, vamos falar sobre algumas abordagens possíveis.

2. Curto prazo (Scalper)

O escalpelamento (ou Scalping, no inglês) é o nome de uma estratégia utilizada por traders profissionais para obter ganhos em curto prazo.

O foco de quem atua como scalper está em recuperar o dinheiro investido em pouco tempo – em geral, estamos falando de um período que varia entre um dia e duas semanas.

Com grande potencial de ganhos, o Scalping tem também alto risco e, por isso, exige do investidor conhecimento, estudo e prática.

3. Longo Prazo (Position ou Buy and Hold)

Ao contrário da técnica que mencionamos acima, uma estratégia de Buy and Hold tem foco no longo prazo.

Aqui, parte-se da avaliação de que aquela empresa terá uma valorização no futuro e, por isso, vale a pena investir agora.

O investimento de longo prazo exige paciência, já que o retorno pode demorar meses ou até anos.

Durante esse tempo, é preciso ficar atento ao contexto econômico e financeiro para saber qual o momento certo para vender seus ativos.

4. Swing Trade

Swing trade é hoje uma das principais abordagens do mercado de ações.

A sua aplicação reúne estratégias de curto e longo prazo para obter mais ganhos, correndo menos riscos.

O período de retenção da ação nas mãos do investidor varia de três dias a algumas semanas.

5. Day Trade

day trade é uma estratégia definida pela compra e a venda de ações em um mesmo dia, com poucos minutos ou algumas horas de diferença entre as operações.

Essa abordagem é mais dinâmica, já que o investidor terá seu lucro ou prejuízo consolidado ao fim de cada pregão.

6. Diversificação da carteira

Quando falamos em riscos de investimentos, nenhuma estratégia é tão eficiente para proteger o investidor quanto à diversificação.

Ao dividir seu capital em ativos de maior e menor risco, o investidor garante segurança – com aplicações na renda fixa, por exemplo – e potencial de rentabilidade por meio do mercado fracionário.

7. Pagamento de proventos

Por último, a dica é ficar atento no pagamento dos proventos – a remuneração oferecida por empresas de capital aberto para seus investidores.

Os dividendos são a forma mais comum de pagamento, e representam a fatia de lucros paga proporcionalmente para cada investidor de acordo com sua quantidade de ações.

Avalie também às outras formas de remuneração possíveis, como juros sobre capital, a bonificação e o direito de subscrição.

Conclusão

Neste artigo, você aprendeu como vender no mercado fracionário e obter os melhores resultados ao vender ações em unidades.

As ferramentas estão todas à sua disposição e, com uma corretora de confiança como a Rico, você tem todo o suporte para obter ganhos em sua estratégia de investimentos.

Abra sua conta na Rico!

Siga aprendendo sobre o mercado com mais estes artigos:

Obrigado por ler até aqui!



setembro 28, 2020

Mercado fracionário: o que é, como funciona e muito mais. Veja!  

Se você investe ou está pensando em investir seu dinheiro, provavelmente já ouviu falar em investir em ações.

Esse tipo de investimento é de renda variável, ou seja, são ativos financeiros que possuem retornos não previsíveis: você não tem como ter certeza do quanto o dinheiro irá render ao longo do tempo.

Embora o risco seja grande, a possibilidade de conseguir maior rentabilidade também é maior se comparada a outros tipos de investimento, como os de renda fixa.

Muitas pessoas pensam que investir em ações é apenas para quem tem muito dinheiro para investir.

E é aí que está o erro.

Existe uma opção exatamente para quem não tem tanto dinheiro assim, mas quer investir em ações. É o mercado fracionário.

Nele você não precisa comprar o lote mínimo padrão, que são 100 ações por lote. No mercado fracionário você pode comprar apenas parte do lote, uma fração dele. E, portanto, não precisa de um grande capital para investir.

Acompanhe nesse post como funciona o mercado fracionário, para quem ele é indicado e como investir em ações por ele.

E se você já é cliente Rico, confira nossa carteira recomendada e invista agora mesmo no mercado fracionário!

O que é o mercado fracionário?

O mercado fracionário é onde as ações podem ser negociadas sem a obrigatoriedade de um lote mínimo. Como falamos, no mercado comum de compra e venda de ações, elas são negociadas em lotes. E cada um contém 100 ações.

Ou seja, você consegue apenas comprar 100, 200, 300, 400… ações, e por aí vai. Isso demanda do investidor mais capital para investir.

Já no mercado fracionário é possível comprar apenas uma parte desse lote. Por exemplo, é possível comprar 5, 15, 30 ações. Ou quantas o investidor quiser entre 1 e 99.

É uma ótima opção para quem quer investir em ações, mas não tem uma grande reserva de capital. Ou para quem está iniciando os investimentos em renda variável e quer fazer pequenos testes antes de investir mais dinheiro.

Mercado fracionário x mercado integral: qual a diferença?

A principal diferença entre o mercado fracionário e o mercado integral é a quantidade de ações que podem ser negociadas em uma transação.

Enquanto no fracionário é possível comprar qualquer quantidade entre 1 e 99 ações, no integral, é preciso comprar lotes inteiros.

Um lote tem 100 ações, então, se o investidor quiser investir mais do que isso no mercado integral, a próxima opção é investir em 200 ações – perceba como diferença entre os passos é muito grande.

Além disso, é importante saber que, embora nos dois mercados, os ativos negociados sejam os mesmos, eles são independentes um do outro.

Portanto as cotas e a liquidez das ações são diferentes nos dois mercados.

No mercado fracionário, a liquidez costuma ser mais baixa, pois há menor volume de oferta e compra.

Fique atento a esse ponto: se você quer investir em curto prazo, o mercado fracionário pode não ser uma boa opção, já que tem liquidez mais baixa.

Como comprar ações no mercado fracionário?

Se você tem interesse em investir no mercado fracionário, basta seguir o processo normal de como investir em ações.

Primeiramente, você precisa abrir uma conta em uma corretora de valores, como a Rico.

Na sua conta, acesse o Home Broker. É no Home Broker que as ações são negociadas, seja no mercado integral ou fracionário.

Procure pelo código da ação na qual você quer investir.

Por exemplo, se você quer investir na Vale, procure por VALE3. Quando selecionar a ação, acrescente no fim dela a letra “F”. Nesse caso, ficaria VALE3F. O F indica que é uma transação no mercado fracionário.

Pronto! Depois, basta indicar quantas ações você deseja comprar e finalizar a transação.

Então, não esqueça: para operar no mercado fracionário basta acrescentar a letra “F” no fim da ação.

Alguns exemplos de como fica o ticker da ação no mercado fracionário:

  • SANB11F – Santander
  • BBDC4F – Bradesco
  • PETR4F – Petrobras
  • ITUB4F – Itaú
  • MGLU3F – Magazine Luiza

Para quem é o mercado fracionário?

principais-erros-de-investidores-nao-diversificar

Qualquer investimento em ações é indicado para o investidor arrojado.

É muito importante saber qual é o seu tipo de investidor antes de escolher onde investir. Chamamos isso de suitability no mundo dos investimentos.

É de acordo com o seu tipo de investidor que você deve guiar a composição da sua carteira. Existem três tipos: conservador, moderado e arrojado. E o mercado fracionário é indicado para o investidor arrojado.

O suitability é definido de acordo com a aceitação ao risco do investidor. E como o mercado de ações é um tipo de investimento que tem risco alto, ele é indicado para quem tem mais tolerância ao risco: o investidor arrojado.

Invista em ações mesmo tendo pouco capital

Além disso, ele é indicado para quem não tem muito dinheiro para investir, mas quer se arriscar no mundo das ações. Assim, não precisa ter dinheiro para comprar o lote inteiro de ações.

Você pode comprar apenas parte do lote.

Mercado Fracionário para começar a investir em ações

Esse mercado também é indicado para quem está começando a investir em ações. Isso pois investimentos demandam aprendizados. No processo de investir, você vai errar e acertar, até entender como aquele investimento se comporta dentro da sua carteira.

Por isso, para quem está começando em investir em ações não é indicado começar com grandes investimentos. E o mercado fracionário é ideal para isso: você consegue investir menos e testar seus conhecimentos sem comprometer sua renda.

Assim, não precisa aprender testando em um lote inteiro de ações – que pode ter um valor alto. Você pode, por exemplo, fazer testes comprando 10, 20 ações e ver como o investimento se comporta.

Vale a pena investir no mercado fracionário?

A resposta é: depende. Como qualquer outro tipo de investimento, primeiro você precisa definir quais são seus objetivos com ele.

Investir em ações possui alto risco. É importante que você não invista todo o seu dinheiro em uma mesma ação. A palavra chave para sua carteira é: diversificação.

Se você montar uma carteira diversificada de acordo com seus objetivos e tolerância ao risco, evitará surpresas negativas.

Então, o mercado fracionário pode ser uma ótima opção para o investidor arrojado diversificar a carteira.

Por exemplo, se você quer investir em uma empresa nova, que ainda não se sabe o desempenho, pode recorrer ao mercado fracionário e comprar algumas ações da empresa, sem arriscar muito capital comprando um lote inteiro.

Ou se você apenas não tem o dinheiro para comprar um lote inteiro, mas quer investir em ações, o mercado fracionário é a melhor saída.

Em diferentes situações ele pode valer a pena. O importante é avaliar se ele faz sentido:

  • Com o seu tipo de investidor;
  • Com os objetivos que você quer alcançar;
  • Com quanto você tem para investir;
  • E quanto tempo você quer deixar o dinheiro alocado nele.

Taxa de corretagem reduzida!

E, agora, você tem mais um motivo para investir no mercado fracionário com a Rico:

Diminuímos nossa taxa de corretagem para investir no mercado fracionário de R$ 7,50 para R$ 1,90. 

Com a nossa taxa reduzida, você não precisa se preocupar tanto com os custos da operação. 🙂

Dicas para ter sucesso no mercado fracionário

mercado fracionario dicas para ter sucesso

Até agora, falamos bastante sobre o mercado fracionário de maneira conceitual, mostrando os prós e contras da modalidade e explicando o seu funcionamento.

Então, para complementar seu aprendizado, reunimos abaixo duas dicas valiosas para você ter sucesso na compra e ações de modo fracionado.

Estudo e planejamento

Pode parecer óbvio, mas o primeiro passo para se dar bem em um investimento é estudar bem suas características.

Busque conhecimento em várias fontes e leia guias informativos – como esse artigo – para se certificar de que você tem domínio sobre o assunto.

O próximo passo é se planejar de acordo com suas metas e necessidades.

Lembre que todo investimento precisa ter um objetivo e que é isso que vai guiar o seu planejamento como um todo.

Cálculo e diversificação

Por conta das taxas e da baixa liquidez, é ainda mais importante que o investidor do mercado fracionário calcule bem seus passos para não acabar amargando prejuízos.

Antes de investir, simule diversas vezes os números para se sentir mais seguro e confiante de uma rentabilidade positiva.

A diversificação da sua carteira pode ser o caminho para conseguir bons rendimentos.

Uma vantagem do mercado fracionário é que ele facilita o investimento em diversas fontes, e é importante aproveitar essa característica para garantir mais segurança em seus negócios.

Vai investir no mercado fracionário? Atenção a esses pontos!

Se você vai investir em ações pelo mercado fracionário, separamos alguns pontos em que você deve ficar de olho.

Custos operacionais

Como você pode comprar apenas parte de um lote de ações, pode ser que o custo operacional fiquei muito alto em relação ao preço da ação.

Por exemplo, se você comprar apenas 10 ações de uma empresa, e o custo delas for R$ 15,00 e a taxa de corretagem for R$ 12,00 o valor pela transação será quase o mesmo das ações em si.

É importante ter isso em mente quando for comprar ações no mercado fracionário.

Atenção com a liquidez

Como já falamos, a liquidez das ações no mercado fracionário é menor do que no regular. Isso pois o volume de compra e venda nele também é menor.

E isso pode impactar diretamente nos seus investimentos, já que pode ser mais difícil e levar mais tempo para vender suas ações.

O ideal é pensar em investir nesse mercado a longo prazo. Assim, você não possui urgência de comprar e vender suas ações, e consegue montar uma carteira de acordo com as condições desse tipo de investimento.

Se você é cliente da Rico e não sabe onde investir, confira a carteira recomendada para saber por onde começar.

Como escolher a melhor corretora para operar no mercado fracionário

mercado fracionario como escolher melhor corretora para operar

A escolha de uma corretora para começar a operar no mercado fracionário é fundamental.

É importante procurar uma empresa com boa reputação e tradição no mercado.

Com quase uma década atuando no setor de investimentos, a Rico é hoje uma das maiores corretoras do país em volume de negociação.

Além de uma plataforma intuitiva e segura, a empresa conta com uma área de aprendizado exclusiva para seus clientes aprenderem tudo que precisam para investir com boa rentabilidade.

Para começar no mercado acionário, saiba qual a melhor corretora de valores para investir em 2020.

Como comprar ações fracionárias na Rico?

A operação no mercado fracionário na Rico segue o mesmo caminho de qualquer outra corretora.

No Brasil, a compra de ações é padronizada dentro de um sistema desenvolvido pela bolsa de valores brasileira, a B3.

Para investir, tudo que o cliente precisa é acessar o home broker pela plataforma da corretora e seguir o passo a passo que apresentamos acima.

Mas há ainda mais uma opção, que é através do MetaTrader. Ainda não conhece?

O MetaTrader fracionário da Rico é a plataforma de negociação eletrônica de trading mais utilizada em todo o mundo.

Ela permite operar no mercado com alta performance e grande precisão, executando ordens de maneira rápida e automática.

Grátis para cliente Rico, o você precisa é só abrir sua conta.

Conclusão

O mercado fracionário é ideal para quem quer começar a investir em ações, tem pouco dinheiro para investir ou para quem quer investir em ações, mas sem comprometer grande parte do capital.

Isso tudo combinado com um perfil de investidor mais arrojado e com os objetivos que se quer alcançar com os investimentos.

Por permitir a compra fracionada de ações, ou seja, sem precisar comprar o lote inteiro é uma boa alternativa para diversificar sua carteira.

Se você quer investir no mercado fracionário, vai precisar de uma conta em uma corretora de valores. Ainda não tem? Conte com a Rico!

Na Rico, você pode investir no mercado fracionário e no mercado integral de ações. Além disso, pode optar por diversos outros tipos de investimento para diversificar sua carteira.

Se tiver dúvidas durante o processo, confira nosso post de como abrir conta na Rico.

Bons Investimentos!


setembro 24, 2020

BDR: O que são, tipos e como investir! Descubra tudo sobre  

Para quem pensa em investir em BDR, o momento não poderia ser mais oportuno.

O ano de 2020, mais precisamente o mês de setembro, marca o início da vigência de novas regras de aplicação nos chamados Brazilian Depositary Receipts.

A deliberação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) libera os investidores do varejo para investir em ativos do exterior por meio dos recibos de ações internacionais.

Quer saber o que isso significa em termos práticos e como você é afetado?

Continue lendo para entender mais sobre os BDRs, conhecer a diferença entre seus diferentes tipos e aprender como investir nessa categoria de papéis.

Estes são os tópicos que vamos abordar a partir de agora:

Caso tenha alguma dúvida ao final, é só deixar um comentário.

Boa leitura!

O que são BDRs?

Chamamos de Brazilian Depositary Receipts – ou simplesmente BDRs – os ativos pelos quais o brasileiro pode investir em recibos que replicam as ações de mercados estrangeiros diretamente no mercado nacional.

A lógica de um investimento local que tem lastro no exterior pode parecer confusa, mas é bastante simples.

Como o nome indica, os BDRs são recibos que representam ações emitidas por empresas de fora do Brasil.

Ainda que o investidor não esteja comprando aqueles papéis diretamente, ele investe na posse por meio de certificados que estão garantidos por instituições financeiras, chamadas de custodiantes.

No Brasil, essa ponte é feita por outras instituições financeiras, estas responsáveis por emitir os BDRs no país.

A negociação dos certificados na B3, a bolsa de valores brasileira, vem depois do registro de um programa de distribuição junto à CVM, o que vai liberar a venda.

Como os Brazilian Depositary Receipts funcionam?

O BDR é considerado hoje um ótimo caminho para o investidor brasileiro interessado em aplicar em empresas estrangeiras.

Como visto, com ele, é possível investir capital em companhias de outros países diretamente no mercado local.

No entanto, quem quer aplicar capital em BDR precisa entender que o seu funcionamento tem particularidades.

Diferentemente do investimento direto em ações, os certificados podem ser mais bem comparados aos fundos que contam com ativos internacionais em sua carteira.

Por isso, o investidor que compra BDRs têm papéis de uma companhia, mas não se torna sócio dela.

Nesse caso, quem tem a posse real da ação é a empresa de custódia, e não quem investiu no certificado.

Conheça os principais tipos de BDRs

BDR conheca principais tipos

De maneira geral, os Brazilian Depositary Receipts estão classificados em dois tipos diferentes: os patrocinados e os não patrocinados.

Essa divisão é feita de acordo com a forma como os certificados são trazidos para a negociação dentro da bolsa brasileira.

Entenda melhor a seguir.

Patrocinados

Chamamos de BDRs patrocinados aqueles que têm influência direta da empresa emissora durante todo o processo.

Em geral, isso ocorre quando a companhia tem interesses específicos no mercado brasileiro e busca ativamente expandir sua presença no país.

Nesses casos, é comum que a própria emissora se encarregue de contratar uma instituição depositária para fazer a ponte.

Os BDRs patrocinados ainda se dividem em três níveis, conforme o volume de dados que serão compartilhados com os investidores e o tipo de distribuição permitida para cada um.

Nível l

No primeiro nível, os Brazilian Depositary Receipts não precisam de registro da companhia na CVM para serem negociados.

A operação, por sua vez, só pode ser realizada em mercado de balcão não organizado ou em outros ambientes da bolsa que forem especificamente criados para essa função.

Caso a distribuição seja feita por oferta pública, esse processo será realizado por “esforços restritos”.

Os BDRs patrocinados de nível I têm ainda uma limitação para o número de investidores: devem ser, no máximo, 50 indivíduos.

Quando o assunto é transparência, a regulamentação obriga que a depositária replique no mercado local todas as informações divulgadas pela emissora em seu mercado de origem – não há necessidade de converter demonstrações financeiras para o real brasileiro.

Nível ll e lll

Os BDRs patrocinados de nível II e III são bastante parecidos em suas características e, por isso, vamos apresentá-los agrupados.

Em ambos os casos, a empresa emissora precisa fazer seu registro junto à CVM para estar regularizada no mercado brasileiro.

Outra característica que os difere dos patrocinados de nível I é que os dois tipos podem ser negociados diretamente no pregão da bolsa, não havendo necessidade de criar um segmento exclusivo para sua operação.

Para garantir a transparência, exige-se que as companhias emissoras sigam as mesmas regras estabelecidas para empresas brasileiras “Categoria A”, que engloba os nomes mais conhecidos do mercado, como Petrobras, Itaú e Vale.

Para as ofertas públicas, existe uma diferença entre os dois subtipos: certificados de nível II só podem receber ofertas públicas com “esforços restritos”, enquanto, para o nível III, as ofertas públicas podem ser amplas, desde que haja registro na CVM.

Não patrocinados

A segunda categoria é dos BDRs não patrocinados, que são aqueles nos quais a iniciativa de lançar os certificados no Brasil não parte da companhia emissora, mas da instituição depositária.

Por isso, é da depositária também a responsabilidade de divulgar por aqui os balanços, relatórios e outras informações relevantes da empresa emissora.

Esse tipo de ativo compõe a maioria dos certificados de depósito disponíveis hoje na bolsa brasileira.

Com os BDRs não patrocinados, as instituições buscam mais opções de investimento para oferecer para seus clientes.

Vantagens de investir em BDR

A principal vantagem de investir em BDRs é que essa modalidade facilita muito o caminho para quem quer estar exposto a ativos no exterior.

Ainda que seja um investimento com lastro fora do país, ele é negociado na moeda local, o que elimina taxas e burocracias do processo.

Esse caminho pode ser especialmente interessante no momento atual, em que investimentos no mercado nacional não têm dado os mesmos retornos aos quais o público estava acostumado.

Nesse sentido, os certificados de depósito ampliam as opções do investidor, que pode realocar seu capital para aplicações em outros mercados.

Quais são os riscos de investir em BDR?

É claro que existe um risco associado aos investimentos em BDR, assim como acontece com qualquer outra modalidade.

Por estarem atreladas às ações, aplicações desse tipo estão sujeitas à volatilidade que é característica desse mercado.

Isso porque, quando falamos em bolsa de valores, fica impossível realizar projeções de ganhos completamente confiáveis.

O preço dos títulos se move de acordo com as oscilações da economia global e também do país no qual a empresa está sediada.

Para remediar esse mal, não existe mistério: é necessário estudar bem a companhia em que pretende investir e avaliar o seu histórico de desempenho minuciosamente para ver como os papéis têm se comportado.

A oscilação do mercado, que acabamos de destacar, pode também ter reflexos negativos no câmbio.

Ou seja, em caso de desvalorização do dólar frente o real, diminui a rentabilidade da aplicação.

Foi algo que já aconteceu em 2016, por exemplo, conforme esta reportagem do portal Valor Econômico.

Quais são os custos e tributações dos BDRs?

BDR quais sao custos tributacoes

Se você está pensando que os custos de um BDR podem ser um impeditivo para investir em ações de fora do país, não precisa se preocupar.

Os tributos e taxas dessa modalidade são, na verdade, bastante similares aos que você pagaria por uma operação com papéis brasileiros.

Isso significa que incide uma taxa de corretagem – cujo valor depende da corretora – e a taxa de custódia.

A tributação é cobrada na forma do Imposto de Renda que, nesse caso, é de 15% sobre os ganhos obtidos no período.

Vale observar que a cobrança se aplica mesmo quando os volume negociados são menores, já que não há isenção de IR até R$ 20 mil, como acontece com as ações.

Já nas situações em que existe distribuição de proventos, o valor é repassado ao investidor brasileiro seguindo as regras específicas de tributação do país de origem da ação.

Como investir em BDR?

Depois de todas essas informações e de entender os benefícios e os riscos dos BDRs, você deve estar se perguntando como pode investir.

Abaixo, separamos três dicas para que você possa fazer a melhor escolha.

Descubra o seu perfil de investidor

O primeiro passo de qualquer estratégia de investimento é justamente identificar qual é o seu perfil de investidor.

Entenda as razões que fizeram você buscar um BDR para avaliar se os seus objetivos são compatíveis com o que essa modalidade tem a oferecer.

Na internet, existem diversos testes para ajudar a responder essa pergunta, mas é no dia a dia que você pode realmente compreender quais aplicações são mais indicadas para o seu perfil.

Escolha uma corretora

Todos os Brazilian Depositary Receipts – independentemente do tipo e do nível – são negociados dentro da bolsa de valores.

Isso significa que quem quer investir nessa modalidade precisa, antes de mais nada, escolher uma corretora de confiança para representá-lo nesse ambiente.

Nesse momento, procure uma empresa sólida, como a Rico, com experiência no setor, boa reputação no mercado e taxa de corretagem zerada para BDRs.

Além disso, alguns outros pontos podem fazer a diferença nessa escolha, como a plataforma disponibilizada – o ideal é que ela seja fácil de ser usada e intuitiva – e o suporte oferecido para os clientes.

Avalie suas opções

Depois de compreender qual é o seu perfil e criar a sua conta de investimentos, é chegada a hora de finalmente avaliar as opções de aplicação.

É importante estudar bem todas as alternativas, sempre retornando ao seu perfil de investidor para cruzar os objetivos.

Nesse momento, pode ser interessante recorrer a relatórios sobre a área elaborados por especialistas do segmento.

BDRs das maiores empresas

BDR 3 melhores para investir

Para ajudar você a avaliar as opções de BDR e escolher a melhor, reunimos abaixo informações das três maiores empresas em valor de mercado que estão disponíveis para investimento nessa modalidade.

1. Apple

Diretamente de Cupertino, na Califórnia, a companhia se tornou uma das mais famosas e valiosas de todo o mundo.

A empresa de tecnologia tem hoje o valor de mercado de 2 trilhões de dólares.

No Brasil, suas ações podem ser encontradas no BDR representado pelo código AAPL34, com valor unitário de em torno de R$ 60,00 (setembro de 2020).

2. Amazon

Ainda que seja a companhia mais nova da lista, a Amazon não fica muito atrás, com um valor de mercado de aproximadamente 1 trilhão de dólares.

Sua sede administrativa fica em Seattle, mas a empresa tem diversos centros de distribuição espalhados por todo o mundo.

O BDR da Amazon é negociado no Brasil pelo código AMZO34, com valor unitário de R$ 8.595,00 (setembro de 2020).

3. Microsoft

O terceiro lugar da nossa lista vai para outro grande nome da tecnologia que dispensa apresentações.

A empresa de Bill Gates também tem sede em Seattle e ostenta hoje o valor de mercado por volta de 1 trilhão de dólares.

Por aqui, é possível investir na Microsoft pelo BDR de código MSFT34, cujo valor unitário é R$ 1.132,00 (setembro de 2020).

Os BDRs são a melhor opção para investir no exterior?

Aos poucos, os Brazilian Depositary Receipts se consolidaram no mercado como uma ótima alternativa para quem deseja diversificar sua carteira em busca de bons rendimentos.

Mas isso não significa que eles sejam o único caminho para investir no exterior.

Quando falamos nesse assunto, o mais óbvio talvez seja aplicar diretamente nos mercados de ação em outros países.

Outra forma de empregar seu capital em mercados estrangeiros é por meio dos fundos de investimentos internacionais.

Esse tipo de aplicação conta com a vantagem de ter um gestor no Brasil que será responsável por alocar os recursos entre reservas cambiais, de ouro, de ações de empresas estrangeiras e de cotas de outros fundos com lastro no exterior.

Perguntas frequentes sobre BDR

BDR perguntas frequentes sobre

Se você ainda ficou com alguma dúvida, confira abaixo as respostas para as perguntas mais frequentes sobre o tema.

Qual é o código de negociação dos BDRs?

Assim como as ações têm seus tickers, os BDRs também têm códigos que são utilizados para representá-los durante uma negociação.

Eles são formados por quatro letras, que indicam a empresa representada. A elas, são acrescidos dois números, que servem para informar se o BDR é patrocinado ou não e ainda o seu nível.

Resumidamente, é assim que os códigos de negociação de BDRs são identificados:

  • Código terminando em 32: BDRs Patrocinados Nível II
  • Código terminando em 33: BDRs Patrocinados Nível III
  • Código terminando em 34 ou 35: BDRs Não Patrocinados
  • Já os BDRs Patrocinados Nível I não têm um número fixo ao fim do código.

Antes no texto, já citamos alguns exemplos, como AAPL34 (Apple), AMZO34 (Amazon) e MSFT34 (Microsoft). Todos, portanto, são BDRs Não Patrocinados.

Qual BDR paga dividendos?

De maneira geral, todos os BDRs pagam dividendos.

Em alguns casos, porém, a empresa emissora pode ficar com uma porcentagem do valor como comissão.

O que são ADRs?

Paralelamente aos BDRs, existem também os American Depositary Receipts (ADRs).

Introduzido no mercado nos anos 1920, esse tipo de certificado permite um caminho facilitado para investidores americanos aplicarem em empresas de fora do país – brasileiras, inclusive – diretamente nas bolsas locais.

Como declarar BDR no Imposto de Renda?

De maneira geral, a declaração dos Brazilian Depositary Receipts no Imposto de Renda segue o mesmo formato de outros investimentos no mercado nacional.

Sobre os dividendos, incide ainda a alíquota de 15%.

Conclusão

Com as novas regras aprovadas pela CVM, muitos investidores têm buscado nos Brazilian Depositary Receipts um caminho para diversificar sua carteira e alcançar maior rentabilidade.

Quem pesquisa bem e conta com a ajuda de uma corretora de confiança, certamente pode se beneficiar dessa modalidade de aplicação.

Nessa hora, a Rico é sua melhor escolha.

Aproveite a corretagem ZERO e abra sua conta agora mesmo!

Continue aprendendo sobre o universo dos investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

Obrigado por ler até aqui!