junho 30, 2020

Custos e liquidação: ações, opções e BMF  

Se você investe seu dinheiro precisa ficar de olho em alguns pontos importantes. Ou, se pretende investir, é bom já estar preparado. Dois desses pontos são: a liquidação e os custos do investimento.

É importante saber quando acontece a liquidação do investimento que você escolher e quais são os custos envolvidos na operação. Assim, você consegue se planejar melhor e garantir que os investimentos da sua carteira fazem sentido com suas necessidades.

Se você investe ou quer investir no mercado de ações, opções ou BMF esse post é para você. Entenda como funciona a liquidação e quais são os custos desses investimentos.

O que é liquidação do investimento?

A liquidação do seu investimento é o dia do efetivo pagamento ou recebimento da operação em financeiro pelo cliente. Por exemplo: se você vender uma ação na segunda feira e a liquidação dela for de dois dias úteis, receberá o dinheiro na quarta-feira.

É importante saber qual é a liquidação dos seus investimentos para conseguir se planejar. Se você precisar do dinheiro para investir em outro ativo, por exemplo, precisa saber quando liquida a venda dos seus investimentos atuais.

Quais são os custos?

Os custos do investimento são taxas que você precisa pagar para realizar alguma operação. Cada investimento possui custos diferentes. Por isso, é importante saber quais são os custos envolvidos antes de montar sua carteira de investimentos.

Pode ser que, se comparado ao valor que você investir, os custos sejam muito altos fazendo a operação não valer a pena. Portanto, fique de olho!

Separamos os custos e liquidação de três ativos que causam dúvidas nos nossos clientes: ações, opções e BMF.

Ações

Para quem investe em ações separamos algumas informações importantes:

  • A liquidação da compra ou venda de ações ocorre em dois dias úteis após a execução da ordem;
  • Caso seja uma ordem de venda que já tenha sido executada, será possível realizar a compra de outra ação, sem necessidade de aguardar a liquidação.

Se você é cliente Rico, sua nota de corretagem, que funciona como um recibo da operação, ficará disponível na conta no próximo dia.

Para acessá-la baste entrar no menu lateral esquerdo > investimentos > ações > notas de corretagem. Nesta nota, é possível acompanhar as informações de ativos: o que foi comprado, a data da operação, o preço e custos envolvidos.

Custos para investir em ações na Rico:

  • Compra/venda ações, swing, lote integral: CORRETAGEM ZERO!
  • Compra/venda ações, swing, frações: CORRETAGEM ZERO!
  • Day-trade: CORRETAGEM ZERO!

Existem também os custos da própria B3, que são:

  • Taxa de negociação
  • Liquidação
  • Registro e/ou emolumentos

A cobrança é um percentual do volume financeiro operado total da nota. Você pode consultar os percentuais na tabela do site da B3.

Se você investe em operações alavancadas, fique atento. Operações alavancadas estão sujeitas a enquadramento compulsório do risco ou de final do dia pelo robô de zeragem, e estas zeragens possuem um custo diferenciado conforme tabela:

Volume Financeiro na Zeragem

Tabela Bovespa

% sobre o volume

Cobrança máxima de corretagem

Até R$ 200.000,00

0,50%

0,50%

R$ 500,00

Até R$ 200.000,01 até R$ 1.000.000,00

 

0,25%

R$ 1.000,00

Acima R$ 1.000.000,01

 

0,10%

R$ 2.000,00

Opções

Para quem investir em opções:

  • A liquidação da compra ou venda de opções ocorre em um dia útil após a execução da ordem.
  • Caso seja uma ordem de venda que já tenha sido executada, será possível realizar a compra de outra opção, sem necessidade de aguardar a liquidação.

A nota de corretagem ficará disponível no dia seguinte à operação, na sua conta da Rico, como já explicamos anteriormente.

Custos para investir em opções na Rico:

  • Compra/venda: ZERO! A Rico zerou a corretagem para operar opções.

Caso exerça ou seja exercida a opção, cobraremos a taxa operacional seguindo a tabela Bovespa.
Valor mínimo de taxa operacional: R$ 40,40

  • De R$ 0,01 à R$ 135,07: R$ 2,70 fixo + 0,00% do volume
  • De R$ 135,08 à R$ 498,62R$ 0,00 fixo+ 2,00% do volume
  • De R$ 498,63 à R$ 1.514,69R$ 2,49 fixo + 1,50% do volume
  • De R$ 1.514,70 à R$ 3.029,38R$ 10,06 fixo + 1,00% do volume
  • Acima de R$ 3.029,39R$ 25,21 fixo + 0,50% do volume

ISS: Sobre estes valores é necessário acrescentar (gross up) as alíquotas de: (i) 5% referente ao ISS do município de São Paulo, (ii) 0,65% referente ao PIS e (iii) 4% referente ao COFINS.

Também devem ser incluídos os custos da B3 que explicamos no tópico anterior.

BMF

Se você já investe ou quer investir em BMF, seguem algumas dúvidas recorrentes para te ajudar:

  • A liquidação da compra e/ou venda de BMF ocorre em um dia útil após a execução da ordem.

Mais uma vez, poderá acessar a nota de corretagem na sua conta Rico.

Custos para investir em BMF na Rico:

  • Para quem tem RLP ativo: Custo zero para minis (índice e dólar)

Para ativá-lo, basta acessar sua conta no menu lateral esquerdo > RLP > ativar.

Caso não tenha o RLP ativo:

  • Compra/venda swing: R$ 0,75 centavos por contrato operado no mini índice e no mini dólar.
  • Day-trade: R$ 0,45 centavos por contrato operador no mini índice e no mini dólar.

Já para contratos cheios do índice e do dólar são:

  • Swing: R$ 3,75 por contrato.
  • Day-trade: R$ 2,25 por contrato.

ISS: Sobre estes valores é necessário acrescentar (gross up) as alíquotas de: (i) 5% referente ao ISS do município de São Paulo, (ii) 0,65% referente ao PIS e (iii) 4% referente ao COFINS.

As operações alavancadas estão sujeitas a enquadramento compulsório do risco ou de final do dia pelo robô de zeragem, e estas zeragens, possuem um custo diferenciado:

  • Zeragem de mini índice e/ou mini dólar e mini S&P: R$ 5,00 reais por contrato.
  • Zeragem de contrato cheio: R$ 25,00 reais por contrato.

Também devem ser incluídos os principais custos da B3. Eles não são isentos pelo RLP, já que são custos diretos da B3 e não da corretora. Você pode simular os custos das operações em mercado BMF no site da B3.

Agora você pode investir em ações, opções ou no mercado BMF com mais segurança. E lembre-se: conte sempre com a Rico para descomplicar seus investimentos 🙂

Abra sua conta com a gente!


julho 15, 2019

INSS ou Previdência Privada: Qual o mais indicado para você?  

Contar com INSS ou Previdência Privada? Essa pergunta é muito frequente entre pessoas que estão pensando em ter uma aposentadoria tranquila.

A verdade é que não é preciso escolher: uma opção não anula a outra. É possível mesclar o INSS e a Previdência Privada e deixar seus anos de aposentadoria ainda mais confortáveis. 

Mas como fazer isso?

 #DicaRico 💰

Bem, para aprender a investir na Previdência Privada que melhor complementa o INSS, é preciso entender melhor como ele funciona. Neste artigo, você vai descobrir:

  • Como funciona o sistema atual do INSS?
  • Como a reforma da previdência pode mudar o INSS;
  • INSS ou Previdência Privada: qual o melhor;
  • Como mesclar INSS e Previdência Privada;
  • Conclusão.

Boa leitura!

Como Funciona o Sistema Atual do INSS?

Uma mulher sentada no chão com as pernas cruzadas mexe no celular, em referência ao inss ou previdência privada
Entender esse sistema atual é importante para o seu futuro

O INSS, ou Instituto Nacional do Seguro Social, é o órgão responsável por receber as contribuições previdenciárias e realizar os pagamentos de benefícios para os contribuintes. 

Se você é empregado através da CLT, a sua contribuição ao INSS fica retida já na folha de pagamento. Essas contribuições mensais garantem o seu direito a benefícios como aposentadoria, auxílio-doença, salário-maternidade e pensão por morte, por exemplo. 

Dessa forma, o INSS serve para garantir uma renda mensal ao trabalhador que encerra suas atividades profissionais. Isso é, contanto que esse tenha contribuído para o INSS. 

Existem regras que delimitam quais contribuintes ganham o direito de receber aposentadoria. Atualmente, existem três maneiras de se aposentar pelo INSS: 

  • Por idade: Para homens, mínimo de 65 anos (trabalhador urbano) e 60 (rural). Para mulheres, mínimo de 60 anos (trabalhadora urbana) ou 55 (rural). Ambos precisam ter 15 anos de contribuição ao INSS para se qualificar. 
  • Por tempo de contribuição: Para homens 35 anos de contribuição, em qualquer idade. Para mulheres, 30 anos de contribuição, em qualquer idade. Ambos recebem redução no valor do benefício.
  • Fórmula 86/96: Para homens, a soma da idade + tempo de contribuição deve ser maior ou igual a 96. Para mulheres, essa soma deve ser maior ou igual a 86. Ambos recebem o valor integral de suas aposentadorias nesse caso. 

Qual a rentabilidade média da previdência pública

Para planejar sua aposentadoria com mais segurança, é importante saber qual será o valor total do seu benefício. 

Para os trabalhadores do Regime Geral do setor privado, por exemplo, o cálculo é feito com base em uma média de 80% de todas as contribuições de maior valor ao longo da vida. 

O site do INSS disponibiliza uma ferramenta de simulação do benefício. Nela, você pode conferir quanto tempo falta para se aposentar e o valor do seu benefício, caso você já tenha direito a ele. 

O contribuinte também conta com o Meu INSS, uma ferramenta criada para facilitar serviços e consultas simples. Através dele, é possível:

  • Acompanhar as fases do pedido pela internet;
  • Solicitar benefícios da Aposentadoria por Idade e Salário-Maternidade. Em alguns casos, o benefício pode ser garantido automaticamente; 
  • Calcular o tempo de contribuição e valor do benefício;
  • Em breve, realizar a atualização cadastral.

Como a Reforma da Previdência pode Mudar o INSS

A frente do planalto central em brasília, em referência ao inss ou previdência privada
A reforma da previdência é fundamental para a retomada econômica

Em 2019, o governo de Jair Bolsonaro apresentou um projeto para a reforma da Previdência. O projeto tem gerado muita discussão, mas você sabe como ele impacta o INSS? 

Primeiramente, a proposta prevê mudanças na idade mínima para se aposentar: 62 anos para mulheres e 65 para homens, ambos com pelo menos 20 anos de contribuição. 

O cálculo do valor do benefício também será alterado. A média salarial será calculada considerando todos os salários de contribuição desde julho de 1994, sem descartar as menores contribuições. 

O trabalhador que cumpre os prazos mínimos (62 anos para mulheres e 65 para homens, com 20 anos de contribuição) têm direito a 60% da aposentadoria. Para receber 100% do benefício, será necessário contribuir por 40 anos.

Se a contribuição passar de 40 anos, o trabalhador receberá mais do que 100%. 

A reforma também propõem o sistema de capitalização do benefício. Hoje, é usado o sistema de repartição. Isso é, os trabalhadores que estão na ativa pagam pela aposentadoria dos mais velhos. 

A proposta do governo é que seja adotado o sistema de capitalização. Nele, cada trabalhador poupa para sua própria aposentadoria. 

A pensão por morte também será modificada na reforma. Hoje, uma pessoa pode acumular a pensão por morte e aposentadoria. A pensão é 100% do valor da aposentadoria que o morto recebia ou a que teria direito se fosse aposentado por invalidez.

A proposta modifica a pensão para 50% da aposentadoria do contribuinte falecido, mais 10% por dependente. 

É interessante analisar um comparativo completo entre o sistema atual e as mudanças previstas nessa proposta. Existem regras especiais para servidores públicos, trabalhadores rurais, professores e políticos, por exemplo. 

INSS ou Previdência Privada: Qual o Melhor

Agora você já sabe como o INSS funciona, e principalmente, como pode passar a funcionar com as mudanças propostas pelo governo atual. Mas afinal, qual é melhor: INSS ou Previdência Privada? 

A verdade é que sua melhor opção é usar os dois. Como mencionamos acima, um não anula o outro, e a previdência privada pode ser uma ótima opção para quem quer complementar o INSS. 

No entanto, é preciso ter atenção para escolher uma previdência privada que realmente potencialize o desempenho do seu dinheiro. 

Atenção: mesmo investindo em previdência privada, é indicado que você continue contribuindo com o INSS para garantir direitos como auxílio-doença e outros.

Vamos realizar uma análise mais profunda sobre essas duas opções a seguir:

Vantagens do INSS

O benefício através INSS é um direito garantido pelo governo para todo trabalhador contribuinte. 

Como as contribuições são obrigatórias no emprego formal, provavelmente você já conta com esse benefício.

Ao contribuir para o INSS, além da aposentadoria, o trabalhador ganha direito à uma série de benefícios. Alguns exemplos são as pensões por morte ou invalidez e seguro de afastamento do trabalho.

Além dos benefícios imediatos, o contribuinte do INSS pode abater as contribuições da base de cálculo de seu imposto de renda, se utilizado o modelo completo. O imposto só será cobrado no momento de sacar os recursos.

Isso significa que esse dinheiro permanece rendendo: uma ótima vantagem a longo prazo. 

Desvantagens do INSS

O benefício do INSS só pode ser resgatado em situações bastante específicas. Isso significa que, embora seu dinheiro esteja rendendo, não há liquidez (facilidade e agilidade para resgate). 

Da mesma forma, é difícil saber quanto exatamente esse dinheiro está rendendo ou trabalhar para aumentar seus rendimentos. Isso porque o benefício obedece alíquotas progressivas, de acordo com a remuneração. Ou seja, você não pode contribuir com quanto quiser.

O INSS também apresenta um período de carência. Ou seja, um número mínimo de meses pagos ao INSS para que você possa ter direito a algum benefício. 

Finalmente os benefícios possuem um teto máximo, atualmente de R$ 5,6 mil (junho de 2019). Isso significa que esse é o valor máximo do benefício da sua aposentadoria, não importa o quanto você tenha contribuído ao longo da vida. 

Vantagens da Previdência Privada

A Previdência Privada é um investimento de longo prazo. No entanto, é muito mais flexível do que a aposentadoria através do INSS. 

Isso porque você pode escolher o tipo de previdência privada mais adequado aos seus objetivos, quanto vai contribuir e quando pretende resgatar o dinheiro, por exemplo. 

A previdência privada não apresenta um teto para seus ganhos, o que é uma enorme vantagem sobre o INSS. 

Nesse tipo de investimento, você pode escolher entre três formas de recebimento: 

  • De uma única vez;
  • Por renda vitalícia; 
  • Renda por prazo certo.

O rendimento da previdência privada também tende a apresentar desempenho superior quando comparados com o INSS. 

Desvantagens da Previdência Privada

É preciso pesquisar suas opções em previdência privada e escolher muito bem. Isso porque algumas delas – principalmente as disponíveis nos grandes bancos – apresentam taxas de administração elevadas, e uma rentabilidade nem sempre muito atrativa. 

Além da taxa administrativa, os planos costumam ter taxa de saída no momento do resgate e taxa de carregamento.

Por isso, é importante buscar opções com taxas menores, garantindo sua rentabilidade. Se quiser saber mais sobre como escolher sua previdência privada e conhecer algumas ótimas opções, leia esse outro artigo que preparamos!

Também é preciso levar em conta as tributações: elas são diferentes dependendo do tipo de previdência privada. 

As previdências PGBL possibilitam a dedução dos valores investidos da base de cálculo do imposto de renda (limite de até 12% da renda bruta tributável). No ato do resgate, no entanto, o IR incide sobre a totalidade do capital aplicado.

Já previdências VGBL não contam com a vantagem. Já, no ato do resgate, o Imposto de Renda incide apenas sobre o rendimento gerado durante o período de acumulação.

 #DicaRico  💰

Investir em previdência privada com os grandes bancos raramente é vantajoso. Isso porque as taxas administrativas são altíssimas!

Invista agora com a Rico

Como Mesclar INSS e Previdência Privada

Um homem parado em frente a uma casa, mexendo no celular, em referência a inss ou previdência privada
Essa é a melhor estratégia para a sua aposentadoria

Como mencionamos, não é preciso, necessariamente, escolher entre INSS ou Previdência Privada. As contribuições podem ser simultâneas. 

A previdência privada funciona como qualquer outro investimento de longo prazo. Inclusive, ele pode ser usado para objetivos diferentes da aposentadoria. 

O primeiro passo para mesclar o INSS e a Previdência Privada é abrir uma conta em uma consultora de confiança, como a Rico. É grátis abrir sua conta com a gente, e oferecemos ótimas opções para previdências privadas e outros investimentos. 

Então, basta realizar uma transferência TED de mesma titularidade da sua conta no banco para sua conta na Rico. Não esqueça de ler todos os detalhes sobre a previdência privada de sua escolha antes de investir! 

Você pode, também, programar um valor de investimento mensal automático na nossa plataforma. Assim, seu patrimônio continua sempre crescendo.

 Você Sabia?  🤔

Existem muitas outras opções em investimentos de longo prazo que são tão seguras quanto as previdências privadas. Talvez você se interesse em investimentos de renda fixa ou nos fundos multimercado, por exemplo. Não deixe de conferir também as sugestões de carteira da Rico.

Quanto rende a Previdência Privada

Os seus rendimentos com a previdência privada irão variar, dependendo do tipo de previdência que você escolheu e das taxas administrativas aplicadas. 

Então, ao escolher seu investimento, você precisa estar atento aos seguintes fatores: 

  • Trata-se de uma previdência PGBL ou VGBL
  • Qual é o tipo de tributação da previdência: progressiva ou regressiva?
  • Qual é a taxa administrativa cobrada?
  • A previdência tem taxa de corretagem? Se sim, qual o tipo de taxa e o valor cobrado?
  • Qual é a liquidez desse investimento?
  • Existem riscos nesse investimento, como perda de rentabilidade no resgate? 

No geral, investir em uma previdência privada fará seu dinheiro render mais do que na poupança. Principalmente se você investir com uma corretora de confiança, como a Rico.  

Veja alguns exemplos de rendimentos de fundos de Previdência Privada na Rico: 

Tela capturada na plataforma da Rico – 23/5/19

Para ter acesso às opções disponíveis, basta acessar sua conta na Rico e clicar na opção “previdências privadas” no menu. 

Clique aqui e confira um passo a passo detalhado sobre como investir em uma previdência privada!

Conclusão

Um homem carrega uma mulher de cavalinho, em referência a inss ou previdência privada
Pronto para iniciar seu planejamento de investimentos para a aposentadoria?

Você não precisa escolher entre INSS ou previdência privada! Na verdade, sua melhor opção é mesclar os dois e garantir uma aposentadoria mais confortável e segura. 

As previdências privadas podem ser uma ótima opção também para outros objetivos de longo prazo. No entanto, é preciso estar atento às taxas e aos tipos de tributações aplicadas nesse tipo de investimento. Na Rico, você tem:

  • Taxa de carregamento de entrada e de saída ZERO
  • Taxa de custódia ZERO

Você só precisa pagar a taxa de administração, ou seja, a remuneração do gestor do fundo e o Imposto de Renda. 

Isso torna nossas opções muito mais rentáveis do que aquelas oferecidas pelos grandes bancos. 

Que tal continuar aprendendo sobre como diversificar seus investimentos e fazer seu dinheiro trabalhar por você? Leia também esses outros artigos que preparamos: 

Obrigado por ler até aqui e bons investimentos! 

Abra sua conta 01

dezembro 24, 2018

Como planejar bons investimentos (invista por objetivos)  

Planejar bons investimentos pode ser uma das melhores formas de realizar seus sonhos e atingir metas.

Se você deseja construir uma reserva de emergência, trocar de carro ou alcançar a liberdade financeira, por exemplo, você precisa aprender a planejar os seus investimentos de acordo com seus objetivos.

A escolha de bons investimentos deve acontecer de acordo com a combinação de uma série de fatores como por exemplo o prazo para o objetivo, seu perfil de investidor e o quanto você pode investir mensalmente.

Apesar da busca pelo melhor rendimento ser comum, o melhor investimento para uma pessoa nem sempre será o melhor para outra. Isso acontece justamente porque os objetivos e contextos são diferentes.

Por isso, preparamos esse artigo completo para que você mesmo escolha e planeje os melhores investimentos. Veja o que você vai aprender:

  • Vantagens de Investir Seu Dinheiro
  • Quais São Seus Objetivos ao Investir
  • Como Planejar Bons Investimentos
  • Dica Extra: Bons Investimentos para o ano
  • Está Começando Agora? Aprenda Como Investir Com a Rico

Se tiver alguma dúvida, deixe o seu comentário no final da página.

Boa leitura!

Vantagens de Investir Seu Dinheiro

Uma mulher em um café está sentada em uma cadeira e segura uma xícara apoiada na mesa. Ela segura e olha para o celular com uma expressão feliz, em referência a como planejar bons investimentos.
Invista para ter um ano bem-sucedido!

Conseguir poupar dinheiro mensalmente e investir é o que diferencia as pessoas que estão construindo um patrimônio de longo prazo das que não têm um planejamento financeiro.

Surpresas sempre podem acontecer. Por exemplo, as reformas fiscais que o Brasil precisa podem não sair do papel com a eficiência necessária.

Isso poderia jogar o Brasil de volta para um cenário de desconfiança e crise.

É por isso que nesses momentos em que você deve estar com as finanças em dia. 

Assim, a principal vantagem de investir não é apenas realizar os seus objetivos de curto, médio e longo prazo, mas é também estar preparado para caso tudo dê errado.

Como diz o provérbio chinês:

Espere o melhor, prepare-se para o pior e aceite o que vier. 

Além de estar preparado para emergências, as principais vantagens de investir com consciência são:

  • Manter as contas em dia
  • Planejar o futuro
  • Alcançar metas e sonhos
  • Construir um patrimônio
  • Ter mais tranquilidade
  • Trabalhar menos (quando conseguir uma boa renda dos seus investimentos)

Por tudo isso, não deixe de aplicar em bons investimentos este ano.

Clique e faça o teste.

Quais São Seus Objetivos ao Investir

Quatro pilhas de moedas alinhadas em ordem crescente da esquerda para a direita; sobre elas, nascem brotos de arvores, em referência a como planejar bons investimentos.
Defina suas metas antes de aplicar o seu dinheiro

O primeiro passo para você se tornar um investidor consciente e que conquista seus sonhos é traçar objetivos.

Recomendamos que o seu primeiro objetivo como investidor seja garantir tranquilidade no presente. Isso só é possível com um colchão de liquidez.

Para isso, você deve investir em um ativo que permite o resgate a qualquer momento sem perda de rentabilidade. Neste caso, o melhor investimento a ser feito pode ser o Tesouro Selic.

Ele é considerado tão seguro quanto a poupança e rende muito mais.

Com o presente garantido, você pode começar a investir com objetivos de longo prazo, buscando uma rentabilidade melhor. Por exemplo, se o seu objetivo é se aposentar aos 50 anos, você deve responder algumas questões para saber investir e chegar a esse sonho.

  • Quanto você precisa ter de renda para se aposentar aos 50 anos?
  • Quanto tempo falta para você chegar a essa idade?
  • Quanto você pode aplicar mensalmente?
  • Você pode manter esse dinheiro aplicado até a data de resgate?

Se você tem 30 anos e deseja se aposentar ganhando R$ 6.500 ao mês, sem nenhum investimento inicial, você poderia aplicar R$ 1.550 no Tesouro IPCA+ (que atualmente, 19 de dezembro de 2018 rende aproximadamente 5% + IPCA) todos os meses até os 50 anos.

Neste caso, no final do período, você teria cerca de R$ 1.019.579,65 (levando em conta as taxas atuais). 

Com esse montante, você pode fazer uma aplicação em fundos imobiliários que pagam cupons mensais ou até mesmo no Tesouro Prefixado com pagamento de cupons semestrais.

Caso opte pelo papel prefixado, você saberá exatamente quanto receberá de rendimento, independente de taxas do tipo CDI e IPCA.

Assim, você teria o equivalente a R$6.525,30 de pagamento de juros ao mês ao aplicar no Tesouro Prefixado com Juros semestrais que rende 9,53% a.a.

Como Planejar Bons Investimentos

Para conseguir fazer o seu dinheiro crescer de forma consistente e contínua, você precisa aprender o básico de planejamento financeiro

Ou seja, você precisa gastar menos do que ganha e investir todo mês. Essa é a melhor forma de colocar a sua vida financeira em uma tendência positiva.

Especialistas recomendam que o mínimo a ser investido é 10% das suas receitas mensais.

Veja o passo a passo a seguir para aplicar esse dinheiro em bons investimentos:

Comece definindo o seu perfil de investidor

Você pode ter um perfil conservador, moderado ou agressivo. Cada tipo de investimento é recomendado para um ou mais perfis. Então, fique atento ao risco envolvido em cada aplicação.

Caso você não siga essa dica, pode ser que fique frustrado com rendimentos baixos ou desconfortável com oscilações em sua rentabilidade.

Conheça bem suas metas

Para que o seu dinheiro realmente trabalhe pelos seus objetivos, você deve se conhecer primeiro.

Então, tenha uma lista de prioridades financeiras. Assim, você não corre o risco de ter um objetivo atrapalhando o outro. Não é possível tentar realizar todas as suas metas ao mesmo tempo.

Imagine como seria ruim se você tivesse que abrir mão do celular novo porque esqueceu que havia uma prioridade na frente como o pagamento das contas de início de ano (IPTU, IPVA, matrícula escolar e etc). E então, quais são suas metas?

Estipule prazos para seus objetivos

Não adianta definir suas metas se você não traçar quando elas devem acontecer. O fator tempo é muito importante e poderoso no mundo dos investimentos.

Quanto maior for seu objetivo e menos dinheiro você tiver para ele, mais tempo você precisará deixar o valor aplicado. Assim, os juros compostos poderão surtir efeito no seu dinheiro.

Defina uma quantia que será investida e em qual frequência

Caso o seu investimento inicial não renda o suficiente dentro do prazo estipulado, você pode fazer aplicações mensais.

Isso é recomendável e pode acelerar os seus objetivos financeiros.

Na Rico, é possível inclusive programar esse tipo de investimento. Você só precisa configurar sua conta bancária para transferir dinheiro para sua conta na Rico todo mês e escolher qual investimento deseja fazer mensalmente.

Estude os melhores investimentos para o ano

Conhecimento é o que ajudará você a realizar suas metas. Por isso, é interessante que você entenda um pouco de investimentos. Separe parte do seu tempo para conhecer as diversas opções de investimentos disponíveis na Rico.

Você pode começar estudando a renda fixa (quando o rendimento é previsível) e depois a renda variável (rendimento imprevisível).

A partir desse conhecimento, você deve construir uma carteira coesa, segura e rentável.

Saiba onde investir

Planeje sua “agenda” de investimentos para o ano

Agora que você possui a sua lista de prioridades e sabe quanto pode investir mensalmente, está na hora de fazer um calendário de investimentos.

Você pode, por exemplo, começar o ano aumentando sua reserva de emergência durante o primeiro semestre e depois focar na construção de uma carteira conservadora de ações que pagam dividendos.

Como dito, tudo vai depender dos seus objetivos financeiros.

Esteja aberto para mudanças no planejamento de acordo com a situação econômica e política

A economia está em uma tendência estável e positiva. Mas tudo isso pode mudar com apenas uma ou duas notícias negativas. Então, você deve estar preparado para qualquer crise nacional ou internacional.

Por isso, ressaltamos a importância de ter uma carteira diversificada de investimentos. Dessa forma, caso um investimento seja comprometido, outras aplicações cobrem a perda com sua rentabilidade.

Nunca invista todo o seu dinheiro em um mesmo investimento do mesmo mercado. Assim, você concentra seu capital sob o mesmo tipo de risco. 

Dica Extra: Bons Investimentos

Para investidores agressivos que desejam maiores retornos, sugerimos que uma parcela seja alocada em investimentos de renda variável, como ações ou fundo de ações.

Opte por empresas que têm em sua receita dependência do mercado local, como companhias bem geridas e de importantes barreiras à entrada dentro dos setores varejista, financeiro e energia elétrica, tais como Localiza, Itaú Unibanco, B3 e Equatorial, respectivamente.

As estatais também são boas opções, visto que podem se beneficiar do possível Governo menos intervencionista e que apresentam evolução trimestre a trimestre nos principais indicadores de rentabilidade tais como Petrobras e Banco do Brasil.

Dentro de uma carteira balanceada, considere também empresas de qualidade e com receitas dolarizadas, tais como Gerdau e Suzano.

Caso o seu perfil seja moderado, sugerimos que invista em Fundos Multimercados, uma vez que os riscos são diluídos pela possibilidade do gestor aplicar os recursos do fundos em ações, commodities, moedas, ativos de renda fixa, entre outros.

Já para os investimentos em ativos de Renda Fixa menos conservadores, sugerimos Debêntures Incentivadas e Certificados de Recebíveis Imobiliário (CRI) e Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA), principalmente.

Investimentos isentos de Imposto de Renda, que permitam um ganho real (já descontado a inflação) de 5% a 6% tornam-se atrativos, uma vez que o mercado projeta a taxa de juros próximo ao nível atual por um período mais longo.

O Que Esperar da Economia em 2019

Do ponto de vista econômico, a questão fiscal é a principal questão a ser solucionada no país. Esse deve ser um dos focos econômicos do novo Governo.

Afinal, o Governo Federal gasta mais do que arrecada e seguindo o ritmo atual, chegaremos a um ponto no qual o Estado não será capaz de honrar com as suas obrigações básicas.

Ou seja, caso nenhuma medida para combater esse enorme problema avance, o Brasil pode entrar em uma crise econômica e social. Dessa forma, a Reforma da Previdência é a prioridade número 1 para o mercado. 

Nesse sentido, o novo governo menciona com frequência que o estado teria menor participação nas decisões econômicas e empresariais, o que poderia impulsionar uma agenda de desburocratização, privatizações e concessões.

Apesar do otimismo, é preciso cautela já que o cenário internacional de 2019 não será favorável a países emergentes como o Brasil.

Está acontecendo um aperto monetário por parte do Banco Central dos EUA, e o mesmo deve acontecer na Europa.

Ou seja, os juros dos principais países desenvolvidos está ficando “mais caro” e a falta de liquidez nos mercados globais deve acelerar os questionamentos de crescimento e, como consequência disso, a volatilidade nas bolsas.

Outro fator importante é a Guerra Comercial entre as duas maiores potências mundiais. Ao que tudo indica, deve se estender para os próximos anos e impactar no crescimento global.

Hoje, essa é a maior preocupação no cenário internacional.

Após o forte crescimento chinês dos últimos anos, a guerra comercial travada pelo presidente Trump pode diminuir o crescimento global e isso com certeza pode afetar o Brasil.

Conclusão

Uma moça olha para o notebook com uma expressão feliz, em referência a como planejar bons investimentos.
Pronto para escolher bons investimentos?

Muitas pessoas desejam realizar sonhos. Para que isso aconteça, é preciso ter um planejamento financeiro adequado e realista.

Não existe mágica ao fazer investimentos. Fuja sempre que alguém apresentar investimentos com ganhos altíssimos e garantidos.

Se as suas metas financeiras forem grandes, o seu esforço e planejamento devem ser igualmente grandes.

Para ter mais sucesso, você deve fazer uma lista de prioridades, considerar quanto dinheiro pode investir, qual seu perfil de investidor e qual é o prazo das suas metas.

Apenas combinando esses fatores, você poderá escolher bons investimentos.

Se quiser continuar aprendendo mais sobre investimentos, leia os artigos abaixo:

Outra coisa que sempre ajudará você a fazer bons investimento é ter uma boa educação financeira. Para isso, você precisa gastar menos do que ganha e deve se manter informado.

Se ficou com qualquer dúvida, deixe o seu comentário logo abaixo.

Bons investimentos!

cta-blog-abra-sua-conta